O noivado e o amor



Baixar 48.6 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho48.6 Kb.


7516
C ONFERÊNCIAS PÚBLICAS


O NOIVADO E O AMOR

Daniel Belvedere

INTRODUÇÃO


1. Há três momentos fundamentais na vida de todo ser humano.

  1. Nascimento

  2. Casamento

  3. Morte

2. O primeiro e o terceiro escapam ao limite de nossa vontade. Quando percebemos já estamos vivos; quando quisermos lembrar já estaremos mortos.

3. Só podemos conduzir plenamente o segundo, e sendo que exercerá uma influência tão poderosa praticamente em toda nossa vida útil, será sensato dirigir o assunto com prudência e sabedoria.

4. Alguém disse: "O casamento é como uma cidade cercada, os que estão fora querem entrar e os que estão dentro querem sair."

5. Alguns têm uma pressa, uma fúria para entrar nele! Esses são quase sempre os primeiros a querer sair.

6. Daí a importância de considerar hoje o assunto do "Noivado e o amor."

7. Duas considerações oportunas:

a) Responsabilidade


  1. Há mais possibilidades entre as que cremos de que as coisas terminem no casamento. Então virão os filhos.

  2. Influência dos lares sobre os filhos.

  3. Temos a responsabilidade de formar lares sólidos.

  1. Prudência

  1. Há mais possibilidades das que cremos de que o noivado se rompa.

  2. Razão: arrebatamento sentimentais.

ILUSTRAÇÃO: Um jovem escreveu a sua namorada a seguinte carta: "Minha adorada: Para ver a luz de teus olhos, escalaria as montanhas mais escabrosas e cheias de precipícios. Cruzaria nadando uma torrente mais impetuosa e larga para o Esponto para estar a teu lado. Para sentar a teus pés, desafiaria as violentas tempestades e chuvas torrenciais. Teu para sempre."

"N.B. Amanhã irei ver-te, se não chover."

(3) Por isso, pela natural inconstância que costuma caracterizar os adolescentes, creio que não está demais recomendar: Cuidado com as intimidades que não correspondem ao namoro.

8. Uma cotação marginal. Nem todos estarão de acordo.



  1. É provável que, quando disser algumas coisas, na mente de alguns surja a idéia de:

  1. Postular meu nome como monumento ao antiquário.

  2. Considerarem que nesta época alguns costumes sadios caducaram.

  1. Não me ofende nem me incomoda que haja pessoas que pensem assim.

  1. Respeito os que pensam de um modo diferente ao meu.

  2. Creio que não é demais que os tais analisem estas razões, embora não as hajam crido até aqui.

  3. Isso é a que faço com os argumentos das que têm idéias diferentes das minhas.

  1. Mas penso que devo dizer porque exporei certos princípios hoje.

  1. Em primeiro lugar porque os fatos demonstrariam que o esquema atual não está fazendo ou tornando a juventude mais feliz.

- Por algum motivo usam drogas.

- Outros bebem.

- Quase todos se atordoam com ruídos.

- Apóiam-se no cigarro.



  1. Em segundo lugar, porque estes princípios normalmente têm dado bons resultados. E para aquele que estiver disposto a pensar, isto significa muito.

I. ETAPAS DO NAMORO


Um namoro inteligente normalmente seguirá estes passos:

1. Atração e admiração mútua.



  1. Piscadas – os que a têm medido dizem que uma piscada leva de 1/7 a 1/40 de segundo.

Francamente, não conheço um método mais rápido de meter-se em complicações.

b) É um processo natural:



  1. Infância, primeiro brincam juntos. Depois vem um distanciamento.

  2. Hormônios produzem grandes mudanças que tornam apetecível a presença do sexo oposto.

  3. Juventude – Atração.

2. Monopólio das atenções desse amigo ou amiga especial.

3. Conhecimento (aqui é onde corremos rápido voamos e depois vêm os problemas).



  1. Em encontros

  2. Através das tarefas comuns.

  3. Na casa

  4. De improviso.

4. "A grande pergunta."
II. FATORES QUE CONVÉM TER EM COMUM
1. Escolha de amizades.

  1. Cônjuge terá que estar por cima dos amigos.

  2. "Dize-me com quem andas e direi o que és."

2. Recreação: Está entremeada com os momentos livres da vida.

3. Religião



  1. Princípio bíblico – 2 Coríntios 6:14.

  2. Lógica: Se você é sincero(a), a religião regera sua filosofia de vida e todos os seus atos conscientes. O ter religiões diferentes significará um abismo difícil de salvar um casal.

  3. Por isso, não se trata de discriminação depreciativa. Mas se querem ter afinidade para dar-se bem, a lógica nos diria que um ateu deveria se casar com uma atéia; um católico com uma católica; um protestante com uma protestante, etc.

4. Raça (conveniente, embora não imprescindível)-

  1. Tem que ver com costumes, hábitos alimentícios, sistemas de vida.

III. TIPOS DE PESSOAS COM AS QUAIS NÃO SE DEVE CASAR


1. Um alcoólatra.

a) Algumas meninas dizem: É um bêbado simpático."



  1. Talvez para rir dele, sim.

  2. Mas para que seja pai de seus filhos, não.

  1. Muitas moças sonham em regenerar um homem – um desejo de sentir-se úteis, sacrificando-se por alguém.

  1. O casamento poucas vezes faz milagres.

  2. Geralmente, depois de casados as coisas pioram.

- A maioria dos solteiros que bebiam, bebem mais depois de casados.

- Poderia confirmar qualquer esposa de bebedor.



  1. As Sagradas Escrituras sabem o que dizem.

Provérbios 23: 29-32; 23: 20-21.

  1. Se querem ver como se escorrem pelo fundo de uma garrafa.

- Sua felicidade

- Sua roupa

- O pão e a alegria de seus filhos, case-se com um alcoólatra.


  1. O imoral

a) O homem homossexual ou a mulher homossexual ou lésbica.

  1. Às vezes, numa tentativa para resolver seu problema, buscam o casamento. Mas, pobre de seu companheiro!

  1. E aquele que não sabe respeitar o seu par.

  2. Que primeiro se regenere e depois pense em namorar.

3. O preguiçoso

  1. Alguns sabem tocar muito bem guitarra, cantar, dizer palavras amorosas, têm linda aparência.

  2. Há meninas com uns olhos bárbaros.

- Um perfil desses que causam admiração.

c) Tanto a mulher como o homem.



  1. Se são preguiçosos, não convêm para o noivado, muito menos para o casamento. Provérbios 24:30-34.

  1. Sem ser materialista, devo dizer-lhes que também se deve TER EM CONTA O ASPECTO ECONÔMICO.

  2. Lembrem-se sempre que no casamento, além dos beijos e das carícias, que nunca estarão demais, terão que colocar pão na mesa, e batatas, abóbora e algumas outras coisas na panela.

4. O que é atraente somente no sentido físico.

  1. Provérbios 11:22.

  2. Deve haver atração física.

  1. Para que a cama não seja um pesadelo insuportável.

- Devem gostar fisicamente um do outro.

- Sentir-se atraídos.

(2) Mas se isso é o único que pesa,

- Também haverá sérios problemas.

- Não será fácil harmonizar.

- Uma menina estudante se enamorou. Falava constantemente para suas companheiras a respeita "dele". Uma colega perguntou-lhe: - "O que é que a atrai tanto?"

- "Seu físico de atleta, e sua loira e ondulada cabeleira que flutua no influxo da suave brisa enquanto é iluminada pelos raios de prata da lua...." e suspirava. Passaram-se vários anos. Encontro casual na rua. Séria... Convida a sua antiga companheira para ir a sua casa... até que compreende ela o porquê do entristecimento. Chegou o esposo. Seu corpo já não era tão atlético, pois havia engordado muito, e a loira e abundante cabeleira já não era tão loira nem abundante pois tinha uma fronte que lhe chegava até a nuca.

c) Não exclua esta idéia antes de analisá-la.

- Talvez a considere lógica.

(1) Que acontece quando o único que atrai é o físico?

- Os anos mandam a conta.

- Sobrevêm as rugas.

- A beleza física se desvanece como uma bonita flor que se murcha.

- Já não fica outro nexo de união.

(2) Quando, além do físico, o caráter também atrai.

- Os anos podem carregá-los de rugas, mais que uma passa de uva.

- Mas o caráter, em vez de envelhecer, foi sempre crescendo.

- O amor por toda a pessoa – porque também se enamorou do caráter, longe de desvanecer-se, cresce.

- E quando se vê esses velhinhos que seguem embelezados, dá gosto de olhá-los.

VI. ALGUMAS PERGUNTAS QUE ME FAZEM FREQÜENTEMENTE


1. A quem consultar diante da possibilidade de se noivarem. Creio que convém consultar com pais. Por quê?

a) Normalmente são eles as que mais os amam.

- Os que mais fizeram por vocês.

- Os mais interessados em vê-los triunfar.



  1. São os que têm mais experiência na vida.

  2. Às vezes:

- Podem ter interesses mesquinhos.

- Podem equivocar-se.

- Podem ser imaturos.

Que fazer então?

- Buscar conselhos com alguma pessoa.


  1. Moralmente sadia.

  2. De experiência.

2. Há algum problema em que tenham diferenças culturais?

a) O ideal: nível cultural semelhante.



  1. Favorece a compreensão.

  2. Dá-lhes interesses em comum.

  3. Se não têm o mesmo nível cultural.

ILUSTRAÇÃO: Certa senhorita com o título de engenheira chegou aos 35 anos sem haver-se casado. Portanto decidiu que casaria com um pedreiro para não ficar solteira. A alvenaria é uma função honrada, mas não está à altura da cultura que possuía aquela mulher. A família dela se opôs tenazmente, porém tudo foi em vão.

– Eu vou educá-lo, prepará-lo. Serei sua professora – respondia sempre.

Uma vez casados, a homem começou a impor-se dizendo que ele era o que mandava no lar. Resultado: o matrimônio terminou na separação.


  1. Aparentemente o homem não gosta que a mulher mande nele.

  2. A mulher costuma satisfazê-lo e sentir-se orgulhosa de seu marido.

  3. Muitas vezes:

- a ternura feminina e

- sua capacidade de adaptação suprem a diferença cultural.

3. A que idade se pode namorar?


  1. Uma poesia que em seu tempo foi "muito penetrante" dizia "ela 14 e ele 16".

  1. Parece romântica.

  2. E na verdade, nessa época pelo forte despertar sexual numa idade em que se estão desenvolvendo, a idéia é fascinante.

b) Mas vejamos o que dizem os fatos.

  1. 85% dos casamentos prematuras são um fracasso.

  2. 85% dos casamentos contraídos entre os 18 e 19 anos de idade são infelizes.

c) A melhor idade para o casamento parece ser:

20 - 27 anos para a mulher.

20 - 30 anos para o homem.

4. Quanto deveria durar o noivado?



  1. Alguém poderia dizer:

"nem muito, muito, muito;

nem muito, muito, muito."



  1. O problema dos noivados muito curtos.

  1. Não chegam a conhecer-se o suficiente.

  2. Oferecem sérios problemas de adaptação matrimonial.

c) O problema desses noivados muito longos.

(conheci um casal cujo noivado durou 21 anos.)



  1. É que às vezes entram no que corresponde somente ao casamento.

d) A duração tem que ver com:

  1. A freqüência com que se vêem.

  2. Idade dos noivos.

  3. Quanto se conhecem.

  4. Capacidade de enfrentar um lar.

5. Entre 6 meses e 2 anos pode ser normalmente boa duração, quando têm, logicamente idade e maturidade suficiente para levar avante um lar.
V. O QUE DEVEM SABER
A. O QUE DEVE SABER O RAPAZ:
1. Virtudes.

ILUSTRAÇÃO: Um dos sete sábios da Grécia teve uma vez um aluno enamorado. O aluno cheio de entusiasmo referia ao professor as qualidades brilhantes de sua futura.

- É bonita como o esplendor da manhã: ZERO (escreveu o professor).

- É rica como a herdeira de Creso: ZERO (voltou a escrever).

- É inteligente: ZERO

- Tem um parentesco muito bom: ZERO

- Tem boa educação: ZER0

O namorado estava atônito. Olhou o seu professor e disse: "Tem um caráter doce e íntegro." O sábio grego mostrou a unidade da esquerda de todos os zeros. Assim adquiriram valor todos os zeros anteriores.


2. Limpa

3. Trabalhadora

4. "Mulher de sua casa"

5. Não muito gastadora

6. Que não seja uma mulher "tipo sargento".

B. O QUE DEVE SABER A MOÇA


1. Uma adolescente comentava: Falamos minha mãe e eu, de mulher para mulher, acerca das virtudes que devia buscar no homem que fosse meu esposo.

Minha mãe insistia que marido e mulher devem ser tão semelhantes na educação e aspirações como seja passível. Eu comentei que os pólos opostos freqüentemente se atraem.

– Minha filha – replicou ela positivamente – por ser somente homem e mulher já são pólos opostos!

a) Semelhança em métodos de vida e ideais.

2. Que não tenha vícios.

3. Que não seja jogador.

4. Ver como trata sua mãe e irmãs. Provavelmente essa será a maneira como tratará a você depois da lua de mel.

5. Cuidado com aquele que pede intimidades.



  1. Como lutará para que outros a respeitem se ele for a primeiro a desonra-la?

  2. Geralmente, depois de conseguir a que querem, os homens sentem dúvidas: "Se ela fez comigo, que confiança poderia ter de que não faria com outro também?...

6. Que seja trabalhador.

7. Sentir-se feliz com a vocação do noivo.


VI. QUE SEJA POR AMOR
1. Com o amor e os fantasmas acontece a mesma coisa. Muitos falam dos fantasmas, mas poucos os têm visto.

2. Tenham cuidado com essa idéia tão popular de "AMOR À PRIMEIRA VISTA", porque parece ser que, geralmente, depois de casados, o amor encontra um bom oculista e começa a ver tudo. Normalmente, em correto português, deveríamos chamá-lo: "Impulsos à primeira vista".

3. O amor à primeira vista costuma levar a noivados relâmpagos. Não há uma norma infalível, porém esses "noivados relâmpagos " quase sempre levam a um casamento no qual abundam os trovões raios e faiscas.

4. Que é o amor?

a) Escreveu Joana de Ibarbourou:

Amor que andas como um rio vago.

Azul de amor e de melancolia;

Amor, meu amor, delgada flor do lago,

Que dura um ano, que agoniza um dia

E volta a renascer no afago

de um céu, com sua lua todavia.
Amor, meu amor saldado e sempre em dívida,

Jasmim da meia-noite e meio-dia.




  1. Soa lindo, e tem parte de razão, porque muito disso há no amor.

  • Mas se isso é tudo o que temos, provavelmente tenhamos que aceitar que não é amor.

  • O romance é parte do amor, mas o amar é mais que romance.

5. O amor é mais que um combate romântico; que um êxtase poético que nos eleve às alturas do abalo e daí se destile em palavras doces e cativantes versos.

O amor é um princípio que faz o bem e que não danifica o ser amado.


CONCLUSÃO:
Sendo que todo jovem, toda moça tem direito

  • Ao amor e

  • À felicidade.

  • A um amor responsável que conduza a uma felicidade que não entorpeça a alheia.

Desejo a todos, MUITAS FELICIDADES!




www.4tons.com

Pr. Marcelo Augusto de Carvalho


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal