O ora-pro-nobis como produto turístico



Baixar 7.89 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho7.89 Kb.
O Ora-pro-nobis como produto turístico
SALOMÃO, Dádia Lúcia Silva | E-mail:
Orientador: Prof. Marcelo Carmo.. UFJF.- UFJF/DEP. TUR. Juiz de Fora.2007. 49p. Monografia (Graduação em Turismo)
Essa pesquisa pretende tratar do turismo na perspectiva de sua estruturação e desenvolvimento subsidiados por suas relações com a cultura gastronômica. Nessa linha de orientação, esse trabalho será posto em 3 frentes, quais sejam: (a) o estabelecimento da reciprocidade entre turismo e cultura gastronômica; (b) o mapeamento dessa reciprocidade na cidade de Tiradentes (MG); e (c) o detalhamento dessa reciprocidade na utilização do ora-pro-nóbis como elemento matriz do turismo gastronômico registrado em Tiradentes.

Compreender o turismo na perspectiva de sua reciprocidade com a cultura gastronômica é buscar um embasamento fortemente social para as atividades derivadas das projeções do turismo. Na verdade, trata de se reconhecer de que modo uma tarefa tão intimamente intrínseca à vida cotidiana de uma comunidade, como o é o preparar e partilhar alimentos e bebidas, pode garantir a linha mestra da economia e da vida de uma cidade.

Junto a esse estreitamento entre a história e a experiência de vida dos habitantes da cidade e a projeção dessa cidade para além de seus limites físicos, há que se compreender também as movimentações de persuasão e sedução do outro, estratégias tão comuns ao núcleo central do turismo, e que, especificamente nesse campo, agem como um canto da sereia bastante promissor.

O turismo cultural, com seu enfoque na gastronomia, é uma área ainda não muito explorada no Brasil, especialmente pelo fato de o país ser tão diversificado ao se considerar a formação de sua população. Fruto de um intenso processo de imigração, iniciado desde o seu descobrimento, o país tem muitas raízes, muitas colônias, muitas culturas. Como escreveu Caloca Fernandes, especialista em culinária brasileira e autor do livro Viagem Gastronômica Através do Brasil (FERNANDES, 2000) “nossas origens gastronômicas são um reflexo de nossa história: país colonizado que recebeu, ao longo do tempo, diferentes povos, com tradições e hábitos alimentares variados”.

Essa vocação de colonizado e essa forte receptividade ao imigrante estrangeiro constituíram, para o país, uma cultura gastronômica tão multifacetada e tão resistente a uma padronização, que é impróprio falar da gastronomia brasileira como se falam da gastronomia francesa, alemã ou japonesa, por exemplo, que são bastante previsíveis e matriciais. Para tratar da gastronomia brasileira, o mais adequado é tratar dela em suas diversas realizações regionais, nas produções criativas e diferentes de suas regiões, tão distintas e tão inusitadas que quase se parece que seria correto tratar da gastronomia do sul do Brasil e da gastronomia do Nordeste do Brasil, e do Norte, e do Centro-Oeste e do Sudeste.

É talvez por conta dessa ausência de uma linha de orientação comum entre os diversos regionalismos gastronômicos que esse tipo de turismo no Brasil ainda está tão tímido e tão pouco audacioso. Tratar dele, portanto, é também tratar da diversidade cultural que o subsidia. Esse será o fundo da discussão de nosso trabalho de conclusão de curso, a ser desenvolvida na próxima seção.

Este trabalho pretende abordar de forma teórica, no primeiro capítulo, o turismo gastronômico e cultural como parte da história do ser humano, relatando assim, de maneira objetiva, como foram os primeiros deslocamentos, a forma como era realizado e como essa prática foi sendo difundida ao longo dos anos dando início à prática do turismo que conhecemos, hoje.

No segundo capítulo, será relatada a história do ora-pro-nóbis, sua utilização na culinária contemporânea, como ele foi se difundindo na gastronomia local da cidade de Tiradentes e sua importância na economia de certas cidades.



O terceiro capítulo discutirá a importância do turismo gastronômico na cidade de Tiradentes, tendo como carro-chefe turístico o ora-pro-nóbis. Nesse capítulo, será também apresentada a pesquisa de campo realizada com o objetivo de constatar se, do ponto de vista dos moradores da cidade e de seus visitantes, o ora-pro-nóbis é realmente um incentivador do turismo local e qual sua participação na prática do turismo da cidade.

Esse trabalho é uma análise da influência do ora-pro-nóbis como incentivador do turismo gastronômico local na cidade de Tiradentes, Minas Gerais. Tem, como objetivo primordial avaliar o impacto causado pela planta na prática do turismo gastronômico local. Em termos estruturais, essa monografia foi elaborado com base em um suporte teórico que sustenta a concepção do turismo como uma atividade sócio-histórico-cultural e a partir da perspectivização posta pela pesquisa de campo, orientada especialmente pela interação com moradores e comerciantes da cidade de Tiradentes, Minas Gerais.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal