Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página122/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   118   119   120   121   122   123   124   125   ...   197

Jeremias 34

A ÚNICA SAÍDA
1. Quando Nabucodonosor, rei da Babilônia, estava guerreando contra Jerusalém e as outras cidades que dela dependem, acompanhado não só com o seu exército, mas também com os reis dos países que ele tinha dominado e com seus exércitos, Javé dirigiu a palavra a Jeremias:
2. Assim diz Javé, o Deus de Israel: Fale com Sedecias, rei de Judá, e diga-lhe: Assim diz Javé: Eu estou para entregar esta cidade nas mãos do rei da Babilônia, para que a incendeie.
3. Você não escapará das mãos dele, mas será preso e entregue nas mãos dele: você terá que olhar nos olhos do rei da Babilônia e falar pessoalmente com ele, e depois será levado para a Babilônia.
4. Sedecias, rei de Judá, ouça a palavra de Javé: Assim diz Javé: Você não morrerá pela espada;
5. morrerá em paz. Da mesma forma como se queimam perfumes por seus antepassados, aqueles reis que o precederam, também se queimarão perfumes por você, e também lamentarão por você cantando: "Ah, Majestade!" Sou eu quem o declaro - oráculo de Javé.
6. O profeta Jeremias falou tudo isso ao rei Sedecias, rei de Judá em Jerusalém.
7. O exército do rei da Babilônia estava atacando Jerusalém e outras cidades de Judá: Laquis e Azeca, as duas últimas fortalezas que ainda resistiam.

LIBERTAÇÃO OU MANIPULAÇÃO
8. Palavra que Javé dirigiu a Jeremias depois que o rei Sedecias fez um acordo com todo o povo que havia em Jerusalém, para proclamar a liberdade dos escravos:
9. cada um deveria dar liberdade ao seu escravo ou escrava hebreu ou hebréia, para que nenhum judeu fosse escravo do seu irmão.
10. As autoridades todas e também todo o povo respeitaram o acordo que tinham feito de cada um dar liberdade aos seus escravos e escravas, de modo a não mais escravizarem uns aos outros. Obedeceram e os puseram em liberdade.
11. Mas depois disso, eles voltaram atrás e fizeram voltar de novo seus escravos e escravas, que tinham libertado, e os submeteram de novo à escravidão.
12. Então Javé dirigiu a palavra a Jeremias:
13. Assim diz Javé, o Deus de Israel: Eu mesmo fiz uma aliança com os antepassados de vocês, quando os tirei da terra do Egito, da casa da escravidão, dizendo:
14. "Ao fim de cada sete anos, todos darão liberdade ao seu irmão hebreu, que haviam comprado e que já lhes havia servido durante seis anos. Deve dar-lhe então a liberdade". Mas os antepassados de vocês não me escutaram nem me obedeceram.
15. Hoje vocês haviam se convertido para fazer o que eu aprovo: cada um proclamar a liberdade do seu próximo e fazer uma aliança sobre isso na minha presença, no Templo em que o meu nome é invocado.
16. Mas depois vocês recuaram e profanaram o meu nome, ao trazer de volta os escravos e escravas que tinham libertado, submetendo-os de novo à escravidão.
17. Por isso, assim diz Javé: Já que vocês não me obedeceram quando eu mandei que cada um desse liberdade ao seu irmão e ao seu próximo, então agora eu proclamarei a liberdade - oráculo de Javé - para a espada, a fome e a peste. Vou fazer de vocês uma coisa que causa espanto entre os reinos da terra.
18. Aqueles homens não respeitaram a minha aliança: não cumpriram a palavra da aliança que fizeram comigo. Vou fazê-los ter a sorte do novilho que cortaram ao meio e passaram entre as duas metades.
19. Quanto aos chefes de Judá e Jerusalém, aos funcionários, sacerdotes e pessoas do povo que passaram entre as metades do novilho,
20. vou entregá-los nas mãos de seus inimigos, daqueles que querem a morte deles. Seus cadáveres servirão de comida para as aves do céu e para as feras da terra.
21. Quanto a Sedecias, rei de Judá, e a seus chefes, também vou entregá-los nas mãos de seus inimigos, dos que querem a morte deles: o exército do rei da Babilônia, que agora se afastou de vocês.
22. Eu os mandei - oráculo de Javé - e vou trazê-los de volta contra esta cidade, para atacá-la, conquistá-la e incendiá-la. Também transformarei as cidades de Judá num deserto, sem habitante nenhum.

[Jeremias 35]Jeremias 35



UM EXEMPLO DE FIDELIDADE
1. Palavra que Javé dirigiu a Jeremias na época de Joaquim, filho de Josias, rei de Judá:
2. "Vá aonde moram os recabitas, converse com eles e traga-os até o Templo de Javé, até uma das salas, para fazê-los beber vinho".
3. Tomei, então, Jezonias, filho de Jeremias, neto de Habsanias, junto com seus irmãos e filhos, toda a família dos recabitas.
4. Levei-os ao Templo de Javé, até a sala de Ben-Joanã, filho de Jegdalias, o homem de Deus, ao lado da sala dos chefes, em cima da sala de Maasias, filho de Selum, o porteiro.
5. Coloquei diante dos recabitas jarras cheias de vinho e cálices, dizendo: "Bebam vinho".
6. Eles responderam: "Não bebemos vinho, pois o nosso antepassado Jonadab, filho de Recab, deu-nos esta ordem: 'Não bebam vinho, nem vocês nem seus filhos, para sempre.
7. Também não construam casas, nem plantem cereais, nem formem vinhedos. Nada disso vocês terão, pois habitarão em tendas todos os dias da vida, para que assim vivam bastante sobre esta terra, onde vocês vivem como forasteiros'.
8. Nós obedecemos sempre ao que nos mandou o nosso antepassado Jonadab, filho de Recab: durante a vida toda jamais bebemos vinho, nem nós, nem nossas esposas, nem nossos filhos ou filhas;
9. não construímos casas para morar e não temos vinhedos ou qualquer terreno plantado;
10. moramos em tendas, obedecemos e fazemos tudo conforme nos mandou nosso antepassado Jonadab.
11. Agora, quando Nabucodonosor, rei da Babilônia, invadiu o país, dissemos: 'Vamos entrar em Jerusalém, para fugir do exército dos caldeus e dos arameus'. É por isso que viemos morar em Jerusalém".
12. Então Javé dirigiu a palavra a Jeremias:
13. Assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Vá dizer ao cidadão de Judá e ao habitante de Jerusalém: Será que vocês não vão aprender a lição, nem obedecer à minha palavra? - oráculo de Javé.
14. Cumpre-se a ordem de Jonadab, filho de Recab, que proibiu seus filhos de beberem vinho, e eles não bebem vinho até hoje, porque obedecem às ordens do antepassado deles. E ao contrário, falei com vocês, tornei a falar, e vocês não me obedecem.
15. Eu tenho mandado continuamente os meus servos, os profetas, para dizer a vocês: "Cada um se converta de sua má conduta e corrija suas ações; não sigam e nem sirvam os deuses estrangeiros; só assim vocês continuarão morando na terra que eu dei a vocês e a seus antepassados". Mas vocês não quiseram me escutar, nem me obedeceram.
16. Os filhos de Jonadab, filho de Recab, observam as ordens do antepassado deles, mas este povo não faz caso de mim.
17. Por isso, assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Farei cair sobre Judá e sobre os moradores de Jerusalém toda a desgraça com que os ameacei, porque falei com eles e não me obedeceram: chamei-os e não me responderam.
18. Quanto à família dos recabitas, assim disse Jeremias: "Assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Porque vocês obedecem às ordens do Jonadab, antepassado de vocês, e observam tudo o que ele ordenou e fazem tudo de acordo com as ordens dele,
19. assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Para Jonadab, filho de Recab, nunca faltará alguém que esteja sempre na minha presença".

[Jeremias 36]IV. SOFRIMENTOS DE JEREMIAS



Jeremias 36

O DESTINO DA PALAVRA PROFÉTICA
1. No quarto ano de Joaquim, filho de Josias, rei de Judá, Javé dirigiu esta palavra a Jeremias:
2. Tome um pergaminho e escreva nele tudo o que eu lhe disse sobre Israel, sobre Judá e todas as nações, desde o dia em que comecei a falar com você, no tempo de Josias, até hoje.
3. Quem sabe a gente de Judá toma conhecimento de toda a desgraça que eu estou planejando fazer contra eles, para ver se cada um se converte de sua má conduta e eu possa perdoar suas faltas e pecados.
4. Então Jeremias chamou Baruc, filho de Nerias, que escreveu num pergaminho tudo o que Javé tinha dito a Jeremias e que este ia ditando.
5. Depois Jeremias disse a Baruc: "Estou preso e não posso ir ao Templo de Javé.
6. Vá você e leia neste pergaminho as palavras de Javé, que eu ditei e você escreveu. Leia para que o povo possa ouvir, quando ele estiver no Templo de Javé no dia do jejum. Leia em voz alta também para todos os de Judá que vêm de suas cidades.
7. Talvez eles se humilhem com súplicas diante de Javé, e cada um se converta de sua má conduta, pois é grande a ira e o furor que Javé demonstra contra esse povo".
8. Baruc, filho de Nerias, fez como o profeta Jeremias lhe ordenara, e leu no Templo as palavras de Javé.
9. No nono mês do quinto ano de Joaquim, filho de Josias, rei de Judá, foi convocado um jejum em honra de Javé para todo o povo de Jerusalém e para todos os que vinham das outras cidades de Judá para Jerusalém.
10. Então Baruc leu, no Templo de Javé, para o povo todo ouvir, as palavras de Jeremias que ele tinha escrito no pergaminho. Baruc estava no compartimento de Gamarias, filho do escrivão Safã, no balcão de cima, à entrada da Porta Nova do Templo de Javé.
11. Miquéias, filho de Gamarias e neto de Safã, ouviu as palavras de Javé lidas no pergaminho.
12. Em seguida, ele desceu até o palácio do rei e foi ao compartimento do escrivão. Aí encontrou todas as autoridades: o escrivão Elisama; Dalaías, filho de Semeías, Elnatã, filho de Acobor; Gamarias, filho de Safã; Sedecias, filho de Hananias; e outras autoridades.
13. Miquéias contou-lhes tudo o que tinha ouvido, quando Baruc leu o pergaminho na presença do povo.
14. Essas autoridades enviaram, então, Judi, filho de Natanias, e Selemias, filho de Cusi, para dizerem a Baruc que pegasse o pergaminho que tinha lido para o povo e fosse aonde eles estavam. Baruc, filho de Nerias, pegou o pergaminho e foi procurá-los.
15. Eles lhe disseram: "Agora sente-se aí e leia para nós". Baruc leu para eles ouvirem.
16. Quando acabaram de ouvir tudo, olharam assustados uns para os outros, e disseram a Baruc: "Temos que contar para o rei tudo o que está escrito aí!"
17. E perguntaram a Baruc: "Conte-nos: como foi que você escreveu tudo isso?"
18. Baruc respondeu: "Jeremias foi ditando para mim e eu fui escrevendo tudo a tinta no pergaminho".
19. Então as autoridades disseram a Baruc: "Vá e esconda-se com Jeremias. E que ninguém fique sabendo onde vocês estão".
20. Depois foram encontrar o rei no pátio do palácio. Deixaram o pergaminho no compartimento do escrivão Elisama, e contaram tudo ao rei.
21. Imediatamente o rei mandou que Judi fosse buscar o pergaminho. Ele pegou o pergaminho na sala do escrivão Elisama e leu para o rei e para as autoridades que estavam junto dele.
22. O rei estava na ala de inverno do palácio, pois era o nono mês; e havia um braseiro aceso diante do rei.
23. Cada vez que Judi acabava de ler três ou quatro colunas do pergaminho, o rei cortava os pedaços com a faca do escrivão e os atirava no fogo do braseiro. Fez assim até que todo o pergaminho foi queimado no braseiro.
24. Ninguém se impressionou, ninguém rasgou as vestes, nem o rei nem os seus ministros, ao ouvirem aquelas palavras.
25. Somente Elnatã, Dalaías e Gamarias pediram ao rei para não queimar o pergaminho, mas ele não lhes deu ouvidos.
26. Por fim, o rei mandou Jeremiel, oficial do palácio, Saraías, filho de Azriel, e Selemias, filho de Abdeel, que fossem prender o escrivão Baruc e o profeta Jeremias. Javé, porém, os escondeu.
27. Depois que o rei queimou o pergaminho que continha as palavras escritas por Baruc e ditadas por Jeremias, Javé dirigiu esta palavra a Jeremias:
28. Pegue de novo outro pergaminho e escreva nele tudo o que estava escrito no primeiro pergaminho que Joaquim, rei de Judá, queimou.
29. Você deverá dizer o seguinte a Joaquim, rei de Judá: Assim diz Javé: Você queimou o pergaminho, dizendo: "Por que você escreveu nele que o rei da Babilônia virá sem dúvida nenhuma destruir este país e dele fará desaparecer os homens e os rebanhos"?
30. Por isso, assim diz Javé sobre Joaquim, rei de Judá: Ele não terá um descendente no trono de Davi. O seu cadáver ficará exposto ao calor do dia e ao frio da noite.
31. Eu castigo nele, na sua família e nos seus ministros, os pecados que cometeram; trarei para eles, para os habitantes de Jerusalém e para os cidadãos de Judá, todas as desgraças de que eu falei e eles não quiseram ouvir.
32. Jeremias pegou então outro pergaminho e o entregou ao escrivão Baruc, filho de Nerias, que escreveu tudo o que estava no pergaminho que Joaquim, rei de Judá, havia queimado. Acrescentou ainda muitas outras palavras semelhantes.

[Jeremias 37]Jeremias 37



NÃO SE ILUDAM
1. Sedecias, filho de Josias, sucedeu no trono a Jeconias, filho de Joaquim. Sedecias foi nomeado rei de Judá por Nabucodonosor, rei da Babilônia.
2. Mas nem Sedecias, nem seus ministros, nem os proprietários de terra obedeceram ao que Javé tinha dito por meio do profeta Jeremias.
3. O rei Sedecias mandou Jucal, filho de Selemias, e o sacerdote Sofonias, filho de Maasias, levarem a Jeremias o seguinte recado: "Reze por nós a Javé, o nosso Deus".
4. Jeremias podia andar livremente no meio do povo, pois eles ainda não o tinham posto na prisão.
5. O exército do Faraó tinha saído do Egito, e quando os caldeus, que estavam cercando Jerusalém, ouviram a notícia, abandonaram o cerco da cidade.
6. Então Javé dirigiu esta palavra a Jeremias:
7. "Assim diz Javé, o Deus de Israel: Ao rei de Judá, que mandou me procurar, você dirá: Fique sabendo que o exército do Faraó, que se pôs em marcha para vir ajudar vocês, acaba de voltar para o seu país, o Egito.
8. Os caldeus voltarão para atacar esta cidade, ocupá-la e incendiá-la.
9. Assim diz Javé: Não se iludam pensando que os caldeus acabarão o cerco, pois eles não irão embora.
10. E mesmo que vocês arrasassem todo o exército dos caldeus que está em guerra contra vocês, e só deixassem sobrar feridos, cada um deles se levantaria de sua tenda para incendiar esta cidade".
11. Quando o exército dos caldeus se afastou de Jerusalém, por medo do exército do Faraó,
12. Jeremias saiu de Jerusalém para ir ao território de Benjamim, receber uma herança de seus parentes.
13. Quando ele se encontrava na porta de Benjamim, estava aí um chefe da guarda chamado Jerias, filho de Selemias, neto de Hananias, que o prendeu, dizendo: "Você está passando para o lado dos caldeus!"
14. Jeremias respondeu: "É mentira! Claro que não estou passando para o lado dos caldeus!" Jerias, porém, não acreditou e prendeu Jeremias, levando-o em seguida às autoridades.
15. As autoridades ficaram indignadas com Jeremias. Depois de torturá-lo, o prenderam na casa do escrivão Jônatas, que eles tinham transformado em cadeia.
16. Jeremias foi levado para uma cela subterrânea, onde ficou preso por muito tempo.
17. O rei Sedecias mandou buscar Jeremias. No seu palácio, secretamente, o rei lhe perguntou: "Você tem alguma palavra de Javé?" Jeremias respondeu: "Tenho: você vai ser entregue nas mãos do rei da Babilônia".
18. Depois Jeremias disse ao rei Sedecias: "Que mal eu fiz a você ou a seus ministros, ou a este povo, para que vocês me mandassem colocar na prisão?
19. Onde é que estão os profetas de vocês que diziam: 'O rei da Babilônia não virá contra vocês, nem invadirá o país'?
20. Agora, por favor, que Vossa Majestade me atenda, e que a minha súplica chegue até o rei: não me mande de volta para a casa do escrivão Jônatas, não me deixe morrer aí!"
21. O rei Sedecias mandou deixar Jeremias no pátio da prisão e dar-lhe todo dia um pão vindo da rua dos padeiros, enquanto houvesse pão na cidade. Foi assim que Jeremias ficou no pátio da prisão.

[Jeremias 38]Jeremias 38



O PROFETA NÃO SE CALA
1. Safatias, filho de Matã; Gedalias, filho de Fassur; Jucal, filho de Selemias; e Fassur, filho de Melquias, ouviram o que Jeremias disse a todo o povo:
2. "Assim diz Javé: quem ficar nesta cidade morrerá pela espada, pela fome e pela peste; quem passar para os caldeus, será tomado como despojo, mas conservará a vida.
3. Assim diz Javé: Esta cidade será entregue nas mãos do exército do rei da Babilônia, para que a conquiste".
4. Então os altos funcionários disseram ao rei: "Mande matar esse homem, pois ele, falando assim, está desencorajando os soldados que ainda restam nesta cidade e também todo o povo. Este homem não busca o bem do povo e sim a desgraça!"
5. O rei Sedecias respondeu: "Ele está nas mãos de vocês, pois o rei não tem força nenhuma contra vocês".
6. Então eles pegaram Jeremias e, com uma corda, o puseram dentro do poço do príncipe real Melquias, no pátio da prisão. Como no poço não havia água, mas só barro, Jeremias ficou atolado no barro.
7. O etíope Ebed-Melec, que era eunuco e servia no palácio do rei, ouviu falar que eles tinham colocado Jeremias no poço. Enquanto o rei estava sentado junto à porta de Benjamim,
8. Ebed-Melec saiu do palácio e disse ao rei:
9. "Majestade, esses homens agiram mal contra o profeta Jeremias, jogando-o no poço: ali ele vai morrer de fome, pois não existe mais pão na cidade".
10. Então o rei ordenou a Ebed-Melec, o etíope: "Leve com você três homens e tirem o profeta Jeremias do poço, antes que ele morra".
11. Ebed-Melec levou os homens, entraram no palácio, foram até o porão, onde pegaram uns trapos e uns panos velhos. Depois, jogaram esses trapos na ponta de uma corda para Jeremias.
12. Ebed-Melec, o etíope, disse a Jeremias: "Coloque esses panos velhos debaixo do braço, onde vai passar a corda". Assim fez Jeremias.
13. Então puxaram Jeremias pela corda, tirando-o do poço. E Jeremias ficou no pátio da prisão.

CONCILIAÇÃO IMPOSSÍVEL
14. O rei Sedecias mandou buscar o profeta Jeremias na terceira entrada do Templo de Javé. O rei disse a Jeremias: "Vou perguntar-lhe uma coisa: não me esconda nada".
15. Jeremias respondeu: "Se eu lhe falar, você certamente me matará, e se eu lhe der um conselho, você não ouvirá".
16. O rei Sedecias jurou em segredo a Jeremias: "Pela vida de Javé, que nos deu a vida: não o matarei nem o entregarei nas mãos desses homens que estão querendo matá-lo".
17. Então Jeremias disse ao rei Sedecias: "Assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Se você sair da cidade para se entregar aos generais do rei da Babilônia, você conservará a vida, e esta cidade não será incendiada; você e sua família conservarão a vida.
18. Se você não se entregar aos generais do rei da Babilônia, esta cidade cairá nas mãos dos caldeus, que a incendiarão, e você não escapará".
19. O rei Sedecias disse: "Tenho medo dos judeus que passaram para o lado dos caldeus; temo ser entregue nas mãos deles e que me maltratem".
20. Jeremias disse: "Não vão entregá-lo. Preste atenção nesta palavra de Javé, que eu lhe transmiti: Tenha confiança, e você salvará a sua vida.
21. Se você não estiver disposto a se entregar, este é o oráculo que Javé me comunicou:
22. Todas as mulheres que sobrarem na corte do rei de Judá serão levadas para os generais do rei da Babilônia, e cantarão assim: 'Os seus bons amigos o enganaram e o venceram; afundaram os pés de você na lama e foram embora!'
23. As mulheres e os filhos de vocês vão ser levados para os caldeus e nem você escapará das mãos deles; ao contrário, você vai ficar prisioneiro do rei da Babilônia e esta cidade será incendiada".
24. Sedecias disse a Jeremias: "Que ninguém fique sabendo dessa mensagem, senão você morre.
25. Se os chefes souberem que eu estive conversando com você, e vierem lhe perguntar: 'Conte-nos o que foi que você disse ao rei e o que ele disse a você; não esconda nada, que nós não vamos matá-lo',
26. você então responderá: 'Eu estava pedindo ao rei que não me mandasse de volta para a casa de Jônatas, para não morrer aí' ".
27. Todos os chefes foram procurar Jeremias para fazer-lhe perguntas, mas ele respondeu tudo de acordo com o que o rei lhe tinha mandado falar. Eles, então, ficaram quietos, pois a conversa não fora ouvida.
28. Jeremias ficou no pátio da prisão até a tomada de Jerusalém.

[Jeremias 39]Jeremias 39



QUEDA DE JERUSALÉM
1. No décimo mês do nono ano de Sedecias, rei de Judá, chegou a Jerusalém Nabucodonosor, rei da Babilônia, com todo o seu exército, e cercou a cidade.
2. Foi no nono dia do quarto mês do décimo primeiro ano de Sedecias que ele conseguiu abrir uma brecha para entrar na cidade.
3. Por aí entraram os oficiais do rei da Babilônia, que se colocaram na porta do Meio. Eram eles: Nergalsareser, Samgar-Nabu, Sar-Saquim, chefe dos eunucos, Nergalsareser, grande mago, e todos os outros oficiais do rei da Babilônia.
4. Sedecias, rei de Judá, e seus soldados, quando viram tudo isso, tentaram fugir. Saíram da cidade à noite pelo jardim do rei, que vai dar na porta entre as duas muralhas, e se dirigiram para o deserto.
5. Mas o exército dos caldeus os perseguiu, e alcançou Sedecias nas planícies de Jericó. Prenderam o rei Sedecias e o levaram a Nabucodonosor, rei da Babilônia, que estava em Rebla, na região de Emat, e que aí mesmo decretou a sentença de Sedecias.
6. O rei da Babilônia mandou matar os filhos de Sedecias aí mesmo em Rebla, diante dos olhos de Sedecias; e mandou matar também os nobres de Judá.
7. Em seguida, furou os olhos de Sedecias e o algemou, a fim de levá-lo para a Babilônia.
8. Quanto ao palácio do rei e às casas particulares, os caldeus incendiaram tudo e derrubaram as muralhas de Jerusalém.
9. Nabuzardã, chefe da guarda, mandou para a Babilônia o resto da população que ainda tinha ficado na cidade, os desertores que se entregaram a ele e os artistas profissionais que ainda havia.
10. Os mais pobres do povo, os que não possuíam nada, Nabuzardã os deixou na terra de Judá e deu-lhes vinhas e terra para cultivar.
11. Quanto a Jeremias, Nabucodonosor, o rei da Babilônia, deu a seguinte ordem a Nabuzardã, chefe da guarda:
12. "Você mesmo vai buscá-lo e cuidar dele. Não lhe faça mal nenhum; ao contrário, faça tudo conforme ele pedir".
13. Nabuzardã, chefe da guarda; o comandante Nabusezbã, oficial superior; Nergalsareser, grande mago; e os outros oficiais do rei da Babilônia
14. mandaram tirar Jeremias do pátio da prisão e o entregaram a Godolias, filho de Aicam, neto de Safã, para que o levasse para casa. E Jeremias ficou livre, no meio do povo.
15. Enquanto Jeremias estava preso no pátio da prisão, Javé lhe dirigiu a seguinte palavra:
16. "Vá dizer ao etíope Ebed-Melec: Assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Eis que vou cumprir contra esta cidade as minhas palavras, para desgraça e não para salvação. Nesses dias, tudo vai se realizar diante de você.
17. No entanto, nesse dia eu livrarei você - oráculo de Javé. E você não cairá nas mãos desses homens, dos quais você tem medo.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   118   119   120   121   122   123   124   125   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal