Natal, 17 de outubro de 2004



Baixar 16.58 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho16.58 Kb.
Mensagem de abertura à X Reunião da Rede Brasileira de Informação em Ciências da Saúde e da II Reunião de Coordenação Nacional da BVS

Natal, 17 de outubro de 2004.


Abel L. Packer

BIREME/OPAS/OMS, Diretor



Bom dia a todos! Sejam bem-vindos à X Reunião da Rede Brasileira de Informação em Ciências da Saúde e à II Reunião de Coordenação Nacional da Biblioteca Virtual em Saúde!
Infelizmente me é impossível estar presente com vocês nesta reunião, nesta linda cidade que é Natal. Fiquei triste, mas estou aqui mentalmente e de coração. Fui convocado a participar de uma reunião da OPS que começa hoje na cidade do Panamá, na qual a minha presença é obrigatória.
Agradeço sua participação nesta reunião que tem vários significados históricos.
Em primeiro lugar, por ser a décima reunião da Rede, que expressa em números e no tempo a consolidação da função da rede, dos profissionais e das bibliotecas e centros de informação e documentação em ciências da saúde que promovem e realizam em todo o Brasil a democratização do acesso à informação científica e técnica em saúde. Esta reunião reflete também uma evolução na nossa composição com predominância de uma segunda e até terceira geração de bibliotecários que estamos conduzindo hoje a operação da rede.
Nenhuma outra rede ou sistema de informação científica, seja em outra área do conhecimento ou seja em outro país, tem a história de continuidade e persistência no trabalho sistemático e cooperativo em torno a produtos e serviços cooperativos de informação como a história que é ostentada pela nossa rede brasileira. Estamos todos nós de parabéns por fazermos parte desta história e reconhecer que continuarmos comprometidos com a mesma dedicação e sucesso das gerações de bibliotecários e profissionais afins que nos antecederam.
Esta X reunião nos situa também no ápice do movimento que vem mudando há algum tempo o centro de gravidade da gestão e operação de bibliotecas e centros de informação para a provisão de acesso à fontes de informação em rede e afastando-nos do modelo clássico centrado na gestão e operação de objetos-materiais-containers de informação. É ainda um período de transição, mas também é consenso que o novo paradigma da Internet como biblioteca predominará no futuro. Este período de transição nos abre muitas fronteiras e possibilidades. Mas em nenhum caso, deixamos ou deixaremos de lutar contra o sucateamento das bibliotecas e centros de informação que são imprescindíveis para prover acesso aos materiais que ainda não estão disponíveis na rede assim como prover acesso à informação em rede, sejam de fontes geradas localmente ou remotamente.
E é por isso mesmo que a X reunião da rede coincide também com a II Reunião de coordenação da BVS Brasil. É nossa responsabilidade, nesta circunstância, contribuir decisivamente para que esta passagem, esta transição seja construída de modo eficiente em busca do melhoramento do acesso e do uso da informação e do conhecimento para aperfeiçoar os processos de pesquisa, ensino e atenção à saúde. E esta situação e esta circunstância que representa outro importante significado da nossa reunião de hoje.
A BVS no Brasil avança como modelo de referência nacional e internacional para a gestão e operação de fontes de informação e conhecimento científico em saúde. Esta constatação é medida pelos resultados notáveis que estamos atingindo em áreas estratégicas como são promover a publicação online de textos completos na modalidade de acesso aberto (open-access), do controle bibliográfico em rede da nossa literatura científica e técnica e do aumento radical da sua qualidade e da sua visibilidade, acessibilidade, uso e impacto nacional e internacional.
A BVS contribui também ao desenvolvimento de políticas de informação nos âmbitos regional, nacional e institucional. Nesse sentido, a BVS tem avançado paulatinamente no desenvolvimento, organização, operação e disseminação de fontes de informação orientadas a apoiar o desenvolvimento do SUS em particular para apoiar os processos de decisão dos gestores, profissionais e trabalhadores de saúde. O projeto denominado ITD informação para tomadores de decisão, realizado no âmbito da BVS Saúde Pública, é pioneiro nessa orientação.
No Brasil, com a liderança e apoio do Ministério da Saúde e demais instâncias estaduais e municipais que conformam a gestão do SUS, do Ministério da Educação e de toda a rede de bibliotecas e centros de informação em saúde das Universidades federais e estaduais, das faculdades de ciências da saúde e dos Institutos de pesquisa, dos editores científicos, do CNPq, da FAPESP, da FIOCRUZ, da ANVISA e muitas outras instituições, a BVS atinge no Brasil o seu mais alto estado de desenvolvimento e o Brasil assume assim a liderança internacional com o desenvolvimento das redes produtores, intermediários e usuários da BVS, das coleções SciELO descentralizadas de periódicos científicos de qualidade e da rede ScienTI de fontes de informação e conhecimento de apoio à gestão de ciência, tecnologia e inovação ( que na prática significa adaptar e transferir a plataforma Lattes do CNPq para os paises da América Latina e Caribe).
Os números relativos ao crescimento dos conteúdos e dos acessos às fontes de informação da BVS são em alguns casos impressionantes. A BVS conta hoje com cerca de 70 portais regionais e nacionais em diferentes estágios de desenvolvimento e com cifras milionárias de acesso. Por exemplo, SciELO Brasil tem em média um milhão e quinhentos mil artigos visitados mensalmente. O fator de impacto da maioria dos títulos SciELO Brasil tem dobrado no âmbito da coleção SciELO assim como do JCR do ISI. O serviço SCAD continua operando mais de 1000 pedidos por mês mesmo com a ampliação do Portal CAPES de periódicos científicos e serviços similares nos demais países da AL.

Mas o desenvolvimento da BVS avança também no sentido de promover e realizar a contextualização das fontes de informação com vistas a subsidiar os processos de decisão assim como de condução das atividades relacionadas com o planejamento, implantação de programas, educação, pesquisa, promoção e comunicação e atenção à saúde.


A contextualização significa por um lado, mover o centro de gravidade para a demanda de informação para as áreas especializadas e para as instituições, e, por outro lado, desenvolver condições locais para o acesso e intercâmbio contínuo de informação e conhecimento. Nesse sentido, a expectativa é que as instituições de saúde, as comunidades, os diferentes ambientes e a população venham progressivamente a contar com a presença ubíqua da BVS com o objetivo de aumentar a capacidade das instituições e das pessoas em tomar decisões baseadas em informação e conhecimento atualizado, em evidências e em boas práticas. E que estes ambientes aprendizes contribuam ao desenvolvimento pleno dos indivíduos e das comunidades.
A BIREME está promovendo e implantando projetos e ações voltadas para a contextualização das fontes de informação e para estabelecer e fortalecer fluxos locais de informação que venham a conformar ambientes aprendizes, onde as comunicações entre as pessoas sejam orientadas a aumentar o conhecimento de cada um e contribuir a que as instituições, seus produtos e serviços sejam mais eficientes, eficazes e inovadores. Contamos aqui com uma experiência que é modelar nacional e internacional que é o projeto da ANVISA que com a cooperação da BIREME visa transformar a agência em uma organização baseada em conhecimento. Assim, outro significado histórico desta reunião é será a introdução, discussão conceitual e apresentação de experiências práticas no desenvolvimento de comunidades de práticas e de ambientes aprendizes.
Estamos também até com algum atraso iniciando a prática de capacitação na gestão e operação de fontes de informação e conhecimento no espaço da BVS com o uso da distância orientada baseada em processos de aprendizagem em rede. Esperamos que nos próximos dois anos a BVS conte com um portal com uma coleção de opções de capacitação que deverão ser criadas e operadas com a participação ativa dos produtores e intermediários de informação.
Para finalizar esta mensagem, gostaria de repetir a minha frustração por não estar presente.
Mas ao mesmo tempo, desejo reconhecer que a rede é o mecanismo e a instância mais poderosa para a democratização da informação e do conhecimento. E a BIREME pautou todos os dias dos seus 37 anos de história no trabalho em rede sob diferentes modelos. E hoje a história da BIREME coincide com os processos de comunicação e acesso à informação científica e técnica em saúde no Brasil e demais países da América Latina e Caribe. E a rede brasileira de informação em ciências da saúde é o seu principal pilar.
Essas nossas conquistas e desafios deverão ser compartilhados com profissionais de informação de todo o mundo no ano que vem, por ocasião do próximo Nono Congresso Internacional de Informação em Ciências da Saúde e Bibliotecas (ICML9) que incluirá o Sétimo CRICS, que se realizará em Salvador, Bahia, com o apoio do MS, MCT, UNIFESP e FIOCRUZ. Conto com a sua participação ativa em divulgar este evento histórico na sua instituição e na sua comunidade. Conto com a sua presença para realizarmos no próximo ano o maior evento de informação científica e técnica em saúde da história da nossa rede. E que todos os santos me ajudem para estar presente com todos vocês.
Obrigado, Boa reunião. Bom SNBU, Boa praia.

Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal