Obras de Haydn e Brahms em concerto da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal na scm



Baixar 11.8 Kb.
Encontro25.07.2016
Tamanho11.8 Kb.

Obras de Haydn e Brahms em concerto da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal na SCM

21/10/2009 - 15h20

Hugo Pilger, um dos maiores violoncelistas do Brasil, será o solista do concerto de Haydn

Nos 200 anos da morte de Joseph Haydn, a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeirounirá obras de Haydn e de Brahms no programa de seu próximo concerto sinfônico. Sob regência do maestro Silvio Viegas, a apresentação acontecerá no dia 22 de outubro, às 20 horas, na Sala Cecília Meireles e terá como solista o violoncelista Hugo Pilger, instrumentista que se destaca entre os melhores do país.

Logo no ínicio do espetáculo, o público ouvirá uma obra do alemão Johannes Brahms, que é o ponto de interseção entre os dois compositores: “Variações sobre um tema de Haydn”, na qual Brahms se utiliza de um tema do velho mestre austríaco para compor esta obra.

A segunda peça é do próprio Haydn, “Concerto para violoncelo e orquestra em dó maior”, descoberta em 1961 - ou seja, 152 anos após a morte do compositor - pelo musicólogo Oldrich Pulkert, no Museu Nacional de Praga. É um dos raros concertos para violoncelo daquele período, de grande virtuosismo. E é considerada uma das obras mestras do criador da sinfonia clássica e dos quartetos de cordas, como Haydn é conhecido.

A “Sinfonia n° 2”, de Brahms, encerra o programa . É uma das peças-chave do Romantismo alemão, entre as quatro do compositor, e a de mais fácil compreensão, com sua orquestração leve e brilhante.

O concerto é patrocinado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Cultura e a Fundação Theatro Municipal, e Eletrobrás.



Hugo Pilger - O artista gaúcho que foi spalla do naipe de cellos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal, e, atualmente, ocupa esta mesma posição na Orquestra Petrobrás Sinfônica, já se apresentou com todas as melhores orquestras do país, desde a do Teatro da Paz, de Belém, até a OSPA de Porto Alegre . Tocou em diversos países como Inglaterra, Portugal, Argentina, Uruguai, Chile, Paraguai, Bolívia, México, Espanha, França, Alemanha, Hungria, Dinamarca e Noruega. Em 2006 fez a estréia no Brasil da importante obra para violoncelo e orquestra “Tout un Monde Lointain” do compositor francês Henri Dutilleux e em 2009 a estréia sul-americana do concerto para violoncelo e orquestra “Pro et Contra” do compositor estoniano Arvo Pärt. Das obras que lhe foram especialmente dedicadas, destacam-se: “Sonata nº 2 para Violoncelo Solo” do compositor inglês David Ashbridge, “Serenata Pro Pilger” de Maurício Carrilho e “Reflexões Sobre A Ostra e O Vento” para Violoncelo e Orquestra de Cordas de Wagner Tiso. Pilger é, também, professor de violoncelo na UNIRIO.

Franz Joseph Haydn – Nasceu na Áustria em 1732. Foi um dos mais importantes compositores do período clássico. Junto com Mozart e Beethoven, personificava o chamado classicismo vienense. É considerado um dos autores mais importantes e influentes da história da música erudita ocidental, com uma carreira que cobriu desde o fim do Barroco até o início do Romantismo. Era irmão do igualmente compositor Michael Haydn, e do tenor Johann Evangelist Haydn. Tendo vivido muitos anos da sua vida na Áustria, Haydn passou a maior parte de sua carreira como músico de corte para a rica família dos Esterházy. Durante os quase trinta anos que Haydn trabalhou para os Eszterházy, produziu uma enorme quantidade de obras e o seu estilo musical tornou-se maduro. Apesar do isolamento que sofria, a fama das suas novas formas musicais ultrapassava já as fronteiras do império austríaco. Por volta de 1770, Haydn, sob autorização do príncipe começa a viajar. Desta época datam as Sinfonias de Paris, tocadas perante a corte francesa e perante a austríaca Maria Antonieta, e a versão orquestral das Sete Últimas Palavras de Cristo.O seu génio foi amplamente reconhecido durante a sua vida. Morreu em Viena no ano de 1809.

Johannes Brahms - Nasceu em Hamburgo, em 1833. Seu pai, Johan Jacob, era contrabaixista e ganhava a vida tocando nos bares e nas tavernas da cidade portuária. Aos 10 anos, fez seu primeiro concerto público, interpretando Mozart e Beethoven ao piano. A partir de então, passou a frequentar tabernas tocando à noite com seu pai. Enquanto trabalhava como músico profissional, Johannes tinha aulas com Eduard Marxsen, regente da Filarmônica de Hamburgo, com quem teve as primeiras noções de composição. Durante viagens por cidades da Alemanha, conhece Lizt e o casal Robert e Clara Schumann. Robert o acolheu como gênio , referindo-se à Brahms como “jovem àguia” e “eleito” em artigo publicado na Nova Gazeta Musical. A partir dos anos 1860 Brahms já podia sustentar-se apenas com a edição de suas obras e com seus concertos e recitais. Em 1876, acontece a estréia da sua Primeira Sinfonia, ansiosamente aguardada. Foi um grande sucesso e Brahms ficou marcado como sucessor de Beethoven - o maestro Hans von Bülow apelidou a sinfonia de “Décima”. Antes de morrer, em abril de 1897, em Viena, ainda escreve inúmeras obras de câmara para clarinete.

Programa:

Concerto Sinfônico – Obras de Haydn e Brahms

Regente: Silvio Viegas

Solista: Hugo Pilger – violoncelo

Dia: 22 de Outubro de 2009

Hora: 20 horas

Local:Sala Cecília Meireles

Preço: R$ 20,00

Desconto de 20 por cento para assinantes de O Globo

Classificação Etária: Livre




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal