O sentido da pedagogia waldorf: vivenciando uma experiência exitosa



Baixar 25.78 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho25.78 Kb.


O SENTIDO DA PEDAGOGIA WALDORF: VIVENCIANDO UMA EXPERIÊNCIA EXITOSA
Angelita Silva Cezar¹

UFMT


hotelzinhoecodomato@gmail.com

Lilian Leandro da Fonseca²

UFMT

lilianleandro@hotmail.com



Maria da Anunciação Pinheiro Barros Neta³

UFMT


barrosneta@gmail.com
RESUMO
Este trabalho foi realizado no módulo de Projetos Integradores I, curso de Pedagogia e teve por objetivo descrever e compreender o significado da pedagogia Waldorf para formação humana. O trabalho teve por base a observação em uma instituição privada de educação infantil localizada na região sul de Cuiabá, onde atende crianças de 4 meses aos 5 anos de idade, focalizamos apenas crianças de 3 aos 5 anos de idade e revisão bibliográfica. Tal instituição tem como preocupação central a criança, valorizando o desenvolvimento através da ludicidade e do contato com a natureza, o aprender brincando. A pedagogia Waldorf, fundada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner (1861-1925) em 1919 em Stuttgart, Alemanha, fundamenta-se no conhecimento do ser humano e de sua relação com o meio segundo a Antroposofia. Seu método de ensino busca reconhecer o homem como ser livre e original, sendo digno de um olhar individual, durante o seu processo de desenvolvimento na busca de uma formação humana integral. Um jardim Waldorf deve proporcionar um ambiente tranqüilo para que as crianças possam brincar cantar, dançar, desenhar, pintar, cozinhar, fazer teatro, ouvirem muitas histórias. Nesta pedagogia, o desenvolvimento do ser humano se dá através de setênios. Este relato está centrado no primeiro setênio, compreende o nascimento até a troca dos dentes, por volta dos sete anos. Nessa proposta educacional Waldorf, no cotidiano da criança pequena, devemos criar ritmos que se repetem diariamente, semanalmente, mensalmente e anualmente. Pudemos perceber que esses ritmos trabalhados diariamente e a cada dia um tipo de atividade faz com que as crianças tenham noção de tempo e a felicidade com suas produções. Os momentos de inspiração e expansão são muito valorizados. Nessa proposta pudemos perceber a riqueza de músicas, o baixo tom de voz da professora com as crianças, o respeito à individualidade, o resgate de brincadeiras e brinquedos simples, se diferenciando de algumas escolas de hoje.

Palavras-chave: Pedagogia Waldorf ; criança; ludicidade


Este trabalho busca descrever e compreender o significado da pedagogia Waldorf para formação humana. O trabalho foi realizado em uma instituição privada de educação infantil localizada na região sul de Cuiabá, onde atende crianças de 4 meses aos 5 anos de idade. Tal instituição tem como preocupação central a criança, valorizando o desenvolvimento através da ludicidade e do contato com a natureza, o aprender brincando. O local possui salas amplas com brinquedos pedagógicos, um amplo espaço para o brincar livre com viveiros de pássaros, um parquinho todo em madeira, tanque de areia, espaço para cultivo de horta, piscina proporcionando às crianças um ambiente mais próximo da proposta Waldorf.

A pedagogia Waldorf, fundada pelo filósofo, cientista e artista austríaco Rudolf Steiner (1861-1925) em 1919 em Stuttgart, Alemanha, fundamenta-se no conhecimento do ser humano e de sua relação com o meio segundo a Antroposofia, palavra de origem grega, que significa ”Sabedoria Humana”. A Antroposofia também criada por Rudolf Steiner se anuncia como uma ciência, mais abrangente que a ciência Natural, ou seja, uma visão do universo e do homem.

Também, em 1919, Steiner foi convidado por Emil Molt, o proprietário da Fábrica de cigarros Waldorf-Astoria, para uma série de palestras para os trabalhadores de sua fábrica. Como resultado, os trabalhadores pediram a Steiner que fundasse e dirigisse uma Escola para seus filhos e o proprietário da empresa apoiou e financiou a concretização da ideia. Em 7 de setembro de 1919, foi aberta a Die Freie Waldorfschule (A Escola Waldorf Livre).

O início da educação Waldorf Livre ocorreu após o término da primeira Guerra Mundial, numa época marcada pela construção social e econômica, tendo Steiner como um dos líderes do movimento de revolução social buscando novos modelos de sociedade. A Pedagogia Waldorf surge como um novo impulso na educação voltada para atender as necessidades da formação humanista. Seu método de ensino busca reconhecer o homem como ser livre e original, sendo digno de um olhar individual, durante o seu processo de desenvolvimento. Tal pedagogia se propõe a criar soluções criativas para a formação humana integral.

Na visão Waldorf, o desenvolvimento do ser humano se dá através de setênios. Este relato está centrado no primeiro setênio, compreende o nascimento até a troca dos dentes, por volta dos sete anos. Nesse primeiro momento precisamos mostrar a criança que o mundo é bom, dar imaginação e criatividade para encorajá-las a brincar com a fantasia e desenvolverem suas vontades. Um jardim Waldorf deve proporcionar um ambiente tranqüilo para que as crianças possam brincar cantar, dançar, desenhar, pintar, cozinhar, fazer teatro, ouvirem muitas histórias. [...] devemos ter, em um jardim da infância, a imagem daquilo que os adultos também fazem, e não o que é especialmente engendrado [...] (Steiner, 1990, pag. 27)

Para Piaget, a criança a partir do primeiro mês, num período denominado por ele como sensório-motor, já começa a repetir movimentos que num primeiro momento causa interesse e depois se torna um ato prazeroso. Ela explora o mundo ao seu redor, e com isso se torna uma atividade lúdica, pois ela repete por prazer de realizar o movimento. Conforme cada estágio a criança vai descobrir novas formas de brincar.

Nessa proposta educacional Waldorf, no cotidiano da criança pequena, devemos criar ritmos que se repetem diariamente, semanalmente, mensalmente e anualmente, eles são fontes de saúde. Trabalhamos a repetição e a imitação, que faz criar na criança o desejo de ouvir novamente a história. A existência de uma Ordem no Universo e de seu milagroso equilíbrio de forças é vivenciada em ritmo anual com as Festas do Ano, que são cuidadosamente preparadas pelos alunos e professoras.

A ludicidade palavra de origem latina “ludus”, jogos, nesta pedagogia nos mostrou um novo caminho para busca de uma nova educação. Os educadores que procuram promover mudanças poderão encontrar nessa metodologia uma importante ferramenta para contribuir na construção de um ser humano mais feliz. Levando o brincar mais a sério e valorizando as vivencias de cada criança.

Hoje em dia no contexto da educação a ludicidade é também uma atividade de brincar espontâneo, com liberdade e respeito. O lúdico passou a ser reconhecido como um traço essencial da psicofisiologia do comportamento humano. De modo que a definição deixou de ser simplesmente sinônimo de jogos. É valorizada a importância do brincar na infância, pois se acredita que as atividades lúdicas são importantes fatores de aprendizagem e que em seu desenvolvimento se exercita a plenitude.

Através da visão de vários especialistas sobre a importância da aprendizagem lúdica na educação infantil, como Piaget (7975) traz o brincar como fonte de prazer. Vygotsky (1984) relaciona o desenvolvimento cognitivo com o aprender a brincar e Rojas (2007) entende o brincar como atividade de criatividade, um impulso para buscar outro olhar em relação ao desenvolvimento infantil. Esse relato tem por base compreender esses estudos na educação infantil sob a perspectiva da pedagogia Waldorf.



A vivência...

A cada dia observado percebemos que o ritmo diário está baseado no cantar, brincar livre na sala, lanchar, brincar no pátio, ouvir histórias. É dada uma característica especial a cada dia da semana como ritmo semanal. A cada segunda observamos que as crianças fizeram desenhos, na terça-feira a modelagem, na quarta-feira pintam aquarela, na quinta-feira fazem o pão integral, e na sexta-feira o teatro. Pudemos perceber que esses ritmos trabalhados diariamente e a cada dia um tipo de atividade faz com que as crianças tenham noção de tempo e a felicidade com suas produções.

Os momentos de inspiração são muito valorizados, como na hora de ouvir a história, todos ficam concentrados, e outros momentos de expiração, como arrumar o castelo, brincar fora, ou seja, a expansão. Esse ritmo, foi repetido todos os dias e ajuda as crianças a respirarem harmoniosamente e sentirem-se seguras.

No ritmo mensal, cada mês é um tema, desenvolvido nas rodas, nas histórias e contos, de acordo com a época do ano. O período de nossa observação coincidiu com o ritmo de Natal.

No ritmo anual, cada estação é enfatizada para as crianças com festas e teatros, como por exemplo, a festa da primavera.

Percebemos que para cada atividade há uma música que as crianças já sabem muito bem sua finalidade. Até para chamar a atenção de uma criança há uma música e sempre em tom de voz baixo. Como nessa idade a imitação está presente no desenvolvimento das crianças, para tudo se tem uma cantiga e elas imitam as professoras em tudo que cantam e fazem, assim sem perceber as crianças fazem o que é esperado delas.

Foi possível perceber que em todas as teorias a ludicidade tem um papel fundamental no desenvolvimento infantil, na descoberta do mundo.

A pedagogia Waldorf mostra uma grande preocupação com a sociedade, na busca de valorização do ser humano, neste contexto de séc. XXI, para que a educação seja utilizada como um resgate dessa valorização. O papel da escola deve ser sempre o de criar cidadãos críticos, com uma visão de mudança, enriquecer as relações através da simplicidade, do respeito, do amor.

A sala observada, denominada castelo, era composta por 11 crianças. As meninas chamadas de princesas e os meninos de príncipes. As duas condutoras, uma professora e uma auxiliar, são chamadas carinhosamente de tias pelas crianças. A cada criança é concedida uma estrelinha imaginária que brilha de acordo com o comportamento de cada uma. Nas salas, não há carteiras, o ambiente é amplo e arejado com um banheiro ao fundo para uso exclusivo das crianças. Na sala, há os denominados cantinhos como o de épocas, onde são colocados objetos que representem as épocas do ano, cantinho dos brinquedos pedagógicos em madeira, um baú, um cantinho com uma cabana suspensa próximo a janela com colchonetes e almofadas embaixo dela. A professora utiliza esses objetos de modo a desenvolver criatividade nas crianças como foi observado com a brincadeira de salão de beleza imaginário.

Percebemos que a todo momento é desenvolvido com as crianças um trabalho de respeito, convivência e compartilhamento entre elas, tanto com relação aos objetos quanto em relação a atenção das tias, pois cada um tem sua vez. Em um dos dias de observação a professora brincou de passear na floresta, as crianças sentaram em círculo e participaram ativamente da brincadeira. Imaginaram os lugares, os animais, os sons dos passos, o movimento das plantas e assim a professora vai narrando a brincadeira incluindo o que elas dizem e fazendo gestos que representam o percurso da brincadeira, que pode ser um rio, um pântano, um milharal, uma caverna e outros lugares dependendo da imaginação das crianças. Interessante comentar que a professora conduz a brincadeira, mas são as crianças que ditam o rumo do tema contado. Em todas as atividades, as crianças são levadas a questionamentos valorizando sempre o que elas trazem de vivência para ampliar o conhecimento.

Essa proposta valoriza o lúdico e a afetividade no desenvolvimento da criança, assim como a ética e a estética entre a arte e as disciplinas, fazendo uma integralidade na arte educação. Neste sentido podemos afirmar que no espaço escolar elas convivem em harmonia, liberdade e disciplina. Disciplina não imposta, mas conquistada. As crianças desenvolvem a parte essencial de sua infância, o saber brincar com muito respeito.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com este trabalho foi possível perceber o trabalho de introspecção e expansão realizado com as crianças. Ter vivenciado outra proposta de ensino foi enriquecedor, pois a riqueza de músicas, o baixo tom de voz da professora com as crianças, o respeito à individualidade, o resgate de brincadeiras e brinquedos simples foram observações que se diferenciam dos métodos tradicionais utilizados por algumas escolas.

Como nos diz Steiner à grande meta da pedagogia Waldorf é formar seres humanos livres, capazes de por si mesmo, desenvolver suas potencialidades e propósitos próprios, e é neste período da primeira infância que se abarca os conhecimentos necessários que teremos para a vida toda: Andar, Falar e iniciar a Pensar.

Portanto o trabalho lúdico é de grande valia para desenvolver todas as potencialidades, das quais a pedagogia Waldorf se propõe.

Nota:

¹Aluna do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso



²Aluna do curso de Pedagogia da Universidade Federal de mato Grosso

³Professora do IE/UFMT


Referências Bibliográficas:

LANZ, Rudolf. A pedagogia Waldorf: caminho para um ensino mais humano. 5.ed. São Paulo: Antroposófica, 1990.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. 2 ed. Rio de Janeiro; Zahar, 1975.

REGO, Teresa C. Vygotsky: uma perspectiva histórico – cultural da educação.



ROJAS, Jucimara. Jogos, brinquedos e brincadeiras: o lúdico e o processo de desenvolvimento infantil. Cuiabá: UFMT, 2007.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal