Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página162/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   158   159   160   161   162   163   164   165   ...   197

JESUS ACUSA AS AUTORIDADES
1. Jesus começou a falar para eles em parábolas: "Um homem plantou uma vinha, cercou-a, fez um tanque para pisar a uva e construiu uma torre de guarda. Depois arrendou a vinha para alguns agricultores, e viajou para o estrangeiro.
2. Na época da colheita, ele mandou um empregado aos agricultores para receber a sua parte dos frutos da vinha.
3. Mas os agricultores pegaram o empregado, bateram nele, e o mandaram de volta sem nada.
4. Então o dono da vinha mandou mais um empregado. Os agricultores bateram na cabeça dele e o insultaram.
5. Então o dono mandou mais um, e eles o mataram. Trataram da mesma maneira muitos outros, batendo em uns e matando outros.
6. Sobrou para o dono apenas um: seu filho querido. Por último, ele mandou o filho até aos agricultores, pensando: 'Eles vão respeitar meu filho'.
7. Mas os agricultores comentaram: 'Esse é o herdeiro. Venham, vamos matá-lo, e a herança será nossa'.
8. Então agarraram o filho, o mataram, e o jogaram fora da vinha.
9. Que fará o dono da vinha? Ele virá, destruirá os agricultores, e entregará a vinha a outros.
10. Por acaso, vocês não leram na Escritura: 'A pedra que os construtores deixaram de lado, tornou-se a pedra mais importante;
11. isso foi feito pelo Senhor e é admirável aos nossos olhos'?"
12. Então os chefes dos judeus procuraram prender Jesus. Eles tinham entendido muito bem que Jesus havia contado essa parábola contra eles. Mas ficaram com medo da multidão e, por isso, deixaram Jesus e foram embora.

JESUS CONDENA QUALQUER DOMINAÇÃO
13. Então as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes, para apanharem Jesus em alguma palavra.
14. Quando chegaram, disseram a Jesus: "Mestre, sabemos que tu és verdadeiro, porque não dás preferência a ninguém. Com efeito, não levas em conta as aparências, e ensinas de verdade o caminho de Deus. Dize-nos: é lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?"
15. Jesus percebeu a hipocrisia deles, e respondeu: "Por que vocês me tentam? Tragam uma moeda para eu ver."
16. Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: "De quem é a figura e a inscrição que está nessa moeda?" Eles responderam: "É de César."
17. Então Jesus disse: "Pois devolvam a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus." E eles ficaram admirados com Jesus.

DEUS COMPROMETIDO COM A VIDA
18. Os saduceus afirmam que não existe ressurreição. Alguns deles foram até Jesus, e lhe propuseram este caso:
19. "Mestre, Moisés escreveu para nós: 'Se alguém morrer, e deixar a esposa sem filho, o irmão desse homem deve casar-se com a viúva, a fim de que possam ter filhos em nome do irmão que morreu'.
20. Ora, havia sete irmãos: o primeiro casou-se, e morreu sem ter filhos.
21. O segundo casou-se com a viúva, e morreu sem ter filhos. A mesma coisa aconteceu com o terceiro.
22. E nenhum dos sete teve filhos. Por último, morreu também a mulher.
23. Na ressurreição, quando eles ressuscitarem, de quem ela será? Todos os sete se casaram com ela!"
24. Jesus respondeu: "Vocês estão enganados, porque não conhecem as Escrituras nem o poder de Deus.
25. Com efeito, quando os mortos ressuscitarem, os homens e as mulheres não se casarão, pois serão como os anjos do céu.
26. E, quanto ao fato de que os mortos vão ressuscitar, vocês não leram, no livro de Moisés, a passagem da sarça ardente? Deus falou a Moisés: 'Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó'.
27. Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos! Vocês estão muito enganados."

O CENTRO DA VIDA
28. Um doutor da Lei estava aí, e ouviu a discussão. Vendo que Jesus tinha respondido bem, aproximou-se dele e perguntou: "Qual é o primeiro de todos os mandamentos?"
29. Jesus respondeu: "O primeiro mandamento é este: Ouça, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor!
30. E ame ao Senhor seu Deus com todo o seu coração, com toda a sua alma, com todo o seu entendimento e com toda a sua força.
31. O segundo mandamento é este: Ame ao seu próximo como a si mesmo. Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois."
32. O doutor da Lei disse a Jesus: "Muito bem, Mestre! Como disseste, ele é, na verdade, o único Deus, e não existe outro além dele.
33. E amá-lo de todo o coração, de toda a mente, e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo, é melhor do que todos os holocaustos e do que todos os sacrifícios."
34. Jesus viu que o doutor da Lei tinha respondido com inteligência, e disse: "Você não está longe do Reino de Deus." E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus.

JESUS ESTÁ ACIMA DE DAVI
35. Jesus ensinava no Templo, dizendo: "Como é que os doutores da Lei falam que o Messias é filho de Davi?
36. O próprio Davi, movido pelo Espírito Santo, falou: 'O Senhor disse ao meu Senhor: sente-se à minha direita, até que eu ponha seus inimigos debaixo de seus pés'.
37. Portanto, o próprio Davi chama o Messias de Senhor. Como é que ele pode então ser seu filho?" E uma grande multidão o escutava com gosto.

JESUS CONDENA A DOMINAÇÃO INTELECTUAL
38. E Jesus continuava ensinando: "Tenham cuidado com os doutores da Lei. Eles gostam de andar com roupas compridas, de ser cumprimentados nas praças públicas;
39. gostam dos primeiros lugares nas sinagogas e dos lugares de honra nos banquetes.
40. No entanto, exploram as viúvas e roubam suas casas, e para disfarçar fazem longas orações. Por isso eles vão receber uma condenação mais severa."

A VERDADEIRA ATITUDE RELIGIOSA
41. Jesus estava sentado diante do Tesouro do Templo e olhava a multidão que depositava moedas no Tesouro. Muitos ricos depositavam muito dinheiro.
42. Então, chegou uma viúva pobre, e depositou duas pequenas moedas, que valiam uns poucos centavos.
43. Então Jesus chamou os discípulos, e disse: "Eu garanto a vocês: essa viúva pobre depositou mais do que todos os outros que depositaram moedas no Tesouro.
44. Porque todos depositaram do que estava sobrando para eles. Mas a viúva na sua pobreza depositou tudo o que tinha, tudo o que possuía para viver."

[Marcos 13]Marcos 13



O FIM AINDA NÃO CHEGOU
1. Quando Jesus saiu do Templo, um discípulo comentou: "Mestre, olha que pedras e que construções!"
2. Jesus respondeu: "Você está vendo essas grandes construções? Não ficará pedra sobre pedra; tudo será destruído."
3. Jesus estava sentado no monte das Oliveiras, de frente para o Templo. Então Pedro, Tiago, João e André lhe disseram em particular:
4. "Dize-nos, quando vai acontecer isso, e qual será o sinal de que todas essas coisas estarão para acabar?"
5. Jesus começou a dizer: "Cuidado para que ninguém engane vocês.
6. Muitos virão em meu nome, dizendo: 'Sou eu'. E enganarão muita gente.
7. Quando vocês ouvirem falar de guerras e de rumores de guerra, não fiquem assustados. Essas coisas devem acontecer, mas ainda não é o fim.
8. Com efeito, uma nação lutará contra outra, e um reino contra outro reino. Haverá terremotos em vários lugares, e também haverá fome. Isso será o começo das dores."

A CORAGEM DO TESTEMUNHO
9. "Tomem muito cuidado! Entregarão vocês aos tribunais. Vocês serão torturados nas sinagogas, serão levados diante de governadores e reis por minha causa, para vocês darem testemunho diante deles.
10. Mas antes a Boa Notícia deve ser anunciada a todas as nações.
11. Quando conduzirem vocês para serem entregues, não se preocupem com aquilo que vocês deverão dizer: digam o que vier na mente de vocês nesse momento, porque não serão vocês que falarão, mas o Espírito Santo.
12. Um irmão entregará seu próprio irmão à morte, e o pai entregará o filho; os filhos ficarão contra os pais, e os entregarão à morte.
13. Vocês serão odiados por todos por causa do meu nome. Quem perseverar até o fim, será salvo."

ESTEJAM PREVENIDOS!
14. "Quando vocês virem a abominação da desolação estabelecida no lugar onde não deveria estar, - que o leitor entenda! então, os que estiverem na Judéia devem fugir para as montanhas.
15. Quem estiver no terraço, não desça para apanhar coisa alguma dentro de casa.
16. Quem estiver no campo, não volte para pegar o manto.
17. Infelizes as mulheres grávidas e aquelas que estiverem amamentando nesses dias!
18. Rezem para que isso não aconteça no inverno.
19. Porque, nesses dias haverá uma tribulação como nunca houve, desde o início da criação feita por Deus, até agora; e nunca mais haverá outra igual.
20. Se o Senhor não abreviasse esses dias, ninguém conseguiria salvar-se.
21. Mas, ele abreviou aqueles dias, por causa dos eleitos que escolheu.
21. Se alguém disser a vocês: 'Aqui está o Messias', ou: 'Ele está ali', não acreditem.
22. Porque vão aparecer falsos messias e falsos profetas, que farão sinais e prodígios para enganar até mesmo os eleitos se fosse possível.
23. Prestem atenção! Eu estou falando tudo isso para vocês, antes que aconteça."

A HISTÓRIA E O FIM DOS TEMPOS
24. "Nesses dias, depois da tribulação, o sol vai ficar escuro, a lua não brilhará mais,
25. as estrelas começarão a cair do céu, e os poderes do espaço ficarão abalados.
26. Então, eles verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens com grande poder e glória.
27. Ele enviará os anjos dos quatro cantos da terra, e reunirá as pessoas que Deus escolheu, do extremo da terra ao extremo do céu."

FIQUEM VIGIANDO
28. "Aprendam, portanto, a parábola da figueira: quando seus ramos ficam verdes, e as folhas começam a brotar, vocês sabem que o verão está perto.
29. Vocês também, quando virem acontecer essas coisas, fiquem sabendo que ele está perto, já está às portas.
30. Eu garanto a vocês: tudo isso vai acontecer antes que morra esta geração que agora vive.
31. O céu e a terra desaparecerão, mas as minhas palavras não desaparecerão.
32. Quanto a esse dia e a essa hora, ninguém sabe nada, nem os anjos no céu, nem o Filho. Somente o Pai é quem sabe.
33. Prestem atenção! Não fiquem dormindo, porque vocês não sabem quando vai ser o momento.
34. Vai acontecer como a um homem que partiu para o estrangeiro. Ele deixou a casa, distribuiu a tarefa a cada um dos empregados, e mandou o

porteiro ficar vigiando.


35. Vigiem, portanto, porque vocês não sabem quando o dono da casa vai voltar; pode ser à tarde, à meia-noite, de madrugada ou pelo amanhecer.
36. Se ele vier de repente, não deve encontrá-los dormindo.
37. O que eu digo a vocês, digo a todos: Fiquem vigiando."

[Marcos 14]O DESFECHO DO CONFLITO: MORTE E RESSURREIÇÃO



Marcos 14

O MESSIAS VAI SER MORTO
1. Faltavam dois dias para a festa da Páscoa e para a festa dos Ázimos. Os chefes dos sacerdotes e os doutores da Lei procuravam um modo esperto de prender Jesus e depois matá-lo.
2. Eles diziam: "A fim de que, durante a festa, não haja confusão no meio do povo."
3. Jesus estava em Betânia, na casa de Simão, o leproso. Enquanto faziam a refeição, chegou uma mulher com um vaso de alabastro, cheio de um perfume de nardo puro, muito caro. Ela quebrou o vaso, e derramou o perfume na cabeça de Jesus.
4. Alguns que aí estavam ficaram com raiva, e comentavam: "Por que desperdiçar esse perfume?
5. O perfume poderia ser vendido por mais de trezentas moedas de prata, que poderiam ser dadas aos pobres." E criticavam a mulher.
6. Mas Jesus disse a eles: "Deixem-na. Por que vocês a aborrecem? Ela está me fazendo uma coisa muito boa.
7. Vocês terão sempre os pobres com vocês, e poderão fazer-lhes o bem quando quiserem. Mas eu não vou estar sempre com vocês.
8. Ela fez o que podia: derramou perfume em meu corpo, preparando-o para a sepultura.
9. Eu garanto a vocês: por toda a parte, onde a Boa Notícia for pregada, também contarão o que ela fez, e ela será lembrada."
10. Judas Iscariotes, um dos doze discípulos, foi ter com os chefes dos sacerdotes, para entregar Jesus.
11. Eles ficaram muito contentes quando ouviram isso, e prometeram dar dinheiro a Judas. Então Judas começou a procurar uma boa oportunidade para entregar Jesus.

O NOVO CORDEIRO PASCAL
12. No primeiro dia dos Ázimos, quando matavam os cordeiros para a Páscoa, os discípulos perguntaram a Jesus: "Onde queres que vamos preparar para que comas a Páscoa?"
13. Jesus mandou então dois de seus discípulos, dizendo: "Vão à cidade. Um homem carregando um jarro de água virá ao encontro de vocês. Sigam-no
14. e digam ao dono da casa onde ele entrar: 'O Mestre manda dizer: Onde é a sala em que eu e os meus discípulos vamos comer a Páscoa?'
15. Então ele mostrará para vocês, no andar de cima, uma sala grande, arrumada com almofadas. Preparem aí tudo para nós."
16. Os discípulos saíram e foram à cidade. Encontraram tudo como Jesus havia dito. E prepararam a Páscoa.
17. Ao cair da tarde, Jesus chegou com os Doze.
18. Enquanto estavam à mesa comendo, Jesus disse: "Eu garanto a vocês: um de vocês vai me trair. É alguém que come comigo."
19. Os discípulos começaram a ficar tristes e, um depois do outro, perguntaram a Jesus: "Será que sou eu?"
20. Jesus lhes disse: "É um dos Doze. É aquele que põe comigo a mão no prato.
21. O Filho do Homem vai morrer, conforme diz a Escritura sobre ele. Contudo, ai daquele que trair o Filho do Homem! Seria melhor que nunca tivesse nascido!"

A INSTITUIÇÃO DA EUCARISTIA
22. Enquanto comiam, Jesus tomou um pão e, tendo pronunciado a bênção, o partiu, distribuiu a eles, e disse: "Tomem, isto é o meu corpo."
23. Em seguida, tomou um cálice, agradeceu e deu a eles. E todos eles beberam.
24. E Jesus lhes disse: "Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos.
25. Eu garanto a vocês: nunca mais beberei do fruto da videira, até o dia em que beberei o vinho novo no Reino de Deus."

A FIDELIDADE DE JESUS AOS SEUS
26. Depois de terem cantado salmos, foram para o monte das Oliveiras.
27. Então Jesus disse aos discípulos: "Vocês todos vão ficar desorientados, porque a Escritura diz: 'Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão'.
28. Mas, depois de ressuscitar, eu irei à frente de vocês para a Galiléia."
29. Pedro declarou a Jesus: "Mesmo que todos fiquem desorientados, eu não ficarei."
30. Jesus disse a Pedro: "Eu garanto a você: ainda hoje, esta noite, antes que o galo cante duas vezes, você me negará três vezes."
31. Mas Pedro repetiu com mais força: "Ainda que eu tenha de morrer contigo, mesmo assim não te negarei." E todos disseram a mesma coisa.

A GRANDE TENTAÇÃO
32. Eles chegaram a um lugar chamado Getsêmani. Então Jesus disse aos discípulos: "Sentem-se aqui, enquanto eu vou rezar."
33. Jesus levou consigo Pedro, Tiago e João, e começou a ficar com medo e angústia.
34. Então disse a eles: "Minha alma está numa tristeza de morte. Fiquem aqui e vigiem."
35. Jesus foi um pouco mais adiante, prostrou-se por terra e pedia que, se fosse possível, aquela hora se afastasse dele.
36. Ele rezava: "Abba! Pai! Tudo é possível para ti! Afasta de mim este cálice! Contudo, não seja o que eu quero, e sim o que tu queres."
37. Depois Jesus voltou, encontrou os três discípulos dormindo, e disse a Pedro: "Simão, você está dormindo? Você não pôde vigiar nem sequer uma hora?
38. Vigiem e rezem, para não cair na tentação! Porque o espírito está pronto para resistir, mas a carne é fraca."
39. Jesus se afastou de novo e rezou, repetindo as mesmas palavras.
40. Voltou novamente, e encontrou os discípulos dormindo, porque seus olhos estavam pesados de sono. E eles não sabiam o que dizer a Jesus.
41. Então Jesus voltou pela terceira vez, e disse: "Agora vocês podem dormir e descansar. Basta! Chegou a hora! Eis que o Filho do Homem vai ser entregue ao poder dos pecadores.
42. Levantem-se! Vamos! Aquele que vai me trair já está chegando."

FIDELIDADE ATÉ O FIM
43. Logo mais, enquanto Jesus ainda falava, chegou Judas, um dos Doze, com uma multidão armada de espadas e paus. Iam da parte dos chefes dos sacerdotes, dos doutores da Lei e dos anciãos do povo.
44. O traidor tinha combinado com eles um sinal, dizendo: "Jesus é aquele que eu beijar. Prendam, e levem bem guardado."
45. Judas logo se aproximou de Jesus, dizendo: "Mestre!" E o beijou.
46. Então eles lançaram as mãos sobre Jesus, e o prenderam.
47. Mas um dos presentes puxou a espada, e feriu o empregado do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha.
48. Jesus perguntou: "Vocês saíram com espadas e paus para me prender, como se eu fosse um bandido?
49. Todos os dias eu estava com vocês no Templo, ensinando, e vocês não me prenderam. Mas, isso é para se cumprirem as Escrituras."
50. Então todos fugiram, abandonando Jesus.
51. Um jovem, vestido só com um lençol, estava seguindo Jesus, e eles o prenderam.
52. Mas o jovem largou o lençol, e fugiu nu.

JESUS É O JUIZ
53. Então eles levaram Jesus à casa do sumo sacerdote. E se reuniram todos os chefes dos sacerdotes, os anciãos e os doutores da Lei.
54. Pedro seguiu Jesus de longe, e entrou no pátio da casa do sumo sacerdote. Sentou-se junto com os guardas, e se esquentava junto ao fogo.
55. Ora, os chefes dos sacerdotes e todo o Sinédrio procuravam contra Jesus algum testemunho, a fim de o condenar à morte. E nada encontraram,
56. porque muitos testemunhavam falsamente contra Jesus, mas os testemunhos deles não estavam de acordo.
57. Alguns se levantaram e testemunharam falsamente contra Jesus,
58. dizendo: "Nós o ouvimos dizer: 'Vou destruir esse templo feito por homens, e em três dias construirei um outro, que não será feito pelos homens!'"
59. Mas, nem mesmo assim o testemunho deles estava de acordo.
60. Então o sumo sacerdote levantou-se e, no meio de todos, interrogou a Jesus: "Nada tens a responder aos que testemunham contra ti?"
61. Mas Jesus continuou calado, e nada respondeu. O sumo sacerdote o interrogou de novo: "És tu o Messias, o Filho do Deus Bendito?"
62. Jesus respondeu: "Eu sou. E vocês verão o Filho do Homem sentado à direita do Todo-poderoso, e vindo sobre as nuvens do céu."
63. Então o sumo sacerdote rasgou as próprias vestes, e disse: "Que necessidade temos ainda de testemunhas?
64. Vocês ouviram a blasfêmia! O que parece a vocês?" Então todos eles decretaram que Jesus era réu de morte.
65. Então alguns começaram a cuspir em Jesus. Cobriram o rosto de Jesus e o esbofeteavam, dizendo: "Faze uma profecia!" E os guardas lhe davam bofetadas.

PEDRO CAI NA TENTAÇÃO
66. Pedro estava embaixo, no pátio. Chegou então uma criada do sumo sacerdote,
67. e quando viu Pedro se esquentando, olhou bem para ele, e disse: "Você também estava com Jesus Nazareno!"
68. Mas Pedro negou: "Não sei, nem compreendo o que você diz!" E o galo cantou.
69. A criada viu Pedro, e começou a dizer novamente aos que estavam perto: "Esse aí é um deles!"
70. Mas Pedro negou outra vez. Pouco depois, os que estavam junto diziam novamente a Pedro: "É claro que você é um deles, pois você é da Galiléia."
71. Então Pedro começou a maldizer e a jurar, dizendo: "Nem conheço esse homem de quem vocês estão falando!"
72. Nesse instante, o galo cantou pela segunda vez. Pedro se lembrou de que Jesus lhe havia dito: "Antes que o galo cante duas vezes, você me negará três vezes." Então Pedro começou a chorar.

[Marcos 15]Marcos 15



JESUS OU BARRABÁS?
1. De manhã, os chefes dos sacerdotes, com os anciãos, os doutores da Lei e todo o Sinédrio, prepararam um conselho. Amarraram Jesus, o levaram e entregaram a Pilatos.
2. Pilatos interrogou a Jesus: "Tu és o rei dos judeus?" Jesus respondeu: "É você que está dizendo isso."
3. E os chefes dos sacerdotes faziam muitas acusações contra Jesus.
4. Pilatos o interrogou novamente: "Nada tens a responder? Vê de quanta coisa te acusam!"
5. Mas Jesus não respondeu mais nada, e Pilatos ficou impressionado.
6. Na festa da Páscoa, Pilatos soltava o prisioneiro que eles pedissem.
7. Nesse tempo, um homem chamado Barrabás estava preso junto com os rebeldes, que tinham cometido um assassinato na revolta.
8. A multidão subiu, e começou a pedir que Pilatos fizesse como costumava.
9. Pilatos perguntou: "Vocês querem que eu solte o rei dos judeus?"
10. Pilatos bem sabia que os chefes dos sacerdotes haviam entregado Jesus por inveja.
11. Porém os chefes dos sacerdotes atiçaram a multidão para que Pilatos soltasse Barrabás.
12. Pilatos perguntou de novo: "O que farei então com Jesus que vocês chamam de rei dos judeus?"
13. Mas eles gritaram de novo: "Crucifique!"
14. Pilatos perguntou: "Mas, que mal fez ele?" Eles, porém, gritaram com mais força: "Crucifique!"
15. Pilatos queria agradar à multidão. Soltou Barrabás, mandou flagelar Jesus e o entregou para ser crucificado.

O VERDADEIRO REI
16. Então os soldados levaram Jesus para o pátio, dentro do palácio do governador, e convocaram toda a tropa.
17. Vestiram Jesus com um manto vermelho, teceram uma coroa de espinhos e lha puseram na cabeça.
18. Depois começaram a cumprimentá-lo: "Salve, rei dos judeus!"
19. E batiam-lhe na cabeça com uma vara. Cuspiam nele e, dobrando os joelhos, prestavam-lhe homenagem.
20. Depois de zombarem de Jesus, tiraram-lhe o manto vermelho, o vestiram de novo com as próprias roupas dele, e o levaram para fora, a fim de o crucificarem.

O VERDADEIRO MESSIAS
21. Passava por aí um homem, chamado Simão Cireneu, pai de Alexandre e Rufo. Ele voltava do campo para a cidade. Então os soldados obrigaram Simão a carregar a cruz de Jesus.
22. Levaram Jesus para o lugar chamado Gólgota, que quer dizer "lugar da Caveira".
23. Deram-lhe vinho misturado com mirra, mas Jesus não tomou.
24. Eles o crucificaram, e repartiram as roupas dele, fazendo um sorteio, para ver a parte de cada um.
25. Eram nove horas da manhã quando crucificaram Jesus.
26. E aí estava uma inscrição, com o motivo da condenação: "O Rei dos judeus."
27. Com ele crucificaram dois bandidos, um à direita e outro à esquerda.
28. Desse modo cumpriu-se a Escritura que diz: "Ele foi incluído entre os fora-da-lei."


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   158   159   160   161   162   163   164   165   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal