Índice. Introdução 3



Baixar 26.97 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho26.97 Kb.

O Conhecimento do Mundo e a sensibilização às Ciências

ÍNDICE

. Introdução----------------------------------------------------------------------------------3

. A abordagem de aspectos científicos na Educação Pré-Escolar-----------------5

  1. Que conteúdos ?--------------------------------------------------------------------5

  2. Que materiais e recursos ?-------------------------------------------------------6

  3. Que metodologia ?-----------------------------------------------------------------6

  4. Qual o papel do educador ?-----------------------------------------------------7

. Área de conteúdo:- Conhecimento do Mundo--------------------------------------9

. A educação científica na educação pré-escolar-------------------------------------15

  • O que significa fazer ciência ?--------------------------------------------------16

  • Um experiência de educação ambiental ?------------------------------------19

  • O que pode ser feito no jardim de infância ?--------------------------------20

  • Actividades no jardim de infância ?-------------------------------------------24

. Ensino da ciência na educação pré-escolar------------------------------------------30

  • O que é ensinar ciência e tecnologia ?-----------------------------------------30

  • Como ensinar ciência e tecnologia ?-------------------------------------------32

. Discussão da necessidade e forma de introdução do vocabulário científico no ensino da ciência e tecnologia na educação pré-escolar----------------------------42

. Análise das diferentes áreas do conhecimento que devem ser abordadas num ensino equilibrado da ciência e tecnologia--------------------------------------------45

  • Discussão de temas a explorar-------------------------------------------------47

  • Aspectos a abordar num currículo equilibrado de ciência e

Tecnologia-----------------------------------------------------------------------------47

. Aspectos biológicos----------------------------------------------------------------------50

. Descobrindo a natureza----------------------------------------------------------------57

  • Jardinagem------------------------------------------------------------------------59

  • Criação de pequenos animais-------------------------------------------------62

  • Observações e experiências----------------------------------------------------66

. Exemplos de ciências no jardim de infância---------------------------------------69

. Sugestões de actividades práticas----------------------------------------------------72

. Bibliografia-------------------------------------------------------------------------------94

INTRODUÇÃO

Os seres humanos desenvolvem-se e aprendem em interacção com o mundo que os rodeia.

Praticamente desde o nascimento as crianças examinam o seu envolvimento, procurando informações sobre o mundo através dos sentidos.

À medida que as crianças amadurecem e as suas experiências se ampliam, elas tornam-se conscientes da existência de ordem no mundo. Elas desenvolvem conceitos tanto físicos como sociais sobre o mundo, que lhes permitem acumular conhecimento a partir das suas experiências.

A área de Conhecimento do Mundo enraíza-se na curiosidade natural da criança e no seu desejo de saber e compreender porquê.

As ciências têm sido uma parte importante dos currículos elementares e da primeira infância desde o início do séc. XX John Dewey (1956) foi um grande defensor da sua inclusão na educação de crianças pequenas.

Verifica-se hoje em dia, que a ciência, devido à sua natureza, e sobretudo ao seu desenvolvimento, deixou de ser um assunto meramente de cientistas. É também um facto que a ciência nos entra diariamente em casa, através dos jornais, da televisão ou rádio.

Na Educação Pré-Escolar, a sensibilização às ciências parte dos interesses das crianças que o educador alarga e contextualiza, fomentando a curiosidade e o desejo de saber mais.

Para tal é necessário proporcionar às crianças uma educação em ciência que permitirá desenvolver nelas uma atitude científica, perante o mundo que as rodeia, e estimular o seu interesse em aumentar os seus conhecimentos científicos.

A finalidade desta publicação não é fornecer receitas mágicas ou fórmulas preparadas que dispensem o esforço da reflexão e aprofundamento. É nosso propósito que o educador reflita sobre o que significa ensinar ciência e tecnologia na Educação Pré-Escolar e qual deve ser o seu papel nesse processo.

O tratamento da área do conhecimento do mundo, não visa promover em saber enciclopédico, mas proporcionar aprendizagens pertinentes com significado para as crianças.

É neste quadro de ideias que desejamos que este nosso lançamento se torne num instrumento de reflexão e de apoio, para que a qualidade do ensino das ciências seja uma constante na educação pré-escolar.

A ABORDAGEM DE ASPECTOS CIENTÍFICOS NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

Domínios do Conhecimento Humano

1. Que conteúdos ?




Biologia




. Conhecimento dos órgãos do corpo, dos animais, do seu habitat e costumes, de plantas...

Física e Química




. Experiências com a luz, ar, água.


. Brincar com água, encher e esvaziar recipientes pode ser, por exemplo, um meio de compreender que o ar ocupa espaço, experimentar o princípio dos vasos comunicantes, questionar porque há objectos que flutuam e outros que vão ao fundo.

. Explorar a inclinação e o tamanho das sombras nas várias horas do dia, projectar a própria sombra do próprio corpo e das mãos, e ainda jogar com formas, cores, materiais e texturas.


Meteorologia

. A observação do tempo


. Conhecimentos de meteorologia: vento, chuva...

Geografia

. Ampliação para além do meio imediato.


. Aprofundamento e diversificação a partir dele: os rios, os mares, os acidentes orográficos...

Geologia

. Comparação de rochas, colecção de pedras, observação das suas propriedades.

História

. Neste domínio pode também ultrapassar a história pessoal e próxima, estendendo-se a épocas mais longínquas (pré-história, etc.).

Saberes sociais

. Saber nomear e utilizar diferentes equipamentos e utensílios.


. Utilizar objectos para construir novas formas.

. Reconhecer e nomear diferentes cortes, sensações e sentimentos.

. Saber o seu nome completo, morada e localidade.

. Saber dizer a sua idade e perceber que está a crescer.

. Situar-se socialmente numa família e noutros grupos sociais.

. Conhecer alguns aspectos do ambiente natural e social.



Conteudo da Página 16

A EDUCAÇÃO CIENTÍFICA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR



O que significa “fazer ciência” na Educação Pré-Escolar ?
«Compreender como as crianças entendem, descobrir como elas olham e vêem o mundo é tão importante quanto a forma como os adultos olhamos e vemos o mundo. Nas crianças o olhar e o saber olhar está fortemente ligado à forma como elas aprendem a observar e a ver . São dois processos que se desenvolvem conjuntamente: quanto mais se observa, mais se aprende a observar e vice-versa.

Ninguém aprende a olhar ao seu redor do nada. É preciso intervir para colocá-lo em prática e para generalizar as formas de observar que as crianças já trazem consigo.

As formas convencionais de ver as coisas não bastam para a construção do conhecimento, por isso é preciso relacionar os diferentes aspectos da realidade às linguagens que nos permitem interpretá-los. Podemos dizer que:

-existem maneiras de ser próprias da realidade ambiental, natural e artificial (o fogo queima, a água escorre, etc.);

- existem formas específicas de pensar próprias da realidade cognitiva

de cada indivíduo (observar, diferenciar, reconhecer, intuir, raciocinar, imaginar, etc.);


- existem maneiras determinadas para agir simultaneamente no mundo externo e no interno. As coisas são chamadas por um nome, são descritas com gestos, desenhos, representações, são organizadas mediante esquemas, tabelas, etc.;
- existem infinitas formas de comunicar com os outros.
Podemos dizer que existem quatro pólos: o pensamento, a realidade, a comunicação e a cultura que definem os ingredientes da dinâmica cognitiva.

É na relação que cada um estabelece, a cada momento, entre estes quatro elementos que reside a "individualidade" pessoal e cultural de cada um de nós, por meio da qual nos transformamos em protagonistas do nosso próprio conhecimento.

Na construção do conhecimento podemos identificar, entre outros, um processo de continuidade dinâmica que partindo dos níveis iniciais e mais indiferenciados leva-nos a alcançar os níveis mais especializados e sofisticados.

Conteudo da Página 32

COMO ENSINAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA?


A essência e ponto de partida para qualquer actividade em ciência é o encontro entre a criança e um determinado fenómeno que ela vai tentar compreender ou com o qual vai interactuar. O estudo da ciência envolve a descoberta pelas crianças de algo, através das suas próprias acções, e sistematização das observações, através do pensamento. Assim, a criança vai aprender através da sua actividade física e mental.


E que tipo de coisas se pretende que as crianças descubram?

-as características das coisas (vivas e não vivas) que as rodeiam e como estas características podem ser usadas para as classificar;


- como é que as coisas (vivas ou não vivas) se comportam, trabalham ou interactuam umas com as outras;
- o que é necessário fazer para mudar algo de uma posição ou estado para um outro.
Tomemos como exemplo o estudo da água. A criança poderá observar água no estado sólido, líquido e gasoso para descobrir as suas características, relação com a temperatura e tipo de acções que poderá executar para poder obter água num dado estado, a partir de água noutro estado.
Quando dizemos que o ensino da ciência envolve a descoberta pelas crianças de algo, através das suas próprias acções, há que ter em conta as características destas acções. Acção em ciência nem sempre está, relacionada com actividade física. Muitas vezes, a acção pode consistir em pouco mais do que observação passiva. Porém, uma
Conteudo da Página 81

ESTUDO DO BICHO DA SEDA

É muito frequente na sala de aula aparecerem crianças que trazem, na Primavera, caixinhas com bichos da seda.


Essa situação pode ser aproveitada para uma boa exploração pedagógica, pois a observação do insecto, do seu crescimento e das suas fases evolutivas, (metamorfoses), pode ser um bom pretexto para uma interessante recolha de dados e de ensinamentos.
Neste trabalho os alunos divididos em pequenos grupos poderão fazer algumas pesquisas e efectuar o seu registo.
a) Montagem

Utilizar pequenas caixas de cartão, por exemplo, caixas de camisas de homem, a que faremos pequenos furos no fundo, para facilitar a limpeza.


Para observação e registo poderemos utilizar pequenas lupas, réguas graduadas, lápis e papel quadriculado.
A alimentação destes insectos faz-se exclusivamente de folhas frescas de amoreira.

b) Observação

Todos os dias os alunos observarão as modificações dos insectos, do seu crescimento, da maneira como se alimentam, da formação do casulo, da saída da borboleta e da postura dos ovos. Assim com o apoio do educador poderão registar as suas fases:




P rojecto “Bola de Neve”- Colecção «MAIS»




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal