Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


PARTE NARRATIVA: A OPOSIÇÃO A JESUS



Baixar 5.7 Mb.
Página156/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   152   153   154   155   156   157   158   159   ...   197
PARTE NARRATIVA: A OPOSIÇÃO A JESUS

Mateus 11

JESUS É O MESSIAS?
1. Quando Jesus terminou de dar essas instruções aos seus doze discípulos, partiu daí, a fim de ensinar e pregar nas cidades deles.
2. João estava na prisão. Quando ouviu falar das obras do Messias, enviou a ele alguns discípulos,
3. para lhe perguntarem: "És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?"
4. Jesus respondeu: "Voltem e contem a João o que vocês estão ouvindo e vendo:
5. os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres é anunciada a Boa Notícia.
6. E feliz aquele que não se escandaliza por causa de mim!"

A MISSÃO DE JOÃO BATISTA
7. Os discípulos de João partiram, e Jesus começou a falar às multidões a respeito de João: "O que é que vocês foram ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?
8. O que vocês foram ver? Um homem vestido com roupas finas? Mas aqueles que vestem roupas finas moram em palácios de reis.
9. Então, o que é que vocês foram ver? Um profeta? Eu lhes afirmo que sim: alguém que é mais do que um profeta.
10. É de João que a Escritura diz: 'Eis que eu envio o meu mensageiro à tua frente; ele vai preparar o teu caminho diante de ti'.
11. Eu garanto a vocês: de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino do Céu é maior do que ele.
12. Desde os dias de João Batista até agora, o Reino do Céu sofre violência, e são os violentos que procuram tomá-lo.
13. De fato, todos os Profetas e a Lei profetizaram até João.
14. E se vocês o quiserem aceitar, João é Elias que devia vir.
15. Quem tem ouvidos, ouça."

A AÇÃO TESTEMUNHA A VONTADE DE DEUS
16. "Com quem eu vou comparar esta geração? São como crianças sentadas nas praças, que se dirigem aos colegas, e dizem:
17. 'Tocamos flauta e vocês não dançaram, cantamos uma música triste e vocês não bateram no peito'.
18. Veio João, que não come nem bebe, e disseram: 'Ele está com um demônio'.
19. Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: 'Ele é um comilão e beberrão, amigo dos cobradores de impostos e dos pecadores'. Mas, a sabedoria foi justificada por suas obras."

O JULGAMENTO DA AUTO-SUFICIÊNCIA
20. Então Jesus começou a falar contra as cidades onde havia realizado a maior parte de seus milagres, porque elas não tinham se convertido.
21. Ele dizia: "Ai de você, Corazin! Ai de você, Betsaida! Porque, se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que foram feitos no meio de vocês, há muito tempo elas teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e cobrindo-se de cinzas.
22. Pois bem! Eu digo a vocês: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia terão uma sentença menos dura que vocês.
23. E você, Cafarnaum! Será erguida até o céu? Será jogada é no inferno, isso sim! Porque, se em Sodoma tivessem acontecido os milagres que foram realizados no meio de você, ela existiria até o dia de hoje!
24. Eu lhe digo: no dia do julgamento, Sodoma terá uma sentença menos dura que você!"

OS POBRES EVANGELIZAM
25. Naquele tempo, Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos.
26. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado.
27. Meu Pai entregou tudo a mim. Ninguém conhece o Filho, a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai, a não ser o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelar.
28. Venham para mim todos vocês que estão cansados de carregar o peso do seu fardo, e eu lhes darei descanso.
29. Carreguem a minha carga e aprendam de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para suas vidas.
30. Porque a minha carga é suave e o meu fardo é leve."

[Mateus 12]Mateus 12



JESUS É O SENHOR DO SÁBADO
1. Naquele tempo, Jesus passou por uns campos de trigo, num dia de sábado. Seus discípulos ficaram com fome, e começaram a apanhar espigas para comer.
2. Vendo isso, os fariseus disseram: "Eis que os teus discípulos estão fazendo o que não é permitido fazer em dia de sábado!"
3. Jesus perguntou aos fariseus: "Vocês nunca leram o que Davi e seus companheiros fizeram, quando estavam sentindo fome?
4. Como ele entrou na casa de Deus, e eles comeram os pães oferecidos a Deus? Ora, nem para Davi, nem para os que estavam com ele, era permitido comer os pães reservados apenas aos sacerdotes.
5. Ou vocês não leram também, na Lei, que em dia de sábado, no Templo, os sacerdotes violam o sábado, sem cometer falta?
6. Pois eu digo a vocês: aqui está quem é maior do que o Templo.
7. Se vocês tivessem compreendido o que significa: 'Quero a misericórdia e não o sacrifício', vocês não teriam condenado estes homens que não estão em falta.
8. Portanto, o Filho do Homem é senhor do sábado."

O BEM DO HOMEM ESTÁ ACIMA DA LEI
9. Jesus saiu desse lugar, e foi para a sinagoga deles.
10. Aí havia um homem com uma das mãos paralisada. E, para poderem acusar Jesus, os fariseus perguntaram: "É permitido fazer cura em dia de sábado?"
11. Jesus respondeu: "Suponham que um de vocês tem uma só ovelha, e ela cai num buraco em dia de sábado. Será que ele não a pegaria e não a tiraria de lá?
12. Ora, um homem vale muito mais do que uma ovelha! Logo, é permitido fazer uma boa ação em dia de sábado."
13. Então Jesus disse ao homem: "Estenda a mão." O homem estendeu a mão, e ela ficou boa e sadia como a outra.
14. Logo depois, os fariseus saíram e fizeram um plano para matar Jesus.

A MISSÃO DO SERVO DE JAVÉ
15. Jesus soube disso, e foi embora desse lugar. Numerosas multidões o seguiram, e ele curou a todos.
16. Jesus ordenou que não dissessem quem ele era.
17. Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías:
18. "Eis aqui o meu servo, que escolhi; o meu amado, no qual minha alma se compraz. Colocarei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará o julgamento às nações.
19. Não discutirá, nem gritará, e ninguém ouvirá a sua voz nas praças.
20. Não esmagará a cana quebrada, nem apagará o pavio que ainda fumega, até que leve o julgamento à vitória.
21. E em seu nome as nações depositarão a sua esperança."

O PECADO SEM PERDÃO
22. Então levaram a Jesus um endemoninhado cego e mudo. Jesus o curou, de modo que ele falava e enxergava.
23. E todas as multidões ficaram admiradas, e perguntavam: "Será que ele não é o filho de Davi?"
24. Os fariseus ouviram isso, e disseram: "Ele expulsa os demônios através de Belzebu, o príncipe dos demônios!"
25. Sabendo o que eles estavam pensando, Jesus disse: "Todo reino dividido em grupos que lutam entre si, será arruinado. E toda cidade ou família dividida em grupos que brigam entre si, não poderá durar.
26. E se Satanás expulsa Satanás, ele está dividido contra si mesmo. Como, então, o seu reino poderá sobreviver?
27. Se é através de Belzebu que eu expulso os demônios, através de quem os filhos de vocês expulsam os demônios? Por isso, serão eles mesmos que julgarão vocês.
28. Mas se é através do Espírito de Deus que eu expulso os demônios, então o Reino de Deus chegou para vocês.
29. Ainda: como alguém pode entrar na casa de um homem forte, e se apoderar de suas coisas, se antes não amarrar o homem forte? Só depois poderá roubar a sua casa.
30. Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, espalha.
31. É por isso que eu digo a vocês: todo pecado e blasfêmia será perdoado aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.
32. Quem disser alguma coisa contra o Filho do Homem, será perdoado. Mas quem disser algo contra o Espírito Santo, nunca será perdoado, nem neste mundo, nem no mundo que há de vir."

CADA UM JULGA A SI PRÓPRIO
33. "Se vocês plantarem uma árvore boa, o fruto dela será bom; mas se vocês plantarem uma árvore má, também o fruto dela será mau, porque é pelo fruto que se conhece a árvore.
34. Raça de cobras venenosas! Se vocês são maus, como podem dizer coisas boas? Pois a boca fala aquilo de que o coração está cheio.
35. O homem bom tira coisas boas do seu bom tesouro, e o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro.
36. Eu digo a vocês: no dia do julgamento, todos devem prestar contas de cada palavra inútil que tiverem falado.
37. Porque você será justificado por suas próprias palavras, e será condenado por suas próprias palavras."

O SINAL QUE LEVA PARA A FÉ
38. Então alguns doutores da Lei e fariseus disseram a Jesus: "Mestre, queremos ver um sinal realizado por ti."
39. Jesus respondeu: "Uma geração má e adúltera busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal do profeta Jonas.
40. De fato, assim como Jonas passou três dias e três noites no ventre da baleia, assim também o Filho do Homem passará três dias e três noites no seio da terra.
41. No dia do julgamento, os homens da cidade de Nínive ficarão de pé contra esta geração, e a condenarão. Porque eles fizeram penitência quando ouviram Jonas pregar. E aqui está quem é maior do que Jonas.
42. No dia do julgamento, a rainha do Sul se levantará contra esta geração, e a condenará. Porque ela veio de uma terra distante para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão."

PIOR DO QUE ANTES
43. "Quando um espírito mau sai de um homem, ele fica vagando em lugares desertos, procurando repouso, e não o encontra.
44. Então ele diz: 'Vou já voltar para a casa de onde saí'. Quando ele chega, encontra a casa vazia, varrida e arrumada.
45. Então ele vai, e traz consigo outros sete espíritos piores do que ele. Eles entram e moram aí; no fim, esse homem fica em condição pior do que antes. É o que vai acontecer com esta geração má."

UMA NOVA GERAÇÃO
46. Jesus ainda estava falando às multidões. Sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele.
47. Alguém disse a Jesus: "Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo."
48. Jesus perguntou àquele que tinha falado: "Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?"
49. E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: "Aqui estão minha mãe e meus irmãos,
50. pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai que está no céu, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe."

[Mateus 13]DISCURSO: AS PARÁBOLAS DO REINO



Mateus 13

UMA COLHEITA CUSTOSA
1. Naquele dia, Jesus saiu de casa, e foi sentar-se às margens do mar da Galiléia.
2. Numerosas multidões se reuniram em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé na praia.
3. E Jesus falou para eles muita coisa com parábolas: "O semeador saiu para semear.
4. Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os passarinhos foram e as comeram.
5. Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda.
6. Porém, o sol saiu, queimou as plantas, e elas secaram, porque não tinham raiz.
7. Outras sementes caíram no meio dos espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.
8. Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e renderam cem, sessenta e trinta frutos por um.
9. Quem tem ouvidos, ouça!"

A FELICIDADE DE COMPREENDER
10. Os discípulos aproximaram-se, e perguntaram a Jesus: "Por que usas parábolas para falar com eles?"
11. Jesus respondeu: "Porque a vocês foi dado conhecer os mistérios do Reino do Céu, mas a eles não.
12. Pois, a quem tem, será dado ainda mais, será dado em abundância; mas daquele que não tem, será tirado até o pouco que tem.
13. É por isso que eu uso parábolas para falar com eles: assim eles olham e não vêem, ouvem e não escutam nem compreendem.
14. Desse modo se cumpre para eles a profecia de Isaías: 'É certo que vocês ouvirão, porém nada compreenderão. É certo que vocês enxergarão, porém nada verão.
15. Porque o coração desse povo se tornou insensível. Eles são duros de ouvido e fecharam os olhos, para não ver com os olhos, e não ouvir com os ouvidos, não compreender com o coração e não se converter. Assim eles não podem ser curados'.
16. Vocês, porém, são felizes, porque seus olhos vêem e seus ouvidos ouvem.
17. Eu garanto a vocês: muitos profetas e justos desejaram ver o que vocês estão vendo, e não puderam ver; desejaram ouvir o que vocês estão ouvindo, e não puderam ouvir."

COMPREENDER A PALAVRA NOS CONFLITOS
18. "Ouçam, portanto, o que a parábola do semeador quer dizer:
19. Todo aquele que ouve a Palavra do Reino e não a compreende, é como a semente que caiu à beira do caminho: vem o Maligno e rouba o que foi semeado no coração dele.
20. A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a Palavra, e logo a recebe com alegria.
21. Mas ele não tem raiz em si mesmo, é inconstante: quando chega uma tribulação ou perseguição por causa da Palavra, ele desiste logo.
22. A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a Palavra, mas a preocupação do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a Palavra, e ela fica sem dar fruto.
23. A semente que caiu em terra boa é aquele que ouve a Palavra e a compreende. Esse com certeza produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta por um."

O INIMIGO DO REINO
24. Jesus contou outra parábola à multidão: "O Reino do Céu é como um homem que semeou boa semente no seu campo.
25. Uma noite, quando todos dormiam, veio o inimigo dele, semeou joio no meio do trigo, e foi embora.
26. Quando o trigo cresceu, e as espigas começaram a se formar, apareceu também o joio.
27. Os empregados foram procurar o dono, e lhe disseram: 'Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio então o joio?'
28. O dono respondeu: 'Foi algum inimigo que fez isso'. Os empregados lhe perguntaram: 'Queres que arranquemos o joio?'
29. O dono respondeu: 'Não. Pode acontecer que, arrancando o joio, vocês arranquem também o trigo.
30. Deixem crescer um e outro até à colheita. E no tempo da colheita direi aos ceifadores: arranquem primeiro o joio, e o amarrem em feixes para ser queimado. Depois recolham o trigo no meu celeiro!' "

A FORÇA DO REINO
31. E Jesus contou outra parábola: "O Reino do Céu é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo.
32. Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E se torna uma árvore, de modo que os pássaros do céu vêm e fazem ninhos em seus ramos."

O REINO TRANSFORMA
33. Jesus contou-lhes ainda outra parábola: "O Reino do Céu é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado."

JESUS REVELA O MISTÉRIO ESCONDIDO
34. Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas,
35. para se cumprir o que foi dito pelo profeta: "Abrirei a boca para usar parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo."

A DINÂMICA DO REINO NA HISTÓRIA
36. Então Jesus deixou as multidões, e foi para casa. Os discípulos se aproximaram dele, e disseram: "Explica-nos a parábola do joio."
37. Jesus respondeu: "Quem semeia a boa semente é o Filho do Homem.
38. O campo é o mundo. A boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno.
39. O inimigo que semeou o joio é o diabo. A colheita é o fim dos tempos. Os ceifadores são os anjos.
40. Assim como o joio é recolhido e queimado no fogo, o mesmo também acontecerá no fim dos tempos:
41. o Filho do Homem enviará os seus anjos, e eles recolherão todos os que levam os outros a pecar e os que praticam o mal,
42. e depois os lançarão na fornalha de fogo. Aí eles vão chorar e ranger os dentes.
43. Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça."

A DECISÃO PELO REINO
44. "O Reino do Céu é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra, e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens, e compra esse campo.
45. O Reino do Céu é também como um comprador que procura pérolas preciosas.
46. Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens, e compra essa pérola."

A CONSUMAÇÃO DO REINO
47. "O Reino do Céu é ainda como uma rede lançada ao mar. Ela apanha peixes de todo o tipo.
48. Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e escolhem: os peixes bons vão para os cestos, os que não prestam são jogados fora.
49. Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são bons.
50. E lançarão os maus na fornalha de fogo. Aí eles vão chorar e ranger os dentes."

UM NOVO SENTIDO PARA TUDO
51. "Vocês compreenderam tudo isso?" Eles responderam: "Sim."
52. Então Jesus acrescentou: "E assim, todo doutor da Lei que se torna discípulo do Reino do Céu é como pai de família que tira do seu baú coisas novas e velhas."

QUARTO LIVRINHO: A IGREJA SEMENTE DO REINO

PARTE NARRATIVA: O SEGUIMENTO DE JESUS

JESUS É REJEITADO COMO OS PROFETAS
53. Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, saiu desse lugar,
54. e voltou para a sua terra. Ensinava as pessoas na sinagoga, de modo que ficavam admiradas. Diziam: "De onde vêm essa sabedoria e esses milagres?
55. Esse homem não é o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas?
56. E suas irmãs, não moram conosco? Então, de onde vem tudo isso?"
57. E ficaram escandalizados por causa de Jesus. Mas Jesus disse: "Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família."
58. E Jesus não fez muitos milagres aí, por causa da falta de fé deles.

[Mateus 14]Mateus 14



O BANQUETE DA MORTE
1. Naquele tempo, Herodes, governador da Galiléia, ouviu falar da fama de Jesus.
2. Disse então a seus oficiais: "Ele é João Batista, que ressuscitou dos mortos. É por isso que os poderes agem nesse homem."
3. De fato, Herodes tinha mandado prender João, amarrá-lo e colocá-lo na prisão. Fez isso por causa de Herodíades, a mulher do seu irmão.
4. Porque João dizia a Herodes: "Não é permitido você se casar com ela."
5. Herodes queria matar João, mas tinha medo da multidão, porque esta considerava João um profeta.
6. Quando chegou o aniversário de Herodes, a filha de Herodíades dançou diante de todos, e agradou a Herodes.
7. Então Herodes prometeu com juramento que lhe daria tudo o que ela pedisse.
8. Pressionada pela mãe, ela disse: "Dê-me aqui, num prato, a cabeça de João Batista."
9. O rei ficou triste, mas por causa do juramento na frente dos convidados, ordenou que atendessem o pedido dela,
10. e mandou cortar a cabeça de João na prisão.
11. Depois a cabeça foi levada num prato, foi entregue à moça, e esta a levou para a sua mãe.
12. Os discípulos de João foram buscar o cadáver, e o enterraram. Depois foram contar a Jesus o que tinha acontecido.

O BANQUETE DA VIDA
13. Quando soube da morte de João Batista, Jesus partiu, e foi de barca para um lugar deserto e afastado. Mas, quando as multidões ficaram sabendo disso, saíram das cidades, e o seguiram a pé.
14. Ao sair da barca, Jesus viu grande multidão. Teve compaixão deles, e curou os que estavam doentes.
15. Ao entardecer, os discípulos chegaram perto de Jesus, e disseram: "Este lugar é deserto, e a hora já vai adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar alguma coisa para comer."
16. Mas Jesus lhes disse: "Eles não precisam ir embora. Vocês é que têm de lhes dar de comer."
17. Os discípulos responderam: "Só temos aqui cinco pães e dois peixes."
18. Jesus disse: "Tragam isso aqui."
19. Jesus mandou que as multidões se sentassem na grama. Depois pegou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos para o céu, pronunciou a bênção, partiu os pães, e os deu aos discípulos; os discípulos distribuíram às multidões.
20. Todos comeram, ficaram satisfeitos, e ainda recolheram doze cestos cheios de pedaços que sobraram.
21. O número dos que comeram era mais ou menos cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.

A FÉ NOS MOMENTOS DIFÍCEIS
22. Logo em seguida, Jesus obrigou os discípulos a entrar na barca, e ir na frente, para o outro lado do mar, enquanto ele despedia as multidões.
23. Logo depois de despedir as multidões, Jesus subiu sozinho ao monte, para rezar. Ao anoitecer, Jesus continuava aí sozinho.
24. A barca, porém, já longe da terra, era batida pelas ondas, porque o vento era contrário.
25. Entre as três e as seis da madrugada, Jesus foi até os discípulos, andando sobre o mar.
26. Quando os discípulos o avistaram, andando sobre o mar, ficaram apavorados, e disseram: "É um fantasma!" E gritaram de medo.
27. Jesus, porém, logo lhes disse: "Coragem! Sou eu. Não tenham medo."
28. Então Pedro lhe disse: "Senhor, se és tu, manda-me ir ao teu encontro, caminhando sobre a água."
29. Jesus respondeu: "Venha." Pedro desceu da barca, e começou a andar sobre a água, em direção a Jesus.
30. Mas ficou com medo quando sentiu o vento e, começando a afundar, gritou: "Senhor, salva-me."
31. Jesus logo estendeu a mão, segurou Pedro, e lhe disse: "Homem fraco na fé, por que você duvidou?"
32. Então eles subiram na barca. E o vento parou.
33. Os que estavam na barca se ajoelharam diante de Jesus, dizendo: "De fato, tu és o Filho de Deus."

JESUS E OS DOENTES
34. Acabando de atravessar, desembarcaram em Genesaré.
35. Os homens desse lugar, reconhecendo-os, espalharam a notícia por toda a região. Então levaram a Jesus todos os doentes,
36. e pediram que pudessem ao menos tocar a barra da roupa dele. E todos os que tocaram, ficaram curados.

[Mateus 15]Mateus 15



CONDIÇÃO PARA SER VERDADEIRO GUIA
1. Alguns fariseus e diversos doutores da Lei, de Jerusalém, se aproximaram de Jesus, e perguntaram:
2. "Por que os teus discípulos desobedecem à tradição dos antigos? De fato, comem pão sem lavar as mãos!"
3. Jesus respondeu: "Por que é que vocês também desobedecem ao mandamento de Deus em nome da tradição de vocês?
4. Pois Deus disse: 'Honre seu pai e sua mãe'. E ainda: 'Quem amaldiçoa o pai ou a mãe, deve morrer'.
5. E no entanto vocês ensinam que alguém pode dizer ao seu pai e à sua mãe: 'O sustento que vocês poderiam receber de mim é consagrado a Deus'.
6. E essa pessoa fica dispensada de honrar seu pai ou sua mãe. Assim vocês esvaziaram a palavra de Deus com a tradição de vocês.
7. Hipócritas! Isaías profetizou muito bem sobre vocês, quando disse:
8. 'Esse povo me honra com os lábios, mas o coração deles está longe de mim.
9. Não adianta nada eles me prestarem culto, porque ensinam preceitos humanos.' "
10. Em seguida, Jesus chamou a multidão para perto dele, e disse: "Escutem e compreendam.
11. Não é o que entra na boca que torna o homem impuro, mas o que sai da boca, isso torna o homem impuro."
12. Então os discípulos se aproximaram, e disseram a Jesus: "Sabes que os fariseus ficaram escandalizados com o que disseste?"
13. Jesus respondeu: "Toda planta que não foi plantada pelo meu Pai celeste será arrancada.
14. Não se preocupem com eles. São cegos guiando cegos. Ora, se um cego guia outro cego, os dois cairão num buraco."
15. Então Pedro disse a Jesus: "Explica-nos a parábola."
16. Jesus respondeu: "Será que vocês ainda não entendem?
17. Vocês não compreendem que tudo o que entra na boca passa pelo estômago e acaba indo para a privada?
18. Ao contrário, as coisas que saem da boca vêm do coração e essas é que tornam o homem impuro.
19. Pois é do coração que vêm as más intenções: crimes, adultério, imoralidade, roubos, falsos testemunhos, calúnias.
20. Essas coisas é que tornam o homem impuro; mas comer sem lavar as mãos não torna o homem impuro."

JESUS VEIO PARA TODOS
21. Jesus saiu daí, e foi para a região de Tiro e Sidônia.
22. Nisso, uma mulher cananéia, que morava nessa região, gritou para Jesus: "Senhor, filho de Davi, tem piedade de mim. Minha filha está sendo cruelmente atormentada por um demônio."
23. Mas Jesus nem lhe deu resposta. Então os discípulos se aproximaram e pediram: "Manda embora essa mulher, porque ela vem gritando atrás de nós."
24. Jesus respondeu: "Eu fui mandado somente para as ovelhas perdidas do povo de Israel."
25. Mas a mulher, aproximando-se, ajoelhou-se diante de Jesus, e começou a implorar: "Senhor, ajuda-me."
26. Jesus lhe disse: "Não está certo tirar o pão dos filhos, e jogá-lo aos cachorrinhos."
27. A mulher disse: "Sim, Senhor, é verdade; mas também os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa de seus donos."
28. Diante disso, Jesus lhe disse: "Mulher, é grande a sua fé! Seja feito como você quer." E desde esse momento a filha dela ficou curada.

A COMUNIDADE QUE SERVE
29. Saindo daí, Jesus foi para a margem do mar da Galiléia, subiu a montanha, e sentou-se.
30. Numerosas multidões se aproximaram de Jesus, levando consigo coxos, aleijados, cegos, mudos, e muitos outros doentes. Então os colocaram aos pés de Jesus. E ele os curou.
31. As multidões ficaram admiradas, vendo que os mudos falavam, os aleijados saravam, os coxos andavam e os cegos viam. E glorificaram o Deus de Israel.
32. Jesus chamou seus discípulos, e disse: "Tenho compaixão dessa multidão, porque já faz três dias que está comigo, e não tem nada para comer. Não quero mandá-los embora sem comer, para que não desmaiem pelo caminho."
33. Os discípulos disseram: "Onde vamos buscar, nesse deserto, tantos pães para matar a fome de tão grande multidão?"
34. Jesus perguntou: "Quantos pães vocês têm?" Eles responderam: "Sete, e alguns peixinhos."
35. Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão.
36. Depois pegou os sete pães e os peixes, agradeceu, partiu-os, e ia dando aos discípulos, e os discípulos para as multidões.
37. Todos comeram, e ficaram satisfeitos. E encheram sete cestos com os pedaços que sobraram.
38. Os que tinham comido eram quatro mil homens, sem contar mulheres e crianças.
39. Tendo despedido as multidões, Jesus subiu na barca, e foi para o território de Magadã.

[Mateus 16]Mateus 16



INTERPRETAR OS SINAIS DO REINO
1. Os fariseus e saduceus se aproximaram de Jesus e, para tentá-lo, pediram que mostrasse para eles um sinal do céu.
2. Jesus, porém, respondeu: "Ao pôr-do-sol vocês dizem: 'Vai fazer bom tempo, porque o céu está vermelho'.
3. E de manhã: 'Hoje vai chover, porque o céu está vermelho-escuro'. Olhando o céu, vocês sabem prever o tempo, mas não são capazes de interpretar os sinais dos tempos.
4. Uma geração má e adúltera busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal de Jonas." Então Jesus os deixou, e foi embora.

O FERMENTO QUE CORROMPE
5. Quando atravessaram para o outro lado do mar, os discípulos se esqueceram de levar pães.
6. Então Jesus disse: "Prestem atenção, e tomem cuidado com o fermento dos fariseus e dos saduceus."
7. Os discípulos pensavam consigo mesmos: "É porque não trouxemos pães."
8. Mas Jesus percebeu, e perguntou: "Por que vocês estão pensando na falta de pães, homens de pouca fé?
9. Vocês ainda não compreendem, nem mesmo se lembram dos cinco pães para cinco mil homens, e de quantos cestos vocês recolheram?
10. Nem dos sete pães para quatro mil homens, e quantos cestos vocês recolheram?
11. Como é que não compreendem que eu não est

ava falando de pão com vocês? Tomem cuidado com o fermento dos fariseus e saduceus."


12. Então eles perceberam que Jesus não tinha falado para tomar cuidado com o fermento de pão, mas com o ensinamento dos fariseus e saduceus.

JESUS É O MESSIAS
13. Jesus chegou à região de Cesaréia de Filipe, e perguntou aos seus discípulos: "Quem dizem os homens que é o Filho do Homem?"
14. Eles responderam: "Alguns dizem que é João Batista; outros, que é Elias; outros ainda, que é Jeremias, ou algum dos profetas."
15. Então Jesus perguntou-lhes: "E vocês, quem dizem que eu sou?"
16. Simão Pedro respondeu: "Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo."
17. Jesus disse: "Você é feliz, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que lhe revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.
18. Por isso eu lhe digo: você é Pedro, e sobre essa pedra construirei a minha Igreja, e o poder da morte nunca poderá vencê-la.
19. Eu lhe darei as chaves do Reino do Céu, e o que você ligar na terra será ligado no céu, e o que você desligar na terra será desligado no céu."
20. Jesus, então, ordenou aos discípulos que não dissessem a ninguém que ele era o Messias.
21. E Jesus começou a mostrar aos seus discípulos que devia ir a Jerusalém, e sofrer muito da parte dos anciãos, dos chefes dos sacerdotes e dos doutores da Lei, e que devia ser morto e ressuscitar ao terceiro dia.
22. Então Pedro levou Jesus para um lado, e o repreendeu, dizendo: "Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isso nunca te aconteça!"
23. Jesus, porém, voltou-se para Pedro, e disse: "Fique longe de mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim, porque não pensa as coisas de Deus, mas as coisas dos homens!"

O SEGUIMENTO DE JESUS
24. Então Jesus disse aos discípulos: "Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz, e me siga.
25. Pois, quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas, quem perde a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la.
26. Com efeito, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua vida? O que um homem pode dar em troca da sua vida?
27. Porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com a própria conduta.
28. Eu garanto a vocês: alguns daqueles que estão aqui, não morrerão sem terem visto o Filho do Homem vindo com o seu Reino."

[Mateus 17]Mateus 17



O SINAL DA VITÓRIA
1. Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, os irmãos Tiago e João, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha.
2. E se transfigurou diante deles: o seu rosto brilhou como o sol, e as suas roupas ficaram brancas como a luz.
3. Nisso lhes apareceram Moisés e Elias, conversando com Jesus.
4. Então Pedro tomou a palavra, e disse a Jesus: "Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias."
5. Pedro ainda estava falando, quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra, e da nuvem saiu uma voz que dizia: "Este é o meu Filho amado, que muito me agrada. Escutem o que ele diz."
6. Quando ouviram isso, os discípulos ficaram muito assustados, e caíram com o rosto por terra.
7. Jesus se aproximou, tocou neles e disse: "Levantem-se, e não tenham medo."
8. Os discípulos ergueram os olhos, e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus.
9. Ao descerem da montanha, Jesus ordenou-lhes: "Não contem a ninguém essa visão, até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos."

A MORTE DE JOÃO BATISTA É SINAL DA MORTE DE JESUS
10. Os discípulos de Jesus lhe perguntaram: "O que querem dizer os doutores da Lei, quando falam que Elias deve vir antes?"
11. Jesus respondeu: "Elias vem para colocar tudo em ordem.
12. Mas eu digo a vocês: Elias já veio, e eles não o reconheceram. Fizeram com ele tudo o que quiseram. E o Filho do Homem será maltratado por eles do mesmo modo."
13. Então os discípulos compreenderam que Jesus falava de João Batista.

A FORÇA DA FÉ
14. Eles foram em direção à multidão. Um homem aproximou-se de Jesus, ajoelhou-se,
15. e disse: "Senhor, tem piedade do meu filho. Ele é epilético, e tem ataques tão fortes que muitas vezes cai no fogo ou na água.
16. Eu o levei aos teus discípulos, mas eles não conseguiram curá-lo!"
17. Jesus respondeu: "Gente sem fé e pervertida! Até quando deverei ficar com vocês? Até quando terei que suportá-los? Tragam o menino aqui."
18. Então Jesus ordenou, e o demônio saiu. E na mesma hora o menino ficou curado.
19. Os discípulos se aproximaram de Jesus, e lhe perguntaram em particular: "Por que nós não conseguimos expulsar o demônio?"
20. Jesus respondeu: "É porque vocês não têm bastante fé. Eu garanto a vocês: se vocês tiverem fé do tamanho de uma semente de mostarda, podem dizer a esta montanha: 'Vá daqui para lá', e ela irá. E nada será impossível para vocês.
21. Somente oração e jejum podem expulsar esse tipo de demônio."

A MISSÃO DE JESUS É DAR A VIDA
22. Quando os discípulos estavam reunidos na Galiléia, Jesus disse para eles: "O Filho do Homem vai ser entregue na mão dos homens.
23. Eles o matarão, mas no terceiro dia ele ressuscitará." E os discípulos ficaram muito tristes.

OS FILHOS SÃO LIVRES
24. Quando chegaram a Cafarnaum, os fiscais do imposto do Templo foram a Pedro, e perguntaram: "O mestre de vocês não paga o imposto do Templo?"
25. Pedro respondeu: "Paga, sim." Ao entrar em casa, Jesus adiantou-se, e perguntou: "O que é que você acha, Simão? De quem os reis da terra recebem taxas ou impostos: dos filhos ou dos estrangeiros?"
26. Pedro respondeu: "Dos estrangeiros!" Então Jesus disse: "Isso quer dizer que os filhos não precisam pagar.
27. Mas, para não provocar escândalo, vá ao mar, e jogue o anzol. Na boca do primeiro peixe que você pegar, vai encontrar o dinheiro para pagar o imposto. Pegue-o, e pague por mim e por você."

[Mateus 18]DISCURSO: A VIDA DA IGREJA



Mateus 18

QUEM É O MAIOR NA COMUNIDADE?
1. Naquele momento, os discípulos se aproximaram de Jesus e perguntaram: "Quem é o maior no Reino do Céu?"
2. Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles,
3. e disse: "Eu lhes garanto: se vocês não se converterem, e não se tornarem como crianças, vocês nunca entrarão no Reino do Céu.
4. Quem se abaixa, e se torna como essa criança, esse é o maior no Reino do Céu.
5. E quem recebe em meu nome uma criança como esta, é a mim que recebe."

EVITAR O ESCÂNDALO
6. "Quem escandalizar um desses pequeninos que acreditam em mim, melhor seria para ele pendurar uma pedra de moinho no pescoço, e ser jogado no fundo do mar.
7. Ai do mundo por causa dos escândalos! É inevitável que aconteçam escândalos, mas ai do homem que causa escândalo!
8. Se a sua mão ou o seu pé é ocasião de escândalo para você, corte-o e jogue-o para longe de você. É melhor para você entrar para a vida sem uma das mãos, ou sem um dos pés, do que ter as duas mãos ou os dois pés, e ser lançado no fogo eterno.
9. E se o seu olho é ocasião de escândalo para você, arranque-o e jogue-o para longe de você. É melhor para você entrar para a vida com um olho só, do que ter os dois olhos, e ser jogado no inferno de fogo."

POR QUE ALGUÉM SE AFASTA DA COMUNIDADE?
10. "Cuidado para não desprezar nenhum desses pequeninos, pois eu digo a vocês: os anjos deles no céu estão sempre na presença do meu Pai que está no céu.
11. O Filho do Homem veio para salvar o que estava perdido.
12. O que vocês acham? Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde, será que ele não vai deixar as noventa e nove nas montanhas, para procurar aquela que se perdeu?
13. Eu garanto a vocês: quando ele a encontra, fica muito mais feliz com ela, do que com as noventa e nove que não se perderam.
14. Do mesmo modo, o Pai que está no céu não quer que nenhum desses pequeninos se perca."

E QUANDO O IRMÃO PECA?
15. "Se o seu irmão pecar, vá e mostre o erro dele, mas em particular, só entre vocês dois. Se ele der ouvidos, você terá ganho o seu irmão.
16. Se ele não lhe der ouvidos, tome com você mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas.
17. Caso ele não dê ouvidos, comunique à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele der ouvidos, seja tratado como se fosse um pagão ou um cobrador de impostos.
18. Eu lhes garanto: tudo o que vocês ligarem na terra, será ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra, será desligado no céu.
19. E lhes digo ainda mais: se dois de vocês na terra estiverem de acordo sobre qualquer coisa que queiram pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está no céu.
20. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí no meio deles."

PERDOAR SEM LIMITES
21. Pedro aproximou-se de Jesus, e perguntou: "Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?"
22. Jesus respondeu: "Não lhe digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.
23. Porque o Reino do Céu é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados.
24. Quando começou o acerto, levaram a ele um que devia dez mil talentos.
25. Como o empregado não tinha com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida.
26. O empregado, porém, caiu aos pés do patrão e, ajoelhado, suplicava: 'Dá-me um prazo. E eu te pagarei tudo'.
27. Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado, e lhe perdoou a dívida.
28. Ao sair daí, esse empregado encontrou um de seus companheiros que lhe devia cem moedas de prata. Ele o agarrou, e começou a sufocá-lo, dizendo: 'Pague logo o que me deve'.
29. O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: 'Dê-me um prazo, e eu pagarei a você'.
30. Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia.
31. Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão, e lhe contaram tudo.
32. O patrão mandou chamar o empregado, e lhe disse: 'Empregado miserável! Eu lhe perdoei toda a sua dívida, porque você me suplicou.
33. E você, não devia também ter compaixão do seu companheiro, como eu tive de você?'
34. O patrão indignou-se, e mandou entregar esse empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida.
35. É assim que fará com vocês o meu Pai que está no céu, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão."

[Mateus 19]QUINTO LIVRINHO: A VINDA DEFINITIVA DO REINO






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   152   153   154   155   156   157   158   159   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal