Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Essa é a minha resposta para aqueles que me acusam. 4



Baixar 5.7 Mb.
Página184/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   180   181   182   183   184   185   186   187   ...   197

3. Essa é a minha resposta para aqueles que me acusam.
4. Será que não temos direito de comer e beber?
5. Ou não temos direito de levar conosco nas viagens uma mulher cristã, como fazem os outros apóstolos e os irmãos do Senhor, e Pedro?
6. Ou somente eu e Barnabé não temos o direito de ser dispensados de trabalhar?
7. Alguém vai à guerra alguma vez, com seus próprios recursos? Quem é que planta uma vinha, e não come do seu fruto? Quem apascenta um rebanho, e não se alimenta do leite do rebanho?
8. Será que estou dizendo isso apenas como considerações humanas? E a Lei, não diz a mesma coisa?
9. De fato, na Lei de Moisés está escrito: "Não amordace o boi que debulha o grão." Por acaso, é com os bois que Deus se preocupa?
10. Não será por causa de nós que ele fala assim? Claro que é por causa de nós que isso foi escrito. De fato, aquele que trabalha deve trabalhar com esperança de receber a sua parte.
11. Se semeamos bens espirituais em vocês, será muito colher bens materiais de vocês?
12. Se outros exercem sobre vocês tal direito, por que não o poderíamos nós, e com maior razão? Todavia, não usamos esse direito. Pelo contrário, tudo suportamos para não criar obstáculo ao Evangelho de Cristo.
13. Vocês não sabem: aqueles que desempenham funções sagradas vivem dos rendimentos do templo? E aqueles que servem ao altar têm parte no que é oferecido sobre o altar?
14. Da mesma forma, o Senhor ordenou que aqueles que anunciam o Evangelho vivam do Evangelho.

TORNAR-SE DISPONÍVEL E SOLIDÁRIO
15. Contudo, não tirei vantagem dos meus direitos. E agora não estou escrevendo para reclamar coisa alguma. Antes morrer que... Não! Ninguém me tirará esse título de glória.
16. Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; pelo contrário, é uma necessidade que me foi imposta. Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho!
17. Se eu o anunciasse de própria iniciativa, teria direito a um salário; no entanto, já que o faço por obrigação, desempenho um cargo que me foi confiado.
18. Qual é então o meu salário? É que, pregando o Evangelho, eu o prego gratuitamente, sem usar dos direitos que a pregação do Evangelho me confere.
19. Embora eu seja livre em relação a todos, tornei-me o servo de todos, a fim de ganhar o maior número possível.
20. Com os judeus, comportei-me como judeu, a fim de ganhar os judeus; com os que estão sujeitos à Lei, comportei-me como se estivesse sujeito à Lei embora eu não esteja sujeito à Lei -, a fim de ganhar aqueles que estão sujeitos à Lei.
21. Com aqueles que vivem sem a Lei, comportei-me como se vivesse sem a Lei embora eu não viva sem a lei de Deus, pois estou sob a lei de Cristo -, para ganhar aqueles que vivem sem a Lei.
22. Com os fracos, tornei-me fraco, a fim de ganhar os fracos. Tornei-me tudo para todos, a fim de salvar alguns a qualquer custo.
23. Tudo isso eu o faço por causa do Evangelho, para me tornar participante dele.
24. Vocês não sabem que no estádio todos os atletas correm, mas só um ganha o prêmio? Portanto, corram, para conseguir o prêmio.
25. Os atletas se abstêm de tudo; eles, para ganhar uma coroa perecível; e nós, para ganharmos uma coroa imperecível.
26. Quanto a mim, também eu corro, mas não como quem vai sem rumo. Pratico o pugilato, mas não como quem luta contra o ar.
27. Trato com dureza o meu corpo e o submeto, para não acontecer que eu proclame a mensagem aos outros, e eu mesmo venha a ser reprovado.

[I Coríntios 10]I Coríntios 10



APRENDER DA HISTÓRIA
1. Irmãos, não quero que vocês ignorem uma coisa: todos os nossos antepassados estiveram sob a nuvem; todos atravessaram o mar
2. e, na nuvem e no mar, todos receberam um batismo que os ligava a Moisés.
3. Todos comeram o mesmo alimento espiritual,
4. e todos beberam a mesma bebida espiritual, pois bebiam de uma rocha espiritual que os acompanhava; e essa rocha era Cristo.
5. Apesar disso, a maioria deles não agradou a Deus, e caíram mortos no deserto.
6. Ora, esses fatos aconteceram como exemplo para nós, para que não cobicemos coisas más, como eles cobiçaram.
7. Não se tornem idólatras, como alguns deles, conforme está na Escritura: "O povo sentou-se para comer e beber; depois se levantaram para se divertir".
8. Nem nos entreguemos à imoralidade, como alguns deles se entregaram, de modo que num só dia morreram vinte e três mil.
9. Não tentemos ao Senhor, como alguns deles tentaram, e morreram vitimados pelas serpentes.
10. Não murmurem, como alguns deles murmuraram, e pereceram em mãos do anjo exterminador.
11. Tais coisas aconteceram a eles como exemplo, e foram escritas para nossa instrução, a nós que vivemos no fim dos tempos.
12. Portanto, aquele que julga estar em pé, tome cuidado para não cair.
13. Vocês não foram tentados além do que podiam suportar, porque Deus é fiel e não permitirá que sejam tentados acima das forças que vocês têm. Mas, junto com a tentação, ele dará a vocês os meios de sair dela e a força para suportá-la.

NÃO PACTUAR COM A IDOLATRIA
14. Por isso, amados, fujam da idolatria.
15. Falo a vocês como a pessoas sensatas; julguem vocês mesmos o que estou dizendo.
16. O cálice da bênção que nós abençoamos, não é comunhão com o sangue de Cristo? O pão que partimos, não é comunhão com o corpo de Cristo?
17. E como há um único pão, nós, embora muitos, somos um só corpo, pois participamos todos desse único pão.
18. Considerem o povo de Israel: quando comem as vítimas sacrificadas, não estão eles em comunhão com o altar?
19. E o que quero eu dizer com isso? Que a carne sacrificada aos ídolos seja alguma coisa? Ou que os próprios ídolos sejam alguma coisa?
20. Não! O que digo é o seguinte: aquilo que os pagãos sacrificam, eles o sacrificam aos demônios, e não a Deus. Ora, eu não quero que vocês entrem em comunhão com os demônios.
21. Vocês não podem beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podem participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.
22. Ou queremos provocar o ciúme do Senhor? Seríamos nós mais fortes do que ele?

LIBERDADE E DISCERNIMENTO CRISTÃO
23. "Tudo é permitido." Mas nem tudo convém. "Tudo é permitido." Mas nem tudo edifica.
24. Ninguém procure satisfazer aos seus próprios interesses, mas os do próximo.
25. Comam de tudo o que se vende no mercado, sem levantar dúvidas por motivo de consciência,
26. pois a terra e tudo o que ela contém pertence ao Senhor.
27. Se algum pagão convidar e vocês aceitarem o convite, comam de tudo o que lhes for oferecido, sem levantar dúvidas por motivo de consciência.
28. Mas se alguém diz a vocês: "Isso é carne sacrificada aos ídolos", não comam, por causa daquele que os avisou e por motivo de consciência.
29. Falo da consciência dele, não de vocês. Por que a minha liberdade deveria ser julgada por outra consciência?
30. Se eu como alimento dando graças, por que seria eu censurado por alguma coisa, pela qual dou graças?
31. Portanto, quer vocês comam, quer bebam, quer façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.
32. Não se tornem ocasião de escândalo, nem para judeus, nem para gregos, nem para a Igreja de Deus.
33. Façam como eu, que me esforço para agradar a todos em todas as coisas, não procurando os meus interesses pessoais, mas o interesse do maior número de pessoas, a fim de que sejam salvas.

[I Coríntios 11]I Coríntios 11


-
1. Sejam meus imitadores, como também eu o sou de Cristo.

3. ASSEMBLÉIAS LITÚRGICAS

O VÉU DAS MULHERES
2. Eu elogio vocês, porque em todas as ocasiões se lembram de mim, e porque conservam as tradições conforme eu transmiti.
3. Todavia, quero que vocês saibam que a cabeça de todo homem é Cristo, que a cabeça da mulher é o homem, e a cabeça de Cristo é Deus.
4. Todo homem que reza ou profetiza de cabeça coberta, desonra a sua cabeça.
5. Mas toda mulher que reza ou profetiza de cabeça descoberta, desonra a sua cabeça; é como se estivesse com a cabeça raspada.
6. Se a mulher não se cobre com o véu, mande cortar os cabelos. Mas, se é vergonhoso para uma mulher ter os cabelos cortados ou raspados, então cubra a cabeça.
7. O homem não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e a glória de Deus; mas a mulher é a glória do homem.
8. Pois o homem não foi tirado da mulher, mas a mulher foi tirada do homem.
9. E o homem não foi criado para a mulher, mas a mulher foi criada para o homem.
10. Sendo assim, a mulher deve trazer sobre a cabeça o sinal da sua dependência, por causa dos anjos.
11. Portanto, diante do Senhor, a mulher é inseparável do homem, e o homem da mulher.
12. Pois, se a mulher foi tirada do homem, o homem nasce da mulher, e tudo vem de Deus.
13. Julguem por vocês mesmos: será conveniente que uma mulher reze a Deus sem estar coberta com o véu?
14. A própria natureza ensina que é desonroso para o homem ter cabelos compridos;
15. no entanto, para a mulher é glória ter longa cabeleira, porque os cabelos lhe foram dados como véu.
16. Contudo, se alguém quiser contestar, não temos esse costume, e nem as igrejas de Deus.

EUCARISTIA E COERÊNCIA
17. Dito isso, não posso elogiar vocês, porque as suas assembléias, em vez de ajudá-los a progredir, os prejudicam.
18. Antes de tudo, ouço dizer que, quando estão reunidos em assembléia, há divisões entre vocês. E, em parte, eu acredito nisso.
19. É preciso mesmo que haja divisões entre vocês, a fim de que se veja quem dentre vocês resiste a essa prova.
20. De fato, quando se reúnem, o que vocês fazem não é comer a Ceia do Senhor,
21. porque cada um se apressa em comer a sua própria ceia. E, enquanto um passa fome, outro fica embriagado.
22. Será que vocês não têm suas casas onde comer e beber? Ou desprezam a Igreja de Deus e querem envergonhar aqueles que nada têm? O que vou dizer para vocês? Devo elogiá-los? Não! Nesse ponto não os elogio.
23. De fato, eu recebi pessoalmente do Senhor aquilo que transmiti para vocês. Na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão
24. e, depois de dar graças, o partiu e disse: "Isto é o meu corpo que é para vocês; façam isto em memória de mim."
25. Do mesmo modo, após a Ceia, tomou também o cálice, dizendo: "Este cálice é a Nova Aliança no meu sangue; todas as vezes que vocês beberem dele, façam isso em memória de mim."
26. Portanto, todas as vezes que vocês comem deste pão e bebem deste cálice, estão anunciando a morte do Senhor, até que ele venha.
27. Por isso, todo aquele que comer do pão ou beber do cálice do Senhor indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor.
28. Portanto, cada um examine a si mesmo antes de comer deste pão e beber deste cálice,
29. pois aquele que come e bebe sem discernir o Corpo, come e bebe a própria condenação.
30. É por isso que entre vocês há tantos fracos e enfermos, e muitos morreram.
31. Se nós examinássemos a nós mesmos, não seríamos julgados;
32. mas, o Senhor nos corrige por meio de seus julgamentos, para que não sejamos condenados com o mundo.
33. Em resumo, irmãos, quando vocês se reúnem para a Ceia, esperem uns pelos outros.
34. Se alguém tem fome, coma em sua casa. Assim vocês não estarão se reunindo para a própria condenação. Quanto ao resto darei instruções quando aí chegar.

[I Coríntios 12]I Coríntios 12



JESUS É O SENHOR
1. Sobre os dons do Espírito, irmãos, não quero que vocês fiquem na ignorância.
2. Vocês sabem que, quando eram pagãos, se sentiam irresistivelmente arrastados para os ídolos mudos.
3. Por isso, eu declaro a vocês que ninguém, falando sob a ação do Espírito de Deus, jamais poderá dizer: "Maldito Jesus!" E ninguém poderá dizer: "Jesus é o Senhor!" a não ser sob a ação do Espírito Santo.

A TRINDADE GERA A COMUNIDADE
4. Existem dons diferentes, mas o Espírito é o mesmo;
5. diferentes serviços, mas o Senhor é o mesmo;
6. diferentes modos de agir, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos.
7. Cada um recebe o dom de manifestar o Espírito para a utilidade de todos.
8. A um, o Espírito dá a palavra de sabedoria; a outro, a palavra de ciência segundo o mesmo Espírito;
9. a outro, o mesmo Espírito dá a fé; a outro ainda, o único e mesmo Espírito concede o dom das curas;
10. a outro, o poder de fazer milagres; a outro, a profecia; a outro, o discernimento dos espíritos; a outro, o dom de falar em línguas; a outro ainda, o dom de as interpretar.
11. Mas é o único e mesmo Espírito quem realiza tudo isso, distribuindo os seus dons a cada um, conforme ele quer.

A COMUNIDADE É O CORPO DE CRISTO
12. De fato, o corpo é um só, mas tem muitos membros; e no entanto, apesar de serem muitos, todos os membros do corpo formam um só corpo. Assim acontece também com Cristo.
13. Pois todos fomos batizados num só Espírito para sermos um só corpo, quer sejamos judeus ou gregos, quer escravos ou livres. E todos bebemos de um só Espírito.
14. O corpo não é feito de um só membro, mas de muitos.
15. Se o pé diz: "Eu não sou mão; logo, não pertenço ao corpo", nem por isso deixa de fazer parte do corpo.
16. E se o ouvido diz: "Eu não sou olho; logo, não pertenço ao corpo", nem por isso deixa de fazer parte do corpo.
17. Se o corpo inteiro fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo ele fosse ouvido, onde estaria o olfato?
18. Deus é quem dispôs cada um dos membros no corpo, segundo a sua vontade.
19. Se o conjunto fosse um só membro, onde estaria o corpo?
20. Há, portanto, muitos membros, mas um só corpo.
21. O olho não pode dizer à mão: "Não preciso de você"; e a cabeça não pode dizer aos pés: "Não preciso de vocês."
22. Os membros do corpo que parecem mais fracos são os mais necessários;
23. e aqueles membros do corpo que parecem menos dignos de honra são os que cercamos de maior honra; e os nossos membros que são menos decentes, nós os tratamos com maior decência;
24. os que são decentes não precisam desses cuidados. Deus dispôs o corpo de modo a conceder maior honra ao que é menos nobre,
25. a fim de que não haja divisão no corpo, mas os membros tenham igual cuidado uns para com os outros.
26. Se um membro sofre, todos os membros participam do seu sofrimento; se um membro é honrado, todos os membros participam de sua alegria.
27. Ora, vocês são o corpo de Cristo e são membros dele, cada um no seu lugar.
28. Aqueles que Deus estabeleceu na Igreja são, em primeiro lugar, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres... A seguir vêm os dons dos milagres, das curas, da assistência, da direção e o dom de falar em línguas.
29. Por acaso, são todos apóstolos? Todos profetas? Todos mestres? Todos realizam milagres?
30. Têm todos o dom de curar? Todos falam línguas? Todos as interpretam?
31. Aspirem aos dons mais altos. Aliás, vou indicar para vocês um caminho que ultrapassa a todos.

[I Coríntios 13]I Coríntios 13



ACIMA DE TUDO O AMOR
1. Ainda que eu falasse línguas, as dos homens e dos anjos, se eu não tivesse o amor, seria como sino ruidoso ou como címbalo estridente.
2. Ainda que eu tivesse o dom da profecia, o conhecimento de todos os mistérios e de toda a ciência; ainda que eu tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tivesse o amor, eu não seria nada.
3. Ainda que eu distribuísse todos os meus bens aos famintos, ainda que entregasse o meu corpo às chamas, se não tivesse o amor, nada disso me adiantaria.
4. O amor é paciente, o amor é prestativo; não é invejoso, não se ostenta, não se incha de orgulho.
5. Nada faz de inconveniente, não procura seu próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor.
6. Não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade.
7. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8. O amor jamais passará. As profecias desaparecerão, as línguas cessarão, a ciência também desaparecerá.
9. Pois o nosso conhecimento é limitado; limitada é também a nossa profecia.
10. Mas, quando vier a perfeição, desaparecerá o que é limitado.
11. Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Depois que me tornei adulto, deixei o que era próprio de criança.
12. Agora vemos como em espelho e de maneira confusa; mas depois veremos face a face. Agora o meu conhecimento é limitado, mas depois conhecerei como sou conhecido.
13. Agora, portanto, permanecem estas três coisas: a fé, a esperança e o amor. A maior delas, porém, é o amor.

[I Coríntios 14]I Coríntios 14



CARISMAS E BEM COMUM
1. Procurem o amor. Entretanto, aspirem aos dons do Espírito, principalmente à profecia.
2. Pois aquele que fala em línguas não fala aos homens, mas a Deus. Ninguém o entende, pois ele, em espírito, diz coisas incompreensíveis.
3. Mas aquele que profetiza fala aos homens: edifica, exorta, consola.
4. Aquele que fala em línguas edifica a si mesmo, ao passo que aquele que profetiza edifica a assembléia.
5. Eu desejo que vocês todos falem em línguas, mas prefiro que profetizem. Aquele que profetiza é maior do que aquele que fala em línguas, a menos que este mesmo as interprete, para que a assembléia seja edificada.
6. Suponham, irmãos, que eu vá encontrá-los falando em línguas: como serei útil, se minha palavra não levar para vocês nem revelação, nem ciência, nem profecia, nem ensinamento?
7. O mesmo acontece com os instrumentos musicais, como a flauta ou a cítara: se não produzirem sons distintos, como reconhecer quem toca a flauta ou quem toca a cítara?
8. E se a trombeta produzir um som confuso, quem se preparará para a guerra?
9. Assim também vocês: se a sua linguagem não se exprime em palavras inteligíveis, como se poderá compreender o que vocês dizem? Estarão falando ao vento.
10. No mundo existem não sei quantas espécies de linguagem, e não existe nada sem linguagem.
11. Ora, se eu não conheço a força da linguagem, serei como estrangeiro para aquele que fala, e aquele que fala será um estrangeiro para mim.
12. Assim também vocês: já que aspiram aos dons do Espírito, procurem tê-los em abundância para edificarem a lgreja.
13. Por isso, aquele que fala em línguas deve rezar para que ele mesmo possa interpretá-las.
14. Se rezo em línguas, o meu espírito está em oração, mas a minha inteligência não colhe fruto nenhum.
15. O que fazer então? Rezarei com meu espírito, mas rezarei também com a minha inteligência; cantarei com o meu espírito, mas cantarei também com a minha inteligência.
16. De fato, se é apenas com o seu espírito que você bendiz, como poderá o ouvinte não iniciado dizer "Amém" ao agradecimento que você faz, uma vez que ele não sabe o que você está dizendo?
17. A ação de graças que você faz é sem dúvida valiosa, mas o outro não se edifica.
18. Agradeço a Deus por falar em línguas mais do que todos vocês.
19. Numa assembléia, porém, prefiro dizer cinco palavras com a minha inteligência para instruir também os outros, a dizer dez mil palavras em línguas.
20. Irmãos, não sejam como crianças no modo de julgar; sejam crianças quanto à malícia, mas quanto ao modo de julgar sejam adultos.
21. Está escrito na Lei: "Falarei a este povo por meio de homens de outra língua e por meio de lábios estrangeiros, e mesmo assim eles não me escutarão, diz o Senhor."
22. Portanto, as línguas são um sinal, não para os que acreditam, mas para os que não acreditam. A profecia, ao contrário, não é para os incrédulos, mas para os que acreditam.
23. Por exemplo: se a igreja se reunir e todos falarem em línguas, será que os simples ouvintes e os incrédulos que entrarem não vão dizer que vocês estão loucos?
24. Ao contrário, se todos profetizarem, o incrédulo ou o simples ouvinte que entrar se sentirá persuadido de seu erro por todos, julgado por todos;
25. e os segredos de seu coração serão desvendados; ele se prostrará com o rosto por terra, adorará a Deus e proclamará que Deus está realmente no meio de vocês.

A ORDEM NAS REUNIÕES
26. Que fazer, então, irmãos? Quando vocês estão reunidos, cada um pode entoar um canto, dar um ensinamento ou revelação, falar em línguas ou interpretá-las. Mas que tudo seja para edificação!
27. Se existe alguém que fale em línguas, falem dois ou no máximo três, um após o outro. E que alguém as interprete.
28. Se não há intérprete, que o irmão se cale na assembléia; fale a si mesmo e a Deus.
29. Quanto aos profetas, que dois ou três falem, e os outros profetas dêem o seu parecer.
30. Se alguém que está sentado recebe uma revelação, cale-se aquele que está falando.
31. Vocês todos podem profetizar, mas um por vez, para que todos sejam instruídos e encorajados.
32. Os espíritos dos profetas estão submissos aos profetas.
33. Pois Deus não é um Deus de desordem, mas de paz.
34. Que as mulheres fiquem caladas nas assembléias, como se faz em todas as igrejas dos cristãos, pois não lhes é permitido tomar a palavra. Devem ficar submissas, como diz também a Lei.
35. Se desejam instruir-se sobre algum ponto, perguntem aos maridos em casa; não é conveniente que a mulher fale nas assembléias.
36. Por acaso, a palavra de Deus tem seu ponto de partida em vocês? Ou foram vocês os únicos que a receberam?
37. Se alguém julga ser profeta ou inspirado pelo Espírito, reconheça um mandamento do Senhor nas coisas que estou escrevendo para vocês.
38. Todavia, se alguém não reconhecer isso, é que também Deus não é reconhecido.
39. Portanto, irmãos, aspirem ao dom da profecia e não impeçam que alguém fale em línguas.
40. Mas, que tudo seja feito de modo conveniente e com ordem.

[I Coríntios 15]4. A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS



I Coríntios 15

CRISTO RESSUSCITADO, FUNDAMENTO DA NOSSA FÉ
1. Irmãos, lembro a vocês o Evangelho que lhes anunciei, que vocês receberam e no qual permanecem firmes.
2. É pelo Evangelho que vocês serão salvos, contanto que o guardem do modo como eu lhes anunciei; do contrário, vocês terão acreditado em vão.
3. Por primeiro, eu lhes transmiti aquilo que eu mesmo recebi, isto é: Cristo morreu por nossos pecados, conforme as Escrituras;
4. ele foi sepultado, ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras;
5. apareceu a Pedro e depois aos Doze.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   180   181   182   183   184   185   186   187   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal