O maravilhoso



Baixar 16.46 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho16.46 Kb.
O MARAVILHOSO

Diferentemente de Virgílio e Homero, Camões separa completamente a esfera dos deuses e a esfera histórica desde o princípio ao fim da viagem e da missão de Vasco da Gama. Os homens e os deuses não se tocam. As intervenções de Baco ou de Vénus manifestam-se sob a forma de fenómenos naturais (tempestades, correntes), humanas

(conselheiros pérfidos, cristãos fingidos) ou de sonhos. É Vénus que salva o Gama numa tempestade, mas este não o sabe e agradece-o à Virgem. Camões seguiu com rigor metódico esta regra da separação do mundo maravilhoso e do mundo histórico de modo a

poder afirmar a verdade histórica do seu poema.



O Poeta não narra o regresso dos nautas a Lisboa (que segundo os cronistas foi acidentado). Com a partida de Calicute (IX, 16) pôs fim à narrativa histórica. A Ilha dos Amores não é um episódio do regresso: está fora da história, num plano puramente imaginário e simbólico. Os heróis encontram as deusas, casam com elas, tornando-se epopeia e dotados de atributos divinos. O tempo, o espaço, a história e a morte são abolidos.
António José Saraiva, Luís de Camões - Os Lusíadas ( adaptado )

in Língua Portuguesa - 9º ano, pág.274


LISTAGEM DE ALGUNS ELEMENTOS MITOLÓGICOS REFERIDOS N’OS LUSÍADAS :
NEPTUNO - deus do mar, filho de Saturno e de Reia e irmão de Júpiter, pai de Plutão, deus dos Infernos. Era esposo de Anfitrite. Representavam-no com um tridente na mão sobre um coche levado por cavalos marinhos.
MUSAS - eram filhas de Júpiter. Calíope era a musa da poesia épica e da eloquência; Clio, a da História; Érato, da poesia amorosa (daí, erótico); Euterpe, da dança; Melpómene, da Tragédia; Polímnia, da ode; Tália, da Comédia; Terpsicore, da dança e do canto e Urânia, da astronomia.
PRÓTEU - filho de Oceano (pai das Nereidas e filho do Céu e de Vesta) e de Tétis, que guardava os peixes, previa o futuro e tomava várias formas com facilidade.
TONANTE - Júpiter, filho de Saturno e de Reia e pai dos deuses. Escapou da voracidade do pai - o Tempo (Saturno) - e casou com Juno. Para conquistar a jovem Europa transformou-se num touro branco, e outras transformações sofria, conforme as conveniências.
NETO GENTIL - MERCÚRIO - filho de Júpiter e de Maia, deus da eloquência, do comércio e dos ladrões, era mensageiro dos deuses e, para se deslocar mais depressa, tinha asas na cabeça e nos calcanhares.
ATLANTE - o gigante que suportava o céu nos ombros e que, por castigo, foi transformado no monte Atlas.
VULCANO - filho de Júpiter e de Juno, deus do fogo , fabricou os raios com os quais Júpiter derrubou os gigantes que tentaram escalar o Olimpo. Feio e disforme, o pai precipitou-o do céu e ficou coxo. Era casado com a bela Vénus.
BACO - filho de Júpiter e de Sémele e pai de Luso. Escapou ao perigo da destruição pelo fogo, quando foi recolhido na coxa da perna de Júpiter. Conquistou a Índia (sendo a sua inveja motivo de perseguição aos Portugueses, como se vê neste concílio). Foi o primeiro a cultivar a vinha, daí ser considerado o deus di vinho. Era representado com um tirso, isto é, com uma vara de parra enramada com cachos de uvas e hera.
VÉNUS - filha do Céu e da Terra, segundo uma versão; outros dizem-na filha de Júpiter e de Dione, e ainda de Saturno e do Mar : «Quero que haja no Reino Neptunino / Onde nasci» - Os Lus., canto IX,42. Era a Afrodite dos Gregos; a deusa da beleza e do amor. Nas bodas de Tétis e de Peleu, sendo árbitro Páris, pela sua beleza, venceu Juno e Minerva. Daí a guerra e a destruição de Tróia e a perseguição de Juno aos Troianos na fuga com Eneias.
PARCAS - três deusas que presidiam aos destinos dos homens. Doto ou Cloto pegava na roca que os fiava; Láquese girava o fuso e Átropos cortava o fio da vida (do homem).

APOLO - era filho de Júpiter e de Latona e irmão de Diana. Chefiava as nove musas e habitava o monte Parnaso, montando o cavalo Pégaso. Conduzia o carro do Sol. Representava-se com uma lira na mão. Era o deus da medicina, da poesia, da música e das artes.
MARTE - deus da guerra, filho de Júpiter e de Juno que o concebeu irritada contra Júpiter. Este dera à luz Palas que saíra do próprio cérebro. Juno sentou-se sobre uma flor fecundante que a deusa Flora lhe revelara e Marte nasceu. Amava apaixonadamente Vénus.
RÓMULO E REMO - eram filhos de Marte e de Reia Sílvia, sacerdotisa de Vesta. Amúlio, seu tio-avô, manda que os lancem no Tibre, mas as águas baixaram e o cesto ficou em seco. Uma loba , que ouviu o seu choro, amamentou-os até que Fáustulo, pastor, os recolheu. Criados no monte, depois de sabida a sua origem, mataram Amúlio e entregaram o trono ao avô, Numitor. Discutiram qual o nome a dar à cidade (de Roma) que fundaram e Rómulo matou o irmão.
HÉRCULES - filho de Júpiter e de Alcmena, tomando aquele a forma do marido desta, Anfitrião, quando estava ausente. Juno vingou-se, conseguindo que o rei Micenas, Euristeu, forçasse Hércules a fazer trabalhos muito perigosos para que morresse num deles. Não conseguiram o que queriam. O nome Alcides deriva de Alceu, seu avô, pai de Anfitrião.
TESEU - venceu o minotauro, monstro fabuloso que tinha corpo de homem e cabeça de touro.
MÍNIAS - os Argonautas , descendentes de um rei da Tessália (Mínias). Chefiados por Jasão navegaram na nau Argos a caminho da Cólquida - no mar Negro (Euxínio) em busca do velo de ouro guardado por um monstro que nunca dormia. Medeia, famosa feiticeira, a filha do rei, apaixona - se por Jasão e tudo faz para que ele vença os trabalhos impostos e consiga o velo, adormecendo o monstro com um soporífero. Medeia parte para a Grécia com Jasão que, depois de ter dois filhos dela, ambicioso, casa com a filha do rei Creonte. Medeia vinga-se. Este romance inspira uma tragédia a Eurípedes.
ENCÉLADO, EGEU e CENTÍMANO - Nomes de alguns dos Gigantes, filhos da Terra e do Céu, que se colocaram uns sobre os outros para escalar o Olimpo. Júpiter castigou a sua ousadia, vibrando raios e colocando-os debaixo de montes vulcânicos - o Etna ...
THETIS - uma das Nereidas, filhas de Nereu e de Dóris, que casou com Peleu. Por ela se apaixonou o Gigante Adamastor (que passou a cabo - pois transformou-se em rocha).
ADAMASTOR - Um dos Gigantes. Apaixonou-se por Thétis e foi transformado em rochedo como castigo.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal