Natal o natal é uma festa comemorada em todo o mundo. Não importa o idioma, a raça, a condição económica, a idade ou o clima. Cor, alegria, esperança, amor, presentes



Baixar 11.15 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho11.15 Kb.
Natal

O Natal é uma festa comemorada em todo o mundo. Não importa o idioma, a raça, a condição económica, a idade ou o clima. Cor, alegria, esperança, amor, presentes, música criam o clima festivo desse evento universal e cada país segue uma tradição. Embora a essência da festa de Natal seja a mesma em todo o mundo, cada país mantém uma tradição diferente, que ao longo dos anos vai passando de pais para filhos.



Natal em Portugal

As manifestações de alegria sucedem-se. Entoam-se os Cantos do Nascimento do Menino, tão lindos como sugestivos, tão ingénuos como variados! Neles transparece, profundamente, o sentimento de religiosidade do nosso Povo. A Noite de Natal - Noite Grande - passa-se em Família, em casa, à lareira. Durante o serão, que dura até quase de madrugada, canta-se em louvor do Deus Menino, contam-se histórias da Sua Vida, come-se e bebe-se ... Perto da Meia Noite - a Hora Redentora - a boa nova do Nascimento de Jesus é transmitida a todos os lares por grupos de populares, homens e mulheres que, de porta em porta, cantando, dão as Boas Festas esperando alcançar uma esmolinha em louvor do Deus Menino ...



A Missa do Galo
Conhecida também pela Missa da Meia noite, celebra o nascimento de Jesus Cristo. Este costume começou no século V, através dos romanos católicos. A denominação de Missa do Galo provém de uma lenda que diz que o galo foi o primeiro animal a presenciar o nascimento do menino Jesus, ficando encarregue de anunciá-lo ao mundo através do seu canto.

A Consoada
A consoada, ou seia de Natal, é uma refeição que se come por volta da meia-noite. Consoante as tradições, pode-se comer antes ou depois da Missa do Galo.
Ceia de Natal portuguesa: bacalhau cozido com batatas e couves, podendo também incluir perú ou outras carnes assadas. Á sobremesa, rabanadas, filhós, coscorões e bolo-rei.
Em França, a refeição tradicional inclui ostras, salmão, pasta de fígado, enchidos, perú recheado e bolos.
Ceia de Natal espanhola: sopa de amêndoas, dourada no forno (em algumas casas) e torrão de Alicante.
No Brasil, alguns brasileiros festejam o Natal na praia. Fazem-se piqueniques e comem-se carnes frias, saladas e bolos. Á noite em casa, a família reúne-se à volta da árvore de Natal, devidamente enfeitada.
A origem do presépio
Segundo a tradição católica o presépio surgiu no século XIII, pela mão de S. Francisco d’Assis que quis celebrar o Natal da forma mais realista: montou um presépio de palha, com uma imagem do menino Jesus rodeado de animais reais. O sucesso desta representação na noite de Natal de 1223 foi tal que rapidamente se estendeu por toda a Itália e posteriormente pela Europa e América Latina.
A árvore e enfeites de Natal
As primeiras referências à árvore de Natal datam do século XVI na Alemanha. Mas a origem mais antiga é anterior ao nascimento de Jesus Cristo, surgindo entre o segundo e o terceiro milénio, pelos povos indo-europeus. Nessa época era rendido um culto à árvore, sendo o carvalho, considerado a rainha das árvores. No Inverno, quando as suas folhas caíam, os povos antigos costumavam colocar diferentes enfeites para atrair o espírito da natureza, que se pensava que tinha fugido.

Assim, os enfeites que hoje em dia fazem parte da decoração das árvores de Natal, representam as primitivas pedras, maçãs, entre outros. Cada um destes enfeites tem um significado:


· as velas (antes de serem substituídas pelas coloridas luzes de natal) simbolizam a purificação;

· as pinhas como símbolo da imortalidade;

· os sinos como mostra do júbilo natalício;

· as maçãs e as bolas de cores simbolizam a abundância;



· a estrela que se coloca no cimo da árvore de Natal anuncia o nascimento de Jesus, a estrela de Belém.
A lenda do pai Natal
Pai Natal: homem bonacheirão e gorducho de faces rosadas e barba branca, vestido de fato vermelho, a conduzir um trenó, pelos céus, puxado a oito renas. Que segundo reza a história, desce pela chaminé e deixa presentes na árvore de Natal, no sapatinho e nas peúgas de todas as crianças bem comportadas,...! Esta foi a imagem criada pela Coca-Cola em 1931 e que persiste no espírito de todas as crianças.

São Nicolau foi um bispo da Ásia Menor, que viveu no século IV, celebrizou-se pela sua bondade. A ele estão associados milagres e gestos de grande generosidade, sobretudo para com as crianças.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal