Normas para os colaboradores de lusitania sacra



Baixar 8.61 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho8.61 Kb.
NORMAS PARA OS COLABORADORES DE LUSITANIA SACRA


  1. Lusitania Sacra é uma revista universitária, publicada pelo Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa, e o seu âmbito científico é a História Religiosa de Portugal.




  1. A estrutura da revista comporta: artigos; notas de investigação; crónicas; recensões; bibliografia; e, eventualmente, testemunhos. Cada tomo procura uma unidade, cronológica ou temática, apresentando-se a revista como “tendencialmente monográfica” desde o primeiro número da 2ª série.




  1. Segundo o tema de cada tomo, a redacção da Lusitania Sacra solicita artigos e aceita propostas de textos, desde que inéditos, com validade científica e cumprindo ambos os requisitos temáticos da revista: versarem sobre temas de História Religiosa ou temas culturais com expressão religiosa; e, directa ou indirectamente, referirem-se à História de Portugal.




  1. Os originais propostos serão examinados pela Direcção da revista que, caso os considere pertinentes, os submeterá ao parecer de dois especialistas (referees). Os autores serão oportunamente informados acerca da decisão da Direcção em publicar ou não o respectivo texto, ou ainda da conveniência de o alterarem ou reformularem de acordo com as indicações dadas pelos especialistas, que serão então comunicadas ao autor. O processo é anónimo.




  1. Os artigos propostos devem:

  • Ter uma extensão máxima de 70 000 caracteres.

  • Ser escritos em Português, podendo, excepcionalmente, aceitar-se textos redigidos noutras línguas.

  • Vir acompanhados por um resumo de 10 linhas, em Português e, se possível, em Inglês.

  • Ser entregues impressos em papel e em suporte electrónico (diskette ou e-mail), processados em Word.

  • Incluir uma página referindo o título do artigo, o nome do autor, a instituição académica ou profissional a que está ligado, a direcção postal e electrónica, e o telefone.




  1. O autor terá acesso às primeiras provas tipográficas para correcção. Contudo, não são permitidas alterações significativas à estrutura e dimensão do texto.




  1. Aos autores dos artigos e notas de investigação serão disponibilizadas 25 separatas dos respectivos textos, e ser-lhes-á oferecido um exemplar da revista. Os autores de crónicas e recensões terão direito a um exemplar da revista.




  1. As referências bibliográficas devem orientar-se pela Norma Portuguesa 405-1, de Janeiro de 1995, que a redacção da revista aplica sistematicamente nas secções de crónica, recensões e bibliografia. Nos artigos, a responsabilidade do aparelho crítico é dos respectivos autores. Seguem-se exemplos:


Para livros:

PENTEADO, Pedro  Peregrinos da Memória: o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré 1600-1785. Lisboa: Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa, 1998.


Para artigos:

ANASTÁCIO, Vanda  Amenos desertos: em torno das éclogas de Frei Agostinho da Cruz. Lusitania Sacra. 11 (1999) 87-110.


Para capítulos de uma obra colectiva:

SANTOS, Luís Aguiar  Pluralidade religiosa: correntes cristãs e não cristãs no universo religioso português. In HISTÓRIA Religiosa de Portugal. Dir. de Carlos Moreira Azevedo. Vol. 3: Religião e Secularização. Coord. de Manuel Clemente; António Matos Ferreira. Lisboa: Círculo de Leitores, 2002, p. 399-501.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal