Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


"Amigos, vejo que a viagem está a ponto de acabar, com muito dano e prejuízo, não só da carga e do navio, mas também de nossas vidas." 11



Baixar 5.7 Mb.
Página180/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   176   177   178   179   180   181   182   183   ...   197

10. "Amigos, vejo que a viagem está a ponto de acabar, com muito dano e prejuízo, não só da carga e do navio, mas também de nossas vidas."
11. Mas o centurião acreditou mais no piloto e no armador do que em Paulo.
12. Aliás, o porto, não era propício para passar o inverno. A maioria foi de opinião que se devia partir daí e tentar chegar até Fênix. Este é um porto de Creta, ao abrigo dos ventos noroeste e sudoeste. Aí poderiam passar o inverno.
13. Quando o vento sul começou a soprar levemente, eles pensaram que poderiam realizar o que haviam projetado. Levantaram âncoras e foram costeando Creta mais de perto.
14. Pouco depois, desencadeou-se do lado da ilha um furacão chamado Euroaquilão.
15. Incapaz de resistir ao vento, o navio foi arrastado violentamente e ficamos sem direção.
16. Passando rente a uma pequena ilha chamada Cauda, com dificuldade conseguimos recolher o bote.
17. Após tê-lo içado, os tripulantes usaram os recursos de emergência, amarrando o navio com cordas de segurança. Contudo, temendo encalhar em Sirte, soltaram a âncora e continuaram sem direção.
18. No dia seguinte, batidos furiosamente pela tempestade, começaram a jogar a carga no mar.
19. No terceiro dia, com as próprias mãos lançaram ao mar até o equipamento do navio.
20. Por vários dias, não vimos nem o sol nem as estrelas, e a tempestade continuava a bater fortemente. Por fim perdemos toda a esperança de salvação.
21. Estávamos muito tempo sem comer nada. Então Paulo se pôs de pé no meio deles, e disse: "Amigos, se vocês tivessem me escutado e não tivessem saído de Creta, teríamos evitado este perigo e este prejuízo.
22. Apesar disso, aconselho que vocês sejam corajosos, porque ninguém de vocês vai morrer: só perderão o navio.
23. Esta noite me apareceu um anjo do Deus ao qual pertenço e a quem adoro.
24. O anjo me disse: 'Não tenha medo, Paulo. Você deve comparecer diante de César. E Deus concede a você a vida de todos os seus companheiros de viagem'.
25. Portanto, coragem, amigos! Confio em Deus que as coisas acontecerão como me foi dito.
26. Entretanto, devemos ser arremessados em alguma ilha."
27. Já fazia catorze noites que éramos jogados de um lado para outro no mar Adriático, quando, aí pela meia-noite, os marinheiros viram sinal de terra.
28. Então lançaram a sonda e deu trinta e seis metros de profundidade; um pouco mais adiante, lançaram de novo a sonda e deu vinte e sete metros.
29. Com medo de que o navio batesse em rochas, eles desceram quatro âncoras do lado de trás do navio e esperavam ansiosamente que o dia surgisse.
30. Entretanto, os marinheiros tentavam fugir do navio. Com o pretexto de jogar âncoras do lado dianteiro, já estavam descendo o bote ao mar.
31. Então Paulo disse ao centurião e aos soldados: "Se eles não ficarem no navio, vocês não poderão salvar-se."
32. Então os soldados cortaram as cordas do bote e deixaram que ele caísse no mar.
33. Esperando que amanhecesse, Paulo insistia que todos comessem. E dizia: "Já faz catorze dias que vocês estão esperando, em jejum, sem comer nada.
34. Aconselho que se alimentem, porque é necessário para a saúde. Pois não vai se perder nenhum cabelo da cabeça de vocês."
35. Dizendo isso, Paulo tomou o pão, deu graças a Deus diante de todos, o partiu e começou a comer.
36. Então eles se reanimaram e também se alimentaram.
37. No navio éramos ao todo duzentas e setenta e seis pessoas.
38. Depois de comerem com fartura, jogaram o trigo ao mar, aliviando assim o navio.
39. Quando amanheceu, os marinheiros não reconheceram a terra. Vendo uma enseada com uma praia, conversaram para ver se poderiam conduzir o navio até lá.
40. Soltaram as âncoras, deixando o navio ao movimento do mar. Ao mesmo tempo, desamarraram as cordas dos lemes, levantaram a vela da frente e dirigiram o navio para a praia.
41. Mas o navio foi de encontro a um banco de areia e encalhou. A parte dianteira, atolada, ficou imóvel, mas a parte traseira começou a desconjuntar-se pela violência das ondas.
42. Então, os soldados decidiram matar os prisioneiros, para evitar que alguns deles escapassem a nado.
43. Mas o oficial romano, querendo salvar Paulo, não aceitou a idéia. Mandou aos que sabiam nadar que saltassem primeiro e alcançassem a terra.
44. Depois mandou que os outros fossem atrás, agarrados em pranchas ou em qualquer pedaço do navio. Assim todos chegaram à terra, sãos e salvos.

[Atos 28]Atos 28



O PODER DA TESTEMUNHA
1. Estando já a salvo, soubemos que a ilha se chamava Malta.
2. Os nativos nos trataram com extraordinária bondade. Eles acolheram a todos nós ao redor de uma grande fogueira que tinham aceso, pois estava chovendo e fazia frio.
3. Paulo recolhera um feixe de lenha seca e a jogava na fogueira. Então uma cobra, fugindo do calor, saiu e se prendeu na mão de Paulo.
4. Vendo a cobra dependurada em sua mão, os nativos disseram: "Este homem certamente é um assassino: escapou do naufrágio, mas a justiça divina não o deixa viver."
5. Paulo, porém, sacudiu a cobra para dentro do fogo, e não sentiu nada.
6. Os nativos ficaram na expectativa de que ele inchasse e caísse morto de repente. Depois de

esperarem por um bom tempo e, vendo que nada acontecia, mudaram de idéia e começaram a dizer que ele era um deus.


7. Perto desse lugar ficava a propriedade do Chefe da ilha, que se chamava Públio. Ele nos recebeu com gentileza e nos hospedou por três dias.
8. O pai dele estava com febre e disenteria. Paulo foi visitá-lo, rezou, impôs as mãos sobre ele e o curou.
9. Depois disso, os doentes da ilha começaram a ir ao encontro de Paulo e eram curados.
10. Demonstraram, então, muitos sinais de estima e, quando estávamos de partida, levaram para o navio tudo o que precisávamos.

CHEGADA A ROMA
11. Depois de três meses, embarcamos num navio alexandrino, que passara o inverno na ilha e que tinha os Dióscuros como emblema.
12. Fizemos escala em Siracusa e aí permanecemos três dias.
13. Em seguida, costeando, chegamos a Régio. No dia seguinte, levantou-se o vento sul e em dois dias chegamos a Putéoli.
14. Aí encontramos alguns irmãos que nos pediram para ficar com eles sete dias. Em seguida fomos para Roma.
15. Os irmãos de Roma, que tiveram notícia de nossas peripécias, foram receber-nos no Foro Ápio e nas Três Tabernas. Ao vê-los, Paulo deu graças a Deus e sentiu-se encorajado.
16. Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, sob a vigilância de um soldado.

"... ATÉ AOS EXTREMOS DA TERRA"
17. Três dias depois, Paulo convocou os líderes dos judeus. Quando estavam reunidos, falou: "Irmãos, eu não fiz nada contra o nosso povo, nem contra as tradições de nossos antepassados. No entanto, vim de Jerusalém como prisioneiro, e assim fui entregue nas mãos dos romanos.
18. Interrogado por eles no tribunal e, não havendo nada em mim que merecesse a morte, eles queriam me soltar.
19. Mas os judeus se opuseram e eu fui obrigado a apelar para César, sem nenhuma intenção de acusar minha nação.
20. É por isso que eu pedi para ver vocês e para lhes falar, pois estou carregando esta corrente justamente por causa da esperança de Israel."
21. Então eles disseram a Paulo: "Nós não recebemos nenhuma carta da Judéia falando sobre você, e nenhum dos irmãos que aqui chegaram relatou qualquer coisa de mal contra você.
22. No entanto, gostaríamos de ouvir de sua própria boca o que você pensa, pois sabemos que essa sua seita está encontrando oposição em toda parte."
23. Então marcaram um dia e foram com mais gente para se encontrar com ele no seu alojamento. Desde o amanhecer até à tarde, Paulo fez uma exposição baseada na Lei de Moisés e nos Profetas, dando testemunho do Reino de Deus e procurando convencê-los a respeito de Jesus.
24. Alguns aceitaram o que ele dizia, mas outros não quiseram acreditar.
25. Houve, assim, discordância entre eles. Enquanto iam saindo, Paulo só disse uma coisa: "Bem que o Espírito Santo falou aos antepassados de vocês por meio do profeta Isaías:
26. 'Vá ter com esse povo e diga-lhe: vocês vão escutar bem, mas não compreenderão; vocês vão olhar bem, mas não verão.
27. O coração desse povo está embotado; ouviram mal com os ouvidos e taparam os olhos, para que não vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, e não entendam com o coração, nem se convertam e eu não os cure!'
28. Pois então, fiquem sabendo vocês: esta salvação de Deus é enviada aos pagãos, e eles a escutarão"./
29. /
30. Paulo morou dois anos numa casa alugada, vivendo às custas do seu próprio trabalho. Recebia a todos os que o procuravam,
31. pregando o Reino de Deus. Com toda a coragem e sem obstáculos, ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo.

Romanos 1

ENDEREÇO E SAUDAÇÃO
1. Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo e escolhido para anunciar o Evangelho de Deus,
2. que por Deus foi prometido através dos seus profetas nas Santas Escrituras.
3. Esse Evangelho se refere ao Filho de Deus que, como homem, foi descendente de Davi,
4. e, segundo o Espírito Santo, foi constituído Filho de Deus com poder, através da ressurreição dos mortos: Jesus Cristo nosso Senhor.
5. Através de Jesus, recebemos a graça de ser apóstolo, a fim de conduzir todos os povos pagãos à obediência da fé, para a glória do seu nome.
6. Entre eles, estão também vocês, chamados por Jesus Cristo.
7. Escrevo a todos vocês que estão em Roma e que são amados por Deus e chamados à santidade. Que a graça e a paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo estejam com vocês.

COMPARTILHAR A FÉ
8. Antes de tudo, dou graças ao meu Deus por meio de Jesus Cristo por causa de vocês, pois a fama da fé que vocês têm se espalhou pelo mundo inteiro.
9. Deus, a quem sirvo em meu espírito anunciando o Evangelho do seu Filho, é testemunha de que sem cessar me lembro de vocês,
10. e nas minhas orações peço sempre que, por vontade de Deus, eu tenha ocasião de poder visitá-los.
11. De fato, tenho muita vontade de vê-los, a fim de lhes comunicar algum dom espiritual para fortalecê-los,
12. ou melhor, para ser reconfortado com vocês e entre vocês, através da fé que eu e vocês temos em comum.
13. Por outro lado, irmãos, quero que vocês saibam que muitas vezes pensei em visitá-los, mas até agora fui impedido de ir; esperava recolher algum fruto entre vocês, como entre outras nações.
14. Estou em dívida com gregos e bárbaros, com sábios e ignorantes.
15. Desse modo, naquilo que depende de mim, estou pronto para anunciar o Evangelho também para vocês que estão em Roma.

O EVANGELHO É FORÇA DE DEUS QUE SALVA

TEMA GERAL
16. Não me envergonho do Evangelho, pois ele é força de Deus para a salvação de todo aquele que acredita, do judeu em primeiro lugar, mas também do grego.
17. De fato, no Evangelho a justiça se revela única e exclusivamente através da fé, conforme diz a Escritura: "o justo vive pela fé."

A CONDIÇÃO DOS PAGÃOS
18. A ira de Deus se manifesta do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens, que com a injustiça sufocam a verdade.
19. Pois aquilo que é possível conhecer de Deus foi manifestado aos homens; e foi o próprio Deus quem o manifestou.
20. De fato, desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, tais como o seu poder eterno e sua divindade, podem ser contempladas, através da inteligência, nas obras que ele realizou. Os homens, portanto, não têm desculpa,
21. porque, embora conhecendo a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças. Pelo contrário, perderam-se em raciocínios vazios, e sua mente ficou obscurecida.
22. Pretendendo ser sábios, tornaram-se tolos,
23. trocando a glória do Deus imortal por estátuas de homem mortal, de pássaros, animais e répteis.
24. Foi por isso que Deus os entregou, conforme os desejos do coração deles, à impureza com que desonram seus próprios corpos.
25. Eles trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém.
26. Por isso, Deus entregou os homens a paixões vergonhosas: suas mulheres mudaram a relação natural em relação contra a natureza.
27. Os homens fizeram o mesmo: deixaram a relação natural com a mulher e arderam de paixão uns com os outros, cometendo atos torpes entre si, recebendo dessa maneira em si próprios a paga pela sua aberração.
28. Os homens desprezaram o conhecimento de Deus; por isso, Deus os abandonou ao sabor de uma mente incapaz de julgar. Desse modo, eles fazem o que não deveriam fazer:
29. estão cheios de todo tipo de injustiça, perversidade, avidez e malícia; cheios de inveja, homicídio, rixas, fraudes e malvadezas; são difamadores,
30. caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, soberbos, fanfarrões, engenhosos no mal, rebeldes para com os pais,
31. insensatos, desleais, gente sem coração e sem misericórdia.
32. E apesar de conhecerem o julgamento de Deus, que considera digno de morte quem pratica tais coisas, eles não só as cometem, mas também aprovam quem se comporta assim.

[Romanos 2]Romanos 2



A CONDIÇÃO DO POVO JUDEU NÃO É MELHOR
1. Homem, você julga os outros? Seja quem for, você não tem desculpa. Pois, se julga os outros e faz o mesmo que eles fazem, você está condenando a si próprio.
2. Sabemos, porém, que Deus é justo quando condena os que praticam tais coisas.
3. Mas você, que faz as mesmas coisas que condena nos outros, pensa que escapará do julgamento de Deus?
4. Ou será que você despreza a riqueza da bondade de Deus, da sua paciência e generosidade, desconhecendo que a bondade dele convida você à conversão?
5. Pela teimosia e dureza de coração, você está amontoando ira contra si mesmo para o dia da ira, quando o justo julgamento de Deus vai se revelar,
6. retribuindo a cada um conforme as suas próprias ações:
7. a vida eterna para aqueles que perseveram na prática do bem, buscando a glória, a honra e a imortalidade;
8. pelo contrário, ira e indignação para aqueles que se revoltam e rejeitam a verdade, para obedecerem à injustiça.
9. Haverá tribulação e angústia para todo aquele que pratica o mal, primeiro para o judeu, depois para o grego.
10. Mas haverá glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem, primeiro para o judeu, depois para o grego.
11. Pois Deus não faz distinção de pessoas.

A LEI NÃO MELHORA A SITUAÇÃO
12. Todos os que pecaram sem a Lei, sem a Lei também perecerão. Todos os que pecaram sob o regime da Lei, pela Lei serão julgados.
13. Pois não são aqueles que ouvem a Lei que são justos diante de Deus, e sim aqueles que praticam o que a Lei manda.
14. Os pagãos não têm a Lei. Mas, embora não a tenham, se eles fazem espontaneamente o que a Lei manda, eles próprios são Lei para si mesmos.
15. Eles assim mostram que os preceitos da Lei estão escritos em seus corações; a consciência deles também testemunha isso, assim como os julgamentos interiores, que ora os condenam, ora os aprovam.
16. É o que vai acontecer no dia em que Deus, segundo o meu Evangelho, for julgar, por meio de Jesus Cristo, o comportamento secreto dos homens.
17. Você, que se diz judeu, que se apóia sobre a Lei e que coloca seu orgulho em Deus;
18. você, que conhece a vontade de Deus e que, instruído pela Lei, sabe distinguir o que é melhor:
19. você, que está convencido de ser o guia dos cegos, a luz daqueles que estão nas trevas,
20. o educador dos ignorantes, o mestre das pessoas simples, porque você possui na Lei a própria expressão do conhecimento e da verdade...
21. Muito bem! Você ensina aos outros e não ensina a si próprio! Você prega que não se deve roubar, e você mesmo rouba!
22. Você proíbe o adultério, e você mesmo o comete! Você odeia os ídolos, mas rouba os objetos dos templos!
23. Você se gloria da Lei, mas desonra a Deus, transgredindo a Lei!
24. Assim diz a Escritura: "Por causa de vocês, o nome de Deus é blasfemado entre os pagãos."

NEM A CIRCUNCISÃO PODE SALVAR
25. A circuncisão é útil quando você pratica a Lei; mas, se você desobedece à Lei, é como se não estivesse circuncidado.
26. Se um pagão não circuncidado observa os preceitos da Lei, não será tido como circuncidado, ainda que não o seja?
27. E o pagão que cumpre a Lei, embora não circuncidado fisicamente, julgará você que desobedece à Lei, embora você tenha a Lei escrita e a circuncisão.
28. De fato, aquilo que faz o judeu não é o que se vê, nem é a marca visível na carne que faz a circuncisão.
29. Pelo contrário, o que faz o judeu é aquilo que está escondido, e circuncisão é a do coração; e isso vem do espírito e não da letra da Lei. Tal homem recebe aprovação, não dos homens, mas de Deus.

[Romanos 3]Romanos 3



PRIVILÉGIO E RESPONSABILIDADE DOS JUDEUS
1. Então, qual é a superioridade do judeu? Qual é a utilidade da circuncisão?
2. Muita, sob todos os aspectos. Em primeiro lugar, porque as revelações de Deus foram confiadas aos judeus.
3. E daí? Alguns deles negaram a fé. A incredulidade deles não anula a fidelidade de Deus?
4. De jeito nenhum! Antes, fica confirmado que Deus é verdadeiro, enquanto todo homem é mentiroso, conforme diz a Escritura: "Para que sejas reconhecido como justo nas tuas palavras e triunfes quando fores julgado."
5. Se a nossa injustiça realça a justiça de Deus, o que é que podemos dizer? Que Deus é injusto, quando descarrega sobre nós a sua ira? Estou falando como os homens costumam falar.
6. De jeito nenhum! Se fosse assim, como poderia Deus julgar o mundo?
7. Mas se através da minha mentira resplandece mais a verdade de Deus para a sua glória, então por que sou julgado como pecador?
8. Por que não haveríamos de fazer o mal, para que venha o bem? Aliás, alguns caluniadores afirmam que nós ensinamos isso. Essas pessoas merecem condenação.

TODOS SÃO PECADORES
9. E então? Nós, judeus, somos por acaso superiores? De forma nenhuma! Pois acabamos de provar: todos estão debaixo do império do pecado, tanto os judeus como os gregos,
10. como diz a Escritura:
11. Não há homem justo, não há um sequer. Não há homem sensato, não há quem busque a Deus.
12. Todos se desviaram, e juntos se corromperam; não há quem faça o bem, não há um sequer.
13. A garganta deles é um túmulo aberto, com a língua planejam trapaças; em seus lábios há veneno de cobra.
14. Sua boca está cheia de maldições e de amargor.
15. Seus pés são velozes para derramar sangue;
16. ruína e desgraça enchem seus caminhos.
17. Não conhecem o caminho da paz,
18. e não aprenderam a temer a Deus.
19. Sabemos que tudo o que a Lei diz aplica-se aos que vivem debaixo da Lei. Isso para que todos calem a boca, e o mundo inteiro se reconheça culpado diante de Deus.
20. Porque ninguém se tornará justo diante de Deus através da observância da Lei, pois a função da Lei é dar consciência do pecado.

A JUSTIÇA PELA FÉ
21. Agora, porém, independentemente da Lei, manifestou-se a justiça de Deus, testemunhada pela Lei e pelos Profetas.
22. É a justiça de Deus que se realiza através da fé em Jesus Cristo, para todos aqueles que acreditam. E não há distinção:
23. todos pecaram e estão privados da glória de Deus,
24. mas se tornam justos gratuitamente pela sua graça, mediante a libertação realizada por meio de Jesus Cristo.
25. Deus o destinou a ser vítima que, mediante seu próprio sangue, nos consegue o perdão, contanto que nós acreditemos. Assim Deus manifestou sua justiça, pois antes deixava pecar sem intervir:
26. eram os tempos da paciência de Deus. Mas, no tempo presente, ele manifesta a sua justiça para ser justo e para tornar justo quem tem fé em Jesus.

SÓ A FÉ NOS TORNA JUSTOS
27. Então, onde está o motivo de se gloriar? Foi eliminado. Por qual lei? Pela lei das obras? Não, pela lei da fé.
28. Pois, esta é a nossa tese: o homem se torna justo através da fé, independentemente da observância da Lei.
29. Então, será que Deus é Deus somente dos judeus? Não será também Deus dos pagãos? Sim, ele é Deus também dos pagãos.
30. De fato, há um só Deus que justifica, pela fé, tanto os circuncidados como os não circuncidados.
31. Então, pela fé anulamos a Lei? De forma nenhuma! Pelo contrário, nós a confirmamos.

[Romanos 4]Romanos 4



ABRAÃO, PAI DOS QUE TÊM FÉ
1. Em vista disso, qual vantagem podemos dizer que obteve Abraão, pai da nossa raça?
2. Se Abraão se tornou justo por suas obras, ele tem algo de que se gloriar, mas não diante de Deus.
3. De fato, o que diz a Escritura? "Abraão teve fé em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça."
4. Para quem trabalha, o salário não é considerado como gratificação, mas como dívida;
5. para quem não trabalha, mas crê naquele que torna justo o ímpio, sua fé lhe é creditada como justiça.
6. É desse modo que Davi proclama feliz o homem a quem Deus credita a justiça, independente das obras:
7. "Felizes aqueles cujas ofensas foram perdoadas e cujos pecados foram cobertos.
8. Feliz o homem a quem o Senhor não leva em conta o pecado."
9. Essa felicidade é só para os circuncidados, ou é também para os não circuncidados? Nós dizemos que a fé foi creditada a Abraão como justiça.
10. Mas, quando é que lhe foi creditada? Quando já era circuncidado ou quando ainda não era? Certamente não depois da circuncisão, mas antes.
11. De fato, ele recebeu o sinal da circuncisão como selo da justiça que vem da fé, que ele já tinha obtido quando ainda não era circuncidado. Assim é que ele se tornou pai de todos os não circuncidados que acreditam, para que a justiça fosse creditada também para estes;
12. e se tornou pai também dos circuncidados, daqueles que não só receberam a circuncisão, mas que também seguem a trilha da fé que teve Abraão, nosso pai, antes de ter sido circuncidado.

OS HERDEIROS DE ABRAÃO
13. Não por causa da Lei, mas por causa da justiça da fé, que a promessa de receber o mundo em herança foi feita a Abraão ou à sua descendência.
14. Se os herdeiros recebem a herança por causa da Lei, a fé não tem mais sentido e a promessa fica anulada.
15. De fato, a Lei provoca a ira; mas, onde não há lei, também não há transgressão.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   176   177   178   179   180   181   182   183   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal