Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Cased, Azau, Feldas, Jedlad, Batuel. 23



Baixar 5.7 Mb.
Página4/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   197

22. Cased, Azau, Feldas, Jedlad, Batuel.
23. E Batuel gerou Rebeca. São os oito filhos que Melca deu a Nacor, irmão de Abraão.
24. Nacor tinha uma concubina, chamada Roma, que também teve filhos: Tabé, Gaam, Taás e Maaca.

[Gênesis 23]Gênesis 23



PRIMEIRA PORÇÃO DA TERRA PROMETIDA
1. Sara viveu cento e vinte e sete anos,
2. e morreu em Cariat Arbe, hoje Hebron, na terra de Canaã. Abraão foi fazer luto e chorar por sua mulher.
3. Depois deixou sua defunta e falou aos filhos de Het:
4. "Sou imigrante que reside entre vocês. Dêem para mim um túmulo como propriedade, para eu enterrar minha defunta".
5. Os filhos de Het responderam a Abraão:
6. "Meu senhor, ouça-nos! Você é um príncipe de Deus entre nós; enterre sua defunta no melhor dos nossos sepulcros. Ninguém de nós vai lhe negar a própria sepultura para sua defunta!"
7. Abraão se levantou, fez uma inclinação diante dos proprietários, os filhos de Het,
8. e lhes falou: "Se estão de acordo que eu enterre minha defunta, ouçam-me: intercedam por mim junto a Efron, filho de Seor,
9. a fim de que ele me ceda a gruta de Macpela, que pertence a ele e está no extremo do seu campo. Que ele a entregue para mim pelo preço que vale, diante de vocês, para que seja minha propriedade sepulcral".
10. Ora, Efron estava sentado entre os filhos de Het. Então Efron, o heteu, respondeu a Abraão, diante dos heteus e dos que assistiam ao conselho:
11. "Não, meu senhor, ouça-me! Eu lhe dou o campo e também a gruta que está nele. Dou-lhe isso na presença dos filhos do meu povo. Enterre sua defunta".
12. Abraão se inclinou diante dos proprietários
13. e falou a Efron, na presença dos proprietários: "Se você concorda, ouça-me: eu pagarei o preço do campo. Aceite o pagamento, e eu enterrarei minha defunta".
14. Efron respondeu a Abraão:
15. "Meu senhor, ouça-me: o terreno vale quatro quilos de prata. O que significa isso para mim e você? Enterre sua defunta".
16. Abraão concordou com Efron. Pesou para Efron o dinheiro de que falara diante dos heteus: quatro quilos de prata, em uso no mercado.
17. Então, o campo de Efron, que está em Macpela, diante de Mambré, o campo e a gruta que aí existe, e todas as árvores que estão dentro e ao redor do campo,
18. tornaram-se propriedade de Abraão, sendo testemunhas os heteus e os que assistiam ao conselho.
19. Depois Abraão enterrou Sara, sua mulher, na gruta do campo de Macpela, diante de Mambré, hoje Hebron, na terra de Canaã.
20. Foi assim que o campo e a gruta passaram dos filhos de Het para Abraão, como propriedade sepulcral.

[Gênesis 24]Gênesis 24



CASAMENTO DE ISAAC
1. Abraão era velho, de idade avançada, e Javé o havia abençoado em tudo.
2. Abraão disse ao servo mais velho de sua casa, que administrava todas as suas propriedades: "Ponha a sua mão debaixo da minha coxa,
3. e jure por Javé, Deus do céu e da terra, que quando você buscar esposa para o meu filho, não a escolherá entre as filhas dos cananeus, no meio dos quais estou morando.
4. Mas irá à minha terra natal e aí escolherá uma esposa para o meu filho Isaac".
5. O servo perguntou: "E se a mulher não quiser vir comigo para esta terra, deverei levar seu filho para o lugar de onde o senhor saiu?"
6. Abraão lhe respondeu: "De jeito nenhum, não leve meu filho para lá.
7. Javé, o Deus do céu e da terra, que me tirou da casa paterna e da minha terra natal, e que jurou dar esta terra à minha descendência, ele enviará o seu anjo diante de você, e você poderá trazer uma esposa para meu filho.
8. Se a mulher não quiser vir com você, então você ficará livre do juramento. Em todo caso, não leve meu filho para lá".
9. O servo colocou a mão sob a coxa de Abraão, seu patrão, e jurou que assim faria.
10. O servo tomou dez camelos do seu senhor e, levando consigo de tudo o que seu patrão tinha de bom, pôs-se a caminho de Aram Naaraim, para a cidade de Nacor.
11. Fez os camelos ajoelharem fora da cidade, perto do poço, à tarde, na hora em que as mulheres saem para tirar água.
12. Então o servo pediu: "Javé, Deus do meu senhor Abraão, concede que o dia de hoje me seja favorável, e trata com amor o meu senhor Abraão.
13. Vou ficar junto à fonte, quando as moças da cidade saírem para buscar água.
14. Direi a uma das moças: 'Por favor, incline o balde para que eu possa beber'. Aquela que disser: 'Beba você, que também vou dar de beber a seus camelos', será essa aquela que destinaste para teu servo Isaac. Assim saberei que tratas meu patrão com amor".
15. Ele ainda não havia acabado de falar, quando chegou Rebeca, filha de Batuel, filho de Melca, a mulher de Nacor, irmão de Abraão. Ela carregava um balde no ombro.
16. Era uma jovem muito bela e virgem; não tinha tido relação com nenhum homem. Ela desceu à fonte, encheu o balde e subiu.
17. O servo correu para ela, e disse: "Por favor, deixe-me beber um pouco da água de seu balde".
18. Ela respondeu: "Beba, meu senhor". E abaixou depressa o balde sobre o braço, e lhe deu de beber.
19. Quando terminou, ela disse: "Vou dar de beber também para seus camelos, até que fiquem saciados".
20. Em seguida, esvaziou o balde no bebedouro, e correu até o poço a fim de tirar água para todos os camelos.
21. O servo observava em silêncio, esperando para ver se Javé ia levar ou não a bom termo a sua missão.
22. Quando os camelos acabaram de beber, o servo pegou um anel de ouro que pesava cinco gramas e o colocou nas narinas dela. Depois, colocou nos braços dela dois braceletes de ouro, que pesavam dez gramas.
23. E disse: "Você é filha de quem? Diga para mim: será que na casa de seu pai há lugar para eu passar a noite?"
24. Ela respondeu: "Eu sou filha de Batuel, o filho que Melca gerou para Nacor".
25. E continuou: "Em nossa casa há muita palha e forragem, e também lugar para passar a noite".
26. Então o servo se prostrou e adorou a Javé,
27. dizendo: "Bendito seja Javé, o Deus do meu senhor Abraão! Ele não esqueceu o seu amor e fidelidade para com o meu senhor. Javé guiou meus passos à casa do irmão do meu senhor".
28. A jovem foi correndo para casa, a fim de contar à sua mãe o que lhe havia acontecido.
29. Ora, Rebeca tinha um irmão chamado Labão, que correu para a fonte ao encontro do homem.
30. De fato, quando Labão viu o anel e os braceletes que estavam com sua irmã, e quando ouviu o que ela contava, foi ao encontro do homem e o achou ainda de pé junto aos camelos, perto da fonte.
31. Então disse para ele: "Venha, bendito de Javé. Por que você está aí fora, quando já preparei alojamento e lugar para os camelos?"
32. O homem entrou na casa, e Labão descarregou os camelos, deu palha e forragem para os camelos, e levou água para que o servo e seus acompanhantes lavassem os pés.
33. Quando ofereceram comida, o servo disse: "Não vou comer enquanto não tratar do meu assunto". Labão respondeu: "Pois fale".
34. O servo disse: "Eu sou servo de Abraão.
35. Javé abençoou imensamente meu senhor e o tornou rico: deu-lhe ovelhas e vacas, prata e ouro, escravos e escravas, camelos e jumentos.
36. Sara, a mulher do meu senhor, já velha, deu a ele um filho, que é o herdeiro de tudo.
37. Meu senhor me fez prestar este juramento: 'Você não tomará para meu filho uma esposa entre as filhas dos cananeus, em cuja terra estou morando.
38. Você irá à casa de meu pai e de meus parentes, e aí escolherá uma esposa para meu filho'.
39. Então eu disse ao meu senhor: 'E se a mulher não quiser vir comigo?'
40. Ele me respondeu: 'Javé, a quem meu comportamento agrada, vai enviar seu anjo com você; ele dará êxito à sua missão, e você encontrará uma esposa para o meu filho na casa de meus pais e parentes.
41. Você ficará livre do juramento quando for à casa de meus parentes; sim, você ficará livre do juramento, se eles negarem a mulher'.
42. Hoje eu cheguei à fonte e disse: 'Javé, Deus de meu senhor Abraão, mostra, eu te peço, se estás disposto a levar a bom termo a viagem que empreendi.
43. Aqui estou junto à fonte, e vou dizer para a jovem que vier buscar água: Dê-me de beber um pouco da água de seu balde.
44. Se ela me disser: Beba, que também vou tirar água para os seus camelos, então será essa a esposa que Javé destinou ao filho do meu senhor'.
45. Eu não tinha acabado de falar comigo mesmo, quando chegou Rebeca com o balde no ombro. Ela desceu à fonte e tirou água. Eu pedi a ela: 'Por favor, dê-me de beber'.
46. Ela abaixou logo o balde e disse: 'Beba, que também vou dar de beber a seus camelos'. Eu bebi, e ela deu de beber também aos meus camelos.
47. Então eu perguntei a ela: 'Você é filha de quem?' Ela respondeu: 'Sou filha de Batuel, o filho que Melca deu a Nacor'. Então eu lhe pus este anel nas narinas e estes braceletes nos braços.
48. Prostrei-me, adorei Javé, bendisse a Javé, Deus do meu senhor Abraão, que me guiou pelo caminho certo, para levar ao filho do meu senhor a filha do irmão dele.
49. Portanto, digam-me se querem ou não mostrar amor e fidelidade ao meu senhor, para que eu possa agir de acordo".
50. Labão e Batuel disseram: "Isso vem de Javé, e nós não podemos dizer nem sim, nem não.
51. Aí está Rebeca, tome-a e vá, e que ela seja a esposa do filho do seu senhor, conforme disse Javé".
52. Quando o servo de Abraão ouviu isso, prostrou-se por terra diante de Javé.
53. Depois pegou jóias de prata e ouro, e vestidos, e os deu a Rebeca. Também deu ricos presentes ao irmão e à mãe dela.
54. Então comeram e beberam, ele e seus companheiros, e passaram a noite. De manhã, quando se levantaram, o servo disse: "Deixe-me voltar para o meu senhor".
55. Então o irmão e a mãe de Rebeca disseram: "Deixe que a jovem fique ainda dez dias conosco. Depois, ela irá".
56. Mas o servo replicou: "Não me detenham, pois Javé deu êxito à minha viagem. Deixem-me voltar ao meu senhor".
57. Então eles disseram: "Vamos chamar a jovem e perguntar-lhe sua opinião".
58. Chamaram Rebeca e lhe perguntaram: "Você quer partir com esse homem?" Ela respondeu: "Quero".
59. Então eles deixaram partir sua irmã Rebeca com sua ama, o servo de Abraão e seus homens.
60. Eles abençoaram Rebeca, dizendo: "Você é nossa irmã: torne-se milhares de milhares, e que sua descendência conquiste as cidades inimigas".
61. Rebeca e suas servas se levantaram, montaram nos camelos e acompanharam o homem. E foi assim que o servo de Abraão levou Rebeca.
62. Isaac tinha voltado do poço de Laai-Roí e morava na terra do Negueb.
63. Ao pôr-do-sol, Isaac saiu para passear no campo e, erguendo os olhos, viu que chegavam camelos.
64. Rebeca, erguendo os olhos, viu Isaac. Ela apeou do camelo,
65. e disse ao servo: "Quem é aquele homem lá no campo, que vem ao nosso encontro?" O servo respondeu: "É o meu senhor". Então ela pegou o véu e se cobriu.
66. O servo contou a Isaac tudo o que havia feito.
67. Então Isaac introduziu Rebeca em sua tenda e a recebeu por esposa. Isaac amou-a, consolando-se assim da morte de sua mãe.

[Gênesis 25]Gênesis 25



OUTROS FILHOS DE ABRAÃO
1. Abraão tomou outra mulher chamada Cetura.
2. Esta gerou para ele Zamrã, Jecsã, Madã, Madia, Jesboc e Sué.
3. Jecsã gerou Sabá e Dadã, e os filhos de Dadã foram os assurim, os latusim e os loomim.
4. Os filhos de Madiã foram: Efa, Ofer, Henoc, Abida e Eldaá. Todos esses são descendentes de Cetura.
5. Abraão deu todos os seus bens a Isaac.
6. Quanto aos filhos de suas concubinas, Abraão lhes deu presentes e, ainda em vida, os mandou para longe do seu filho Isaac, para o leste, a região oriental.

MORTE DE ABRAÃO
7. Abraão viveu cento e setenta e cinco anos.
8. Depois Abraão expirou e morreu numa velhice feliz, idoso, e se reuniu com seus parentes.
9. Isaac e Ismael, seus filhos, o enterraram na gruta de Macpela, no campo de Efron, filho de Seor, o heteu, campo que está diante de Mambré.
10. É o campo que Abraão tinha comprado dos filhos de Het; nele foram enterrados Abraão e sua mulher Sara.
11. Depois da morte de Abraão, Deus abençoou seu filho Isaac. E Isaac morou junto ao poço de Laai-Roí.

FILHOS DE ISMAEL
12. São estes os descendentes de Ismael, filho de Abraão e Agar, a escrava egípcia de Sara.
13. Nomes dos filhos de Ismael por ordem de nascimento: o primogênito Nabaiot, depois Cedar, Adbeel, Mabsam,
14. Masma, Duma, Massa,
15. Hadad, Tema, Jetur, Nafis e Cedma.
16. São esses os filhos de Ismael e seus nomes por cercados e acampamentos: doze chefes de tribos.
17. Ismael viveu cento e trinta e sete anos. Depois expirou, morreu e se reuniu com seus parentes.
18. Habitou desde Hévila até Sur, que está a leste do Egito, na direção da Assíria. Ele se estabeleceu na frente de todos os seus irmãos.

2. HISTÓRIA DE ISAAC E JACÓ

IRMÃOS EM LUTA
19. História de Isaac, filho de Abraão. Abraão gerou Isaac.
20. Isaac tinha quarenta anos quando se casou com Rebeca, filha de Batuel, o arameu de Padã-Aram, e irmã de Labão, o arameu.
21. Isaac implorou a Javé por sua mulher, porque ela era estéril: Javé o escutou e sua mulher Rebeca ficou grávida.
22. As crianças, porém, lutavam dentro dela. Então ela disse: "Se é assim, para que viver?" Então foi consultar Javé.
23. E Javé lhe disse: "Em seu ventre há duas nações, dois povos se separam em suas entranhas. Um povo vencerá o outro, e o mais velho servirá ao mais novo".
24. Quando chegou o dia do parto, Rebeca teve gêmeos.
25. O primeiro saiu: era ruivo e peludo como um manto de pêlos, e lhe deram o nome de Esaú.
26. Em seguida, saiu seu irmão, com a mão segurando o calcanhar de Esaú, e lhe deram o nome de Jacó. Isaac tinha sessenta anos quando eles nasceram.
27. Os meninos cresceram. Esaú se tornou hábil caçador, homem rude, enquanto Jacó era homem tranqüilo, morando sob tendas.
28. Isaac apreciava a caça e preferia Esaú, enquanto Rebeca preferia Jacó.

ESAÚ PERDE SEUS DIREITOS
29. Certa vez, Jacó estava preparando um cozido, quando Esaú voltou do campo, esgotado.
30. Esaú pediu a Jacó: "Deixe-me comer dessa coisa vermelha, porque estou esgotado". É por isso que ele recebeu o nome de Edom.
31. Jacó respondeu: "Venda-me primeiro o direito de primogenitura".
32. Esaú disse: "Estou quase morrendo... Que me importa o direito de primogenitura?"
33. Jacó retomou: "Primeiro, o juramento". Esaú jurou e vendeu seu direito de primogenitura a Jacó.
34. Então Jacó lhe deu pão e o cozido de lentilhas. Esaú comeu e bebeu, levantou-se e partiu. E assim Esaú desprezou o direito de primogenitura.

[Gênesis 26]Gênesis 26



ISAAC EM GERARA
1. Houve fome no país - além daquela que tinha havido no tempo de Abraão - e Isaac foi para Gerara, onde Abimelec era rei dos filisteus.
2. Javé apareceu a Isaac e disse: "Não desça para o Egito; fique na terra que eu lhe disser.
3. Fique morando aqui neste país, e eu estarei com você e o abençoarei, pois eu darei todas estas terras a você e a seus descendentes, cumprindo o juramento que fiz a seu pai Abraão.
4. Tornarei a descendência de você numerosa como as estrelas do céu, e darei a seus descendentes todas estas terras. Por meio da sua descendência, serão abençoadas todas as nações da terra,
5. porque Abraão me obedeceu, observou meus preceitos e mandamentos, meus estatutos e leis".
6. Então Isaac ficou em Gerara.
7. Os homens do lugar perguntaram a Isaac sobre Rebeca. Isaac respondeu: "É minha irmã". Ele ficou com medo de dizer que era sua mulher, pois pensava: "Os homens deste lugar me matarão por causa de Rebeca, pois ela é muito bonita".
8. Isaac se encontrava aí já fazia muito tempo, quando Abimelec, rei dos filisteus, olhou certo dia pela janela e viu Isaac acariciando a esposa Rebeca.
9. Abimelec chamou Isaac e disse: "É claro que ela é sua mulher! Por que você disse que é sua irmã?" Isaac respondeu: "Porque pensei que iam me matar por causa dela".
10. Abimelec continuou: "Por que você fez isso? Por pouco alguém do povo dormiria com sua mulher, e você nos tornaria todos culpados!"
11. Então Abimelec deu esta ordem a todo o povo: "Quem tocar neste homem ou em sua mulher, morrerá".

A LUTA PELA ÁGUA
12. Isaac semeou aquela terra e, nesse ano, colheu o cêntuplo. Javé o abençoou
13. e ele foi ganhando muito, até ficar bem rico.
14. Tinha rebanhos de bois e ovelhas e numerosos servos. Por causa disso, os filisteus ficaram com inveja.
15. Os filisteus haviam entulhado e coberto de terra todos os poços que os servos de Abraão, pai de Isaac, haviam cavado no tempo de Abraão.
16. Abimelec disse a Isaac: "Vá embora daqui, porque você ficou mais poderoso do que nós".
17. Isaac foi embora dali, acampou no vale de Gerara, e aí se estabeleceu.
18. Cavou de novo os poços que os servos de seu pai Abraão haviam cavado e que os filisteus tinham entulhado depois da morte de Abraão, e lhes deu os mesmos nomes que seu pai lhes havia dado.
19. Os servos de Isaac cavaram no vale e encontraram aí uma fonte.
20. Mas os pastores de Gerara brigaram com os pastores de Isaac, dizendo: "Essa água é nossa!" Isaac então chamou esse poço de Desafio, pois brigavam por causa dele.
21. Cavaram outro poço, e também acabaram brigando por causa dele. A este Isaac deu o nome de Rivalidade.
22. Então partiu daí e cavou outro poço; e, como não houve briga por causa deste, deu-lhe o nome de Campo Livre, dizendo: "Agora Javé nos deu o campo livre para que prosperemos na terra".
23. Daí, Isaac subiu para Bersabéia.
24. Nessa noite, Javé apareceu a ele e disse: "Eu sou o Deus do seu pai Abraão. Não tenha medo, pois estou com você. Eu o abençoarei, e multiplicarei seus descendentes, em atenção ao meu servo Abraão".
25. Isaac levantou aí um altar, invocou o nome de Javé, e armou sua tenda. E seus servos começaram a cavar um poço.
26. Abimelec, juntamente com Ocozat, seu conselheiro, e Ficol, chefe do seu exército, foi de Gerara para visitar Isaac.
27. E Isaac lhes disse: "O que vocês vieram fazer aqui? Vocês me odeiam e me expulsaram".
28. Eles responderam: "Vimos que Javé está com você, e combinamos fazer um juramento e uma aliança entre nós e você.
29. Jure que não nos fará nenhum mal, assim como nós não o tratamos mal e o deixamos partir em paz. Agora você é um abençoado de Javé".
30. Isaac preparou um banquete; comeram e beberam.
31. Levantaram-se de madrugada e fizeram um juramento mútuo. Depois Isaac os despediu, e eles o deixaram em paz.
32. Nesse dia, os servos de Isaac lhe levaram notícias do poço que haviam cavado, e disseram: "Encontramos água".
33. Isaac deu ao poço o nome de Seba, de onde vem o nome Bersabéia, até o dia de hoje.
34. Quando Esaú completou quarenta anos, tomou como esposas Judite, filha de Beeri, o heteu, e Basemat, filha de Elon, o heteu.
35. Elas se tornaram amargura para Isaac e Rebeca.

[Gênesis 27]Gênesis 27



JACÓ ROUBA A BÊNÇÃO DE ESAÚ
1. Isaac ficou velho, e seus olhos se enfraqueceram, a ponto de não enxergar mais nada. Então chamou Esaú, seu filho mais velho: "Meu filho!" Esaú respondeu: "Estou aqui".
2. Isaac continuou: "Veja! Estou velho e não sei quando vou morrer.
3. Agora, pegue suas armas, suas flechas e o arco, vá ao campo e traga-me alguma caça.
4. Prepare-me um bom prato, do jeito que eu gosto, e traga-me para que eu coma, e antes de morrer eu abençoe você".
5. Rebeca ouviu tudo o que Isaac falava com seu filho Esaú. E Esaú saiu para o campo a fim de caçar alguma coisa para seu pai.
6. Rebeca disse a seu filho Jacó: "Ouvi seu pai dizer a seu irmão Esaú:
7. 'Traga-me alguma caça e faça-me um bom prato, para eu comer e abençoar você diante de Javé, antes de morrer'.
8. Agora, escute-me e faça o que eu mandar.
9. Vá ao rebanho e me traga dois cabritos gordos. Vou preparar para seu pai um prato do jeito que ele gosta.
10. Depois você levará o prato a seu pai, para ele comer e abençoar você antes de morrer".
11. Jacó disse à sua mãe Rebeca: "Mas meu irmão Esaú é peludo e minha pele é lisa!
12. Se meu pai me tocar, ele vai perceber que eu quis enganá-lo e, em vez de bênção, atrairei maldição sobre mim".
13. Mas sua mãe lhe respondeu: "Meu filho, que a maldição dele caia sobre mim. Obedeça-me, vá e traga os cabritos".
14. Jacó foi buscar os cabritos e os levou para sua mãe. Ela preparou um bom prato, do jeito que o pai gostava.
15. Rebeca pegou as melhores roupas que Esaú, o filho mais velho, tinha em casa, e com elas vestiu Jacó, seu filho mais novo.
16. Então cobriu-lhe os braços e a parte lisa do pescoço com a pele dos cabritos.
17. Depois colocou nas mãos do seu filho Jacó o pão e o prato que ela havia preparado.
18. Então Jacó foi até seu pai e disse: "Pai!" Isaac respondeu: "Aqui estou. Quem é você, meu filho?"
19. Jacó respondeu ao pai: "Sou Esaú, seu primogênito. Fiz o que o senhor me mandou. Levante-se, sente-se e coma da minha caça. Depois, o senhor me abençoará".
20. Isaac disse a Jacó: "Como você encontrou a caça depressa, meu filho!" Jacó respondeu: "É que Javé, o seu Deus, a colocou ao meu alcance".
21. Isaac disse a Jacó: "Aproxime-se, meu filho, para que eu o apalpe e veja se você é ou não o meu filho Esaú".
22. Jacó aproximou-se de seu pai Isaac, que o apalpou e disse: "A voz é de Jacó, mas os braços são de Esaú".
23. Isaac não reconheceu Jacó, porque os braços dele estavam peludos como os de seu irmão Esaú. Então ele o abençoou.
24. E voltou a lhe perguntar: "Você é o meu filho Esaú?" Jacó respondeu: "Sou".
25. Isaac continuou: "Sirva a caça, meu filho, para que eu coma e depois o abençoe". Jacó o serviu e Isaac comeu; apresentou-lhe vinho, e ele bebeu.
26. Então seu pai Isaac lhe disse: "Meu filho, aproxime-se e me beije".
27. Jacó se aproximou e beijou o pai, que lhe aspirou o perfume das roupas. E o abençoou, dizendo: "Sim, o perfume do meu filho é como o perfume de um campo fértil que Javé abençoou.
28. Que Deus dê a você o orvalho do céu e a fertilidade da terra, trigo e vinho em abundância.
29. Que os povos o sirvam e as nações se prostrem diante de você. Seja um senhor para seus irmãos, e os filhos de sua mãe se prostrem diante de você. Maldito seja quem amaldiçoar você; e bendito seja quem o abençoar".


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal