O sr. Adelor vieira



Baixar 10.57 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho10.57 Kb.


O SR. ADELOR VIEIRA (PMDB-SC) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, é com enorme satisfação que o PMDB participa desta sessão solene em homenagem ao Dia Nacional de Missões Transculturais. Louvamos a iniciativa da proposição, do nobre colega, Deputado Pastor Pedro Ribeiro, e dos que o apoiaram, pois esta sessão nos possibilita reconhecer a importância do trabalho dos que se dedicam a irradiar a palavra de Deus, a todos os povos da terra.

Missão, em suas origens latinas, deriva do verbo enviar. E são muitos os exemplos oferecidos tanto pelo Velho Testamento, quanto pelo Novo, de missionários enviados por Deus, a outras terras, como testemunhas e pregadores da verdade revelada por Ele. Abraão foi escolhido para deixar a casa de seus pais em Ur dos Caldeus e para se estabelecer em um lugar estranho, entre pessoas desconhecidas, para um lugar em que Deus haveria de lhe mostrar, para que, por meio dele, o Senhor pudesse abençoar outras nações. Jonas foi mandado à cidade de Nínive, para clamar contra ela e para levar uma mensagem de arrependimento a seus habitantes, pois eram grandes os seus pecados, e pelo arrependimento, Deus pouparia os ninivitas. O próprio Jesus Cristo foi enviado por Deus para nos reconciliar com o Pai, depois de sua morte e ressurreição, for assunto do céu, deixando, entre nós, seus discípulos, com o objetivo de anunciarem o Evangelho que significa boas novas de salvação à toda a humanidade.

Hoje, esses discípulos se multiplicaram e realizam sua obra nos mais diversos pontos do planeta terra, enfrentando todo tipo de dificuldade. Com frequência precisam transpor a barreira imposta pela diferença de línguas e de culturas; devem conciliar a tarefa evangelizadora com as exigências materiais da vida cotidiana; têm de levar as pessoas ao conhecimento de Deus e da Sua Palavra, sem imposição, nem paternalismo. Firmados na fé aprendem a confrontar problemas de ordem financeira, burocrática ou legal, que se tornam ainda mais graves, pelo fato de ocorrerem em país estrangeiro.

Entretanto, esses missionários não se deixam abater por tais questões, pois acreditam que, como disse o apostolo Paulo, “anunciar o Evangelho é necessidade que se lhes impõe, é incumbência que lhes foi confiada”.

Assim, dedicam-se de corpo e alma a tão digna missão de evangelizar os povos, onde quer que estejam. Ao se integrarem às comunidades que evangelizam, os missionários deparam-se, muitas vezes, com pessoas oprimidas, humilhadas, excluídas. E vivenciam esse sofrimento como se fossem seus, caracterizando-se em verdadeira paixão pelas almas. Assumem, ainda outro compromisso, a ser efetivado simultaneamente ao desafio de transmitir a salvação pela verdade cristã: a luta pela transformação social e pela reinserção social daqueles que por qualquer motivo ou razão já se encontram à margem da sociedade.

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a palavra de Deus recebida e obedecida pelo ser humano, dá sentido à vida. Ela é libertadora. Ao mesmo tempo que livra do pecado, ajuda a promover a construção de uma sociedade baseada no respeito à justiça e solidariedade

Sr. Presidente, esta Casa, em boa hora, reúne seus deputados para esta Sessão Solene alusiva ao Dia Nacional de Missões Transculturais, e quero, finalizando, fazer um breve relato do trabalho que as igrejas vêm fazendo neste campo de missões. O Brasil tem se constituído em verdadeiro celeiro de Missionários.

Nos locais ermos da África, nas profundezas do território Asiático, nos rincões dos Países Sul-americanos, em distantes tribos da Amazônia, ou em pequenos agrupamentos do sertão brasileiro, os missionários fazem-se portadores da mensagem divina e, também, sempre dispostos, ouvem o clamor dos oprimidos e por estes a Deus intercedem. Essa dualidade, acrescida do respeito que devotam à história, à identidade cultural e aos aspectos sociais das comunidades nas quais atuam, lhes conferem uma enorme força mobilizadora, capaz de renovar o cristianismo e ampliar o Reino de Deus.

Portanto, manifestamos nosso respeito e nossa homenagem às Missões Transculturais, pelo trabalho que executam, imbuído do mais autêntico espírito de ecumenismo, de fidelidade ao evangelho e de solidariedade cristã.

O Brasil é hoje um dos países que mais envia missionários. Somente de Santa Catarina, o meu Estado, são mais de 3.500 missionários sustentados pelas igrejas evangélicas. A igreja, Assembléia de Deus, de Joinville, mantêm 95 missionários levando a Palavra de Deus nos Estados do Amazonas, Mato Grosso, Paraíba, Amapá e Paraná, bem como no Peru, Argentina, Chile, Angola, Marrocos, Haiti e Cuba, sob a coordenação do Pr. Walmor Leonel Batista. Em Camboriú, Santa Catarina, também está a Sede dos Gideões Missionários da última Hora; é uma Agência Missionária presidida pelo Pr. Cezino Bernardino que está presente em 20 países e 40 frentes de trabalhos, mantendo 2.650 missionários em todo mundo, sendo que somente na região da grande Amazônia são 190 missionários semeando a Palavra de Deus. Os Gideões Missionários possuem hoje 22 barcos, alguns deles equipados para atendimento médico e odontológico para assistir a população ribeirinha do Amazonas.

Sr. Presidente, é impossível descrever a grandiosidade da obra missionária realizada pelas muitas igrejas, em todos os Estados do Brasil.

Portanto, Sr. Presidente, na condição de Vice-Líder do PMDB, e distinguido para falar em nome da nossa Bancada, manifesto o nosso profundo reconhecimento e a nossa homenagem a todos os que fazem das Missões Transculturais uma profissão de fé e um Ministério Sagrado.

Desejo que Deus continue abençoando a todos e que nunca lhes falte saúde, disposição e também as condições necessárias para realizarem a obra que Deus lhes confiou.

Muito obrigado.


Dep. Adelor Vieira



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal