O caminho para o alcorãO



Baixar 208.18 Kb.
Página6/6
Encontro30.07.2016
Tamanho208.18 Kb.
1   2   3   4   5   6

Capítulo 7: Vivendo o Alcorão

Obedecendo o Alcorão

Ler o Alcorão será um pequeno beneficio, talvez traga miséria e prejuízo, ao menos que você, desde o primeiro momento, comece a mudar e a reconstruir a sua vida em total rendição à Deus, que nos deu o Alcorão. Sem o desejo e o esforço para agir, os estados do coração e os enlevos da alma, o êxtase do ânimo, e o enriquecimento intelectual não terão utilidade alguma. Se o Alcorão não tiver nenhum impacto sobre as suas ações, e se você não obedecer o que ele ordena e evitar o que ele proíbe, não estará se aproximando dele.

Em cada página do Alcorão há um convite à rendição e à submissão, à ação e à mudança. A cada passo o leitor é confrontado com a decisão e a resignação próprias. Aqueles que não se submetem a ele são declarados Kafir, zalim (malfeitores) e fasiq (iníquos) (al Maida 5: 11-7). Aqueles a quem são dados o Livro de Deus, mas não o compreendem, nem agem conforme suas ordens, são descritos como "asnos carregando livros", pois nunca conhecem ou tiram benefícios do que carregam (al Júmu'a 62:5). São aqueles contra os quais o Profeta (saas) argumentará no Dia do Julgamento:

"Ó Senhor meu, em verdade o meu povo tem negligenciado este Alcorão!" (al Furcan 25:30).

Afastar-se do Alcorão, deixá-lo de lado, significa simplesmente não lê-lo, não compreendê-lo, nem viver por ele, considerá-lo uma "coisa do passado", que já deixou de ser relevante.

O Profeta (saas) não é menos enfático ao assinalar a necessidade de obedecer ao Alcorão:

Muitos dos hipócritas da minha Ummah estarão dentre os leitores do Alcorão” (Ahmad).

Ele não é um verdadeiro crente no Alcorão se tratar como halal (permissível) o que fôr haram (ilícito). Leia o Alcorão, para que ele o faça desistir (do que é proibido). Se ele não o fizer desistir, você não o leu de verdade (Tabarani).

Para os Companheiros do Profeta, aprender sobre o Alcorão era lê-lo, ponderar sobre ele e agir conforme suas ordens. É narrado que :

Aqueles que se engajavam na leitura do Alcorão diziam que pessoas como 'Uthman Ibn 'Affan e Abdullah Ibn Mas'ud, uma vez que tivessem aprendido dez versos do Profeta (saas), não aprendiam mais nada até que tivessem realmente "compreendido" o que esses versos continham, através do conhecimento e prática (entendê-los e agir conforme eles). Eles costumavam dizer que às vezes passavam anos aprendendo apenas uma surata (al-Itqan fil 'Ulum al-Qur'an, Suyuti).

Al-Hasan al-Basri disse: Você tomou a noite para ser um camelo que andou sobre os vários estágios do Alcorão. Aqueles que antes o consideravam uma mensagem do Senhor, ponderavam sobre ele à noite e viviam por ele durante o dia (Ihya').

A leitura do Alcorão deve induzir a fé ao seu coração; essa fé deve moldar a sua vida. Não é um processo gradual, onde você passa anos lendo o Alcorão, e depois o compreende e então fortalece a sua fé, para somente então agir conforme suas orientações. Tudo isso é um processo unificado, todas as coisas tomam lugar simultaneamente. Conforme ouve ou recita as palavras, elas acendem a fé dentro de você; e quando você tem fé dentro de você, a sua vida começa a mudar.

O que você deve se lembrar é que viver pelo Alcorão exige uma decisão maior da sua parte: você deve alterar completamente o curso da sua vida, a despeito do pensamento dominante ao seu redor, do que a sociedade dita ou do que os outros fazem. Essa decisão exige um sacrifício maior. Mas, ao menos que você, como crente de que o Alcorão é a palavra de Deus, esteja preparado para mergulhar de cabeça, nada de muito bom virá do tempo que você passa com o Alcorão.

Desde o primeiro momento, no primeiro passo, ficou bastante claro que o Alcorão é uma orientação para aqueles que estão preparados para agir e salvar-se dos males da vida contra os desejos de Deus, para ganhar a Sua satisfação, e para aqueles que temem as conseqüências - estes são al-muttaqi (al Bácara 2:1-5). O alcorão não reconhece nenhuma polaridade entre conhecimento e ação, entre fé (Iman) e boas ações (al amal al salih).

Cumprindo a missão do Alcorão

Uma parte essencial e importante de viver pelo Alcorão é transmitir a sua mensagem para as pessoas ao seu redor. De fato, no momento em que o Profeta (saas) recebeu a primeira revelação, percebeu a imensa tarefa de trazê-lo para o seu povo. E a segunda revelação o convocou: "Levanta-te e admoesta!" (al Mudáscir 74:2). E então, em diversos lugares, ficou claro para o Profeta (saas) que comunicar o Alcorão, fazê-lo ser ouvido e explicá-lo era o primeiro dever da sua missão (al An'am 6:19; al Furcán 25:1; al An'am 6: 105; al Máida 5: 67; Mariam 19:97; al A'raf 7:157).

Agora nós, seus seguidores, o povo que possui o Livro de Deus, somos incumbidos da mesma missão. Possuir o Alcorão nos obriga a transmiti-lo; escutar o Alcorão é fazê-lo ser ouvido. Devemos torná-lo claro e conhecido da humanidade, e não permitir que ele permaneça oculto: "Recorda-te de quando Allah obteve a promessa dos adeptos do Livro, (que se compremeteram a) evidenciá-lo (o Livro) aos homens, e a não ocultá-lo. Mas eles o jogaram às costas, negociando-o a um preço irrisório." (al Imran 3:187).



Se há uma lâmpada no seu coração e nas suas mãos, você deve fazê-la brilhar. Se há um fogo dentro de você, deve irradiá-lo quente e brilhante.

Aqueles que não o fizerem, por desejarem ganhos transitórios e mundanos, estão de fato enchendo seus estômagos com fogo: "Aqueles que ocultam o que Allah revelou, no Livro, e o negociam a preço irrisório, não saciarão suas entranhas senão com Fogo Infernal. Allah não lhes falará no Dia da Ressurreição nem os purificará, e sofrerão um doloroso castigo" (al Bácara 2:174).



E eles merecem a maldição de Allah: "Aqueles que ocultam as evidências e a Orientação que revelamos, depois de as havermos elucidado aos humanos, no Livro, serão malditos por Allah e pelos que amaldiçoam." (al Bácara 2:159).

Ao menos que eles sejam dispensados dos seus deveres: "Salvo os que se arrependeram, emendaram-se e declararam (a verdade); a estes absolveremos, porque somos o Remissório, o Misericordioso" (al Bácara 2:160).

Mas, se eles morrerem nessa condição ,serão amaldiçoados por tudo e por todos: "Sobre os incrédulos, que morrem na incredulidade, cairá a maldição de Allah, dos anjos e de toda a humanidade" (al Bácara 2:161).

Deus não os olhará: "Aqueles que negociam o pacto com Allah, e sua fé, a preço irrisório, não participarão da bem-aventurança da Vida Futura; Allah não lhes falará, nem olhará para eles, no Dia da Ressurreição, nem tampouco os purificará, e sofrerão um doloroso castigo" (al Imran 3: 77).

Olhe para si mesmo! Olhe para os muçulmanos hoje! Por quê, a despeito do fato de que o Alcorão é lido por milhões, dia e noite, ele não faz diferença para a tua situação? Mesmo que o leiamos e não o compreendamos; ou, se nós o entendermos, mas não o aceitarmos nem agirmos conforme suas diretrizes; ou agirmos conforme suas diretrizes, aceitarmos parte dele e rejeitarmos a outra; ou, enquanto estivermos nos ocupando da leitura dele e agindo conforme as diretrizes de parte dele, seremos culpados de cometer o crime de escondê-lo e não trazê-lo à luz do mundo.

"Entre eles há iletrados que não compreendem o Livro, a não ser segundo os seus desejos, e não fazem mais que conjecturar. Ai daqueles que copiam o Livro (alterando-o) com as suas mãos, e então dizem: Isto emana de Allah, para negociá-lo a preço irrisório." (al Bácara 2:78-79).

"Credes, acaso, em uma parte do Livro e negais a outra? Aqueles, dentre vós, que tal cometeram, não receberão, em troca, seroão submetidos ao mais severo dos castigos." (al Bácara 2:85).



Não deixe existir a menor dúvida na sua mente de que, ao menos que confiemos a nós mesmos a mais importante responsabilidade de sermos testemunhas do Alcorão, que nos transfere a virtude de tê-lo e de lê-lo, nunca deixaremos de ter dívidas com o Alcorão. A ignomínia, desonra, humilhação, hesitação que se tornaram nosso quinhão só existe por causa do modo com que tratamos o Alcorão e a missão a que ele nos confia.
Através deste Livro, Deus faz com que algumas pessoas ascendam e com que outra declinem (Muslim).

"E se tivessem sido observantes da Torá, do Evangelho e de tudo quanto lhes foi revelado por seu Senhor, alimentar-se-iam com o que está acima deles e do que se encontra sob seus pés." (al Máida 5:66).

Não teremos sucesso em descobrir e compreender o significado real e completo do Alcorão, não importa qual erudição alcancemos, ao menos que obedeçamos ao Alcorão. O Profeta (saas) disse aos seus Companheiros:

Haverá alguns dentre vocês que, quando comparardes as suas orações com as deles, seus jejuns com os deles, suas boas ações com as deles, considerareis as suas bastante inferiores. Eles lerão o Alcorão, ainda que ele não desça além das suas gargantas (Bukhari).

Render-se e obedecer não é apenas cumprir a real missão do Alcorão, é uma das chaves mais seguras para a sua compreensão. Você descobrirá um significado ao obedecê-lo que nunca encontraria apenas pelo raciocínio. Você, então, começará a "ver" o Alcorão. Saiyyd Mawdudi escreve em memoráveis palavras o que dificilmente podem ser esquecidas:

... mas tudo o que você puder entender do Alcorão não será suficiente. Se você quiser identificar-se com o espírito do Alcorão, terá que praticamente empenhar-se no cumprimento da sua missão. Pois o Alcorão não é um livro de teorias abstratas e idéias frias, que qualquer um pode entender enquanto está sentado numa confortável poltrona. Nem é simplesmente um livro religioso como outros livros religiosos, cujos significados podem ser entendidos em seminários e oratórias.

Ao contrário, este é um Livro que contém uma mensagem, um convite que gera um movimento. No momento em que começou a ser enviado, impeliu um quieto e piedoso homem a abandonar sua vida de solidão e confronto com o mundo que vivia em rebelião contra Deus. Ele o inspirou a levantar sua voz contra a falsidade, e lhe impôs um severo trabalho contra os senhores da descrença, do mal e da iniquidade. Um após o outro, em cada lar, atraiu cada alma pura e nobre, e os reuniu sob a bandeira da verdade. Em cada parte do país, fez com que todos os maliciosos e corruptos se levantassem e travassem uma guerra contra os portadores da verdade.

Este é o Livro que lançou um glorioso movimento, com a voz de um único indivíduo, e continuou provendo orientação por vinte e três anos, até o estabelecimento do Reino de Deus na Terra. A cada estágio desta longa luta entre a verdade e a falsidade, este Livro mostrou aos seus seguidores os meios de erradicar a velha ordem e introduzir uma nova ordem.
Então é possível alcançar o coração do Alcorão simplesmente lendo suas palavras, sem ao menos pisar no campo de batalha entre a fé e a descrença, entre o Islam e a Ignorância, sem passar através de algum estágio dessa luta? Não, você poderá compreender o Alcorão apenas quando o erguer, quando começar a agir conforme suas diretrizes e chamar a humanidade à Deus, e quando cada passo que tomar fôr em obediência às suas orientações.
Então, e somente então, você passará por todos os eventos e experiências que ocorreram durante o curso da sua revelação. Você passará através de Meca, Habash e Taif; enfrentará Badr, Uhud, Hunayn e Tabuk. Encontrará Abul Jahal e Abu Lahab; encontrará os hipócritas e os judeus; ficará face a face com aqueles que instantaneamente responderam ao seu chamado e com aqueles que entraram para o Islam buscando algum lucro. Você estará entre esses modelos humanos; lidará com todos eles. Este é um caminho diferente do chamado "caminho místico": eu o chamo de "caminho corânico". É nesse "caminho corânico" que, conforme for passando através dos seus vários estágios, certas aiat e suratas abrirão sua mensagem completa, e lhe dirão que foram reveladas precisamente para esse estágio em que você está. Você talvez perca algumas sutilezas lingüísticas e gramaticais, talvez perca alguns pontos importantes na retórica e na semântica do Alcorão, mas é impossível que o Alcorão falhe em revelar seu espírito completo e verdadeiro a você.
Do mesmo modo, nenhuma pessoa poderá jamais entender as injunções legais, os ensinamentos morais e as diretivas políticas e econômicas do Alcorão, até que os ponha em prática. Nem o indivíduo que vive independentemente do Alcorão nem a nação que estabelece suas instituições em violação a sua orientação poderão descobrir o espírito do Alcorão (Tafhimul Qur'an, vol. l, Lahore 1979, oo. 334).

Fim




1   2   3   4   5   6


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal