Narrador 2: Não se importava nada que o que comesse fosse dele ou não. Era frequente ouvir a mãe dizer: Mãe



Baixar 14.87 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho14.87 Kb.
O PORQUINHO COMILÃO

Narrador 1: O porquinho da nossa história era muito comilão. A mãe costumava ralhar com ele, com razão, porque o porquinho andava sempre à procura de alguma coisa para encher a barriga.

Narrador 2: Não se importava nada que o que comesse fosse dele ou não. Era frequente ouvir a mãe dizer:

Mãe: Quem é que comeu o bolo que estava guardado na despensa? -Quem é que comeu a salada? - Quem é que comeu a farinha de milho?

Narrador 2: Mas o porquinho comilão punha uma cara muito inocente e dizia, mentindo:

Porquinho: Eu não fui, mãezinha! Eu nem gosto dessas coisas!

Narrador 1- Depois, saía para a rua muito contente, pois era ele que comia tudo quanto a mãe dizia que faltava.

Narrador 2: Numa rua da aldeia, o porquinho viu um seu vizinho que vendia fruta.

Vizinho: Venham comprar as mais saborosas maças…

Porquinho: Oh! Já me está a Crescer água na boca só imaginar aquele carrinho cheio de bonitas maçãs! Vão ser todas para mim.

Vizinho: Não comas as minhas saborosas maçãs!

Vizinho: Aiaiaia, ajudem-me o porquinho está-me a tirar as maças. Ai quando te apanhar….

Narrador 2: Mais tarde, chegou o nosso porquinho à horta do senhor Galo.

Porquinho: vou apanhar as maiores espigas daquele milho tão dourado e vou comê-las de uma só vez!

Coro e Porquinho: Doida doida doida doida

Anda a minha boca

Que ricas galinhas

Vou comê-las todas

Que ricas espigas

Devem ser gostosas

A minha barriga já está a dar horas!

Galo- Cô-co-ro-có, vai-te embora, seu porco comilão, deixa as minhas espigas, são para as minhas galinhas!

Porquinho: hahahaha, isso querias tu, elas já estão dentro da minha barriga!

Narrador 1: Sem ligar nenhuma aos protestos do galo, fugiu com todas as suas forças!

Porquinho: Já sei, tive uma ideia, vou a casa do coelhinho, ele tem sempre uma travessa de cenouras para lanchar…

Coelho: Anda cá seu porco malvado, essas cenouras são minhas!!

Porquinho: Ahahaha, vou mas é fugir e come-las de uma só vez! Que cenouras saborosas!

Porco Avô: Isto não pode continuar assim! Cada vez que por aqui passa, o Porquinho Comilão rouba-nos o comer. Temos de o castigar.

Porco Avô: Vou chamar o Gato, o Cão, o galo e o sapo e os outros animais e, entre todos vamos, estudar uma maneira de castigar o Porquinho Comilão.



Galo: Cocorococó, usamos uma armadilha!

Sapo: Uebete, uebete, Não, Dahh, ele não cai na armadilha - Era melhor dar-lhe uma boa tareia.

Cão: Não, Porquinho é mais gordo do que nós e ia ganhar. Tenho outra ideia melhor. Eu explico-lhes o que pensei fazer.

Narrador 2: Todos os animaizinhos se aproximaram do cão e, quando conheceram a ideia genial, deram saltos de alegria.

Todos: Bem! Muito bem!

Cão: Vamos preparar um bom lanche ao Porquinho Comilão.

Narrador 1: Ao pé de uma árvore estenderam uma toalha e, sobre ela, dispuseram belos petiscos, convencidos de que o Porquinho logo apareceria atraído por aquele banquete.

Narrador 2: Quando o ouviram chegar, todos os animaizinhos foram, muito depressa, esconder-se atrás das árvores.

Porquinho: Um lanche? Um delicioso bolo, pêras doces...TUDO PARA MIM! UHÁU....

Porquinho: Vou Pegar no bolo e engoli-lo em grandes pedaços!

Narrador 1: Mas, de repente, sentiu que a boca lhe ardia como se tivesse metido fogo nela, e saiu a correr, gritando:

Porquinho: Água, água, preciso de água!

Narrador 2: Os animais tinham posto uma grande quantidade de pimenta na massa do bolo.

Cão: Estás a ver porquinho, és tão guloso que nem te apercebes-te que nós te pregamos uma partida!

Porquinho: Têm razão, deram-me uma grande lição, a partir de agora, vou só comer o que um porquinho bem educado deve comer! Obrigado amiguinhos.

 Narrador 1: Aquele acontecimento serviu para que o Porquinho Comilão se curasse daquela vontade de comer.



Música:

Tenho um porquinho

muito comilão

Era muito guloso

Mas aprendeu a lição!

Tenho um porquinho

Ficou no meu coração

Tão amiguinho



Que até lhe dou a mão.

Todos: Vitória, vitória acabou-se a história.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal