O caminho para o alcorãO



Baixar 208.18 Kb.
Página4/6
Encontro30.07.2016
Tamanho208.18 Kb.
1   2   3   4   5   6

Senhor nosso, não desvies os nossos corações, depois de nos teres iluminado, e agracia-nos com a Tua misericórdia, porque Tu é o Munificente por excelência." (al Imran 3: 8).

É obrigatório buscar a proteção de Allah quando você começa a ler o Alcorão, mas as palavras corânicas sugerem que esse deve ser um ato contínuo. Porém, a necessidade e a freqüência dessas palavras será maior quando você estiver tentando compreender o Alcorão.


Em nome de Allah

Em nome de Allah, o Clemente, Misericordioso.

Bismillah Ar-rahman Ar-rahim

A importância e significado disso também foram discutidos anteriormente. Este verso aparece no começo de todas as 114 suratas, exceto uma. Começar em Seu nome representa a sua gratidão a Ele por ter-lhe dado o Alcorão, e a sua dependência dEle por providenciar toda a ajuda possível.


Procurando as bênçãos do Alcorão

Há outra Du'a específica que você deve tentar aprender:



"Ó Senhor meu, aumenta-me em sabedoria!" (Taha 20:114)

Allah instruiu o Profeta (saas) a suplicar nessas palavras enquanto o advertia para ser paciente e imperturbável enquanto recebia o Alcorão: "E não apresse o Alcorão quando a sua revelação estiver sendo feita." Buscar ajuda no nome de Allah é especificamente benéfico quando alguém luta com o significado do Alcorão. Somente com paciência e com a ajuda de Allah o nó poderá ser desfeito, e o Alcorão poderá ser praticado.


Outra bela Du'a

Ó Senhor meu! Sou teu escravo, filho de tua escrava. Estou completamente sob Tua possessão, minha testa está em Tuas mãos, todos os Teus escritos são supremos em meus assuntos, Tuas decisões são justas e imparciais.

Peço-Te todos os nomes de que Te chamas, que chamas a Si mesmo, que ensinaste a toda a Tua criação, que revelaste em Teu Livro, que mantiveste em segredo contigo.

Faça do Alcorão a primavera do meu coração, a luz do meu peito, o dispersador das minhas tristezas, o apagador das minhas ansiedades e preocupações. (Ahmad)

A Du'a seguinte geralmente é dita quando alguém completa a leitura do Alcorão, mas seu conteúdo é tão compreensível que apelar a Deus com freqüência com estas palavras certamente trará grandes bênçãos:

Ó Senhor meu! Conceda a tua misericórdia sobre mim através do nobre Alcorão. Faça dele líder, luz, misericórdia. Deus! Lembre-me através dele o que tiver esquecido, e ensina-me através dele o que não sei. Permita-me lê-lo noite e dia. Faça dele um argumento em meu favor. Ó Senhor dos mundos.

Também busque o Seu perdão (istighfar) antes, durante e depois da leitura do Alcorão, não importam as palavras que use para fazê-lo. Você encontrará três expressões corânicas em al Imran (3:26), al Muminum (13:1-8) e al Imran (3:193).
Orações gerais

Ao lado dessas Du'a específicas, você pode apelar a Allah em suas próprias palavras e pedir-Lhe variadas qualidades e atitudes de que precisas para beneficiar-se do Alcorão:


Abra meus olhos; Deixe-me ver a verdade como verdade, e o erro como Erro; abençoa-me com a Tua luz para que eu possa conhecer o Teu caminho; ajuda-me em meu esforço, reforça meu desejo; conceda-me humildade à visão das Tuas palavras; conceda-me alegria ao receber a Tua misericórdia e orientação; orienta-me em todas as minhas ansiedades, em todas as minhas decisões, em todos os meus assuntos; dê-me resistência contra as tentações e força para realizar todos os deveres, remova minha preguiça e letargia; deixe as Tuas palavras alimentarem meu pensamento e minhas ações e satisfazer as minhas necessidades; faça com que elas tragam calma quando estiver impaciente, conforto quando estiver em apuros; ajuda-me a estudar e a entender, a saber e a aprender sobre Ti e sobre a Tua orientação; conceda-me perseverança; não permita que eu pare até obter sucesso; liberta-me dos meus preconceitos; conceda-me humildade; conceda-me força para aceitar, obedecer e viver o que tiver aprendido; permita-me cumprir a missão que o Alcorão confiou a mim.

Ler com compreensão

Por último, mas não menos importante, para compreender o que você estiver lendo no Alcorão, terá que envolver seu interior. Talvez este seja um dos caminhos mais importantes e mais efetivos para participar.

Enquanto é obrigatório para qualquer pessoa entender o que o Alcorão está dizendo antes que a sua mensagem penetre no coração, não é uma condição absoluta sem que haja interesse completo nas bênçãos do Alcorão. Há muitos que compreendem cada palavra dele, mesmo que seus corações permaneçam fechados para o Alcorão; há muitos que não compreendem uma palavra, mas conseguem intensos estados de devoção, um relacionamento com Allah, amor e desejo, proximidade e obediência. Isto acontece porque o relacionamento com o Alcorão depende de muitos fatores - listamos anteriormente sete pré-requisitos cuja compreensão é uma. Sempre haverá milhões que nunca aprenderão o árabe nem estarão aptos a ler a tradução, nem encontrarão tempo para essas atividades. Mas eles não devem se desesperar. Desde que tentem seu melhor para adquirir os meios de entender o Alcorão, desde que abordem as condições necessárias, desde que façam uma tentativa sincera de viver pelos ensinamentos do Alcorão, assim como tentam conhecê-lo através de outras fontes, desde que leiam o Alcorão mesmo não entendendo seu significado, podem esperar por sua porção de bênçãos.

Mas tudo isso não diminuirá de modo algum a imensa importância da compreensão do que o Alcorão tem para dizer a você. Aqui usamos “compreender” no sentido de “conhecer diretamente o que o discurso diz”. Os estágios superiores de ponderação, reflexão, alcançar o significado completo, e torná-lo relevante para as nossas preocupações é algo que faremos mais tarde.

Por que somente a compreensão do significado direto é necessária? Em primeiro lugar, concentrar-se no significado direto do Alcorão irá ajudá-lo grandemente a manter a sua atenção exclusivamente focada nele, a induzir vários estágios de consciência e a induzir a atos do coração e do corpo necessários para trazer seu interior a um penetrante encontro com o Alcorão. Em segundo lugar, somente pela compreensão você estará apto a deixar que as palavras comecem o processo através do qual irá adquirir e intensificar a fé, pelo qual poderá viver pela fé, pelos ensinamentos do Alcorão.


Capítulo 5: Estudo e Compreensão

Importância e necessidade

Você não pode obter todas as bênçãos e tesouros do Alcorão ao menos que seja completamente devotado à compreensão do seu significado, ao menos que você saiba o que o seu Criador está dizendo a você.

Isso não é para negar, como dissemos anteriormente, que mesmo aqueles que não podem entendê-lo podem compartilhar das suas bênçãos. Obviamente, uma maioria esmagadora dos muçulmanos não sabem árabe, e muitos não possuem nenhuma tradução no seu idioma. Mas se eles lerem o Alcorão com sincera devoção, reverência e amor, não falharão em receber algumas das suas riquezas. Afinal, estar na companhia daquele que você ama, mesmo não conhecendo a sua língua, certamente aprofunda a sua relação com ele. No entanto, imensas serão as bênçãos e mais forte será o relacionamento se você também entender o que ele está dizendo.

Por outro lado, a mera compreensão do significado pode não ser proveitosa. Muitos ouviram o Alcorão dos lábios do Profeta (saas) e entenderam cada palavra dele; contudo, se desviaram. Milhões de pessoas cujo idioma é o árabe entendem o Alcorão; no entanto, ele não tem impacto sobre suas vidas. Um grande número de especialistas, tanto muçulmanos quanto não muçulmanos, passam a vida toda estudando e lendo o Alcorão, e seu conhecimento dificilmente falha; mas eles permanecem impenetráveis ao seu toque.

Apesar disso, a necessidade urgente de devotar-se à compreensão do Alcorão permanece. O Alcorão veio como uma orientação, lembrança, admoestação e cura. Não é uma mera fonte de recompensas (thawab), um ritual sagrado, um sacramento, uma relíquia venerada ou uma mágica santa. Ele veio para te mudar radicalmente e te dar uma nova vida. Compreendê-lo não é garantia de encontrar essa nova vida, mas, sem isso, a tarefa de cumprir o verdadeiro objetivo do Alcorão e de convidar a humanidade à ele será extremamente difícil.


Estudo Pessoal

Por que devemos nos devotar ao entendimento do Alcorão e pensar, ponderar e refletir sobre o seu significado? Não é suficiente que o leiamos ou escutemos sua exposição por quem entende? Certamente não, mesmo que isso seja, também, essencial.

Você deve empenhar-se para absorver e descobrir o que o Alcorão tem para dizer por uma razão muito importante. O Alcorão não é simplesmente um livro de conhecimento, ou uma coleção de "sim" e "não". Ele não informa simplesmente sobre Deus e o que Ele quer de você. Ele também quer tomar conta de você e trazê-lo a uma nova vida e a um penetrante relacionamento com ele. Conseqüentemente, ele deve aumentar e reforçar a sua fé (Iman), o seu desejo (iradah) e a sua firmeza (sabr). Ele deve purificá-lo, modelar o seu caráter e a sua conduta. Ele deve inspirá-lo continuamente e elevá-lo a alturas cada vez maiores.


Tudo isso acontecerá somente se você começar um relacionamento pessoal de estudo, meditação e compreensão com o Alcorão. Sem ponderar sobre as suas mensagens, o seu coração, os seus pensamentos e a sua conduta não poderão responder a ele. Sem imergir no pensamento e na reflexão sobre ele, você não poderá absorvê-lo, nem impingi-lo na sua vida. Pense só: Por que nos foi ordenado ler o Alcorão com Tartil, mas nem sempre a ponderar e a compreender? Por que você deve fazer pausas enquanto lê o Alcorão, e como poderá dar respostas interiores, físicas e verbais apropriadas às quais o Alcorão dá ênfase, se você não entender o que estiver lendo?

Argumento contra o estudo

Porém, não é um perigo que uma pessoa que não foi orientada por um professor, nem equipada com todos os instrumentos de estudo, e que ainda embarca na formidável aventura da compreensão por si mesmo do Livro de Deus, possa errar, e até mesmo se desviar? Sim, é um perigo; especialmente quando você não conhecer suas próprias limitações e objetivos. Mas a perda será maior, tanto para você quanto para a Ummah, se não tentar entender um pouco. Enquanto os riscos envolvidos em seu estudo por si próprio podem ser revertidos ao tomar certas precauções apropriadas, e de ter a certeza de que não avançará além das suas limitações e alvos, as perdas incorridas em tal renúncia não podem ser calculadas.

Fazer uma tentativa de entender o significado do Alcorão sozinho, argumentam alguns, viola o que o Profeta (saas) estabeleceu claramente: Quem quer que interprete o Alcorão pela própria opinião tomará seu lugar no Inferno (Tirmidhi)? Mas esse Hadith, obviamente, fala somente daqueles estudos que empregam o Alcorão para basear e provar as opiniões pessoais de alguém e noções pré-concebidas, e não de abandonar a si mesmo, com uma mente aberta, à sua orientação. Ou das tentativas de interpretação daqueles que não têm o conhecimento necessário. De outro modo, como al-Ghazzali argumenta vigorosamente, o Profeta não teria exortado seus Companheiros a aplicarem-se na compreensão do Alcorão, nem eles o teriam feito, nem teriam dado significados que não ouviram dele, nem teriam discordado entre si por causa das suas interpretações.

Receosos das conseqüências, muitos líderes religiosos proibiram até mesmo a leitura de traduções do Alcorão sem a ajuda de um professor capacitado. Ou então, estabeleceram condições para o estudo sozinho que somente um punhado de pessoas, depois de um longo e trabalhoso aprendizado, podem cumprir. Esses pareceres, apesar das suas boas intenções, de fato acabam privando-o das grandes riquezas que o Alcorão tem para oferecer a todos aqueles que buscam. Enquanto seu medo é genuíno, sua proibição não possui lógica ou base.

Pense só: Eles podem proibir um árabe de entender o significado literal do Alcorão? Por quê, então, um não árabe não poderia ler uma tradução? Eles podem impedir alguém de tentar achar o significado do que estiver lendo e de buscar sua compreensão? Por quê, então, proibir a tentativa de estudar o Alcorão e de encontrar o seu significado? E os primeiros destinatários do Alcorão, tanto Kafir quanto muçulmanos? Eles eram mercadores iletrados e beduínos, sem instrumentos acadêmicos. Mas mesmo alguns Kafir se converteram apenas ouvindo o Alcorão, sem a ajuda de nenhum exegeta instruído, da primeira vez que ouviram.


É claro, eles tinham a única e suprema vantagem de "ver" o significado do Alcorão e da mensagem na vida do Profeta (saas) e dos seus Companheiros através de provas severas do Iman, Dawah e Jihad. Nós não podemos ter esse privilégio. Mas até mesmo isso não deve nos desencorajar. Não há razão para o Alcorão não abrir suas portas para nós uma vez que cumprimos as condições necessárias, e o mais importante, como foi destacado várias vezes, nós também vivemos uma vida de Iman, Dawah e Jihad com os Companheiros viveram.

A proteção contra o desvio certamente não se estende à proibição de toda tentativa de entender o Alcorão, exceto através da orientação de um especialista; a cura está na observância das orientações corretas.

Isto não é para negar a necessidade essencial de ter o conhecimento necessário da língua árabe e dos vários 'ulum al-Qur'an, da leitura do tafsir, de aprender com professores qualificados e dignos de confiança e de estar familiarizado com o conhecimento humano contemporâneo. Isto é importante, mas apenas no grau em que você deseja alcançar no seu estudo do Alcorão. Você deve ter os instrumentos necessários para o seu objetivo, mas não deve desistir de tentar entender o Alcorão porque não possui todos esses instrumentos, ou porque não tem acesso a um professor.

Imagine que você está numa "ilha": não sabe árabe, nem tem oportunidade de aprender; não tem recursos como um bom professor ou um bom comentário, nem como consegui-los. Sem dúvida, você iria, em tais circunstâncias, reconhecer a necessidade de adquirir as capacidades apropriadas para entender o Alcorão corretamente e fazer todos os esforços possíveis. Mas, mesmo assim, o Alcorão ainda é a orientação a você vinda de Allah.

Afortunadamente, nenhum de nós vive em tal "ilha". Tais "ilhas" existem apenas na nossa imaginação, principalmente devido à nossa letargia e preguiça, falta de atenção e de ação, ou a convicção de que a companhia do Alcorão e a sua compreensão são essenciais para o sustento do coração e da mente, como comida para o corpo. O que é importante lembrar é que se alguém vive ou não em uma "ilha" com apenas uma cópia do Alcorão em suas mãos, o significado literal dele pode ser compreendido de alguma forma, e que mesmo que alguém não seja mestre em todas as disciplinas corânicas, a necessidade de devotar-se à ponderação pessoal sobre o Alcorão permanece.

A ênfase corânica

O Alcorão é uma orientação para todas as pessoas, portanto é vital que o seu professor e mentor o compreenda; de outro modo ele não será nada além de um sacramento. A centralização crucial do esforço, esforço pessoal, para abrir corações e mentes à mensagem do Alcorão está clara no Alcorão. Somos confrontados com a loucura de manter nossos corações insensíveis ao entendimento do Alcorão:

"Não meditam, acaso, no Alcorão, ou é que seus corações são insensíveis?" (Mohammad 47:24).

Contudo, o convite para trazer razão e compreensão ao Alcorão estende-se a quase todas as suas páginas: Por que não ouves? Por que não vês? Por que não raciocinas? Por que não meditas? Por que não ponderas? Por que não compreendes? Por que não guardas em teu coração? A quem esses convites são endereçados senão a todo ser humano que possuem as faculdades de audição, visão e razão?

Também é enfaticamente declarado que o Alcorão foi enviado para ser entendido:



"(Eis) um Livro Bendito, que te revelamos, para que ponderem sobre os seus versículos e neles meditem os sensatos." (Sas 38:29).

Da mesma forma, o Alcorão louva os verdadeiros "servos do Misericordioso" (Ibadu 'r-Rahman) que:

"... quando lhes forem recordados os versículos do seu Senhor, não os ignoram, como se fossem surdos ou cegos..." (Al Furcan 25:73).

Inversamente, ele castiga pior do que aos animais aqueles que não usam seus ouvidos, olhos e corações para escutá-lo, vê-lo e entendê-lo:

"Temos criado para o Inferno numerosos gênios e humanos com corações com os quais não compreendem, olhos com os quais não vêem, e ouvidos com os quais não ouvem. São como as bestas, quiçá pior, porque estão desatentos (às admoestações)." (Al A'raf 7:179).

Você não poderá obter as verdadeiras bênçãos e tesouros do Alcorão, ao menos que conheça seu significado, ao menos que compreenda o que Allah lhe diz, ao menos que esforce-se pessoalmente para descobrir.
A prática inicial

O Hadith que desencoraja a leitura do Alcorão em menos de três dias também mostra a necessidade de uma compreensão clara: você não poderia, então, compreendê-lo. Aquele que não compreende os significados, ou que não reflete sobre eles, não têm necessidade dessa diretriz. Al-Ghazali, em seu Ihya', dá muitos exemplos de como os Companheiros e seus seguidores devotavam-se à sua tarefa.

Anas Ibn Malik disse certa vez: Freqüentemente recitam o Alcorão, mas o Alcorão os amaldiçoa porque não o compreendem. O sinal de fé, de acordo com Abdullah Ibn 'Umar, é entender o Alcorão: Certa vez vi um homem a quem foi dado o Alcorão antes que ele adquirisse fé; ele leu todas as páginas, de al Fátiha ao fim, sem saber seus comandos, suas ameaças, nem os lugares onde deveria fazer uma pausa, ele debandava como se estivesse fugindo apressadamente. Aisha ouviu certa vez um homem murmurando o Alcorão e disse: Ele nem lia o Alcorão, nem ficava em silêncio. Ali disse: Não há nada de bom no Alcorão se não houver ponderação. Abu Suleiman al-Darani disse: Recito um verso e permaneço com ele por quatro ou cinco noites, e não passo a outro até que tenha terminado minha meditação sobre ele.

Obviamente, se o Alcorão é um livro de orientação para todo homem, o "homem da ilha" também está autorizado a receber sua orientação, tanto quanto um homem imerso na erudição. Se não há professores nem livros, você ainda deve conhecê-lo claramente, devotar o seu tempo, individual e coletivamente, para compreendê-lo, para ponderar sobre ele, para encontrar seu significado para a sua vida e para descobrir o que ele tem para dizer a você.


Os riscos do estudo pessoal

Os riscos inerentes a essa aventura, contudo, devem ser claramente reconhecidos e as medidas apropriadas devem ser tomadas contra eles. A observância de algumas orientações deve garantir que você evitará esses riscos.

Primeiro, lembre-se de que compreender o Alcorão é um processo vasto e multi-dimensional, que inclui muitos tipos, aspectos, graus e estágios. Você deve conhecer todos eles. Entender para alimentar seu coração é bem diferente de entender para deduzir preceitos legais.

Segundo, avalie-se e reconheça de modo claro suas limitações e capacidades. Por exemplo, avalie sua compreensão da estrutura corânica de orientação, sua compreensão do árabe, sua familiaridade com o Hadith e a Sirah, e seu acesso às fontes.

Terceiro, entenda seus objetivos de modo preciso, e estabeleça objetivos específicos para o seu estudo. Nunca tente fazer nada além do que as suas limitações e capacidade permitirem.

Por exemplo, se você não conhece o idioma árabe, não pesquise assuntos de gramática e léxica. Limite-se as significados diretos, literais. Se você não tem conhecimento de coisas como tanzil (revelação), nasikh-mansukh (anulação), e os trabalhos dos primeiros juristas, não deve começar a deduzir seu próprio Fiqh do Alcorão, e criticar ou basear qualquer ponto-de-vista.

Quarto, nunca tome como conclusivo, nem comece a propagar, qualquer descoberta que seja diferente ou contra o consenso geral da Ummah. Isso não é para te impedir de sustentar seus pontos-de-vista nem para negar que a opinião dos eruditos possa estar errada, mas, para pô-los em dúvida ou ir contra eles, você deve ter um conhecimento equivalente, senão maior. Nem isso o absolve da responsabilidade de fazer o que vir no Alcorão como moralmente correto e de evitar o que descobrir ser moralmente errado.

Quinto, quando estiver em dúvida sobre as suas próprias conclusões, que freqüentemente aparecerão devido ao seu conhecimento limitado, mantenha seus pontos-de-vista "suspensos", ao menos que tenha feito um estudo comparativo completo, ou discutido com uma pessoa de confiança, um especialista versado no Alcorão.

Categorias da Compreensão

De modo geral, podemos dividir o estudo do Alcorão em duas categorias: Tadhakkur e Tadabbur, pelo verso corânico: "... para que ponderem (li yaddabbaru) sobre os seus versículos e nele meditem (li yatadhakkara) os sensatos." (Sad 38:29).


Tadhakkur

Tadhakkur. usado extensivamente no Alcorão, foi traduzido variavelmente como receber admoestação, deduzir conselhos, recordar, tomar cuidado e meditar. Isso pode, contudo, ser tomado como significado do processo pelo qual você tenta compreender as mensagens gerais e os ensinamentos transmitidos pelo Alcorão, descobrir o que eles significam e o que exigem de você, trazê-los ao coração, dar respostas correspondentes no coração, na mente e nas atitudes, ter o desejo de agir de acordo com o que descobrir e, finalmente, determinar qual mensagem você deve compartilhar com os seus irmãos.


Tadhakkur é uma categoria de compreensão que, em sua natureza essencial, não exige nenhum instrumento sofisticado de especialização. Talvez você não compreenda o significado de cada palavra, talvez não seja competente o suficiente para explorar o significado completo de todas as palavras importantes e das palavras chave, talvez não compreenda cada verso, mas a mensagem geral, de ponta a ponta, especialmente a mensagem sobre "como viver", deve ser clara e radiante.

Depois de tudo, as pessoas que entenderam o Alcorão que foram mais beneficiadas dele foram os primeiros ouvintes, que eram mercadores, farmacêuticos, pescadores, criadores de camelos e nômades. Eles não tinham dicionários à mão, nem livros de Tafsir, nem tratados sobre o estilo, clareza na dicção e retórica, ou todo o conhecimento de filosofia, história, geografia, arqueologia, antropologia ou das ciências sociais e físicas. Mas eles foram os que obtiveram maior sucesso na compreensão do Alcorão. Afinal, trouxeram a mensagem do Alcorão aos seus corações e começaram a vivenciá-la. Conseqüentemente, esta categoria, ou compreensão, é um dever, e está disponível a qualquer pessoa que possa cumprir as condições necessárias a esse respeito. O grau e intensidade do que ele for receber dependerá do seu esforço e capacidade. É claro, instrumentos de erudição podem acrescentar novas dimensões, um peso maior, dar novas visões a esse processo; mas eles não são uma necessidade.

É no sentido de Tadhakkur que o Alcorão estabelece categoricamente que ele é fácil de ser compreendido e está disponível a todo pesquisador sincero, se ele tão somente compreender o que estiver lendo e ponderar sobre isso. É para esse Tadhakkur que o Alcorão convida a todos os que podem ouvir, ver e raciocinar, a serem guiados por ele. É com esse sentido que ele diz:

"Em verdade, facilitamos o Alcorão, para a admoestação. Haverá, porventura, algum que receberá a admoestação? (al Câmar 54: 17).

"Em verdade, temos-te facilitado (o Alcorão) em tua língua, para que meditem (ya Tadhakkuran)" (ad Dukhan 44:58).

"E expomos aos homens. neste Alcorão, toda a espécie de exemplos, para que meditem (yatadhakkarun)." (az Zúmar 39:27).

"Em verdade, nisto há uma mensagem para aquele que tem coração, que escuta atentamente e é testemunha (da verdade)" (Caf 50:37).



Tadhakur não é uma categoria mais baixa de compreensão; é o propósito essencial básico do Alcorão. Você terá que se esforçar durante toda a sua vida para ganhar a luz, a orientação e a cura através do Tadhakkur e do seu progresso; você deve, pessoalmente, continuar a juntar um número ilimitado de pedras preciosas.

Tadabbur


Tadabbur é outra categoria de compreensão. Significa procurar o significado completo de cada palavra, Ayah e surata, explorar o significado completo das suas palavras, metáforas e parábolas, descobrir a coesão textual e a unidade subjacente, determinar as idéias centrais, pesquisar as dificuldades lexicais, o tanzil e o fundo histórico, e experimentar um estudo comparativo de diferentes tafsir. E descobrir todas as implicações para o relacionamento entre homem e Deus, seus irmãos, consigo mesmo, e o com mundo em sua volta; deduzir leis e morais para indivíduos e para a sociedade, regras para o Estado e a economia, princípios para a História e para a Filosofia, e implicações para o nível atual do conhecimento humano.

Tal estudo exige um grande e profundo conhecimento de vários 'ulum al-Qur'an (disciplinas corânicas), dependendo dos seus propósitos e intenções.

Tadabbur e Tadhakkur não estão inteiramente separados, nem são categorias exclusivas de compreensão: eles se complementam.

Suas intenções

Quais devem ser as suas intenções? Obviamente, as intenções vão variar de pessoa para pessoa, e mesmo para uma única pessoa ,de tempos em tempos. Tadhakkur, sob o meu ponto-de-vista, é obrigatório para todo muçulmano que é ou pode tornar-se capaz de entender o Alcorão.

Conseqüentemente, para um muçulmano medianamente educado, quem tenta cumprir suas obrigações com Allah sob a luz das suas capacidades e limitações, Tadhakkur deve ser seu primeiro e mais importante propósito. Você o para sempre; e nunca alcançará um estágio se o dispensar.

Em Tadhakkur, lembre-se, você basicamente começa a alimentar seu coração e a sua mente, a aumentar a sua fé, a descobrir a mensagem que o Alcorão está lhe dando, a guardá-la no coração e recordá-la. Através do seu trabalho estará apto a ouvir a voz de Deus: o que Ele quer que você seja e faça.

Graus e formas de compreensão

A sua compreensão do alcorão pode ter vários graus e pode tomar diferentes formas.

Primeiro: você compreende seu significado simples, literal, da mesma forma que lê um livro num idioma que conhece, ou como uma pessoa que conhece o árabe entenderia o Alcorão.

Tal compreensão deve ser a exigência mínima, a chave para todos os outros estágios, mas não é o suficiente.

Segundo: você descobre como os especialistas o compreenderam, tanto ouvindo suas exposições quanto lendo suas exegeses e outras fontes.

Terceiro: você estuda e pondera, sozinho, para descobrir e absorver o seu significado, para alcançar Tadhakkur e, se tiver capacidade e necessidade, chegar a Tadabbur.

Quarto: descobrir seus significados pela obediência às suas mensagens e pelo cumprimento dos deveres e missões que ele confia a você.


Exigências mínimas

Há algumas exigências mínimas que você deve cumprir para fazer com que o seu esforço dê frutos.
Árabe

Um: Tente aprender o árabe, e isso o habilitará a compreender o significado do Alcorão sem a ajuda de uma tradução. Este é o primeiro passo, o pré-requisito essencial.

Pode parecer uma tarefa árdua, mas conheço pessoas semi-iletradas executarem isso em poucos meses, uma vez que se dedicaram séria e devotamente. Com a ajuda de um professor, ou mesmo de um livro adequado, você não precisa de mais de 120 horas de estudo para aprender árabe o suficiente para compreender o que o Alcorão está dizendo.

Mas não adie seus esforços para estudar o Alcorão até aprender o árabe. Pegue uma boa tradução, ou a melhor que tiver, e comece a sua busca. Isso é ainda melhor do que ler o Alcorão sem compreensão alguma.


Ler todo o Alcorão

Dois: Leia, primeiro, todo o Alcorão, do começo ao fim, compreendendo o significado direto, literal. Se não souber árabe, use uma tradução.

Na verdade, você deveria fazer um projeto especial para completar a primeira leitura do Alcorão em um mês. Isso não deve tomar mais do que duas horas por dia. Depois disso, poderá ir num ritmo mais lento, que seja mais conveniente. Mas você deveria continuar com essa leitura geral por toda a sua vida, em qualquer ritmo que estiver, e quando souber as regras de leitura.

Uma leitura inicial de todo o Alcorão é muito importante antes de você começar um estudo profundo. Isso lhe mostrará a mensagem geral do Alcorão, lhe dará uma idéia do estilo, dicção, argumento e retórica, e uma visão dos seus ensinamentos e prescrições. Lendo-o regularmente, o Alcorão se tornará familiar; você sentirá a sua unidade coesa e começará a enxergá-lo como um todo unificado; correrá menos perigo de interpretar algo fora da estrutura geral do Alcorão. Aqueles que chegam ao Alcorão através de concordâncias, apesar da sua própria familiaridade com o seu conteúdo e contextos, estão completamente sujeitos a cair em erro ao interpretá-lo.

Ter a companhia regular do texto do Alcorão é uma chave essencial para a compreensão dele como um todo; será de imensa ajuda, também, na compreensão de cada palavra e Aiah separadamente. Através da companhia prolongada, você achará que, muitas vezes, estará lendo um texto quando, de repente, ele parecerá falar com você e responder as suas perguntas.

Na verdade, a qualquer momento, você pode fazer seu caminho através do Alcorão de várias formas, para alcançar diferentes objetivos. Pode passar a limpo uma leitura rápida, para concluí-la em um período de tempo definido. Ou poderá passar horas na fixação de uma única palavra ou de um único verso. Poderá ler uma passagem várias vezes, às vezes rapidamente, às vezes lentamente, e ponderar sobre seu significado. Ou poderá folheá-lo quando tiver se familiarizado com o Alcorão, para encontrar orientação sobre um tema ou assunto particular. Poderá raciocinar por si mesmo, o que tomará menos tempo; ou poderá fazer um estudo comparativo de pequenos e grandes trabalhos de tafsir, o que pode fazer com que você fique em um pequeno trecho por um longo tempo.
Ler trabalhos de Tafsir

Terceiro: Uma vez que você tiver completado uma leitura de todo o Alcorão com compreensão, e o estiver lendo regularmente no ritmo que achar possível, pegue um pequeno trabalho de tafsir ou notas de confiança e leia. Alguns bons comentários estão disponíveis em árabe, urdu e outros idiomas de países de maioria muçulmana, mas os comentários em inglês e línguas ocidentais são bastante deficientes a esse respeito. Contudo, o que estiver disponível poderá ser proveitoso, se lido cautelosamente.

Ler um pequeno comentário ou notas lhe dará uma visão mais detalhada do Alcorão do que você pode adquirir por si mesmo. Eles o introduzirão em áreas importantes como linguagem, estilo, argumento, fundo histórico, significados detalhados, algo que você não pode descobrir através do próprio raciocínio e reflexão. Eles também poderão corrigir alguns dos seus erros.

Tente limitar-se a pequenos comentários quando precisar de ajuda em seu estudo pessoal detalhado do Alcorão, e não pesquise, ao menos inicialmente, os longos e elaborados trabalhos exegéticos. Freqüentemente seus longos discursos se tornam uma barreira no seu relacionamento direto com a palavra de Deus. Leia parte do comentário, se o comentário todo não estiver disponível. E também, quando ler literatura islâmica, faça uma nota especial sobre tudo o que achar centrado no Alcorão nos discursos e conclusões. Mesmo largamente espalhados, você poderá achar ajudas muito úteis para a compreensão, nesses livros.

Lembre-se de que a nutrição do Iman e a mensagem essencial sobre como viver estão disponíveis a você sem exegeses detalhadas. A ajuda dos trabalhos de Tafsir será necessária apenas para remover alguma dúvida, investigar um determinado ponto ou desfazer um nó.

Estudo de trechos selecionados

Quatro: Idealmente, você deve começar um estudo do Alcorão do início e ir até o fim. Um dia, inshallah, você vai empreender essa aventura, mas para a maioria de nós esse dia está distante, ou talvez nunca chegue. No entanto, você deve começar seu próprio estudo o mais rápido que puder.

Com esse propósito, comece com seleções curtas, passagens, suratas e até mesmo um Aiah, e estude-os em detalhes. Às vezes seu envolvimento no aperfeiçoamento próprio e na Dawah o obrigue a estudar trechos particulares. Às vezes sua leitura regular cairá sobre certas passagens que você gostará de estudar. Mas talvez você siga um plano de ensino temático formulado sistematicamente. O importante é começar e saber como estudar, e não saber com o que começar. Algumas passagens sugeridas estão listadas no fim deste livro.

Começar a estudar passagens selecionadas o beneficiará de diversas formas. Em primeiro lugar, você começará a progredir em uma das mais importantes partes da sua jornada através do Alcorão, pelo estabelecimento do relacionamento essencial do Tadhakkur, em vez de esperar indefinidamente. Em segundo lugar, você conseguirá importantes indícios, chaves e metodologias que o auxiliarão no entendimento mesmo daqueles trechos do Alcorão que não estejam em posição de serem estudados em detalhes; pois isso repete a mensagem de diversas formas (az Zúmar 39: 23). Em terceiro lugar, você desenvolverá uma percepção completa da estrutura total do Alcorão, tão essencial para manter a sua compreensão no caminho certo. Em quarto lugar, você estará melhor equipado para comunicar a mensagem do Alcorão aos outros seres humanos.

Um estudo detalhado de trechos selecionados, contudo, nunca será um substituto para a leitura geral, e os benefícios disso são de outra importância e natureza. No entanto, não desista da sua leitura regular do Alcorão ou do estudo de longas partes, como foi destacado anteriormente. Prestar atenção no detalhe e ignorar o todo pode distorcer a sua visão e a sua compreensão.


Ler repetidas vezes

Cinco: Não importa o trecho que você escolheu para estudar, terá que lê-lo repetidas vezes. Tome isso como uma máxima a ser seguida. Fique com ele tanto quanto puder, viva com ele, habite nele e deixe que ele habite na sua mente e no seu coração. Essa companhia prolongada é a chave essencial para compreender o significado. Quanto mais as palavras corânicas permanecerem gravadas no seu coração e mais freqüentarem seus lábios, mais fácil e recompensador será contemplar e meditar nele. Então, não apenas durante o tempo que você estiver estudando, mas durante todos os dias da sua vida, o Alcorão descobrirá seus significados a você, e as palavras e Aiah permanecerão na sua mente.

Mente curiosa

Seis: Desenvolva uma mente curiosa, uma alma percrutadora, um coração faminto por significados. O Alcorão, como você já sabe, não exige uma fé cega, nem pede que você o leia com os olhos fechados, ouvidos tapados e mente bloqueada. O convite para raciocinar e um dos seus temas mais insistentes e espalhados.

Questionar, lembre-se, é a chave da compreensão e do conhecimento. Portanto, sempre faça todas as perguntas que precisar. Por exemplo: O que essa palavra ou verso significam literalmente? Que outros significados podem ser interpretados? Qual é o pano de fundo histórico, a ocasião ou a revelação? Qual é o contexto de cada palavra e frase? Como cada coisa se liga com o que a precede o com o que a sucede? Que ordem interna e unidade temática podem ser deduzidas? O que foi dito? Por quê foi dito? Quais são as implicações gerais e específicas? Quais são os temas principais? Qual é o tema central? Qual é a mensagem para mim, agora? Anote as suas perguntas e tente encontrar suas respostas conforme for lendo e estudando.

Não se assuste com o aumento das perguntas. Talvez você não encontre suas respostas imediatamente, sozinho, ou mesmo com a ajuda apropriada. Isso não importa. Qualquer resposta que encontrar será um ganho. Você não perderá nada se observar algumas regras. Primeiro, não faça perguntas cujas respostas estão além da competência humana, que pertencem à matashabihat (al Imran 3:7), como, por exemplo, como é o 'Arsh? Segundo, não faça perguntas minuciosas demais, nem perguntas que não tenham relevância para as implicações das passagens sobre a sua vida. Terceiro, não tente dar respostas que não estão baseadas em conhecimento apropriado, ou que soem racionais. Quarto, haverá perguntas que não terão respostas, que você não poderá entender, a despeito dos seus melhores esforços. Deixe-as por enquanto e passe para outras coisas do Alcorão. Um dia você encontrará um professor ou um livro para ajudá-lo. Ou talvez encontre as respostas sozinho.

Há evidências suficientes no Alcorão sobre como seus primeiros crentes costumavam fazer perguntas. Igualmente significantes e instrutivos são muitos exemplos onde o Profeta (saas) e seus Companheiros costumavam encorajar o questionamento, a curiosidade e o raciocínio.

Auxílios para estudo

Sete: Há alguns auxílios de que você precisará no seu estudo. Tente adquirir todos os que puder.

1. Tenha uma cópia do Alcorão com tradução no seu idioma. Isto é o mínimo que você deve ter. Você o usará tanto para a leitura geral quanto para o estudo. O mesmo pode ser usado para memorização, se for conveniente. Mas tome cuidado para que você tenha sempre a mesma cópia para memorização durante a sua vida, de outro modo, a revisão será difícil.

Lembre-se também de que nenhuma tradução pode ser perfeita ou acurada. Cada tradução contém um elemento de interpretação do tradutor. Não há, e não pode haver, uma tradução "autorizada" do Alcorão.

2. A mesma cópia deve conter um comentário curto, ou talvez você tenha de adquiri-lo separadamente. Mas você deve ter um. Uma tradução e um comentário de confiança são o suficiente para os seus objetivos iniciais e principais.

3. Pode ser útil, mas não necessário, ter mais de uma tradução e comentário para investigar significados variados de palavras e textos compreendidos por diferentes especialistas.

4. Para um estudo mais avançado, você deve ter ao menos um tafsir mais detalhado. Talvez você não o encontre em português; então tente adquirir qualquer parte de trabalhos de tafsir disponíveis.

5. Tenha um bom dicionário de árabe, preferivelmente um dicionário corânico, para habilitá-lo a buscar profundamente os significados das palavras.

6. Tenha uma concordância.

Alguns auxílios para estudo estão listados no fim deste livro.


Como estudar

Um procedimento passo-a-passo para estudo em detalhes de qualquer passagem escolhida é sugerido logo abaixo. No entanto, não há regras fixas nele.

Na verdade, você pode achar mais útil desenvolver um procedimento sozinho, que se adapte melhor às suas capacidades e limitações. O importante é que você proceda de maneira sistemática e que tente observar uma seqüência.

Primeiro, estude a passagem inteira sozinho. Em seguida, consulte seus auxílios de estudo ou procure a um professor qualificado para aprender o que puder sobre seus significados. Finalmente, combine o aprendizado das duas fases para obter uma compreensão completa.


Estágio I: Defina e conheça os seus problemas.

Passo1: Lembre-se rapidamente dos pré-requisitos básicos e da participação interior. Perceba que Allah está com você, e reze para que Ele possa ajudá-lo a entender o que for ler.

Passo 2: Leia a passagem, compreendendo seu significado, ao menos três vezes, ou quantas vezes for necessário para habilitá-lo a se recordar do seu conteúdo sem olhar para ela. Então, você a terá absorvido e estará pronto para raciocinar sobre ela quando quiser.

A regra é: deixe que as palavras e significados sejam absorvidos antes de começar a procurar pela interpretação.

Passo 3: Anote, sem ler o texto, os temas principais puder pode discernir. Então compare suas anotações com o texto e as revise.

Passo 4: Anote o tema central, se distinguir algum.

Passo 5: Divida a passagem em pequenas porções que você acha que transmitem uma única mensagem, ou um grupo de mensagens.

Passo 6: Grife todas as palavras e frases que acha que são centrais para compreender o seu significado.

Passo 7: Faça perguntas, conforme explicamos anteriormente, e anote-as.

Estágio II: Pense sobre o que leu: tente responder as perguntas e entender sozinho o significado e a mensagem da estrutura de orientações assinaladas na próxima seção.

Passo 8: Descubra o significado das palavras importantes.

Passo 9: Determine os significados de cada frase ou afirmação.

Passo 10: Pense em como elas se interligam, por quê uma precede a outra, que unidade e coesão existe ali.

Passo 11: Procure e entenda o significado do contexto imediato da passagem e o contexto geral da surata e do Alcorão.

Passo 12: Determine quais são as suas mensagens e ensinamentos.

Passo 13: Pergunte-se: O que isso significa para mim e para o meu tempo?

Passo 14: Pense em como você, a Ummah e a humanidade deveriam responder.


Estágio III: Tente encontrar significados em qualquer um dos auxílios de estudo e dos professores que você tiver, e refaça os passos do Estágio 2 (8-14), com a ajuda deles. Revise, corrija, modifique; aumente, afirme ou rejeite sua própria compreensão.

Estágio IV: Escreva ou preserve na sua mente e no seu coração a compreensão a que se chegou.

Faça notas de qualquer pergunta que permanecer. Não tome nenhuma compreensão como completa e final: você continuará a encontrar mais significados e a perceber a necessidade de revisão conforme continua seu estudo.

Como entender significados.

Os princípios e orientações que devem ser seguidos na compreensão do Alcorão são muitos, e exigem um longo tratado para discutir todos eles em detalhes suficientes. Aqui podemos apenas assinalar, de forma bastante resumida, os mais importantes deles, que você deve sempre ter em mente enquanto tenta compreender significados.

Princípios Gerais

Compreenda como uma realidade viva

Um: Veja cada palavra do Alcorão como se tivesse sido revelada hoje. Tome-o como um Livro vivo e relevante tanto para os tempos modernos quanto para quatorze séculos atrás. Pois ele é eternamente válido e imutável, no sentido de que ele não pode dar uma mensagem diferente agora. Portanto, não tome nenhum verso do Alcorão como uma simples coisa do passado. Só então você o verá como a palavra "viva" do Deus Eterno, que sustenta toda a criação o tempo todo (al-Hayy al-Qayyum).

Como você viu, é essencial para o seu coração participar da sua leitura. Sua mente e intelecto também devem aproximar o Alcorão da sua realidade e a orientá-la o tempo todo. Suas implicações são enormes. Isso o habilitará a traduzir tudo no Alcorão, se puder entender seu mundo sob sua luz.

Sob essa luz, então, tente relacioná-lo e aplicá-lo à sua própria vida. As preocupações, assuntos, experiências e graus de conhecimento e tecnologia predominantes na sua época devem encontrar uma resposta no Alcorão.


Compreenda como uma mensagem para você

Dois: Tenha cada mensagem do Alcorão como endereçada a você, à sua comunidade. Uma vez que você fizer algum progresso, deve tentar entender que lição cada texto corânico está dando á sua situação pessoal. Você viu anteriormente como isso pode ser feito para aumentar sua participação interior. Agora, você deve perceber como isso abrirá a sua mente para a compreensão do Alcorão.

Um homem veio para aprender o Alcorão do Profeta (saas), que ensinou a surata al Zálzala (99). Quando ele chegou nas palavras "Quem tiver feito o bem, quer seja do peso de um átomo, vê-lo-á. E quem tiver feito o mal, quer seja do peso de um átomo, vê-lo-á", o homem disse: "Isso é o suficiente para mim", e saiu. O Profeta (saas) observou: "Esse homem foi embora como um faqih (aquele que adquire entendimento) (Abu Daud).

Na verdade, creio que não há uma única passagem do Alcorão que não tenha uma mensagem pessoal a você, que deve ter apenas o discernimento para perceber isso. Todos os atributos de Deus pedem a construção de um relacionamento correspondente com Ele. Toda descrição da vida após a morte exige que você se prepare para ela, que aspire suas recompensas, ou que busque proteção contra os seus males, todo diálogo nele e todo caráter apresentam um modelo que você deve imitar ou evitar, e ser seguido mesmo se for aparentemente inaplicável na sua situação presente, pois ele tem uma mensagem para você. Muitas afirmações gerais têm um significado especial; muitas afirmações específicas, eventos e situações podem sempre levar à proposições gerais para serem aplicadas à sua vida.

Compreenda como parte de um todo

Três: todo o Alcorão é uma unidade em si mesmo. É uma revelação única. Sua mensagem, transmitida de diversas formas, é uma mensagem. Tem uma única visão do mundo, uma única estrutura total e orientação. Portanto, todas as partes são completamente compatíveis entre si. Este é um sinal da sua autoria divina.

1   2   3   4   5   6


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal