O autor desta obra faleceu no mes de fevereiro de 2005



Baixar 387.12 Kb.
Página1/21
Encontro07.08.2016
Tamanho387.12 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   21
O Autor desta obra faleceu no mes de fevereiro de 2005)

"Instantes"

"Se eu pudesse viver novamente a minha vida, na próxima trataria de cometer mais erros.

Não tentaria ser tão perfeito, relaxaria mais.

Seria mais tolo ainda do que tenho sido, na verdade bem poucas coisas levaria a sério.

Seria menos higiênico.

Correria mais riscos, viajaria mais, contemplaria mais entardeceres, subiria mais montanhas, nadaria mais rios.

Iria a mais lugares onde nunca fui, tomaria mais sorvete e menos lentilha, teria mais problemas reais e menos problemas imaginários.

Eu fui uma dessas pessoas que viveu sensata e produtivamente cada minuto da sua vida: claro que tive momentos de alegria.

Mas, se pudesse voltar a viver, trataria de ter somente bons momentos.

Porque, se não sabem, disso é feita a vida, só de momentos, não percas o agora.

Eu era um desses que nunca ia a parte alguma sem um termômetro, uma bolsa de água quente, um guarda-chuva e um pára-quedas; se voltasse a viver viajaria mais leve.

Se eu pudesse voltar a viver, começaria a andar descalço no começo da primavera e continuaria assim até o fim do outono.

Daria mais voltas na minha rua, contemplaria mais amanheceres e brincaria com mais crianças, se tivesse outra vez uma vida pela frente.

Mas, já viram, tenho 85 anos e sei que estou morrendo!"

Autor:

20/03/2001

 

Introdução:

O presente trabalho, fruto de laboriosas pesquisas da nossa Arte, brotou da necessidade sentida de buscar respostas às naturais dúvidas de todo aquele que se inicia no Mistério Maçônico. Resolvi fazer um guia pratico para consultas.

Este porém talvez não satisfará tão cabalmente, devido á vastidão e complexidade do assunto, e também não tenho nenhuma pretensão de apresentar nenhuma originalidade.

A maior dificuldade em vencer foi a de encontrar, selecionar e compilar todas matérias que se acham na ampla bibliografia maçônica.

Este se divide em três partes: Historia da Maçonaria do Brasil, Instruções do Grau de Aprendiz com perguntas e respostas e Iniciação.

A Maçonaria possui um “SEGREDO”. Todo aquele que procura admissão em seus mistérios para desvendá-lo jamais logrará êxito. Somente aquele que contaminar-se pela beleza da Arte Maçônica, permitindo que a Maçonaria penetre no fundo do seu Ser, poderá, um dia, cruzar o véu de Isis e triunfar no êxtase do descobrimento do Segredo que não se encontra em parte alguma mas no Todo Unificado.

 

I - PARTE



 

ORIGENS


Se pesquisarmos e estudarmos isentos de paixões e ânimos, chegaremos a decepcionante conclusão de que existe muita insegurança e uma grande confusão entre os que pretendem explicar as origens da Maçonaria, vejamos então as várias teorias defendidas ou difundidas.

  •          Deus iniciou Adão na Maçonaria

  •          Desde que o homem formou a primeira sociedade com a finalidade de lutar contra a opressão e pela liberdade.

  •          Civilização Persa, com mais de cem mil anos de existência, se considerarmos que estes já tinham as suas sociedades secretas, encerrando no meio destas a guarda dos conhecimentos místicos e científicos.

  •          Em 529 com a fundação da Ordem dos Beneditinos, já que estes receberam de seu fundador a iniciação e seus fundamentos.

  •          Século X, com a Confraria de York, precisamente em 926, sendo esta a primeira associação que a historia registra onde aparece a denominação Franco-maçom, bem como a sua ordem hierárquica de; Aprendiz, Companheiro e Mestre.

  •          No século XI, com a fundação dos “obreiro construtores de ogivas” na Alemanha.

  •          No século XIII, quando os leigos já conhecedores dos segredos da construção bem como da forma de associação e aprendizado, se tornam independentes da Ordem dos Beneditinos.

  •          Em 1498, quando o Imperador Maximiliano I resolve legalizar as associações de construtores.

  •          No século XV com a “Constituição de York”, codificação das organizações de construtores, já decadentes e portanto pela necessidade de instrui-las e moraliza-las.

  •          Em 1717, quando o naturalista João Theophilo Degulier e o ministro protestante Jaques Anderson reuniram os membros das Lojas existentes para uma reunião no Albergue da Macieira, em Londres, na Inglaterra, com a finalidade de congrega-las, com o entendimento entre estas, desaparece a figura das antigas sociedades, e entra em cena a “Franco Maçonaria”.

  •          Em 1723, com a Constituição dos Maçons Livres e Aceitos (Constituição de Anderson).

 


Todas as pesquisas criteriosas, referentes às origens da Maçonaria, convergem à Idade Média. Portanto as alegações dos que defendem épocas remotas em torno do nascedouro maçônico não passam de suposições fictícias, hipóteses fabulosas, obviamente contrárias às provas documentais, aos indícios confiáveis ao proverbial bom-senso dos autênticos estudiosos e, enfim, contrárias à seriedade caracterizadora da História Universal.

A Maçonaria da maneira que conhecemos hoje, que é também conhecida como Franco-maçonaria (nome que tem origem nos mestres de obras das catedrais medievais, conhecidos na Inglaterra como Freestone mason), é, antes de tudo, uma associação voluntária de homens livres, cuja origem se perde na Idade Média, se considerarmos as suas origens Operativas ou de Ofício. Modernamente, fundada em 24 de junho de 1717, com o advento da Grande Loja de Londres, agrupa mais de onze milhões de membros em todo o mundo. É o mais belo sistema de conduta moral, que pretende fazer com que o Iniciado seja capaz de vencer suas paixões, dominar seus vícios, as ambições, o ódio, os desejos de vingança, e tudo que oprime a alma do homem, tornando-se exemplo de fraternidade, de igualdade, de liberdade absoluta de pensamento e de tolerância.

Em função disso, os objetivos perseguidos pela Maçonaria são: ajudar os homens a reforçarem o seu caráter, melhorar sua bagagem moral e espiritual e aumentar seus horizontes culturais.

É uma sociedade fraternal, que admite a todo homem livre e de bons costumes, sem distinção de raça religião, ideário político ou posição social. Suas únicas exigências são que o candidato possua um espírito filantrópico e o firme propósito de tratar sempre de ir em busca da perfeição.

Simbolicamente, o Maçom vê-se a si mesmo como uma pedra bruta que tem de ser trabalhada, com instrumentos alegóricos adequados, para convertê-la em um cubo perfeito, capaz de se encaixar na estrutura do Templo do Grande Arquiteto do Universo.

Ela se fundamenta na crença em um Ser Superior ou Deus, ao qual denominamos Grande Arquiteto do Universo, que é o princípio e causa de todas as coisas. Parece rígida em seus princípios, mas é absolutamente tolerante com todas as pessoas, ensinado aos iniciados que é mister respeitar a opinião de todos, ainda que difiram de suas próprias, desafiando a todos à mais sincera Tolerância. A Ordem não visa em hipótese alguma lucro ou benefício, pessoal ou coletivo.

Uma pessoa para se iniciar na Maçonaria, tem que ser apresentado e avalizado por maçom, ser livre, de boa reputação junto a sociedade, exigindo dele, unicamente que possua espírito filantrópico, o firme propósito de estar sempre em busca da perfeição e que acredite em Deus.

A Maçonaria é rígida em seus princípios, mas é tolerante com as pessoas, ensinando-as a respeitar as diversas opiniões por mais antagônicas que sejam, incitando a prática sincera da tolerância.

Seu objetivo e ajudar ao homem a reforçar seu caráter, melhorar a sua visão moral e espiritual, procurando assim aumentar o seu horizonte mental.

Aos maçons, é exigido através dos seus “Landmarks” que proclamem os seguintes princípios:



  1. 1.       Amem a Deus, a sua pátria e a humanidade.

  2. 2.       Pratiquem a beneficência se modo discreto, e sem humilhar.

  3. 3.       Pratiquem a solidariedade maçônica nas causas justas, fortalecendo assim os laços maçônicos de fraternidade.

  4. 4.       Defendam os direitos e garantias individuais do homem.

  5. 5.       Considerem o trabalho digno e lícito como dever do homem.

  6. 6.       Exijam de seus membros boa reputação moral, cívica, social e familiar, pugnando pelo aperfeiçoamento dos costumes.

  7. 7.       Sejam tolerantes para com toda forma de manifestação de consciência, de religião ou de filosofia, cujos objetivos sejam os de conquistar a verdade, a moral, a paz e o bem social.

  8. 8.       Lutem pelo princípio da equidade, dando a cada um o que for justo, de acordo com sua capacidade, obras e méritos.

  9. 9.       Combatam o fanatismo, as paixões, o obscurantismo e os vícios

  10. 10.   Simbolicamente, o maçom se vê como uma pedra bruta, que trabalhando com suas ferramentas alegóricas e adequadas, procura converter-se em um cubo perfeito e polido, para assim poder encaixar-se justo e perfeito na estrutura do Templo do Grande Arquiteto do Universo.

 

Há três graus em Maçonaria. Outros corpos conferem graus adicionais, até o 33º no Rito Escocês, mas nas lojas normais ou simbólicas, tem-se os graus de Aprendiz, Companheiro e Mestre.

A maioria das lojas tem reuniões regulares e semanais e congregam-se em Potências Maçônicas, chamadas Grandes Orientes ou Grandes Lojas.

 

Muitas lendas envolvem a Maçonaria, mas muito poucos sabem o que ela representa na realidade, temos aqui algumas definições:



Nas palavras de Wilmshurst: “Maçonaria é um sistema sacramental que, como todo sacramento, tem um aspecto externo visível, consistente em seu cerimonial, doutrinas e símbolos, e outro aspecto interno, mental e espiritual, oculto sob as cerimônias, doutrinas e símbolos, e acessível só ao maçom que haja aprendido a usar sua imaginação espiritual e seja capaz de apreciar a realidade velada pelo símbolo externo.”

Nas palavras de Lincoln: “A mais sublime de todas as Instituições é a Maçonaria, porque prega e luta pela fraternidade, que cultiva com devotamento; porque pratica a tolerância; porque deseja a humanidade inteirada em uma só família, cujos seres estejam unidos pelo amor, dominados pelo desejo de contribuir para o bem do próximo. É uma honra, para mim, ser maçom.”

Nas palavras de Newton: "A Maçonaria não é uma obra de época; pertence a todas as épocas e, sem aderir a nenhuma religião, encontra grandes Verdades em todas elas. A Maçonaria ostenta a Verdade comum às religiões superiores que formam a Abóbora de todos os credos. Não se apoia senão em dois sustentáculos extremamente simples: o amor a Deus e o amor ao Homem, que leva a si a Divindade e caminha para Ela."

 

  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   21


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal