NÚcleo de ciências humanas departamento de ciências da educaçÃo projeto político-pedagógico curso de graduaçÃo em pedagogia, licenciatura



Baixar 0.95 Mb.
Página2/15
Encontro18.07.2016
Tamanho0.95 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15

INTRODUÇÃO

A Universidade, compreendida como espaço de diálogo e atenta às necessidades educacionais do nosso tempo, não pode se eximir de seu compromisso com os projetos que buscam a melhoria da educação. Para tanto, cabe a ela, enquanto instituição social, participar de forma lúcida e crítica, exercendo sua função social de conquista e vivência da cidadania dos integrantes da sociedade que se quer democrática.

O papel da Universidade, relacionado à formação profissional, necessita, portanto, de uma redefinição que possibilite acompanhar a sociedade e que defina os contornos do exercício profissional contemporâneo, entendendo a formação em nível superior como tarefa que se realiza ao mesmo tempo em que acontecem as inovações. A decorrência normal desse processo exige não só o domínio do saber, mas dos seus modos de produção, a fim de propiciar condições necessárias para o permanente processo educativo. Educadores-pesquisadores vêm buscando responder as mudanças pelas quais passam as instituições educacionais e dirigem-se ainda para a compreensão e tentativa de recuperação da dicotomia teoria-prática.

Nossa proposta de reformulação do Projeto Político-Pedagógico (PPP) do Curso de Pedagogia se orienta para o fortalecimento da identidade do curso de Pedagogia, tendo a docência como base comum de formação de todo educador e a teoria e a prática como unidade indissociável na formação do profissional para a educação básica. Defende-se para a formação do profissional da educação, que ele tenha domínio do conteúdo e a compreensão crítica daquilo que ensina e faz; conheça as novas tecnologias e que as utilize conforme o projeto político de emancipação das classes menos privilegiadas. Espera-se que sua formação contribua para o trabalho coletivo e interdisciplinar na escola; e tenha a compreensão das relações entre a escola e a sociedade.

Assim, o ponto de partida para a formação do profissional da educação é a compreensão da sociedade com toda sua dinamicidade. Com nisso, a formação do educador implica em possibilitar ao futuro profissional da educação, o entendimento desta totalidade e, consequentemente, a capacidade de elaborar e reelaborar conhecimentos que lhe permitam atuações mais articuladas e efetivas. Daí a necessidade de formação de profissionais reflexivos e críticos, capazes de enfrentar as situações novas com que se deparam no dia-a-dia.

Para que isso se efetive, faz-se necessário uma sólida fundamentação teórica em torno das questões da prática educativa e, concomitantemente, um tempo significativo para a vivência e construção de novas práticas, de modo que o aluno vincule-se às diferentes realidades, não como mero observador, mas como sujeito, co-responsável com os demais sujeitos das práticas em questão. Para a transformação de ideias e princípios em práticas concretas, exigem-se ações que vão muito além dos espaços das salas de aula, dos gabinetes e dos fóruns acadêmicos. A transformação social emancipadora radical requerida é inconcebível sem uma concreta e ativa contribuição da educação, que almejamos contribuir com esta proposta.

Destaca-se que, excetuando-se a matriz curricular, toda a fundamentação teórica e as formas de organização propostas no Projeto Político-Pedagógico (PPP) atual, aprovado em 2010, estão transcritas nesta proposta que ora apresentamos, pois já contempla o que almejamos enquanto formação para profissionais que atuarão na Educação Básica.

Ressaltamos, no entanto, que o PPP, aprovado no ano de 2010 pela Resolução 238/CONSEA, de 10 de junho de 2010, foi organizado em Núcleos e Eixos. Porém, a Matriz Curricular não concebeu a idéia dos fundamentos do projeto, uma vez que desconsiderou a necessidade de desenvolvimento do estágio ao longo do curso e o colocou para ser realizado integralmente ao final do curso.

Nesta versão que ora se apresenta, transcrevemos todo o referencial teórico e todos os dados apresentados naquele projeto, visto que foi aprovado recentemente. Fizemos a atualização de alguns dados, ajustando, apenas, algumas disciplinas e a distribuição dos componentes curriculares ao longo do curso. Neste caso, destaca-se, principalmente, o desenvolvimento do Estágio Curricular Supervisionado, que agora será desenvolvido ao longo do curso, conforme legislação em vigor.

Buscamos, ainda, valorizar a formação do profissional para atuar na educação infantil, definindo uma carga-horária específica para tal e criando duas disciplinas específicas para o trabalho com a primeira etapa da Educação Básica. Destarte, o PPP que apresentamos atende às exigências legais vigentes, tanto nacional quanto no âmbito da UNIR.

Quanto às turmas em andamento, que ingressaram a partir do ano de 2011.1 e as que ainda ingressarão antes da aprovação deste projeto nas instâncias superiores, estas terão sua matriz curricular ajustada à nova Matriz Curricular a ser aprovada neste projeto, garantindo-se aos alunos a conclusão do curso com uma proposta que atende à legislação vigente e sem prejuízos quanto ao prazo mínimo de oito semestres para integralização. Todos os ajustes necessários à adequação curricular à nova Matriz serão feitos pelo Departamento de Ciências da Educação.

Esperamos que o Curso de Licenciatura em Pedagogia contribua efetivamente para uma sólida formação do Pedagogo, profissional que desenvolverá suas atividades em três espaços importantes: na Educação Infantil, nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e na Gestão Escolar.

A organização deste documento foi definida considerando a natureza compreensiva e as exigências técnicas, políticas e teóricas que requer-se sobre aqueles que o apresentam. Além desta introdução, considera três partes que são vistas separadamente, mas devem ser consideradas no todo. A primeira parte refere-se a contextualização da Universidade Federal de Rondônia e da realidade econômica e social da região de abrangência do Campus.A segunda parte trata-se da Organização Didático-Pedagógica do Curso. Apresenta a descrição das características gerais do projeto, enfocando seus compromissos políticos do PPP, a Proposta Acadêmica, que envolve os dados acerca do projeto de formação propriamente dito e apresenta a estrutura curricular em todos os seus componentes. A terceira, que se refere a e Estrutura Administrativa e Acadêmica do Curso, onde informa sobre as condições de funcionamento atual. A quarta e última parte apresenta a infraestrutura, projeções futuras implicadas a partir do próprio projeto. Os dados complementares necessários para informar sobre o projeto estão disponíveis como anexos ao final do documento, com vistas a facilitar a consulta e visão integral do documento.

1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA
A Universidade Federal de Rondônia (UNIR) foi a primeira instituição de ensino superior (IES) pública de Rondônia. Foi criada em 1982 pela Lei nº 7011, de 08 de julho, após a criação do Estado de Rondônia pela Lei Complementar nº 47 de 22 de dezembro de 1981.

Hoje, a UNIR possui sete Campi em Rondônia localizados nos municípios de Ariquemes, Cacoal, Guajará-Mirim, Ji-Paraná, Porto Velho, Rolim de Moura e Vilhena.


A sede administrativa da UNIR fica em Porto Velho, onde estão a Reitoria e as Pró-Reitorias de Administração e Gestão de Pessoas (PRAGEP), de Cultura, Extensão e Assuntos Estudantis (PROCEA), de Graduação (PROGRAD), de Planejamento (PROPLAN) e de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESQ). A instituição oferece à comunidade rondoniense 52 cursos de graduação, dez cursos de mestrado e dois de doutorado.

Em 2008, a UNIR foi considerada pelo Ministério da Educação (MEC) como a melhor universidade da região Norte, graças ao seu desempenho no Índice Geral de Cursos (IGC), um indicador de qualidade das universidades, que considera os cursos de graduação e de pós, o corpo docente, a infra-estrutura e o programa pedagógico.



A UNIR é uma instituição pluridisciplinar de formação dos quadros profissionais de nível superior, de pesquisa, de extensão e de domínio e cultivo do saber humano, tendo como finalidade precípua a promoção do saber científico puro e aplicado, e, atuando em sistema indissociável de ensino, pesquisa e extensão, possui os seguintes objetivos que se caracterizam por:

I - promover a produção intelectual institucionalizada, mediante o estudo sistemático dos temas e problemas mais relevantes, tanto do ponto de vista científico e cultural, quanto regional e nacional;

II - formar profissionais que atendam aos interesses da região amazônica;
III - estimular e proporcionar os meios para criação e a divulgação científica, técnica, cultural e artística, respeitando a identidade regional e nacional;

IV - estimular os estudos sobre a realidade brasileira e amazônica, em busca de soluções para os problemas relacionados com o desenvolvimento econômico e social da região;

V - manter intercâmbio com universidades e instituições educacionais, científicas, técnicas e culturais nacionais ou internacionais, desde que não afetem sua autonomia, obedecidas as normas legais superiores.

2 ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA
2.1 OBJETIVOS DO CURSO

Geral:

O curso de Graduação em Pedagogia, Licenciatura destina-se à formação de professores para exercer funções de magistério na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental, nos cursos de Ensino Médio, na modalidade Normal, de Educação Profissional, na área de serviços e apoio escolar e em outras áreas nas quais sejam previstos conhecimentos pedagógicos.


Específicos:

Formar professores aptos ao exercício da docência na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental e, conforme a Resolução nº. 01/ CNE/CP, de 15 de maio de 2006, estas atividades compreendem a participação na organização e gestão de sistemas e instituições de ensino, englobando:

I - planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de tarefas próprias do setor da Educação;

II - planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de projetos e experiências educativas não-escolares;

III - produção e difusão do conhecimento científico-tecnológico do campo educacional, em contextos escolares e não-escolares.
Sendo assim, é imprescindível que o Curso de Pedagogia promova integração e o desenvolvimento dos saberes necessários a prática docente de forma a levar os acadêmicos a:


  • conhecer e dominar os conteúdos básicos relacionados às áreas do conhecimento que serão objeto de sua atividade docente, adequando-os às necessidades dos alunos;

  • participar da elaboração da proposta pedagógica da escola e zelar pelo seu cumprimento;

  • compreender e atuar sobre o processo de ensino-aprendizagem na escola e nas relações com o contexto no qual se inserem as instituições de ensino;

  • resolver problemas concretos da prática docente e da dinâmica escolar, zelando pela aprendizagem dos alunos;

  • sistematizar e socializar a reflexão sobre a prática docente.

  • incentivar e difundir experiências pedagógicas inovadoras por meio da pesquisa e da extensão.

2.2 CONCEPÇÃO DO CURSO


A formação profissional e a prática curricular pretendida se refletem na construção pedagógica do campo e das disciplinas em seu cotidiano. Entretanto, um PPP deve orientar os princípios nos quais pactuam-se essas práticas e o êxito pretendido durante o processo formador. Assim, os princípios sobre os quais a formação em Pedagogia se constitui atende aos princípios da Historicidade e Historiografia, Pesquisa como princípio epistemológico e formativo e Interdisciplinaridade, descritos cada um a seguir.

Historicidade e a Historiografia indicam que tudo o que existe está em contínua transformação, de modo que nenhum fato ou situação é imutável, bem como possuem uma intencionalidade. Tal entendimento justifica a necessidade de uma proposta curricular para o Curso de Pedagogia da UNIR,Campus Porto Velho, pois alguns aspectos em vigor devem ser resignificados diante do novo quadro legal e social que estamos vivendo.

Formação com Pesquisa: A formação do pedagogo, na UNIR, configurará a pesquisa como princípio epistemológico e formativo, tornando o profissional nele envolvido um sujeito pesquisador de suas práticas educativas e das relações que estas estabelecem com contextos e sujeitos de interação. A prática do pedagogo, portanto, é uma prática da pesquisa, mas, sobretudo, é uma prática para o pleno exercício da cidadania.

Interdisciplinaridade como orientação teórico-metodológica se dá na perspectiva de alcançar a síntese dos conhecimentos, não apenas pela integração dos saberes produzidos nas diversas áreas do estudo, mas pela associação dialética entre teoria e prática, ação e reflexão, ensino, avaliação e aprendizagem, conteúdo e processo.

Cada um desses princípios deve ser refletidos e viabilizados na organização acadêmica e estrutura administrativa pretendida para o curso na consecução dos seus objetivos e formação compromissada neste PPP.

Sendo assim, este PPP representa o resultado dos estudos e discussões dos professores do DED/Porto Velho da UNIR, reunidos em Comissões de Trabalho, cujo objetivo é a Reformulação Curricular do Curso de Pedagogia à luz do momento histórico atual e dos aspectos legais que fundamentam a formação do pedagogo, visando a qualificação desses profissionais para o mundo do trabalho, a partir dos princípios estruturantes dessa relação, com base numa formação ética, humana, solidária e política, permeada de intencionalidades no cotidiano educacional.

O Art. 53, inciso II, da Lei 9.394/96, preconiza que “no exercício de sua autonomia são asseguradas às universidades sem prejuízo de outras as seguintes atribuições: [...] Fixar o currículo de seus cursos e programas, observados as normas gerais pertinentes.”

O Regimento Geral da Universidade Federal de Rondônia prevê no caput dos artigos 56 e 57 que o Departamento ao qual o curso estiver vinculado é o responsável pela elaboração e organização operacional do projeto político- pedagógico. Entretanto, a configuração dos currículos, sua concretização, sua modificação, análise de resultados, etc também podem estar nas mãos das instituições educacionais, associações, professores, agentes científico-culturais e alunos e com esta conotação pretende-se um desafio institucional: formação que possibilite articular os interesses dos profissionais em educação no campo da pedagogia, entre o que é democrático e o que é regulatório. Em nenhum dos casos, porém, esta proposta abdica da possibilidade do que pode ser feito de forma consciente, participativa e integrada.

Os docentes do DED - Campus Porto Velho, pautaram-se na Resolução CNE/CP nº 1, de 15 de maio de 2006, que Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia e nos princípios elaborados pelas entidades representativas do movimento de educadores (ANFOPE, ANPED, CEDES e FORUMDIR)1, são eles: a base comum nacional; a docência como base de formação; sólida formação teórica; interação teoria-prática; a pesquisa como princípio formativo e epistemológico; a gestão democrática da educação; compromisso social, ético, político e técnico do profissional da educação; articulação entre a formação inicial e a continuada do profissional da educação; avaliação permanente e contínua dos processos de formação. Nesta parte, portanto, apresentam-se as considerações teóricas e políticas que sustentam o projeto em tela, para além das oportunidades da Lei.

Sendo assim, o currículo é a concretização dos fins sociais e culturais de socialização, é o reflexo de um modelo educativo determinado, controvertido e ideológico, de difícil concretização num modelo simples. Quando definimos o currículo estamos descrevendo a concretização das funções da própria instituição educacional e a forma de enfocá-la num momento histórico e social determinado, numa trama cultural carregada de valores e pressupostos.

O currículo pode ser entendido como um “lugar-tempo em que os sistemas de referência culturais são confrontados com a sua insuficiência pela negociação com o "outro", com a diferença”. Um lugar-tempo em que as culturas presentes precisam co-existir, em que as diferenças precisam ser traduzidas”. ( MACEDO, 2004, p. 15). Uma tradução sempre conflituosa em função da dinâmica do processo histórico-cultural e político.

Dussel, Tiramonti e Birgin (1998, p. 134) chegam a defender, apoiando-se em Popkewitz e Bernstein, que o próprio currículo é, desde sempre, um híbrido, posto que é "o resultado de uma alquimia que seleciona a cultura e a traduz para um ambiente particular, destinando-a a uma audiência particular". A noção de hibridismo no campo do currículo começou a subsidiar discussões sobre a interação entre os diferentes discursos que circulam tanto nas reformas educativas e no pensamento curricular quanto na escola. As referências utilizadas não aludem propriamente ao hibridismo, mas a uma mescla no sentido de somatório de influências ou mesmo a uma substituição. Trata-se de uma noção que lida com a diferença - assim como com a aparente homogeneidade - e perturba tanto as fronteiras entre o eu e o outro quanto a própria ideia de eu e de outro (MACEDO, 2004).

Sem dúvida o currículo reflete o conflito de interesses dentro de uma sociedade e os valores dominantes que regem os processos educativos. O currículo não é neutro, é por meio dele que se empreendem as reformas, na maioria dos casos, para melhor ajustar o sistema educacional às necessidades sociais e, em muito menor medida, para mudá-la.

O currículo é uma invenção social que reflete escolhas sociais conscientes e inconscientes, representa valores e crenças dos grupos dominantes na sociedade. Por isso é explicável que nos momentos de configurar de forma diferente o sistema educativo se pensem também em novas formas de estruturar o currículo.

Bernstein (1980) afirma que “as formas através das quais a sociedade seleciona, classifica, distribui, transmite e avalia o conhecimento educativo considerado público refletem a distribuição do poder e dos princípios de controle social”. Dessa forma, não é por acaso que os órgãos do governo, ainda que legitimados por poderes democraticamente estabelecidos, regulem o currículo.


2.3 JUSTIFICATIVA E CONTEXTUALIZAÇÃO REALIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA REGIÃO DE ABRANGÊNCIA DO CAMPUS
O atual momento de reformulação deste Projeto refere-se ä necessidade de atender as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Pedagogia (2006) fazer uma revisão das necessidades, e interesses do acadêmico de pedagogia e das demandas na formação de professores para a educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental no Estado de Rondônia,bem como adequar o PPP ás Orientações da Resolução nº 278/CONSEA, de 04 de junho de 2012 que regulamenta os Parâmetros para elaboração de Projetos Político-Pedagógicos de Cursos de Graduação da Universidade Federal de Rondônia. Neste esforço institucional, o Departamento de Ciências da Educação reapresenta o PPP do Curso de Pedagogia como uma revisão e construção coletiva de seus membros.

É patente que a busca de conhecimentos cresce à medida que a modernização vai atingindo as populações mais distantes dos grandes centros urbanos. O momento em que vivemos é caracterizado pelo surgimento de uma nova sociedade em constante mudança, que está se organizando e reorganizando de acordo com as características da sociedade em rede, da globalização da economia e da virtualidade, sociedade esta que produz novas e mais sofisticadas formas de exclusão.

O estado de Rondônia, com uma população de, aproximadamente, um milhão e oitocentos mil habitantes distribuída em 52 municípios, precisa encontrar diferentes alternativas para incluir em seus sistemas educacionais o grande contingente de sujeitos hoje excluídos das oportunidades de escolarização.

Os esforços que vêm sendo realizados pelo sistema estadual e os municipais para atender a população das regiões mais distantes do estado têm sido notável. Contudo, a demanda escolar apresenta um grande aumento face ao considerável crescimento da população escolarizável somados aos índices de evasão e repetência que se constata em cada ano, além de que os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nas escolas rondonienses estão abaixo do esperado indicando necessidade de reorganização no curso de pedagogia de maneira que possamos qualificar ainda mais nossos acadêmicos para atuar nos anos iniciais do Ensino Fundamental, desprendendo um esforço maior nas áreas relacionadas ao processo de alfabetização e outras afins. Para enfrentarmos esta realidade se faz necessário que adentremos criticamente nesta organização curricular do curso, sem contudo descaracterizá-lo, uma vez que trata de um curso com excelente avaliação no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que avalia o rendimento dos alunos dos cursos de graduação, ingressantes e concluintes, e com notória respeitabilidade da sociedade de Porto Velho.

Dessa forma, o presente projeto inclui as necessidades sociais e educacionais dos municípios e o crédito desta Universidade que, ao atendê-las, julga contribuir para o desenvolvimento da região, ao mesmo tempo em que cumpre com suas reais finalidades e vocação de Instituição de Ensino Superior pública voltada para a realidade que a cerca.

O Projeto Político-Pedagógico para o Curso de Pedagogia como se apresenta reformulado, justifica-se diante da legislação advinda do Governo Federal, embasado, especialmente, a Resolução CNE/CP 1/2006 que institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia, licenciatura publicada no Diário Oficial da União em 16 de maio de 2006.

De acordo com as legislações citadas, a reformulação do Projeto Político- Pedagógico apresenta uma visão amplificada da universidade como área expandida para a implementação do tripé ensino-pesquisa-extensão, através do redimensionamento de seu espaço voltado para as novas tecnologias educacionais, que traz à reflexão novos paradigmas relacionados ao tempo e espaço.

Desta forma, enfatizamos a relevância de um Currículo dinâmico que tem como proposta as atividades de ensino, de pesquisa e de extensão e que demonstrem concomitantemente, independência e integração, suscitando a necessidade de investigação constante e permanente a fim de que o ensino, entendido de forma ampla, seja repensado a partir de sua prática, especialmente no que se refere às praticas isolacionistas e fragmentadas, costumeiramente encontradas nos desenhos curriculares.

Neste sentido, a matriz curricular do Curso de Pedagogia enseja parcerias para a realização de estágio, bem como a construção de conhecimentos científicos e a integração de conhecimentos empíricos que emergem das demandas sociais e das instituições educativas. Neste entendimento, o espaço escolar amplia-se e se reconfigura, abrindo possibilidades múltiplas e diversas para a aprendizagem e a reflexão, que possam subsidiar a práxis pedagógica possibilitando ao educando e educador analise de suas potencialidades profissionais visando a participação social e o exercício pleno da cidadania.
2.4 LEGISLAÇÃO
Para formação do professor da Educação Básica é necessário conceber a escola e a missão deste professor. Desta forma, este Projeto Pedagógico comunga com a concepção de escola e de professor explícita no Parecer CNE/CP 09/2001: a concepção de escola voltada para a cidadania consciente e ativa, que ofereça aos alunos as bases culturais que lhes permitam identificar e posicionar-se frente às transformações em curso e incorporar-se na vida produtiva e sócio-política. Reforça-se, também, a concepção de professor como profissional do ensino que tem principal tarefa cuidar da aprendizagem dos alunos, respeitada a sua diversidade pessoal, social e cultural.

Este curso atende às orientações e exigências das Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica, em nível superior, de graduação plena: Resolução CNE/CP 1/2002, Parecer CNE/CP 9/2001, Parecer CNE/CP 27/2001, Parecer CNE/CP 28/2001; Resolução nº 01/2004-CNE/CP, de 17 de junho de 2004; Parecer CNE/CP 3/2004- CNE/CP; Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005; Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia apresentadas na Resolução n.1/2006, aprovada pelo CNE em 15 de maio de 2006 e Resolução nº278/CONSEA/UNIR, de 04 de junho de 2012.

2.5 PERFIL DO EGRESSO
O Curso de graduando em Pedagogia da UNIR deve se nortear pela realização de estudos pedagógicos, tomando a Pedagogia como campo teórico e como campo de atuação profissional. Como tal destina-se à formação de profissionais cujo perfil permita aprimorar a reflexão e a pesquisa sobre a educação, o ensino e a aprendizagem na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, bem como à preparação de pesquisadores, planejadores, com habilidades para o desenvolvimento atividades correlacionadas á avaliação, gestão de sistemas educacionais e escolares, coordenadores pedagógicos ou de ensino, profissionais para atividades educacionais em espaços escolares e não-escolares, bem como atividades destinadas á educação do campo, Educação Indígena, Educadores de Jovens e Adultos e Educação Especial.

O graduando em Pedagogia deverá realizar estudos pedagógicos no campo teórico-investigativo da educação, sem perder de vista o exercício técnico-profissional a fim de tornar-se pedagogo no sistema de ensino, nas escolas e em outras instituições educacionais, inclusive não-escolares.

A docência é uma modalidade e a base do trabalho pedagógico, mas o trabalho pedagógico não se esgota na docência. A formação em Pedagogia na UNIR configurará a pesquisa como princípio epistemológico e formativo, tornando o profissional nele envolvido um sujeito pesquisador de suas práticas educativas e das relações que estas estabelecem com contextos e sujeitos de interação.

Na sociedade contemporânea a escola já não é mais a única fonte de formação e informação como já foi no passado. O novo conceito de espaços de aprendizagem se ampliou, ultrapassou os limites das instituições escolares formais, passou a incluir um largo espectro de instituições não-escolares (empresas, sindicatos, meios de comunicação etc) e também os movimentos sociais organizados. O que, entretanto, permanece como elemento definidor da atividade é a prática educativa.


2.6 PERFIL DO CURSO
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal