Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Javé derrotou Sísara com todos os seus carros e todo o seu exército, diante de Barac. Sísara teve que descer do carro e fugir a pé. 16



Baixar 5.7 Mb.
Página34/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   30   31   32   33   34   35   36   37   ...   197

15. Javé derrotou Sísara com todos os seus carros e todo o seu exército, diante de Barac. Sísara teve que descer do carro e fugir a pé.
16. Barac perseguiu o exército e os carros até Haroset-Goim. Todo o exército de Sísara caiu ao fio da espada, e nenhum homem conseguiu escapar.
17. Enquanto isso, Sísara fugiu a pé até a tenda de Jael, mulher do quenita Héber, pois havia paz entre Jabin, rei de Hasor, e a família de Héber, o quenita.
18. Jael saiu ao encontro de Sísara, e lhe disse: "Entre, meu senhor. Entre sem medo, pois a casa é sua". Sísara entrou na tenda e Jael o cobriu com um manto.
19. Sísara pediu: "Dê-me um pouco de água para beber, pois estou com sede". Jael abriu uma vasilha com leite, deu-lhe de beber e o cobriu.
20. Sísara lhe disse: "Fique na entrada da tenda. Se vier alguém e lhe perguntar se há alguém aqui dentro, você dirá que não".
21. Mas Jael, mulher de Héber, pegou uma das estacas da tenda, apanhou um martelo, aproximou-se na ponta dos pés e cravou a estaca nas têmporas de Sísara, até pregá-lo no chão. E Sísara morreu, enquanto dormia profundamente, por causa do cansaço.
22. Nesse momento, apareceu Barac, que estava perseguindo Sísara. Jael foi ao seu encontro, dizendo: "Venha comigo e eu lhe mostrarei o homem que você está procurando". Barac entrou na tenda e viu Sísara caído e morto, com a estaca cravada nas têmporas.
23. Nesse dia, Deus derrotou Jabim, rei de Canaã, diante dos israelitas.
24. Estes se tornaram cada vez mais fortes contra Jabin, rei de Canaã, até que o conseguiram eliminar.

[Juízes 5]Juízes 5



CÂNTICO DE DÉBORA: CELEBRAÇÃO DA VITÓRIA
1. Nesse dia, Débora e Barac, filho de Abinoem, entoaram este cântico:

INTRODUÇÃO
2. Havia chefes em Israel para assumir o comando; apresentaram-se voluntários para alistar-se em massa. Bendigam todos a Javé!
3. Ouçam, reis! Escutem, governadores! Eu vou cantar, cantar para Javé. Vou celebrar Javé, o Deus de Israel.
4. Javé, quando saíste de Seir, avançando dos campos de Edom, a terra tremia, o céu ribombava e as nuvens se desfaziam em água;
5. os montes se agitavam diante de Javé, que vem do Sinai, diante de Javé, o Deus de Israel.

A VITÓRIA
6. No tempo de Samgar, filho de Anat, no tempo de Jael, as caravanas cessaram, os que viajavam seguiam por desvios, iam por trilhas tortuosas.
7. Os camponeses se saciaram. Em Israel se saciaram com os despojos, quando você, Débora, surgiu, quando você, mãe de Israel, se levantou.
8. Os sacrifícios para os deuses cessaram, o pão faltou nos armazéns, sem que se visse escudo ou lança entre os quarenta mil de Israel.

A CONVOCAÇÃO
9. Meu coração está voltado para os comandantes de Israel, para os voluntários do povo: bendigam todos a Javé!
10. Vocês que montam jumentas brancas e se assentam em tapetes; vocês que vão pelos caminhos, cantem!
11. Juntem-se ao grito dos homens enfileirados entre os bebedouros. Aí eles celebram as vitórias de Javé, as vitórias dos camponeses em Israel, quando o povo de Javé correu às portas.
12. Desperte, Débora, desperte! Desperte logo e entoe um canto. Vamos, Barac! Vamos, filho de Abinoem! Domine os que o haviam aprisionado.
13. Então os sobreviventes desceram com os nobres e o povo de Javé me ajudou contra os poderosos.
14. Os príncipes de Efraim estão no vale, e atrás de você, com as tropas, vem Benjamim. De Maquir desceram os comandantes, e de Zabulon os que levam bastões de oficial.
15. Os chefes de Issacar estão com Débora e, no vale, também Barac aperta o passo. Nos clãs de Rúben, os planos são grandes!
16. Por que você ficou sentado entre os currais, escutando a flauta dos pastores? Nos clãs de Rúben, os planos são grandes!
17. Galaad ficou do outro lado do Jordão, e Dã continua com seus barcos. Aser permaneceu na orla do mar, e ficou junto às suas enseadas.
18. Zabulon é um povo que arriscou a vida, como Neftali em seus campos elevados!

A BATALHA
19. Chegaram os reis para o combate, os reis de Canaã combateram em Tanac, junto às águas de Meguido, mas não ganharam uma peça de prata sequer.
20. Do alto céu as estrelas combateram, de seus caminhos lutaram contra Sísara.
21. A torrente Quison os arrastou, foi impetuosa a torrente Quison: a torrente pisoteou os valentes.
22. Os cascos dos cavalos martelaram, ao galope desenfreado dos corcéis.
23. Amaldiçoem Meroz, amaldiçoem, diz o anjo de Javé; amaldiçoem os seus governantes, porque não auxiliaram Javé, não auxiliaram Javé contra os poderosos.

JAEL
24. Que Jael seja bendita entre as mulheres, a mulher de Héber, o quenita; bendita seja entre as que habitam em tendas.
25. Ele pediu água, ela trouxe leite; na taça dos nobres serviu-lhe coalhada.
26. Com a esquerda ela pegou a estaca e com a direita um martelo de operário; golpeou Sísara, rachando-lhe a cabeça, e de um golpe atravessou-lhe as têmporas.
27. Ele se encurvou entre os pés dela e caiu deitado; encurvou-se entre os pés dela e caiu; encurvado, ali mesmo caiu, e ficou aniquilado.

A MÃE DE SÍSARA
28. A mãe de Sísara olha pela janela e se lamenta por trás da persiana: "Por que o carro dele tarda a chegar? Por que a marcha de seus carros é tão lenta?"
29. A mais sábia das donzelas lhe responde, e ela fica repetindo:
30. "Certamente encontraram despojos e agora estão repartindo: uma ou duas mulheres para cada guerreiro, e para Sísara panos coloridos, um despojo colorido e bordado; uma veste colorida e duas bordadas, e um despojo para o meu pescoço".

CONCLUSÃO
31. Desse modo pereçam teus inimigos, Javé, e teus amigos sejam fortes como o sol em seu fulgor. E a região ficou em paz durante quarenta anos.

[Juízes 6]Juízes 6



NOVO DESAFIO
1. Os israelitas fizeram o que Javé reprova. E Javé os entregou aos madianitas por sete anos.
2. O regime de Madiã foi tirânico sobre Israel. Para escapar de Madiã, os israelitas tiveram que usar as grutas nas montanhas, as cavernas e os esconderijos.
3. Quando os israelitas semeavam, os madianitas, amalecitas e orientais os atacavam:
4. acampavam na terra dos israelitas e destruíam todos os produtos semeados até perto de Gaza. Não deixavam para Israel nenhum meio de sobrevivência, nenhum cordeiro, nenhum boi e nenhum jumento.
5. Chegavam com seus rebanhos e tendas, numerosos como gafanhotos, homens e camelos sem conta, invadindo e arrasando a terra.
6. Desse modo, os madianitas reduziram Israel à miséria. Então os israelitas clamaram a Javé.

O PROFETA ANALISA A SITUAÇÃO
7. Quando os israelitas clamaram a Javé por causa dos madianitas,
8. Javé enviou para eles um profeta, que lhes falou: "Assim diz Javé, o Deus de Israel: Eu fiz vocês saírem do Egito e os tirei da casa da escravidão.
9. Eu livrei vocês do poder egípcio e do poder daqueles que os oprimiam. Eu os expulsei diante de vocês, e a vocês eu entreguei a terra deles.
10. Eu disse a vocês: 'Eu sou Javé seu Deus. Não tenham medo dos deuses dos amorreus, em cuja terra vão morar'. Mas vocês não me ouviram".

VOCAÇÃO DE GEDEÃO
11. O anjo de Javé chegou e se assentou debaixo do carvalho que está em Efra, na propriedade de Joás, filho de Abiezer. Foi quando Gedeão, filho de Joás, estava debulhando o trigo no tanque de pisar uvas, para escondê-lo dos madianitas.
12. O anjo de Javé apareceu a Gedeão e lhe disse: "Javé está com você, valente guerreiro!"
13. Gedeão respondeu: "Meu Senhor, se Javé está conosco, por que nos aconteceu tudo isso? Onde estão as maravilhas de que nossos antepassados falavam: 'Javé nos tirou do Egito...'? O fato é que agora Javé nos abandonou e nos entregou na mão dos madianitas".
14. Então Javé se voltou para Gedeão e disse: "Vá. Com suas próprias forças, salve Israel dos madianitas. Sou eu que envio você".
15. Gedeão replicou: "Meu Senhor, como posso salvar Israel? Meu clã é o mais fraco da tribo de Manassés, e eu sou o caçula da casa de meu pai!"
16. Javé lhe disse: "Eu estarei com você, e você derrotará os madianitas como se fossem um só homem".
17. Gedeão insistiu: "Se alcancei teu favor, dá-me um sinal de que és tu quem fala comigo.
18. Não vás embora antes que eu volte e te faça uma oferta". Javé respondeu: "Ficarei aqui até você voltar".
19. Gedeão foi preparar um cabrito e fez pães sem fermento com uma medida de farinha. Colocou a carne numa cesta e o caldo na panela. Trouxe tudo e ofereceu a Javé, debaixo do carvalho.
20. O anjo de Javé lhe disse: "Pegue a carne e os pães sem fermento, coloque-os sobre esta rocha, e derrame o caldo por cima". Assim fez Gedeão.
21. O anjo de Javé estendeu a ponta do bastão que tinha na mão, tocou na carne e nos pães sem fermento, e da rocha subiu um fogo, que consumiu a carne e os pães. Nesse momento, o anjo de Javé desapareceu.
22. Gedeão percebeu que era o anjo de Javé, e exclamou: "Ah! Meu Senhor Javé! Eu vi o anjo de Javé face a face!"
23. Javé lhe respondeu: "Fique em paz e não tenha medo, porque você não morrerá".
24. Então Gedeão construiu aí um altar para Javé, e lhe deu o nome de "Javé é Paz", um altar que existe em Efra de Abiezer, até o dia de hoje.

A RUPTURA COM A IDOLATRIA
25. Nessa mesma noite, Javé disse a Gedeão: "Pegue o boi que seu pai possui e outro boi de sete anos. Destrua o altar de Baal, que pertence a seu pai, e corte o poste sagrado que está ao lado.
26. Em seguida, construa um altar para Javé seu Deus no alto desse lugar, com pedras bem colocadas. Pegue, então, o boi e ofereça em holocausto sobre a lenha do poste sagrado que você tiver cortado".
27. Gedeão escolheu dez homens entre seus servos, e fez o que Javé lhe havia mandado. Gedeão fez isso de noite e não de dia, pois tinha medo da sua família e do povo da cidade.
28. No dia seguinte, bem cedo, o povo da cidade viu que o altar de Baal fora destruído, o poste sagrado que estava ao lado tinha sido cortado, e o boi fora sacrificado sobre o altar recém-construído.
29. E comentaram: "Quem será que fez isso?" Perguntaram, fizeram averiguações e chegaram à conclusão: "Foi Gedeão, filho de Joás".
30. Os habitantes da cidade disseram então a Joás: "Entregue-nos seu filho para que seja morto, pois ele destruiu o altar de Baal e cortou o poste sagrado que estava ao lado".
31. Joás respondeu a todos os que o ameaçavam: "E vocês têm que defender Baal? São vocês que devem ajudar Baal? Quem o defender, morrerá antes do nascer do sol. Se Baal é Deus, que ele próprio se defenda, pois Gedeão destruiu o altar dele".
32. Nesse dia, puseram em Gedeão o apelido de Jerobaal, comentando: "Que Baal defenda a si próprio, pois Gedeão destruiu o altar dele".

A REORGANIZAÇÃO DO POVO
33. Os madianitas, amalecitas e orientais se aliaram, atravessaram o rio Jordão e acamparam na planície de Jezrael.
34. O espírito de Javé se apoderou de Gedeão, que tocou a trombeta, e Abiezer se agrupou a ele.
35. Gedeão mandou mensageiros a toda a tribo de Manassés, que se uniu a ele. Também enviou mensageiros para Aser, Zabulon e Neftali; e todos se aliaram a ele.

SINAIS: JAVÉ ESTÁ COM GEDEÃO
36. Gedeão disse a Deus: "Se, de fato, tu vais salvar Israel por meio de mim, como disseste,
37. vou colocar no terreiro um pedaço de lã de carneiro. Se o orvalho cair somente sobre o pedaço de lã, e o terreiro estiver seco, então ficarei sabendo que tu libertarás Israel por meio de mim, conforme disseste".
38. E assim fez Gedeão. Quando madrugou no dia seguinte, ele torceu o pedaço de lã, e com o orvalho que nela estava encheu um copo d'água.
39. Gedeão insistiu ainda com Deus: "Não te irrites comigo se eu pedir mais uma vez. Permite que eu faça de novo a prova do pedaço de lã: que ele fique seco e a terra em volta se cubra de orvalho".
40. E Deus assim fez nessa noite: o pedaço de lã ficou seco, enquanto havia orvalho na terra em volta.

[Juízes 7]Juízes 7



O EXÉRCITO POPULAR DE GEDEÃO
1. Jerobaal, que é Gedeão, madrugou e foi acampar junto a En-Harod com o povo que o acompanhava. O acampamento de Madiã ficava no vale ao norte, junto à colina de Moré.
2. Então Javé disse a Gedeão: "O povo que está com você é numeroso demais para que eu entregue Madiã em seu poder. Israel poderia gloriar-se, dizendo: 'Eu consegui a vitória graças ao meu poder!'.
3. Anuncie, portanto, a todo o povo: 'Quem estiver com medo e tremendo, pode voltar' ". E Gedeão os colocou à prova: vinte e dois mil homens voltaram para casa. E ainda ficaram dez mil.
4. Javé disse a Gedeão: "Ainda é muita gente. Faça-os descer até a fonte, e aí eu farei uma seleção para você. A quem eu disser que pode ir com você, esse irá. Mas a quem eu disser que não pode ir com você, esse não irá".
5. Gedeão fez todo o povo descer à beira da água, e Javé lhe disse: "Todos os que beberem água com a língua, como faz o cão, você os colocará de um lado; e os que se ajoelharem para beber, você os colocará do outro lado".
6. Trezentos homens lamberam a água, levando as mãos à boca; os outros se ajoelharam para beber.
7. Então Javé disse a Gedeão: "Com os trezentos que lamberam a água, eu vou salvar vocês, entregando Madiã em seu poder. Os outros podem voltar para casa".
8. Eles pegaram as provisões e as trombetas, e Gedeão despediu os israelitas, cada um para a sua tenda, ficando apenas com os trezentos. O acampamento de Madiã estava embaixo, no vale.

A GUERRILHA
9. Nessa noite, Javé disse a Gedeão: "Levante-se e desça até o acampamento inimigo, pois eu vou entregá-lo a você.
10. Se você tem medo de descer, vá com o seu servo Fara.
11. Quando você escutar o que eles dizem, ficará animado e descerá para atacá-los". E Gedeão foi com o seu servo Fara até a frente do acampamento.
12. Os madianitas, amalecitas e orientais estavam deitados no vale. Eram numerosos como gafanhotos, e seus camelos eram incontáveis como areia da praia.
13. Gedeão chegou perto e ouviu um homem contando um sonho ao companheiro: "Veja só o que sonhei: Meu pão de cevada estava rolando no acampamento de Madiã, atingiu a tenda, chocou-se contra ela e a fez cair de alto a baixo".
14. O companheiro respondeu: "Isso só pode ser a espada de Gedeão, filho de Joás, o israelita. Deus entregou Madiã e todo este acampamento nas mãos dele".
15. Quando Gedeão ouviu o sonho e a interpretação, prostrou-se por terra. Depois voltou ao acampamento israelita e disse: "Levantem-se, porque Javé entrega a vocês o acampamento de Madiã".
16. Gedeão dividiu os trezentos homens em três grupos. Depois, para cada um distribuiu uma trombeta, um pote vazio e uma tocha dentro do pote,
17. dizendo: "Prestem atenção em mim, e façam o que eu fizer. Quando eu chegar à frente do acampamento, façam o que eu fizer.
18. Eu e todos os que estão comigo vamos tocar a trombeta. Então, vocês também tocarão as trombetas ao redor do acampamento, e gritarão: 'Por Javé e por Gedeão!' "
19. Gedeão e os cem homens que o acompanhavam chegaram à frente do acampamento na hora em que começava a troca da guarda, à meia-noite. Quando se estava fazendo a troca da guarda, Gedeão tocou a trombeta e quebrou o pote que levava na mão.
20. Nesse momento, os três grupos tocaram as trombetas e quebraram os potes. A seguir, levantaram a tocha na mão esquerda e a trombeta na direita, gritando: "Espada por Javé e por Gedeão!"
21. E ficaram parados, cada um no seu lugar, ao redor do acampamento. O acampamento inimigo ficou alvoroçado e começaram a gritar e fugir.
22. Enquanto os trezentos homens tocavam as trombetas, Javé fez com que uns e outros no acampamento se matassem ao fio da espada. Depois fugiram até Bet-Seta, perto de Sartã, até junto de Abel-Meúla, perto de Tebat.
23. Os israelitas de Neftali, de Aser e de todo o Manassés se uniram e perseguiram Madiã.
24. Gedeão tinha enviado mensageiros por todas as montanhas de Efraim, avisando: "Ocupem antes deles as fontes de água até Bet-Bera e o Jordão". Os efraimitas então se reuniram e ocuparam as fontes de água até Bet-Bera e o Jordão.
25. E prenderam Oreb e Zeb, os dois chefes dos madianitas. Mataram Oreb no rochedo de Oreb, e Zeb no tanque de pisar uvas de Zeb. Depois perseguiram os madianitas e levaram a Gedeão as cabeças de Oreb e Zeb, no outro lado do Jordão.

[Juízes 8]Juízes 8



1. Os efraimitas se queixaram a Gedeão: "Por que você fez isso conosco? Porque não nos convocou quando saiu para combater Madiã?" E discutiram violentamente com Gedeão.
2. Ele, porém, respondeu: "Que fiz eu em comparação com o que vocês fizeram? Vale mais o restolho de Efraim do que a vindima de Abiezer!
3. Foi na mão de vocês que Javé entregou Oreb e Zeb, os chefes de Madiã. Que pude fazer eu, em comparação com o que vocês fizeram?" Ao ouvir isso, a ira dos efraimitas se acalmou.

FALTA DE SOLIDARIEDADE
4. Gedeão chegou até o rio Jordão e o atravessou com seus trezentos homens, já esgotados e famintos.
5. Então Gedeão pediu ao povo de Sucot: "Por favor! Dêem alguns pães para os homens que me acompanham pois estão cansados, e estou perseguindo Zebá e Sálmana, reis de Madiã".
6. As autoridades de Sucot perguntaram: "Por acaso vocês já prenderam Zebá e Sálmana para darmos comida ao exército de vocês?"
7. Gedeão respondeu: "Muito bem. Quando Javé tiver entregue Zebá e Sálmana em minhas mãos, vou rasgar a carne de vocês com espinhos e cardos do deserto".
8. Depois, Gedeão subiu daí para Fanuel, e fez o mesmo pedido aos homens de Fanuel, que responderam como os de Sucot.
9. Gedeão disse ao povo de Fanuel: "Quando eu voltar vitorioso, vou derrubar esta torre".
10. Zebá e Sálmana estavam em Carcar, com seu exército, cerca de quinze mil homens. Era o que restava do exército dos orientais, pois as baixas tinham sido de cento e vinte mil homens.
11. Gedeão subiu pela rota dos beduínos, a leste de Nob e Jegbaá, e atacou o inimigo quando este menos esperava.
12. Zebá e Sálmana escaparam, mas Gedeão perseguiu e capturou os dois reis de Madiã. O resto do exército debandou.
13. Depois da batalha, Gedeão, filho de Joás, voltou pela encosta de Hares.
14. Deteve um jovem de Sucot e lhe pediu o nome das autoridades e anciãos de Sucot. E o jovem deu por escrito o nome de setenta e sete homens.
15. Gedeão, filho de Joás, se dirigiu aos homens de Sucot e lhes disse: "Aqui estão Zebá e Sálmana, a respeito dos quais vocês caçoaram de mim, dizendo: 'Por acaso vocês já prenderam Zebá e Sálmana para darmos comida a seus homens cansados'?"
16. Gedeão pegou os anciãos da cidade e rasgou a carne deles com espinhos e cardos do deserto.
17. Destruiu também a torre de Fanuel e massacrou os habitantes da cidade.
18. Depois perguntou a Zebá e a Sálmana: "Como eram os homens que vocês mataram no Tabor?" Eles responderam: "Eram como você. Pareciam filhos de reis".
19. Gedeão exclamou: "Eram meus irmãos maternos! Pela vida de Javé, se vocês os tivessem deixado vivos, eu agora não mataria vocês".
20. Então ordenou a Jeter, seu filho mais velho: "Vamos, mate-os". Mas o moço não desembainhava a espada: era ainda muito jovem e tinha medo.
21. Zebá e Sálmana pediram: "Vamos, mate-nos você. Pois você é homem valente". Então Gedeão foi e matou Zebá e Sálmana, levando consigo os enfeites em forma de meia-lua que adornavam os camelos deles.

SÓ JAVÉ É REI
22. Os israelitas disseram a Gedeão: "Seja nosso rei, você e depois seu filho e seu neto, pois você nos salvou dos madianitas".
23. Gedeão respondeu: "Nem eu, nem meu filho seremos reis de vocês. O rei de vocês será Javé".
24. E acrescentou: "Vou pedir uma coisa para vocês: 'Cada um me dê um anel de sua parte nos despojos' ". Os vencidos usavam anéis de ouro, porque eram ismaelitas.
25. Eles responderam: "Daremos com prazer". Gedeão estendeu a capa, e cada um foi colocando um anel de sua parte nos despojos.
26. O peso dos anéis que Gedeão pediu foi de dezenove quilos de ouro, sem contar os enfeites em forma de meia-lua, os brincos e as vestes de púrpura que os reis madianitas usavam, além dos colares dos camelos.
27. Com tudo isso, Gedeão fez um efod e o colocou na cidade de Efra. Todo o Israel aí se prostituiu, seguindo a Gedeão, e isso foi uma armadilha para Gedeão e sua família.
28. Madiã foi derrotado diante dos israelitas e nunca mais levantou a cabeça. Desse modo, a região descansou quarenta anos, enquanto Gedeão viveu.
29. E Jerobaal, filho de Joás, foi viver em sua casa.
30. Gedeão teve setenta filhos, pois tinha muitas mulheres.
31. Ele tinha uma concubina em Siquém, que lhe gerou um filho, a quem deu o nome de Abimelec.
32. Gedeão, filho de Joás, morreu em velhice feliz, e o enterraram na sepultura de seu pai, em Efra de Abiezer.
33. Depois da morte de Gedeão, os israelitas voltaram a se prostituir com os ídolos e tomaram Baal-Berit como deus.
34. Os israelitas não se lembraram mais de Javé seu Deus, que os tinha livrado do poder de todos os inimigos vizinhos.
35. Não se mostraram agradecidos à família de Jerobaal-Gedeão, por todo o bem que ele havia feito a Israel.

[Juízes 9]Juízes 9



O PROCESSO DO PODER
1. Abimelec, filho de Jerobaal, foi a Siquém para a casa de seus tios maternos. E propôs o seguinte a eles e a todos os parentes de seu avô materno:
2. "Digam aos senhores de Siquém: 'O que é melhor para vocês? Que setenta homens, os filhos de Jerobaal, governem vocês, ou que um só os governe? E lembrem-se de que eu sou do mesmo sangue de vocês' ".
3. Então os tios maternos de Abimelec comunicaram isso aos senhores de Siquém, e estes tomaram o partido de Abimelec, dizendo: "Ele é nosso parente".
4. Deram a Abimelec oitocentos gramas de prata do templo de Baal-Berit, e Abimelec usou esse dinheiro para contratar alguns homens desocupados e aventureiros, que se colocaram à sua disposição.
5. Foi à casa de seu pai em Efra e matou sobre a mesma pedra seus irmãos, os setenta filhos de Jerobaal. No entanto, Joatão, o filho caçula de Jerobaal, escapou porque se havia escondido.
6. Depois todos os senhores de Siquém e todos os de Bet-Melo se reuniram perto do carvalho da estela que está em Siquém, e proclamaram Abimelec como rei.

O PODER É UMA ARMADILHA
7. Quando Joatão soube disso, subiu ao topo do monte Garizim, e gritou: "Ouçam-me, senhores de Siquém, para que Deus também ouça vocês.
8. Certo dia, as árvores se puseram a caminho para ungir um rei que reinasse sobre elas. Disseram à oliveira: 'Reine sobre nós'.
9. A oliveira respondeu: 'Vocês acham que vou deixar o meu azeite, que honra deuses e homens, para ficar balançando sobre as árvores?'


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   30   31   32   33   34   35   36   37   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal