O povo cigano, radicado em Portugal desde meados do séc. XV, foi durante séculos marginalizado e pouco apreciado



Baixar 3.85 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho3.85 Kb.
Cultura Cigana
O povo cigano, radicado em Portugal desde meados do séc. XV, foi durante séculos marginalizado e pouco apreciado.

Hoje enfrenta um novo e decisivo desafio: a integração imposta em nome do progresso e dos direitos humanos.

Tradicionalmente vendedores ambulantes ou feirantes, os ciganos já tiveram o ofício de tanoeiros e cesteiros, vendendo também cavalos e outros muares.

A adesão ao trabalho por conta própria mantém-nos à margem de um mundo inovador e em constante mudança. Cada vez será mais difícil ganhar a vida como vendedor ambulante.

Em Espanha já existem campanhas de ajuda à integração laboral da comunidade cigana que tem como nome “O emprego torna-nos iguais”.

A valorização das pessoas de etnia cigana deve ser promovida sobretudo a partir dos contextos de inter-relação e de convivência multicultural, nomeadamente nos espaços educativos e formativos.



Um melhor conhecimento da história e cultura cigana pode gerar novas dinâmicas entre ciganos e não ciganos, criando laços de respeito e apreço mútuos, combatendo preconceitos e estereótipos que permanecem ainda nos dias de hoje.

É altura de se fazer mais uma viragem estratégica que levante barreiras e permita uma aproximação entre ciganos e não ciganos, conduzindo-os a caminhos comuns.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal