Modelo de Relatório de Sustentabilidade Estratégia e Análise



Baixar 70.47 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho70.47 Kb.

Modelo de Relatório de Sustentabilidade

Estratégia e Análise

Esta secção tem como objectivo fornecer uma visão estratégica e panorâmica do relacionamento da organização da organização com a sustentabilidade, de forma a definir um contexto para a subsequente e mais detalhada informação contida noutras secções das directrizes. Pode recorrer a informações contidas noutras partes do relatório, mas esta secção destina-se a aprofundar as questões estratégicas, e não a resumir pura e simplesmente o conteúdo do relatório.



1. Declaração da pessoa com maior poder de decisão

Declaração da pessoa com o maior poder de decisão na organização, sobre a relevância da sustentabilidade para a organização e a sua estratégia.


A declaração deverá apresentar a visão e a estratégia da organização, tendo em conta o curto o médio e o longo prazo, principalmente em relação à gestão dos principais desafios, associados ao desempenho económico, ambiental e social.
A declaração deve incluir:


  • Prioridades estratégicas e questões fundamentais, a curto e médio prazo, em relação à sustentabilidade, incluindo o respeito pelas normas aceites internacionalmente e a forma como estas se relacionam com a estratégia e o sucesso da organização a longo prazo;

  • Tendências mais abrangentes (por exemplo: macroeconómicas ou políticas) que afectam a organização e influenciam as prioridades a nível da sustentabilidade;

  • Principais factos, realizações e fracassos ocorridos durante o período abrangido pelo relatório;

  • Considerações sobre o desempenho em comparação com os objectivos;

  • Perspectiva sobre os principais desafios e objectivos da organização para o próximo ano e objectivos para os próximos 3 a 5 anos;

  • Outros tópicos relacionados com a abordagem estratégica da organização [GRI G3: pág. 23].





2. Principais impactos, riscos e oportunidades (não é obrigatório no Nível C)



Perfil Organizacional




1. Denominação da organização [GRI G3: pág.24]







2. Principais marcas produtos e/ou serviços [GRI G3: pág. 24]




3. Estrutura operacional da organização e principais divisões, operadoras, subsidiárias e joint ventures [GRI G3: pág. 24]





4. Localização da sede social da organização [GRI G3: pág. 24]








5. Países em que opera

Número de países em que a organização opera, assim como os nomes dos países onde se encontram as principais operações ou que têm uma relevância especifica para as questões da sustentabilidade, abrangidas pelo relatório. [GRI G3: pág. 24]








6. Tipo e natureza jurídica da propriedade [GRI G3: pág. 24]








7. Mercados abrangidos (incluindo a analise geográfica discriminativa, os sectores abrangidos e os tipos de clientes / beneficiários) [GRI G3: pág. 24]






8. Dimensão da organização

Deve incluir:




  • Número de funcionários;

  • Vendas líquidas (para organizações do sector privado) ou receita líquida (para organizações do sector público);

  • Capitalização total, segmentada por débito e equity (para organização privada);

  • Quantidade de produtos disponibilizados e serviços prestados.

Sugestão de informações adicionais:




  • Activo total;

  • Titularidade beneficiária (incluindo a identidade e percentagem detida pelos maiores accionistas);

  • Análise discriminativa por pais/região do seguinte:




      • Vendas e receitas por países/regiões que correspondam a 5% ou mais da receita total;

      • Custos por países/regiões que correspondam a 5% ou mais da receita total;

      • Funcionários [GRI G3: pág. 24].







9. Alterações significativas

Principais alterações que tenham ocorrido, durante o período abrangido pelo relatório, referentes à dimensão, à estrutura organizacional ou à estrutura accionista, tais como:




  • A localização das operações, alterações nas operações, incluindo a abertura ou o encerramento de instalações e expansões;

  • Alterações na estrutura do capital social e outras operações de formação, manutenção e modificação de capital (para organizações do sector privado) [GRI G3: pág. 24].








10. Prémios recebidos (durante o período abrangido pelo relatório) [GRI G3: pág. 24]







Parâmetros para o Relatório




Perfil do relatório




1. Período abrangido (por exemplo: ano fiscal/civil) para as informações apresentadas no relatório [GRI G3: pág. 24]








2. Data do último relatório publicado (se aplicável) [GRI G3: pág. 24]








3. Ciclo de publicação [GRI G3: pág. 24]








4. Contacto para perguntas referentes ao relatório ou ao seu conteúdo [GRI G3: pág. 24]








Âmbito e limites de enquadramento do relatório

5. Processo para definição do conteúdo do relatório

Incluindo:




  • O processo para determinar a relevância;

  • A definição de questões prioritárias no âmbito do relatório;

  • A identificação das partes interessadas que sejam potenciais utilizadoras do relatório.

Deverá ser incluída uma explicação sobre o modo como a organização aplicou a Orientação para a Definição do Conteúdo do Relatório e os princípios associados [GRI G3: pág. 25].




6. Limite do relatório (por exemplo: países, divisões, subsidiárias, instalações arrendadas, joint ventures, fornecedores)

Para obter mais orientações, consulte o protocolo técnico de limites da GRI [GRI G3: pág. 25].






7. Limitações específicas

Refira quaisquer limitações específicas relativas ao âmbito e ao limite do relatório.


Se o limite e o âmbito do relatório não abordam todo o conjunto de impactes económicos, ambientais e sociais da organização, enuncie a estratégia e o cronograma estipulados para garantir uma cobertura completa [GRI G3: pág. 24].



8. Base de reporte

Base para a elaboração do relatório, no que se refere a joint ventures, subsidiárias, instalações arrendadas, operações atribuídas a serviços externos e outras entidades, passíveis de afectar significativamente a comparação entre diferentes períodos e/ou organizações [GRI G3: pág. 24].







9. Técnicas de medição de dados (não é obrigatório no Nível C)

10. Reformulação de informação

Explicação do efeito de quaisquer reformulações de informações existentes em relatórios anteriores e as razões para tais reformulações (por exemplo: fusões/aquisições, mudança do período ou ano base, natureza do negócio, métodos de medição) [GRI G3: pág. 24].







11. Mudanças significativas

Alterações significativas, em relação a relatórios anteriores, no âmbito, limite ou métodos de medição aplicados [GRI G3: pág. 24].




Índice do conteúdo GRI

12. Tabela do índice GRI (índice do relatório)








Verificação




13. Verificação externa

Informações sobre a abordagem para verificação do relatório, seja externa (que não é obrigatória) ou interna [GRI G3: pág. 39].







Governação, Compromisso e Envolvimento

Governação




1. Estrutura de governação

Estrutura de governação da organização, incluindo comissões subordinadas ao órgão de governação hierarquicamente mais elevado e com responsabilidade por tarefas especificas, tais como a definição da estratégia ou supervisão da organização.


Descreva o mandato e a composição (incluindo o numero de membros independentes e/ou membros não-executivos) de tais comissões e indique qualquer responsabilidade directa no desempenho económico, social e ambiental [GRI G3: pág. 26].






2. Papel do presidente

Indique se o presidente do órgão de governação hierarquicamente mais elevado é, simultaneamente um director executivo (e, nesse caso, quais as suas funções no âmbito da gestão da organização e as razoes para esta composição) [GRI G3: pág. 26].







3. Administradores independentes e/ou não-executivos

Indique, no caso das organizações com uma estrutura de administração unitária, o numero de membros do órgão de governação hierarquicamente mais elevado que são independentes e/ou os membros não executivos.


Indique o modo como a organização define as expressões ‘independente’ e ‘não-executivo’. Este elemento aplica-se somente a organizações com uma estrutura de administração unitária. Consulte o glossário para uma definição de ‘independente’ [GRI G3: pág. 26].





4. Mecanismos de comunicação com accionistas e empregados

Mecanismos que permitam a accionistas e funcionários transmitir recomendações ou orientações ao órgão de governação hierarquicamente mais elevado.


Inclua referências a processos relativos à:


  • Utilização de deliberações de accionistas ou outros mecanismos que permitam aos accionistas minoritários expressar opiniões junto do órgão de governação hierarquicamente mais elevado;

  • Troca de informações e realização de consultas aos funcionários relativamente às relações laborais através de órgãos representativos, tais como as ‘comissões de trabalhadores’, e da representação de funcionários no órgão de governação hierarquicamente mais elevado da organização.

Identifique as principais questões relacionadas com o desempenho económico, ambiental e social, resultantes destes mecanismos e abordadas durante o período abrangido pelo relatório [GRI G3: pág. 26].








5. Relação entre remunerações e desempenho (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 26]

6. Conflito de interesses (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 26]

7. Qualificação e especialização dos administradores (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 26]

8. Declarações de missão, códigos de conduta e princípios (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 26]

9. Procedimentos de monitorização do desempenho económico, ambiental e social (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág.26]

10. Processos para avaliação do desempenho da administração (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 26]




Compromisso com iniciativas externas




11. Aplicação do princípio da precaução (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 27]

12. Cartas, princípios ou outras iniciativas que a organização subscreva (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 27]

13. Participação em associação e/ou grupos nacionais/ internacionais

Participação significativa em associações (tais como associações industriais) e/ou organizações de defesa nacionais/internacionais, em que a organização:




  • Detêm posições nos órgãos de governação;

  • Participa em projecto e comissões;

  • Contribui com financiamento substanciais, que ultrapassam as obrigações normais dos participantes;

  • Encara a participação como estratégica


Este ponto refere principalmente às participações mantidas a um nível organizacional [GRI G3: pág. 27].





Envolvimento das partes interessadas

Estes pontos de divulgação referem-se ao envolvimento, em geral, das partes interessadas, conduzido pela organização, ao longo do período abrangido pelo relatório. Estas divulgações não se limitam à implementação ao envolvimento das partes interessadas para a elaboração do relatório.




14. Listas das partes interessadas

Relação dos grupos que constituem as partes interessadas envolvidas pela organização:


Exemplos de grupos de partes interessadas:


  • Comunidades;

  • Sociedade civil;

  • Clientes;

  • Accionistas e investidores;

  • Fornecedores;

  • Funcionários, outros trabalhadores e sindicatos. [GRI G3: pág. 27]








15. Base para a identificação e selecção das partes interessadas a serem envolvidas

Este ponto inclui o processo, utilizado pela organização, para definir quais os grupos de partes interessadas, e para determinar quais desses grupos devem ou não ser envolvidos [GRI G3: pág. 27].






16. Abordagens do relacionamento com as partes interessadas (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 27]




17. Temas e preocupações das partes interessadas e respectiva resposta (não é obrigatório no Nível C) [GRI G3: pág. 27]



Dados de Desempenho [GRI G3: pág. 28]

Os indicadores de desempenho de sustentabilidade são constituídos por três categorias:




  • Económica;

  • Ambiental;

  • Social.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal