Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página43/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   39   40   41   42   43   44   45   46   ...   197

TODOS PARTILHAM DA CONQUISTA
1. No terceiro dia em que Davi e seus homens estavam a caminho para Siceleg, os amalecitas atacaram o Negueb e Siceleg: arrasaram e incendiaram Siceleg,
2. aprisionando as mulheres, crianças e adultos que aí se encontravam; não mataram ninguém, mas foram embora levando-os consigo.
3. Quando Davi e seus homens chegaram, viram a cidade incendiada e souberam que suas mulheres, filhos e filhas tinham sido levados embora.
4. Davi e seu pessoal caíram em lágrimas e choraram até se esgotar suas forças.
5. As duas mulheres de Davi, Aquinoam de Jezrael e Abigail, mulher de Nabal de Carmel, também tinham sido capturadas.
6. Davi ficou muito angustiado, porque se dizia que todos queriam apedrejá-lo, pois o pessoal todo estava amargurado por causa de seus filhos e filhas. Davi, porém, recobrou ânimo em Javé seu Deus.
7. Então Davi disse ao sacerdote Abiatar, filho de Aquimelec: "Traga-me o efod". E Abiatar levou o efod para Davi.
8. E Davi consultou a Javé: "Se eu perseguir esse bando, será que vou alcançá-lo?" Javé respondeu: "Vá atrás deles, porque você os alcançará e libertará os prisioneiros".
9. Davi e seus seiscentos homens foram e chegaram ao riacho de Besor.
10. Davi e quatrocentos homens continuaram a perseguição, enquanto duzentos ficaram, pois estavam cansados para atravessar o riacho de Besor.
11. Encontraram um egípcio no campo e o levaram até Davi. Deram-lhe pão para comer e água para beber.
12. Deram-lhe doce de figos e dois cachos de uvas passas. Depois de ter comido, ele se refez, porque estava três dias e três noites sem comer nem beber.
13. Então Davi lhe perguntou: "A quem pertence você e de onde vem?" Ele respondeu: "Eu sou um moço egípcio, escravo de um amalecita. Faz três dias que meu patrão me abandonou, porque eu estava doente.
14. Nós atacamos o Negueb dos cereteus, os homens de Judá e o Negueb de Caleb; e também incendiamos Siceleg".
15. Davi lhe disse: "Você é capaz de me conduzir até esse bando?" O egípcio respondeu: "Jure por Deus que você não me matará, nem me entregará nas mãos do meu senhor, e eu o conduzirei até esse bando".
16. Então o egípcio levou Davi até o bando. Os amalecitas estavam espalhados pelo território, comendo, bebendo e fazendo festa com os grandes despojos que haviam tomado no país dos filisteus e no país de Judá.
17. Davi os aniquilou desde o amanhecer até a tarde do dia seguinte: ninguém escapou, exceto quatrocentos moços que montavam camelos e que conseguiram fugir.
18. Davi recuperou tudo o que os amalecitas haviam tomado, e também suas duas mulheres.
19. Não se perdeu nada do que lhes pertencia: coisas pequenas e grandes, os despojos que haviam tomado, filhos e filhas; Davi levou tudo de volta.
20. Davi pegou todas as ovelhas e bois dos amalecitas. Aqueles que iam na frente desse rebanho diziam: "Aqui estão os despojos de Davi".
21. Davi chegou até onde estavam os duzentos homens que, cansados, não o tinham seguido e ficaram junto ao riacho de Besor. Eles foram ao encontro de Davi e da tropa. Davi aproximou-se deles e os saudou.
22. Todos os homens maus e grosseiros que tinham seguido Davi disseram: "Já que eles não foram conosco, não dê para eles parte nenhuma dos despojos que recuperamos, a não ser a própria mulher e filhos; que eles recebam e vão embora".
23. Então Davi replicou: "Nada disso, meus irmãos. Não façam isso com o que Javé nos deu. Ele nos protegeu e colocou em nosso poder o bando que veio contra nós.
24. Quem é que pode concordar com o que vocês estão dizendo? De fato, a parte daquele que foi ao combate é a mesma daquele que ficou com as bagagens; repartam por igual".
25. Desse dia em diante, isso ficou como estatuto e norma para Israel, e permanece até o dia de hoje.
26. Davi entrou em Siceleg e enviou parte dos despojos para os anciãos de Judá, seus compatriotas, dizendo: "Aqui vai como presente para vocês parte dos despojos tomados dos inimigos de Javé".
27. E a mandou para os anciãos de Betul, de Ramá do Negueb, de Jatir,
28. de Aroer, de Sefamot, de Estemo,
29. de Carmel, das cidades de Jerameel, das cidades dos quenitas,
30. de Horma, de Bor-Asã, de Eter,
31. de Hebron, e para os anciãos de todos os lugares por onde Davi tinha passado com seus homens.

[I Samuel 31]I Samuel 31



A TRÁGICA DERROTA DE SAUL
1. Os filisteus fizeram guerra contra Israel, e os israelitas fugiram deles, e muitos caíram mortos no monte Gelboé.
2. Os filisteus perseguiram Saul e seus filhos. Mataram Jônatas, Abinadab e Melquisua, filhos de Saul.
3. Todo o peso do combate se concentrou sobre Saul. Os arqueiros o surpreenderam e o feriram gravemente.
4. Então Saul disse ao escudeiro: "Desembainhe a espada e me atravesse, antes que esses incircuncisos cheguem e caçoem de mim". O escudeiro ficou apavorado e não quis obedecer. Então Saul pegou a espada e atirou-se sobre ela.
5. Vendo que Saul estava morto, o escudeiro também se jogou sobre sua espada e morreu com Saul.
6. Desse modo, no mesmo dia morreram Saul, seus três filhos, seu escudeiro e todos os seus homens.
7. Quando os israelitas que estavam no outro lado do vale, e os da Transjordânia, viram que os israelitas tinham sido derrotados e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram suas cidades e fugiram. Então os filisteus foram e as ocuparam.
8. No dia seguinte, os filisteus foram despojar os cadáveres e encontraram Saul e seus três filhos mortos no monte Gelboé.
9. Cortaram a cabeça de Saul e tiraram suas armas. E as enviaram por todo o território filisteu, anunciando a boa notícia a seus ídolos e a seu povo.
10. Depositaram as armas de Saul no templo de Astarte e dependuraram o cadáver dele na muralha de Betsã.
11. Os habitantes de Jabes de Galaad souberam o que os filisteus tinham feito com Saul.
12. Então todos os guerreiros caminharam a noite inteira, tiraram da muralha de Betsã o cadáver de Saul e de seus filhos, e os levaram a Jabes, e aí os queimaram.
13. Depois recolheram os ossos, os enterraram debaixo da tamareira de Jabes, e jejuaram durante sete dias.

[II Samuel 1]II Samuel 1



DAVI LAMENTA SAUL E JÔNATAS
1. Depois da morte de Saul, Davi voltou da vitória sobre os amalecitas e ficou dois dias em Siceleg.
2. No terceiro dia, chegou alguém do acampamento de Saul, com as roupas rasgadas e a cabeça coberta de pó. Chegando perto de Davi, ele se jogou por terra e se prostrou.
3. Davi perguntou: "De onde você vem?" O homem respondeu: "Escapei com vida do acampamento de Israel".
4. Davi perguntou: "O que foi que aconteceu? Diga logo". O homem respondeu: "As tropas fugiram do campo de batalha, muitos caíram e estão mortos. Até Saul e seu filho Jônatas morreram".
5. Davi perguntou ao moço que o informava: "Como é que você sabe que Saul e seu filho Jônatas estão mortos?"
6. O mensageiro respondeu: "Eu estava casualmente no monte Gelboé e vi Saul apoiado em sua própria lança, enquanto os carros e cavaleiros se aproximavam.
7. Saul virou-se, me viu e me chamou. Eu disse: 'Estou aqui'.
8. Saul me perguntou: 'Quem é você?' Eu respondi: 'Sou um amalecita'.
9. Então Saul me disse: 'Aproxime-se e mate-me, pois estou agonizando e não acabo de morrer'.
10. Então eu me aproximei dele e o matei, porque eu sabia que ele não iria mesmo sobreviver depois de caído. Em seguida, peguei a coroa que ele trazia na cabeça e o bracelete que estava no seu braço e os trouxe aqui para o meu senhor".
11. Então Davi rasgou suas próprias roupas. E todos os homens que o acompanhavam fizeram o mesmo.
12. Lamentaram, choraram e jejuaram até a tarde por Saul e por seu filho Jônatas, e também por causa do povo de Javé e pela casa de Israel, porque haviam sido mortos pela espada.
13. Depois Davi perguntou ao moço que havia trazido a notícia: "De onde você é?" Ele respondeu: "Sou filho de um imigrante amalecita".
14. Davi lhe perguntou: "E como você se atreveu a levantar a mão para matar o ungido de Javé?"
15. Então Davi chamou um dos rapazes e ordenou: "Venha aqui e mate esse homem". O rapaz feriu o homem e ele morreu.
16. E Davi disse: "Você é responsável por sua própria morte, pois com a própria boca você testemunhou contra si mesmo, dizendo que matou o ungido de Javé".
17. Davi entoou esta lamentação para Saul e seu filho Jônatas,
18. e ordenou que fosse ensinada aos filhos de Judá. Ela se encontra no Livro do Justo.
19. A honra de Israel pereceu nas alturas. Como foi que os valentes caíram?
20. Não contem isso em Gat, nem proclamem nas ruas de Ascalon. Que as jovens filistéias não se alegrem e as filhas dos incircuncisos não exultem.
21. Montanhas de Gelboé, que o orvalho e a chuva não caiam sobre vocês e nunca mais haja campos férteis, pois o escudo dos valentes foi desonrado. O escudo de Saul não foi ungido com óleo,
22. mas com o sangue dos feridos e a gordura dos valentes. O arco de Jônatas não recuava e a espada de Saul não voltava sem sangue.
23. Saul e Jônatas, amados e queridos, nem a vida nem a morte os separaram. Eram mais velozes do que as águias e mais fortes do que os leões.
24. Moças de Israel, chorem por Saul: ele vestiu vocês com púrpura e linho, e enfeitou de ouro os seus vestidos.
25. Como os valentes caíram no combate! Jônatas, sua morte rasgou-me o coração!
26. Como sofro por você, Jônatas, meu irmão! Como eu lhe queria bem! Para mim, o seu amor era mais caro do que o amor das mulheres!
27. Como caíram os valentes! Como pereceram as armas de guerra!

[II Samuel 2]IV. DAVI: FUNDAÇÃO DE UM ESTADO E SURGIMENTO DE UMA NAÇÃO



1. DAVI, REI DE JUDÁ

II Samuel 2

DAVI É UNGIDO REI
1. Depois disso, Davi consultou a Javé: "Posso ir para alguma cidade de Judá?" Javé respondeu: "Pode". Davi perguntou: "Para qual delas posso ir?" A resposta foi: "Hebron".
2. Davi subiu para lá, junto com suas duas mulheres: Aquinoam de Jezrael e Abigail, mulher de Nabal de Carmel.
3. Levou também todos os seus homens, junto com suas famílias. E se estabeleceram nas aldeias de Hebron.
4. Os homens de Judá foram para lá e ungiram Davi como rei sobre a casa de Judá. Comunicaram a Davi que os habitantes de Jabes de Galaad tinham enterrado Saul.
5. Então Davi enviou mensageiros aos habitantes de Jabes, dizendo: "Que Javé os abençoe por terem realizado esse ato de misericórdia para com seu senhor Saul e o terem enterrado.
6. Que Javé os trate com misericórdia e fidelidade. Eu também os recompensaria por essa boa ação.
7. Agora, tenham coragem e sejam valentes. O seu rei Saul está morto, mas a casa de Judá já me sagrou como seu rei".

MEDIÇÃO DE FORÇAS
8. Abner, filho de Ner, chefe do exército de Saul, tinha levado consigo Isbaal, filho de Saul, e o tinha feito ir a Maanaim.
9. Abner o estabeleceu como rei sobre Galaad, sobre os de Aser, de Jezrael, Efraim, Benjamim e sobre todo o Israel.
10. Isbaal, filho de Saul, tinha quarenta anos quando se tornou rei de Israel, e reinou por dois anos. Somente a casa de Judá seguia Davi.
11. E Davi reinou sobre a casa de Judá, em Hebron, durante sete anos e meio.
12. Abner, filho de Ner, e os servos de Isbaal, filho de Saul, foram de Maanaim para Gabaon.
13. Joab, filho de Sárvia, e os oficiais de Davi puseram-se a caminho e os encontraram perto do açude de Gabaon: os de Joab ficaram de um lado do açude, e do outro lado os de Abner.
14. Então Abner propôs a Joab: "Deixe que alguns jovens venham lutar diante de nós". Joab respondeu: "Está bem".
15. Doze benjaminitas se prepararam e atravessaram para lutar por Isbaal, filho de Saul; e doze dos oficiais de Davi também se apresentaram.
16. Cada um deles agarrou a cabeça do adversário e lhe enterrou a espada no flanco, de modo que todos caíram juntos. É por isso que esse lugar ficou sendo chamado Campo dos Flancos, e está localizado em Gabaon.
17. Nesse dia, houve uma batalha violenta, e os oficiais de Davi derrotaram Abner e os israelitas.
18. Estavam aí os três filhos de Sárvia: Joab, Abisaí e Asael. Ora, Asael corria como as gazelas selvagens,
19. e perseguiu Abner sem parar e sem se desviar de um lado para outro.
20. Abner olhou para trás e perguntou: "É você, Asael?" E Asael respondeu: "Sou eu mesmo".
21. Então Abner disse: "Vá para a direita ou para a esquerda, agarre um dos meus rapazes e pegue suas armas". Asael, porém, não quis parar de persegui-lo.
22. Abner insistiu: "Pare de me perseguir. Por que eu haveria de ferir você e deixá-lo no chão? Com que cara eu iria depois me apresentar diante do seu irmão Joab?"
23. Como Asael não quis afastar-se, Abner lhe furou a barriga com a parte de trás da lança, de modo que esta lhe saiu pelas costas. Asael caiu, e morreu aí mesmo. Todos os que chegavam ao lugar onde Asael estava caído e morto, paravam.
24. Joab e Abisaí começaram a perseguir Abner e, ao pôr-do-sol, chegaram à colina de Ama, que está a leste de Gaia, no caminho do deserto de Gabaon.
25. Os benjaminitas se concentraram atrás de Abner, em formação cerrada, e pararam no alto de uma colina.
26. Então Abner gritou para Joab e disse: "Será que a espada vai ficar devorando para sempre? Você não sabe que no fim vai sobrar somente amargura? Quando é que você vai ordenar a seu pessoal que pare de perseguir os seus irmãos?"
27. Joab respondeu: "Pela vida de Javé, se você não tivesse falado, só pela manhã este pessoal deixaria de perseguir seus irmãos".
28. Então Joab mandou soar a trombeta, e toda a tropa suspendeu o combate e parou de perseguir Israel. Não batalharam mais.
29. Abner e seus homens caminharam toda a noite pelo deserto, atravessaram o Jordão e, depois de marcharem toda a manhã seguinte, chegaram a Maanaim.
30. Joab parou de perseguir Abner e reuniu toda a tropa: dos guerreiros de Davi morreram dezenove homens e também Asael.
31. Mas tinham matado trezentos e sessenta homens de Benjamim e de Abner.
32. Levaram o cadáver de Asael e o enterraram em Belém, no túmulo da família. Joab e seus homens marcharam a noite inteira e chegaram a Hebron pelo amanhecer.

[II Samuel 3]II Samuel 3



FUTUROS CONCORRENTES
1. A guerra entre as famílias de Saul e Davi continuou, mas Davi se fortalecia cada vez mais, ao passo que a família de Saul se enfraquecia.
2. Davi teve vários filhos em Hebron: o primeiro foi Amnon, nascido de Aquinoam de Jezrael;
3. o segundo, Queleab, nascido de Abigail, que tinha sido mulher de Nabal de Carmel; o terceiro, Absalão, nascido de Maaca, filha de Tolmai, rei de Gessur;
4. o quarto, Adonias, nascido de Hagit; o quinto, Safatias, nascido de Abital;
5. o sexto, Jetraam, nascido da esposa Egla. Foram esses os filhos que Davi teve em Hebron.

O CAMINHO PARA A UNIFICAÇÃO DO PODER
6. Durante a luta entre as famílias de Saul e Davi, Abner foi adquirindo na família de Saul prestígio cada vez maior.
7. Saul tinha tido uma concubina chamada Resfa, filha de Aías. Isbaal perguntou a Abner: "Por que você se uniu com a concubina de meu pai?"
8. Abner ficou furioso com a pergunta de Isbaal e respondeu: "Por acaso, eu sou um cachorro? Sempre trabalhei lealmente pela família de seu pai Saul, pelos seus irmãos e amigos, e não deixei você cair nas mãos de Davi. E agora você vem me criticar por uma questão de mulher?
9. Que Deus me castigue, se eu não cumprir o juramento que Javé fez a Davi:
10. Vou tirar a realeza da família de Saul e estabelecer o trono de Davi sobre Israel e sobre Judá, desde Dã até Bersabéia".
11. Isbaal tinha medo de Abner, e não se atreveu a responder uma só palavra.
12. Abner enviou mensageiros para dizerem a Davi: "De quem é o país?" Ele queria dizer: "Faça uma aliança comigo, e eu o ajudarei a reunir todo o Israel em torno de você".
13. Davi respondeu: "Muito bem. Vou fazer uma aliança com você. Só exijo uma coisa: quando você vier ao meu encontro só o receberei se me trouxer Micol, filha de Saul".
14. Davi mandou também mensageiros a Isbaal, filho de Saul, dizendo: "Entregue-me a minha mulher Micol, que adquiri por cem prepúcios de filisteus".
15. Isbaal mandou tomar Micol do seu marido Faltiel, filho de Lais.
16. E Faltiel seguiu a esposa até Baurim. Então Abner lhe disse: "Volte!" E ele voltou.
17. Abner tinha conversado com os anciãos de Israel e lhes tinha dito: "Faz tempo que vocês queriam ter Davi como rei.
18. Pois bem, chegou o momento, porque Javé falou isto a respeito de Davi: 'É por meio do meu servo Davi que eu livrarei o meu povo Israel do poder dos filisteus e de todos os seus inimigos' ".
19. Abner falou também aos de Benjamim. Depois foi a Hebron contar a Davi tudo o que Israel e a família de Benjamim tinham aprovado.
20. Acompanhado de vinte homens, Abner chegou a Hebron para conversar com Davi, e Davi ofereceu uma recepção para Abner e os homens que tinham ido com ele.
21. Então Abner disse a Davi: "Vou reunir todo o Israel ao redor do senhor meu rei: eles farão uma aliança com você, e você reinará conforme deseja". Davi se despediu de Abner, e este partiu em paz.
22. Os guerreiros de Davi e Joab tinham acabado de chegar da incursão, transportando muitos despojos. Abner não estava mais em Hebron, pois Davi o tinha despedido e ele tinha partido em paz.
23. Quando Joab e sua tropa chegaram, disseram a Joab que Abner, filho de Ner, tinha vindo e estado com o rei, e este o tinha deixado partir em paz.
24. Então Joab foi conversar com o rei e lhe disse: "O que foi que você fez? Abner esteve aqui, e você o deixou partir?
25. Você conhece bem Abner, filho de Ner! Ele veio para enganá-lo. Ele quer conhecer seus movimentos e saber o que você está fazendo".
26. Joab saiu do palácio e, sem que Davi soubesse, enviou mensageiros atrás de Abner, que o fizeram voltar desde o poço de Sira.
27. Quando Abner voltou a Hebron, Joab o chamou à parte, a um lado da entrada, para falar com ele a sós; e aí o feriu mortalmente na barriga, por causa do seu irmão Asael.
28. Quando Davi ficou sabendo, disse: "Eu e o meu reino, diante de Javé, somos para sempre inocentes do sangue de Abner, filho de Ner.
29. Que o sangue de Abner caia sobre a cabeça de Joab e sobre toda a sua família. Que na família de Joab nunca falte quem sofra de gonorréia ou seja leproso, assalariado, ou pessoas mortas pela espada ou de fome".
30. Joab e seu irmão Abisaí tinham assassinado Abner porque ele matara seu irmão Asael no combate de Gabaon.
31. Então Davi ordenou a Joab e seus acompanhantes: "Rasguem as roupas, vistam panos de saco e façam luto por Abner". O rei Davi ia atrás, acompanhando o enterro.
32. Enterraram Abner em Hebron. O rei soluçava alto junto à sepultura, e todo o povo também chorava.
33. E o rei cantou esta lamentação por Abner: "Será que Abner precisava morrer como insensato?
34. Suas mãos não conheciam correntes e seus pés não estavam presos em grilhões. Mas você caiu, como quem cai em poder de malfeitores". E todo o povo continuou chorando.
35. Depois o povo chamou Davi para forçá-lo a comer, enquanto era dia. Mas Davi jurou: "Que Deus me castigue, se antes do pôr-do-sol eu comer pão ou qualquer outro alimento".
36. Todo o povo notou isso e achou justo, pois todos aprovavam o que o rei fazia.
37. Nesse dia, todo o povo e todo o Israel ficou sabendo que o rei não tinha nada a ver com o assassinato de Abner, filho de Ner.
38. E o rei disse aos seus ministros: "Vocês sabem que hoje caiu em Israel um grande chefe.
39. Eu ainda sou fraco, apesar de ter sido ungido rei. Esses homens, os filhos de Sárvia, são mais duros do que eu. Que Javé castigue o mau, conforme a sua maldade".

[II Samuel 4]II Samuel 4



CAI O ÚLTIMO OBSTÁCULO
1. Quando soube que Abner tinha morrido em Hebron, Isbaal, filho de Saul, se acovardou, e todo o Israel ficou alarmado.
2. Isbaal, filho de Saul, tinha dois chefes de guerrilhas: um se chamava Baana e o outro, Recab. Eram filhos de Remon de Berot e benjaminitas, porque Berot também se considerava da tribo de Benjamim.
3. Os habitantes de Berot fugiram para Getaim, onde permanecem até hoje como imigrantes.
4. Aí vivia um filho de Jônatas, filho de Saul, que era aleijado dos dois pés. Ele tinha cinco anos, quando chegou de Jezrael a notícia da morte de Saul e Jônatas. Então a ama o pegou e fugiu; mas, na fuga apressada, a criança caiu e se machucou. Chamava-se Meribaal.
5. Recab e Baana, filhos de Remon de Berot, estavam a caminho e chegaram à casa de Isbaal na hora mais quente do dia, quando Isbaal dormia.
6. A porteira, que estava limpando o trigo, tinha cochilado e dormia. Recab e seu irmão Baana entraram sem ser percebidos.
7. Entraram na casa, enquanto Isbaal dormia na cama. Eles o mataram e lhe cortaram a cabeça. Depois carregaram a cabeça, andando a noite toda pela estrada do deserto.
8. Levaram a cabeça de Isbaal a Davi em Hebron, e disseram ao rei: "Aqui está a cabeça de Isbaal, filho de Saul, o inimigo que queria matar você. Javé trouxe hoje ao senhor meu rei uma vingança contra Saul e sua descendência".
9. Davi, porém, dirigiu-se a Recab e seu irmão Baana, filhos de Remon de Berot, e lhes disse: "Pela vida de Javé, que me salvou a vida de todo perigo!
10. Quem anunciou a morte de Saul, acreditava que estava trazendo uma boa notícia! Pois eu o agarrei e o matei em Siceleg, em troca da boa notícia!
11. Com maior razão ainda, será que não devo pedir contas a vocês do sangue de Isbaal e fazê-los desaparecer da face da terra, por terem matado um homem honesto dentro de sua casa, enquanto dormia na sua cama?"
12. Então Davi ordenou a seus jovens que matassem Recab e Baana. Eles cortaram as mãos e os pés dos dois e pendurar

am seus corpos perto do açude de Hebron. Depois pegaram a cabeça de Isbaal e a enterraram no túmulo de Abner, em Hebron.



[II Samuel 5]2. DAVI, REI DE JUDÁ E DE ISRAEL

II Samuel 5

NASCE UMA NAÇÃO
1. Todas as tribos de Israel foram encontrar-se com Davi em Hebron, e lhe propuseram: "Veja! Somos do mesmo sangue.
2. Já antes, quando Saul era nosso rei, o verdadeiro comandante de Israel era você. E Javé lhe disse: 'Você será o pastor do meu povo Israel. Você será o chefe de Israel' ".
3. Todos os anciãos de Israel foram visitar o rei em Hebron, e Davi fez um pacto com eles em Hebron, diante de Javé. E eles ungiram Davi como rei de Israel.
4. Davi tinha trinta anos quando começou a reinar, e reinou durante quarenta anos.
5. Em Hebron, ele reinou sete anos e meio sobre Judá. Depois, em Jerusalém, reinou trinta e três anos sobre todo o Israel e sobre Judá.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   39   40   41   42   43   44   45   46   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal