O diálogo com as mulheres trabalhadoras do sexo revelando as casas noturnas como espaços educativos



Baixar 11.34 Kb.
Encontro03.08.2016
Tamanho11.34 Kb.
O DIÁLOGO COM AS MULHERES TRABALHADORAS DO SEXO REVELANDO AS CASAS NOTURNAS COMO ESPAÇOS EDUCATIVOS.
Grupo temático: Movimentos Culturais e Sociais como Espaço Educativo

Autoras: Fabiana Rodrigues de Sousa

Maria Waldenez de Oliveira (o)

Instituição: Universidade Federal de São Carlos – UFSCar

Departamento de Metodologia de Ensino - DME
Este trabalho é desenvolvido por uma aluna do curso de Pedagogia da UFSCar, juntamente às trabalhadoras do sexo de duas casas noturnas de São Carlos. O objetivo do mesmo é implementar nas casas noturnas da cidade o debate sobre as relações de gênero e as questões ligadas aos direitos humanos, destacando os direitos das mulheres.

As atividades são desenvolvidas através de encontros semanais realizados nas casas noturnas, nos quais debatemos alguns documentos que dispõem sobre os direitos humanos como a Constituição, a Declaração Universal dos Direitos Humanos e outros. Nestes encontros também lemos textos e artigos que apresentam questões referentes ao trabalho sexual ou desenvolvemos dinâmicas de grupo sobre relações de gênero. A prioridade dos temas a serem discutidos em cada encontro é definida pelas trabalhadoras de cada casa noturna. Há encontros em que as trabalhadoras optam por não discutir o tema combinado, preferem relatar alguma vivência de sua vida cotidiana. Nestes relatos as trabalhadoras discorrem sobre as interações com os clientes, as interações entre elas e o proprietário da casa noturna, falam sobre o preço mínimo do programa, que é tabelado de acordo com a casa, falam sobre seus filhos, seus planos para o futuro, enfim procuram compartilhar seus conhecimentos e experiências de vida.

No decorrer deste trabalho as casas noturnas foram se revelando como espaços educativos, nos quais as trabalhadoras do sexo se educam coletivamente ao trocarem suas experiências de vida e os saberes que possuem relativos ao trabalho sexual. O diálogo com as trabalhadoras possibilitou a ampliação da minha compreensão acerca da realidade vivenciada por estas mulheres, que não podem mais ser vistas apenas como mantenedoras da ordem moral e social, mas sim como trabalhadoras envolvidas em um universo onde se encontram, entre outras coisas, relações de poder, regras coletivas de organização e ações educativas gerais e de prevenção às doenças sexualmente transmissíveis.
Referências Bibliográficas
BRASIL, Ministério da Saúde – Profissionais do sexo: documento referencial para ações de prevenção das DST e da aids. Séries Manuais, no. 47. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2002.
CENTRO FEMINISTA DE ESTUDOS E ASSESSORIA/Guia dos direitos da mulher. Rio de Janeiro: Record: Rosa dos Tempos, 1996, p.3 a 34
FARIA, Nalu ; NOBRE, Miriam . Gênero e desigualdade. São Paulo: SOF,1997.
FLECHA, R. Compartiendo palabras. Barcelona: Paidós, 1997.
FREIRE, Paulo. Algumas notas sobre humanização e suas implicações pedagógicas. In FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. São Paulo : Paz e Terra, 2001.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
GIULANI, Paola Cappellin . Os Movimentos de trabalhadoras e a sociedade brasileira. In

PRIORE, Mary Del (org). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997,

p. 640 a 667
GOFFMAN, Erving. Estigma. Rio de Janeiro : Zahar Editores, 1982.
MORAES, Aparecida Fonseca. Mulheres da Vila: prostituição, identidade social e movimento associativo. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. 287p.
OLIVEIRA, Maria Waldenez; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves - Agentes Educacionais em comunidades: processos de interação, integração e educação. Reunião do Núcleo Educação para a Integração da Associação das Universidades do Grupo Montevidéo – AUGM, realizada durante o II Seminário Internacional “Por una Cultura de Paz”, promovido pela UNESCO, AUGM e UNER-Universidade Nacional de Entre Rios, Paraná, Argentina, 23 e 24 de março de 1999. Publicação de trabalho (no prelo), 5p.
PITANGUY, Jacqueline ; HERINGER, Rosana. Direitos Humanos no Mercosul. Rio de Janeiro: Cepia, 2001, p.5 a 77
ROBERTS, Nickie. As prostitutas na história. Trad. Magda Lopes. Rio de Janeiro: Record/Rosa dos Tempos, 1998, 459p.
SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Anotações sobre ética, movimentos sociais,

pesquisas. In: JACQUES, Maria da Graça Correa (org) – Relações Sociais e Ética. Porto

Alegre : ABRAPSO – Regional Sul, 1995, p.233 a 239

Apresentação Oral



Recurso a ser utilizado: Retroprojetor


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal