Neodarwinismo



Baixar 48.17 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho48.17 Kb.






NEODARWINISMO

Apesar de Darwin conhecer a grande variedade de seres vivos ele não sabia explicar o real motivo para isso, pôs não tinha recursos para entender como os seres possuíam diferenças individuais. Não chegou sequer a ter conhecimento dos trabalhos de Mendel . Esse problema só foi resolvido a partir do século XX quando, na década de 20, consolidou-se a teoria cromossômica da herança e iniciou-se os estudos dos genes. Só assim ficou fácil entender que a mutação e a recombinação genética são duas importantes fontes de variabilidade entre as espécies.

Desta forma surgiu a teoria Neodarwinista (ou também Teoria Sintética da Evolução), baseados nos fundamentos dos fatores que promovem a variabilidade (mutação e recombinação genética) acrescidos ao trabalho de Darwin sobre o processo de seleção natural.
Mutação:

Processo onde ocorre modificação do material genético do ser vivo, seja por causas naturais ou induzidas por agentes externos (como radiações, substancias químicas, etc..).


Recombinação Genética:

Ë o processo de mistura genética de indivíduos diferentes, que ocorre na reprodução sexuada. Embora a mutação promova mais facilmente o aparecimento de um novo gene na população é através da recombinação que esses genes se organizam em novas combinações nos indivíduos sobre os quais vai atuar a seleção.

Nos organismos eucariontes, a recombinação se dá através da segregação independente dos cromossomos e da permutação (crossing-over)

Seleção Natural:

A seleção não é uma força mistérios. Ela decorre do fato das espécies mais adaptadas (aquelas que possuem adaptações oriundas de mutação e recombinação genética, que as favoreçam mais no meio em que vivem) serem selecionadas de modo natural extinguindo os menos adaptados.


Obs: Antibióticos x bactérias:
Origem de novas espécies
O processo de formação de novas espécies a partir de uma espécie ancestral é genericamente denominado de ESPECIAÇÃO.

Existem basicamente dois processos de especiação:



  • Anagênese: A população vai se modificando gradativamente, em função de contínuas alterações do meio ambiente, o que resulta em uma população tão diferente da original que pode ser denominada de uma nova espécie.

  • Cladogênese: novas espécies se formam graças à irradiação adaptativa, isso é, a partir de grupos que se isolam da população original e se adaptando a diferentes regiões. Depois de um longo período de tempo, essas populações originam uma nova espécie.


Obs: Irradiação adaptativa é diferente de convergência adaptativa.

IRRADIAÇÃO ADAPTATIVA




CONVERGÊNCIA ADAPTATIVA


FIQUE POR DENTRO !!!

Acredita-se que os a maioria das espécies se originaram por cladogênese. Pressupõe-se que para ocorrer a formação de novas espécies ocorre pelo menos três etapas seqüenciais:

1º - Isolamento geográfico: separação física de subpopulações de uma espécie.

2º - Diversificação gênica: ë o processo de diferenciação do conjunto gênico de cada subpopulação isolada, sendo causada por dois fatores: mutação e seleção natural.

3º - Isolamento reprodutivo: Resulta na incapacidade, total ou parcial, de membros das duas subpopulações se cruzarem, produzindo descendentes férteis.

Ocorre a presença de alguns mecanismos que impedem indivíduos de espécies diferentes de trocar genes por cruzamento. São denominados de PRE-ZIGÓTICOS (Isolamento do habitat, isolamento sazonal ou estacional, isolamento etológico ou comportamental e isolamento mecânico) e os PÓS-ZIGÓTICOS (Inviabilidade do híbrido, Esterilidade do híbrido, Deterioração da geração F2)


EVOLUÇÃO DO HOMEM


A partir do cretáceo, a irradiação adaptativa dos mamíferos na Terra levou à origem de varias ordens, entre elas a dos Primatas, na qual se insere o homem. Crê–se que os ancestrais remotos do homem viviam em arvores e possuíam um habitat alimentar insetívoro.

Inicialmente habitantes do solo, os primatas passaram a viver em arvores. Essa mudança foi acompanhada por modificações na posição dos olhos (de laterais para frontais) que permitia uma boa noção de profundidade e distancia. Acredita-se que varias mudanças ocorreram, como a diminuição da importância do olfato na localização de alimento, andar ereto, aumento progressivo do volume cerebral, aumento do cuidado com a prole por longos períodos após o seu nascimento e isso teria levado a redução no número da prole, e a oposição de dedos da mão (polegar oponível) auxiliando no manuseio e manipulação de objetos e ferramentas com grande facilidade e precisão.

“O homem evoluiu do macaco?”.

Lógico que não, quem fala esta frase não conhece os processos evolutivos.

O homem não evoluiu do macaco, mas ambos são possuidores de uma ancestralidade em comum quem em determinado período evolutivo ocorreu uma ramificação originando a espécie humana.

A ordem Primata compreende duas subordens: a dos Promíssios (primatas inferiores) e a dos Antropóides (primatas superiores).

Os Promíssios floresceram no início do Eoceno (época que vai de 55 a 38 milhões de anos atrás) e habitaram a Ásia, a Europa e a América do Norte, mas a maioria se extinguiu no final do Eoceno. Poucos ainda existem como os Lêmures (viventes na ilha de Madagascar) e os társios (viventes nas Filipinas e Índias Orientais).

A cerca de 40 milhões de anos, a partir de um grupo de Prossímios, surgiram os Antropóides, que possuíam uma diferença significativa dos seres que os originou, o tamanho do encéfalo e do córtex cerebral que é muito mais desenvolvido (ramo mais próximo do homem). Os Antropóides englobam os macacos do velho e do novo mundo.

Certos macacos possuem muitas semelhanças com o homem, por isso são reunidos na mesma superfamília, Hominoidae.


FIQUE POR DENTRO !!!

Hominídae é a família que se enquadra o homem.


  • Drypilopitecus: primata ancestral e arborícula

  • Ramapithecus: possuía o tamanho aproximado de um chimpanzé (12 – 14 milhões de anos)

  • Australopitecus: hominídioes de andar ereto e de mão e dedos semelhantes ao do homem, mas o volume cerebral era de 1/3 do volume cerebral do homem atual (1 – 2 milhões de anos atrás).

  • Homo habilis: eram caçadores, comedores de carniça, colhedores de raízes e frutos. O aumento craniano começava a ser detectado. Ferramentas simples de pedras foram descobertos com seus fósseis (cerca de dois milhões de anos atrás).

  • Homo erectus: faziam instrumentos, caçavam em grupos animais de grande porte, utilizavam o fogo, aumento da capacidade craniana (700mil anos atrás).

  • Homem de Neandertal: é considerada uma sub-espécie humana, teriam coexistido com o homem moderno e seus fósseis indicavam que eram baixos e atarracados. Sua capacidade craniana parecia ser maior que a do homem moderno, usavam ferramentas e armas elaborada indicando que eram bons caçadores (entre 130 a 30 mil anos atrás).

  • Homem de Cro magnom: indiferenciáveis do homem moderno, desenvolveu cultura invejável com grande capacidade de pintar e esculpir. (30mil anos atrás).

  • Homo sapiens: homem moderno.

Classificação taxonômica (sistemática) do homem:

Reino- animal

Filo- cordados

Subfilo- vertebrados

Classe- mamíferos

Ordem- primatas

Família- hornídeos

Gênero- homo

Espécie- homosapiens

EXERCÍCIOS

01.(UFC/97-1º fase) Observe as explicações evolutivas abaixo relativas a diferentes seres vivos:



  1. os peixes cavernícolas são cegos pelo fato de terem seus órgãos visuais atrofiados em virtude de viverem na ausência da luz;

  2. o aparecimento da resistência dos microorganismos aos antibióticos, que se multiplicam, enquanto os susceptíveis morrem;

  3. a característica da musculatura desenvolvida por um halterofilista deverá ser transmitida a seus descendentes.

Assinale a opção correta:

    1. apenas I está de acordo com Lamarck.

    2. apenas II está de acordo com Darwin.

    3. Apenas III está de acordo com Lamarck.

    4. Apenas I e II estão de acordo com Lamarck.

    5. Apenas I está de acordo com Darwin.

02. (UFC/98- 1º Fase)”...a natureza fornece as variações sucessivas, o homem as acumula em certos sentidos que lhes são úteis. Assim sendo, pode-se dizer que o homem criou, para seu proveito, raças úteis.”.

Sobre o trecho acima, retirado do livro A Origem das Espécies, de Charles Darwin, pode-se dizer que:


  1. caracteriza a seleção artificial.

  2. Expressa o conceito de herança dos caracteres adquiridos.

  3. Constitui a base da teoria fixista.

  4. Refere-se ä seleção natural.

  5. Refere-se ao surgimento das várias raças humanas.

03. (UFC/99- 1º Fase) Assinale a opção que se refere ä principal contribuição de Charles Darwin ä teoria da evolução.



  1. A seleção natural atua como a principal força criadora das mudanças evolutivas.

  2. Existe em todos os organismos um impulso interior para a perfeição.

  3. A vida é gerada contínua e espontaneamente de forma muito simples.

  4. Todos os organismos têm capacidade de adaptar-se ao ambiente.

  5. Os caracteres adquiridos transformam-se em hereditários.

04. (UFC/2000- 1º Fase) “Nenhum dos fatos definidos da seleção orgânica, nenhum órgão especial, nenhuma forma característica ou distintiva, nenhuma peculiaridade do instinto ou do hábito, nenhuma relação entre espécies- nada disso pode existir, a menos que seja, ou tenha sido alguma vez, útil aos indivíduos ou ás raças que os possuem.”

(Alfred Russel Wallace,1867)

O texto acima é uma defesa intransigente do princípio:



  1. darwinista da seleção natural.

  2. Lamarckista da herança dos caracteres adquiridos.

  3. Mendeliano da segregação dos caracteres.

  4. Darwinista da seleção sexual.

  5. Lamarckista do uso e do desuso.

05.(UECE/95.1) São conhecidos em todo Brasil os famosos fósseis da região do Cariri-Ce. Os fósseis são registros da nossa história biológica e a análise desse material arqueológico nos leva ä seguinte conclusão:



  1. desmente as teorias Darwinianas

  2. prova que Lamarck estava certo.

  3. Prova a eficácia da lei do uso e do desuso.

  4. Fortalece as evidências de um processo evolutivo dos seres vivos.

06. (UECE/2000.1) A teoria da origem das espécies de Charles Darwin analisou:



  1. a seleção natural.

  2. As mutações.

  3. O uso e desuso do órgãos.

  4. A hereditariedade dos caracteres adquiridos.

07. (UNIFOR/94.2) Considere os seguintes fatores evolutivos:



    1. Mutação gênica

    2. Seleção natural

    3. Imigração de indivíduos

    4. Emigração de indivíduos

Desde, os que tendem a aumentar a variabilidade genética numa população são:

  1. I e II, apenas.

  2. I e III, apenas.

  3. I e IV, apenas

  4. II, III e IV, apenas.

  5. I,II,III e IV.

08. (UNIFOR/94.2) Considere as afirmações abaixo:



    1. Uma população altamente adaptada, com pouca variabilidade genética, tem grande probabilidade de desaparecer, se as condições ecológicas forem alteradas.

    2. A alteração gradativa de uma condição ambiental pode determinar alteração na freqüência gênica de uma população.

    3. Os indivíduos com fenótipos mais bem adaptados a um ambiente, têm maior probabilidade de sobreviver e deixar descendentes.

09. (UNIFOR/95.2) Considere a seguinte proposição:

“Em uma ninhada, o animal mais bem adaptado ás condições existentes terá uma maior probabilidade de sobreviver e de deixar um maior número de descendentes.” Ela exemplifica o processo de:


  1. mutação

  2. deriva genética

  3. seleção natural

  4. migração diferencial

  5. herança de caracteres adquiridos.

10. (UNIFOR/96.1) Dos fatores evolutiovs abaixo, o que não pode contribuir para o aumento de variabilidade genética numa população é:



  1. mutação genética

  2. seleção natural

  3. mutação cromossômica

  4. recombinação genética

  5. imigração de indivíduos.

11. (UNIFOR/96.2) Considere os seguintes itens:



    1. Fósseis

    2. Biologia molecular

    3. Anatomia comparada

As principais evidências da evolução são fornecidas pelo estudo baseado em:



  1. I, apenas.

  2. II. Apenas.

  3. III, apenas

  4. I e II, apenas.

  5. I, II e III.

12. (UNIFOR/97.2) Considere as afirmações a seguir.



    1. Os ovos dos répteis desenvolveram casca resistente em virtude da necessidade desses animais viverem em ambiente terrestre.

    2. O uso freqüente de inseticidas faz com que os insetos apresentem uma resistência cada vez maior a eles.

    3. Graças a necessidade de respirara o ar atmosférico, certos peixes desenvolveram pulmões.

Ao pensamento de Lamarck está expresso em:

  1. I, somente

  2. II, somente.

  3. I e III, somente.

  4. II e III, somente.

  5. I, II e III.

13 – (UNIFOR/ 98.2) O melanismo industrial é observado em regiões altamente industrializadas. Caracteriza-se por aumento da freqüência de indivíduos com coloração escura que passam a predominar sobre a coloração clara.


Com relação a esse fenômeno, é correto afirmar que os indivíduos

  1. Os indivíduos claros tornaram-se escuros para adaptarem-se ao meio.

  2. Os claros tornaram-se resistentes a poluição do meio.

  3. Claros são mais adaptados ao ambiente poluído.

  4. Escuros são dominantes pós são portadores de alelos dominantes.

  5. Escuros predominam devido ao processo de seleção natural.

14 – (UNIFOR/99.1) Hábitat significa:



  1. Conjunto de regiões da terra que existe vida.

  2. Conjunto de espécies que vivem em determinada região.

  3. O local onde vive determinada espécie.

  4. Região onde vivem diversas comunidades biológicas.

  5. O papel biológico desempenhado por uma espécie.

15 – (UNIFOR/2000.1) Considere o texto a seguir:

“Em uma cidade, havia uma população de insetos na qual predominavam os indivíduos claros, que se confundiam com os liquens existentes na casca das árvores sobre os quais pousavam. Com a poluição, os liquens desapareceram e os troncos tronaram-se enegrecidos, beneficiando os insetos escuros. Verificou-se, então, que estes passaram a predominar sobre os insetos claros.”

Ele relata um exemplo de:


  1. seleção natural

  2. herança de caracteres adquiridos

  3. melhoramento genético

  4. mutação gênica

  5. especiação.

GABARITO



1 - B

2 - A

3 - A

4 - A

5 – D

6 - A

7 - B

8 - E

9 - C

10 – B

11 - E

12 - E

13 - E

14 - C

15 - A






Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal