O f m contato



Baixar 60.33 Kb.
Encontro25.07.2016
Tamanho60.33 Kb.
O F M CONTATO MAIO 2010 BOLETIM INFORMATIVO DO CONSELHO INTERNCIONAL OFM DE JUSTIÇA, PAZ E INTEGRIDADE DA CRIAÇÃO

pax@ofm.org Preparado pelo Escritorio de JPIC de Roma www.ofm.org/jpic/
Neste número:
  • Centro Social Franciscano (Bolivia)


  • A criação na visão franciscana (Irlanda)

  • Centro Social “Albergue João XXIII" em São Tiago de Compostela (Espanha)

  • Sagrados Corações de JPIC (EUA)

  • A Revisão Periódica Universal (UPR) nas Nações Unidas (Genebra)





CENTRO SOCIAL FRANCISCANO EM COCHABAMBA



A Família Franciscana de Cochabamba, na Bolívia, promove já faz algum tempo um Centro Social para atender os mais necessi-tados. O centro oferece diversos serviços:

Assistência médica e odontológica

A Fundação São Lucas, uma organização sem fins lucrativos, que pertence ao Arcebispado, oferece assistência médica e odontológica, de segunda a sábado para pessoas pobres. A equipe é composta por um médico, um enfer-meiro e dois dentistas.


Atenção sociológica

O gabinete oferece serviços psicológicos para todas as pessoas que necessitam de um acom-panhamento e escuta profissional em situa-ções críticas ou problemáticas. A equipe é composta por três psicólogos que oferecem o seu tempo para este serviço.


Otorrinolaringologia: ouvido, nariz, gar-ganta, audiometria.

Este serviço é prestado pela Associação Feminina de Ajuda Voluntária, através da a-tenção de dois médicos e algumas senhoras da citada associação.


Refeitório Santa Clara


O Refeitório Santa Clara inicia sua prestação de serviços na sexta-feira, com um grupo da Ordem Franciscana Secular, que preparam alimento para o sábado. No sábado, outro gru-po pertencente à Legião de Maria e outros pessoas cozinham e servem o alimento aqueles que chegam. Também é oferecida formação para as crianças, bem como para os adultos.

Vozes de Cochabamba

É uma fundação que trabalha dentro da problemática dos setores mais excluídos, espe-cialmente crianças e adolescentes de rua.


Assim como o centro, o trabalho é coordenado pela Fundação São Lucas com prestação de cuidados médicos, odontológicos e atendendo a outras necessidades.


AA
O AA também se reúne em nosso espaço. São grupos de parentes e amigos de alcoólicos que compartilham suas experiências para encontrar soluções para seus problemas comuns.
Fundação Mosoj Ph'Unchay

Acolhe a crianças vitimas de queimaduras, especialmente no campo, que estão em trata-mento. A faixa etária destas crianças varia entre 1 a 15 anos de idade. Elas também recebem atenção em fisioterapia, psicologia, nutrição e apoio escolar, e, além disso, dife-rentes pessoas vêm desenvolver atividades de distração e partilha com elas.



Serviço Social

Fornece cuidados e assistência a pessoas carentes através da coordenação de uma assistente social.



Jardim
Dentro do espaço do Centro Social contamos com um jardim muito bonito, aos cuidados da Equipe Ecológica de Justiça e Paz.

Gradualmente, o Centro vai ganhando vida graças à generosidade de muitas pessoas que querem servir aos mais marginalizados. Estas pessoas têm colaborado de diferentes ma-neiras.


Agradecemos a Deus por todo o seu amor, que quer alcançar a tantos que dele necessitam, e como família franciscana nos sentimos chama-dos a oferecer e partilhar aquilo que temos.




A CRIAÇÃO NA VISÃO FRANCISCANA - APRESENTAÇÃO DO SITE





Em 1979, o Papa João Paulo II declarou Francisco de Assis o santo padroeiro daqueles que pro-movem a ecologia, e a maioria das pessoas associam este santo popular com o amor aos animais. Ainda que os frades tenham feito pouco para promover a São Francisco desta forma, a situação vem mudando gra-dualmente.
Os jovens, os amantes da natureza e os membros de outras religiões, muitas vezes relembram a nós que "o cuidado com a criação" é uma responsabilidade franciscana bem própria. Na verdade, são eles, não nós, os que freqüentemente estão trabalhando mais ativamente em ações para salvar o planeta. Acrescente-se a isso a crescente conscienti-zação social dos problemas ambientais, e neste contexto, os frades da Província da Irlanda sentiram a necessidade de responder ao desafio ecológico de tal forma que conseguissem atingir o cada vez mais numeroso numero de pessoas usando a Internet na Irlanda.


Assim, os franciscanos decidiram construir um eco-website onde é apresentada a relação de São Francisco com a natureza e o meio am-biente, e baseando-se no contexto do Francis-canismo pri-mitivo, a fim de fazer esse conteúdo acessível a todos os visitantes do site em todo o país. Tendo aprendido de São Fran-cisco, queremos que as pessoas façam a ligação entre a fé cristã e o cuidado com a criação, transmitindo a idéia de São Francisco de que todo lugar pode ser lugar de encontro com Deus.

Durante um retiro em Assis no ano passado, decidiu-se que o site também pudesse funcionar como um espaço de oração. A natureza serviria como um auxílio à oração, uma vez que Francisco viu a bondade de Deus refletida em tudo: na flor, na pedra, nos pássaros, etc. Apesar de inicialmente estarmos tentando atingir as pessoas na Irlanda, desco-brimos que muitas pessoas fora da Irlanda também estão acessando o site, e por isso algumas alterações no site podem ser nece-ssárias para melhor satisfazer a esses visi-tantes.



O site é composto por sete seções, cada uma com subdivisões. Existe uma secção intro-dutória ou seção principal. A segunda seção é sobre São Francisco com uma subseção sobre São Damião e algumas de suas orações. As duas seções seguintes mostram a relação de Francisco com as criaturas, especialmente com a irmã e mãe terra e o irmão Sol, juntamente com algumas histórias sobre pássaros e animais. A outra seção apresenta relatos alguns frades franciscanos irlandês da Idade Média tendo experiências de encontro com a natureza e com Deus.
A sexta seção é intitulada "Cuidar da Criação", e abrange questões como a biodiversidade, mudan-ças climáticas, a mensagem de paz do Papa e algumas iniciativas ambientais cristas. A sétima e última seção é dedicada a vários links e recursos, incluindo eco-orações e uma variedade de livros que podem interessar as pessoas que desejam ler mais sobre estas ques-tões. O site é um trabalho que está sendo construído. Chama-se “Rezando com a nature-za” e pode ser visto no endereço:

www.praying-nature.com
Esperamos que vocês gostem e que o site possa ajudá-los a ver a beleza da obra das mãos de Deus no mundo que nos rodeia.


Br Duddy ofm Cathal, Província da Irlanda


INAUGURAÇÃO DO CENTRO SOCIAL “ ALBERGUE JOAO XXIII"

EM SÃO TIAGO DE COMPOSTELA



Dentro das atividades de JPIC da Província Franciscana de Santiago de Compostela, está também o Centro Social "Albergue João XXIII", recentemente renovado para acolher pessoas desabrigadas. O centro começou no ano de 1970 sendo destinado ao acolhimento noturno em instalações do Convento de São Francisco de Santiago de Compostela que certa vez foram dedicadas ao noviciado. Foi um começo difícil, e com muito poucos recursos. No ano de 1983, com importantes obras de reforma, se ampliam os quartos, as instalações sanitárias e os chuveiros dos quartos, bem como os serviços básicos de higiene e vestuário.


No ano de 2009 acontece outra grande reforma no prédio para adequar esse tipo de centro a uma nova legislação. As novas instalações do centro foram inauguradas em dezembro de 2009. Assim foram instalados um elevador para acesso a pessoas com necessidades especiais e instalações sanitárias adaptadas a eles, acrescentando também o serviço de corte de cabelo. Destaca-se, sobre-tudo, que o centro já não funciona mais apenas como centro de acolhimento noturno, mas também como centro de acolhimento durante o dia, quando são desenvolvidas uma série de atividades tais como orientação psicológica e tipo de orientação juridico-trabalhista, a fim de promover a inclusão social e a integração no mercado de trabalho dessas pessoas que vivem ou estão em risco de exclusão social.
Pode-se resumir que o trabalho do centro é uma missão, que não só de acolhida e atenção as necessidades básicas destas pessoas, mas principalmente, que se caminha para uma re-integração deste grupo que se encontra margi-nalizado, para fortalecer a sua auto-estima, bem como incentivar a inclusão destes no mercado trabalho, sem deixar de mencionar, pela solidariedade que tem a colaboração de um grupo de voluntários que desde suas especialidades, dia após dia, estão a serviços destes grupos.

Sem dúvida alguma, a contribuição do centro está sendo dada, junto com tantos benfeitores anônimos, sendo um caminho que vale a pena percorrê-lo e que ajudara para que essas pessoas realmente acreditem que é possível um mundo onde os princípios da JPIC não sejam apenas mera utopia mas um compro-misso de toda a sociedade.



Francisco Javier Honrubia OFM Bonnin Br



SAGRADOS CORAÇÕES DE JPIC NA PROVINCIA DO

SAGRADO CORAÇÃO NOS EUA




No documento final do Capítulo Geral, "Portadores do dom do Evangelho", Mandato 43, o primeiro ponto das resoluções que trata da Justiça, Paz e Integridade da Criação na Ordem afirmam:

"Nos próximos seis anos (2009-2015), todas as entidades da Ordem, com a ajuda do Serviço JPIC devem se comprometer na promoção, tanto na formação inicial quanto na permanente, dos valores de JPIC realçados em nossa espiritualidade franciscana.


Quando começou o processo de planejamento provincial, muitas vezes meu pensamento foi na direção de nossos irmãos na formação inicial. Um dos meus colegas fez uma observação que deu voz ao que eu vinha pensando há muito tempo e, de alguma forma, vinha também rezando. Não tanto como uma oração formal, mas como uma interior ansie-dade e preocupação permanente. Quando eu os vi e ouvi foi como o sopro do Espírito se revelando como um lampejo do futuro pré-sente agora em forma germinal. Enquanto eu visitava as comunidades de São Jose em Hyde Park, e a comunidade dos postulantes em Joliet, encontrei-me novamente revisitando os sonhos e visões da minha própria formação. Foi como revisitar a "água da vida" por assim dizer.

Guardo muita admiração por Dennis Schafer, OFM, que assumiu o papel formativo em JPIC como seu. Eu humildemente aprendi que os postulantes vão à “Escola das Américas" para unir as suas vozes e o espírito Francis-cano às reivindicações por justiça social. Nos meus encontros com os postulantes, e outros momentos informais (tais como refeições e horas de lazer), Marc Sheckells, Joel Schroeder e William Morales apresentaram com abertura e entusiasmo nosso modo de ver e viver em São Francisco. Eu também fui elevado em gratitude por esses flashes de luz que emergem no nosso modo de vida, que são uma forte memória daquilo que realmente nos importa, o que nos faz "vender tudo" para estar aqui.

Enquanto em Chicago, tive a oportunidade, mas também a intenção de visitar o Centro Marquard e o abrigo, com o apoio do nosso ex-diretor e animador de JPIC, Jim Hoffman, OFM, que "passou o bastão de JPIC" para mim e que gentilmente me ofereceu um pouco do seu tempo, deixando um pouco de lado suas novas responsabilidades minis-teriais. Jim dedicou com paixão muitos anos de compromisso com o abrigo. Fiquei tocado ao ver que um dos antigos "moradores", lem-bra dele e vir cumprimentá-lo calorosamente.
Enquanto caminhamos lado a lado, ele contava suas lutas em favor dos pobres que tinham encontrado o caminho do albergue franciscano. Eu percebi que muito do sacrifício pessoal do Jim girava em torno da possibilidade de essas pessoas poderem viver um amanha cheio esperança. Tenho certeza de que neste albergue, através dele, outros irmãos como Larry Janezic e Javier Ruiz Cardenas, e outros no espírito da família fran-ciscana, que doaram seu tempo e seu trabalho neste espaço, conseguiram encontrar mais esperança e vida nova do que imaginavam.

Diana Faust, OFS, diretora da FOA, é uma presença muito tranqüila e um modelo de franciscana secular, que se encarrega de man-ter o Centro Social Franciscano. Vê-se fácil-mente que, para ela isso não é apenas um trabalho, mas uma maneira concreta de ser um instrumento de paz. Com um sorriso, e sem dúvida nenhuma com uma agenda muito ocupada, ela fez por mim o que ela nor-malmente faz pelos desabrigados. Ela incor-pora a hospitalidade e mostra o respeito e a dignidade que os nossas irmãs e irmãos ne-cessitados não deixam passar despercebidos. A tarefa de cuidar de tantas necessidades pode ser assustadora, mas enquanto eu fazia um reconhecimento do lugar e me preparava para servir, pude ver que Diana claramente colocava as pessoas como uma prioridade em sua vida.


Eu descobri que o Centro Social e o Abrigo são uma maravilha da caridade humanística do carisma franciscano. Tendo já trabalhado em vários Centros que oferecem refeição e em alguns abrigos, eu posso ver e sentir se há realmente uma dedicação ao ser humano visto com o rosto de Cristo, e se sua dignidade está realmente sendo restaurada e se suas vidas estão realmente sendo reconstruídas. Uma noite, eu estava servindo o jantar no abrigo para mais de 100 pessoas e me sentei um pouco com os voluntários de tempo integral, em sua maioria alemães, dispostos a prestar serviço nesta parte do mundo. A refeição começou com uma breve oração feita por mim. Eu gostei ao perceber que as pessoas não eram sujeitadas a uma infinidade de "instruções" antes de se sentar para comer. A comida era abundante e servida com reve-rência. Fiquei, particularmente, contente de ver que naquela noite em que eu estava lá, uma mãe com vários filhos, não somente tinha recebido o alimento, mas recebeu tam-bém muitos doces para as suas crianças. Havia um sentimento de gratidão para aqueles que vieram em socorro dos necessitados, e eles expressavam sem hesitação: "Obrigado pelo que vocês estão fazendo por nós ... Obri-gado... Deus te abençoe", palavras que ouvíamos com freqüência.


E depois houvia o abrigo. Meu Deus! Camas para 246 pessoas. Não apenas camas, mas camas limpas onde eles poderiam voltar. Poderiam fazer dessas camas um lugarzinho seu. Quem não tem onde morar sabe o que realmente significa ter um lugar para chamar de seu, mesmo que seja uma pequena cama. Tanto homens como mulheres, cuida-dosamente monitorados, eram aceitas no abrigo. Comida, toalhas, calças, lembranças, cartas, livros dispostos organizadamente ao redor das camas para marcar a dignidade de se ter um lugar.


Temos orgulho de dizer que nossa pousada franciscana é bem arrumada e organizada. Já havia escutado algumas queixas de homens e mulheres nas ruas sobre lugares tipo o nosso em que eles têm que suportar a falta de limpeza ou os conflitos entre os usuários. Mas não nosso centro. O cuidado e a delicadeza com as pessoas que faz Francisco de Assis tão real. Nossos assistidos têm acesso a chuveiros e recebem cartas, coisa importante para restaurar a identidade e reintegração na sociedade, e eles têm café da manhã todos os dias e podem, de vez em quando, assistir a um filme. Mas, acima de tudo, o importante é que eles sintam que alguém se preocupa com eles.
Uma coisa é certa: postulantes, frades de profissão simples e os que compartilham a experiência franciscana há mais tempo, verdadeiramente, podem experimentar o elemento “transversal” (um termo usado pelo ministro geral, José R. Carballo, OFM, em vários documentos que se referem à JPIC que ressaltam os valores que são a base da nossa vida no ministério em questão); e aprender que ser frade significa ter um Coração voltado para a justiça, paz e integridade da criação.
Assim foi no início, e sempre será. Novamente, não importa quão capacitado ou pouco hábil e difícil o irmão possa ser, inva-riavelmente ele carrega um sentimento que tende a dimensão da compaixão. Eu vim para ver o trabalho de JPIC e acabei deixando-me ser evangelizado e instruído pelo frescor de espírito dos nossos postu-lantes, dos nossos frades professos tempo-rários e pela dedicação e perseverança dos nossos frades já de longa caminhada. Eles me mostraram mais uma vez que a justiça, a paz e a integridade da criação são projetos de uma vida toda. De fato são os pobres e margi-nalizados que nos formam e ensinam como sermos irmãos. E essa é uma viagem que nunca termina.

Pio Jackson, OFM
JPIC Office


A Revisão Periódica Universal (UPR) na Organização das Nações Unidas




A Revisão Periódica Universal (UPR, por sua sigla em Inglês) é uma ferramenta relati-vamente nova utilizada pelas Nações Unidas. Esta é uma análise da situação dos direitos humanos em todos os países do mundo, que é feita a cada quatro anos. Ela deve apresentar recomendações para melhorar a situação em relação a um problema particular dentro de um país. A revisão é realizada pelo Conselho de Direitos Humanos, o principal órgão das Nações Unidas responsável pela promoção e proteção dos direitos humanos em todo o mundo. Franciscans International (FI) com-prometeu-se a:

- Fornecer informações sobre os direitos humanos nos estados que estão sendo anali-sados.
- Pressionar os Estados a enfrentar temas importantes para os pobres e as vítimas de abusos em matéria de direitos humanos.

- Guiar a revisão e chamar a atenção do público com as recomendações formais e intervir quando os direitos humanos não são respeitados.



Yao Agbetse, responsável pela defesa interna de FI, apresentou o seguinte artigo que ilustra o tipo de ação conjunta que poderia ser realizada no processo da UPR:

Franciscans International (FI), serviço co-mum da família franciscana das Nações Unidas, está a trabalhar com os Irmãos Maris-tas. Fundação Marista para a Solidariedade Internacional (FMSI, sigla em Inglês), tem sua representação na ONU em Genebra, e compartilha seu escritório com FI. Esta cooperação mútua tem levado a bons resul-tados. Um exemplo é o trabalho de defesa que teve lugar em Vanuatu, um pequeno Estado insular do Pacífico.

Baseado em uma pesquisa realizada pelos marianistas em várias escolas e faculdades coordenadas por eles nas ilhas, foram iden-tificados os principais obstáculos que impe-diam as crianças de desfrutar plenamente o seu direito à educação. Muitos deles foram identificados pelos próprios alunos. Entre elas estava o fato de que a educação em Vanuatu não é gratuita, e há falta de oportunidade de formação profissional e técnica, levando a altas taxas de evasão.

Quando Vanuatu foi examinada pelos Meca-nismos de Revisão Periódica Universal das Nações Unidas, a Franciscans International, baseada na experiência de defesa no âmbito da ONU, ajudou a preparar o elenco, pressio-nando a missão diplomática em Gene-bra a levar em conta as questões sobre educa-ção. Durante o processo de revisão, o Gover-no de Vanuatu assumiu a responsabilidade de im-plementar a recomendação de uma Edu-cação gratuita para a ilha. O Ministério da Educação levou em conta o documento pre-parado por FI para levar a cabo a elaboração do Plano de Educação Gratuita. Através do FI, os Maristas em Vanuatu estabeleceram fortes relações com o governo e agora estão trabalhando com o Ministério da Educação para a realização destes compromissos.

FI e FMSI se propõem a incentivar o enviado especial para a educação a visitar Vanuatu a fim de intensificar os esforços do governo em melhorar a educação.

Franciscans International é um serviço da família franciscana. Seu objetivo é tornar presente a inquietude franciscana sobre a situação dos mais vulneráveis, para que seus interesses possam ser defendidos nas Nações Unidas a fim de obter mudanças positivas. Dentro do espírito de inclusão, o trabalho de defesa também é realizado em países onde não há presença franciscana. Isto é feito atra-vés de nossos colegas de trabalho, como aconteceu no caso de Vanuatu.







 
Yao Agbetse
Franciscans International - Genebra







©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal