Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página22/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   197
PARTIDA PARA A TERRA PROMETIDA
11. No dia vinte do segundo mês do segundo ano, a nuvem se levantou sobre o santuário da aliança.
12. Então os filhos de Israel partiram do deserto do Sinai, conforme sua ordem de marcha. E a nuvem parou no deserto de Farã.
13. São estes os que partiram em primeiro lugar, conforme a ordem de Javé, transmitida por Moisés.
14. Em primeiro lugar partiu a bandeira do acampamento dos filhos de Judá, por esquadrões, sob as ordens de Naasson, filho de Aminadab.
15. Judá estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Issacar, chefiado por Natanael, filho de Suar,
16. e pelo esquadrão dos filhos de Zabulon, chefiado por Eliab, filho de Helon.
17. Em seguida, o santuário foi desmontado, e partiram os filhos de Gérson e os filhos de Merari, encarregados de transportar o santuário.
18. A seguir partiu a bandeira do acampamento dos filhos de Rúben, por esquadrões, sob as ordens de Elisur, filho de Sedeur.
19. Rúben estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Simeão, chefiado por Salamiel, filho de Surisadai,
20. e pelo esquadrão dos filhos de Gad, chefiado por Eliasaf, filho de Reuel.
21. Partiram, então, os filhos de Caat, encarregados de transportar o santuário, de modo que o santuário já estaria montado quando eles chegassem.
22. Partiu, depois, a bandeira do acampamento dos filhos de Efraim, por esquadrões, sob as ordens de Elisama, filho de Amiud.
23. Efraim estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Manassés, chefiado por Gamaliel, filho de Fadassur,
24. e pelo esquadrão dos filhos de Benjamim, chefiados por Abidã, filho de Gedeão.
25. Por último, fechando a retaguarda, partiu a bandeira do acampamento dos filhos de Dã, por esquadrões, sob as ordens de Aiezer, filho de Amisadai.
26. Dã estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Aser, chefiado por Fegiel, filho de Ocrã,
27. e pelo esquadrão dos filhos de Neftali, chefiado por Aíra, filho de Enã.
28. Foi essa a ordem de partida, por esquadrões, dos filhos de Israel, quando se puseram em marcha.
29. Moisés disse ao seu sogro Hobab, filho de Ragüel, o madianita: "Vamos partir para o lugar que Javé prometeu dar para nós. Venha conosco e o trataremos bem, porque Javé prometeu coisas boas para Israel".
30. Hobab respondeu: "Não vou. Prefiro voltar para a minha terra natal".
31. Moisés insistiu: "Não nos abandone, porque você conhece este deserto e os lugares onde podemos acampar. Você pode ser o nosso guia.
32. Se você for conosco, nós repartiremos com você as coisas boas que Javé nos der e o trataremos bem".
33. Partiram, então, da montanha de Javé e andaram durante três dias. Durante todo o tempo, a arca da aliança de Javé ia na frente, providenciando um local onde eles pudessem descansar.
34. Durante o dia a nuvem de Javé ficava sobre eles, desde quando partiram.
35. Quando a arca partia, Moisés falava: "Levanta-te, Javé! Que teus inimigos se dispersem e os que te odeiam fujam da tua presença".
36. Quando a arca estava em repouso, Moisés dizia: "Descansa, Javé, entre as multidões de Israel".

[Números 11]Números 11



LIBERDADE É CONQUISTA CONTÍNUA
1. O povo começou a queixar-se a Javé de suas desgraças. Ao ouvir a queixa, a ira dele se inflamou, e o fogo de Javé começou a devorar uma extremidade do acampamento.
2. O povo gritou a Moisés. Este intercedeu junto a Javé em favor deles, e o incêndio se apagou.
3. Esse local se chamou Lugar do Incêndio, porque aí o fogo de Javé ardeu contra eles.
4. A multidão que estava com eles ficou faminta. Então os filhos de Israel começaram a reclamar junto com eles, dizendo: "Quem nos dará carne para comer?
5. Temos saudade dos peixes que comíamos de graça no Egito, os pepinos, melões, verduras, cebolas e alhos!
6. Agora, perdemos até o apetite, porque não vemos outra coisa além desse maná!"
7. O maná era parecido com a semente de coentro e tinha aparência de resina.
8. O povo se espalhava para juntá-lo e o esmagava no moinho ou moía no pilão; depois o cozinhava numa panela e fazia bolos, com gosto de bolo amassado com azeite.
9. À noite, quando caía orvalho sobre o acampamento, caía também o maná.

O PROBLEMA DA LIDERANÇA
10. Moisés ouviu o povo reclamar, cada família na entrada da própria tenda, provocando a ira de Javé. Moisés ficou desgostoso,
11. e disse a Javé: "Por que tratas tão mal o teu servo? Por que gozo tão pouco do teu favor, a ponto de me impores o peso de todo este povo?
12. Por acaso, fui eu que concebi ou dei à luz este povo, para que me digas: 'Tome este povo nos braços, da maneira que a ama carrega a criança no colo, e leve-o para a terra que eu jurei dar aos pais deles'?
13. De onde vou tirar carne para dar a todo este povo? Eles vêm a mim reclamando: 'Dê-nos carne para comer'.
14. Eu sozinho não consigo carregar este povo, pois supera as minhas forças!
15. Se é assim que me pretendes tratar, prefiro a morte! Concede-me esse favor, e eu não terei que passar por essa desgraça!"

LIDERANÇA PARTICIPADA E REPRESENTATIVA
16. Javé respondeu a Moisés: "Reúna setenta anciãos de Israel, que você sabe que são anciãos e magistrados do povo. Leve-os à tenda da reunião, para que se apresentem aí com você.
17. Eu descerei aí e falarei com você. Separarei uma parte do espírito que você possui e passarei para eles, a fim de que repartam com você o peso do povo, e você não tenha mais que o carregar sozinho.
18. Então você dirá ao povo: Santifiquem-se para amanhã, e vocês comerão carne, pois vocês reclamaram a Javé, dizendo: 'Quem nos dará carne para comer? No Egito estávamos melhor!' Pois bem! Javé dará carne para vocês comerem,
19. e vocês não comerão apenas um dia ou dois, cinco, dez ou vinte.
20. Pelo contrário, vocês comerão o mês inteiro, até ficarem enjoados e vomitarem, porque rejeitaram Javé que está no meio de vocês, e reclamaram, dizendo: 'Por que saímos do Egito?' "
21. Moisés disse: "O povo que está comigo conta com seiscentas mil pessoas adultas, e tu dizes que darás carne para eles comerem o mês inteiro!
22. Ainda que matássemos as vacas e ovelhas, isso não seria suficiente e, ainda que reuníssemos todos os peixes do mar, nem assim lhes bastariam".
23. Javé respondeu a Moisés: "Será que o meu poder diminuiu? Você verá se a minha palavra vai cumprir-se ou não".
24. Moisés saiu e comunicou as palavras de Javé ao povo. Depois reuniu setenta anciãos do povo e os colocou ao redor da tenda da reunião.
25. Então Javé desceu na nuvem, falou com Moisés, separou uma parte do espírito que Moisés possuía, e a colocou nos setenta anciãos. Quando o espírito pousou sobre eles, puseram-se a profetizar; mas, depois, nunca mais o fizeram.

PLENA PARTICIPAÇÃO POPULAR
26. Dois homens do grupo tinham ficado no acampamento: um se chamava Eldad e o outro Medad. Embora estivessem na lista, não tinham ido à tenda. Mas o espírito pousou sobre eles e começaram a profetizar no acampamento.
27. Um jovem foi correndo contar a Moisés: "Eldad e Medad estão profetizando no acampamento!"
28. Josué, filho de Nun, que desde a juventude era ajudante de Moisés, interveio: "Moisés, meu senhor, proíba-os de fazer isso".
29. Moisés, porém, respondeu: "Você está com ciúme por mim? Oxalá todo o povo de Javé fosse profeta e recebesse o espírito de Javé!"
30. E Moisés voltou ao acampamento, junto com os anciãos de Israel.

QUEM NÃO PARTICIPA É EXCLUÍDO
31. Javé levantou do mar um vento que arrastou bandos de codornizes, fazendo-as cair no acampamento. Então, no raio de um dia de viagem ao redor do acampamento, o chão ficou coberto delas, formando uma camada de quase um metro de altura.
32. O povo passou o dia todo, a noite e o dia seguinte recolhendo codornizes; quem recolheu menos, chegou a juntar dez cargas de burro. E as estenderam ao redor do acampamento.
33. Estavam ainda com a carne na boca, sem ter mastigado, quando a ira de Javé se inflamou contra o povo, ferindo-o com grande mortandade.
34. O lugar ficou sendo chamado de Cemitério da Avidez, porque aí o povo enterrou as vítimas da sua avidez.
35. Daí partiram para Currais, onde acamparam.

[Números 12]Números 12



NÃO TRAIR O PROJETO INICIAL
1. Maria e Aarão falaram contra Moisés, por causa da mulher cuchita que ele havia tomado como esposa.
2. Eles disseram a Moisés: "Será que Javé falou somente a Moisés? Não falou também a nós?" E Javé os ouviu.
3. Moisés era o homem mais humilde entre todos os homens da terra.
4. De repente, Javé disse a Moisés, a Aarão e Maria: "Vão os três para a tenda da reunião". Os três foram
5. e Javé desceu numa coluna de nuvem, colocou-se à entrada da tenda e chamou Aarão e Maria. Eles se aproximaram,
6. e Javé disse: "Ouçam o que eu vou lhes dizer: Quando entre vocês há um profeta, eu me apresento a ele em visão e falo com ele em sonhos.
7. Não acontece assim com o meu servo Moisés, que é homem de confiança em toda a minha casa:
8. com ele eu falo face a face, às claras e sem enigmas; e ele vê a figura de Javé. Por que vocês se atreveram a falar contra o meu servo Moisés?"
9. A ira de Javé se inflamou contra eles, e Javé se retirou.
10. A nuvem se afastou da tenda, e a pele de Maria ficou toda esbranquiçada, como a neve. Ao voltar-se para ela, Aarão viu-a com a pele esbranquiçada.
11. Aarão disse a Moisés: "Por favor, meu senhor! Não peça contas da culpa pelos pecados que tivemos a loucura de cometer e da qual somos culpados.
12. Não deixe que Maria permaneça como um aborto que já sai do ventre da mãe com a carne meio carcomida".
13. Moisés suplicou a Javé: "Por favor, concede-lhe a cura!"
14. Então Javé disse a Moisés: "Se o pai dela lhe tivesse cuspido na cara, ela ficaria difamada por sete dias. Pois então, que ela fique isolada por sete dias, fora do acampamento, e só depois seja admitida novamente".
15. Isolaram Maria durante sete dias fora do acampamento, e o povo não partiu antes que ela voltasse.
16. Depois partiram de Currais e foram acampar no deserto de Farã.

[Números 13]Números 13



NÃO SE ACOVARDAR DIANTE DA REALIDADE
1. Javé falou a Moisés:
2. "Mande gente para explorar o país de Canaã, que vou dar aos filhos de Israel. Mande um de cada tribo, e que todos sejam chefes".
3. Seguindo a ordem de Javé, Moisés os enviou do deserto de Farã. Todos eram chefes dos filhos de Israel,
4. e seus nomes são os seguintes: da tribo de Rúben, Samua, filho de Zacur;
5. da tribo de Simeão, Safat, filho de Huri;
6. da tribo de Judá, Caleb, filho de Jefoné;
7. da tribo de Issacar, Igal, filho de José;
8. da tribo de Efraim, Oséias, filho de Nun;
9. da tribo de Benjamim, Falti, filho de Rafu;
10. da tribo de Zabulon, Gediel, filho de Sodi;
11. da tribo de Manassés, filho de José, Gadi, filho de Susi;
12. da tribo de Dã, Amiel, filho de Gemali;
13. da tribo de Aser, Setur, filho de Miguel;
14. da tribo de Neftali, Naabi, filho de Vapsi;
15. da tribo de Gad, Güel, filho de Maqui.
16. São esses os nomes dos homens que Moisés mandou explorar o país. Quanto a Oséias, filho de Nun, Moisés lhe deu o nome de Josué.
17. Moisés mandou que eles explorassem o país de Canaã, e lhes falou: "Subam pelo deserto do Negueb até chegar à montanha.
18. Observem como é o país e seus habitantes, se são fortes ou fracos, poucos ou numerosos.
19. Vejam se a terra é boa ou ruim; como é que são as cidades onde moram, se são abertas ou fortificadas.
20. Vejam se a terra é fértil ou estéril, se tem árvores ou não. Sejam corajosos e tragam frutos da terra". Era o tempo em que a uva começava a amadurecer.
21. Eles subiram e exploraram o país desde o deserto de Sin até Roob, junto à entrada de Emat.
22. Subiram pelo deserto e chegaram a Hebron, onde viviam Aimã, Sesai e Tolmai, filhos de Enac. Hebron tinha sido fundada sete anos antes que Tânis do Egito.
23. Chegando ao vale do Cacho, cortaram um ramo de videira com um cacho de uvas, e o penduraram numa vara transportada por dois homens; colheram também romãs e figos.
24. Esse lugar ficou sendo chamado vale do Cacho, por causa do cacho de uvas que os filhos de Israel aí cortaram.
25. Quarenta dias depois, voltaram os exploradores
26. e se apresentaram diante de Moisés, Aarão e toda a comunidade de Israel, no deserto de Farã, em Cades. Diante deles e da comunidade, fizeram seu relatório e mostraram os frutos da terra.
27. O relatório deles foi o seguinte: "Entramos na terra aonde você nos enviou. É uma terra onde corre leite e mel, e aqui vocês podem ver os frutos dela.
28. Mas o povo que mora no país é poderoso, e as cidades são grandes e fortificadas. Também vimos aí os filhos de Enac.
29. Os amalecitas ocupam a região do Negueb; os heteus, amorreus e jebuseus vivem na montanha; os cananeus moram junto do mar e às margens do Jordão".
30. Então Caleb fez o povo ficar em silêncio diante de Moisés, e falou: "Temos que subir e tomar posse dessa terra; nós podemos fazer isso".
31. Mas os homens que haviam acompanhado Caleb replicaram: "Não podemos atacar esse povo, porque ele é mais forte do que nós".
32. E, diante dos filhos de Israel, começaram a pôr defeitos na terra que haviam explorado: "A terra que fomos explorar é uma terra que devora seus habitantes; o povo que vimos nela são homens de grande estatura.
33. Aí nós vimos gigantes, os filhos de Enac, que são gigantes mesmo. Tanto para nós próprios, como para eles, nós parecíamos gafanhotos".

[Números 14]Números 14



AS TENTAÇÕES NA CAMINHADA
1. Então toda a comunidade de Israel começou a gritar e berrar, e o povo se queixou a noite inteira.
2. Os filhos de Israel murmuravam contra Moisés e Aarão, e toda a comunidade dizia: "Seria melhor se tivéssemos morrido na terra do Egito! É melhor morrer neste deserto!
3. Por que Javé nos trouxe a esta terra? Para morrermos pela espada e para que nossas mulheres e crianças se tornem escravas? Não seria melhor voltar para o Egito?"
4. E diziam uns aos outros: "Vamos escolher um chefe e voltar para o Egito".
5. Moisés e Aarão se prostraram por terra diante de toda a comunidade reunida dos filhos de Israel.
6. Dois daqueles que foram explorar a terra, Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné, rasgaram suas roupas.
7. Eles disseram a toda a comunidade dos filhos de Israel: "A terra que fomos explorar é boa, é uma terra excelente!
8. Se Javé estiver do nosso lado, ele nos fará entrar nessa terra e a dará para nós: é uma terra onde corre leite e mel.
9. Entretanto, não se revoltem contra Javé, não tenham medo do povo dessa terra. Nós os devoraremos como um pedaço de pão. Eles não estão mais protegidos do que nós, porque Javé está conosco. Não tenham medo deles!"
10. Toda a comunidade, porém, falava em apedrejá-los. Nesse momento, a glória de Javé apareceu na tenda da reunião, diante de todos os filhos de Israel.
11. Javé disse a Moisés: "Até quando esse povo vai me desprezar? Até quando se recusará a acreditar em mim, apesar de todos os sinais que tenho feito entre vocês?
12. Vou feri-lo com peste e deserdá-lo. De você, tirarei um povo grande e mais numeroso do que eles".
13. Moisés respondeu a Javé: "Os egípcios sabem que foste tu que tiraste este povo do meio deles com grande poder,
14. e dirão isso aos habitantes desta terra. Eles souberam, Javé, que tu estás no meio deste povo, que te mostras a ele face a face, que tua nuvem está sobre ele, e caminhas à sua frente de dia numa coluna de nuvem, e de noite numa coluna de fogo.
15. Se agora fazes este povo perecer, como se fosse um só homem, as nações ouvirão a notícia e dirão:
16. 'Javé não conseguiu levar esse povo à terra que havia prometido para eles; por isso o matou no deserto'.
17. Portanto, mostra tua grande força, conforme prometeste.
18. Javé, paciente e misericordioso, que perdoas a culpa e a transgressão, mas não nos deixas sem castigo; que castigas a culpa dos pais em seus filhos, netos e bisnetos:
19. perdoa a culpa deste povo, conforme a tua grande misericórdia, já que o trouxeste do Egito até aqui".
20. Javé disse: "Eu perdôo o povo, conforme você está pedindo.
21. Mas, por minha vida e pela glória de Javé que enche a terra,
22. todos os homens, que viram a minha glória e os sinais que eu fiz no Egito e no deserto, já me puseram à prova dez vezes, e não me obedeceram.
23. Eles não verão a terra que jurei dar a seus pais. Nenhum daqueles que me desprezaram verá essa terra.
24. Meu servo Caleb, porém, animado de outro espírito, ele me seguiu fielmente. Por isso eu o farei entrar na terra que ele explorou, e a descendência dele possuirá essa terra.
25. Visto que os amalecitas e cananeus habitam no vale, amanhã vocês deverão partir para o deserto, seguindo a rota do mar Vermelho".
26. E Javé continuou a dizer a Moisés e Aarão:
27. "Até quando essa comunidade perversa continuará murmurando contra mim? Ouvi os filhos de Israel se queixarem contra mim.
28. Diga a eles: Por minha vida - oráculo de Javé eu os tratarei conforme o que vocês me jogaram na cara.
29. Seus cadáveres cairão neste deserto. E todos os que foram recenseados, de vinte anos para cima, e que murmuraram contra mim,
30. não entrarão na terra onde jurei estabelecer vocês. A única exceção será Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné.
31. Quanto aos filhos de vocês, de quem vocês diziam que seriam levados como escravos, eu os farei entrar para conhecer a terra que vocês desprezaram.
32. Mas os cadáveres de vocês cairão neste deserto,
33. e por este deserto os filhos de vocês caminharão errantes durante quarenta anos, carregando a infidelidade de vocês, até que os cadáveres de vocês se desfaçam no deserto.
34. Vocês exploraram a terra durante quarenta dias. A cada dia corresponderá um ano. Pois bem! Vocês carregarão o peso de suas faltas por quarenta anos, para que vocês saibam o que significa abandonar a mim.
35. Eu sou Javé, e juro que vou tratar desse modo a essa comunidade que se revoltou contra mim: serão consumidos neste deserto e nele morrerão".
36. Quanto aos homens que Moisés enviou para explorar a terra e que colocaram a comunidade contra ele, fazendo pouco da terra,
37. esses homens, que fizeram pouco da terra, morreram fulminados diante de Javé.
38. De todos os que haviam explorado a terra, somente Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné, permaneceram vivos.
39. Moisés comunicou essas palavras a todos os filhos de Israel. E o povo ficou muito perturbado.
40. No dia seguinte, eles se levantaram de madrugada e subiram até o alto da montanha, dizendo: "Vamos subir ao lugar a respeito do qual Javé nos falou. Nós pecamos".
41. Moisés, porém, disse: "Por que vocês passam por cima da ordem de Javé? Isso não vai dar certo.
42. Não subam, porque Javé não está com vocês, e o inimigo os derrotará.
43. De fato, os amalecitas e cananeus os enfrentarão, e vocês cairão a golpes de espada. Vocês se afastaram de Javé, e por isso Javé não está com vocês".
44. Apesar disso, eles teimaram em subir ao topo do monte, enquanto Moisés e a arca da aliança de Javé permaneceram no acampamento.
45. Os amalecitas e cananeus, que habitavam na montanha, desceram e os derrotaram, destroçando-os até Horma.

[Números 15]Números 15



OS DONS DE JAVÉ
1. Javé falou a Moisés:
2. "Diga aos filhos de Israel: Quando vocês entrarem na terra que eu vou lhes dar, para que vocês habitem aí,
3. ao oferecerem a Javé uma oblação, de gado maior ou menor, uma oblação de perfume agradável para Javé, seja holocausto, seja sacrifício de comunhão voluntário, ou para cumprir um voto, ou por ocasião de uma festa,
4. aquele que fizer sua oferta a Javé, apresentará o seguinte: uma oferta de quatro litros e meio de flor de farinha, amassada com dois litros de azeite.
5. Juntamente com o holocausto ou com o sacrifício de comunhão, fará uma libação de dois litros de vinho para cada cordeiro.
6. Tratando-se de um carneiro, você fará uma oblação de nove litros de flor de farinha, amassada com dois litros e meio de azeite,
7. e uma libação de dois litros e meio de vinho, como perfume agradável para Javé.
8. Se o holocausto ou o sacrifício de comunhão, para fazer um voto ou ação de graças a Javé, for de um bezerro,
9. você deverá acrescentar uma oferta de treze litros e meio de flor de farinha, amassada com quatro litros de azeite,
10. e uma libação de quatro litros de vinho, oblação de perfume agradável para Javé.
11. Isso é o que se deve oferecer com um bezerro, um carneiro, uma ovelha ou um cabrito.
12. Vocês aplicarão sempre essa proporção.
13. Assim deverá fazer o nativo do país, quando apresentar uma oferta queimada, de perfume agradável para Javé.
14. E no futuro, se algum imigrante, que residir com vocês ou com seus descendentes, quiser apresentar uma oblação de perfume agradável para Javé, fará o mesmo que vocês.
15. Haverá um só rito para toda a comunidade, tanto para vocês como para o imigrante que mora no meio de vocês. Será, diante de Javé, um rito perene a ser conservado de geração em geração, valendo tanto para vocês como para o imigrante.
16. Haverá a mesma lei e o mesmo rito para vocês e para o imigrante que morar entre vocês".
17. Javé falou a Moisés:
18. "Diga aos filhos de Israel: Quando vocês tiverem entrado na terra, para onde eu os conduzo,
19. e comerem o pão nessa terra, vocês deverão separar uma oferta para apresentar a Javé:
20. separarão um pão feito com a primeira farinha, como vocês fazem com o tributo da eira.
21. Vocês deverão dar a Javé um tributo da massa do pão: isso vale para todas as gerações de vocês.

TOMAR CONSCIÊNCIA DOS ERROS COMETIDOS
22. Se vocês errarem sem querer, deixando de observar algum dos mandamentos que Javé deu a Moisés,
23. de tudo o que Javé ordenou a vocês por meio de Moisés, desde o dia em que Javé ordenou essas coisas e daí por diante,
24. vocês deverão fazer o seguinte: se o erro foi cometido pela comunidade sem querer, sem que a comunidade tenha percebido, a comunidade inteira oferecerá um bezerro como holocausto de perfume agradável para Javé, junto com a oblação e a libação, conforme o ritual. E oferecerá também um bode, como sacrifício pelo pecado.
25. O sacerdote fará o sacrifício pelo pecado por toda a comunidade dos filhos de Israel, e o pecado será perdoado a eles, pois foi feito sem querer. Eles levarão a oferta para ser queimada diante de Javé, e apresentarão diante de Javé o sacrifício pelo pecado, a fim de reparar o erro cometido sem querer.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal