Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


No desfiladeiro, que Jônatas procurava atravessar para chegar até a guarnição filistéia, havia dois morros: um se chamava Boses e o outro Sene. 5



Baixar 5.7 Mb.
Página40/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   36   37   38   39   40   41   42   43   ...   197

4. No desfiladeiro, que Jônatas procurava atravessar para chegar até a guarnição filistéia, havia dois morros: um se chamava Boses e o outro Sene.
5. O primeiro morro fica ao norte e o outro ao sul; o primeiro olha para Macmas, o segundo para Gaba.
6. Jônatas disse ao seu escudeiro: "Vamos até o lugar onde estão esses incircuncisos. Quem sabe Javé faça alguma coisa por nós, pois nada impede que Javé nos dê a vitória, não importa se somos muitos ou poucos".
7. O escudeiro respondeu: 'Faça o que você quiser; estou à sua disposição".
8. Jônatas disse: "Veja! Vamos na direção deles e deixaremos que nos vejam.
9. Se nos disserem: 'Não se movam até que cheguemos perto', então ficaremos parados e não avançaremos até eles.
10. Mas se nos disserem: 'Subam até aqui', então subiremos, porque Javé os está entregando em nossas mãos. Esse será o sinal".
11. Os dois deixaram que a guarnição filistéia os visse, e os filisteus comentaram: "Vejam! Alguns hebreus saíram das cavernas, onde estavam escondidos!"
12. Os da guarnição disseram a Jônatas e seu escudeiro: "Subam até aqui. Temos uma coisa para lhes contar". Então Jônatas disse ao escudeiro: "Fique atrás de mim, porque Javé os entregou nas mãos de Israel".
13. Jônatas subiu rastejando e seu escudeiro o seguiu. Jônatas os feria, e o escudeiro acabava de matá-los.
14. Foi a primeira matança que Jônatas e seu escudeiro realizaram: cerca de vinte homens, em pequeno espaço de terreno.
15. O terror se espalhou no acampamento, na região e em toda a tropa filistéia. A guarnição e os comandos de ataque ficaram com medo, a terra tremeu, e houve grande pânico.
16. As sentinelas de Saul, que estavam em Gaba de Benjamim, perceberam que o exército fugia em debandada.
17. Então Saul ordenou à sua tropa: "Passem revista à tropa e vejam quem está ausente". Passaram revista na tropa e estavam faltando Jônatas e seu escudeiro.
18. Saul ordenou a Aías: "Pegue o efod". Porque nessa época era Aías quem levava o efod em Israel.
19. Enquanto Saul falava com o sacerdote, crescia cada vez mais a confusão no acampamento dos filisteus. Então Saul disse ao sacerdote: "Retire sua mão".
20. Saul e toda a tropa que estava com ele se reuniram e foram para o campo de batalha. Os filisteus desembainhavam a espada uns contra outros, e a confusão era muito grande.
21. Então os hebreus que estavam a serviço dos filisteus e tinham subido com eles para o acampamento, desertaram e aderiram a Israel, ficando ao lado de Saul e Jônatas.
22. E todos os israelitas, que se haviam escondido na região montanhosa de Efraim, ouvindo a notícia de que os filisteus estavam fugindo, também começaram a persegui-los e combatê-los.
23. Nesse dia, Javé deu a vitória a Israel. O combate se estendeu até além de Bet-Áven.
24. O povo de Israel já estava exausto nesse dia, e Saul pronunciou esta maldição: "Maldito seja quem comer alguma coisa antes da tarde, antes que eu me vingue dos meus inimigos". E ninguém comeu nada.
25. Ora, no campo havia um favo de mel.
26. A tropa chegava perto do favo, via o mel escorrendo, mas ninguém o tocava, nem levava à boca, porque tinham medo do juramento que Saul havia feito.
27. Jônatas, porém, não sabia do juramento com que seu pai tinha comprometido à tropa. Levantou a vara que tinha consigo, espetou-a no favo e o levou à boca. Imediatamente sua vista melhorou.
28. Mas alguém do grupo viu o que ele tinha feito, e disse: "Seu pai obrigou o povo com juramento, amaldiçoando quem comesse qualquer coisa hoje".
29. Jônatas exclamou: "Meu pai quer arruinar o país! Vejam como meus olhos estão mais claros por ter provado um pouco desse mel".
30. Se a tropa tivesse comido hoje dos despojos que tomou dos inimigos, a derrota dos filisteus teria sido muito maior".
31. Nesse dia, os filisteus foram perseguidos desde Macmas até Aialon. Mas a tropa estava exausta.
32. Então a tropa se atirou sobre os despojos, pegou ovelhas, vacas e bezerros e os degolou ali mesmo no chão. E os comeram com sangue.
33. Foram então avisar Saul: "A tropa está cometendo um pecado contra Javé, porque está comendo carne com sangue". Saul respondeu: "Vocês foram infiéis! Rolem para cá uma grande pedra".
34. E acrescentou: "Espalhem-se no meio da tropa e digam para cada um trazer aqui seu boi ou sua ovelha; imolem os animais aqui e depois os comam. Mas não pequem contra Javé, comendo carne com sangue". Ao anoitecer, cada um levou o que tinha, e Saul imolou os animais nesse lugar.
35. E Saul construiu um altar para Javé, e foi esse o primeiro altar que ele construiu para Javé.
36. Depois disse: "Vamos descer, durante a noite, para perseguir os filisteus, e os saquearemos até o amanhecer; não vamos deixar nenhum sobrevivente". Os da tropa responderam: "Faça o que achar melhor". O sacerdote propôs: "Vamos aproximar-nos para consultar a Deus".
37. E Saul consultou a Deus: "Devo descer para perseguir os filisteus? Tu os entregarás em poder de Israel?" Nesse dia, porém, não houve resposta.
38. Então Saul ordenou: "Chefes do povo, aproximem-se. Vamos ver quem foi que cometeu hoje algum pecado.
39. Pela vida de Javé que dá a vitória a Israel, mesmo que tenha sido meu filho Jônatas, ele morrerá". Ninguém disse nada.
40. Saul falou a todo Israel: "Fiquem de um lado. Eu e meu filho Jônatas ficaremos do outro lado". E a tropa respondeu a Saul: "Faça o que achar melhor".
41. Então Saul consultou a Javé, Deus de Israel: "Por que não respondes hoje a teu servo? Javé, Deus de Israel, se eu e meu filho Jônatas somos culpados, que saia Urim. Se a falta foi cometida pela tropa de Israel, que saia Tumim". A sorte caiu em Jônatas e Saul, e a tropa ficou livre.
42. Saul disse então: "Lancem a sorte entre mim e o meu filho Jônatas". E a sorte caiu em Jônatas.
43. Então Saul disse a Jônatas: "Conte-me o que foi que você fez". Jônatas respondeu: "Somente provei um pouco de mel com a ponta da vara que levava na mão. Estou pronto para morrer".
44. Saul lhe disse: "Que Deus me castigue, se você não morrer, Jônatas!"
45. Mas a tropa disse a Saul: "Como vai morrer Jônatas, ele que proporcionou essa grande vitória para Israel? De jeito nenhum. Pela vida de Javé, não cairá um só fio da cabeça de Jônatas, porque foi por Deus que ele pôde fazer hoje o que fez". Desse modo, a tropa salvou a vida de Jônatas.
46. Saul parou de perseguir os filisteus, e estes voltaram para o seu território.
47. Depois de ser proclamado rei de Israel, Saul lutou contra todos os inimigos vizinhos: Moab, os amonitas, Edom, o rei de Soba e os filisteus. E saiu vitorioso em todas as suas campanhas.
48. Realizou proezas de valentia, derrotou os amalecitas e livrou Israel de seus opressores.
49. Os filhos de Saul eram Jônatas, Jesui e Melquisua. Tinha também duas filhas: a mais velha se chamava Merob, e a caçula era Micol.
50. A mulher de Saul se chamava Aquinoam, filha de Aquimaás. O chefe do seu exército era Abner, filho de Ner, tio de Saul.
51. Cis, pai de Saul, e Ner, pai de Abner, eram filhos de Abiel.
52. Durante todo o reinado de Saul, houve guerra aberta contra os filisteus. E Saul requisitava todos os bravos e valentes que conhecia.

[I Samuel 15]I Samuel 15



A TENTAÇÃO DE SE JUSTIFICAR IDEOLOGICAMENTE
1. Samuel disse a Saul: "Javé me enviou para ungir você como rei sobre seu povo Israel. Agora, pois, escute as palavras de Javé:
2. 'Assim diz Javé dos exércitos: Vou pedir contas a Amalec pelo que ele fez contra Israel, cortando-lhe o caminho, quando Israel subia do Egito.
3. Agora, vá, ataque, e condene ao extermínio tudo o que pertence a Amalec. Não tenha piedade: mate homens e mulheres, crianças e recém-nascidos, bois e ovelhas, camelos e jumentos' ".
4. Saul convocou a tropa e a revistou em Telém: eram duzentos mil na infantaria e dez mil homens de Judá.
5. Saul avançou até a cidade de Amalec e armou emboscada no vale.
6. Mandou esta mensagem aos quenitas: "Fujam e se afastem dos amalecitas, para não serem destruídos com eles, porque vocês foram amáveis com os israelitas, quando subiam do Egito". Então os quenitas se afastaram dos amalecitas.
7. Saul derrotou os amalecitas desde Hévila até Sur, que fica na fronteira do Egito.
8. Capturou vivo Agag, rei dos amalecitas, e passou a fio de espada todo o povo, para cumprir a lei do extermínio.
9. Contudo, Saul e sua tropa pouparam Agag e o que havia de melhor em ovelhas e vacas, o gado mais gordo e os cordeiros. Não incluíram no extermínio o que havia de melhor; exterminaram apenas o que não valia nada.
10. Javé dirigiu a palavra a Samuel, dizendo:
11. "Estou arrependido de ter feito Saul rei, porque ele se afastou de mim e não executou as minhas ordens". Então Samuel ficou triste e suplicou a Javé a noite inteira.
12. De manhã, Samuel madrugou e foi ao encontro de Saul. Informaram a Samuel que Saul tinha ido a Carmel, para aí construir um monumento para si, e que depois tinha ido para Guilgal.
13. Samuel se apresentou a Saul, que lhe disse: "Que Javé abençoe você. Eu cumpri a ordem de Javé".
14. Mas Samuel lhe perguntou: "E o que são esses balidos e mugidos que estou ouvindo?"
15. Saul respondeu: "Nós os trouxemos de Amalec. A tropa deixou com vida as melhores ovelhas e vacas para oferecer em sacrifício a Javé seu Deus. Quanto ao resto, exterminamos tudo".
16. Samuel, porém, disse a Saul: "Cale-se! Deixe-me contar a você o que Javé me revelou esta noite". Saul respondeu: "Pode falar".
17. Samuel disse: "Embora se considere pequeno, você é o chefe das tribos de Israel, porque Javé ungiu você como rei de Israel.
18. Ele enviou você nessa expedição e ordenou: 'Vá e extermine completamente esses amalecitas pecadores, combatendo-os até acabar com eles'.
19. Por que você não obedeceu a Javé? Por que se apoderou dos despojos, fazendo o que Javé reprova?"
20. Saul respondeu a Samuel: "Mas eu obedeci a Javé! Fiz a expedição para a qual ele me enviou, trouxe Agag, rei de Amalec, e cumpri a lei do extermínio contra os amalecitas.
21. E se a tropa reteve ovelhas e vacas dos despojos, o melhor daquilo que deveria ser exterminado, foi para sacrificar a Javé seu Deus em Guilgal".
22. Samuel, porém, replicou: "O que é que Javé prefere? Que lhe ofereçam holocaustos e sacrifícios, ou que obedeçam à sua palavra? Obedecer vale mais do que oferecer sacrifícios. Ser dócil é mais importante do que a gordura de carneiros.
23. A rebelião é um pecado de feitiçaria, e a obstinação é um crime de idolatria. Você rejeita a palavra de Javé. Por isso, ele rejeita você como rei".
24. Então Saul disse a Samuel: "Pequei. Desobedeci a ordem de Javé e o que você mandou. Fiquei com medo da tropa e obedeci a ela.
25. Agora, porém, perdoe meu pecado, venha comigo e eu adorarei a Javé".
26. Mas Samuel respondeu: "Não voltarei com você. Porque você rejeitou a palavra de Javé, Javé rejeita você como rei de Israel".
27. Quando Samuel se virou para partir, Saul agarrou a barra do manto dele, rasgando o manto.
28. Samuel lhe disse: "Javé arranca hoje de você o reinado sobre Israel e o entrega a outro mais digno do que você.
29. O esplendor de Israel não mente, nem se arrepende, porque não é homem para se arrepender".
30. Saul respondeu: "Está certo, eu pequei. Mas agora, salve minha honra diante dos anciãos do povo e de Israel. Volte comigo, para que eu adore Javé seu Deus".
31. Então Samuel voltou em companhia de Saul, e este adorou a Javé.
32. Depois Samuel disse: "Tragam-me Agag, o rei dos amalecitas". Agag se aproximou tremendo, e disse: "É a hora amarga da morte!"
33. Samuel lhe disse: "Assim como sua espada deixou muitas mães sem filhos, também sua mãe ficará entre elas sem o seu filho". E Samuel degolou Agag diante de Javé, em Guilgal.
34. Depois Samuel voltou para Ramá. E Saul foi para sua casa, em Gabaá de Saul.
35. Enquanto viveu, Samuel nunca mais viu Saul. Contudo, Samuel chorava por Saul, porque Javé se havia arrependido de ter feito Saul rei de Israel.

[I Samuel 16]III. SAUL E DAVI: COMPETIÇÃO PELA SUPREMACÍA



1. DAVI ENTRA NA CORTE

I Samuel 16

JAVÉ OLHA O CORAÇÃO
1. Javé disse a Samuel: "Até quando você vai ficar lamentando Saul? Fui eu mesmo que o rejeitei como rei de Israel. Encha a vasilha de óleo. Ordeno que você vá ter com a família de Jessé, o belemita, porque eu escolhi um rei entre os filhos dele".
2. Samuel replicou: "Como posso ir? Saul me matará, se ficar sabendo!" Javé, porém, disse: "Leve um bezerro, e diga que foi fazer um sacrifício para Javé.
3. Convide Jessé para o sacrifício e eu mostrarei o que você deverá fazer; você ungirá para mim aquele que eu apontar".
4. Samuel fez o que Javé mandou. Quando chegou a Belém, os anciãos da cidade foram ansiosos ao seu encontro, e perguntaram: "Você está vindo em missão de paz?"
5. Samuel respondeu: "Sim. Eu vim para oferecer um sacrifício a Javé. Purifiquem-se e venham comigo para o sacrifício". Samuel purificou Jessé e seus filhos e os convidou para o sacrifício.
6. Quando chegou, Samuel viu Eliab e pensou: "Certamente é esse que Javé quer ungir!"
7. Javé, porém, disse a Samuel: "Não se impressione com a aparência ou estatura dele. Não é esse que eu quero, porque Deus não vê como o homem, porque o homem olha as aparências, e Javé olha o coração".
8. Jessé chamou Abinadab e o apresentou a Samuel. E Samuel disse: "Também não foi esse que Javé escolheu".
9. Jessé apresentou Sama, mas Samuel disse: "Também não foi esse que Javé escolheu".
10. Jessé apresentou a Samuel sete dos seus filhos. E Samuel respondeu: "Não foi nenhum desses que Javé escolheu".
11. Então Samuel perguntou a Jessé: "Estão aqui todos os seus filhos?" Jessé respondeu: "Falta o menor. Ele está tomando conta do rebanho". Então Samuel disse a Jessé: "Mande buscá-lo, porque não nos sentaremos à mesa enquanto ele não chegar".
12. Jessé mandou chamá-lo e o fez entrar: era ruivo, seus olhos eram belos, e tinha boa aparência. E Javé disse: "Levante-se e unja o rapaz, porque é esse".
13. Samuel pegou a vasilha de óleo e ungiu o rapaz na presença dos irmãos. Desse dia em diante, o espírito de Javé permaneceu sobre Davi. Depois Samuel voltou para Ramá.

DAVI SERVE E DOMINA SAUL
14. O espírito de Javé afastou-se de Saul, e ele começou a ficar agitado por um espírito mau, enviado por Javé.
15. Então os servos de Saul lhe disseram: "Você está sendo agitado por um espírito mau enviado por Deus.
16. Dê uma ordem, e nós, seus servos, vamos procurar alguém que saiba tocar harpa; desse modo, quando o espírito mau enviado por Deus o atormentar, alguém tocará para você, e você se sentirá melhor".
17. Então Saul ordenou: "Procurem alguém que saiba tocar bem e o tragam para mim".
18. Um dos servos disse: "Conheço um filho do belemita Jessé. Ele sabe tocar e é valente guerreiro. Além disso, fala bem, é de boa aparência e Javé está com ele".
19. Então Saul enviou mensageiros a Jessé com esta ordem: "Mande-me o seu filho Davi, que está com o rebanho".
20. Jessé pegou cinco pães, uma vasilha com vinho e um cabrito, e mandou seu filho Davi levar tudo a Saul.
21. Davi chegou ao palácio e se apresentou a Saul; o rei ficou muito bem impressionado com ele, e o tornou seu escudeiro.
22. E Saul mandou dizer a Jessé: "Davi ficará a meu serviço, porque eu gosto dele".
23. Todas as vezes que o espírito de Deus atacava Saul, Davi pegava a harpa e tocava. Então Saul se acalmava, sentia-se melhor, e o espírito mau o deixava.

[I Samuel 17]I Samuel 17



DAVI E GOLIAS: O FRACO VENCE O PODEROSO
1. Os filisteus reuniram suas tropas para a guerra e se concentraram em Soco de Judá, e acamparam em Efes-Domim, entre Soco e Azeca.
2. Saul e os israelitas se reuniram e acamparam no vale do Terebinto, e se puseram em ordem de batalha contra os filisteus.
3. Os filisteus se colocaram na encosta da montanha, enquanto os israelitas ficaram na encosta de outra montanha, de modo que havia entre eles um vale.
4. Saiu então do exército filisteu um guerreiro enorme chamado Golias, de Gat, com quase três metros de altura.
5. Tinha na cabeça um capacete de bronze, vestia um colete de malha de bronze que pesava mais de cinqüenta quilos,
6. usava perneiras de bronze e tinha nos ombros um escudo de bronze.
7. A haste de sua lança era como travessa de tear, e a ponta da lança pesava seis quilos. Seu escudeiro ia na frente.
8. Golias postou-se na frente das fileiras de Israel e gritou: "Por que vocês saíram para lutar? Eu sou filisteu, e vocês são escravos de Saul. Escolham alguém para lutar comigo.
9. Se ele for mais forte e me derrotar, seremos escravos de vocês. Se eu for mais forte e o vencer, vocês serão nossos escravos e servirão a nós".
10. E continuou: "Estou desafiando hoje o exército de Israel! Apresentem alguém, e lutaremos corpo a corpo!"
11. Saul e os israelitas ouviram o desafio do filisteu e ficaram cheios de medo.
12. Davi era filho de um efrateu de Belém de Judá, chamado Jessé, que tinha oito filhos. No tempo de Saul, Jessé era velho, de idade avançada.
13. Os três filhos mais velhos tinham-se alistado para a guerra, seguindo a Saul. O primeiro se chamava Eliab, o segundo Abinadab, e o terceiro Sama.
14. Davi era o caçula. Os três mais velhos foram com Saul,
15. e Davi ia e vinha do serviço de Saul para cuidar do rebanho de seu pai em Belém.
16. O filisteu avançava de manhã e de tarde, e assim se apresentou durante quarenta dias.
17. Jessé disse ao seu filho Davi: "Pegue estas três arrobas de grão torrado e estes dez pães, e leve-os para seus irmãos no acampamento.
18. Leve também estes dez queijos para o comandante. Veja como está a saúde de seus irmãos e me traga uma prova de que estão vivos.
19. Eles estão com Saul e os israelitas, combatendo os filisteus no vale do Terebinto".
20. Davi se levantou de madrugada, deixou o rebanho aos cuidados de um guarda, pegou a carga e partiu, como Jessé lhe havia ordenado. Quando chegou perto das trincheiras, o exército estava saindo para tomar posição e lançava o grito de guerra.
21. Israelitas e filisteus entraram em formação, frente a frente.
22. Davi deixou a carga com o bagageiro, correu para a linha de batalha e perguntou aos irmãos se estavam bem.
23. Enquanto conversava com eles, o guerreiro filisteu chamado Golias, de Gat, saiu das fileiras do exército filisteu e fez o desafio. Davi ouviu tudo.
24. E os israelitas, quando viram o homem, fugiram apavorados.
25. Um israelita disse: "Vocês viram aquele homem que subiu? Ele veio para desafiar Israel. A quem o vencer, o rei encherá de riquezas e lhe dará sua filha, além de deixar sua família livre de impostos em Israel".
26. Então Davi perguntou aos que estavam com ele: "E o que vão dar ao homem que vencer esse filisteu e salvar a honra de Israel? Quem é esse filisteu incircunciso para desafiar o exército do Deus vivo?"
27. Os soldados repetiram para Davi o que já haviam dito: "Quem o vencer receberá tal prêmio".
28. Eliab, o irmão mais velho, ouviu Davi falando com os soldados e ficou bravo: "O que é que você veio fazer aqui? Com quem você deixou aquelas poucas ovelhas no deserto? Sei que você é metido e tem malícia no coração: você veio só para assistir à batalha!"
29. Davi respondeu: "Mas o que foi que eu fiz? Será que não se pode fazer uma pergunta?"
30. Separou-se do irmão, dirigiu-se a outra pessoa, fez a mesma pergunta, e todos lhe deram a mesma resposta.
31. Quando se soube o que Davi tinha falado, contaram a Saul, e o rei o chamou.
32. Davi disse a Saul: "Ninguém deve ficar desanimado. Este seu servo irá lutar com o tal filisteu!"
33. Saul respondeu a Davi: "Você não pode lutar com o filisteu! Você é apenas um rapaz! Ele é guerreiro desde a juventude!"
34. Davi replicou: "Seu servo é pastor das ovelhas de meu pai. Se chega um leão ou urso e agarra uma ovelha do rebanho,
35. eu vou atrás, o ataco e arranco a ovelha de sua goela; se ele me ataca, eu o agarro pela juba e o mato a pauladas.
36. Seu servo é capaz de matar leões e ursos. Pois bem: esse filisteu incircunciso, que desafiou o exército do Deus vivo, será como um deles".
37. E Davi acrescentou: "Javé me livrou das garras do leão e do urso. Ele me livrará também das mãos desse filisteu". Então Saul lhe disse: "Vá. E que Javé esteja com você!"
38. Saul vestiu Davi com sua própria armadura, colocou-lhe na cabeça um capacete de bronze, revestiu-o com a sua couraça,
39. e pôs a espada na cintura dele, sobre a armadura. Em vão Davi tentou andar, pois nunca tinha usado nada disso. Então falou a Saul: "Não consigo nem andar com essas coisas. Não estou acostumado". Tirou tudo,
40. pegou o cajado, escolheu cinco pedras bem lisas no riacho e as colocou no seu bornal. Depois pegou a funda e foi ao encontro do filisteu.
41. O filisteu, tendo na frente o escudeiro, foi se aproximando cada vez mais de Davi.
42. Olhou Davi de alto a baixo e o desprezou, porque era jovem. Além disso, ruivo e de bela aparência.
43. O filisteu disse a Davi: "Será que sou um cão, para você vir ao meu encontro com um pedaço de pau?" Depois invocou seus deuses para amaldiçoar Davi.
44. E disse: "Venha cá. Vou dar sua carne para as aves do céu e os animais do campo!"
45. Mas Davi replicou: "Você vem contra mim armado de espada, lança e escudo. E eu vou contra você em nome de Javé dos exércitos, o Deus do exército de Israel, que você desafiou.
46. Hoje mesmo Javé entregará você em minhas mãos: vou ferir você e arrancarei a sua cabeça; hoje mesmo vou entregar seu cadáver e os cadáveres do exército dos filisteus para as aves do céu e os animais do campo. Desse modo, toda a terra saberá que existe um Deus em Israel.
47. Toda essa multidão saberá que não é com espada e lança que Javé sai vitorioso, porque se trata de uma guerra de Javé, e ele entregará vocês em nossas mãos".
48. Enquanto o filisteu se aprumava e se aproximava de Davi pouco a pouco, Davi correu depressa para se posicionar e enfrentar o filisteu.
49. Davi enfiou a mão no bornal, pegou uma pedra, atirou-a com a funda e acertou na testa do filisteu. A pedra afundou na testa do filisteu, que caiu de bruços no chão.
50. Assim Davi foi mais forte que o filisteu, apenas com uma funda e uma pedra: sem espada na mão, feriu e matou o filisteu.
51. Davi correu, parou diante do filisteu, pegou a espada dele, a desembainhou e com ela acabou de matá-lo, cortando-lhe a cabeça. Quando os filisteus viram morto o herói deles, bateram em retirada.
52. Os homens de Israel e Judá se levantaram, deram o grito de guerra e se puseram a perseguir os filisteus até a entrada de Gat e até às portas de Acaron. Cadáveres de filisteus foram caindo por terra no caminho de Saarim, até Gat e Acaron.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   36   37   38   39   40   41   42   43   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal