O planejamento das atividades escolares é uma necessidade imperiosa, tendo em vista atingir os resultados da ação educacional previstos na legislação em vigor e especificamente, na ldb 9394/96



Baixar 449.13 Kb.
Página1/7
Encontro29.07.2016
Tamanho449.13 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7





  1. INTRODUÇÃO

O planejamento das atividades escolares é uma necessidade imperiosa, tendo em vista atingir os resultados da ação educacional previstos na legislação em vigor e especificamente, na LDB 9394/96. Com o intuito de esclarecer o significado da Proposta Pedagógica reuniram-se: direção, professores , pcagp, coordenadores, docentes, funcionários, pais, membros do Conselho de Escola e pessoal de apoio para realizar o Projeto, ou seja, a intenção da escola em realizar um trabalho de qualidade, mediante um diagnóstico da situação e da unidade, tanto do ponto de vista da aprendizagem dos alunos, como das relações entre todos envolvidos, que, de uma forma ou de outra, participarão do processo educacional desenvolvido pela unidade. Para sua concretização será necessário, a partir do diagnóstico, eleger as metas a ser atingidas, estabelecer ações concretas, etapas e recursos necessários para a implementação das ações e avaliação daquilo que todos se prepuseram a realizar.

Criou-se um relativo consenso de que a Educação Básica deve priorizar fundamentalmente a preparação para o exercício da cidadania, cabendo à escola formar o aprendiz em conhecimentos, habilidades, valores, atitudes, formas de pensar e atuar na sociedade por meio de uma aprendizagem que seja significativa. Ao mesmo tempo, uma análise global da realidade escolar mostra que na prática ainda estamos distantes da possibilidade de transformar o discurso em ações concretas sobre formação para a cidadania e, mais especificamente, da aprendizagem significativa, ou seja, se queremos que os conhecimentos escolares contribuam para a formação do cidadão e que se incorporem como ferramentas, a aprendizagem deve desenvolver-se num processo de negociação de significados. Em resumo, se os estudantes não percebem o valor dos conceitos escolares para analisar, compreender e tomar decisões sobre a realidade que os cerca, não se pode produzir uma aprendizagem significativa.

Uma aprendizagem significativa está relacionada à possibilidade de os alunos aprenderem por múltiplos caminhos, permitindo a eles diversos meios e modos de expressão, ou seja, a aprendizagem não ocorre da mesma forma e no mesmo momento para todos; interferem nesse processo as diferenças individuais, o perfil de cada um, as diversas maneiras que as pessoas têm para aprender.

2– IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR


  • Nome da escola: E.E.Pe August Johannes Ferdinandus Stauder

  • Endereço: Rua: Ministro Hipólito, 267 – Jd Aracília - Guarulhos – SP

  • CEP: 07250-070

  • Telefone: fax (11)2459-3106/2459-1238

  • e-mail: e006452a@see.sp.gov.br

2.1 – Atos Legais

Ato Legal de criação: SE 9491- DOE 12/02/1972



2.2 - Códigos da unidade escolar

  • CIE: 006452

  • U. A. 45965

  • U.E. 14

  • FDE: convênio- 01.15.134

  • CNPJ (da APM): 49.809.155/0001-62

2.3- Jurisdição

Diretoria de Ensino – Região Guarulhos Sul



2.4 – Modalidades de Ensino

  • cursos: Ensino Fundamental anos finais

  • Ensino Médio

2.5 - Organização da escola:

  • nível: Ensino Fundamental anos finais (8º anoº/7ª série ) e Ensino Médio (1ª série à 3ª série A)

  • 1º turno de segunda-feira à sexta-feira.

Manhã – 07:00 às 12:20

  • nível: Ensino Fundamental anos finais (6º ano, 7º ano e 8 série )

  • 2º turno de segunda-feira à sexta-feira.

Tarde - 13:00 às 18:20

  • nível: Ensino Médio (3ª série B e C)

  • 3 turno de segunda-feira à sexta-feira.

  • Noite 19:00 às 23:00

2.6– Equipe de Gestão

Tânia de Fátima Ribeiro Souza - Diretora de Escola


Adelaide Alves Batista - Vice-Diretora de Escola
2.7– Coordenação

Professora coordenadora (6º AO 9º ANO): ERICA DIAS DOS SANTOS

Professora coordenadora (1º A 3º SÉRIE):  VIVIANE CARVALHO DEI RICARDI

Professor Coordenador de Apoio a Gestão : CARLOS EDUARDO DE FREITAS 



3 – CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR

3.1- Histórico

A EE Pe August Johannes Ferdinandus Stauder conta com alunos do Ensino Fundamental anos finais e Ensino Médio, em dois turnos diurnos e um noturno, no Bairro Jardim Aracília, no município de Guarulhos.

É uma escola que atende prioritariamente a comunidade do bairro, uma vez que está isolada entre de um bairro pequeno, na divisa com Arujá e Itaquaquecetuba. Região entre indústrias, portanto, com características peculiares ao local com um grande potencial econômico, já que as indústrias são as principais atividades do município. A maioria dos alunos oriundos do Nordeste o que provoca uma rotatividade durante o ano. A instituição atende alunos da comunidade local e de bairros vizinhos.

O nível sócio econômico da comunidade é baixo, estando na media de 70% para muito baixo e 30% para baixo, sendo proporcional também o número de moradores com casa própria.

A escola se distancia do centro da cidade cerca de 20 km e o acesso por transporte público é difícil e precário, uma vez que tem apenas duas linhas intermunicipais (Arujá-Shopping Bonsucesso, Jd Califórnia-St Mena) e uma linha municipal que vem de outro bairro distante (Califórnia -Arménia). Ressalta-se que essas linhas de ônibus fazem passagem pelo bairro, e que os horários dos mesmos são escassos durante o dia, se intensificando em horário de pico.

Apesar de ser um bairro antigo, é constituído de muitas crianças e jovens que sofrem a precariedade de atividades culturais e de lazer,sendo que a maioria desses jovens se utiliza da televisão como forma de lazer.

A escola promove eventos festivos em datas comemorativas, contando com pouca participação da comunidade.

A igreja por sua vez também tenta suprir a carência de atividades oferecendo à comunidade, bingos beneficentes, quermesses e chás. Há também algumas igrejas evangélicas.

Seu patrono o Padre August Johannes Ferdinandus Stauder, trabalhou até o final de sua vida auxiliando os moradores de Aracília, Bonsucesso, Pimentas e Parque Jurema, sempre colaborando e ajudando as famílias carentes dessa região.



3.2 - Recursos Físicos

A Escola Estadual "Pe August Johannes Ferdinandus Stauder" está instalada num prédio antigo que foi sendo reformado conforme as necessidades da comunidade escolar ao longo dos anos. Necessita de manutenção interna e externa, embora esteja aparentemente conservado.

Conta com 09 salas de aula apropriadas, sala de professores, secretaria, diretoria, sala para o Professor Coordenador, laboratório de informática, sala de leitura, laboratório, sala de vídeo, um banheiro para administração, dois banheiros ( feminino e masculino) para os alunos e dois banheiros (feminino e masculino) para os professores, refeitório (localizado no pátio coberto e aberto), cozinha minúscula, quadra poli-esportiva coberta, estacionamento de veículos. A escola não possui cantina e zeladoria.

É utilizado um pequeno almoxarifado adaptado para se guardar os materiais de educação física. A merenda recebida fica no estoque de merenda.

As salas são compatíveis à quantidade de alunos. Apesar de haver a manutenção interna a equipe escolar esforça-se para que se mantenha a conservação do prédio, procurando incutir nos alunos, a conscientização da importância de uma escola bem conservada.

Numa visão mais ampla, a escola está fisicamente mal distribuída, muito extensa e muitos segmentos estão mal instalados, os banheiros dos alunos ao lado da cozinha onde é servida a merenda (um de cada lado). A casa que serviria para um caseiro precisa de reforma.




3.3 – Recurso Técnico e Pedagógico

A Escola se acha relativamente equipada para dar consecução às suas atividades educacionais, embora com alguns entraves. A parte administrativa está mal instalada, tendo em vista a sua adaptação para acomodar os alunos. Há ainda 14 microcomputadores, com kits multimídia, instalados no laboratório de informática.

A cozinha conta com os equipamentos necessários para a consecução de suas atividades, apesar de ser minúscula. Há ainda equipamentos elétricos e ferramentas para limpeza e manutenção das instalações.
A Escola possui um levantamento completo de todos os seus equipamentos, fazendo parte de seu inventário. Muitos dos equipamentos descritos encontram-se quebrados, com defeitos ou incompletos, o que dificulta o uso entre a comunidade escolar.

3.4 – Recursos Humanos

Oferecendo Ensino Fundamental anos finais e Ensino Médio a Escola conta com 35 professores em seu quadro, sendo 02 professores de apoio a aprendizagem e dois professores auxiliares, 02 readaptados por motivos diversos e 01 eventual. A administração compõe-se de 1 gerente, 09 agentes de organização escolar , duas agente de serviço escolar ( sendo uma readaptada), 2 Auxiliares de Serviço contratados pela Terceirizada Três D e 2 merendeiras da empresa Facilit.



3.4.1 – A Clientela

Fazendo parte da comunidade, é fundamental que a Escola conheça o contexto social de sua vizinhança e da clientela a que serve. Apesar de óbvia, nem sempre essa percepção é alcançada pelas unidades escolares, muitas vezes absorvidas na atividade educativa como expressão de um processo burocrático e indefinido. Conhecer a comunidade em que está inserida e, portanto, sua clientela, suas necessidades, potencialidades e expectativas, adequando a elas seu trabalho de atendimento educacional, é a única forma possível para a Escola atender às suas finalidades - formar cidadãos, conscientes e capazes, fornecendo, ainda, os conteúdos e habilidades necessários à sua melhor inserção no ambiente social.

A clientela não difere das de outras escolas públicas da periferia de Guarulhos: carenciada de modo geral, muitas vezes desnutrida, proveniente de lares desfeitos ou desestruturados pela falta de emprego ou atividade econômica, alcoolismo e uso de drogas. A delinqüência entre os jovens são comum e a convivência diária com o crime banaliza a violência e a marginalidade. Esse contexto transforma nossos alunos em verdadeiros sobreviventes, para os quais o dia a dia se transforma em batalha pela manutenção da vida e dos poucos bens materiais de que dispõem.

Por ser uma escola de porte médio, antiga e atender prioritariamente aos moradores do bairro, a escola conhece praticamente todos os alunos, permitindo-se diferenciar os problemas e comportamentos dos mesmos, podendo-se dizer que os alunos sabem o que se espera da escola, havendo a reciprocidade por parte dos educadores. Como a clientela é conhecida, os problemas também o são: carências familiares, materiais, falta de emprego na família, etc., o que não impede a comunidade de ser exigente em relação ao ensino que os alunos recebem e se posicionarem ativamente sobre o que desejam da escola.

A delinqüência com atos de vandalismo, alcoolismo e uso de drogas já se faz sentir dentro da unidade escolar, ainda que de forma indireta, sendo grande o numero de jovens moradores do bairro, que estejam encaixados neste contexto. Esse quadro aparentemente é causado principalmente pela falta de lugares de recreação e lazer adequado aos jovens, aprofundando a instabilidade social do bairro, pois aliada à falta de oportunidades de emprego, canaliza-se as energias destes jovens para a banalização de atos violentos e para uso das drogas.

Diante do exposto, estudar, para uns, torna-se a uma forma de escapar desse ambiente - e, para outros, uma atividade de rotina, vinculada às finalidades que nos levam – direção e docentes - á tarefa diária de oferecer-lhes as melhores condições possíveis de educação e inserção no ambiente social. A escola desenvolvia o programa Escola da Família aos finais de semana, havendo boa integração da comunidade em geral, mas o mesmo foi tirado pela secretaria da educação e transferido para uma escola distante da comunidade, retirando a pouca possibilidade de lazer que tinham.



3.4.2 – A Comunidade

O bairro é antigo e pequeno, fazendo divisas com outros maiores, onde os moradores em geral, buscam suas necessidades pela própria falta de estrutura do bairro (comercio, bancos, atendimento médico,condução), resultando em um comercio local modesto, contando com um mercadinho, uma padaria e salão de beleza. Há uma igreja (Nossa Senhora de Fátima) frequentada pelos moradores, localizada próxima a escola de onde veio o Pe August Johannes Ferdinandus Stauder o qual fazia um trabalho local e nos bairros próximos como Bonsucesso e Jurema, sendo frequentada pelos moradores.

As moradias são de alvenaria, de madeira, barracos, algumas inacabadas, outras mais confortáveis, próprias e de aluguel. Usufruem a rede de água e esgotos, calçamento e iluminação em alguns locais centrais e aos redores não possuem. Por ser um bairro residencial e industrial conta com empresas, de pequeno, médio e grande porte, mas mesmo assim a população se desloca para outros bairros para trabalhar, despendendo muitas horas e grande sacrifício. A precariedade também se faz sentir no atendimento de transporte coletivo e atendimento médico, pois não existe no bairro nenhum Hospital, apenas um Posto de Saúde e o transporte coletivo não atende satisfatoriamente. Ao final da rua da escola existe Fundação Casa Guarulhos I, Fundação Guay ( Casa II), Fundação Serra da Cantareira ( Casa III).

A Escola mantém um bom relacionamento com a comunidade nas atividades desenvolvidas, com parte dos pais participativos e conscientes da importância da escola, num contexto diferenciado e outra parte dos pais não tão participantes ( algumas vezes pela longa jornada de trabalho), mas confiantes nas ações desenvolvidas pela escola e no tratamento dado aos seus filhos.



3.5 – Proposta Pedagógica da E.E. Pe August Johannes Ferdinandus Stauder

A proposta pedagógica da E.E Pe August Johannes Ferdinandus Stauder .leva em conta a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB 9.394/96, a Constituição Brasileira, o Estatuto da Criança e do Adolescente, o disposto nos Parâmetros Curriculares Nacionais PCN, Deliberação no. 01/99 do Conselho Estadual de Educação de São Paulo e Orientações Curriculares. A metodologia de ensino baseia-se na proposta sócio-construtivista, ou seja, o objetivo é levar o jovem a explorar e descobrir todas as possibilidades do seu corpo, dos objetivos, das relações, do espaço e através disso, desenvolver a sua capacidade de observar, descobrir e pensar. As atividades são programadas à inserir o conteúdo a ser trabalhado dentro do objetivo a ser alcançado pela escola.

A proposta pedagógica da Escola privilegia o ensino enquanto construção do conhecimento, o desenvolvimento pleno das potencialidades do aluno e sua inserção no ambiente social utilizando, para isso, os conteúdos curriculares da base nacional comum e os temas transversais. A grande prioridade para o ciclo II é a formação de leitores e escritores competentes, para que os alunos possam interagir a partir da leitura e escrita com textos de gêneros diferentes e com distintos propósitos sociais. As opções de organização do tempo didático, conforme têm são observadas pelo programa, são pelo trabalho com projetos e sequencias didáticas e pela proposta de atividades permanentes de leitura, escrita e análise e reflexão sobre a linguagem e a língua.

Há também a prioridade para a criação de situações didáticas que contribuam para os alunos colocarem em jogo os conhecimentos adquiridos, buscando novas estratégias e idéias com a exposição de suas próprias hipóteses, da escuta, de outras opiniões, do confronto de idéias, promovendo um novo patamar de conhecimento, transformando a sala de aula num espaço investigativo. O desafio de construir uma educação de qualidade, que integre todas as dimensões do ser humano, evolve diferentes variáveis:



  • Organização inovadora, aberta e dinâmica nas escolas, traduzidos por projetos pedagógicos participativos e consistentes, orientados por currículos ricos e atualizados;

  • Infra-estrutura adequada nas escolas, com acesso a tecnologias e à informação;

  • Docentes motivados comunicativos e comprometidos com a educação de seus alunos, bem preparados intelectual, emocional e eticamente, com oportunidades de desenvolvimento profissional;

  • Alunos motivados a estudar para aprender, com capacidade de gerenciamento pessoal e grupal, respeitados em suas características e vistos como capazes de aprender;

  • Relação entre professores e alunos que permita, mutuamente, conhecer, respeitar, orientar, ensinar e aprender;

  • Interação da escola com as famílias e com outras instituições responsáveis pela educação dos alunos.

O Ensino Fundamental e Médio devem estar comprometido com a democracia e a cidadania. Nesse sentido, baseados no texto da Constituição de 88, os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN’s orientam a escola quanto aos princípios gerais que visam à consecução das seguintes metas:

- respeito aos direitos humanos e exclusão de qualquer tipo de discriminação, nas relações interpessoais, públicas e privadas;

- igualdade de direitos, de forma a garantir a equidade em todos os níveis;

-participação como elemento fundamental à democracia;

-co-responsabilidade pela vida social como compromisso individual e coletivo.

A LDB 9.394/96 tem na cidadania seu eixo orientador e se compromete com valores e conhecimentos que viabilizam a participação efetiva do aluno na vida social; em função disso, são 3 nossas diretrizes de ensino:

- posicionamento em relação às questões sociais e visão da tarefa educativa como intervenção intencional no presente;

- tratamento de valores como conceitos reais, inseridos no contexto do cotidiano;

- inclusão dessas perspectivas no ensino dos diversos conteúdos.

A inclusão de temas sócio-culturais no currículo transcende o âmbito das diversas disciplinas e corresponde aos Temas Transversais, preconizados pelos PCN’s pra o Ensino fundamental e que se caracterizam por:

Na forma de:

- ética;


- diversidade cultural;

- meio-ambiente;

- saúde;

- orientação sexual;

- trabalho e consumo;

- temas locais, serão agregados, sempre que possível, a temáticas que evidenciem os contextos da comunidade onde Escola está inserida.



Objetivos gerais para o aluno
- domínio de corpo de conhecimentos acadêmicos;
- aquisição de habilidades para a vida de trabalho;
- aquisição de capacidade de tomar decisões e posições, a partir de análises;
- aquisição de habilidades de síntese e aplicação de conhecimentos;
- compreensão e uso de tecnologias;
- formação de juízos de valor a partir da vivência no ambiente social;
- aquisição de leitura e escrita e uso competente de tais habilidades;
- cooperação individual e coletiva em situações particulares, locais e globais;
- compreensão de deveres e direitos de cidadania.

- urgência social;


- abrangência nacional;
- possibilidade de ensino e aprendizagem no Ensino Fundamental;
- favorecimento na compreensão da realidade social.

O currículo escolar valorizará, ainda, as seguintes atividades:


- estudos do meio;
- eventos cívicos e comemorativos;
- excursões de integração e socialização;
- visitas a exposições, mostras culturais e eventos.

Os alunos contarão com uma sala pedagógica e a sala do Acessa Escola com computadores cuja finalidade é a obtenção de competências e habilidades no uso da informática como instrumento de estudo, pesquisa e trabalho.



AVALIAÇÃO
A avaliação deve ocorrer no próprio processo de trabalho dos estudantes, no dia a dia da sala de aula, no momento das discussões coletivas, da realização de tarefas em grupos ou individuais.

A avaliação, com tal dimensão, não pode ser referida a um único instrumento nem restrita a um só momento ou uma única forma. Somente com amplo espectro de recursos de avaliação pode possibilitar manifestação de diferentes competências, dando condições para que o professor atue de forma adequada.

As práticas de avaliação serão, primordialmente, observacionais, com ênfase na avaliação qualitativa sobre a quantitativa, independentemente do critério de atribuição de notas ou conceitos.

Os professores utilizarão fichas individuais de acompanhamento e observação dos alunos, com os itens a serem preenchidos e condizentes com os conteúdos conceituais, atitudinais e procedimentais desenvolvidos.


  1   2   3   4   5   6   7


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal