Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página31/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   27   28   29   30   31   32   33   34   ...   197

10. Josué tinha ordenado ao povo: "Não lancem o grito de guerra. Fiquem em silêncio. Não digam uma só palavra até que eu mande vocês gritarem. Só então, vocês vão gritar".
11. A arca de Javé rodeou a cidade, dando uma volta. Depois voltaram ao acampamento, onde pernoitaram.
12. Josué levantou-se de madrugada, e os sacerdotes levaram a arca de Javé;
13. os sete sacerdotes que levavam as sete trombetas iam na frente da arca de Javé, tocando as trombetas. Os guerreiros iam na frente dos sacerdotes que tocavam as trombetas. O restante ia atrás da arca de Javé; todos marchavam ao som das trombetas.
14. No segundo dia, rodearam a cidade uma vez e depois voltaram para o acampamento. Fizeram isso durante seis dias.
15. No sétimo dia, ao romper da aurora, levantaram-se e rodearam a cidade sete vezes, do mesmo modo. Somente no sétimo dia rodearam a cidade sete vezes.
16. Na sétima volta, os sacerdotes tocaram as trombetas. Então Josué disse ao povo: "Gritem, porque Javé entregou a cidade para vocês.
17. A cidade, com tudo o que nela existe, será consagrada ao extermínio em honra de Javé. Só ficarão com vida a prostituta Raab e todos os que estiverem com ela na casa, pois ela escondeu os mensageiros que enviamos.
18. Quanto a vocês, cuidado com as coisas consagradas ao extermínio; não peguem aquilo que vocês consagraram ao extermínio. Isso faria o acampamento de Israel se tornar consagrado ao extermínio, trazendo uma desgraça.
19. Toda a prata, ouro, objetos de bronze e de ferro serão consagrados a Javé e destinados ao tesouro de Javé".
20. O povo lançou o grito e tocaram-se as trombetas. Ao ouvir o toque de trombeta, o povo deu um grande grito e a muralha da cidade veio abaixo. O povo entrou para a cidade, cada um do seu lugar, e tomou a cidade.
21. Consagraram ao extermínio tudo o que havia na cidade: homens e mulheres, jovens e velhos, vacas, ovelhas e burros; passaram tudo ao fio da espada.
22. Josué disse, então, aos dois homens que haviam espionado a terra: "Vão à casa da prostituta e a retirem daí, com tudo o que estiver com ela, conforme vocês lhe prometeram".
23. Os espiões foram e retiraram Raab, junto com o pai, a mãe, os irmãos e tudo o que ela possuía. Tiraram também todo o seu clã e o deixaram fora do acampamento de Israel.
24. Incendiaram a cidade e tudo o que nela havia. Quanto à prata, o ouro, os objetos de bronze e de ferro, levaram para o tesouro de Javé.
25. Josué conservou a vida da prostituta Raab, bem como a família de seu pai e tudo o que possuíam. Ela permanece no meio de Israel até o dia de hoje, por ter escondido os mensageiros que Josué tinha enviado para espionar Jericó.
26. Nesse tempo, Josué fez um juramento: "Seja maldito por Javé quem reconstruir esta cidade: os alicerces lhe custarão o primogênito e as portas lhe custarão o caçula".
27. Javé estava com Josué, e sua fama correu por toda a terra.

[Josué 7]Josué 7



A COBIÇA CORROMPE
1. Os israelitas cometeram um ato de infidelidade quanto às coisas consagradas ao extermínio: Acã, filho de Carmi, neto de Zabdi, bisneto de Zaré, da tribo de Judá, se apossou de coisas consagradas. E a ira de Javé se acendeu contra os israelitas.
2. De Jericó, Josué mandou alguns homens até Hai, que está perto de Bet-Áven, ao leste de Betel, e lhes ordenou: "Subam para espionar a terra". Os homens subiram e espionaram Hai.
3. Voltando a Josué, lhe disseram: "Não é preciso que todo o povo suba; bastam dois ou três mil homens para conquistar Hai. Não é necessário cansar todo o povo, porque eles são poucos".
4. Então foram para Hai cerca de três mil homens do povo, mas tiveram que fugir diante dos habitantes de Hai.
5. Os homens de Hai mataram trinta e seis deles e perseguiram os outros, desde a porta da cidade até Sabarim, derrotando-os na descida. O coração do povo se derreteu e ficou como água.
6. Então Josué rasgou as roupas e prostrou-se com o rosto por terra diante da arca de Javé até o entardecer. Junto com ele estavam os anciãos de Israel, jogando pó sobre suas cabeças.
7. Josué suplicou: "Ah! Senhor Javé, por que fizeste este povo atravessar o Jordão? Foi para nos entregar na mão dos amorreus e nos fazer perecer? Oxalá nos tivéssemos contentado em ficar no outro lado do Jordão!
8. Perdão, Senhor! O que vou dizer, depois que Israel virou as costas diante dos inimigos?
9. Os cananeus e todos os habitantes da terra vão ouvir isso, farão um cerco contra nós e apagarão o nosso nome da terra! E o que farás tu com teu grande nome?"
10. Javé respondeu a Josué: "Levante-se. O que é que você está fazendo aí com o rosto por terra?
11. Israel pecou; eles violaram a aliança que eu lhes ordenara: pegaram coisas consagradas ao extermínio, roubaram e esconderam, colocando-as entre as coisas deles.
12. Por isso os israelitas não poderão resistir aos inimigos: fugirão dos inimigos, porque se tornaram consagrados ao extermínio. Não ficarei mais no meio de vocês, se não fizerem desaparecer do meio de vocês o que foi consagrado ao extermínio.
13. Levante-se e purifique o povo, dizendo-lhes: "Santifiquem-se para amanhã, pois assim diz Javé, o Deus de Israel: Há uma coisa consagrada ao extermínio no meio de você, Israel! E vocês não poderão resistir aos inimigos, enquanto não eliminarem do meio de vocês as coisas consagradas ao extermínio.
14. Pela manhã, vocês se aproximarão por tribos: a tribo que Javé indicar por sorte se aproximará por clãs; o clã que Javé indicar por sorte se aproximará por famílias; a família que Javé indicar por sorte se aproximará por pessoas.
15. Quem for indicado por sorte como responsável pela coisa consagrada ao extermínio, será queimado com tudo o que possui, porque violou a aliança de Javé e cometeu uma infâmia em Israel".
16. Josué levantou-se de madrugada e fez Israel aproximar-se por tribos. E a sorte caiu sobre a tribo de Judá.
17. Fazendo os clãs de Judá se aproximar, a sorte caiu sobre o clã de Zaré; fazendo o clã de Zaré se aproximar por famílias, a sorte caiu sobre a família de Zabdi;
18. fazendo a família de Zabdi aproximar-se pessoa por pessoa, a sorte caiu sobre Acã, filho de Carmi, neto de Zabdi, bisneto de Zaré, da tribo de Judá.
19. Então Josué disse a Acã: "Meu filho, dê glória a Javé, Deus de Israel, e apresente-lhe a sua confissão. Conte-me o que foi que você fez, e não me esconda nada".
20. Acã respondeu a Josué: "É verdade. Eu pequei contra Javé, Deus de Israel, pois fiz o seguinte:
21. entre os despojos, vi uma capa babilônica muito bonita, duzentas moedas de prata e uma barra de ouro que pesava meio quilo; eu os cobicei e peguei. Estão escondidos no chão, no meio da minha tenda, com a prata por baixo".
22. Josué mandou alguns, que foram correndo à tenda, e tudo estava aí escondido, com a prata por baixo.
23. Pegaram então os objetos do meio da tenda e os levaram a Josué e a todos os israelitas, colocando-os diante de Javé.
24. Josué então pegou Acã, bisneto de Zaré, com a prata, a capa e a barra de ouro, bem como seus filhos e filhas, seus bois, jumentos e ovelhas, sua tenda e tudo o que possuía. Em companhia de todo o Israel, fez que subissem ao vale de Acor,
25. e Josué lhe disse: "Você nos desgraçou. Por isso, hoje mesmo Javé desgraçará você". Então todo o Israel apedrejou Acã. E depois de apedrejá-lo, o queimaram.
26. Em seguida, levantaram sobre ele um montão de pedras, que permanece até o dia de hoje. Foi assim que Javé aplacou o furor de sua ira. Por isso, esse lugar se chamava vale de Acor, até o dia de hoje.

[Josué 8]Josué 8



ESTRATÉGIA DA CONQUISTA
1. Javé disse a Josué: "Não tenha medo e não se acovarde. Leve com você todos os guerreiros. Levante-se, e suba contra Hai. Veja! Eu estou entregando em suas mãos o rei de Hai, junto com o povo, a cidade e as terras dele.
2. Faça com Hai e o seu rei como você fez com Jericó e o seu rei. Vocês poderão pegar para si os despojos e o gado. Preparem uma emboscada contra a cidade, por trás dela".
3. Josué e os guerreiros se prepararam para atacar Hai. Josué escolheu trinta mil guerreiros valentes e os enviou durante a noite,
4. ordenando: "Atenção! Preparem uma emboscada atrás da cidade; não se distanciem muito da cidade e fiquem de prontidão.
5. Eu e o meu pessoal nos aproximaremos da cidade, e quando eles saírem ao nosso encontro como da primeira vez, nós vamos fugir deles.
6. E eles vão nos perseguir; assim os atrairemos para longe da cidade, pois pensarão: 'Estão fugindo de nós como da primeira vez'.
7. Então vocês sairão da emboscada e se apossarão da cidade. Javé seu Deus entregará a cidade nas mãos de vocês.
8. Depois de tomar a cidade, vocês a incendiarão, agindo de acordo com a palavra de Javé. Vejam que isso é uma ordem!"
9. Josué os enviou e eles foram se colocar no lugar da emboscada, entre Betel e Hai, ao oeste de Hai. Entretanto, Josué passou a noite no meio do povo.
10. No dia seguinte, levantou-se de madrugada e passou revista ao povo. Depois, junto com os anciãos de Israel, subiu contra Hai, à frente do povo.
11. Todos os guerreiros que ficaram com ele subiram também e foram se aproximando bem na frente da cidade e acamparam ao norte de Hai. Entre eles e Hai havia um vale.
12. Josué havia tomado cerca de cinco mil homens e os colocara de emboscada entre Betel e Hai, ao oeste da cidade.
13. O povo ficou no acampamento maior ao norte da cidade, e a emboscada ao oeste da cidade. Nessa noite, Josué foi até o meio do vale.
14. Quando o rei de Hai viu isso, ele e todo o povo da cidade se levantaram depressa e saíram para ir ao encontro de Israel e dar combate na descida, diante do deserto; o rei, porém, não sabia que havia uma emboscada contra ele, atrás da cidade.
15. Josué e todo o Israel, fingindo-se derrotados, fugiram pelo caminho do deserto.
16. Todo o povo da cidade saiu gritando e perseguindo os israelitas. Ao perseguir Josué, eles se afastaram da cidade.
17. Em Hai não ficou um homem sequer; todos saíram perseguindo Israel; e ao perseguir Israel, deixaram a cidade aberta.
18. Então Javé disse a Josué: "Estenda contra Hai a lança que você tem na mão, pois eu vou entregar a você essa cidade". E Josué estendeu contra a cidade a lança que tinha na mão.
19. Quando ele estendeu a mão, os que estavam na emboscada saíram correndo do seu lugar, entraram na cidade, a tomaram e a incendiaram rapidamente.
20. Os homens de Hai viraram para trás e viram a fumaça da cidade subindo ao céu. Ninguém deles sabia para que lado escapar, pois o povo que fugia para o deserto voltou para atacar os perseguidores.
21. Vendo que os homens da emboscada tinham tomado a cidade, pois da cidade a fumaça subia, Josué e todo o Israel voltaram e atacaram os homens de Hai.
22. Os outros que estavam na cidade saíram, fazendo os homens de Hai ficar encurralados entre os israelitas, que os derrotaram, a ponto de não sobrar nenhum sobrevivente ou fugitivo.
23. O rei de Hai foi capturado vivo e levado a Josué.
24. Quando Israel terminou de matar todos os habitantes de Hai no campo, no deserto onde eles os haviam perseguido, e depois que todos eles caíram ao fio da espada, os israelitas voltaram para Hai e passaram ao fio da espada toda a população.
25. O total dos que caíram nesse dia, entre homens e mulheres, foi de doze mil, isto é, toda a população de Hai.
26. Josué não retirou a mão com que havia estendido a lança, enquanto não foram eliminados todos os habitantes de Hai.
27. Entretanto, Israel tomou como saque o gado e os despojos dessa cidade, como Javé havia ordenado a Josué.
28. Josué incendiou Hai e a reduziu para sempre a um monte de ruínas, que permanece até o dia de hoje.
29. Quanto ao rei de Hai, mandou pendurá-lo numa árvore até o entardecer. Ao pôr-do-sol, Josué mandou que descessem da árvore o cadáver. E jogaram o cadáver à porta da cidade e levantaram sobre ele um montão de pedras, que permanece até o dia de hoje.

O CULTO E A CONSTITUIÇÃO DA NOVA SOCIEDADE
30. Josué construiu, então, para Javé, Deus de Israel, um altar no monte Ebal,
31. conforme Moisés, servo de Javé, havia ordenado aos israelitas, segundo o que está escrito no livro da Lei de Moisés: um altar de pedras brutas, sobre as quais nenhum instrumento de ferro tenha sido passado. E sobre ele ofereceram holocaustos a Javé e apresentaram sacrifícios de comunhão.
32. Josué escreveu sobre as pedras uma cópia da Lei que Moisés havia escrito diante dos israelitas.
33. Todo o Israel, com os anciãos, os oficiais e os juízes, estava de ambos os lados da arca, diante dos sacerdotes levitas, que carregavam a arca da aliança de Javé. E estavam juntos, tanto imigrantes como nativos: metade deles diante do monte Garizim, e a outra metade diante do monte Ebal, conforme tinha ordenado Moisés, servo de Javé, quando abençoou o povo de Israel pela primeira vez.
34. A seguir, Josué leu todas as palavras da Lei, as bênçãos e maldições, conforme tudo o que está escrito no livro da Lei.
35. Josué não omitiu nenhuma palavra que Moisés tinha ordenado; leu tudo para a assembléia de Israel, inclusive para as mulheres, crianças e imigrantes que viviam com eles.

[Josué 9]Josué 9



LUTA E OPOSIÇÃO
1. Ouvindo essas notícias, todos os reis da Cisjordânia, da região montanhosa, da planície e de toda a costa do mar Mediterrâneo, até o Líbano, tanto heteus, como amorreus, cananeus, ferezeus, heveus e jebuseus,
2. se aliaram de comum acordo para combater contra Josué e Israel.

ALIADOS ESTRATÉGICOS
3. Os habitantes de Gabaon, ouvindo o que Josué tinha feito com Jericó e Hai,
4. usaram um estratagema: juntaram provisões, carregaram os jumentos com sacos velhos e odres de vinho velhos, rasgados e consertados;
5. calçaram os pés com sandálias velhas remendadas, vestiram-se com roupas velhas, e o pão que levavam para comer era seco e esmigalhado.
6. Foram, então, encontrar Josué no acampamento em Guilgal, e disseram a Josué e aos israelitas: "Estamos chegando de uma terra distante. Façam aliança conosco".
7. Os israelitas responderam a esses heveus: "Certamente vocês vivem aqui perto. Como podemos fazer aliança com vocês?!"
8. Eles responderam a Josué: "Somos seus servos". Josué insistiu: "Quem são vocês e de onde estão vindo?"
9. Eles responderam: "Seus servos vêm de uma terra muito distante, por causa do nome de Javé seu Deus, pois ouvimos falar da fama dele e de tudo o que realizou no Egito.
10. Sabemos de tudo o que ele fez aos dois reis amorreus da Transjordânia: a Seon, rei de Hesebon, e a Og, rei de Basã, em Astarot.
11. Nossos anciãos e o povo da nossa terra nos aconselharam: 'Peguem provisões para o caminho e vão ao encontro deles, e façam a proposta de se tornarem servos deles'. Portanto, façam aliança conosco.
12. Vejam o nosso pão: estava quente quando o pegamos em nossas casas, no dia em que partimos para vir até vocês; e agora aqui está ele, seco e esmigalhado.
13. Estes odres de vinho eram novos quando os enchemos; e agora aqui estão, todos rasgados. Nossas roupas e sandálias estão gastas por causa do longo caminho que fizemos".
14. Os oficiais de Josué experimentaram as provisões, mas não consultaram Javé.
15. Josué os tratou pacificamente e fez aliança com eles, comprometendo-se a respeitar-lhes a vida. Os responsáveis pela comunidade também prestaram um juramento a eles.
16. Três dias depois de terem feito aliança com eles, ficaram sabendo que eram seus vizinhos e que viviam aí perto,
17. pois os israelitas partiram e chegaram três dias depois às cidades deles: Gabaon, Cafira, Berot e Cariat-Iarim.
18. Os israelitas não os atacaram, porque os responsáveis pela comunidade lhes haviam feito um juramento por Javé, Deus de Israel. Por isso, toda a comunidade murmurou contra os responsáveis.
19. Então os responsáveis explicaram à comunidade: "Nós fizemos a eles um juramento por Javé, Deus de Israel, e por isso agora não podemos tratá-los mal.
20. Vamos fazer o seguinte: respeitaremos a vida deles, para que não nos aconteça um castigo, por causa do juramento que já fizemos a eles".
21. Os responsáveis então decidiram: "Eles ficarão vivos, mas se tornarão rachadores de lenha e carregadores de água para toda a comunidade". Todos concordaram com a proposta dos responsáveis.
22. Então Josué mandou chamar os gabaonitas e lhes disse: "Por que vocês nos enganaram, dizendo que vinham de longe, quando na verdade moram perto de nós?
23. Pois bem! Daqui para frente vocês serão malditos. Não deixarão de ser escravos, rachando lenha e carregando água para a casa de meu Deus".
24. Eles responderam a Josué: "Nós, seus servos, fomos informados de que Javé seu Deus tinha garantido a Moisés, seu servo, que entregaria a vocês toda a terra e exterminaria, diante de vocês, todos os habitantes. Nós tememos muito pela nossa vida, e por isso agimos assim.
25. Agora estamos em suas mãos: trate-nos conforme lhe parecer melhor e justo".
26. E Josué tratou-os como havia combinado, livrando-os da mão dos israelitas, que não os mataram.
27. Nesse dia, Josué os colocou como rachadores de lenha e carregadores de água a serviço da comunidade e do altar de Javé, no lugar escolhido por Javé, até o dia de hoje.

[Josué 10]Josué 10



REAÇÃO DOS PODEROSOS
1. Adonisedec, rei de Jerusalém, soube que Josué havia tomado Hai e a consagrara ao extermínio; que havia tratado Hai e seu rei como fizera com Jericó e seu rei; e que os habitantes de Gabaon tinham feito aliança com Israel e viviam no meio dos israelitas.
2. Adonisedec ficou apavorado, pois Gabaon era uma cidade grande, como as cidades reais; era uma cidade maior do que Hai, e seus guerreiros eram todos valentes.
3. Então Adonisedec, rei de Jerusalém, enviou mensageiros a Hoam, rei de Hebron; a Faram, rei de Jarmut; a Jáfia, rei de Laquis; e a Dabir, rei de Eglon:
4. "Subam até aqui e me ajudem! Precisamos derrotar Gabaon, porque essa cidade fez aliança com Josué e os israelitas".
5. Os cinco reis amorreus - os reis de Jerusalém, de Hebron, de Jarmut, de Laquis e de Eglon - se reuniram, subiram com seus exércitos, cercaram e atacaram Gabaon.
6. Os gabaonitas mandaram dizer a Josué, no acampamento de Guilgal: "Não abandone seus servos; venham depressa até aqui para nos salvar. Ajude-nos, pois todos os reis amorreus que habitam na serra se reuniram contra nós".
7. Então Josué subiu de Guilgal, levando todo o pessoal de guerra e todos os guerreiros valentes.
8. Javé disse a Josué: "Não tenha medo deles, que eu os entregarei em suas mãos, e nenhum deles conseguirá opor resistência a você".
9. Josué partiu de Guilgal e, depois de ter marchado a noite toda, atacou de surpresa os reis.
10. Javé dispersou os inimigos diante de Israel, causando-lhes uma grande derrota em Gabaon; e os perseguiu até o caminho da subida de Bet-Horon, derrotando-os até Azeca e Maceda.
11. Enquanto eles estavam fugindo diante de Israel, na descida de Bet-Horon, Javé mandou do céu uma forte chuva de pedras grandes, que matou os inimigos até Azeca. Morreu mais gente por causa da chuva de pedras do que pela espada dos israelitas.
12. No dia em que Javé entregou os amorreus aos israelitas, Josué falou a Javé e disse na presença de Israel: "Sol, detenha-se em Gabaon! E você, lua, no vale de Aialon!"
13. E o sol se deteve e a lua ficou parada, até que o povo se vingou dos inimigos. No Livro do Justo está escrito assim: "O sol ficou parado no meio do céu e um dia inteiro ficou sem ocaso.
14. Nem antes, nem depois houve um dia como esse, quando Javé obedeceu à voz de um homem. É porque Javé lutava a favor de Israel".
15. Depois Josué voltou, com todo o Israel, para o acampamento de Guilgal.
16. Os cinco reis amorreus fugiram e se esconderam na caverna de Maceda.
17. Informaram então a Josué que os cinco reis estavam escondidos na caverna de Maceda.
18. Josué disse: "Rolem pedras grandes à entrada da caverna e coloquem guardas aí.
19. Vocês, porém, não parem: persigam os inimigos, cortem a retaguarda e não os deixem entrar nas cidades deles, pois Javé, o Deus de vocês, os entregou em suas mãos".
20. Quando Josué e os israelitas acabaram de derrotar os inimigos, exterminando-os, aqueles que conseguiram escapar vivos entraram nas cidades fortificadas.
21. Todo o povo voltou são e salvo para o acampamento de Josué, em Maceda. E ninguém abriu a boca contra Israel.
22. Então Josué disse: "Abram a entrada da caverna, tirem de lá os cinco reis e os tragam aqui".
23. Foram e levaram da caverna os cinco reis: os reis de Jerusalém, de Hebron, de Jarmut, de Laquis e de Eglon.
24. Quando levaram esses reis, Josué convocou todos os homens de Israel e disse aos comandantes que o haviam acompanhado: "Venham aqui e coloquem o pé sobre o pescoço de cada um desses reis". Eles se aproximaram e puseram o pé sobre o pescoço dos reis.
25. Josué disse: "Não tenham medo, nem se acovardem. Sejam fortes e corajosos, porque Javé tratará da mesma forma a todos os inimigos, contra os quais vocês terão que lutar".
26. Em seguida, Josué matou os reis e mandou suspendê-los em cinco árvores, onde eles ficaram suspensos até o entardecer.
27. Ao pôr-do-sol, Josué mandou que fossem tirados das árvores e jogados na caverna onde haviam se escondido. Colocaram pedras grandes à entrada da caverna, as quais permanecem aí até o dia de hoje.

A CONQUISTA DO SUL
28. Nesse mesmo dia, Josué tomou Maceda, passou os habitantes ao fio da espada, consagrando ao extermínio o rei e todas as pessoas que nela se encontravam. Não deixou nenhum sobrevivente e tratou o rei de Maceda como havia tratado o rei de Jericó.
29. Então Josué passou, com todo o Israel, de Maceda para Lebna, e começou o combate contra Lebna.
30. Javé entregou também Lebna nas mãos de Israel, que passou ao fio da espada o rei e todos os que viviam na cidade. Não deixou nenhum sobrevivente, e tratou o rei como havia tratado ao rei de Jericó.
31. Então Josué passou, com todo o Israel, de Lebna para Laquis. Acampou em frente e começou a combatê-la.
32. Javé entregou Laquis na mão de Israel que, no dia seguinte, tomou a cidade e passou ao fio da espada todas as pessoas que aí viviam, da mesma forma como já havia feito com Lebna.
33. Horam, rei de Gazer, subiu para socorrer Laquis, mas Josué o derrotou juntamente com seu exército, sem lhe deixar nenhum sobrevivente.
34. Então Josué passou, com todo o Israel, de Laquis para Eglon. Acampou em frente e começou a combatê-la.
35. Nesse mesmo dia, tomaram a cidade e passaram ao fio da espada os habitantes, consagrando ao extermínio todas as pessoas que nela viviam, conforme tudo o que já haviam feito a Laquis.
36. Depois Josué subiu, com todo o Israel, de Eglon para Hebron e começou a combatê-la.
37. Tomaram a cidade e passaram ao fio da espada seu rei, e também toda a sua população e as cidades dependentes. Não ficou nenhum sobrevivente, conforme o que já haviam feito com Eglon. Consagraram a cidade ao extermínio, juntamente com todas as pessoas que nela viviam.
38. Em seguida, Josué voltou, com todo o Israel, para Dabir, e começou a combatê-la.
39. Tomou a cidade, bem como seu rei e todas as cidades dependentes; passaram a população ao fio da espada, consagrando ao extermínio todas as pessoas que nela viviam. Não ficou nenhum sobrevivente. Josué tratou Dabir e seu rei da mesma forma como havia feito a Hebron, a Lebna e a seus reis.
40. Desse modo, Josué conquistou toda a região montanhosa, o Negueb, a planície e as descidas das águas, juntamente com seus reis. Não deixou nenhum sobrevivente, mas consagrou ao extermínio todo ser vivo, como Javé, o Deus de Israel, havia ordenado.
41. Josué conquistou desde Cades Barne até Gaza e toda a terra de Gósen até Gabaon.
42. Josué tomou todos esses reis e seus territórios de uma só vez, porque Javé, Deus de Israel, combatia em favor de Israel.
43. E Josué voltou, com todo o Israel, para o acampamento em Guilgal.

[Josué 11]Josué 11



A TERRA FICOU EM PAZ
1. Jabin, rei de Hasor, ficou sabendo dessas coisas e mandou mensageiros a Jobab, rei de Merom; ao rei de Semeron; ao rei de Acsaf;
2. aos reis que estavam na região montanhosa do norte e na planície ao sul de Quineret, nas planícies e nos planaltos de Dor, junto ao mar;
3. e aos cananeus do oriente e do ocidente; aos amorreus, heteus, ferezeus, jebuseus da serra e heveus aos pés do Hermon, na terra de Masfa.
4. Eles saíram com suas tropas, um exército tão numeroso como a areia da praia, com muitíssimos cavalos e carros.
5. Todos esses reis se aliaram e foram juntos acampar perto do riacho Merom, para lutar contra Israel.
6. Javé disse a Josué: "Não tenha medo deles, pois amanhã, a esta hora, eu os entregarei todos mortos na frente de Israel. Corte os tendões dos cavalos e queime os carros".
7. Josué e seu pessoal de guerra foram contra eles no riacho Merom e caíram sobre eles de surpresa.
8. Javé os entregou nas mãos de Israel, que os derrotou e perseguiu até a grande Sidônia, até Maserefot, no oeste, e até o vale de Masfa, no leste. Os israelitas os derrotaram, a ponto de não deixar um único sobrevivente.
9. Josué os tratou como Javé lhe havia ordenado: cortou os tendões dos cavalos e queimou os carros.
10. Nesse mesmo tempo, Josué voltou, tomou Hasor e matou o rei ao fio de espada. Hasor era antes a capital de todos esses reinos.
11. Passaram também ao fio da espada todas as pessoas que nela viviam, consagrando-as ao extermínio; não deixou ficar um único ser vivo, e incendiou Hasor.
12. Josué tomou todas essas cidades e seus reis e os passou ao fio da espada, consagrando-os ao extermínio, conforme Moisés, servo de Javé, havia ordenado.
13. Israel, porém, não incendiou as cidades que estavam sobre as colinas; a única exceção foi Hasor, incendiada por Josué.
14. Os israelitas saquearam os despojos e o gado dessas cidades, mas passaram todas as pessoas ao fio da espada, não deixando nenhum sobrevivente.
15. O que Javé tinha ordenado a Moisés, seu servo, também Moisés ordenou a Josué, e Josué cumpriu: não deixou de realizar nada do que Javé tinha ordenado a Moisés.
16. Desse modo, Josué tomou essa terra toda: a região montanhosa, o Negueb, toda a terra de Gósen, a planície, a Arabá, a serra de Israel e sua planície,
17. desde o monte Pelado, que sobe na direção de Seir, até Baal-Gad, no vale do Líbano, ao pé do monte Hermon. Também prendeu todos os seus reis e os matou.
18. Josué esteve muito tempo guerreando contra todos esses reis.
19. Com exceção dos heveus que habitavam em Gabaon, nenhuma cidade fez as pazes com os israelitas, que conquistaram todas a custo de guerra.
20. De fato, Javé tinha endurecido o coração desses reis, para guerrearem contra Israel, a fim de que fossem exterminados sem piedade e completamente destruídos, como Javé tinha ordenado a Moisés.
21. Nesse tempo, Josué eliminou os enacim da região montanhosa de Hebron, de Dabir, de Anab, de toda a serra de Judá e de toda a serra de Israel. Josué os consagrou ao extermínio junto com suas cidades.
22. Nenhum dos enacim restou na terra de Israel; só ficaram alguns em Gaza, Gat e Azoto.
23. Josué se apoderou de toda a terra, como Javé tinha prometido a Moisés. E Josué entregou a terra como herança aos israelitas, repartindo-a em lotes, segundo as tribos. E a terra ficou em paz, sem guerra.

[Josué 12]Josué 12



REIS DERROTADOS
1. São estes os reis da terra que os israelitas derrotaram e de cuja terra tomaram posse na Transjordânia, do lado leste, desde o ribeiro Arnon até ao monte Hermon, bem como toda a Arabá no lado oriental:
2. Seon, rei dos amorreus, que habitava em Hesebon e dominava desde Aroer, que está à beira do vale do Arnon, e desde o meio do vale e a metade de Galaad até o rio Jaboc, fronteira dos amonitas;
3. desde a Arabá até o mar de Genesaré para o oriente, e até ao mar de Arabá, o mar Morto, para o oriente, no caminho de Bet-Jesimot, e ao sul, abaixo das encostas do Fasga.
4. Em seguida o território de Og, rei de Basã, um dos últimos dos rafaim, que habitava em Astarot e Edrai,
5. e dominava o monte Hermon, Saleca e todo o Basã até às fronteiras dos gessuritas e dos maacatitas, bem como a metade de Galaad, fronteira de Seon, rei de Hesebon.
6. Moisés, servo de Javé, e os israelitas os derrotaram. E Moisés, servo de Javé, deu as terras deles como propriedade aos rubenitas, aos gaditas e à meia tribo de Manassés.
7. São estes os reis da terra que Josué e os israelitas derrotaram na Cisjordânia, no oeste, desde Baal-Gad, no vale do Líbano, até ao monte Pelado, que sobe para Seir, cujas terras Josué entregou como propriedade às tribos de Israel, repartindo-as em lotes,
8. na região montanhosa e na planície, na Arabá e nas encostas, no deserto e no Negueb, onde estavam os heteus, amorreus, cananeus, ferezeus, heveus e jebuseus:
9. Rei de Jericó, um. Rei de Hai, que está junto de Betel, um.
10. Rei de Jerusalém, um. Rei de Hebron, um.
11. Rei de Jarmut, um. Rei de Laquis, um.
12. Rei de Eglon, um. Rei de Gazer, um.
13. Rei de Dabir, um. Rei de Gader, um.
14. Rei de Horma, um. Rei de Arad, um.
15. Rei de Lebna, um. Rei de Odolam, um.
16. Rei de Maceda, um. Rei de Betel, um.
17. Rei de Tafua, um. Rei de Ofer, um.
18. Rei de Afec, um. Rei de Saron, um.
19. Rei de Merom, um. Rei de Hasor, um.
20. Rei de Semeron Meron, um. Rei de Acsaf, um.
21. Rei de Tanac, um. Rei de Meguido, um.
22. Rei de Cedes, um. Rei de Jecnaam do Carmelo, um.
23. Rei de Dor, na região de Dor, um. Rei de Goim, em Guilgal, um.
24. Rei de Tersa, um. Ao todo, trinta e um reis.

[Josué 13]Josué 13


II. PARTILHA DA TERRA

AINDA HÁ MUITO QUE FAZER
1. Josué envelheceu e estava com idade avançada, quando Javé lhe disse: "Você está velho e com idade avançada, e ainda ficou muitíssima terra por conquistar.
2. Eis a terra que ainda ficou: Todas as regiões dos filisteus e toda Gessur,
3. desde Sior, que está frente ao Egito, até o território de Acaron, ao norte, que é considerado como pertencente aos cananeus. Cinco principados filisteus: de Gaza, de Azoto, de Ascalon, de Gat, e de Acaron. E ainda há os aveus
4. do sul. Toda a terra dos cananeus e Maara, que pertence aos sidônios, até Afeca, até a fronteira dos amorreus.
5. E ainda a terra dos habitantes de Biblos, e todo o Líbano oriental, desde Baal-Gad, aos pés do monte Hermon, até a entrada de Emat.
6. E todos os que habitam na região montanhosa, desde o Líbano até Maserefot no oeste. E todos os sidônios. Eu os expulsarei da frente dos israelitas. Você deve repartir a terra como herança a Israel, conforme lhe ordenei.
7. Agora, portanto, reparta esta terra, para que seja a herança das nove tribos e da meia tribo de Manassés".

TRIBOS DA TRANSJORDÂNIA
8. Com a outra meia tribo de Manassés, os rubenitas e os gaditas já haviam recebido sua herança na Transjordânia, ao leste, como já lhes havia dado Moisés, servo de Javé:
9. de Aroer, que está na borda do vale do Arnon, junto com a cidade que está no meio do vale; todo o planalto de Madaba até Dibon;
10. e todas as cidades de Seon, rei dos amorreus que reinava em Hesebon, até à fronteira dos amonitas;
11. e ainda Galaad e o território dos gessuritas e dos maacatitas, como também todo o monte Hermon e todo o Basã até Saleca;
12. e todo o reino de Og em Basã, que reinava em Astarot e Edrai, que ficara do resto dos rafaim, que Moisés havia derrotado e expulsado.
13. Os israelitas, porém, não puderam expulsar os gessuritas e maacatitas. Por isso Gessur e Maacat continuaram a habitar no meio de Israel até ao dia de hoje.
14. Apenas à tribo de Levi é que Moisés não deu nenhuma herança: a herança dela são as ofertas feitas a Javé, Deus de Israel, como já lhe havia dito.

TRIBO DE RÚBEN
15. Moisés deu uma parte à tribo dos rubenitas, conforme seus clãs.
16. Seu território vai desde Aroer, que está na borda do vale do Arnon, junto com a cidade que está no meio do vale, e todo o planalto de Medaba;
17. Hesebon e todas as cidades que estão no planalto: Dibon, Bamot-Baal, Bet-Baal-Meon,
18. Jasa, Cedimot, Mefaat,
19. Cariataim, Sábama, Sarat-Asaar na serra de Arabá,
20. Bet-Fegor; as encostas do Fasga; Bet-Jesimot;
21. todas as cidades do planalto e todo o reino de Seon, rei dos amorreus, que reinava em Hesebon, a quem Moisés derrotou, derrotando também aos príncipes de Madiã, Evi, Recém, Sur, Hur e Rebe, vassalos de Seon, que habitavam na terra.
22. Quanto ao adivinho Balaão, filho de Beor, os israelitas o mataram à espada junto com os demais.
23. A fronteira dos rubenitas é o Jordão com imediações. Esta é a herança dos rubenitas, conforme seus clãs: as cidades com suas aldeias.

TRIBO DE GAD
24. Moisés deu uma parte à tribo de Gad, aos gaditas, conforme seus clãs.
25. Seu território é Jazer, todas as cidades de Galaad, a metade da terra dos amonitas, até Aroer, que está defronte de Rabá;
26. desde Hesebon até Ramot-Masfa e Betonim, desde Maanaim até o território de Lo-Dabar;
27. e, no vale, Bet-Aram, Bet-Nemra, Sucot e Safon, o resto do reino de Seon, rei de Hesebon, com o Jordão e imediações, até à extremidade do mar de Genesaré, na Transjordânia, ao leste.
28. Essa é a herança dos gaditas, conforme seus clãs: as cidades com suas aldeias.

MEIA TRIBO DE MANASSÉS
29. Moisés deu uma parte à meia tribo de Manassés, conforme seus clãs.
30. Seu território vai desde Maanaim, todo o Basã, todo o reino de Og, rei de Basã, e todas as aldeias de Jair que estão em Basã: cerca de sessenta cidades;
31. a metade de Galaad, Astarot e Edrai, cidades do reino de Og em Basã, ficou para os descendentes de Maquir, filho de Manassés, isto é, para a metade dos maquiritas, conforme seus clãs.
32. Foi essa a herança que Moisés repartiu nas estepes de Moab, na Transjordânia, ao leste de Jericó.
33. À tribo de Levi, porém, Moisés não deu nenhuma herança, porque Javé, Deus de Israel, é herança dela, como já lhes havia dito.

[Josué 14]Josué 14



TRIBOS AO OESTE DO JORDÃO
1. Eis o que os israelitas herdaram na terra de Canaã, o que o sacerdote Eleazar, Josué filho de Nun, e os chefes de família das tribos dos israelitas lhes deram como herança.
2. A herança foi dada por sorte, como Javé ordenara por meio de Moisés, para as nove tribos e a meia tribo,
3. uma vez que Moisés já havia dado na Transjordânia uma herança às duas tribos e à meia tribo. Aos levitas, porém, não deu nenhuma herança no meio dos outros.
4. Os descendentes de José, de fato, formavam duas tribos: Manassés e Efraim. E aos levitas não foi dada uma parte na terra, mas apenas cidades para habitarem, com os arredores para seus rebanhos e bens.
5. Os israelitas agiram como Javé ordenara a Moisés, e repartiram a terra.

A PARTE DE CALEB
6. Os descendentes de Judá foram ao encontro de Josué em Guilgal. Então Caleb, filho de Jefoné, o cenezeu, lhe disse: "Você sabe o que Javé falou a Moisés, homem de Deus, em Cades Barne, a respeito de mim e de você.
7. Eu tinha quarenta anos quando Moisés, servo de Javé, me enviou de Cades Barne para explorar a terra, e eu lhe fiz um relatório merecedor de fé.
8. Meus irmãos que haviam subido comigo desanimaram o povo. Eu, porém, segui fielmente a Javé meu Deus.
9. E nesse dia Moisés prometeu: 'A terra onde pisou o seu pé pertencerá a você e a seus filhos, como herança para sempre, porque você seguiu fielmente a Javé meu Deus'.
10. Pois bem, Javé me conservou vivo, conforme prometera. Quarenta e cinco anos se passaram desde que Javé falou isso a Moisés, quando Israel andava pelo deserto. Eis que agora eu tenho oitenta e cinco anos.
11. Hoje ainda estou forte, como no dia em que Moisés me enviou: sinto-me agora tão forte como naquela ocasião, para ir e voltar da guerra.
12. Dê-me, portanto, esta montanha, da qual Javé falou naquele dia; pois naquele dia você ouviu que aí estavam os enacim e grandes cidades fortificadas. Tomara que Javé esteja comigo, e eu consiga expulsá-los, como Javé prometeu".
13. Josué abençoou Caleb, filho de Jefoné, e lhe deu Hebron como herança.
14. É por isso que Hebron pertence a Caleb, filho de Jefoné, o cenezeu, até ao dia de hoje, visto que ele seguiu fielmente a Javé, Deus de Israel.
15. Outrora o nome de Hebron era Cariat-Arbe. Arbe tinha sido o maior homem dentre os enacim. E a terra ficou em paz, sem guerra.

[Josué 15]Josué 15



TRIBO DE JUDÁ
1. A porção que tocou à tribo dos descendentes de Judá, conforme seus clãs, estende-se até à fronteira de Edom, ao sul do deserto de Sin, no extremo sul.
2. Sua fronteira sul vai desde o mar Morto, desde a língua de terra que olha para o sul,
3. e se prolonga para o sul da subida dos Escorpiões, passa por Sin e sobe ao sul de Cades Barne; passa por Hesron, sobe a Adar e rodeia Carca;
4. depois corre por Asemona, prolonga-se até o rio do Egito, terminando no mar. "Esta será a fronteira sul de vocês".
5. Sua fronteira no lado oriental é o mar Morto até à foz do Jordão. Do lado norte, a fronteira vai desde a língua de mar que há na foz do Jordão,
6. sobe depois a Bet-Hogla, passa ao norte de Bet-Arabá e sobe até à Pedra de Boen, filho de Rúben,
7. essa fronteira sobe ainda até Dabir, desde o vale de Acor, olhando para o norte, rumo a Guilgal, que está em frente à encosta de Adomim, ao sul do riacho; daí, a fronteira passa junto das águas de En-Sames, para terminar na direção de En-Roguel;
8. deste ponto, sobe pelo vale de Ben-Enom, pelo flanco sul dos jebuseus - isto é, Jerusalém e sobe até ao topo do monte que está diante do vale de Enom, no oeste, na extremidade do vale dos rafaim, ao norte;
9. a fronteira dobra depois, desde o topo do monte até à fonte das águas de Neftoa, prolonga-se até às cidades do monte Efron e vira na direção de Baala, isto é, Cariat-Iarim.
10. De Baala, a fronteira volta-se para o oeste até o monte Seir; passa ao lado do monte de Jearim ao norte, isto é, Queslon; depois, descendo a Bet-Sames, passa por Tamna.
11. A fronteira segue ainda ao lado de Acaron para o norte e, indo a Secron, passa o monte de Baala, saindo de Jebneel, terminando no mar.
12. O limite oeste era o Grande Mar e imediações. Esse é, de todos os lados, o território dos descendentes de Judá, conforme seus clãs.

OS CALEBITAS OCUPAM HEBRON
13. Para Caleb, filho de Jefoné, Josué deu uma parte no meio dos descendentes de Judá, como Javé lhe ordenara, isto é, Cariat-Arbe, que é Hebron. Arbe era o pai de Enac.
14. Caleb expulsou daí os três filhos de Enac: Sesai, Aimã e Tolmai, descendentes de Enac.
15. Daí subiu contra os habitantes de Dabir, outrora chamada Cariat-Séfer.
16. Disse Caleb: "A quem derrotar Cariat-Séfer e a capturar, darei minha filha Acsa por mulher".
17. E quem a tomou foi Otoniel, filho de Cenez, parente de Caleb; este lhe deu a filha Acsa por mulher.
18. Ora, desde que esta chegou, Otoniel insistiu com ela que pedisse ao pai um campo. Então ela apeou do jumento, e Caleb lhe perguntou: "O que você quer?"
19. Ela respondeu: "Dê-me um presente. Você me deu terra seca. Dê-me também fontes de água". Então ele deu para ela as fontes de cima e as fontes de baixo.
20. Essa é a herança da tribo dos descendentes de Judá, conforme seus clãs.

LUGARES OCUPADOS POR JUDÁ
21. As cidades dos descendentes de Judá no extremo sul, rumo à fronteira de Edom, no Negueb, são estas: Cabseel, Arad, Jagur,
22. Cina, Dimona, Aroer,
23. Cades, Hasor-Jetnã,
24. Zif, Telém, Balot,
25. Hasor-Adata, Cariot-Hesron que é Hasor -,
26. Amam, Sama, Molada,
27. Haser-Gada, Hasemon, Bet-Félet,
28. Hasor-Sual, Bersabéia com suas imediações,
29. Baala, Jim, Esem,
30. Eltolad, Cesil, Horma,
31. Siceleg, Madmana, Sensena,
32. Lebaot, Selim, Ain e Remon: ao todo, vinte e nove cidades com suas aldeias.
33. E na Planície: Estaol, Saraá, Asena,
34. Zanoe, En-Ganim, Tafua, Enaim,
35. Jarmut, Odolam, Soco, Azeca,
36. Saraim, Aditaim, Gedera e Gederotaim: catorze cidades com suas aldeias.
37. Sanã, Hadasa, Magdol-Gad,
38. Deleã, Masfa, Jecetel,
39. Laquis, Bascat, Eglon,
40. Quebon, Leemas, Cetlis,
41. Gederot, Bet-Dagon, Naama e Maceda: dezesseis cidades com suas aldeias.
42. Lebna, Eter, Asã,
43. Jefta, Esna, Nesib,
44. Ceila, Aczib e Maresa: nove cidades com suas aldeias.
45. Acaron, com suas vilas e aldeias;
46. e desde Acaron até ao mar, todas as que estão no lado de Azoto, com suas aldeias.
47. Azoto com suas vilas e aldeias; Gaza com suas vilas e aldeias até ao rio do Egito e o Grande Mar com suas imediações.
48. E na serra: Saamir, Jeter, Soco,
49. Dana, Cariat-Séfer, que é Dabir,
50. Anab, Estemo, Anim,
51. Gósen, Holon e Gilo: onze cidades com suas aldeias.
52. Arab, Duma, Esaã,
53. Janum, Bet-Tafua, Afeca,
54. Hamata, Cariat-Arbe, que é Hebron, e Sior: nove cidades com suas aldeias.
55. Maon, Carmel, Zif, Jota,
56. Jezrael, Jucadam, Zanoe,
57. Acain, Gabaá e Tamna: dez cidades com suas aldeias.
58. Halul, Bet-Sur, Gedor,
59. Maret, Bet-Anot e Eltecon: seis cidades com suas aldeias. (Técua, Éfrata, hoje Belém, Fegor, Etam, Gulon, Tatam, Sores, Carem, Galim, Beter e Manaat: onze cidades com suas aldeias).
60. Cariat-Baal, que é Cariat-Iarim, e Areba: duas cidades com suas aldeias.
61. No deserto: Bet-Arabá, Medin, Sacaca,
62. Nebsã, Cidade do Sal e Engadi: seis cidades com suas aldeias.
63. Os descendentes de Judá, porém, não conseguiram expulsar os jebuseus que habitavam em Jerusalém. É por isso que os jebuseus habitam com os descendentes de Judá em Jerusalém até o dia de hoje.

[Josué 16]Josué 16



TRIBO DE EFRAIM
1. A sorte que tocou aos descendentes de José vai desde o Jordão, perto de Jericó, ao leste das águas de Jericó. É o deserto que sobe de Jericó pela montanha de Betel;
2. saindo de Betel, vai até Luza, passando pela fronteira dos araquitas, em Atarot,
3. e desce pelo oeste até à fronteira dos jeflatitas, até à fronteira de Bet-Horon Inferior, e até Gazer, terminando no mar.
4. Foi assim que Manassés e Efraim, filhos de Josué, tiveram também a sua herança.
5. Eis o território dos efraimitas, conforme seus clãs: A fronteira da sua herança ao leste é Atarot-Arac, até Bet-Horon superior;
6. ao oeste, a fronteira vai em direção ao mar com Macmetat ao norte, de onde torna para o leste até Tanat-Silo, passando depois ao leste de Janoe;
7. desce desde Janoe até Atarot e Naarata, chega a Jericó, terminando no Jordão;
8. de Tafua a fronteira vai para o oeste pelo riacho de Caná, terminando no mar. Essa é a herança da tribo dos efraimitas, conforme seus clãs,
9. sem contar as cidades reservadas aos efraimitas no meio da herança dos manasseítas: todas essas cidades com suas aldeias.
10. Eles, porém, não conseguiram expulsar os cananeus que habitavam em Gazer. É por isso que os cananeus habitam no meio de Efraim até ao dia de hoje, mas estão sujeitos a trabalhos forçados.

[Josué 17]Josué 17



TRIBO DE MANASSÉS
1. Eis a porção que tocou à tribo de Manassés, por ser o primogênito de José. A Maquir, primogênito de Manassés, pai de Galaad, ficou Galaad e Basã, pois ele era homem de guerra.
2. Aos outros filhos de Manassés, conforme seus clãs, coube o seguinte: aos filhos de Abiezer, aos filhos de Helec, aos filhos de Esriel, aos filhos de Sequem, aos filhos de Héfer, aos filhos de Semida, isto é, aos filhos de sexo masculino de Manassés, filho de José, conforme seus clãs.
3. Salfaad, filho de Héfer, filho de Galaad, filho de Maquir, filho de Manassés, não teve filhos, mas somente filhas, que se chamavam Maala, Noa, Hegla, Melca e Tersa.
4. Elas se apresentaram ao sacerdote Eleazar, a Josué, filho de Nun, e aos representantes. E disseram: "Javé ordenou a Moisés que nos desse uma herança no meio de nossos irmãos". Então eles deram a elas, conforme a ordem de Javé, uma herança no meio dos irmãos de seu pai.
5. Desse modo, couberam também dez partes a Manassés, além da terra de Galaad e Basã, na Transjordânia,
6. pois as filhas de Manassés receberam uma herança no meio de seus filhos, enquanto a terra de Galaad ficou para os outros filhos de Manassés.
7. A fronteira de Manassés vai desde Aser até Macmetat, ao leste de Siquém; pelo sul essa fronteira vai até aos habitantes da fonte de Tafua.
8. Manassés tinha a terra de Tafua. Tafua, porém, embora estivesse no território de Manassés, pertencia aos efraimitas.
9. A fronteira desce então até o riacho de Caná. As cidades, entre as de Manassés, ao sul do riacho, pertenciam a Efraim. E a fronteira de Manassés estava ao norte do riacho, terminando no mar.
10. E o limite de Efraim ao sul e de Manassés ao norte, era o mar. Estavam em contato com Aser ao norte e Issacar ao leste.
11. Em Issacar e Aser, Manassés tinha Betsã e suas vilas, Jeblaam e suas vilas, os habitantes de Dor e suas vilas, os habitantes de Endor e suas vilas, os habitantes de Tanac e suas vilas, e os habitantes de Meguido e suas vilas: são as três colinas.
12. Os descendentes de Manassés, porém, não conseguiram expulsar os habitantes dessas cidades, e os cananeus continuaram habitando nessa terra.
13. Quando se tornaram fortes, os israelitas submeteram os cananeus a trabalhos forçados, mas não chegaram a expulsá-los.

REIVINDICAÇÃO DOS FILHOS DE JOSÉ
14. Os descendentes de José reclamaram com Josué: "Por que você nos deu como herança apenas uma porção, só uma parte, sendo nós um povo tão numeroso, visto que Javé nos abençoou até agora?"
15. Josué respondeu-lhes: "Se você é um povo tão numeroso, suba ao bosque e abra aí um lugar para vocês na terra dos ferezeus e dos rafaim, já que a serra de Efraim é estreita demais para você".
16. Os descendentes de José replicaram: "A serra não é suficiente para nós, ainda mais que todos os cananeus que habitam na terra do vale têm carros de ferro, tanto aqueles que estão em Betsã e suas vilas, como aqueles que estão no vale de Jezrael".
17. Josué disse então a Efraim e Manassés, a família de José: "Vocês são um povo numeroso e forte. Por isso, não terão apenas uma parte,
18. mas a serra toda será de vocês. Embora seja um bosque, vocês o cortarão, e pertencerá todo a vocês, até às extremidades. Além disso, vocês expulsarão os cananeus, ainda que eles tenham carros de ferro e sejam fortes".

[Josué 18]Josué 18






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   27   28   29   30   31   32   33   34   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal