Neurofisiologia da Cor : Percepção e Electromagnetismo



Baixar 24.84 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho24.84 Kb.
Título do projecto:

“Neurofisiologia da Cor : Percepção e Electromagnetismo”



Sumário

Esta investigação inserida na área da Neurociência Comportamental aplicada às Artes, foi motivada pelo desejo de explorar a Cor, enquanto um dos objectos mais importantes da linguagem visual.

Será feita uma abordagem na perspectiva da Psicologia, procedendo ao estudo das emoções resultantes da interacção do Ser Humano com as ondas electromagnéticas emitidas pela reflexão da luz na cor contida na matéria; nesta perspectiva, serão analisadas as emoções resultantes da visualização da Cor num contexto específico por um grupo de pessoas.

Na análise fisiológica deste processo interactivo, será também efectuado um estudo do efeito das cores-luz no córtex-visual através da absorção retiniana. A análise das áreas do cérebro activadas durante a observação será efectuada através de electroencefalogramas (EEG) e ressonâncias magnéticas (RM).

Esta investigação tem como propósito implementar uma cultura de investigação crítica mobilizando os saberes próprios das Artes, das Ciências da Educação e da Neurociência, assim como a solidificação de um estudo de importância transversal em todas as áreas da Educação Artística.
Estado da Arte
È um facto irrefutável de que a Cor influência o ser humano e os seus efeitos, tanto de carácter fisiológico como psicológico, intervêm de uma forma equilibrada ou desequilibrada.

A Cor, através dos olhos e do cérebro, faz invadir no corpo físico uma variedade de ondas electromagnéticas com diferentes potências, estas actuam sobre os centros nervosos e modificam as actividades sensoriais e emocionais.


As abordagens mais recentes relacionadas com este tema foram efectuadas pelo Grupo de Neurociências Cognitivas da Universidade do Algarve no ano de 2010; investigação liderada por Inês Bramão sob o tema “Importância da cor para reconhecimento de objectos”. Concluí que “a cor estimula a mesma actividade cerebral no reconhecimento de objectos naturais – uma laranja ou uma rosa, por exemplo – bem como no reconhecimento de objectos não naturais – um martelo ou uma cadeira. A influência da cor no reconhecimento é um tema em debate no campo das Neurociências Cognitivas. O cérebro humano está equipado com mecanismos que permitem a visão a cores, mas os benefícios funcionais desta visão ainda não são totalmente conhecidos.”

Pretende-se complementar de certa forma este estudo, tentando perceber através do mesmo processo utilizado (Ressonância Magnética Funcional) o comportamento das ondas cerebrais quando estimuladas apenas pela cor luminosa, descentralizando desta forma a atenção relativa ao objecto.

No ano de 2012, a Fundação Gulbenkian e a Praça do Comércio acolheram uma exposição inédita: As cores do pensamento – A arte abstrata dos neurónios”. Esta iniciativa consistiu em imagens ampliadas do cérebro produzidas por cientistas provenientes de laboratórios do mundo inteiro, durante o seu trabalho de investigação na área das neurociências. Esta exposição coloca, desta forma, lado a lado, fotos do cérebro e obras de arte comparando-as e contrastando-as. Para investigar esta conectividade, a ciência moderna desenvolveu tecnologias muito sofisticadas como o método Brainbow, do qual se obtém a coloração de cada neurônio isoladamente, com uma proteína fluorescente, esta técnica permite aos pesquisadores ver mais claramente como os neurônios fazem contacto uns com os outros.

Sem dúvida que este projecto é uma mais valia na ponte entre a Arte e a Ciência, tendo resultados visualmente surpreendentes e que tais não poderão ser reproduzidos por palavras, serão sempre e apenas traduções de cortes do bolbo olfactivo de ratinhos em imagens visuais. A questão que se coloca neste projecto é precisamente o facto de estas experiências terem sido efectuadas em ratos de laboratório.

Ensaios realizados apenas em seres humanos, é um dos critérios mais importantes nesta investigação, tendo sempre em vista a procura de métodos de análise não invasivos para os mesmos.

Esta investigação tem como propósito implementar e aprofundar uma cultura de investigação crítica mobilizando os saberes próprios das Artes, das Ciências da Educação, da Psicologia e Neurociências. É um momento duplo de construção do conhecimento artístico, e um momento em que a abstracção do conhecimento artístico se realiza.

Pretende-se a solidificação de um estudo de maior importância transversal à Educação Artística, nas áreas das artes visuais, música, teatro e dança. Tem-se como objectivo a elaboração de um projecto interdisciplinar a realizar diversas configurações educacionais assim como em comunidades informais de aprendizagem, no qual serão abordadas todas as questões mais relevantes relativas à Cor e à sua interacção como Ser Humano.

Objectivos

Partindo do intento de que a Cor altera a frequência electroquímica do Ser Humano, tem-se como referência os seguintes objectivos:



  1. Proceder a um estudo aprofundado sobre o processo psicológico da interacção do Ser Humano com as ondas electromagnéticas emitidas pela cor pigmento contida na substância, bem como pelo processo fisiológico da mesma interacção, mas desta feita, pela incidência da cor-luz absorvida pela retina.

  2. Analisar detalhadamente os resultados obtidos nos testes efectuados e perceber o funcionamento das áreas do córtex visual, quando estimuladas por determinadas cores.

  3. Encontrar pontos comuns de conclusão entre os dados de teor subjectivo relativos à análise de testes emocionais, e os dados objectivos relacionados com EEG’s e RM’s.

  4. Abordar os aspectos de ordem fisiológica, psíquica e cultural da cor, bem como a tentativa de explicação entre matéria (Ser Humano) e a energia (Cor/luz).

  5. Pretende-se a solidificação de um estudo de importância transversal à Educação Artística, nas áreas das artes visuais, musica, teatro e dança. Tem-se como objectivo a elaboração de um projecto interdisciplinar a realizar diversas configurações educacionais assim como em comunidades informais de aprendizagem, no qual serão abordadas todas as questões mais relevantes relativas à Cor e à sua interacção como Ser Humano.

Descrição detalhada

Este projecto de doutoramento parte da junção de dois conceitos: Cor e Ser Humano, tendo como um dos objectivos, o panorama teórico baseado na cientificidade da apreensão de resultados obtidos da interacção do campo electromagnético de uma gama de cores especifica, com o campo electroquímico cerebral do Ser Humano, através da percepção visual.

Para tal tem-se como intento a exploração do registo da actividade electroquímica registada no cérebro sob a interacção, quer através de radiações electromagnéticas emitidas pela incidência da luz na Cor do objecto, quer pela incidência da cor-luz absorvida pela retina.

Um dos objectivo que se persegue neste trabalho é, neste contexto, resultados identificativos de qual ou quais as cores que poderão alterar de forma significativa a actuação electroquímica no Ser Humano. A área de estudo será o cérebro, visto que é a partir do córtex visual que se desencadeia todo este processo e a partir do qual se expande para todo o corpo através do sistema nervoso central.

Estas são as questões pelas quais se deu inicio a este projecto: Os factores emotivos condicionantes relativos à Cor poderão interferir no processo de transdução sensorial? Poderá a Cor provocar alterações na actividade electroquímica do córtex cerebral e por consequência, o sistema nervoso central do Ser Humano?

No processo de análise de ordem psicológica, serão efectuados testes emocionais a um grupo de voluntários após um contexto de interacção visual com a Cor, no qual se procede a um estudo das emoções resultantes da interacção do Ser Humano com as ondas electromagnéticas emitidas pela reflexão da luz na cor contida na matéria; nesta perspectiva, serão analisadas as emoções resultantes da observação da Cor por um grupo de pessoas, num contexto específico de interacção visual com cada Cor designada para o estudo.

Os inquéritos de avaliação emocional serão fornecidos por Psicólogos, bem como o acompanhamento e avaliação dos mesmos.

Relativamente ao método de análise fisiológica, esta investigação compreende a análise do registo electroquímico do ser humano e sua interacção com as radiações electromagnéticas emitidas pela incidência da cor-luz absorvida pela retina. Procurando perceber o processo, serão analisadas determinadas áreas do córtex cerebral através de exames imagiológicos, tendo como exemplos o EEG e a RMF. Esta fase da investigação será efectuada no departamento de Neurofisiologia do Hospital de Sto. António.


Importa também salientar os estudos sobre a natureza da luz, suas propriedades e comportamento, pois esta constitui a fonte de informação fundamental sobre a matéria e a energia electromagnética. Estes estudos têm como finalidade a tentativa de explicação entre matéria (Ser Humano) e a energia (Cor/luz).

Em termos metodológicos, numa primeira fase, pretende-se proceder a uma recolha exaustiva de literatura especializada disponível que se prolongará, como é normal, até ao final desta investigação. Numa segunda fase, proceder-se-á a uma análise sistemática dos resultados dos exames obtidos através de uma amostra descritiva. Este conjunto de métodos permitir-nos-á ter acesso a um conjunto de dados que nos possibilitarão confirmar ou infirmar as hipóteses de trabalho e chegar a um conhecimento, de teor cientifico, sobre a forma como a cor interage com o ser humano a nível electromagnético e a nível emocional, bem como verificar se os factores culturais condicionam a percepção da Cor sem interferência no processo de transdução sensorial da mesma.

A última fase do projecto inclui: o resultado e discussão dos experimentos através da análise dos inquéritos emocionais, das conclusões da análise técnica efectuada às EEG’s e RM’s de uma amostra de quarenta pessoas e a apresentação dos resultados obtidos numa dissertação de doutoramento.

A investigação projectada terá uma duração máxima de trinta e quatro meses. È apenas uma previsão, dado ao facto de que este projecto depende da disponibilidade de colaboração, quer dos médicos especialistas, quer dos voluntários para realização de experiências.

Pretende-se com este projecto a solidificação de um estudo de importância transversal à Educação Artística, nas áreas das artes visuais, musica, teatro e dança. Tem-se como objectivo a elaboração de um projecto interdisciplinar a realizar diversas configurações educacionais assim como em comunidades informais de aprendizagem, no qual serão abordadas todas as questões mais relevantes relativas à Cor e à sua interacção como Ser Humano.

mais para a frente deverá organizar um organigrama com a distribuição das tarefas.



Referências Bibliográficas

Albers, Josef, La interacción del color, Alianza Forma, décima reimpressión, Madrid, 1996.


Arnheim, Rudolf, Arte & Percepção Visual- Uma Psicologia da Visão Criadora. Nova

Versão, Livraria Pioneira Editora, São Paulo, 1986.
Babbitt, Edwin D., Principles of Light and Color. N.Y. Babbit & Co. 1878
Birren, Faber , Light , Color and Environment. Van Nostard Reinhold. 1982
Bernardo, Luís Miguel, Um Olhar sobre a Luz, Departamento de Física, Faculdade de

Ciências, Universidade do Porto, 1995.


Clulow, F. W., Colour-Its Principles and Their Applications, Fountain Press, London, 1972.
Gardner, Howard, The Mind’s New Science, a History of the Cognitive Revolution, Basic Books, New York, 1987.
Gardner, Howard, Art, Mind and Brain, a Cognitive Approach to Creativity, Basic Books,

New York, 1982.


Gombrich, E. H., La Imagen y el Ojo. Nuevos estudios sobre la psicologia de la

representación pictórica, Alianza Forma, Alianza Editorial, S.A., Madrid, 1987, 1991, 1993.
Gregory, R. L., A Psicologia da Visão (O Olho e o Cérebro), Biblioteca Universitária Inova,

1968.


Heller, Eva, A psicologia das Cores. Barcelona, Editorial Gustavo Gili, 2007

Huygue,René, Diálogo com o Visível. Liboa. Berthrand Editora, 1994.

Itten, Johannes, Art de la Couleur, Dessain et Tolra, 2ième Réimpression, 1990.
Jesuíno, Jorge Correia, Processos Cognitivos. Enciclopédia Enaudi. (Vol. 34).

Kandinsky, Wassily, Do Espiritual na Arte. (4ª Edição). Lisboa: Publicações D. Quixote, 1999.

Mausfeld,Rainer, Color Perception: Mind and Physical World. Oxford University Press. 2003

Pedrosa, Israel, Da Cor à Cor Enexistente. Brasil, Fename Editora, 1982.

Sloane, Patricia, The Visual Nature of Color, Design Press, 1989.

Vinardi, Lívio, Biopsicoenergética: El Ser Humano Como Medida. 2ª ed. – Buenos Aires, Editorial Kier. (Vol.1). 2004.



Vinardi, Lívio, Anatomia Energética. Editora Terapion. 1996

Susana Ribeiro
13 _Novembro_2013


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal