Mostra de filmes mineiros e exposiçÃo de artes visuais são destaques da minas gerais audiovisual expo (max) em bh



Baixar 22.06 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho22.06 Kb.




MOSTRA DE FILMES MINEIROS E EXPOSIÇÃO DE ARTES VISUAIS

SÃO DESTAQUES DA MINAS GERAIS AUDIOVISUAL EXPO (MAX) EM BH
Serraria Souza Pinto e Museu de Artes e Ofícios receberão extensa programação artística com exibição de curtas, longas-metragens e obras em processo, além de exposição de artes visuais sobre a história do audiovisual mineiro e nacional.
Evento que visa o fomento à indústria do audiovisual promoverá rodada de negócios entre produtores e distribuidores de todo o país, além de 66 painéis com especialistas do setor.
Belo Horizonte, maio de 2016 – Para além do fomento aos negócios audiovisuais, a primeira edição da Minas Gerais Audiovisual Expo (MAX) trará uma extensa programação cultural. Entre 1º e 5 de junho, o público poderá conferir 39 filmes, entre curtas, longas-metragens e, ainda, obras em processo de finalização na mostra “Imagem em construção”. A seleção, que tem curadoria de Adyr Assumpção, reúne títulos de destaque da atual produção audiovisual mineira, misturando filmes inéditos no circuito comercial a trabalhos premiados. No Museu de Artes e Ofícios, estará em cartaz até o dia 31 de julho a exposição “Lupa: ensaios audiovisuais”, que remonta os principais marcos da história do audiovisual local e nacional. A programação completa e informações estão disponíveis pelo site www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br
A iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, o Sebrae Minas e o Sistema Fiemg/Sesi, conta com o patrocínio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e da Taesa. A expectativa é de que mais de 3 mil pessoas passem pela Serraria Souza Pinto e pelo Museu de Artes e Ofícios nos cinco dias de evento.
Em meio à programação de negócios e atrações culturais, o público da MAX poderá se divertir com o que há de mais novo em termos de tecnologia audiovisual. Durante os cinco dias de evento estará disponível gratuitamente o Cine Virtual, primeiro cinema de realidade virtual do Brasil. Por meio de óculos especiais, os visitantes vão viver a experiência de assistir e explorar filmes em 360º. No domingo, encerrando a programação da mostra “Imagem em construção”, será apresentado ao público o processo de captura de imagem para animação e games, tecnologia utilizada em todo o mundo para traduzir uma atuação ao vivo em uma atuação digital, produzindo animações de personagens a partir da performance de um ator.
Mostra “Imagem em construção”

Apresentando um recorte sobre o que de mais recente está sendo produzido no audiovisual mineiro, a mostra “Imagem em construção” exibirá gratuitamente 39 títulos. A curadoria assinada por Adyr Assumpção busca acompanhar a dinâmica atual do setor e apresenta um instantâneo da produção em animação, cinema ficcional e documental, televisão, internet e games. Entre os destaques, filmes como “Rapsódia para um homem negro”, curta de ficção lançado em 2015 pela Filmes de Plástico, que traz o cantor e ator Sérgio Pererê como protagonista. A produtora de Contagem apresentará também outros filmes premiados, como os curtas “Quinze”, “Mundo Incrível Remix” e “Quintal”, além do longa “Ela volta na quinta”.


Projetos em desenvolvimento também serão exibidos na mostra. Títulos como “Joaquim”, sobre o inconfidente Tiradentes, dirigido pelo experiente Marcelo Gomes, de “Cinema, aspirinas e urubus” e “Viajo porque preciso, volto porque te amo”, terá um trecho de 10 minutos apresentado ao público. A animação para adultos, “Nimuendajú”, de Tania Anaya, será mostrada em recorte de 15 minutos, contando a história do etnólogo alemão Curt Nimuendajú que estudou quase 50 povos indígenas brasileiros na primeira metade do século 20. O projeto é considerado o principal projeto mineiro no cinema de animação atual e recentemente foi selecionado para o Festival Internacional de Filmes de Animação (MIFA), de Annecy, na França.
O diálogo com a literatura, característica que marca o cinema mineiro, também estará presente na seleção da Mostra. O elogiado curta “Um ano novo danado de bom”, de João batista Melo, traz adaptação do livro homônimo, de Angela Lago. Já o recém-lançado longa “Estive em Lisboa e lembrei de você”, do português José Barahona, resgata a obra de Luiz Ruffato, com atuação do mineiro Paulo Azevedo (ex-integrante do grupo Espanca!).
Todas as sessões são gratuitas e os ingressos serão distribuídos 30 minutos antes de cada sessão (restritos a dois ingressos por pessoa).
Veja a programação completa da Mostra “Imagem em Construção” no Anexo 2.
Exposição “Lupa: ensaios audiovisuais"

Com curadoria de Fabíola Moulin e Marconi Drummond, o Museu de Artes e Ofícios terá em cartaz uma exposição inédita que pretende apresentar ao público as dimensões material e conceitual do audiovisual a partir dos anos 60, em Minas e no Brasil. Por meio de uma linha do tempo, a exposição traz uma cronologia ilustrada, apresentando acervo videográfico, documental, iconográfico e material sobre a trajetória do audiovisual brasileiro e mineiro, com destaque para os principais eventos e marcos históricos desse período.


Paralela a esse núcleo central, a exposição apresenta sete lupas, recortes curatoriais que organizam acervos expandidos, obras que saem da linha do tempo para tomar o espaço expositivo. Elas funcionam como um olhar aprofundado sobre um marco histórico ou sobre um acervo referencial que lançam um olhar amplificado e especulativo sobre determinado momento e dialogam com a linha do tempo central.
A mostra passa pelos pioneiros do vídeo no Brasil e por recortes conceituais e tipológicos como os livrídeos, o vídeo–poema, a vídeo performance, vídeo-instalação, o videoclipe, vídeo-projeções na cena pública, entre outros. Estende-se pela efervescência da produção nacional e local do cinema na década de 90 e apresenta um recorte da produção contemporânea brasileira com pesquisas de cunho antropológico, sociológico e político.
A exposição fica em cartaz no MAO até o dia 31 de julho, com entrada gratuita.
Rodada de negócios e ações de capacitação

Ao longo dos cinco dias de programação, 31 empresas âncoras do mercado nacional, selecionadas em curadoria da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão (ABPITV), realizadora do Rio Content Market, evento internacional dedicado à produção de conteúdo audiovisual, participarão da Rodada de Negócios com realizadores de todo o país. Mais de 160 proponentes de oito estados brasileiros e da Espanha inscreveram 310 projetos em edital prévio, totalizando 1.550 requisições de agendamento com os players. Desse total, serão efetivados 540 agendamentos e os proponentes terão 20 minutos para apresentação de suas propostas.


Dentre os players participantes, estão as principais empresas habituadas à coprodução, licenciamento e aquisição de conteúdos de pequenos e médios realizadores: GNT; +Globosat; A&E; Lifetime; H2; History Channel; Prime Box; Travel Box; Music Box; Canal Combate; CINEBRASIL TV; Curta!; E! Entertainment; Elo Company; Opera TV; PlayTV; TNT; Warner; Space; TBS; Woohoo; Looke/Encripta/Net Movies; Rede Record; Vitrine Filmes; Arte 1; EBC/TV Brasil; Synapse; Gloob; Rede Minas.
Paralela à rodada de negócios, a MAX oferecerá programação voltada também aos profissionais, estudantes e interessados que desejam se capacitar e atualizar os conhecimentos sobre o audiovisual. Serão realizados 66 painéis e palestras com a presença de executivos, consultores e especialistas do mercado, organizados em quatro salas com programação simultânea e gratuita. Em pauta, temas relevantes do setor, como distribuição, modelo de negócios, políticas públicas, desenvolvimento territorial, mercado internacional, licenciamento, legislação e games.
Veja a programação completa dos painéis e palestras no Anexo 1.
Mercado do Audiovisual no Brasil

Apesar da crise econômica e financeira que o Brasil enfrenta, especialistas e profissionais da área do audiovisual seguem otimistas com números do mercado. Segundo o estudo “Impacto econômico do setor audiovisual brasileiro”, elaborado pelo Sebrae, em 2013 o setor do audiovisual foi responsável por 0,57% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, obtendo participação similar à de outros grandes setores, como têxtil, vestuário, autopeças e produtos farmacêuticos, chegando a movimentar em torno de R$ 15,7 bilhões na economia brasileira.


De acordo com a Ancine, autarquia vinculada ao Ministério da Cultura, até 2020 o Brasil pode transformar-se no quinto mercado do mundo em produção e consumo de conteúdos audiovisuais para cinema, televisão e novas mídias — atualmente, o País ocupa o décimo lugar no ranking. Além disso, a estimativa é de que se alcancem 4.500 salas digitais, com capacidade para atrair 220 milhões de espectadores. Conforme dados de 2014 da Ancine, existem 2.833 salas de cinemas na atualidade.
SERVIÇO
MAX – MINAS GERAIS AUDIOVISUAL EXPO

1º a 5 de junho de 2016

Local: Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro, Belo Horizonte) e Museu de Artes e Ofícios (Praça Rui Barbosa, 600, Centro, Belo Horizonte)

Acesso gratuito - Os interessados em participar das atividades de capacitação devem realizar credenciamento prévio gratuito por meio do site www.minasgeraisaudiovisualexpo.com.br



ASSESSORIA DE IMPRENSA

Árvore Gestão de Relacionamento - (31) 3194-8700


Direção: Rafael Araújo

Atendimento: 



Tiago Penna – (31) 3194-8719 | 98329-1513

tiago@aquitemarvore.com.br




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal