Nota à imprensa



Baixar 10.61 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho10.61 Kb.




Nota à imprensa
Os presidentes dos três maiores fundos de pensão do país, Previ, Petros e Funcef, em respeito aos seus mais de 300 mil associados e à sociedade brasileira em geral, vêm a público manifestar-se sobre o relatório final da CPI dos Correios, apresentado na última semana. O documento comete erros graves ao tentar induzir a índicos que devem ser apurados.
Durante nove meses, as instituições que representamos, devidamente reconhecidas em relatórios oficiais de padrão de qualidade e excelência, foram alvo da maior devassa já realizada no sistema nacional de previdência complementar fechada. Ficou claro, nesse período que toda decisão ligada a investimentos dos fundos são tomadas por comitês, contando sempre com um colegiado.
Apesar disso, a quebra do sigilo dos três fundos deu margem ao vazamento de informações confidenciais e à difusão de ilações absolutamente equivocadas. Vale ressaltar que fomos prejudicados pela divulgação de dois relatórios parciais – da Sub-relatoria de Fundos de Pensão – que, comprovadamente, apresentavam problemas técnicos, premissas falsas e quantificação incorreta de valores.
É nosso dever, assim, destacar algumas preocupações que nos são comuns:


  1. Sem nenhuma prova concreta, o texto sugere que “a influência político-partidária, na nomeação de diretores, não permite que se afastem as hipóteses de ingerência indevida nos interesses dos fundos de pensão”. O relatório apresenta um exemplo: os investimentos da Previ no complexo hoteleiro de Costa de Sauípe, na Bahia, descritos como se tivessem sido feitos pelos atuais dirigentes da fundação. Na verdade, eles foram feitos em 1999, por ex-administradores do fundo, contabilizando até o momento prejuízos de mais de R$ 900 milhões. O valor é três vezes maior que os supostos prejuízos identificados pela Sub-relatoria de Fundos de Pensão em todas as 14 entidades de previdência analisadas.




  1. O relatório aborda o contrato assinado em março de 2005 entre o Citibank e fundos de pensão, destacando o compromisso de compra da participação do banco na operadora de telecomunicações Brasil Telecom (BrT) caso as partes não consigam realizar uma venda conjunta da empresa até novembro de 2007. Não leva em conta, porém, que tal acordo foi fundamental para recuperar, em favor dos trabalhadores associados aos fundos, o controle de uma grande empresa que, segundo denúncias apresentadas à CVM, vinha sendo administrada de modo arbitrário e irregular por gestores indicados pelo Sr. Daniel Dantas, do grupo Opportunity.




  1. Lamentamos que a CPI não tenha aprofundado as investigações sobre as relações entre a BrT, ao tempo em que era administrada pelo Opportunity, e as empresas do Sr. Marcos Valério, com as quais a operadora chegou a assinar contratos no valor de R$ 50 milhões, rescindidos logo após o início da crise política.




  1. Estranhamos, ainda, que, apesar de citar os expressivos repasses financeiros feitos às agências de publicidade DNA e SMP&B pela Telemig Celular e Amazônia Celular, empresas até então sob a gestão de prepostos do Sr. Dantas, o relatório final também não esclareça se os R$ 158 milhões repassados pelas duas telefônicas corresponderam a serviços efetivamente prestados.




  1. No caso da Brasil Telecom, a atual administração apresentou denúncias à CVM com irregularidades nos pagamentos feitos às empresas do Sr. Valério, provas essas que se juntam ao sem-número de atos ilegais praticados por Dantas e seus prepostos na companhia, em ataque frontal ao patrimônio dos fundos de pensão. Ainda assim, o empresário é poupado. O relatório não pede seu indiciamento, e o excluiu da lista de pessoas cujas práticas, a juízo do relator, merecem ser mais bem investigadas pelo Ministério Público.

Sérgio Ricardo da Silva Rosa



Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ)
Wagner Pinheiro de Oliveira

Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros)
Guilherme Narciso de Lacerda

Fundação dos Economiários Federais (Funcef)


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal