Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página134/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   130   131   132   133   134   135   136   137   ...   197

21. Por sobre todas as minhas montanhas, eu chamarei contra Gog toda espada - oráculo do Senhor Javé. Cada um manejará a espada contra seu próprio irmão.
22. Vou castigá-lo com a peste e o sangue. Mandarei tempestade, chuva de pedra, fogo e enxofre contra ele, contra seus exércitos e suas incontáveis tropas aliadas.
23. Mostrarei minha grandeza e minha santidade, e me revelarei aos olhos de muitas nações. E ficarão sabendo que eu sou Javé.

[Ezequiel 39]Ezequiel 39



1. Criatura humana, profetize contra Gog: Assim diz o Senhor Javé: Eu estou contra você, Gog, chefe e cabeça de Mosoc e Tubal.
2. Vou fazê-lo voltar e vou conduzi-lo do extremo norte para os montes de Israel.
3. Aí, vou quebrar o arco da sua mão esquerda e fazer cair as flechas da sua direita.
4. Você cairá sobre os montes de Israel, junto com seu exército e suas incontáveis tropas aliadas. Entregarei você como pasto a todas as aves de rapina e às feras selvagens.
5. Você cairá em pleno campo de batalha, pois fui eu quem falou - oráculo do Senhor Javé.
6. Mandarei fogo contra Magog e contra os que, tranqüilos, habitam nas ilhas, para que fiquem sabendo que eu sou Javé.
7. Farei que o meu nome santo seja conhecido no meio do meu povo Israel, e não permitirei que o meu santo nome seja profanado. Então as outras nações ficarão sabendo que eu sou Javé, o Santo de Israel.
8. Vejam bem que o dia está chegando - oráculo do Senhor Javé. Está chegando o dia do qual falei.
9. Os habitantes das cidades de Israel sairão e, para fazer fogo, queimarão armas, escudos grandes e pequenos, arcos, flechas e lanças. Terão com que acender fogo durante sete anos.
10. Não precisarão catar lenha fora da cidade ou cortar no mato, pois acenderão fogo com as armas. Eles saquearão aqueles que os saquearam e despojarão aqueles que os despojaram - oráculo do Senhor Javé.
11. Nesse dia, sepultarei Gog num lugar famoso de Israel: no vale dos Transeuntes, ao leste do mar, o vale que barra os passantes. Aí serão sepultados Gog e todo o seu exército. E o vale se chamará vale do Exército de Gog.
12. Os israelitas sepultarão o exército de Gog durante sete meses, para purificar o país.
13. Todos os cidadãos do país ajudarão a sepultar, e isso vai ser uma honra para cada um, quando se manifestar a minha glória - oráculo do Senhor Javé.
14. Será nomeada uma patrulha, que deverá percorrer o país e sepultar os que tiverem ficado sem sepultura, para purificar o país. Eles deverão começar a procurar cadáveres sem sepultura, depois de passados os sete meses.
15. Quando um desses que devem percorrer o país enxergar uma ossada humana, deverá levantar junto dela uma estaca, para que os encarregados de sepultar venham sepultá-la no vale do Exército de Gog,
16. a fim de purificar o país.
17. Criatura humana: Assim diz o Senhor Javé: Diga a todas as espécies de aves e feras: Reúnam-se e venham! Ajuntem-se de todos os lados para o sacrifício que eu lhes preparei, um grande sacrifício sobre os montes de Israel. Vocês comerão carne e beberão sangue.
18. Comerão a carne dos valentes e beberão o sangue dos chefes da terra. São todos cordeiros, carneiros, cabritos e bois gordos de Basã.
19. Vocês comerão carnes gordas até ficarem satisfeitos, e beberão sangue até ficarem embriagados, com o sacrifício que estou oferecendo para vocês.
20. Na minha mesa, vocês vão matar a fome, comendo a carne dos cavalos e cavaleiros, dos soldados e de todos os guerreiros - oráculo do Senhor Javé.
21. Vou manifestar a minha glória entre as nações, e todas as nações verão o julgamento que vou executar e a mão que colocarei sobre elas.
22. Desde esse dia e para todo o sempre, a casa de Israel ficará sabendo que eu sou Javé, o seu Deus".

RESUMO DA MENSAGEM DE EZEQUIEL
23. "As outras nações ficarão sabendo que a casa de Israel foi para o exílio por causa do seu próprio pecado. Eles foram infiéis comigo, e por isso eu afastei deles o meu rosto, entregando-os em mãos de seus inimigos. Foi assim que eles caíram mortos pela espada.
24. Para castigá-los por seu descaramento e por seus crimes, afastei deles o meu rosto.
25. No entanto, assim diz o Senhor Javé: Agora vou mudar o destino de Jacó, vou tratar com misericórdia a casa de Israel, porque sou ciumento do meu santo nome.
26. Quando os israelitas estiverem morando tranqüilamente em sua terra, sem ninguém para os incomodar, eles se envergonharão de todas as revoltas que cometeram.
27. Quando eu os trouxer de volta do meio dos outros povos, e os reunir dos países de seus inimigos e manifestar neles a minha santidade aos olhos de muitas nações,
28. eles ficarão sabendo que eu sou Javé, o Deus deles. Eu os exilei entre as nações, mas agora eu os reúno de novo na sua própria terra, sem deixar ninguém de fora.
29. Nunca mais esconderei deles o meu rosto, porque vou derramar o meu espírito sobre a casa de Israel - oráculo do Senhor Javé".
V. DEUS NO MEIO DO SEU POVO

Ezequiel 40

A CIDADE SOBRE O MONTE
1. No dia dez do começo do ano vinte e cinco do nosso exílio, ou seja, catorze anos depois da tomada de Jerusalém, exatamente nesse dia, a mão de Javé pousou sobre mim, levando-me para Jerusalém.
2. Através de um êxtase, Javé me levou para a terra de Israel e me fez pousar num monte muito alto, sobre o qual havia uma cidade construída do lado sul.
3. Ele me fez entrar na cidade, e eu encontrei aí um homem que parecia de bronze. Tinha na mão um cordão de linho e uma vara de medir. O homem estava de pé junto ao pórtico.
4. Ele me disse: "Criatura humana, olhe e ouça bem, preste atenção a tudo o que lhe vou mostrar, pois você foi trazido aqui para que eu lhe mostrasse tudo. Depois você contará para a casa de Israel tudo o que viu".

A MURALHA EXTERNA
5. Havia uma muralha externa que cercava o Templo por todos os lados. O homem tinha na mão uma vara de medir de seis côvados, de côvados equivalentes a um côvado e um palmo cada um. O homem mediu a muralha com a vara: tinha três metros de espessura e três metros de altura.

O PÓRTICO ORIENTAL
6. O homem foi até o pórtico, cuja frente olha para o leste. Subiu os degraus e mediu o limiar do pórtico: tinha três metros de profundidade.
7. O cubículo tinha três metros de comprimento e três de largura; o pilar entre os cubículos tinha dois metros e meio; o limiar do pórtico, junto ao vestíbulo do pórtico, para o lado de dentro, tinha três metros.
8. Mediu o vestíbulo do pórtico, do lado de dentro, e deu três metros.
9. Em seguida, ele mediu o vestíbulo do pórtico: quatro metros; e o seu pilar: um metro. O vestíbulo do pórtico ficava do lado de dentro.
10. Os cubículos do pórtico oriental eram três de um lado e três do outro, todos com a mesma medida. Os pilares também tinham a mesma medida, tanto de um lado como do outro.
11. Depois o homem mediu a entrada do pórtico: tinha cinco metros de largura; o comprimento do pórtico media seis metros e meio.
12. Diante dos cubículos havia um parapeito de meio metro, tanto de um lado como do outro; o cubículo tinha três metros de cada lado.
13. Mediu também a largura do pórtico, do fundo de um cubículo até o fundo do outro: era de doze metros e meio, com uma entrada em frente da outra.
14. O vestíbulo, que ele mediu, tinha dez metros. O pátio cercava o pórtico de todos os lados.
15. Desde a fachada do pórtico, junto à entrada, até a frente do vestíbulo do pórtico interior, eram vinte e cinco metros.
16. Havia janelas com grades nos cubículos e sobre os seus pilares, voltadas ao redor para o interior do pórtico; também havia janelas iguais em torno do vestíbulo, e palmeiras sobre os pilares.

O PÁTIO EXTERNO
17. Depois o homem conduziu-me para o pátio externo, onde havia câmaras abertas e um pavimento em torno do pátio. Havia ao todo trinta câmaras.
18. Ao lado dos pórticos ficava o pavimento, correspondendo à profundidade dos pórticos. Esse era o pavimento inferior.
19. Em seguida, ele mediu a largura do pavimento, desde a fachada do pórtico inferior até a fachada do pátio interno, pelo lado de fora: eram cinqüenta metros.

O PÓRTICO DO LADO NORTE
20. Depois ele mediu o comprimento e a largura do pórtico que olha para o norte, junto ao pátio externo.
21. Os seus cubículos eram três de cada lado. Seus pilares e vestíbulos tinham a mesma medida que o primeiro pórtico, isto é, vinte e cinco metros de comprimento e doze metros e meio de largura.
22. Suas janelas, o vestíbulo e as palmeiras tinham as mesmas dimensões que os do pórtico que olhava para o oriente. Subia-se até ele por sete degraus, e o seu vestíbulo ficava voltado para dentro.
23. O pátio interno tinha um pórtico fronteiro ao pórtico que olhava para o norte e ao pórtico que olhava para o oriente. Ele mediu a distância que havia de um pórtico até o outro: era de cinqüenta metros.

O PÓRTICO DO LADO SUL
24. O homem conduziu-me para o lado sul, onde havia um pórtico voltado para o sul. Ele mediu seus cubículos, pilares e vestíbulos, que tinham a mesma dimensão.
25. O pórtico e o vestíbulo tinham janelas ao redor com as mesmas medidas que as outras, isto é: vinte e cinco metros de comprimento e doze metros e meio de largura.
26. A sua escada tinha sete degraus. O vestíbulo ficava para dentro, com uma palmeira de cada lado nos pilares.
27. Havia um pórtico no pátio interno, voltado para o sul. A distância de pórtico a pórtico, na direção sul, era de cinqüenta metros.

O PÁTIO INTERNO E O PÓRTICO DO LADO SUL
28. Então o homem conduziu-me para o pátio interno, pelo pórtico do lado sul. Ele mediu o pórtico, e tinha a mesma medida.
29. Os cubículos, os pilares e o vestíbulo tinham também a mesma medida dos anteriores. Tanto o pórtico como os seus vestíbulos tinham janelas ao redor, com vinte e cinco metros de comprimento e doze metros e meio de largura.
30. Os seus vestíbulos em toda a volta mediam doze metros e meio de comprimento e dois metros e meio de largura.
31. O pátio externo tinha um vestíbulo com palmeiras sobre os pilares, e a sua escada possuía oito degraus.

O PÓRTICO ORIENTAL
32. Então o homem conduziu-me até o pátio interno que dava para o oriente. Ele mediu o pórtico, que tinha a mesma medida dos outros.
33. Os cubículos, os pilares e o vestíbulo também apresentavam a mesma medida. O pórtico e seu vestíbulo tinham janelas ao redor, medindo vinte e cinco metros de comprimento e doze metros e meio de largura.
34. O seu vestíbulo dava para o pátio externo e tinha palmeiras nos seus pilares, de um lado e do outro; sua escada tinha oito degraus.

O PÓRTICO DO LADO NORTE
35. Em seguida, o homem conduziu-me para o pórtico do lado norte e o mediu, obtendo as mesmas dimensões.
36. Os cubículos, os pilares e o vestíbulo também tinham a mesma dimensão. O pórtico tinha janelas ao redor, medindo vinte e cinco metros de comprimento e doze metros e meio de largura.
37. O seu vestíbulo dava para o pátio externo e tinha palmeiras nos seus pilares, de um lado e do outro; sua escada tinha oito degraus.

ANEXOS DOS PÓRTICOS
38. Havia uma câmara com a entrada no vestíbulo do pórtico. Aí era lavado o holocausto.
39. No vestíbulo do pórtico se encontravam duas mesas de um lado e duas do outro, para a imolação do holocausto, do sacrifício pelo pecado e do sacrifício de expiação.
40. Do lado de fora de quem subia pela entrada do pórtico, na direção do norte, estavam duas mesas, e do outro lado do vestíbulo também havia duas mesas.
41. Havia assim quatro mesas de um lado e quatro do outro, junto ao pórtico, ou seja, ao todo oito mesas em que se fazia a imolação.
42. Além disso, havia quatro mesas para o holocausto, feitas de pedras de cantaria, cujo comprimento era de setenta e cinco centímetros, a largura de setenta e cinco centímetros e a altura era de meio metro. Sobre essas mesas eram depositados os instrumentos com que eram imolados o holocausto e o sacrifício.
43. Pelo lado de dentro, ao redor, havia rebordos de um palmo de comprimento. Sobre as mesas ficava a carne da oblação.
44. Depois o homem conduziu-me para o pátio interno, onde havia duas câmaras: uma, do lado do pórtico norte, olhava para o sul; a outra, do lado do pórtico sul, olhava para o norte.
45. O homem disse-me: "Essa câmara, que olha para o sul, é reservada aos sacerdotes que fazem o serviço do Templo.
46. A câmara que olha para o norte pertence aos sacerdotes que fazem o serviço do altar. Eles são os filhos de Sadoc que, dentre os filhos de Levi, se aproximam de Javé para o servirem".
47. Ele mediu em seguida o pátio: era quadrado e tinha cinqüenta metros de comprimento por cinqüenta de largura. E o altar ficava diante do Templo.

O VESTÍBULO DO TEMPLO
48. Depois o homem conduziu-me para o vestíbulo do Templo, e mediu os pilares do vestíbulo. Tinha dois metros e meio de um lado e dois metros e meio do outro; a largura do pórtico tinha um metro e meio de um lado e do outro.
49. O comprimento do vestíbulo era de dez metros, e a largura media seis metros. Havia dez degraus para subir até ele. Junto aos pilares havia colunas, uma de cada lado.

[Ezequiel 41]Ezequiel 41



O SANTO
1. Em seguida, o homem conduziu-me para o Santo, e mediu os pilares: três metros de largura de um lado e três metros do outro.
2. A largura da entrada era de cinco metros, enquanto as ombreiras da entrada tinham dois metros e meio de ambos os lados. Mediu também o Santo: tinha vinte metros de comprimento e dez metros de largura.

O SANTO DOS SANTOS
3. Ele me conduziu para dentro do Santo dos santos e mediu: o pilar da entrada tinha um metro, a entrada três metros, e as ombreiras da entrada três metros e meio.
4. Depois mediu o Santo dos santos: tanto o comprimento como a largura tinham dez metros, do lado do Santo. Ele comentou: "Este é o Santo dos santos".

AS CELAS LATERAIS
5. Em seguida, o homem mediu a parede do Templo: tinha três metros. A largura da ala lateral era de dois metros, ao redor do Templo.
6. As celas ficavam superpostas em três andares, com trinta celas cada um. As celas se ajustavam à parede do Templo, isto é, as celas que ficavam em torno, servindo de suportes, mas não existiam suportes nas paredes do Templo.
7. A largura das celas ia aumentando de andar em andar, conforme o aumento que recebia sobre a muralha, de andar em andar, em torno do Templo.
8. Vi que o Templo tinha uma rampa, que o rodeava todo e que formava a base das celas laterais. A sua medida era de uma vara, isto é, três metros.
9. A espessura da parede externa das celas laterais era de dois metros e meio. Havia uma passagem entre as celas do Templo
10. e as câmaras, com a largura de dez metros, em torno de todo o Templo.
11. Como entrada das celas laterais, havia na passagem uma entrada para o lado norte e outra para o lado sul. A largura da entrada era de dois metros e meio.

O EDIFÍCIO OCIDENTAL
12. O edifício que limitava com o pátio do lado ocidental tinha trinta e cinco metros de largura, enquanto a parede do edifício que ficava em torno tinha dois metros e meio de espessura e quarenta e cinco metros de comprimento.
13. O homem mediu também o Templo: tinha cinqüenta metros; o comprimento do pátio, do edifício e de suas paredes, era de cinqüenta metros.
14. Depois mediu a largura da fachada do Templo e do pátio para o oriente: era de cinqüenta metros.
15. Por fim, mediu o comprimento do edifício junto ao pátio, por trás, bem como a sua galeria de um lado e do outro, obtendo também cinqüenta metros.

ORNAMENTAÇÃO INTERIOR O interior do Santo e os vestíbulos dos pátios,
16. os limiares, as janelas de grades e as galerias dos três lados, em frente do limiar, estavam revestidos de madeira em volta, desde o chão até as janelas, e as janelas eram gradeadas.
17. Desde a entrada até o interior do Templo, bem como por fora, sobre toda a parede em volta, tanto por dentro como por fora,
18. estavam esculpidos querubins e palmeiras, uma palmeira entre dois querubins. Cada querubim tinha duas faces:
19. de um lado, uma face de homem voltada para a palmeira, e do outro lado uma face de leão voltada para a palmeira. Isso em torno de todo o Templo.
20. Os querubins e as palmeiras estavam esculpidos sobre as paredes, desde o chão até no alto da entrada.
21. As ombreiras da porta do Santo eram quadradas.

O ALTAR DE MADEIRA Diante do santuário, havia algo com aspecto
22. de altar de madeira, e tinha um metro e meio de altura, um metro de comprimento e um metro de largura. Tinha cantos, base e lados, tudo de madeira. O homem disse-me: "Essa é a mesa que fica na presença de Javé".

AS PORTAS
23. O Santo tinha duas portas; e o santuário,
24. duas portas; ambas as portas eram de dois batentes: dois batentes pertenciam a uma das portas, e dois à outra.
25. Sobre as portas do Santo estavam esculpidos querubins e palmeiras, como os que se encontravam sobre as paredes. Do lado de fora, na frente do vestíbulo, havia um anteparo,
26. bem como janelas gradeadas e palmeiras, de um lado e do outro, sobre os lados do vestíbulo, nas celas do Templo e nos anteparos.

[Ezequiel 42]Ezequiel 42



DEPENDÊNCIAS DO TEMPLO
1. Então o homem levou-me para o pátio externo, para o lado norte e para junto da câmara que fica na frente do pátio, na frente do edifício do lado norte.
2. A fachada da câmara media cinqüenta metros de comprimento para o lado norte, e vinte e cinco metros de largura.
3. Em frente aos vestíbulos do pátio interno e em frente ao pavimento do pátio externo, havia uma galeria em frente à tríplice galeria.
4. Em frente à câmara, havia uma passagem que tinha cinco metros de largura para dentro, e cinqüenta metros de comprimento. Suas entradas davam para o norte.
5. As câmaras superiores eram menores do que as debaixo e do meio, porque as galerias tomavam espaço maior do que as debaixo e do meio.
6. De fato, elas se dividiam em três andares, e não tinham colunas como o pátio. Por isso, eram mais estreitas do que as debaixo e do meio, a partir do chão.
7. A parede do lado de fora, junto às câmaras, voltadas para o pátio exterior, em frente às câmaras, tinha vinte e cinco metros de comprimento.
8. Portanto, o comprimento das câmaras do pátio externo era de vinte e cinco metros, ao passo que o comprimento das que ficavam em frente do Santo era de cinqüenta metros.
9. Por baixo dessas câmaras estava a entrada do lado oriental, pela qual se dava acesso desde o pátio externo.
10. Junto à largura da parede do pátio, do lado sul, em frente ao pátio e ao edifício, havia câmaras.
11. Fronteiro a elas ficava um caminho, como para as câmaras que estavam do lado norte. Tinham elas comprimento e largura idênticos, e também eram iguais as saídas, a disposição e as entradas.
12. Por baixo das câmaras que ficavam para o lado sul, havia uma entrada, no começo de cada caminho, em frente à parede correspondente, do lado do oriente, junto à entrada.
13. O homem disse-me: "As câmaras do norte e as câmaras do sul, que ficam fronteiras ao pátio, são as câmaras do santuário, onde os sacerdotes que se aproximam de Javé comem as coisas santíssimas. Aí depositarão as coisas santíssimas, a oblação, a oferta pelo pecado e a oferta pela expiação, porque o lugar é santo.
14. Depois de entrarem aí, os sacerdotes não sairão diretamente do santuário para o pátio externo, mas primeiro depositarão aí as vestes com que tiverem exercido suas funções litúrgicas, porque são santas. Colocarão outras vestes, e só então poderão dirigir-se ao local destinado ao povo".

DIMENSÕES DO PÁTIO
15. Tendo acabado de medir o interior do Templo, o homem conduziu-me para fora, em direção ao pórtico que dá para o oriente. E mediu todo o pátio ao redor.
16. Mediu todo o lado do oriente com a vara de medir: tinha duzentos e cinqüenta metros.
17. Em seguida, mediu o lado norte: tinha duzentos e cinqüenta metros ao redor.
18. Depois mediu o lado sul: também era de duzentos e cinqüenta metros.
19. Finalmente, mediu com a vara todo o lado ocidental: duzentos e cinqüenta metros.
20. Pelos quatro lados, mediu toda a parede ao redor. O seu comprimento era de duzentos e cinqüenta metros, e a largura de duzentos e cinqüenta metros, e servia de separação entre a parte sagrada e a profana.

[Ezequiel 43]Ezequiel 43



JAVÉ RETORNA PARA SEMPRE
1. Então o homem levou-me para o pórtico oriental.
2. E eu vi a glória do Deus de Israel: ela vinha do oriente. Fazia um barulho de águas torrenciais e a terra refletia a sua glória.
3. A visão que tive era como a visão que eu tinha contemplado, quando vim para a destruição da cidade, e também como a visão que eu tivera às margens do rio Cobar. Então caí com o rosto por terra.
4. A glória de Javé entrou no Templo pelo pórtico oriental.
5. Então o espírito me arrebatou e levou para o pátio interno: a glória de Javé enchia o Templo.
6. Enquanto o homem continuava do meu lado, ouvi alguém que falava comigo de dentro do Templo,
7. e me dizia: "Criatura humana, este é o lugar do meu trono e o lugar onde pousam meus pés, onde habitarei para sempre no meio dos israelitas. A casa de Israel, o povo e seus reis, nunca mais profanarão o meu nome santo com as suas prostituições e com os cadáveres de seus reis com seus túmulos.
8. Colocando a soleira de seus túmulos junto da minha soleira, e os batentes de suas portas junto aos meus, deixando apenas uma parede entre mim e eles, acabaram profanando meu nome santo com as abominações que praticaram. Por isso, minha ira os consumiu.
9. Agora, porém, os israelitas afastarão para longe de mim suas prostituições e os cadáveres de seus reis. E eu habitarei para sempre no meio deles".

COMO CONVIVER COM JAVÉ?
10. "Quanto a você, criatura humana, mostre para a casa de Israel o projeto do Templo, e eles ficarão envergonhados de suas culpas. Ao medir o projeto,
11. ficarão envergonhados de tudo o que fizeram. Então você ensinará para eles a forma do Templo, suas disposições, suas entradas e saídas, suas normas, regulamentos, regras e leis. Coloque tudo por escrito à vista deles, para que observem todas essas normas e coloquem em prática todos esses regulamentos.
12. Esta é a lei do Templo, que está construído no alto do monte: todo o espaço que está ao redor é santíssimo. Esta é a lei do Templo".

O ALTAR
13. São estas as medidas do altar em côvados iguais a um côvado e um palmo: a base tinha meio metro de altura por meio metro de largura; o espaço junto ao rego que contornava o altar era de um palmo. Essa era a base do altar.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   130   131   132   133   134   135   136   137   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal