O caminho para o alcorãO



Baixar 208.18 Kb.
Página5/6
Encontro30.07.2016
Tamanho208.18 Kb.
1   2   3   4   5   6

"Não meditam, acaso, no Alcorão? Se fosse de outra origem que não de Allah, haveria neles muitas disparidades" (an Nissá 4:82).

Você deve tentar entender por inteiro essa mensagem e estrutura únicas. Tudo, então, deve ser compreendido como parte dessa mensagem, ou todo o Alcorão como um Livro único , seja uma única palavra, um Aiah, um parágrafo ou uma surata. Nunca separe nada da estrutura corânica total, de outro modo você poderá distorcer significados. Verifique todos os significados a que chegar colocando-os no contexto geral.

Enquanto estiver estudando passagens selecionadas, você terá de analisá-las, dissecá-las e entender cada frase, e até mesmo cada palavra, separadamente. Mas não se esqueça de juntá-las novamente para dar uma figura única, e então ponha essa figura única dentro da mensagem geral do Alcorão. Sem isso, seu estudo seletivo poderá levá-lo a direções opostas. Sem isso, você poderá cair no erro de usar versos selecionados para basear seus pontos de vista, a despeito de ser orientado pela visão corânica.

Você também pode incluir todo o Alcorão no seu estudo a fim de tentar encontrar significados que se aplicam à sua época e aos seus problemas. De outra forma, cometerá o grave engano de sujeitar o Alcorão ao pensamento contemporâneo, em vez de avaliá-lo criticamente à luz do Alcorão.

Não é aconselhável, em vista do que foi dito acima, fazer um estudo do Alcorão através de uma concordância. Na verdade, ao menos que você tenha lido o Alcorão muitas vezes e tenha entendido completamente sua estrutura geral, não estude nenhum assunto coletando versos através de uma concordância. Use-o apenas quando estiver procurando pelas referências de que precisa para basear o seu estudo.


Compreenda-o como um texto unificado coerente

Quatro: O Alcorão possui coerência e ordem no mais alto grau, a despeito da aparente confusão que você observar. Cada parte relaciona-se á outra, Aiah com Aiah, surata com surata. Por trás das aparentes flutuações dos temas há uma linha de ligação. É por isso que o Profeta (saas) costumava instruir os escribas sobre onde colocar cada revelação em particular.

Você deve tentar encontrar essa ordem coesiva interna, mesmo os pensamentos que poderá não discernir na primeira tentativa, e talvez isso leve um bom tempo para se. Cada parte mostrará seu significado completo quando for entendida dentro do contexto nessa ordem.

Compreenda com todo o seu ser

Cinco: Compreenda aplicando-se por inteiro ao seu estudo do Alcorão. Coração e mente, sentimento e intelecto estão fundidos em você. O Alcorão não é um pacote para ser desembrulhado intelectualmente, nem uma mera beatitude a ser estaticamente experimentada. Não se aproxime do Alcorão como uma pessoa pela metade; não deixe o intelecto nem os sentimentos por trás de você quando for estudá-lo; deixe que ambos participem.
Compreenda o que o Alcorão lhe diz

Seis: Compreenda o que o Alcorão lhe diz, não o que você diz ao Alcorão. Nunca leia o Alcorão para buscar apoio para a sua opinião, para confirmar seu ponto-de-vista, ou para provar a sua causa. Você deve se aproximar dele com uma mente aberta, pronto para escutar a voz de Deus e para render-se à ela.


Fique com o consenso

Sete: Você não é o primeiro a estudar e a compreender o Alcorão. Antes de você houve uma corrente contínua de pessoas que levaram essa tarefa a cabo, e que deixaram uma rica herança. Você não pode ignorá-los. Portanto, não deve se aproximar do Alcorão como se ninguém tivesse feito isso antes, nem seguir um caminho contrário às interpretações do passado. Nenhum significado encontrado pode ser válido se contradisser o que o Profeta (saas) expôs ou praticou, ou sobre o qual há um consenso na Ummah. Conclusões novas ou radicalmente diferentes da rica herança transmitida de geração a geração, devem se basear numa sabedoria idônea.
Compreenda através do critério corânico único

Oito: O Alcorão é nominalmente um livro diferente; é único em todos os sentidos. Tem sua própria linguagem e dicção, estilo e retórica, lógica e argumentação e, acima de tudo, um caminho e objetivo únicos. Quem tentar compreendê-lo por fontes não-corânicas, critérios e padrões não terá proveito algum.

Seu único objetivo é orientar o homem, todos os homens, ao seu Criador, para mudá-lo radicalmente trazendo-lhe para um relacionamento totalmente novo com o seu Deus. Tudo é direcionado, instruído e formado para esse propósito. Isso tem algumas implicações importantes.

Primeiro, ainda que o oceano de significados não tenha profundidade, os significados que são suficientes para orientar um buscador médio atrás da verdade sobre como viver sua vida são simples e inteligíveis, em certo grau, quando ele se aproximar dele com um espírito verdadeiro e no caminho certo.

Segundo, sua linguagem é tal que um homem comum pode entendê-lo. O Alcorão usa palavras tomadas da conversação comum, usadas no dia-a-dia. Não inventa termos ininteligíveis, nem usa a linguagem técnica e acadêmica da filosofia, da ciência, da lógica ou de qualquer outra disciplina. No entanto, dá significados radicalmente novos a palavras antigas, do dia-a-dia.

Terceiro, ele não é um livro de história nem de ciências, filosofia ou lógica, mas usa tudo isso para orientar o homem. Conseqüentemente, não tente fazer com que o Alcorão confirme qualquer conhecimento contemporâneo, nem pense que esse conhecimento é essencial para entendê-lo. Mesmo que alguém possa sempre obter a ajuda dele para aumentar a sua compreensão.

Quarto, o método corânico de argumentação é baseado na experiência cotidiana do homem na natureza, na história, e com ele mesmo. É único na confrontação do seu ouvinte com seu próprio mundo que ele reconhece, com suas próprias promessas que ele aceita. É assim que o Alcorão captura seu coração e mente, e os modifica.

Entenda o Alcorão pelo Alcorão

Nove: O melhor tafsir do Alcorão é o próprio Alcorão. Ele aparentemente repete muitas das suas palavras e discursos. Mas, de fato, ele não é inutilmente repetitivo; a repetição de uma palavra ou discurso em particular, geralmente acende uma nova luz sobre seu significado, ou foca um novo aspecto. Você deve tentar compreender esse significado.

Então, para entender o significado de qualquer palavra, Aiah ou passagem, olhe para dentro do Alcorão. Por exemplo, você pode entender melhor palavras chaves como rabb, ilah, din, 'ibadah, kufr, Iman e dhikr, através do estudo delas em vários contextos em que o Alcorão as utiliza.


Compreenda com o Hadith e a Sirah

Dez: Um dos principais deveres do profeta (saas) era explicar o Alcorão. Ele fez isso através de palavras e exemplos. Conseqüentemente, todo o corpo do Hadith e Sirah formam uma rica fonte de compreensão do Alcorão. Não somente o Hadith que contém material tafsir em particular, mas todo Hadith é útil. Por exemplo, o Hadith sobre temas como Iman, Jihad e taubah o ajudarão grandemente na compreensão dos versos corânicos que contêm temas similares.

Linguagem

Onze: A linguagem é a sua primeira chave para o Alcorão. Juntamente com a vida do Profeta (saas), ela é crucial para o seu entendimento. Através da linguagem, o Alcorão torna-se claro, vivo e compreensível. Você deve ficar atento a algumas características do árabe usadas no Alcorão.

Primeiro, o estilo corânico é o da palavra falada, não escrita. Um discurso pode deixar certas coisas não ditas, que os ouvintes diretos não devem achar dificuldade em completar. Isso aumenta sua efetividade e poder para os ouvintes, que interagem continuamente com o orador, com a sua palavra e o seu meio. Muitos detalhes tornam um texto enfadonho. Há repentinas mudanças de tensão. Eles, também, acrescentam um vivo impacto ao texto. Você deve ficar alerta a essas mudanças e determinar a quem elas se dirigem. Também há paradas repentinas; você deve identifica-las.

Segundo, não apenas isso, mas a língua árabe em sua expressão é altamente concisa e elíptica. Freqüentemente não se usam palavras e frases conectadas. Conseqüentemente há ambigüidades, omissões, supressões, substituições e outras características semelhantes, com as quais você deve ter cuidado. Talvez você aprenda isso apenas com trabalhos de tafsir ou com professores.

Terceiro, significados literais diretos de palavras e textos, isoladamente, não são o suficiente para entendê-los ou para entender o texto por inteiro. Você terá que adquirir algum entendimento e sentir o ponto-de-vista geral, o estilo literário e o idioma do Alcorão. Familiaridade com a literatura árabe como ela era no tempo da revelação será de imensa ajuda, mesmo que isso, inicialmente, esteja além do alcance de um iniciante.


Orientações Metodológicas

Dentro da estrutura do princípios gerais acima, algumas orientações metodológicas podem ser úteis.

Estudando palavras

Um: Primeiro, tente determinar os significados daquelas palavras que você acha que são cruciais no entendimento do texto. Seus guias iniciais serão a tradução e o pequeno comentário que você tem. Consulte o dicionário, mas não considere o dicionário uma versão adequada. Seu melhor guia final é o contexto imediato da palavra, assim como todo o Alcorão e sua visão geral.

Contexto


Dois: Uma vez que você entender as palavras e o significado direto, literal, localize a passagem no seu contexto e tente entender o que isso significa. Leia os textos precedentes, os posteriores, e todo o Alcorão, se necessário.

Pano de fundo histórico

Três: Junte toda informação histórica que puder, se for necessária e relevante. Mas certifique-se da sua autenticidade.

Nessa conexão, você chegará aos Ahadith que dão razões para a revelação (asbab al-nuzul). Eles poderão dar informações valiosas, mas tenha duas coisas em mente: primeiro, essas narrativas podem não dizer exatamente a ocasião histórica em que a revelação veio, mas a situação à qual eles foram considerados relevantes e aplicáveis. Segundo, a evidência textual sobre a ocasião da revelação é mais importante; isso não deveria ser posto de lado ao aceitar informação histórica. Terceiro, informação histórica não poderá agir como um refreamento à aplicação do texto à sua situação.


Significado "original".

Quatro: Depois de entender o significado direto, literal, tente entender, da melhor maneira que puder, como o texto foi compreendido por seus primeiros ouvintes. Encontrar o significado literal talvez seja uma tarefa mais simples; encontrar o significado "original", quatorze séculos depois, em um diferente contexto civilizatório, será uma tarefa mais complexa. Aqui não é lugar para discutir essas dificuldades, isto é apenas para preveni-lo.

Traduzindo para a sua situação

Cinco: Sua próxima tarefa deve ser ler e entender o texto em seu próprio contexto. Isso também é tão formidável quanto determinar seu significado original, especialmente se você não quer cair na armadilha de ver a sua opinião no Alcorão. Novamente, não é possível aqui discutir os problemas complexos de interpretação a esse respeito, nem rejeitá-los. mas essa é uma tarefa que você não pode ignorar ou evitar. Se você ficar atento a um princípio elementar e ir ao Alcorão com uma mente aberta, e nunca fazê-lo dizer que o que você pensa está certo, você poderá evitar essa armadilha. E também concentre-se na mensagem essencial para a sua vida, antes de concentrar-se em assuntos legais e morais.

É possível, às vezes até mesmo necessário, empregar a terminologia contemporânea para elucidar e enfocar a real intenção e importância do Alcorão para a sua situação, mas apenas enquanto o significado direto, original, for mantido, e a terminologia original não se perder.


Significados irrelevantes e longínquos

Seis: Não se preocupe em descobrir significados longínquos, alegóricos, interiores que nenhuma pessoa comum poderá jamais entender. Nem procure por significados que não possuem relevância para a sua vida ou para a vida dos primeiros crentes.

Nível de conhecimento e de inteligência

Sete: Compreenda os significados do nível de inteligência e de conhecimento que você possui. Contudo, não perca de vista o nível de conhecimento que os seus primeiros destinatários tinham. Portanto, não se desvie e comece a obter seu próprio conhecimento do Alcorão.

Conhecimento humano atual

Oito: Não há escape para o fato de que cada pessoa empregará seu próprio conhecimento para entender o Alcorão. De fato, você deve ter esse conhecimento para evoluí-lo criticamente pelo critério corânico, buscar orientação dele nos assuntos que ele levanta, e entender o Alcorão no idioma corrente. Novamente, sob todos os aspectos, use seu conhecimento para entender o Alcorão, mas nunca use o Alcorão para confirmar o conhecimento atual. Não faça do Alcorão profetizar todas as descobertas científicas atuais. Em especial, tenha cuidado com as teorias científicas, que são como areia inconstante. É tão errado ver Eistein, Copérnico, Nietzche ou Bergson no Alcorão, quanto como ver Ptolomeu, Aristóteles e Platão.

O que você não pode entender

Nove: Haverá muitas palavras e frases que você não estará apto a entender, depois de muitos esforços. Talvez porque você não possui conhecimento suficiente, ou porque é muito difícil. Nesses casos, anote suas dificuldades e então passe a outros estudos. Não passe a sua vida lutando com coisas que poderão, de certo modo, estar longe da sua competência.

Vida do Profeta

Para entender e absorver o Alcorão, você deve se aproximar mais do profeta (saas), que primeiro o recebeu de Allah. Sua vida é a melhor "exegese" do Alcorão, o guia mais correto do seu significado e da sua mensagem. É o Alcorão "vivo". Se você quiser ver o Alcorão, e não apenas lê-lo, veja o profeta (saas). Como disse Sayyidah Aisha, "Sua conduta não era nada mais além do Alcorão". Você achará sua Sirah mais útil na compreensão do Alcorão do que os grandes trabalhos de exegética como Ibn Jarir, Ibn Khatir, Kashshaf e Razi.

Para se aproximar do Profeta, você deve, primeiro, ler os seus ditos, o Hadith, e a sua vida, a Sirah, tanto quanto puder. Você também verá que o Alcorão contém a melhor parte da sua Sirah, mesmo que não haja detalhes biográficos. E, segundo, tente seguir sua Sunnah. Ao fazê-lo, você irá entendê-lo de verdade e, portanto, o alcorão. Você também amará Allah e Ele o amará (al Imran 3:31).




Capítulo 6: Estudo coletivo

Importância e necessidade

Sua jornada através do Alcorão exige que você busque e participe de uma comunidade de pesquisa e estudo. Sem dúvidas você lerá o Alcorão individualmente, mas seus benefícios se multiplicarão se você se associar a uma irmandade com outros crentes e seguidores do Alcorão. Em companhia, o estado do coração pode se intensificar, e muitas mentes juntas podem entender os significados melhor e mais corretamente. E, somente associando-se aos outros você pode viver por inteiro a vida inspirada pelo Alcorão e cumprir a missão que a leitura dele impõe sobre você. Agindo e cumprindo essa missão, você receberá as mais completas bênçãos possíveis do Alcorão.

Significativamente, o discurso corânico é quase sempre coletivo. E o Profeta (saas), desde o momento em que recebeu a revelação do Alcorão, planejou criar uma comunidade com o Alcorão como centro da vida, e passou cada momento da sua vida esforçando-se para isso. A instrução para "ler" foi seguida pelo comando de "levantar-se e admoestar". A instrução para continuar a "ler o que lhe foi revelado no Livro do teu Senhor" foi seguida, contextualmente, pela instrução de "sê paciente, juntamente com aqueles que pela manhã e à noite invocam o seu Senhor, anelando contemplar o Seu Rosto. Não deixes teus que olhos passem além deles..." (al Cahf 18:28). Esses ensinamentos corânicos estabelecem clara e vigorosamente a ligação entre a leitura e a necessidade de uma comunidade forte, estreitamente enraizada nessa leitura.

Novamente, nenhuma oração pode ser completa sem a leitura do Alcorão, nem, e isso é obrigatório e não tem desculpa genuína, sem a irmandade com os outros (Jama'ah). Qual é o objetivo de se ler o Alcorão na oração senão ouvi-lo, entendê-lo e ponderar sobre ele? Deste modo, cinco vezes por dia esse objetivo deve ser cumprido num esforço coletivo.

O dever de comunicar a mensagem do Alcorão para toda a humanidade também incorre que o Alcorão deve ser lido e explicado em corporação. A palavra Tilawah, quando usada com a preposição árabe 'ala, significa comunicar, propagar, difundir e ensinar. Fazer a Tilawah deste modo é uma das funções básicas do ministério e, portanto, da sua Ummah (al Bácara 2: 129, 151). Na surata al Jumu'a (62), falhar em compreender e viver pela orientação divina encaixa-se no contexto de falhar em ficar para a Oração de Sexta-Feira, para a qual todas as atividades mundanas devem ser interrompidas.

O Alcorão também sugere a leitura do Alcorão em família e em casa no verso seguinte: "E lembrai-vos do que é recitado em vosso lar, dos versículos de Allah e da sabedoria, porque Allah é Onisciente, Sutilíssimo" (al Ahzab 33:34).

Aqueles que se reúnem para ler e estudar o Alcorão são abençoados porque os anjos descem sobre eles com abundante misericórdia de Deus, como o Profeta (saas) disse:

Quando as pessoas se reúnem em uma das casas de Allah para ler o Alcorão e ensiná-lo a outra pessoa, a paz desce sobre eles, a misericórdia os cobre, os anjos estendem suas asas sobre eles, e Allah os menciona aos que estão à Sua volta (Muslim).

Portanto, você não deve se contentar em ler e estudar o Alcorão sozinho, mas deve procurar outros crentes e convidá-los para fazê-lo juntos.

Formas de estudo coletivo

O estudo coletivo toma duas formas.

Um: Onde um pequeno grupo se reúne para estudar e deliberar sobre o Alcorão, em que cada participante toma parte ativa no processo, ainda que alguns deles tenham mais conhecimento do que outros e que alguém lidere o estudo. Chamamos isso Halaqah, ou Estudo em Círculo.

Dois: Onde um grupo, pequeno ou grande, se reúne para estudar o Alcorão ouvindo ativamente uma exposição dada por alguém que possui bastante conhecimento. Os participantes só fazem perguntas. Chamamos a isso Dars, lição ou leitura.

Você deverá saber como um Estudo em Círculo deve ser conduzido e como preparar e fazer um Dars. Aqui discutimos apenas as orientações gerais. É importante lembrar que não há procedimento padrão. Cada pessoa ou grupo terá que desenvolver seu próprio método, e cada situação terá que ser tratada de modo diferente. As orientações dadas acima são apenas sugestões que poderão ser adaptadas às suas necessidades e capacidades.


Quatro regras básicas

Quatro regras são básicas para o sucesso de qualquer estudo coletivo.

Um: Você deve sempre fazer todas os preparativos necessários para cumprir com a sua responsabilidade. Não tome a sua tarefa de modo leviano, não adie sua preparação até a décima primeira hora, não considere uma rápida espiada o suficiente, nunca diga nada sobre o Alcorão sem tomar em total consideração. É sempre melhor tomar nota do que você estudou e do que quer dizer.

Dois: Se você é um novato ou já possui algum conhecimento, se tem que fazer Dars ou participar de uma discussão em círculo, empreenda um estudo da parte selecionada sozinho e destaque sua visão geral, como no procedimento descrito acima.

Três: Sempre tenha sua niyyah correta, ou seja, entenda e viva o Alcorão para buscar a satisfação de Allah.

Quatro: Não estude em grupo meramente por satisfação, curiosidade intelectual ou para argumentar e discutir. Seu estudo do Alcorão em grupo deve resultar na obediência ao Alcorão em grupo e no cumprimento da missão que ele confiou a vocês.

Estudo em Círculo

As orientações seguintes irão ajudá-lo na efetividade do seu estudo em grupo.

Participantes

Um: O número de participantes deve ser entre 3 e 10; sem grandes divergências de conhecimento e inteligência. menos do que isso não resultará em diálogo e mais do que isso impedirá a participação de todos.

Dois: Deve-se destacar sempre a mensagem, o contexto e quais orientações e lições são esboçadas. Nunca se perca em pequenos pontos que não têm relevância para a vida real.

Três: todos os membros devem estar totalmente atentos aos seus alvos, limitações e procedimentos.
Quatro: Todos os membros devem ter a confiança necessária para essa tarefa, e perceberem que tempo, atenção e trabalho duro serão necessários. É especialmente importante que a preparação regular e a atenção sejam observadas.

Cinco: Todos os membros devem saber como encontrar seu caminho através do Alcorão. Um estudo deste livro poderá ser útil.

Seis: Os membros do grupo não devem se reunir como estranhos, mas como irmãos de fé no Alcorão, confiáveis para entendê-lo e obedecê-lo.

Como conduzir um estudo em círculo

Um: Um membro deve, primeiramente, fazer uma apresentação dos resultados do seu estudo.

Dois: O resto deve se unir para elaborar, corrigir, modificar, fazer perguntas e providenciar respostas.

Três: Se for necessário que todos os membros estudem, então você deve designar previamente quem fará a apresentação; isso resultará em um padrão melhor de apresentação. Ou então, peça a qualquer um dos presentes que faça a apresentação; isso manterá todos alerta e trabalhando duro.

Quatro: Será sempre útil se ao menos um membro do círculo tiver mais conhecimento e acesso às fontes. Ele poderia, então, durante a discussão, superar qualquer deficiência ou falha na apresentação original. Ele também pode dar palpites sobre o tom e direção da discussão.

Cinco: Se um membro estudou o Alcorão, ele não deverá intervir no começo. Mas deve deixar os participantes dizerem o que quiserem, e só então gentilmente corrigi-los se estiverem errados, ou acrescentar mais conhecimento. Esse método deve ser sugestivo e interrogativo, e não discursivo.

Seis: No fim, um membro, preferivelmente o líder ou professor, deverá resumir a mensagem geral da passagem, seus temas principais e sua chamada à ação.


Dars (estudo)

As orientações seguintes poderão ajudá-lo na efetivação do Dars.


Preparação

Um: Tenha uma idéia justa sobre a audiência: como seu nível de conhecimento e inteligência, seu estado de Iman, suas preocupações, necessidades e exigências.

Dois: Selecione a passagem que estiver mais próxima do estado da sua audiência, e não aquela que você está ávido por expor.

Três: A natureza e nível do seu estilo, linguagem e exposição devem corresponder à natureza da sua audiência.
Quatro: Reze a Allah para ajudá-lo a trazer a verdadeira mensagem do Alcorão para os seus ouvintes.

Cinco: Estude a passagem e faça notas: O que você quer dizer? Em que ordem? De que forma? Como você vai começar? Como vai terminar?

Seis: Dê o devido respeito ao tempo à sua disposição. Nunca extrapole o seu tempo. Você pode ter um monte de bons apontamentos e estar bastante ansioso para dizê-los. Mas lembre-se de que os seus ouvintes têm uma capacidade muito limitada para retê-los. Eles podem admirar o seu aprendizado e erudição, mas não aprenderão muito com isso.

Passagens longas podem ser tratadas em um curto espaço de tempo, e passagens curtas podem estender-se por um longo tempo. Isso tudo depende do que você acha relevante para comunicar sobre a passagem em estudo.

Sete: Dê total atenção à mensagem ou às mensagens claras, fora de tudo o que você disse, que gostaria que os ouvintes retecem e refletissem.

Isso deve estar de acordo com a idéia central da passagem, não com os seus próprios desejos.


Como falar

Um: Você deve ter somente dois alvos:

Primeiro, buscar a satisfação de Allah fazendo outros ouvirem as Suas palavras.

Segundo, comunicar a mensagem do Alcorão clara e efetivamente.

Dois: Lembre-se de que está nas mãos de Allah fazer com que a sua comunicação seja efetiva em alcançar os corações e mentes dos seus ouvintes.

Mas isso não o absolve da sua responsabilidade de preparar-se o melhor que puder, de falar o mais eficazmente que puder, de trazer a mensagem do Alcorão de modo que a torne viva e dinâmica para eles, torná-la relevante para as suas preocupações, e conectá-la com a situação deles.

Sua locução pode não ser de um alto nível oratório e retórico. Ele pode ser bastante comum, mas é a sua niyyah e o seu esforço que contam.

Três: Você deve ler primeiro todo o texto e traduzi-lo, e então começar a exposição, com ou sem a repetição de cada verso e da sua tradução. Ou então, você pode fazer uma breve introdução e começar a tomar um verso após o outro, ou um grupo de versos. O procedimento que você tomar dependerá do tempo à sua disposição e da situação.

Lembre-se de que não é essencial ler toda a passagem e a sua tradução no começo, especialmente se o tempo for curto. Você pode tomar melhor o seu tempo ao preparar os seus ouvintes para o que eles irão ouvir.

Quatro: No que diz respeito aos versos individuais ou em grupo, você pode fazer uma mistura de várias aproximações. Se o verso for claro e pequeno, poderá lê-lo primeiro e então elaborá-lo. Talvez você volte para o tema antes e depois da sua exposição.

O que você deve se certificar é de que os ouvintes tenham um senso de unidade coesiva, e que cada ponto flua do precedente e leve ao próximo.

Cinco: No fim, você deve resumir o conteúdo, e destacar a mensagem. Você também poderá, se tiver tempo, até mesmo reler todo o texto, ou apenas a tradução. Ler o texto ou a tradução no fim serve para trazer os ouvintes em contato direto com o Alcorão depois de ser compreendido sob a luz da sua exposição.

Seis: Sempre esteja atento ao fato de que é o Alcorão que deve falar, e não você. O Alcorão tem sido eficaz, sem exposição alguma, para aqueles que conheceram a linguagem e o profeta. E ainda é. Você pode impedir o Alcorão de falar não apenas inserindo demais seus próprios pontos de vista, mas também ao fazer explanações muito longas e elaboradas. Quando você terminar o seu longo discurso, seus ouvintes poderão ter se esquecido do que dizia o texto corânico.

Portanto, em primeiro lugar, mantenha as suas explanações tão curtas quanto possível; e, em segundo lugar, se elas tiverem que ser longas, como é necessário em algumas ocasiões, faça referências ao texto com a maior freqüência possível. Você não deve criar distância entre os ouvintes e o texto do Alcorão, não apenas em seu significado, mas também na sua audição.

Sete: Modele sua própria exposição no modelo e estilo do Alcorão. Isso poderá ser o meio mais efetivo de assegurar o sucesso da ocasião.

Você encontrará dificuldade no início, mas gradualmente, quanto mais se aproximar do Alcorão, lê-lo com freqüência e memorizá-lo, isso se tornará parte do teu próprio estilo.


1   2   3   4   5   6


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal