OrganizaçÃo mundial de saúde press Release



Baixar 11.84 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho11.84 Kb.




ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE





Press Release


___________________________________________________________________


Melhorada a assistência a 40 mil deslocados

graças a parceria em saúde com o governo




9 de Abril de 2002
Porto Quipiri (Angola) – A situação sanitária de 40 mil deslocados de guerra instalados num campo em Porto Quipiri, Província do Bengo, 40 km a norte de Luanda, foi avaliada na quarta-feira passada pelo MINSA, MINARS e OMS.
A missão foi liderada pelo Vice-Ministro angolano da Saúde, Dr. José Van-Dúnem, e integrou a Vice Ministra da Reinserção Social, o Vice Governador provincial do Bengo, Representantes da OMS, do UNICEF e vários delegados dos parceiros que têm estado a implementar actividades no campo de deslocados da Boa Esperança, em Porto Quipiri, Bengo.

A visita foi realizada com o objectivo de avaliar a assistência sanitária aos deslocados de guerra provenientes do municipio de Nambuangongo, depois de o Representante da OMS inventariar informações alarmantes sobre as condições precárias dos deslocados, numa missão que ele realizou dia 5 de Dezembro de 2001.


Desde essa visita, a parceria e a assistência sanitária melhorou substancialmente nas áreas de prestação de serviços de saúde e de nutrição (MINSA, OMS, ECHO/EU, UNICEF e COSV), saneamento (OMS, GOAL, Cooperação Suiça), Kits de primeira necessidade (LWF, ECHO, HCR, UNICEF e MINARS), abastecimento de água (DNA, Cooperação Suiça, InterSOS, UNICEF), assistência alimentar (PAM e Acção Agrária Alemã). Dentre muitas outras entidades que também apoiaram tais acções estão o governo provincial e a OCHA.
De acordo com o Vice-Ministro da Saúde “os parceiros mostraram uma grande coesão e este facto conduziu a resultados substanciais”. “Agora – disse ele – depois de assinado o cessar fogo entre as forças armadas angolanas e as forças militares da UNITA, será necessário que se criem as condiçoes para o regresso a Nambuangongo, enquanto as melhores práticas aprendidas durante a vivência no campo devem partilhadas e reforçadas no local de origem”.
O Representante da OMS, Dr Paolo Balladelli, sublinhou: “Verifico com satisfação uma grande melhoria dos serviços de saúde, saneamento do meio, e abastecimento de água no campo”. “Este resultado – sublinhou ele – foi alcançado graças à forte coordenação registada ao nível das intervenções de saúde entre o governo e os parceiros internacionais: vacainção contra a pólio, sarampo e tétano, controlo da malária; acções contra as DTS e o VIH; combate às doenças infecciosas; protecção da saúde materna e saneamento básico são apenas alguns dos bons exemplos em como os parceiros envolvidos foram capazes de trabalhar em conjunto no Campo da Boa Esperança para o bem estar da população deslocada.”

No local, além de técnicos locais da saúde, trabalham actualmente em tempo inteiro um médico e técnicos de laboratório apoiados pela OMS. Equipamento para o funcionamento do laboratório, essencial e funcional, foi instalado no campo de deslocados. Uma farmácia bem equipada fornece todos os medicamentos essenciais, numa base regular e sem encargos para os beneficiários. Alé da vacinação de todas as crinças com idade inferior aos 5 anos contra a pólio, sarampo, tétano e BCG, 4,488 crianças maiores de 5 anos foram vacinadas contra o sarampo; 5 técnicos de laboratório, 15 técnicos da saúde e 15 parteiras tradicionais foram treinadas nos primeiros quatro meses de 2002.






Elaborado pelo Escritório da Representação da OMS em Angola, em coordenação com o UNICEF. Para mais informações os interessados queiram por favor contactar a OMS em Luanda, Angola, Rua Major Kahangulo 197, 7 andar, em Luanda, ou os telef: (2442) 332398, (091) 201808 Fax: (2442) 332314 e (1 407) 9563882 - E-Mail: whoang@ebonet.net









©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal