Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página47/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   197

14. De todas as nações vinha gente para ouvir a sabedoria de Salomão. Vinham também os reis dos países onde se havia espalhado a fama da sua sabedoria.

2. UM REI CONSTRUTOR

TROCA DE BENS PRIMÁRIOS POR TECNOLOGIA
15. Hiram, rei de Tiro, tinha sido sempre aliado de Davi. Ao saber que Salomão tinha sucedido ao pai no trono, Hiram enviou uma embaixada a Salomão.
16. E Salomão enviou a seguinte mensagem a Hiram:
17. "Você sabe que meu pai Davi não pôde construir um Templo para o Nome de Javé seu Deus, por causa das guerras em que se envolveu, até que Javé lhe submeteu os inimigos debaixo de seus pés.
18. Agora, porém, Javé, meu Deus, me concedeu a paz em todo o território: não tenho inimigos nem problemas graves.
19. Por isso, resolvi construir um Templo para o Nome de Javé, meu Deus, de acordo com o que Javé disse a meu pai Davi: 'O seu filho, que porei no trono depois de você, construirá um Templo para o meu Nome'.
20. Portanto, mande que cortem cedros do Líbano. Meus operários trabalharão junto com os seus, e eu pagarei o trabalho de seus operários, conforme você determinar. Você sabe que entre nós não há ninguém que entenda de corte de madeira como os sidônios".
21. Quando Hiram ouviu o pedido de Salomão, ficou cheio de alegria, e exclamou: "Que hoje seja bendito Javé, pois ele deu a Davi um filho sábio para governar esse grande povo".
22. Em resposta, Hiram mandou esta mensagem a Salomão: "Recebi sua mensagem. Vou atender a seu desejo, mandando-lhe madeira de cedro e cipreste.
23. Meus operários descerão a madeira do Líbano até o mar, e ela seguirá para o lugar que você me indicar. Então eu a desembarcarei, e você a receberá. Em troca, você fornecerá víveres para o meu palácio, conforme eu quiser".
24. Hiram forneceu a Salomão toda a madeira de cedro e cipreste que este necessitava,
25. e Salomão pagou a Hiram nove mil toneladas de trigo para o sustento de seu palácio, e nove mil litros de azeite virgem. Era o que Salomão mandava anualmente para Hiram.
26. Javé concedeu sabedoria a Salomão, conforme lhe havia prometido. Houve bom entendimento entre Hiram e Salomão, e os dois firmaram uma aliança.
27. O rei Salomão recrutou, em todo o Israel, mão-de-obra para o trabalho forçado; conseguiu reunir trinta mil operários.
28. Mandou-os para o Líbano em turnos, dez mil a cada mês: passavam um mês no Líbano e dois meses em casa. Adoniram era o chefe dos trabalhos forçados.
29. Salomão tinha também setenta mil carregadores e oitenta mil cortadores de pedras nas montanhas,
30. sem contar os capatazes, em número de três mil e trezentos, que dirigiam os trabalhos dos operários.
31. O rei mandou extrair grandes blocos de pedra escolhida, a fim de construir os alicerces do templo.
32. Os operários de Salomão, junto com os de Hiram e os giblitas, cortaram e prepararam a madeira e a pedra para a construção do Templo.

[I Reis 6]I Reis 6



O TEMPLO, CENTRO DA VIDA RELIGIOSA
1. No ano quatrocentos e oitenta depois da saída dos israelitas do Egito, quarto do reinado de Salomão em Israel, no mês de Ziv, que é o segundo mês, Salomão começou a construir o Templo de Javé.
2. O Templo de Javé construído por Salomão media trinta metros de comprimento, dez de largura e quinze de altura.
3. O vestíbulo diante do santuário do Templo tinha dez metros no sentido da largura do Templo e cinco no sentido do seu comprimento.
4. No Templo, ele fez janelas quadradas com grades.
5. Encostado à parede do Templo, construiu um anexo rodeando o santuário e o Santíssimo, com pisos, e fez aposentos laterais ao redor.
6. De largura, o andar térreo tinha dois metros e meio; o intermediário, três metros; e o terceiro, três metros e meio. É que ele tinha feito, do lado de fora, saliências em torno do Templo, de modo que as vigas não ficavam presas nas paredes do Templo.
7. E o Templo foi construído com pedras já talhadas, de modo que durante sua construção não se ouviu barulho de martelo, de cinzel ou de qualquer outro instrumento de ferro.
8. A entrada para o andar inferior ficava no canto direito do Templo e, por meio de escadas em caracol, subia-se para o andar do meio, e deste para o andar superior.
9. Salomão terminou a construção do Templo, cobrindo-o com teto de pranchões de cedro.
10. Fez uma galeria anexa a todo o Templo, com dois metros e meio de altura, unida ao Templo por vigas de cedro.
11. Então Javé disse a Salomão:
12. "Quanto a essa casa que você está construindo, se você se comportar de acordo com os meus estatutos, e observar minhas normas e seguir meus mandamentos, eu cumprirei em seu favor a promessa que fiz a seu pai Davi:
13. habitarei entre os israelitas e não abandonarei o meu povo Israel".
14. Quando Salomão terminou as obras do Templo,
15. forrou o lado interno das paredes com placas de cedro, desde o chão até as vigas do teto; revestiu as paredes internas com madeira e cobriu o chão com tábuas de cipreste.
16. Recobriu com tábuas de cedro os dez metros, a partir do fundo do Templo, desde o chão até as vigas, e separou-os do templo para formar o Santíssimo.
17. O Templo, isto é, o santuário diante do Santíssimo, media vinte metros.
18. O cedro do interior do Templo era esculpido com flores e festões; tudo era de cedro e não se via pedra nenhuma.
19. Salomão construiu o Santíssimo no fundo do Templo, para aí colocar a arca da aliança de Javé.
20. O Santíssimo tinha dez metros de comprimento, dez metros de largura e dez de altura; e ele o revestiu de ouro puríssimo. Fez um altar de cedro
21. diante do Santíssimo, e o revestiu de ouro.
22. Revestiu de ouro o Templo inteiro, que ficou totalmente coberto de ouro.
23. Para o Santíssimo, Salomão fez dois querubins de oliveira selvagem, cada um com cinco metros de altura.
24. Cada asa do querubim media dois metros e meio, de modo que a distância era de cinco metros de uma ponta à outra das asas.
25. O segundo querubim também media cinco metros. Os dois tinham o mesmo tamanho e o mesmo formato.
26. Os dois querubins mediam cinco metros de altura cada um.
27. Os querubins foram colocados no meio da sala interior. Eles tinham as asas estendidas, de modo que a asa de um tocava uma parede, e a asa do outro tocava a outra parede, e as asas de ambos tocavam uma na outra, no meio da sala.
28. Os querubins foram revestidos de ouro.
29. Salomão mandou esculpir figuras de querubins, palmeiras e flores ao redor de todas as paredes do Templo, tanto por fora como por dentro,
30. e mandou cobrir de ouro o piso interior e exterior do Templo.
31. Salomão mandou fazer a porta do Santíssimo com vigas de oliveira selvagem. O enquadramento da porta tinha cinco ângulos,
32. e os dois batentes eram de oliveira selvagem. Nos batentes foram esculpidas figuras de querubins, palmeiras e flores, tudo recoberto de ouro. Salomão mandou recobrir de ouro os querubins e as palmeiras.
33. Também mandou fazer as portas do santuário com vigas de oliveira selvagem, com enquadramento de quatro ângulos.
34. Os dois batentes das portas eram de cipreste, com painéis giratórios em cada batente.
35. Nos batentes foram esculpidos querubins, palmeiras e flores, revestidos de ouro ajustado sobre a escultura.
36. Salomão mandou ainda construir o muro do pátio interior com três fileiras de pedra talhada e uma fileira de vigas de cedro.
37. No quarto ano, no mês de Ziv, foram lançados os alicerces do Templo. E no décimo primeiro ano, no mês de Bul, o oitavo mês, o Templo ficou concluído em todas as suas partes, conforme o projeto. Salomão levou sete anos para construir o Templo.
I Reis 7

O PALÁCIO DE SALOMÃO
1. Salomão levou treze anos para construir seu palácio e deixá-lo completamente pronto.
2. Construiu a Casa da Floresta do Líbano, que tinha cinqüenta metros de comprimento, vinte e cinco de largura e quinze de altura. Ela foi construída sobre quatro fileiras de colunas de cedro, com vigas de cedro sobre as colunas.
3. Sobre as vigas sustentadas pelas colunas, foi feito um revestimento de cedro.
4. Havia três fileiras de janelas, quarenta e cinco ao todo; ficavam quinze em cada fileira, cada uma na frente das outras, de três em três.
5. Todas as portas e janelas tinham enquadramento retangular e ficavam umas na frente das outras, de três em três.
6. Salomão construiu o pórtico das colunas com vinte e cinco metros de comprimento e quinze de largura. Além disso, fez um vestíbulo diante das colunas, com uma varanda na frente.
7. Fez o salão do trono ou da audiência, onde administrava a justiça; era revestido de cedro desde o piso até o teto.
8. Sua residência pessoal, em outro pátio atrás do pórtico, era do mesmo estilo. Salomão fez também outro palácio, parecido com esse pórtico, para a filha do Faraó, com quem se havia casado.
9. Desde o alicerce até as vigas do teto, todas as construções foram feitas de pedras escolhidas, cortadas sob medida, serradas por dentro e por fora, também do lado de fora, até o grande pátio.
10. Os alicerces eram de pedras escolhidas, em blocos de cinco por quatro metros,
11. e em cima delas pedras especiais, cortadas sob medida, e também madeira de cedro.
12. O pátio maior tinha três fileiras de pedra talhada e uma fileira de tábuas de cedro; era semelhante ao pátio interno do templo de Javé e ao vestíbulo do palácio.

ORNAMENTOS E UTENSÍLIOS DO TEMPLO
13. Salomão mandou chamar Hiram, de Tiro,
14. filho de uma viúva da tribo de Neftali, cujo pai era natural de Tiro. Hiram trabalhava o bronze, e era dotado de grande habilidade, talento e inteligência para fazer qualquer trabalho de bronze. Ele se apresentou ao rei Salomão e executou toda a obra.
15. Fundiu duas colunas de bronze, cada uma com nove metros de altura e seis de circunferência.
16. Fez dois capitéis de bronze fundido, cada um com dois metros e meio de altura, e os colocou no alto das colunas.
17. Para enfeitar os capitéis, fez dois trançados em forma de corrente, um para cada capitel.
18. Depois fez as romãs; havia duas fileiras de romãs em torno de cada trançado, para cobrir os trançados que ficavam no alto das colunas. Fez o mesmo com o segundo capitel.
19. Os capitéis, no alto das colunas que estavam no vestíbulo, tinham forma de flor de lis, medindo dois metros.
20. Além disso, esses capitéis, no alto das duas colunas, no centro que ficava por trás dos trançados, estavam enfeitados de romãs, colocadas em filas de duzentas ao redor de cada capitel.
21. Em seguida, Hiram ergueu as colunas diante do vestíbulo do santuário: ergueu a coluna do lado direito e lhe deu o nome de Firme; depois levantou a coluna do lado esquerdo e lhe deu o nome de Forte.
22. E assim terminou o trabalho das colunas.
23. Hiram fez ainda o Mar, todo de metal fundido, com cinco metros de diâmetro. Era redondo, tinha dois metros e meio de altura, e sua circunferência tinha quinze metros.
24. Por baixo da borda, em todo o redor, havia duas séries de motivos vegetais, com vinte frutas em cada metro, fundidas numa só peça com o Mar.
25. Este ficava apoiado sobre doze touros, que olhavam três para o norte, três para o oeste, três para o sul e três para o leste. O Mar se apoiava sobre esses touros, que estavam com os traseiros voltados para dentro.
26. A espessura do Mar era de oito centímetros, e sua borda tinha a forma de flor de lis. Sua capacidade era de noventa mil litros.
27. Hiram fez também dez bases de bronze para as bacias: cada uma delas media dois metros de comprimento, dois de largura e um metro e meio de altura.
28. Elas foram construídas com molduras no meio das travessas.
29. Sobre essas molduras havia leões, touros e querubins, e sobre as travessas havia um suporte; abaixo dos leões e dos touros, havia grinaldas em forma de festões.
30. Cada base tinha quatro rodas de bronze, e eixos também de bronze; seus quatro pés tinham suportes por baixo da bacia; eram de metal fundido e ficavam além de cada grinalda.
31. Seu encaixe tinha meio metro, a partir do cruzamento dos suportes até o alto; o encaixe era redondo, em forma de suporte de vaso; tinha setenta e cinco centímetros; e sobre o encaixe também havia esculturas, mas os painéis eram quadrangulares, e não redondos.
32. As quatro rodas ficavam acima das travessas. Os eixos das rodas estavam no pedestal; a altura das rodas era de setenta e cinco centímetros.
33. A forma das rodas era como de roda de carro, com eixos, aros, raios e cubos, tudo em metal fundido.
34. Havia quatro suportes nos quatro cantos de cada base: a base e seus suportes formavam uma peça única.
35. Na parte superior da base havia um suporte com vinte e cinco centímetros de altura, feito de ferro circular; no topo da base havia esteios, e os painéis formavam uma só peça com a base.
36. Sobre os painéis de cada travessa e sobre as molduras, mandou gravar querubins, leões e palmeiras dentro dos espaços livres, com grinaldas ao redor.
37. As dez bases foram fundidas com o mesmo molde, idênticas na medida e na forma.
38. Hiram fez dez bacias de bronze, cada uma com capacidade de mil e oitocentos litros, e media dois metros. Cada bacia estava montada sobre uma das dez bases.
39. Colocou cinco dessas bases do lado direito do Templo, e as outras cinco do lado esquerdo. O Mar foi colocado do lado direito do Templo, a sudoeste.
40. Hiram fez também os recipientes para cinza, as pás e as bacias para a aspersão. E terminou tudo o que o rei Salomão tinha encomendado para o Templo de Javé:
41. as duas colunas; os dois rolos dos capitéis que estavam no alto das colunas; os dois trançados para cobrir os dois rolos que estavam no alto das colunas;
42. as quatrocentas romãs para os dois trançados, ficando as romãs de cada trançado em duas fileiras;
43. as dez bases e as dez bacias;
44. o Mar, com os doze touros;
45. os recipientes para cinza, as pás e as bacias para a aspersão. Hiram fez em bronze polido todos esses objetos para o rei Salomão, para o Templo de Javé.
46. Ele os fundiu na planície do Jordão, em terra argilosa, entre Sucot e Sartã.
47. Não se pôde calcular o peso do bronze, por causa da sua enorme quantidade.
48. Salomão colocou no Templo de Javé todos os objetos que tinha mandado fazer: o altar de ouro e a mesa de ouro, com os pães oferecidos a Deus;
49. os candelabros de ouro puro, cinco à direita e cinco à esquerda, diante do Santíssimo; as flores, as lâmpadas e as tenazes de ouro;
50. as bacias, as facas, as bacias para a aspersão; as taças e os incensórios de ouro puro; os gonzos de ouro para as portas do Santíssimo e do santuário.
51. Quando foram terminadas todas as encomendas para o Templo de Javé, Salomão mandou trazer as ofertas de seu pai Davi - prata, ouro e vasos - e as colocou no tesouro do Templo de Javé.

[I Reis 8]I Reis 8



DEUS ESTÁ NO MEIO DO POVO
1. Salomão reuniu em Jerusalém os anciãos de Israel, todos os chefes das tribos e os chefes das famílias israelitas, para transportar, da Cidade de Davi, que é Sião, a Arca da aliança de Javé.
2. Todos os homens de Israel se reuniram, durante a festa, com o rei Salomão, no mês de Etanim, que é o sétimo mês.
3. Quando todos os anciãos de Israel chegaram, os sacerdotes carregaram a Arca
4. e, com a ajuda dos levitas, transportaram também a Tenda da Reunião e os utensílios sagrados que estavam na Tenda.
5. O rei Salomão, juntamente com toda a comunidade de Israel reunida com ele diante da Arca, sacrificou tantas ovelhas e bois que não foi possível contar nem calcular.
6. Os sacerdotes introduziram a Arca da aliança de Javé no seu lugar, isto é, no recinto do Templo chamado Santíssimo, sob as asas dos querubins.
7. De fato, os querubins estendiam as asas sobre o lugar da Arca, protegendo a Arca e seus varais.
8. Como os varais eram compridos, quem estava no santuário podia ver as suas extremidades, mas não dava para ver de fora. Eles estão aí até hoje.
9. Dentro da Arca não havia outra coisa, além das duas tábuas de pedra que, no Horeb, Moisés aí tinha colocado, quando Javé concluiu a aliança com os israelitas, quando eles saíram do Egito.
10. Quando os sacerdotes saíram do santuário, a Nuvem encheu o Templo de Javé,
11. e os sacerdotes não puderam continuar o seu serviço, por causa da Nuvem: a glória de Javé encheu o Templo.
12. Então Salomão disse: "Javé escolheu habitar a Nuvem escura.
13. Eu construí para ti um Templo, uma casa onde habitarás para sempre".

DEUS PROTEGE O PODER POLÍTICO?
14. O rei voltou-se e abençoou toda a assembléia de Israel. E todos permaneceram em pé.
15. Então o rei disse: "Seja bendito Javé, o Deus de Israel, que realizou com a mão o que a sua boca havia prometido a meu pai Davi:
16. 'Desde o dia em que tirei do Egito o meu povo Israel, não escolhi nenhuma cidade dentre todas as tribos de Israel, a fim de construir aí um Templo para o meu Nome, mas escolhi Davi para governar o meu povo Israel'.
17. Meu pai Davi queria construir aí um Templo para o Nome de Javé, o Deus de Israel.
18. Javé, porém, disse a meu pai Davi: 'Você está querendo construir um Templo para o meu Nome, e faz muito bem querendo isso.
19. Contudo, não é você quem vai construir o Templo, mas o seu filho, saído de suas entranhas, ele é quem vai construir o Templo para o meu Nome'.
20. E Javé realizou a promessa que havia feito: sucedi a meu pai Davi e subi ao trono de Israel, como Javé havia prometido, e construí o Templo para o Nome de Javé, o Deus de Israel.
21. E no Templo eu escolhi um lugar para a Arca, onde se acha a aliança que Javé fez com nossos antepassados, quando os tirou da terra do Egito".
22. Salomão ficou em pé diante do altar de Javé, na presença de toda a assembléia de Israel. Estendeu as mãos para o céu,
23. e disse: "Javé, Deus de Israel, não existe nenhum deus como tu, seja lá no alto do céu, seja cá embaixo na terra. Tu és fiel à aliança e ao amor para com teus servos que caminham de todo o coração na tua presença.
24. Cumpriste a promessa que havias feito ao teu servo Davi, meu pai, e o que prometeste com a boca, hoje realizaste com a mão.
25. Agora, Javé, Deus de Israel, mantém a promessa que fizeste a teu servo Davi, meu pai: 'Nunca faltará para você, diante de mim, um descendente no trono de Israel, contanto que seus filhos saibam se comportar, vivendo de acordo comigo, assim como você viveu'.
26. Agora, portanto, ó Deus de Israel, confirma a promessa que fizeste a teu servo Davi, meu pai.
27. Será possível que Deus habite na terra? Se não cabes no céu e no mais alto dos céus, muito menos neste Templo que construí.
28. Atende à oração e à súplica do teu servo, ó Javé meu Deus! Ouve o clamor e a prece que teu servo faz hoje diante de ti.
29. Que teus olhos fiquem abertos dia e noite sobre este Templo, sobre este lugar onde quiseste que teu Nome habitasse. Ouve a prece que teu servo fará neste lugar".

CONVERTER-SE PARA TER UMA NOVA HISTÓRIA
30. "Ouve as súplicas do teu servo e do teu povo Israel, quando rezarem neste lugar. Escuta de tua morada no céu. Escuta e perdoa.
31. Quando alguém pecar contra o seu próximo e, porque lhe tiverem exigido um juramento imprecatório, vier para jurar diante do teu altar neste Templo,
32. escuta do céu e age. Julga os teus servos: condena o culpado, dando-lhe o que merece, e absolve o inocente, tratando-o conforme a justiça dele.
33. Quando teu povo Israel for derrotado pelo inimigo por ter pecado contra ti, se ele se converter, confessar-se ao teu Nome, rezar e suplicar a ti neste Templo,
34. escuta do céu, perdoa o pecado do teu povo Israel, e faze com que ele volte para a terra que deste a seus antepassados.
35. Quando o céu se fechar e não cair chuva, por terem pecado contra ti, se eles rezarem neste lugar, se confessarem ao teu Nome e se arrependerem de seu pecado, porque os afligiste,
36. escuta do céu, perdoa o pecado do teu servo e do teu povo Israel, mostrando-lhe o bom caminho que devem seguir, e rega com a chuva a terra que deste como herança ao teu povo.
37. Quando o país sofrer fome, peste, mela e ferrugem; quando vierem gafanhotos e pulgões; quando o inimigo deste povo cercar uma de suas cidades; quando acontecer alguma calamidade ou epidemia;
38. seja qual for a oração ou súplica de qualquer um do teu povo Israel, que sinta remorso de consciência; se ele erguer as mãos para este Templo,
39. escuta do céu onde moras, perdoa e age. Paga a cada um conforme o seu comportamento, pois conheces o coração; és o único que conhece o coração de todos.
40. Desse modo, eles te respeitarão, enquanto viverem na terra que deste aos nossos antepassados.
41. Se o estrangeiro, que não pertence ao teu povo Israel, também vier de uma terra distante por causa do teu Nome,
42. pois ouvirão falar do teu grande Nome, de tua mão forte e de teu braço estendido, se ele vier para orar neste Templo,
43. escuta do céu onde moras, e atende a todos os pedidos do estrangeiro. Assim, todos os povos da terra reconhecerão o teu Nome e temerão a ti, como faz o teu povo Israel. Eles saberão que o teu Nome é invocado neste Templo que eu construí.
44. Se o teu povo sair para guerrear contra os inimigos, e se no caminho em que o mandares ele rezar para ti, voltado para a cidade que escolheste e para o Templo que construí para o teu Nome,
45. escuta do céu a sua oração e súplica, e faze justiça para ele.
46. Quando os israelitas pecarem contra ti, pois não há ninguém que não peque, e tu ficares irritado contra eles, entregando-os ao inimigo, e então eles forem levados como cativos pelos vencedores para uma terra inimiga, distante ou próxima;
47. se nessa terra onde estiverem cativos, eles caírem em si e, na terra dos vencedores, suplicarem: 'Nós pecamos, agimos mal e nos pervertemos';
48. se eles se voltarem para ti de todo o coração e de toda a alma, na terra em que os inimigos os tiverem exilado; se rezarem a ti voltados para a terra que deste aos seus antepassados, para a cidade que escolheste e para o Templo que construí para o teu Nome,
49. escuta do céu onde moras, escuta a oração e súplica deles, e faze justiça para com eles.
50. Perdoa ao teu povo que pecou contra ti, perdoa todas as suas revoltas contra ti, e faze que ele encontre a benevolência dos vencedores, e que estes usem de compaixão para com ele,
51. porque é o teu povo e a tua herança, que tiraste do Egito, do meio da fornalha de ferro.
52. Que teus olhos estejam abertos para as súplicas do teu servo e do teu povo Israel, para ouvires todos os pedidos que eles fizerem a ti.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal