Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página124/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   120   121   122   123   124   125   126   127   ...   197

NÃO TENHA MEDO, JACÓ
27. Não tenha medo, meu servo Jacó; não se apavore, Israel! Eu o trarei são e salvo do país longínquo, e sua descendência voltará do exílio. Jacó voltará e viverá tranqüilo, em paz, sem

que o perturbem.


28. Não tenha medo, meu servo Jacó - oráculo de Javé - porque eu estou com você: vou arrasar todas as nações por onde espalhei você. Não vou arrasar você. Vou castigar você com justiça, mas não o deixarei sem castigo.

[Jeremias 47]Jeremias 47



CONTRA OS FILISTEUS
1. Palavra de Javé ao profeta Jeremias contra os filisteus, antes que o Faraó atacasse a cidade de Gaza.
2. Assim diz Javé: Olhe para as águas que se avolumam no Norte: elas se tornam uma torrente que transborda, alagando o país e tudo o que nele existe, as cidades e seus habitantes. Todos gritam e a população do país geme,
3. ouvindo o tropel dos cavalos dos guerreiros mais valentes do inimigo, ouvindo o rumor dos seus carros, o barulho de suas rodas. Os pais, com as mãos fracas, já não olham por seus filhos,
4. por causa do dia que chegou para destruir todos os filisteus, para cortar de Tiro e Sidônia todo o resto que os possa socorrer: Javé destrói os filisteus, o resto da ilha de Creta.
5. Em Gaza raspam a cabeça e Ascalon emudece. E você, resto dos enacim, até quando vai ferir o próprio corpo?
6. Espada de Javé, até quando estará sem descanso? Recolha-se na bainha, pare e se acalme!
7. Como ela pode descansar, se Javé lhe deu uma ordem contra Ascalon e o litoral?

[Jeremias 48]Jeremias 48



CONTRA MOAB
1. Contra Moab. Assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Pobre do monte Nebo, que foi arrasado; Cariataim foi vergonhosamente destruída; a fortaleza vergonhosamente abatida!
2. Acabou a fama de Moab! Em Hesebon tramaram a desgraça contra ela: "Vamos eliminar esta cidade do meio das nações". Também você, Madmena, será reduzida ao silêncio: a espada persegue você.
3. De Oronaim se ouve um grito: "Devastação! Um desastre imenso!"
4. Moab foi esmagada: seus pequenos fazem ouvir um grito.
5. Chorando, sobe-se a ladeira de Luit, e na descida de Oronaim se ouvem gritos de derrota.
6. Fujam, salvem a vida, como o burro selvagem no deserto.
7. Porque você pôs a confiança nas suas obras e tesouros, você também irá presa, e Camos irá para o exílio junto com seus sacerdotes e chefes.
8. Virá um devastador contra toda cidade, e nenhuma escapará. O vale será destruído e o planalto será arrasado, conforme diz Javé.
9. Dêem asas a Moab, para que ele possa voar. As suas cidades se tornarão um deserto, porque não haverá nenhum habitante.
10. Maldito aquele que cumpre com negligência a missão que Javé lhe deu; maldito aquele que poupa a sua espada de derramar sangue.
11. Desde a juventude, Moab viveu tranqüilo, descansava como o vinho com sua borra, sem nunca ser mudado de uma vasilha para outra. Moab nunca foi levado para o exílio; por isso, conservava seu sabor, e seu perfume não mudava.
12. Chegarão dias - oráculo de Javé - quando eu mandarei gente para mudar Moab de vasilha. Esvaziarão as antigas vasilhas e as quebrarão.
13. Então Moab ficará decepcionado com o seu deus Camos, como a casa de Israel se decepcionou com Betel, na qual confiava.
14. Como vocês podem dizer: "Nós somos valentes, prontos para a guerra"?
15. Moab será destruído, suas cidades foram invadidas e a nata da sua juventude desceu ao matadouro oráculo do Rei, que se chama Javé dos exércitos.
16. Está próxima a ruína de Moab, sua desgraça vem depressa.
17. Chorem por ele todos os seus vizinhos, todos aqueles que o conhecem pelo nome. E digam: "Como pôde quebrar um galho tão forte, um ramo tão bonito?"
18. Desça da sua glória e sente no chão árido, povo que mora em Dibon, pois até aí chegou aquele que devastou Moab, e ele destruiu suas fortalezas.
19. Coloque-se no caminho e observe, habitante de Aroer: a quem fugiu ou escapou, pergunte o que foi que aconteceu.
20. Moab está envergonhado, porque foi destruído. Gritem e clamem, anunciem sobre o rio Arnon que Moab foi destruído.
21. O julgamento veio contra a Planície, contra Helon, Jasa, Mefaat,
22. Dibon, Nebo, Bet-Deblataim,
23. Cariataim, Bet-Gamul, Maon,
24. Cariot, Bosra, contra todas as cidades do país de Moab, tanto as mais vizinhas como as mais distantes.
25. Cortaram a força de Moab, quebraram-lhe os braços - oráculo de Javé.
26. Embriaguem Moab, porque se levantou contra Javé. Moab cairá sobre o seu próprio vômito, tornando-se motivo de caçoada.
27. Será que Israel também não foi motivo de caçoada para você? Ou será que Israel foi encontrado no meio de ladrões, para que você abane a cabeça sempre que fala dele?
28. Habitantes de Moab, abandonem as cidades, vão morar nos rochedos! Sejam como pomba que constrói seu ninho à beira do abismo.
29. Ouvimos falar da soberba de Moab, do seu orgulho sem medida, de sua soberba, vaidade e arrogância, e da altivez do seu coração.
30. Conheço a sua arrogância - oráculo de Javé - a inconsistência de suas tagarelices e o vazio de suas obras.
31. Por isso, eu lamento por Moab, grito de dor por Moab inteiro, gemo pelos habitantes de Quir-Hares.
32. Choro por você mais do que chorei por Jazer, ó vinhedo de Sábama. Os seus ramos atingiam o mar e chegavam até Jazer. O invasor caiu sobre sua colheita e sobre as uvas que você apanhou.
33. A alegria e a animação sumiram dos pomares e do país de Moab. Acabei com o vinho dos tonéis, não há mais ninguém amassando uvas, já que não se ouve mais o canto de alegria.
34. Os gritos de Hesebon e Eleale chegam até Jasa. O grito vai de Segor até Oronaim e Eglat-Salisia, pois até as águas de Nemrim se tornaram um deserto.
35. Farei desaparecer em Moab - oráculo de Javé - quem sacrifica nos lugares altos e aquele que queima incenso a seus deuses.
36. Por isso o meu coração chora por Moab como flauta, chora como flauta pelos habitantes de Quir-Hares, pois foi destruído tudo o que ela acumulou.
37. Sim, toda cabeça foi raspada e toda barba foi cortada, todos feriram as próprias mãos, todos se vestiram de luto.
38. Em todos os terraços de Moab e em todas as praças estão todos de luto, pois eu quebrei Moab como se fosse uma vasilha inútil - oráculo de Javé.
39. Como está arrasado! Chorem! Como Moab voltou vergonhosamente as costas! Como Moab se tornou motivo de caçoada e espanto para seus vizinhos!
40. Assim diz Javé: Olhem! O inimigo voa como águia, estendendo suas asas sobre Moab:
41. tomou suas cidades, capturou suas fortalezas. Nesse dia, o ânimo dos guerreiros de Moab será como o ânimo da mulher em dores de parto.
42. Moab foi arrasado para não ser mais um povo, pois ele quis ser grande diante de Javé.
43. Terror, armadilha e laço é tudo o que espera por você, morador de Moab - oráculo de Javé.
44. Quem fugir do terror, cairá na armadilha; se conseguir sair da armadilha, será pego pelo laço, pois eu faço chegar para Moab o ano do seu castigo - oráculo de Javé.
45. Os fugitivos pararam perto de Hesebon, já sem forças, pois um fogo subia de Hesebon, labaredas saíam do palácio de Seon. Queimavam as têmporas de Moab e o crânio dos homens turbulentos.
46. Ai de você, Moab! Você está perdido, povo do deus Camos, pois seus filhos foram levados para o cativeiro, e suas filhas para a escravidão.
47. Mas nos últimos dias eu mudarei a sorte de Moab - oráculo de Javé. Aqui termina o julgamento de Moab.

[Jeremias 49]Jeremias 49



CONTRA AMON
1. Contra os amonitas. Assim diz Javé: Será que Israel não tem filhos, será que não tem herdeiros? Por que o deus Melcom se apossou das terras de Gad e o povo dele passou a morar em suas cidades?
2. Chegarão dias - oráculo de Javé - quando eu farei ouvir gritos de guerra em Rabá, capital de Amon; a cidade se tornará um montão de ruínas e os outros povoados serão destruídos pelo fogo. Então Israel despojará os que o despojaram, diz Javé.
3. Gema, Hesebon, pois o devastador está chegando. Gritem de dor, povoados de Rabá, vistam-se de luto, batam no peito, marquem o próprio corpo, pois o deus Melcom irá para o exílio junto com seus sacerdotes e chefes.
4. Como você se orgulhava do seu vale, cidade rebelde, confiando em seus tesouros! Você pensava: "Quem virá contra mim?"
5. Veja! Eu vou mandar contra você o terror - oráculo do Senhor Javé dos exércitos - o terror que virá de todos os lados: cada um fugirá numa direção e ninguém reagrupará os fugitivos.
6. Depois disso, porém, eu mudarei a sorte dos amonitas - oráculo de Javé.

CONTRA EDOM
7. Contra Edom. Assim diz Javé dos exércitos: Será que não existe mais sabedoria em Temã, será que desapareceu o conselho dos homens prudentes e jogaram fora a sabedoria?
8. Fujam, partam, escondam-se bem, moradores de Dadã, porque eu trarei para Esaú a desgraça que lhe cabe, a hora do seu castigo.
9. Se os vindimadores vierem até você, não deixarão sobrar nada; se ladrões vierem à noite, saquearão à vontade.
10. Porque eu pretendo tirar a roupa de Esaú e descobrir seus esconderijos; e ele não poderá se esconder. A sua raça acabou, seus parentes e vizinhos já não existem mais.
11. Deixe seus órfãos, e eu os farei viver; as suas viúvas podem confiar em mim.
12. Porque assim diz Javé: Se aqueles que não mereciam beber este cálice acabaram bebendo, será que você vai ficar sem esse castigo? Não! Você não ficará impune, mas deverá bebê-lo.
13. Juro por mim mesmo - oráculo de Javé - que a sua capital Bosra será objeto de espanto e zombaria; será ruína e maldição, e suas cidades todas se transformarão em ruína eterna.
14. Eu ouvi uma mensagem de Javé, um mensageiro foi enviado às nações: "Reúnam-se, e marchem contra Edom! Levantem-se para a guerra".
15. Veja! Eu o tornarei pequeno em meio às nações e desprezado entre os homens.
16. O terror que você provoca e a arrogância do seu coração o enganaram: você mora nos cumes da rocha e se agarra nos picos da montanha! Mesmo que você faça o seu ninho no alto como águia, eu o jogarei de lá de cima - oráculo de Javé.
17. Edom se tornará objeto de espanto: todos os que por aí passarem assobiarão, espantados, ao ver suas feridas.
18. Será como na destruição de Sodoma e Gomorra e cidades vizinhas, diz Javé: "Aí ninguém mais vai morar, aí ninguém mais vai se hospedar".
19. Como leão que sobe do deserto do Jordão para os pastos verdes, assim, de repente, eu os expulsarei daí e, no seu lugar, colocarei quem for escolhido. Quem é como eu? Quem poderá me desafiar? Qual é o pastor que pode resistir a mim?
20. Por isso, escutem a decisão de Javé, decisão que ele tomou sobre Edom; escutem o plano que ele traçou contra os habitantes de Temã: As menores ovelhas serão arrastadas para longe e as pastagens desaparecerão diante delas!
21. Com o barulho de sua queda, a terra vai tremer, e seu grito de dor será ouvido no mar Vermelho.
22. O inimigo voa como águia, estendendo suas asas sobre Bosra. Nesse dia, o ânimo dos guerreiros de Edom será como o ânimo da mulher em dores de parto.

CONTRA DAMASCO
23. Contra Damasco. Emat e Arfad estão confusas, porque ouviram uma notícia terrível. Elas se agitam de aflição como o mar, e não podem acalmar-se.
24. Damasco desfalece e prepara a fuga; o medo se apodera dela: está possuída de angústia e dores, como a mulher que está dando à luz.
25. Está abandonada a cidade famosa, a capital da alegria!
26. Nesse dia, seus jovens cairão pelas praças e a morte calará seus guerreiros - oráculo de Javé dos exércitos.
27. Porei fogo nas muralhas de Damasco, para incendiar os palácios de Ben-Adad.

CONTRA CEDAR
28. Contra Cedar e os reinos de Hasor, que Nabucodonosor, rei da Babilônia, derrotou. Assim diz Javé: Vamos! Para a luta contra Cedar! Vamos destruir os orientais.
29. Peguem suas tendas e seus rebanhos, suas lonas e objetos, carreguem seus camelos e gritem contra eles: "Terror de todos os lados!"
30. Fujam, corram depressa, escondam-se bem, moradores de Hasor - oráculo de Javé - pois Nabucodonosor, rei da Babilônia, tomou uma decisão, traçou um plano contra vocês:
31. "Vamos! Para a guerra contra essa nação tranqüila, que vive tão segura. Eles não têm portas nem trancas e vivem isolados.
32. Seus camelos serão uma presa e seus numerosos rebanhos um despojo". Espalharei por todos os ventos essas têmporas raspadas, e de todos os lados vou levar a ruína para eles - oráculo de Javé.
33. Hasor se tornará abrigo de chacais e deserto para sempre. Aí ninguém mais vai habitar, nenhum homem vai morar nela.

CONTRA ELAM
34. Palavra de Javé contra Elam, dirigida ao profeta Jeremias no início do reinado de Sedecias, rei de Judá:
35. Assim diz Javé dos exércitos: Olhe! Eu vou quebrar o arco de Elam e os melhores de seus soldados.
36. Vou trazer sobre Elam quatro ventos, dos quatro cantos do céu. Espalharei o seu povo na direção desses ventos, e não haverá nação no mundo onde não se encontre alguém expulso de Elam.
37. Farei que os elamitas tremam diante de seus inimigos, diante daqueles que querem matá-los. Vou trazer a desgraça sobre eles, o furor da minha ira - oráculo de Javé. Mandarei a espada persegui-los até que acabe com eles.
38. Colocarei o meu trono em Elam e exterminarei aí reis e chefes - oráculo de Javé.
39. Mas, nos últimos dias, mudarei a sorte de Elam - oráculo de Javé.

[Jeremias 50]Jeremias 50



CONTRA A BABILÔNIA
1. Palavra de Javé contra a Babilônia, terra dos caldeus, por meio do profeta Jeremias:
2. Anunciem entre as nações, façam ouvir, levantem a bandeira, façam ouvir, não se calem; digam: "Babilônia foi tomada, o deus Bel fracassou, Merodac foi arrasado, seus ídolos foram derrotados e suas imagens destruídas".
3. Porque uma nação do Norte atacou a Babilônia e transformará o país num lugar arrasado, onde não mora ninguém. Homens e animais fugiram todos, foram-se embora.
4. Nesses dias e nesse tempo - oráculo de Javé - os filhos de Israel virão chorando juntamente com os filhos de Judá, à procura de Javé, o Deus deles.
5. Perguntarão por Sião, e a face deles estará voltada para ela: "Venham! Vamos fazer com Javé uma aliança eterna, que jamais será esquecida!"
6. O meu povo era um rebanho perdido, que seus pastores deixavam extraviar-se pelos montes; andavam dos montes para as colinas, e esqueceram o seu curral.
7. E quem encontrava as minhas ovelhas, as agarrava para comer, dizendo: "Nós não somos culpados, foram eles que pecaram contra Javé, morada da Justiça, a esperança de seus antepassados!"
8. Fujam da Babilônia, do país dos caldeus. Saiam como cabritos, na frente do rebanho.
9. Pois eu farei levantar-se e vir contra a Babilônia um grupo de nações poderosas, vindas do Norte, organizadas contra ela; e elas tomarão o país pelo Norte. Suas flechas são como de guerreiro bem treinado, que não volta de mãos vazias.
10. Os caldeus se tornarão objeto de saque, e seus saqueadores se fartarão - oráculo de Javé.
11. Juntem-se, triunfem, devastadores da minha herança! Pulem como novilhas no pasto, relinchem como potros.
12. A mãe de vocês ficará envergonhada, aquela que os gerou está coberta de vergonha. Vejam! É a última das nações, é um lugar descampado, seco e deserto.
13. Por causa do furor de Javé, ela nunca mais será habitada: o país inteiro será uma ruína só. E quem passar pela Babilônia, assobiará, assustado com tanta desgraça.
14. Arqueiros todos, estejam a postos para atacar a Babilônia por todos os lados. Atirem contra ela, sem poupar suas flechas, pois ela pecou contra Javé.
15. Gritem contra ela por todos os lados. Ela já ergueu as mãos: seus pilares caíram, suas muralhas foram derrubadas, porque esta é a vingança de Javé: vinguem-se dela. Façam com ela o mesmo que ela fez.
16. Eliminem da Babilônia o lavrador que planta e o que puxa a foice na hora da colheita. Diante da espada devastadora, cada um volte para o seu povo, cada qual fuja para a sua terra.
17. Israel era uma ovelha desgarrada, que os leões afugentaram. Quem primeiro a devorou foi o rei da Assíria; depois, Nabucodonosor, rei da Babilônia, quebrou-lhe os ossos.
18. Por isso, assim diz Javé dos exércitos, o Deus de Israel: Olhem! Eu vou castigar o rei da Babilônia e o seu país, como castiguei o rei da Assíria.
19. Farei Israel voltar para sua pastagem, a fim de pastar no Carmelo e em Basã; ele ficará saciado na montanha de Efraim e em Galaad.
20. Nesses dias e nesse tempo - oráculo de Javé - procurarão a culpa de Israel, mas ela não existirá mais; procurarão os pecados de Judá, mas não serão encontrados; porque eu perdoarei tudo o que eu mesmo tiver deixado como resto.
21. Avancem contra o país de Merataim, subam contra ele e contra os habitantes de Facud. Massacre-os, extermine-os até o último - oráculo de Javé. Faça tudo conforme eu lhe ordenei.
22. Barulho de guerra no país. É uma grande derrota!
23. Como foi quebrado e destruído o martelo de toda a terra? Como Babilônia se tornou espanto entre as nações?
24. Preparei uma armadilha para você, Babilônia, e você ficou presa sem o perceber. Você foi surpreendida e dominada, porque se rebelou contra Javé.
25. Javé abriu o seu arsenal e tirou as armas da sua ira, pois há um serviço para o Senhor Javé dos exércitos na terra dos caldeus.
26. Venham a ela de todas as partes, abram os celeiros, amontoem seus feixes e destruam tudo, sem deixar nada.
27. Matem todos os seus touros: que venham ao matadouro. Ai deles! Chegou o dia e a hora do seu castigo.
28. Ouçam os fugitivos que escaparam da Babilônia! Eles levam a Sião a notícia da vingança de Javé, o nosso Deus, a vingança do seu Templo.
29. Convoquem para a Babilônia os arqueiros, aqueles que sabem manejar o arco. Fechem o cerco: que ninguém escape. Cobrem dela os seus atos; façam com ela tudo o que fez, porque foi arrogante contra Javé, contra o Deus santo de Israel.
30. Por isso, nesse dia, os seus jovens ficarão caídos pelas praças, e a morte vai calar seus guerreiros - oráculo de Javé.
31. Aqui estou eu contra você, ó Arrogante, oráculo de Javé dos exércitos - pois chegou o dia, a hora do seu castigo.
32. A Arrogante tropeçará, cairá, e ninguém a levantará. Porei fogo nas suas cidades para queimar tudo ao redor.
33. Assim diz Javé dos exércitos: Os filhos de Israel e de Judá sofrem juntos a opressão, e aqueles que os exilaram os retêm e se negam a soltá-los.
34. Mas o redentor deles é forte: Javé dos exércitos é o seu nome. Ele cuidará da causa deles, tornará o país tranqüilo, abalando os habitantes da Babilônia.
35. Espada contra os caldeus - oráculo de Javé - contra os habitantes da Babilônia; contra seus chefes e contra seus sábios.
36. Espada contra seus adivinhos, para que enlouqueçam. Espada contra seus valentes, para que se amedrontem.
37. Espada contra seus cavalos e carros, e contra toda a multidão que aí existe, para que fiquem como as mulheres. Espada contra seus tesouros, para que sejam saqueados.
38. Espada contra seus canais, para que fiquem secos, porque é um país de ídolos, que se gloria de seus espantalhos.
39. Por isso, aí habitarão chacais, hienas e avestruzes; não será mais habitada nem povoada de geração em geração.
40. Como quando Javé destruiu Sodoma e Gomorra e cidades vizinhas - oráculo de Javé - ninguém mais habitará aí, nem homem algum nela residirá.
41. Vejam! Um povo está chegando do Norte, uma grande nação e reis numerosos surgem das extremidades da terra:
42. armados de arcos e dardos, são violentos e sem compaixão. Seus gritos ressoam como o mar, avançam a cavalo, formados em ordem de batalha, como se fossem um só homem, contra você, Babilônia.
43. Ao ouvir a fama deles, o rei da Babilônia se acovarda; cada vez em maior aperto, sofre como se estivesse dando à luz.
44. Como leão que sobe da planície do Jordão para pastos verdes, assim, de repente, eu os expulsarei daí da Babilônia; e, no seu lugar, colocarei quem for escolhido. Quem é como eu? Quem poderá me desafiar? Qual é o pastor que pode resistir a mim?
45. Por isso, escutem a decisão de Javé, decisão que ele tomou sobre a Babilônia; escutem o plano que ele traçou contra a terra dos caldeus: As menores ovelhas serão arrastadas para longe, e as pastagens desaparecerão diante delas!
46. Com o barulho de sua queda, a terra vai tremer, e o seu grito de dor será ouvido pelas nações.

[Jeremias 51]Jeremias 51



1. Assim diz Javé: Mobilizarei contra a Babilônia e os caldeus um vento destruidor.
2. Mandarei contra a Babilônia abanadores que a abanarão e esvaziarão o seu território, porque de todos os lados virão contra ela, no dia da desgraça.
3. Que o arqueiro não deponha o arco, nem tire a couraça. Não tenham compaixão dos mais jovens; exterminem o exército dela.
4. Feridos estarão tombados pelo país dos caldeus afora, espalhados pelas ruas da cidade,
5. porque Israel e Judá não são viúvas do seu Deus Javé dos exércitos, enquanto o país dos caldeus é devedor ao Santo de Israel.
6. Fujam da Babilônia; salve-se quem puder! Não morram pelo crime dela, porque é a hora da vingança de Javé, é o pagamento que a Babilônia merece.
7. Nas mãos de Javé, a Babilônia era uma taça de ouro, que embriagava o mundo inteiro. As nações beberam do seu vinho e, por isso, enlouqueceram.
8. De repente, a Babilônia caiu e se quebrou. Gemam por ela, ponham bálsamo na sua ferida, para ver se ela sara.
9. Nós tratamos Babilônia, mas ela não sara. Vamos deixá-la! Vamos cada um para a nossa terra, pois a sentença contra Babilônia chegou até o céu e sobe até às nuvens.
10. Javé fez brilhar nossos direitos; vamos contar em Sião tudo o que fez Javé, o nosso Deus.
11. Afiem as flechas e encham com elas as aljavas. Javé instigou os reis dos medos, porque ele quer destruir a Babilônia: é a vingança de Javé, a vingança do seu Templo.
12. Levantem a bandeira contra as muralhas da Babilônia, reforcem a guarda, ponham sentinelas, preparem armadilhas, porque assim como planejou, Javé executará tudo o que disse contra os moradores da Babilônia.
13. Moradora da beira dos grandes canais, rica em tesouros, chegou o seu fim, o limite da sua existência.
14. Javé dos exércitos jura por sua própria vida: "Eu vou enchê-la de homens como gafanhotos, e eles cantarão vitória sobre você".
15. Com seu poder, Javé fez a terra; com sua sabedoria, firmou o mundo; e, com sua inteligência, estendeu o céu.
16. Ao barulho do seu trovão, as águas se agitam no céu, no horizonte ele faz subir as nuvens; produz raios para derramar a chuva e faz o vento sair dos seus reservatórios.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   120   121   122   123   124   125   126   127   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal