Márcia Gomes Marques, Pontificia Università Gregoriana, Roma



Baixar 122.67 Kb.
Página1/3
Encontro29.07.2016
Tamanho122.67 Kb.
  1   2   3




Márcia Gomes Marques,

Pontificia Università Gregoriana, Roma

Mestre em Comunicação Social e Doutora em Ciências Sociais.

e-mail: marciagm@yahoo.com

tel.: Via Val di Chienti 10,

00141, Roma, Itália

tel.: 0039-3491066975 / 0039-068120361
Resumo: Neste texto se discute sobre alguns dos fatores que se fazem presentes na interação entre texto e receptor a partir de um caso específico: um seriado televisivo da televisão italiana chamado Incantesimo. A partir da análise sócio-narrativa deste programa e de entrevistas em profundidade com pessoas que assistiam assiduamente a este seriado, foram explorados alguns aspectos temáticos e narrativos que caracterizam a interação com esta obra.
Palavras chaves: Gênero, Recepção e Ficção Seriada.

Incantesimo: uma proposta italiana de ficção seriada.
De vital importância no estudo dos gêneros televisivos é o que em outras áreas disciplinares se chama pattern recognition, ou seja, o reconhecimento de padrões para identificar os invariantes que definem e caracterizam um programa dentro de uma classe das normalmente aceitadas dentro da taxonomia dos gêneros televisivos, e em particular, neste caso, dos gêneros televisivos populares. Um dos aspectos primordiais deste estudo foi o de verificar como o programa italiano Incantesimo pertence ou não a uma determinada classe de produtos dos chamados gêneros populares, e neste caso específico, a das soap operas ou das telenovelas latino-americanas.

No que diz respeito aos procedimentos e pactos comunicativos que se estabelecem entre o público e os programas, o interesse por identificar o que se faz com os produtos dos meios vem muitas vezes associado com a atenção em relação a como (a partir de quais artifícios) se utilizam os programas, e a por que (por quais motivos ou com quais intenções) se opta por determinados produtos e não por outros. O interesse por compreender melhor o que motiva os telespectadores a optarem preferencialmente por certos produtos, por sua vez, possibilita não só a aquisição de um conhecimento mais amplo sobre os gostos do público e o emergir de novas tendências dentro do que existe hoje em dia como oferta dos meios, mas auxilia também a entender como elaborar produtos que explorem mais e melhor os diferentes recursos comunicativos existentes.

Foi justamente o interesse por entender o que levava o público italiano a assistir o seriado televisivo Incantesimo, e a permitir inclusive que este se tornasse um dos programas mais bem-acolhidos e de maior longevidade dentro do palimpsesto televisivo italiano dos últimos anos, foi o que propiciou o desenvolvimento de um trabalho de pesquisa que visava explorar, principalmente, as razões do sucesso deste programa. Com o intuito de chegar ao programa desde caminhos diversos, foram combinadas a análise sócio-narrativa do produto com a análise de recepção, realizada a partir de entrevistas em profundidades com 20 pessoas que assistiam assiduamente a Incantesimo. Como este programa não corresponde completamente a nenhum dos gêneros televisivos presentes atualmente na televisão, além da atenção na matéria da representação, na estrutura do imaginário e na forma do relato, se procurou entender melhor as suas peculiaridades também a partir da identificação das diferenças e semelhanças com outros dois tipos de programas com os quais compartilha parte da sua forma de ser: as telenovelas latino-americanas e as soap operas estadunidenses. Entre os aspectos contemplados nas entrevistas com os telespectadores, se enfatizou as modalidades de consumo deste produto, a percepção dos vários aspectos semânticos e morfológicos que, segundo os telespectadores, caracterizavam o programa.

Como resultados obtidos, se deve acentuar, por um lado, o interesse suscitado pelos núcleos temáticos, a atração exercida pelos personagens femininos, e o vigor e a força dos conflitos entre os bons e os maus das histórias contadas pelo programa. Como aspecto que estimulava a atenção constante e explicava a fidelidade do público ao longo do tempo, foram encontrados distintos tipos de colaboração que se referiam à força interpelativa deste texto, a saber: 1) a identificação, o envolvimento emocional e o apoio a certos personagens, que se relacionavam principalmente com as problemáticas tratadas e com a caracterização dos personagens; 2) os elementos de mistério e de suspense, e o interesse por determinar o fim da história e por estabelecer a que gênero televisivo pertencia este programa, que se vinculavam principalmente ao modo de contar e de construir a narrativa. Deve-se acentuar, também, entre os aspectos ressaltados pelos resultados desta pesquisa, a importância e a significativa contribuição do ponto de vista dos receptores para ampliar e complementar o conhecimento obtido a partir da análise do gênero.


a) O ponto de vista da audiência:

A opção de fazer um estudo de recepção, como se mencionou, foi motivada, em primeira instância, pela intenção de compreender o interesse suscitado por este programa televisivo. Tal como acontece com os produtos populares, um primeiro procedimento de análise foi o de discernir os vários elementos que caracterizavam este programa e que poderiam explicar o interesse do público, e de avaliar os elementos de repetição e de inovação presentes para verificar, em um segundo momento, como se cumpria o pacto comunicativo entre o programa e os telespectadores. Como uma obra não pode ser identificada exatamente nem com o que é o texto, nem estritamente com as possíveis concretizações a que dá lugar, mas se posiciona aproximadamente entre cada uma destas duas partes1, cabe olhar seja para um lado que para outro e analisar o que acontece no encontro entre as partes para entender a lógica de um produto, as suas potencialidades sociais e culturais, as suas razões de uso e os tipos de interação e apropriação aos quais pode dar lugar.

Na análise do programa, a opção de avaliar as características observadas em relação à perspectiva dos gêneros não funcionava. Como confirmou também na análise sistemática deste programa, Incantesimo é uma espécie de híbrido e não se “encaixar” completamente em nenhum dos gêneros ou das formas típicas de estruturação discursiva disponíveis na televisão atualmente. Além disso, o programa também não dava uma idéia, até o momento em que foi realizada a pesquisa, de qual era a sua proposta de serialidade, e de qual seriam os futuros desdobramentos ou o marco geral da história que estava sendo contada (tempos e aspectos centrais). Em consequência de não se remeter clara e sistematicamente às convenções estabelecidas pelas lógicas dos gêneros, e pelo fato de não indicar aos telespectadores qual seriam os procedimentos padrões e a estrutura seguida, Incantesimo oferecia uma oportunidade impar de explorar, em uma televisão cuja programação é cada vez mais standardizada, como reage e quais são as táticas utilizadas pelos receptores para interagir com um programa que não diz clara e abertamente desde um princípio aonde quer chegar.

Em quanto à recepção, como mencionado, foram feitas entrevistas em profundidade com 20 pessoas que assistiam habitualmente a este programa, 10 das quais habitavam em Roma e arredores, e 10 em Florência e imediações. Os entrevistados tinham idades que variavam de 19 a 70 anos. Do total, 18 eram mulheres e entre elas três eram estrangeiras: uma colombiana, uma francesa e uma belga. Como nível de educação formal, a formação dos entrevistados variava desde o ensino fundamental a estudos de pós-graduação, mas a maior parte tinha ou completado o ensino secundário, ou feito algum tipo de curso universitário. As entrevistas se dirigiam, principalmente, a explorar: os hábitos de consumo televisivo e de consumo cultural ligados aos meios de comunicação; o contato inicial e os motivos que os levaram estas pessoas a seguir habitualmente o programa, a relação estabelecida com os distintos aspectos narrativos do texto, as práticas e o contexto de fruição. As entrevistas foram realizadas nos meses de maio e junho de 2000, quando o programa tinha sido transmitido de outubro de 1999 a fevereiro de 2000, e de março a abril de 2000. Os critérios utilizados para a seleção dos participantes foram: a idade, o lugar de residência e conhecer e se definir como uma pessoa que acompanhava o programa com assiduidade.


b) A proposta de Incantesimo:

O programa foi transmitido inicialmente em 1998, e voltou a ser apresentado desde o princípio a partir do segundo semestre de 1999 no segundo canal da Televisão Estatal Italiana (RAI 2). Com intervalos entre um capítulo e outro que variam de semanas a meses, até a presente data este programa volta sempre a ser proposto com algumas modificações. Até o momento, por exemplo, já mudou várias vezes o dia de semana em que vai ao ar, a frequência (de uma a duas vezes por semana) e o canal (no segundo semestre de 2000 passa ao primeiro canal, RAI 1) onde o programa é apresentado, e foram feitas diversas mudanças no núcleo dos personagens principais. Com exceção do intervalo entre o primeiro e o segundo semestre de 2000, as interrupções e os diversos câmbios efetuados são realizados sem que o público venha informado, através do mesmo canal e em horários distintos ao que é transmitido o programa, de qual será o novo dia da semana em que o programa vai ao ar, de porque não foi transmitido em uma certa semana ou no intervalo de alguns meses, e quando, se este for o caso, o programa voltará a ser reapresentado. Esta carência de informação não é uma exclusiva deste programa; aqui, porém, a escassez de informações se soma à identidade incerta do programa (a sua ligação a um gênero, a um standard), e a uma continuidade no tempo do seriado marcada por uma sucessão de descontinuidades em alguns de seus aspectos narrativos.

Nos produtos populares, a descoberta do código que sustenta o texto se dá geralmente através da relação entre produto e gênero, e é a partir dessa relação que se apreende de imediato os procedimentos e o modelo de mundo2 que organiza a lógica e as idéias centrais do texto. Os textos narrativos podem utilizar todo tipo de recursos disponíveis, mas a elaboração de um texto inserido em um determinado gênero será sempre marcada pelo uso de certos recursos e procedimentos, e serão estes mesmos a garantir não somente a presença de certos elementos específicos, mas também a centralidade destes elementos dentro dos textos narrados. Os programas televisivos inseridos na lógica da produção por gêneros compartilham uma série de elementos comuns; isto é, compartilham um estoque de sentido, um modelo de mundo e, portanto, de objetos e de eventos, de ações e de atores, que caracterizam seja os temas recorrentes nestes textos que a forma que eles assumem.

O modelo de mundo proposto por cada gênero se conforma através dos elementos que, pela sua mesma centralidade, conferem e atribuem certa especificidade às histórias contadas. Entre os aspectos configuram e delimitam a identidade de uma classe de produtos se pode salientar, por exemplo: o universo da ação, o padrão de desenvolvimento narrativo, os personagens centrais, o que eles representam e as funções que desempenham, os atributos característicos e as temáticas recorrentes. Quando não se consegue identificar o código que sustenta o texto, ou o gênero ao qual é inscrito o produto em questão, e além disto o texto não coloca à disposição o particular modelo que pretende seguir, não é possível, por exemplo, diante de uma suspensão temporária do programa, saber se a história terminou. Não se sabe porque não se conhece qual será o padrão de desenvolvimento seguido pelo enredo, e nem qual é o modelo de mundo reafirmado que indica, entre outras coisas, que idéias devem prevalecer na conclusão da história. Isto não impede, obviamente, que se proceda por aproximação, através da comparação deste com outros produtos televisivos. Não impede, também, que se busque encontrar os elementos de regularidade que, de algum modo, possam indicar o repertório de sentido trabalhado pelo texto, ou as idéias centrais que ele procura reafirmar com a sua particular organização dos elementos que o constituem. Como meio para orientar a própria recepção, como se pode observar a seguir, os telespectadores buscam pistas para regular, de maneiras alternativas, as próprias expectativas em relação ao programa.

«Ci sono rimasta male quando ho saputo che non avrebbe fatto più parte della fiction, perché poi la protagonista è lei. Quindi, dice “adesso come finirà con Thomas? Come andrà a finire con Roberto?” O le problematiche che si verificano con la sorella Vera, oppure con la madre, oppure con la sua stessa malattia. Perché adesso lei, che sia partita per andarsi a fare vedere questo brutto malessere che ha, non lo ho visto di buon occhio: puoi prima farla morire se la deve farla scomparire della fiction.» (Fabiola, 20)

«Adesso come adesso, spero che continue. Ma dovranno prima o poi farla finire. Trovare una soluzione, perché così come è finita adesso, te lo ho detto, non mi sembra molto buono, perché comunque non si sa quello che poi succede dopo. Quindi, una volta che continuano, che hanno lasciato in sospeso delle puntate precedenti, una volta che hanno risolto tutti i problemi e non se ne creano altri, allora può finire. Pero, appunto, non è ancora finito.» (Andrea, 26)

«Credo che fosse la prima parte, quando è finito in un modo che sembrava assurda la fine, insomma. Non si capiva come era andata a finire questa cosa. […] Io credevo che era proprio finito, sicché son rimasta un po’ male. ‘Come? Finisce in questa maniera assurda, che non si sa?’. Non puoi farla finire da sola, una cosa del genere, non puoi tirarla fuori te la fine. Invece poi sembra c’era un seguito e c’è stato. Però non l’avevano detto e quindi io ero rimasta malissimo» (Enrica, 54)

O programa começa com os preparativos e a celebração do casamento de Barbara e Roberto, em concomitância com a corrida ao hospital seguida do parto e da morte de Monika Berger, de quem por muito tempo não se soube o nome e que deu à luz ao filho ilegítimo de Roberto. A família Barbara Nardi é rica e influente. O pai, que morre de infarto na primeira série, era médico, diretor e acionista da clínica onde Barbara trabalhava como médica, e era casado em segundas núpcias com Tilly, uma suave e generosa senhora com quem tem o filho Massimo, que estuda medicina para seguir à tradição de família. Roberto Ansaldi, que se suicida no final da primeira série, era advogado, a sua família também era bem-de-vida, mas era muito menos rica e conhecida do que a de Barbara. A sua mãe, Cristina, é uma mulher dominante e excessivamente presente na vida do filho; o pai, Giuseppe, é viciado em jogo, entra em processo de falência muitas vezes porque também não é muito hábil em manejar os negócios de família, e é hostilizado pela esposa por ser uma pessoa fraca e pouco brilhante. A mãe de Barbara, Giovanna Medici, que até então vivia na Alemanha, retorna a Roma seguida por Vera, uma filha ilegítima de quem ninguém sabia da existência e que exercerá, junto com Cristina, o antagonismo ao personagem de Barbara. Thomas Berger, filho do segundo marido de Giovanna, vem também da Alemanha em busca da irmã desaparecida, e estabelece desde o princípio uma relação tensa, cheia de contrastes e de desentendimentos com Barbara. Junto com Tilly e Massimo, Giovanna e o Dr. Renzi, o ginecologista da Clínica Life e pai de Gabriella, serão os personagens que desde a primeira série participam de forma mais ou menos estável do enredo.

O primeiro casal protagonista, Thomas e Barbara, que entra e sai de cena na primeira série, será substituído por Caterina e Marco Oberon na segunda série, por Paola e Michele na terceira série, e por Martina Morante e Andrea Bini na série atual. Paola, Martina e Oberon, também como Barbara, são todos eles médicos; Andrea e Michele são advogados, Thomas é milionário e Caterina é uma enfermeira que estuda medicina. Em comum na história desses casais, além da passionalidade das relações, da atração e do “encanto” recíproco, está a insegurança, a mútua desconfiança, o suceder-se de equívocos que obstaculizam a harmonia do casal, a dificuldade de revelar-se e de expor-se que será sempre agravada pela quantidade de enigmas no passados de cada um deles. Os cenários onde se desenvolvem estas relações são relativamente fixos: a Clínica Life, freqüentada por todos eles por razões pessoais ou de trabalho; a mansão de Tilly Nardi, que vive com o filho Maximo; a mansão de Giovanna Medici, as ruas, os bares e restaurantes de Roma; e as mansões e os luxuosos apartamentos de alguns dos outros personagens.

«Va be’, mi rendo conto che avevano bisogno dell’arena, del luogo dove si svolge…. No, come i Forester [da soap opera Beautiful] hanno l’azienda loro hanno la clinica. […] poi mi sembra che molto accadesse lì, non la vedo una nota stonata. O almeno io lo collego anche l’episodio, ora nell’ultima serie della bambina che si doveva operare, che era figlia di quel politico. Insomma doveva accadere lì. Si è scelto di guardare al mondo medico.» (Anna, 29)

«Invece Incantesimo già si rivolge ad un’elite, ad una fascia sociale alta, di borghesia. Vedi la stessa famiglia, lo stesso ambiente, le stesse case, la clinica, loro lavorano in una clinica dove hanno possibilità di guadagnare miliardi, poi sono i proprietari, gestiscono con i direttori. Le loro case sono ville, non parliamo del “Medico in Famiglia” [seriado italiano] che tutto si svolge in una stanza, in un soggiorno, su quel divano, e nella cucina. In Incantesimo nella famiglia ce ne abbiamo tre o quattro inservienti, la Barbara tu non la ha mai vista ai fornelli.» (Teresa 32)

«Mi piaceva, bello. Bello vedere queste case, che fosse un personaggio ricco, pure Thomas un miliardario. Bello, essere miliardari, ricchi, è una cosa bella. Al meno la vede in un film» (Melania, 19)

À parte o ambiente quase sempre de grande luxo, se compartilha também o interesse pela medicina e a centralidade do assunto saúde, não só por razões de trabalho, na vida dos personagens. Na primeira série, por exemplo, além de todos os casos dos pacientes que entram e saem da Clínica e com os quais contracenam os personagens centrais, a melhor amiga de Barbara, Mirian, morre de câncer deixando o filho recém-nascido para Barbara criar. Depois da morte do filho, Roberto Ansaldi sofre vários ictus e mais adiante quando se repõe termina por suicidar-se com o carro. Vera descobre ter alguma malformação no útero e que nunca poderá ter filhos, Barbara começa a sentir-se mal e descobre que tem câncer, e o seu pai morre por um infarto fulminante causado pela culpa por manter uma relação extraconjugal com Cristina Ansaldi. Também relacionado ao mal-estar vivido pelos personagens, além do vício de Giuseppe que desencadeia uma série de dificuldades na sua vida familiar e de trabalho, Massimo e a namorada Gabriella eram viciados em droga, ela dá à luz a uma criança depois de um parto prematuro e complicadíssimo, e morre na segunda série por overdose.

«la parte dell’ambientazione medica è proprio appiccicaticcia, poi tutte quelle disgrazie che capitano una dopo l’altra, ti fanno pensare dio mio… La figlia con il morbo di…, la madre con un tumore al seno, figli drogati, quell’altro va a finire fuori con la macchina…E poi cos’altro… Tutta una serie di disgrazie che sono veramente incredibili. Anche i caratteri dei personaggi sono estremamente forzati, sia quando si vuole presentare un personaggio positivo, sia che si voglia presentare uno negativo. Il grigio non esiste. Esiste solo il bianco e nero.» (Brunella, 70)

«Poi tutte queste morte, nella seconda serie proprio morivano tutti, nessuno che si salvava. Io addirittura avevo pensato che poi Roberto lo facevano morire, perché poi il bambino, cioè tutti quanti, lo hanno fatto tropo sul tragico.» (Melania, 19)

«Non è detto che se una persona è ricca… Se non trovi un rimedio per guarire il tumore, può essere il miliardario più potente del mondo» (Fabiola, 20)

«una famiglia ricca non sempre idealizzata come spesso accade in molti film che non hanno mai problemi di pagare la bolletta, non stano mai male, non se gli buca mai la ruota della gomma e queste cose. Sì, una famiglia sicuramente benestante, pero con dei problemi molto simile a quelli che persone non ricche hanno. Figlio che si droga» (Anne, 34)

Além de acomunar de certo modo os ricos e poderosos de Incantesimo com os pacientes que entram e saem da Clínica, e também com as “pessoas comuns” que assistem a este programa, os problemas de saúde, combinados com outros elementos, contribuem para acentuar a atmosfera de fragilidade e de incerteza que condiciona permanentemente as escolhas e as ações dos personagens centrais da história. Manifestando o caráter melodramático do modelo de mundo apresentado por este programa, além da polarização dos conflitos, da tensão e do contraste grandiloquente dos sentimentos, estão os graves e sempre inesperados problemas de saúde vividos pelos personagens. Junto com os seqüestros (do filho de Roberto, Valeria Dupret), atropelamentos (Caterina), acidentes vários (Olivares, Denise), estupros e uma série de outros trágicos episódios que se reapresentam em continuidade na vida dos personagens, os complicadíssimos problemas de saúde acentuam a centralidade da fatalidade e da felicidade negada como eixo organizador do mundo de Incantesimo. A insistência sobre a fatalidade e a felicidade negada evoca o sentimento de fragilidade, de insegurança e de impotência ligado à visão de que existem uma série de forças externas que podem, em qualquer momento, por em risco o equilíbrio, a ordem/segurança e o aconchego familiar, introduzindo o caos na vida privada dos indivíduos.

«Incantesimo parla della vita complicata delle persone. Perché poi tutto sommato poi hanno vite anche tutte molto complicate. Anche questo, nonostante fossero belli, ricchi e famosi, però avevano delle tragedie, per cui tu da piccola formica che li vedi…» (Anna, 29)

«Magari forse è una mia ulteriore riflessione che faccio, è la mia percezione, pero certamente ce ne sono delle cose oggettive che la serie porta avanti, e che sono queste relazioni, queste relazioni famigliari, conflittuali, questo mondo di posizione sociali e professionali abbastanza alte, pero che non c’è serenità. In tanti dei loro rapporti non emerge serenità, non emerge… Dov’è una persona che è felice in Incantesimo?» (Teresa, 32)

«loro avevano soldi, loro potevano essere felice, e loro cercano sempre un modo di sbagliare, di avere infelicità. Questo è strano. Perché lei era bella, lei ha qualcosa, non è bellissima pero ha qualcosa. É molto gentile con i pazienti, lei mi ha attirato sempre… aveva un bell’uomo, avevano i soldi, potevano avere bambini. Niente va, niente, niente, niente. Lei si divorzia, poi lei è incinta e perde la bambina.» (Elizabetha, 37)

«E ho visto nel ceto medio superiore, perché qui abbiamo dei padroni di una clinica, qui abbiamo dei miliardari anche, vediamo un intreccio di tradimenti. Ma non tradimenti di odio, tradimenti fatti per sentimenti.» (Giuditta, 65)

Ainda que de modo menos central, outros elementos de matriz melodramática, como o drama da identidade perdida ou desconhecida, e da luta por fazer-se reconhecer, também estão presentes e caracterizem o mundo possível proposto pelo programa. O drama do reconhecimento está presente, por exemplo, no percurso de Caterina, que descobre ser adotada e depois filha natural do rico e famoso Dr. Olivares. Está presente na história de Vera, que não sabe quem é o seu pai, e como raiz do conflito entre Gabriella e Massimo, que descobre não ser o pai do filho da sua namorada. A identidade perdida está presente também na história de Paola, pois ameaçada por um mafioso italo-americano, muda de identidade, se transfere a Roma sob proteção judicial, e deve soterrar o seu passado para começar a construir uma vida em meio de pessoas desconhecidas. Também como expressão do melodrama neste programa estão os conflitos derivados do sentimento de culpa3, da luta entre o dever e a paixão, entre a lealdade e o amor4. São conflitos que, em geral, emergem do contraste entre as “obrigações” e as expectativas relacionadas aos distintos papéis sociais representados pelos personagens. É o sentimento de culpa por trair a esposa, por exemplo, que termina por causar o infarto e a morte de Ivano Nardi na primeira série de Incantesimo, e é a dificuldade de liberar-se dos deveres em relação ao marido doente que impede a Barbara de deixa-lo para construir uma vida ao lado de Thomas. A presença destes elementos temática de matriz melodramática confere a este programa uma atmosfera bastante similar à que se verifica nas telenovelas, ou nas soap operas estadunidenses. Pode-se notar, no entanto, como algo que o diferencia de certo modo das telenovelas, o fato que ainda que o drama do reconhecimento esteja presente tanto em um caso como no outro, mas nas telenovelas este é sempre um aspecto central e principal. No caso de Incantesimo, ao invés, mesmo estando presente, não constitui o aspecto central do enredo. Tal como nas soap operas estadunidenses, o drama do reconhecimento é um dos elementos que, junto com outros elementos, salienta a influencia do modo de expressar e de entender as relações humanas que tipificam o melodrama.


Catálogo: associa -> alaic -> material%20congresso%202002 -> congBolivia2002 -> trabalhos%20completos%20Bolivia%202002
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Luiz Beltrão e Gilberto Freyre: paralelos no estudo da folkcomunicação e religiosidade na catequese jesuítica no Brasil colonial
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Vi congreso Latinoamericano de Ciências de la Comunicación Santa Cruz de la Sierra, Bolívia 5 a 8 de junio 2002
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Aids: uma ordem discursiva1
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Dezemberfest Pato Branco manifestação de tradição alemã no sudoeste do Paraná
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Autora: Doris Fagundes Haussen Resumo
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Universidad Privada de Santa Cruz de la Sierra alaic – Associación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación aboic – Associación Boliviana de Investigadores de la Comunicación VI congreso Latinoamericano de Ciencias de la
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Novas tecnologias comunicacionais, economia política e continuidade
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> MÍdia e etnia: a visibilidade dos grupos étnicos na televisão sul-mato-grossense
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Universidade Metodista de São Paulo – umesp faculdade Editora Nacional – faenac
trabalhos%20completos%20Bolivia%202002 -> Novas tecnologias na comunicaçÃo organizacional da indústria: tendências e impasses dra. Cida Golin Ms. Olivar Maximino Mattia Ms.


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal