Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página117/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   113   114   115   116   117   118   119   120   ...   197

17. Ela vai devorar a colheita e o pão de vocês, vai devorar seus filhos e filhas, suas ovelhas e seu gado, suas parreiras e figueiras; vai destruir pela espada cidades fortificadas em que vocês tanto confiam.
18. Mas nem mesmo nessa ocasião - oráculo de Javé - eu não vou acabar totalmente com vocês.
19. Aí, quando alguém perguntar a você: 'Por que Javé nosso Deus fez tudo isso com a gente?' você responderá: 'Da mesma forma como vocês me abandonaram para servir a deuses estrangeiros na própria terra de vocês, assim agora vocês estão trabalhando como escravos para estrangeiros numa terra que não é de vocês'.

OS PAIS DA MORTE
20. Anunciem isto à casa de Jacó, façam chegar a Judá esta mensagem:
21. 'Ouçam isto, povo sem bom senso e sem inteligência. Eles têm olhos mas não vêem, têm ouvidos mas não ouvem.
22. Nem a mim vocês temem? - oráculo de Javé. Vocês não tremem na minha presença? Fui eu quem fez a areia como limite do mar, uma fronteira eterna que ele não ultrapassa; suas ondas se agitam, mas nada conseguem: elas estrondam, mas não conseguem ultrapassar'.
23. Este povo, porém, é duro e rebelde de coração: eles se afastaram e foram-se embora.
24. Não pensam: 'Vamos temer a Javé nosso Deus, que nos dá a chuva de outono e a chuva da primavera no tempo certo; e ainda guarda para nós as semanas certas para a colheita'.
25. As maldades de vocês transtornaram essas coisas, e os erros de vocês afastaram todos esses bens;
26. porque há ímpios no meio do meu povo, espreitando, como se agacham os caçadores de passarinhos; mas preparam armadilhas para pegar gente.
27. Como gaiola cheia de passarinhos, assim as casas deles estão cheias de coisas roubadas. Por isso, eles progrediram e se tornaram ricos,
28. ficaram gordos e reluzentes. A maldade deles passa dos limites: não julgam conforme o direito, não defendem a causa do órfão, nem julgam a causa dos indigentes.
29. E eu, será que não vou castigar por causa dessas coisas? - oráculo de Javé. Será que não vou me vingar de uma nação como esta?
30. Coisas terríveis e abomináveis acontecem no país:
31. os profetas só falam mentiras, os sacerdotes só querem dinheiro, e o meu povo gosta disso! O que vocês vão fazer quando chegar o fim?"

[Jeremias 6]Jeremias 6



SALVE-SE QUEM PUDER
1. Benjaminitas, fujam do meio de Jerusalém! Toquem a trombeta em Técua, levantem um mastro em cima de Bet-Acarem, pois do Norte vem uma desgraça, uma enorme destruição.
2. Vou destruir a bela e delicada capital de Sião.
3. Para lá irão pastores, levando os seus rebanhos; ao seu redor armam suas tendas, e cada um apascenta a sua parte.
4. Declarem guerra santa contra Jerusalém! Vamos, ataquem de dia! Ai de nós, pois o dia chega ao fim, e a noite vai estendendo suas sombras.
5. Vamos, ataquem de noite! Vamos arrasar seus palácios!
6. Pois assim diz Javé dos exércitos: "Cortem árvores e façam barreiras de assédio contra Jerusalém. Ela é uma cidade sentenciada, pois dentro dela só existe opressão.
7. De dentro dela só brota maldade, como brota água de um poço. Violência e opressão é o que se ouve nela; ferida e sofrimento estão sempre diante de mim.
8. Corrija-se, Jerusalém, para que eu não me afaste de você; para que eu não faça de você um lugar arrasado, uma região desabitada".

NÃO SOBROU NENHUM JUSTO
9. Assim diz Javé dos exércitos: "Rebusquem o que sobrar de Israel, como se rebusca uma vinha: repassem a mão pelos ramos, como faz o vindimador".
10. A quem vou falar e testemunhar, para que me ouçam? Eles têm ouvidos de pagãos, e não são capazes de entender. Para eles a palavra de Javé é objeto de gozação; não gostam dela.
11. Estou cheio da indignação de Javé, já não agüento mais me segurar. "Então descarregue essa raiva em cima das crianças da rua, ou em cima dos jovens. Tanto o homem quanto a mulher serão presos, tanto o ancião quanto o velho no fim da vida.
12. Suas casas vão passar para estrangeiros, e também suas terras e mulheres, pois eu vou estender a mão contra os habitantes deste país" - oráculo de Javé.
13. Porque, do pequeno até o grande, são todos gananciosos; desde o profeta até o sacerdote, são todos contadores de mentiras.
14. Sem responsabilidade, querem curar a ferida do meu povo, dizendo: "Paz! Paz!", quando não existe paz.
15. Eles deviam envergonhar-se porque praticaram coisas abomináveis, mas não se envergonham, nem sabem o que é sentir vergonha. "Por isso, eles vão cair junto com os que tombam; no tempo em que eu os visitar, eles vão tropeçar" - disse Javé.

O FIM É INEVITÁVEL
16. Assim diz Javé: "Parem no caminho e vejam, informem-se quanto às estradas do passado: qual era o caminho da felicidade? Andem por ele, e vocês encontrarão descanso". Mas eles responderam: "Não caminharemos nele!"
17. "Coloquei sentinelas para guardar vocês! Prestem atenção quando a trombeta tocar!" Mas eles responderam: "Não vamos prestar atenção!"
18. "Por isso escutem, nações; e você, assembléia, conheça o que vai acontecer a eles.
19. Ouça também você, ó terra: Vou trazer uma desgraça para este povo, fruto daquilo mesmo que eles tramaram; porque não obedeceram às minhas palavras e desprezaram a minha lei.
20. Que me importa o incenso que vem de Sabá, e a canela perfumada que vem de países distantes? Os holocaustos de vocês não me agradam, seus sacrifícios não são do meu gosto".
21. Por isso, assim diz Javé: "Vou colocar pedras no caminho deste povo, e eles vão tropeçar: pais e filhos, vizinhos e amigos vão se acabar todos juntos".
22. Assim diz Javé: "Virá um povo do Norte, uma grande nação se levantará dos limites da terra;
23. eles são fortes no arco e na lança, são cruéis e sem compaixão. O estrondo que fazem parece o das ondas do mar; vêm todos montados a cavalo, em ordem de batalha, como se fossem um só homem. Eles vêm atacar você, capital de Sião!"
24. Só de ouvir a fama deles, nossas mãos amoleceram, ficamos tomados pela angústia e pela dor, como a mulher que está dando à luz.
25. Ninguém saia para o campo, nem ande pela estrada, porque a espada inimiga espalha terror por todos os lados.
26. Vista-se de luto, capital do meu povo, role no chão, ponha-se a chorar como pela morte de um filho único; faça uma lamentação amarga, porque chega de repente aquele que nos vai destruir.

PRATA DE REFUGO
27. Eu nomeio você o examinador do meu povo, para que conheça e examine o comportamento dele.
28. Eles todos são rebeldes e semeadores de calúnias. Parecem bronze ou ferro, e estão todos corrompidos.
29. O foleiro sopra para atiçar o fogo e derreter o chumbo; mas o trabalho do fundidor é inútil, pois a ganga não se desprende.
30. Prata de refugo é o nome deles, porque Javé os rejeitou.

[Jeremias 7]2. ORÁCULOS NO TEMPO DO REI JOAQUIM.



Jeremias 7

RELIGIÃO COMO ÓPIO
1. Palavra de Javé, que foi dirigida a Jeremias:
2. "Coloque-se na porta do Templo e diga o seguinte: Escutem a palavra de Javé, vocês todos de Judá que entram por esta porta, a fim de adorar a Javé.
3. Assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Endireitem seus caminhos e sua maneira de agir, e eu morarei com vocês neste lugar.
4. Não se iludam com palavras mentirosas, dizendo: 'Este é o Templo de Javé, Templo de Javé, Templo de Javé!'
5. Se vocês endireitarem seus caminhos e sua maneira de agir; se começarem a praticar o direito cada um com seu próximo;
6. se não oprimirem o estrangeiro, o órfão e a viúva; se não derramarem sangue inocente neste lugar e não correrem atrás dos deuses estrangeiros que lhes trazem a desgraça:
7. então eu continuarei morando com vocês neste lugar, nesta terra que eu dei aos seus antepassados há muito tempo e para sempre.
8. Vocês se iludem com palavras mentirosas que não trazem proveito nenhum.
9. Não é assim? Roubar, matar, cometer adultério, jurar falso, queimar incenso a Baal, seguir deuses estrangeiros que vocês nunca conheceram...
10. E depois vocês se apresentam diante de mim, neste Templo, onde o meu nome é invocado, e dizem: 'Estamos salvos!', para depois continuarem praticando essas abominações.
11. Este Templo, onde o meu nome é invocado, será por acaso esconderijo de ladrões? Estejam atentos, porque eu estou vendo tudo isso - oráculo de Javé.
12. Agora vão até o meu lugar em Silo, onde antes eu fiz habitar o meu nome, e vejam o que eu fiz lá por causa da maldade do meu povo Israel.
13. Mas agora, visto que vocês fizeram tudo o que fizeram - oráculo de Javé - visto que eu falava sem parar e vocês não me davam atenção, chamava e vocês não me respondiam,
14. vou tratar este Templo, onde é invocado o meu nome, no qual vocês tanto confiam, e também este lugar que dei a vocês e a seus antepassados, vou tratá-lo do mesmo modo como tratei Silo.
15. Vou expulsar vocês da minha presença, da mesma forma como expulsei todos os seus irmãos e toda a descendência de Efraim.
16. Quanto a você, não reze por este povo, não faça preces nem súplicas em favor deles. Não insista comigo, porque eu não vou atender.
17. Você não está vendo o que eles fazem nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém?
18. Os filhos recolhem lenha, os pais acendem o fogo e as mulheres preparam a massa para fazer broas em honra da rainha do céu; depois derramam vinho em homenagem aos deuses estrangeiros, só para me insultar.
19. Mas será a mim que eles ofendem? - oráculo de Javé. Não será a eles mesmos, para sua própria vergonha?"
20. Por isso, assim diz o Senhor Javé: "Minha ira ardente se derramará sobre este lugar, sobre as pessoas e os animais, sobre as árvores do campo e os frutos da terra. Minha ira vai pegar fogo, e não se apagará".
21. Assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: "Ajuntem os holocaustos que vocês queimam, com seus sacrifícios, e comam essas carnes.
22. Pois quando tirei do Egito os antepassados de vocês, eu não falei nada nem dei ordem alguma sobre holocaustos e sacrifícios.
23. A única coisa que eu lhes falei e mandei, foi isto: Obedeçam-me, e eu serei o Deus de vocês, e vocês serão o meu povo. Andem sempre no caminho que eu lhes ordenar, para que sejam felizes.
24. Eles, porém, não obedeceram nem deram ouvidos, e continuaram procedendo conforme a obstinação do seu coração perverso. E, ao invés de voltarem o rosto para mim, voltaram-me as costas.
25. Desde o dia em que seus antepassados saíram da terra do Egito até hoje, todos os dias, estou mandando para eles, sem cansar, meus servos, os profetas.
26. Mas não obedeceram a eles, nem me deram ouvidos; ao contrário, endureceram ainda mais a nuca e tornaram-se piores que seus antepassados.
27. Você dirá essas coisas a eles, mas eles não lhe obedecerão; você os convocará, mas eles não responderão.
28. Aí, você lhes dirá: Esta é uma nação que nunca obedeceu a Javé seu Deus e nem aceita correção. A fidelidade morreu: foi expulsa da sua boca.

JAVÉ NÃO QUER A MORTE
29. Jerusalém, corte seus cabelos consagrados, e jogue-os fora; entoe uma lamentação lá no alto dos montes, porque Javé rejeitou e abandonou a geração que incendiou a ira dele.
30. Sim, os filhos de Judá praticaram o que é mau aos meus olhos - oráculo de Javé. Cometeram sacrilégio, colocando essas abominações no Templo, onde o meu nome é invocado.
31. Depois construíram os lugares altos de Tofet, no vale de Ben-Enom, para queimar no fogo filhos e filhas, coisa que não mandei e que jamais passou pela minha mente.
32. É por isso que chegarão dias - oráculo de Javé - em que não se chamará mais vale de Tofet ou de Ben-Enom, mas vale da Matança. Por falta de lugar, vão fazer de Tofet um cemitério,
33. pois os cadáveres desse povo servirão de comida para as aves do céu e para os animais da terra. E ninguém os espantará.
34. Nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém, farei cessar o som da música e os gritos de alegria, a voz do noivo e da noiva, pois o país se transformará numa ruína completa.

[Jeremias 8]Jeremias 8



1. Nessa ocasião - oráculo de Javé - serão retirados de suas sepulturas os ossos dos reis de Judá, dos seus chefes, dos sacerdotes, dos profetas e dos moradores de Jerusalém.
2. Esses ossos ficarão expostos ao sol, à lua e às estrelas, aos quais amaram e serviram, seguiram, consultaram e adoraram. Ninguém recolherá nem sepultará novamente esses ossos; ficarão servindo de esterco para o campo.
3. O resto que sobrar dessa gente perversa achará bem melhor morrer do que ficar vivo, em qualquer lugar para onde eu os dispersar" - oráculo de Javé dos exércitos.

UM POVO DESORIENTADO
4. "Diga-lhes isto: Assim fala Javé: Por acaso quem cai não se levanta? Quem se desvia do caminho não volta atrás?
5. Então, por que este povo se revolta, e Jerusalém se revolta continuamente? Persistem na sua má fé, recusando converter-se.
6. Prestei atenção e ouvi: eles não falam como deveriam. Ninguém se arrepende do mal cometido, dizendo: 'O que foi que eu fiz?' Cada um vai em frente sem voltar atrás: parece cavalo que se lança na batalha.
7. Até a cegonha no céu conhece o seu tempo; a rola, a andorinha e o grou observam o tempo da sua volta. Mas o meu povo não compreende o direito de Javé".
8. Eles dizem: "Somos sábios, temos a Lei de Javé". Mas a caneta falsa do escriba transformou em mentira a Lei de Deus.
9. Os sábios ficarão confusos, desnorteados, e cairão no laço, pois rejeitaram a palavra de Javé. Que sabedoria podem ter eles?
10. Por isso vou entregar suas mulheres a estrangeiros e suas terras a conquistadores. Pois, do primeiro ao último, são todos ávidos de lucro; do profeta ao sacerdote, todos praticam a mentira.
11. Sem responsabilidade, querem curar a ferida do meu povo, dizendo apenas: "Paz! Paz!", quando não existe paz.
12. Eles deviam envergonhar-se, pois o que fizeram foi abominável. Mas não se envergonham, não sabem o que é sentir vergonha. Por isso cairão com os que tombam, eles vacilarão no dia da prestação de contas - diz Javé.
13. Eu queria colher alguma coisa deles - oráculo de Javé - mas não há uvas na parreira nem figos na figueira, e até suas folhas secaram. Eu os entregarei à escravidão.

O PAÍS É DEVORADO
14. Por que estamos sentados? Reúnam-se! Entremos nas cidades fortificadas para morrermos dentro delas, porque Javé nosso Deus nos faz perecer. Ele nos faz beber água envenenada, pois pecamos contra ele.
15. Esperávamos a paz, e nada de bom aconteceu; tempo para se curar, e aí está o terror.
16. Desde Dã já se pode ouvir o resfolegar dos cavalos, e a terra estremece com o relinchar dos seus corcéis. Eles vieram para acabar com o país e tudo o que nele existe, para acabar com a cidade e os seus habitantes.
17. Vou mandar contra vocês cobras venenosas, contra as quais não existe encantamento, e elas picarão vocês - oráculo de Javé.
18. O sofrimento me acabrunha e meu coração desfalece,
19. pois ouço de longe os gritos da capital do meu povo: "Será que Javé não está mais em Sião? O seu rei não está mais aqui?" Por que foi que eles provocaram minha ira com os seus ídolos, com seus deuses estrangeiros?
20. Passou a colheita, acabou a apanha, e nós não fomos socorridos.
21. Eu também fiquei ferido por causa do ferimento da capital do meu povo; fiquei deprimido, e a solidão me agarrou.
22. Será que não existe bálsamo em Galaad? Não há médico por aí? Por que não se cicatriza a ferida da capital do meu povo?
23. Quem fará da minha cabeça uma fonte de água, e dos meus olhos uma mina de lágrimas, para que eu possa chorar dia e noite os mortos da capital do meu povo?

[Jeremias 9]Jeremias 9



O REINO DA MENTIRA
1. Quem poderia dar-me no deserto um abrigo de viajantes? Então eu deixaria o meu povo e iria para longe deles, pois todos eles são adúlteros, um bando de traidores.
2. Retesam a língua como arco; o que manda no país é a mentira, e não a verdade. Pois eles saem de um crime para outro, e não me conhecem - oráculo de Javé.
3. Cada um se cuide do seu próximo e não confie em nenhum dos irmãos, pois todo irmão engana o seu irmão, e todo amigo espalha calúnias.
4. Todo mundo logra o seu próximo, e ninguém fala a verdade; treinam a língua para falar mentiras, e praticam a injustiça até se cansar.
5. Vivem no meio da falsidade e, por causa da falsidade, recusam conhecer-me - oráculo de Javé.
6. Por isso, assim diz Javé dos exércitos: Eu os fundirei e os provarei: que outra coisa poderia eu fazer com a capital do meu povo?
7. A língua deles é uma flecha envenenada: tudo o que falam é pura tapeação. Cada um fala de paz com o próximo, mas, no íntimo, está preparando armadilhas.
8. Não deveria eu puni-los por essas coisas? - oráculo de Javé. Não deveria eu vingar-me de um povo como esse?
9. Sobre as montanhas desato a chorar e a gemer, pelos campos da baixada solto o meu lamento, pois tudo está arrasado; por ali não passa mais ninguém, e já nem se escuta mais o barulho do gado; desde as aves do céu até as criações, todos fugiram e desapareceram.
10. Vou fazer de Jerusalém um montão de ruínas: ela se tornará esconderijo de chacais; das outras cidades de Judá vou fazer um lugar desolado, onde não haja morador nenhum.

O PAÍS DESTRUÍDO
11. Quem será sábio para entender tudo isso? A quem foi que Javé falou, para que o explique? Por que o país ficou destruído, desolado como deserto por onde não passa ninguém?
12. Javé responde: Foi porque eles abandonaram a Lei que eu lhes tinha dado, desobedeceram à minha palavra e não a seguiram.
13. Pelo contrário: seguiram seu coração obstinado, indo atrás dos deuses cananeus que seus antepassados já haviam seguido.
14. Por isso, assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Farei com que esse povo coma erva amarga e beba água envenenada;
15. vou espalhá-los no meio de nações que nem eles nem seus pais conheceram, e ainda mandarei a espada persegui-los até que eu consiga acabar com essa gente.
16. Assim diz Javé dos exércitos: Atenção! Chamem as carpideiras, mandem vir as mais hábeis.
17. Que comecem logo e cantem sobre nós uma lamentação. Nossos olhos derramem lágrimas e nossas pálpebras despejem água,
18. porque um grito de dor vem de Sião: "Como fomos arrasados! Nossa vergonha é enorme, pois temos que abandonar o país e deixar nossas casas".
19. Portanto, mulheres, escutem a palavra de Javé. Que os ouvidos de vocês recebam a palavra de sua boca. Ensinem a suas filhas como fazer um pranto, cada qual ensine à vizinha uma lamentação:
20. "A morte subiu pelas nossas janelas e entrou em nossos palácios; matou as crianças nas ruas e os jovens nas praças;
21. os cadáveres humanos vão caindo como esterco que se joga no chão e como feixes de trigo atrás daquele que está colhendo, sem haver quem os recolha".

A VERDADEIRA SABEDORIA
22. Assim diz Javé: Que o sábio não se glorie da sua sabedoria, o forte não se glorie da sua força, e o rico não se glorie da sua riqueza.
23. Se alguém quer gloriar-se, que se glorie de conhecer e compreender que eu sou Javé, que na terra estabeleço o amor, o direito e a justiça, pois é disso que eu gosto - oráculo de Javé.

CORAÇÃO DE PAGÃO
24. Eis que chegam dias - oráculo de Javé - em que eu vou castigar todos aqueles que são circuncidados, e no entanto continuam pagãos:
25. os egípcios, os judeus, os edomitas, os amonitas, os moabitas, e também aqueles de cabeça raspada que vivem no deserto; pois todos os povos são pagãos, e a casa de Israel é pagã de coração.

[Jeremias 10]Jeremias 10



JAVÉ E OS ÍDOLOS
1. Escutem as palavras de advertência que Javé lhes dirige, ó casa de Israel.
2. Assim diz Javé: Não imitem o comportamento dos outros povos e não fiquem com medo dos sinais do céu, porque os outros povos costumam ter medo disso.
3. Pois o que é terror para os povos não passa de um nada, é apenas um pedaço de pau cortado no mato, obra de quem trabalha com machado.
4. Com prata e ouro eles enfeitam o que fizeram, com pregos e martelo o firmam num lugar, para que não fique balançando.
5. Os ídolos são como espantalho numa plantação de pepinos: não sabem falar e precisam ser carregados, porque também não sabem andar. Não tenham medo deles, pois nada de mal podem fazer, e não são capazes de fazer o bem.
6. Eles não são como tu, ó Javé: tu és grande, e grande é o poder do teu nome.
7. Quem não temeria a ti, ó rei das nações? Isso convém a ti, pois ninguém é igual a ti entre todos os sábios das nações e em todos os seus reinos.
8. Eles são ignorantes e insensatos: o ensinamento dos ídolos é só madeira.
9. Eles trazem de Társis prata batida e de Ofir trazem ouro, tudo trabalho de carpinteiro e de ourives; roxo e vermelho são as cores de suas roupas, tudo trabalho de mestres no ofício.
10. No entanto, Javé é o Deus verdadeiro, ele é o Deus vivo e rei eterno. Diante de sua ira a terra estremece, e as nações não suportam o seu furor.
11. É assim que vocês devem responder a eles: "Os deuses que não fizeram o céu e a terra devem desaparecer da terra e sumir de debaixo do céu".
12. Com seu poder Javé fez a terra; com sua sabedoria firmou o mundo, e com sua inteligência estendeu o céu.
13. Ao barulho do seu trovão, as águas no céu se agitam; ele faz as nuvens subirem do extremo da terra, produz os raios para a chuva e faz o vento sair de seus depósitos.
14. Todo mundo fica bobo, sem entender, e todo ourives fica envergonhado com o ídolo que esculpiu, pois a sua estátua é mentira e não tem vida.
15. Os ídolos são vazios, uma coisa ridícula; eles desaparecerão na hora do acerto de contas.
16. A porção de Jacó não é como eles, porque Javé é o formador de todas as coisas, e Israel é a tribo da sua herança. O nome dele é Javé dos exércitos.

CHEFES QUE TRAEM O POVO
17. Pegue do chão a tua bagagem, você que está cercada pelo inimigo.
18. Porque assim diz Javé: Desta vez vou expulsar os habitantes do país; e vou apertá-los, para que me encontrem.
19. "Ai de mim, por causa da minha ferida; minha chaga é incurável. Apesar disso, eu dizia: É só uma dor que posso suportar.
20. Minha tenda foi derrubada e todas as cordas foram cortadas. Meus filhos foram embora e não existem mais, não há ninguém para armar minha tenda e estender a lona".
21. Os pastores perderam o bom-senso e deixaram de procurar Javé; por isso não tiveram sucesso, e o rebanho que eles conduziam se espalhou.
22. Ouçam o barulho que avança com grande estrondo lá do país do Norte; vem fazer das cidades de Judá um lugar arrasado, um esconderijo de chacais.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   113   114   115   116   117   118   119   120   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal