Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página42/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   38   39   40   41   42   43   44   45   ...   197

19. Algumas pessoas de Zif foram a Gabaá para contar a Saul: "Davi está escondido entre nós, entre os refúgios de Horesa, na colina de Áquila, ao sul da estepe.
20. Agora, majestade, quando o senhor quiser descer, desça. Cabe a nós entregá-lo nas mãos do rei".
21. Saul respondeu: "Javé lhes pague por se interessarem por mim.
22. Podem ir. Investiguem melhor. Procurem saber e ver o lugar por onde ele anda. Alguém chegou a vê-lo por aí? Porque me disseram que ele é muito esperto!
23. Procurem ver e saber sobre todos os refúgios onde ele se esconde. Depois voltem para mim, quando estiverem bem seguros. Então eu irei com vocês: se ele estiver no país, vou revirar todos os clãs de Judá até encontrá-lo".
24. Eles então partiram para Zif, na frente de Saul. Davi e seus homens estavam no deserto de Maon, na Arabá, ao sul da estepe.
25. Saul e seus homens foram à procura de Davi. Ao ser informado, Davi desceu para Sela e ficou morando no deserto de Maon. Saul soube e foi atrás de Davi no deserto de Maon.
26. Saul ia por um lado da montanha, enquanto Davi e seus homens iam pelo outro lado. Davi apertava o passo para escapar de Saul. E Saul com seus homens já estavam rodeando Davi e seus homens para cercá-los,
27. quando chegou um mensageiro para Saul, levando esta notícia: "Venha depressa, porque os filisteus fizeram uma incursão contra o país".
28. Então Saul parou de perseguir Davi e voltou para enfrentar os filisteus. É por isso que deram a esse lugar o nome de Rocha da Divisão.

[I Samuel 24]I Samuel 24



DAVI NÃO USURPA O PODER
1. Davi saiu daí e foi abrigar-se nos esconderijos de Engadi.
2. Quando Saul voltou da perseguição aos filisteus, foi avisado: "Davi está no deserto de Engadi".
3. Saul pegou três mil homens escolhidos de todo o Israel e foi à procura de Davi e seus homens, junto às Rochas das Cabras.
4. Chegou junto a uns currais de ovelhas que estavam perto do caminho. Aí havia uma caverna, e Saul entrou nela para fazer suas necessidades. Davi e seus homens estavam no fundo da caverna.
5. E os companheiros de Davi lhe disseram: "Hoje é o dia em que Javé diz a você: Eu lhe entrego seu inimigo; faça com ele o que você quiser". Davi levantou-se e cortou um pedaço da barra do manto de Saul, sem que este percebesse.
6. Depois de fazer isso, Davi sentiu o coração bater forte por ter cortado um pedaço da barra do manto de Saul.
7. Depois disse a seus homens: "Javé me livrou de fazer isso ao meu senhor, de levantar a mão contra ele, porque é o ungido de Javé".
8. Com essas palavras, Davi conteve seus homens e impediu que atacassem Saul. Então Saul deixou a gruta e continuou o seu caminho.
9. Foi quando Davi se levantou, saiu da gruta e gritou: "Senhor, meu rei!" Saul virou-se, e Davi se inclinou até o chão e se prostrou.
10. Depois disse a Saul: "Por que você dá ouvidos a esses que andam dizendo que Davi lhe quer fazer mal?
11. Veja com seus próprios olhos: hoje mesmo Javé me entregou você dentro da caverna. Disseram-me para matá-lo, mas eu o respeitei e falei que não estenderia a mão contra o meu senhor, porque você é o ungido de Javé.
12. Meu pai, olhe aqui em minha mão um pedaço do seu manto; se eu lhe cortei a barra do manto e não o matei, reconheça que não sou maldoso nem traidor. Embora você me persiga para me matar, eu não pequei contra você.
13. Que Javé seja nosso juiz. Ele poderá me vingar de você, mas contra você minha mão jamais se levantará.
14. Como diz o antigo provérbio: 'Dos maus vem a maldade'. E a minha mão não se levantará contra você.
15. Contra quem saiu o rei de Israel? A quem está perseguindo? A um cão morto, a uma pulga!
16. Que Javé seja juiz entre nós e dê a sentença. Que ele veja e defenda a minha causa, livrando-me das mãos de você".
17. Quando Davi terminou de falar, Saul exclamou: "É você mesmo que está falando, meu filho Davi?" E começou a gritar e chorar.
18. Depois disse a Davi: "Você é inocente, e eu não. Você me fez o bem, e eu lhe fiz o mal.
19. Hoje você me fez o maior favor, pois Javé me entregou a você, e você não me matou.
20. Se alguém encontra um inimigo, será que vai deixá-lo ir em paz? Que Javé lhe pague o bem que você me fez hoje.
21. Agora eu sei que você será rei, e que o reino de Israel se firmará em sua mão.
22. Pois bem! Jure-me, por Javé, que não exterminará minha descendência e não fará desaparecer o meu nome e o nome da minha família".
23. Então Davi fez o juramento a Saul. Depois Saul voltou para casa, e Davi com seus homens subiram para o esconderijo.

[I Samuel 25]I Samuel 25



O BOM SENSO DE UMA MULHER
1. Samuel morreu. Todo o Israel se reuniu e fez luto por ele e o sepultou junto aos seus em Ramá. Davi continuou suas andanças e desceu para o deserto de Farã.
2. Em Maon havia um homem que tinha propriedades em Carmel; era homem muito importante e possuía três mil ovelhas e mil cabras. Nessa ocasião, ele estava em Carmel, tosquiando suas ovelhas.
3. Ele se chamava Nabal, e sua mulher, Abigail. Ela era mulher sensata e muito bonita, mas o marido era intratável e prepotente; era um calebita.
4. No deserto, Davi soube que Nabal estava tosquiando as ovelhas.
5. Mandou então dez moços, dizendo-lhes: "Subam até Carmel, apresentem-se a Nabal e o saúdem em meu nome
6. deste modo: 'Saudações. A paz esteja com você, com a sua família e com tudo o que você possui.
7. Eu soube que você está fazendo a tosquia do seu rebanho. Pois bem. Pastores seus estiveram entre nós; e nós não os incomodamos, nem lhes foi tirado nada enquanto estiveram em Carmel.
8. Pergunte a seus rapazes, e eles confirmarão o que estou dizendo. Atenda bem estes moços, porque é um dia de festa para nós. Por favor, dê para estes seus servos e para Davi o que você tem à mão' ".
9. Os moços foram e disseram a Nabal tudo o que Davi tinha mandado; e ficaram esperando.
10. Nabal respondeu aos moços: "Quem é Davi e quem é o filho de Jessé? Hoje em dia existem muitos servos que fogem do seu patrão.
11. Será que eu vou pegar o pão, a água e as ovelhas, que abati para os meus tosquiadores, e dar a homens que nem sei de onde vêm?"
12. Então os moços de Davi se afastaram e foram embora. Voltaram para junto de Davi e lhe contaram tudo o que lhes fora dito por Nabal.
13. Davi disse a seus homens: "Cada um pegue a sua espada". Cada um pegou a sua e Davi também. Cerca de quatrocentos homens subiram com Davi, enquanto duzentos ficaram com as bagagens.
14. Um dos rapazes informou Abigail, mulher de Nabal: "Davi enviou mensageiros do deserto para cumprimentar o nosso patrão, e ele os expulsou.
15. Ora, esses homens foram muito bons para nós, não nos incomodaram e não sentimos falta de nada no tempo em que caminhamos entre eles e estivemos no campo.
16. Tanto de dia como de noite, eles nos protegeram todo o tempo em que estivemos com eles pastoreando o nosso rebanho.
17. Agora, decida e veja o que fazer, porque a destruição do nosso patrão e de toda a sua família está decidida. O patrão é homem grosseiro. Com ele não dá para conversar".
18. Imediatamente, Abigail pegou duzentos pães, duas vasilhas com vinho, cinco ovelhas preparadas, cinco medidas de trigo tostado, cem cachos de uvas passas, duzentos doces de figo, e carregou tudo sobre os jumentos.
19. Depois disse aos seus moços: "Vão na frente, que eu irei em seguida". Ela, porém, não avisou o seu marido Nabal.
20. Enquanto ela, montada num jumento, descia para um abrigo na montanha, Davi e seus homens iam na sua direção, e acabaram se encontrando.
21. Davi tinha dito: "Foi à toa que eu protegi tudo o que pertence a esse indivíduo, não deixando que nada lhe fosse roubado: ele me pagou o bem com o mal.
22. Que Deus castigue Davi, se até amanhã cedo eu deixar vivo qualquer um de Nabal que urina na parede".
23. Quando Abigail viu Davi, apeou depressa do jumento, e prostrou-se diante dele com o rosto por terra.
24. Lançando-se aos pés de Davi, ela disse: "Meu senhor, a culpa é minha. Deixe que sua serva lhe fale. Escute as palavras da sua serva.
25. Que meu senhor não dê atenção a esse homem grosseiro que é Nabal, pois o seu nome significa grosseiro, e a grosseria está mesmo com ele. Eu, sua serva, não cheguei a ver os moços que meu senhor havia mandado.
26. Agora, meu senhor, pela vida de Javé e pela sua, é Javé que o impede de derramar sangue e de fazer justiça por suas próprias mãos. Que sejam como Nabal os inimigos e aqueles que procuram fazer o mal ao meu senhor.
27. Esta homenagem que sua serva lhe trouxe seja dada aos moços que o acompanham.
28. Eu lhe peço: perdoe a falta de sua serva, e Javé não deixará de lhe dar uma família estável, porque o meu senhor combate as guerras de Javé, e nada de mal lhe acontecerá em toda a sua vida.
29. Se alguém se levantar para o perseguir e atentar contra a sua vida, a vida do meu senhor estará bem guardada no bornal da vida com Javé seu Deus, enquanto a vida de seus inimigos será jogada como pedras com a funda.
30. Quando Javé cumprir tudo o que prometeu ao meu senhor e o tiver feito chefe de Israel,
31. então o meu senhor não terá que ficar perturbado, nem sofrer remorso por ter derramado sangue inutilmente e ter feito justiça com as próprias mãos. Quando Javé o abençoar, lembre-se de sua serva".
32. Então Davi respondeu a Abigail: "Seja bendito Javé Deus de Israel, que hoje enviou você ao meu encontro.
33. Bendita seja a sua sabedoria! Bendita seja você que hoje me impediu de derramar sangue e de fazer justiça com minhas próprias mãos!
34. Viva Javé, Deus de Israel, que me impediu de fazer mal a você. Porque, se você não tivesse vindo logo ao meu encontro, juro que ao amanhecer não restaria vivo para Nabal um só dos que urinam na parede".
35. Então Davi aceitou o que Abigail lhe tinha levado, e disse: "Volte em paz para casa. Eu atendi o que você pediu e a tratei com toda a consideração".
36. Abigail voltou para casa e encontrou Nabal dando uma grande festa: era uma festa de rei. Nabal estava alegre e completamente bêbado. Por isso, Abigail nada lhe contou até o amanhecer.
37. Pela manhã, quando Nabal melhorou da bebedeira, sua mulher lhe contou o que tinha acontecido. Nabal sentiu o coração parar no peito e ficou petrificado.
38. Dez dias depois, Javé feriu Nabal e ele morreu.
39. Ao saber que Nabal tinha morrido, Davi exclamou: "Seja bendito Javé, que defendeu minha causa contra a afronta que Nabal me fez. Javé me impediu de cometer um pecado: ele fez recair sobre Nabal o mal que ele tinha planejado". Davi mandou pedir a mão de Abigail, para que se casasse com ele.
40. Os servos de Davi foram a Carmel, à casa de Abigail, e lhe disseram: "Davi nos mandou para pedir que você se case com ele".
41. Abigail imediatamente se inclinou com o rosto por terra, e disse: "Aqui está sua serva disposta a lavar os pés dos servos do meu senhor".
42. Depois levantou depressa e montou num jumento; cinco servas a acompanhavam, e ela partiu junto com os mensageiros de Davi. E Davi se casou com ela.
43. Davi também se casou com Aquinoam de Jezrael. As duas se tornaram suas mulheres.
44. Saul tinha dado sua filha Micol, mulher de Davi, a Falti, filho de Lais de Galim.

[I Samuel 26]I Samuel 26



DAVI NÃO USURPA O PODER
1. Os habitantes de Zif foram a Gabaá e contaram a Saul: "Davi está escondido na colina de Áquila, no lado que dá para o deserto".
2. Então Saul empreendeu a marcha para o deserto de Zif, com três mil soldados israelitas, a fim de dar uma batida e encontrar Davi.
3. Acampou na colina de Áquila, no lado que dá para o deserto, perto do caminho. Davi morava no deserto e, quando ficou sabendo que Saul vinha no seu encalço,
4. mandou alguns espiões para averiguar onde Saul estava.
5. Depois pôs-se a caminho e chegou ao lugar em que Saul estava acampado. Ficou perto do lugar em que estavam deitados Saul e Abner, filho de Ner, comandante do seu exército. Saul descansava entre os carros, e a tropa estava acampada ao redor.
6. Davi perguntou a Aquimelec, o heteu, e a Abisaí, filho de Sárvia, irmão de Joab: "Quem quer vir comigo até o acampamento de Saul?" Abisaí respondeu: "Eu vou com você".
7. Então Davi e Abisaí foram de noite ao acampamento. Saul estava deitado e dormindo, com a lança fincada no chão, ao lado da cabeceira; Abner e a tropa dormiam ao redor.
8. Então Abisaí disse a Davi: "Hoje Deus está entregando o inimigo em sua mão. Deixe que eu o encrave no chão com um só golpe de lança; não será preciso mais que um golpe".
9. Mas Davi respondeu: "Não o mate! Ninguém pode levantar a mão contra o ungido de Javé, e ficar sem castigo!"
10. E continuou: "Pela vida de Javé, o próprio Javé o ferirá. Sua hora vai chegar e ele morrerá, ou acabará caindo no campo de batalha.
11. Javé me livre de atentar contra o seu ungido! Pegue a lança que está na cabeceira dele e o cantil de água, e vamos embora".
12. Davi pegou a lança e o cantil de água que estavam na cabeceira de Saul, e os dois foram embora. Ninguém viu nem percebeu nada, nem acordou: todos dormiam, porque caíra sobre eles um pesado sono enviado por Javé.
13. Davi atravessou para o outro lado, subiu no alto de um monte, ao longe. Havia boa distância entre eles.
14. Então Davi gritou para o exército e para Abner, filho de Ner: "Você não responde, Abner?" E Abner respondeu: "Quem é que está gritando para o rei?"
15. Davi continuou: "Você não é homem? Quem é como você em Israel? Então, por que você não guardou o rei, seu senhor? Alguém do povo tentou matá-lo.
16. Você não se comportou bem. Pela vida de Javé, vocês merecem a morte porque não guardaram o rei, senhor de vocês, o ungido de Javé. Veja onde estão a lança e o cantil de água que estavam na cabeceira dele!"
17. Então Saul reconheceu a voz de Davi e perguntou: "É a sua voz, meu filho Davi?" E Davi respondeu: "É a minha voz, meu senhor e meu rei".
18. E continuou: "Por que o senhor está perseguindo este seu servo? Que fiz eu? Que culpa tenho?
19. Senhor meu rei, peço-lhe que escute o que o seu servo tem a dizer: se é Javé que está lançando você contra mim, a oferta do altar o aplacará. Se forem os homens, que sejam malditos por Javé, pois estão me expulsando hoje e me impedem de participar da herança de Javé. É como se me dissessem: 'Vá servir a outros deuses!'
20. Que meu sangue não caia longe de Javé, nesta terra, já que o rei de Israel saiu para me perseguir até a morte, como se estivesse caçando uma perdiz pelos montes".
21. Saul respondeu: "Pequei. Volte, meu filho Davi! De agora em diante, não vou mais fazer-lhe mal, pois hoje você respeitou a minha vida. Tenho agido como idiota e cometi muitos erros".
22. Davi então disse: "Aqui está a lança do rei. Que um dos moços venha buscá-la.
23. Javé pagará conforme a sua justiça e de acordo com a fidelidade de cada um, Javé entregou você hoje em minhas mãos, e eu não quis atentar contra o ungido de Javé.
24. Assim como hoje eu respeitei a sua vida, que Javé também respeite a minha e me livre de todo perigo".
25. Então Saul disse a Davi: "Bendito seja você, meu filho Davi! Certamente você terá sucesso em tudo o que fizer". Davi continuou seu caminho, e Saul voltou para casa.

[I Samuel 27]4. DAVI ENTRE OS FILISTEUS



I Samuel 27

TÁTICA DE DAVI
1. Davi pensou: "Mais dia menos dia, Saul vai acabar me matando. Não tenho outra saída, a não ser refugiar-me na terra dos filisteus. Saul desistirá de me perseguir por todo Israel, e eu estarei seguro".
2. Davi se pôs a caminho, com seus seiscentos homens, e foi para junto de Aquis, filho de Maoc, rei de Gat.
3. Davi e seus homens se estabeleceram junto a Aquis em Gat, com suas famílias. Davi levou suas duas mulheres: Aquinoam de Jezrael e Abigail, mulher de Nabal de Carmel.
4. Ao ser informado que Davi se refugiara em Gat, Saul parou de persegui-lo.
5. Davi disse a Aquis: "Se eu ganhei o seu favor, dê-me algum povoado na zona rural, onde eu possa morar. Por que um servo seu moraria ao seu lado na cidade real?"
6. Então, nesse dia, Aquis deu Siceleg para Davi. Por isso, Siceleg pertence aos reis de Judá até hoje.
7. Assim, Davi permaneceu na zona rural dos filisteus por um ano e quatro meses.
8. Ele e seus homens iam e atacavam os gessuritas, gersitas e amalecitas, que desde há muito tempo habitavam o território que vai desde Sur até a terra do Egito.
9. Davi aniquilava o território e não deixava ninguém vivo, nem homem nem mulher; tomava ovelhas e bois, jumentos, camelos e roupas. Depois voltava para junto de Aquis.
10. E Aquis perguntava: "Onde é que você atacou hoje?" E Davi respondia que tinha sido contra o Negueb de Judá, ou o Negueb de Jerameel, ou o Negueb dos quenitas.
11. E Davi não deixava ninguém vivo, homem ou mulher que pudesse ir até Gat, pois ele pensava: "Alguém pode nos trair, contando o que eu fiz". Assim ele agiu durante todo o tempo em que esteve na zona rural dos filisteus.
12. Aquis acabou confiando em Davi, e dizia: "Ele é detestado por seu povo, em Israel, e por isso ficará para sempre a meu serviço".

[I Samuel 28]I Samuel 28



1. Nesse tempo, os filisteus reuniram suas tropas para atacar Israel. Então Aquis disse a Davi: "Fique sabendo que você e seus homens irão com meu exército".
2. Davi respondeu: "Muito bem. Você verá do que o seu servo é capaz". Então Aquis disse a Davi: "Eu o nomeio meu guarda pessoal permanente".

APROXIMA-SE A QUEDA DE SAUL
3. Samuel tinha morrido. Todo o Israel participara dos funerais, e o enterraram em Ramá, sua cidade. De outro lado, Saul tinha expulsado do país os necromantes e adivinhos.
4. Os filisteus se concentraram e acamparam em Sunam. Saul reuniu todo o Israel e acamparam em Gelboé.
5. Quando viu o acampamento dos filisteus, Saul teve medo e começou a tremer.
6. Consultou a Javé, porém Javé não lhe respondeu, nem por sonhos, nem pela sorte, nem pelos profetas.
7. Então Saul disse a seus servos: "Procurem uma necromante, para que eu faça uma consulta". Os servos responderam: "Há uma necromante em Endor".
8. Saul se disfarçou, vestiu roupa de outro, e à noite, acompanhado de dois homens, foi encontrar-se com a mulher. Saul disse a ela: "Quero que você me adivinhe o futuro, evocando os mortos. Faça aparecer a pessoa que eu lhe disser".
9. A mulher, porém, respondeu: "Você sabe o que fez Saul, expulsando do país os necromantes e adivinhos. Por que está armando uma cilada, para eu ser morta?"
10. Então Saul jurou por Javé: "Pela vida de Javé, nenhum mal vai lhe acontecer por causa disso".
11. A mulher perguntou: "Quem você quer que eu chame?" Saul respondeu: "Chame Samuel".
12. Quando a mulher viu Samuel aparecer, deu um grito e falou para Saul: "Por que você me enganou? Você é Saul!"
13. O rei a tranqüilizou: "Não tenha medo. O que você está vendo?" A mulher respondeu: "Vejo um espírito subindo da terra".
14. Saul perguntou: "Qual é a aparência dele?" A mulher respondeu: "É a de um ancião que sobe, vestido com um manto". Então Saul compreendeu que era Samuel, e se prostrou com o rosto por terra.
15. Samuel perguntou a Saul: "Por que você me chamou, perturbando o meu descanso?" Saul respondeu: "É que estou em situação desesperadora: os filisteus estão guerreando contra mim. Deus se afastou de mim e não me responde mais, nem pelos profetas, nem por sonhos. Por isso, eu vim chamar você, para que me diga o que devo fazer".
16. Samuel respondeu: "Por que você veio me consultar, se Javé se afastou de você e se tornou seu inimigo?
17. Javé fez com você o que já lhe foi anunciado por mim: tirou de você a realeza e a entregou para Davi.
18. Porque você não obedeceu a Javé e não executou o ardor da ira dele contra Amalec. É por isso que Javé hoje trata você desse modo.
19. E Javé vai entregar aos filisteus tanto você, como seu povo Israel. Amanhã mesmo, você e seus filhos estarão comigo, e o acampamento de Israel também: Javé o entregará nas mãos dos filisteus".
20. Saul caiu imediatamente no chão, apavorado com as palavras de Samuel. Estava enfraquecido, porque ficara o dia todo e toda a noite sem comer.
21. A mulher chegou perto de Saul e, vendo que ele estava apavorado, disse: "Sua serva obedeceu. Arrisquei minha vida para fazer o que o senhor estava pedindo.
22. Agora, também o senhor deve obedecer à sua serva. Vou lhe trazer um pedaço de pão. Coma e recupere as forças para ir embora".
23. Saul, porém, recusou: "Não vou comer nada". Mas seus servos e a mulher insistiram tanto, que ele acabou cedendo: levantou-se do chão e sentou-se na cama.
24. A mulher tinha um bezerro cevado. Abateu o bezerro, pegou farinha, amassou-a e cozinhou uns pães sem fermento.
25. Depois serviu Saul e seus servos. Eles comeram e se puseram a caminho na mesma noite.

[I Samuel 29]I Samuel 29



UM GRUPO PERIGOSO
1. Os filisteus concentraram suas tropas em Afec e Israel acampou junto à fonte que existe em Jezrael.
2. Os príncipes dos filisteus desfilavam por batalhões e destacamentos. Davi e seus homens iam na retaguarda com Aquis.
3. Os chefes filisteus perguntaram: "O que estão fazendo aqui esses hebreus?" Aquis respondeu: "É Davi, o servo de Saul, rei de Israel. Ele já está comigo faz um ano ou dois, e desde o dia que passou para o meu lado até agora não tenho nada do que reclamar".
4. Os chefes filisteus se opuseram, dizendo: "Mande embora esse homem. Que volte para o lugar que você lhe havia reservado. Que não venha para a guerra conosco, e não se volte contra nós em pleno combate. Veja bem: a melhor forma de ele se reconciliar com seu senhor seria a cabeça de nossos soldados.
5. Será que esse Davi não é o Davi de quem se cantava dançando: 'Saul matou mil, mas Davi matou dez mil'?"
6. Então Aquis mandou chamar Davi e lhe disse: "Pela vida de Javé! Você é leal, e eu não tenho queixa do seu comportamento no exército; não tenho nada a reprovar em você, desde que entrou no meu território até hoje. Mas você não é bem visto pelos príncipes.
7. Por isso, volte em paz, para não desagradar os príncipes".
8. Davi respondeu a Aquis: "O que foi que eu fiz? Em que ofendi o senhor, desde que me apresentei até hoje? O que me impede de combater contra os meus inimigos ao lado do meu senhor e rei?"
9. Aquis respondeu a Davi: "Eu sei. Eu estimo você, como se fosse um enviado de Deus. Mas os chefes filisteus disseram que não querem você indo à guerra conosco.
10. Portanto, é melhor que você e os seus servos madruguem, e ao raiar do dia sigam para o lugar que lhes indiquei".
11. Davi e seus homens madrugaram e partiram de manhãzinha, voltando para o país dos filisteus. E os filisteus subiram para Jezrael.

[I Samuel 30]I Samuel 30





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   38   39   40   41   42   43   44   45   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal