Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página49/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   45   46   47   48   49   50   51   52   ...   197

2. Ele gritou contra o altar esta ordem de Javé: "Altar, altar! Assim diz Javé: Um filho vai nascer na casa de Davi, e se chamará Josias. Ele vai oferecer em sacrifício, sobre você, os sacerdotes dos lugares altos que queimam incenso sobre você. Ossos humanos serão queimados sobre você!"
3. Nesse dia, o homem deu um sinal, dizendo: "Este é o sinal que Javé apresenta: o altar vai rachar, e a cinza que está sobre ele se esparramará".
4. Ao ouvir as palavras que o homem de Deus gritava contra o altar de Betel, o rei Jeroboão estendeu o braço, que tinha posto sobre o altar, e disse: "Prendam esse homem!" Mas o braço estendido ficou paralisado, e ele não conseguia abaixá-lo.
5. O altar rachou e a cinza do altar se espalhou, conforme o sinal que o homem de Deus tinha dado por ordem de Javé.
6. Então o rei suplicou ao homem de Deus: "Por favor, acalme Javé, o seu Deus. Peça por mim, para que eu recupere o movimento do braço!" Então o homem de Deus acalmou Javé, e o rei recuperou o movimento do braço, que ficou como antes.
7. O rei disse então ao homem de Deus: "Venha comigo até o meu palácio e se alimente. Eu lhe darei um presente".
8. O homem de Deus respondeu ao rei: "Mesmo que você me desse a metade do seu palácio, eu não iria com você. Não comerei nem beberei nada neste lugar,
9. pois a palavra de Javé me ordenou que eu não coma nem beba nada, e que eu não retorne pelo mesmo caminho pelo qual vim".
10. E o homem de Deus foi embora por outro caminho, e não pegou o mesmo caminho que tinha usado para chegar a Betel.
11. Um velho profeta morava em Betel. Seus filhos foram e lhe contaram tudo o que o homem de Deus havia feito nesse dia em Betel; contaram também ao pai as palavras que o homem havia dito ao rei.
12. O pai disse para eles: "Qual é o caminho que ele tomou?" Os filhos mostraram ao pai o caminho que o homem de Deus, vindo de Judá, tinha seguido.
13. O profeta ordenou aos filhos: "Selem o jumento para mim". Selaram então o jumento. Ele montou,
14. foi à procura do homem de Deus e o encontrou sentado debaixo de uma árvore. E lhe perguntou: "Você é o homem de Deus que veio de Judá?" O homem respondeu: "Sim".
15. Então ele disse ao homem: "Vamos comigo para a minha casa, e aí você se alimentará".
16. Ele respondeu: "Eu não posso voltar com você nem ir à sua casa. Eu não posso comer nem beber nada neste lugar,
17. porque a palavra de Javé me ordenou que eu não coma nem beba nada aqui, e que eu não retorne pelo mesmo caminho pelo qual vim".
18. O profeta disse ao homem de Deus: "Eu também sou profeta como você, e um anjo me trouxe uma palavra de Javé, dizendo: 'Faça com que ele vá até a sua casa para comer e beber' ". No entanto, ele estava mentindo.
19. O homem de Deus voltou, comeu e bebeu na casa dele.
20. Quando eles estavam fazendo a refeição, a palavra de Javé foi dirigida ao profeta que tinha feito o homem voltar.
21. Ele gritou ao homem de Deus que tinha vindo de Judá: "Assim diz Javé: Porque você transgrediu a ordem de Javé e não obedeceu ao mandamento que Javé seu Deus lhe ordenou,
22. voltando para comer e beber neste lugar que ele havia proibido a você de comer e beber, o seu cadáver não entrará no túmulo de seus pais".
23. Depois de ter comido e bebido, o velho profeta selou o jumento do profeta que ele tinha feito voltar, e este foi embora.
24. No caminho, encontrou um leão que o matou. O cadáver dele ficou aí jogado no caminho, enquanto o jumento permaneceu parado de um lado do cadáver e o leão do outro lado.
25. Alguns homens, que passaram por aí, viram o cadáver jogado no caminho e o leão ao lado do cadáver. Eles foram e contaram, na cidade onde morava o velho profeta, tudo o que tinham visto.
26. Ao saber disso, o profeta que o havia feito voltar, disse: "Deve ser o homem de Deus que desobedeceu à ordem de Javé. E Javé o entregou ao leão, que o matou e dilacerou, como Javé havia predito".
27. Então ordenou a seus filhos: "Selem o jumento para mim". E os filhos selaram.
28. O profeta partiu e encontrou o cadáver estendido no caminho, com o jumento e o leão ao lado; o leão não tinha devorado o cadáver, nem dilacerado o jumento.
29. O profeta ergueu o cadáver do homem de Deus, o acomodou sobre o jumento e o conduziu para a cidade onde morava, para fazer o funeral e enterrá-lo.
30. Colocou no seu próprio túmulo o cadáver, e cantou a lamentação: "Ai, meu irmão!"
31. Depois de o ter enterrado, o profeta disse a seus filhos: "Quando eu morrer, me enterrem na sepultura onde está enterrado esse profeta. Coloquem meus ossos ao lado dos ossos dele,
32. porque certamente vai se cumprir a maldição que ele gritou, por ordem de Javé, contra o altar de Betel e contra todos os santuários dos lugares altos, que estão nas cidades da Samaria".
33. Apesar disso, Jeroboão não se converteu do seu mau comportamento; continuou nomeando homens do povo como sacerdotes dos lugares altos. Qualquer um que quisesse, ele o consagrava sacerdote dos lugares altos.
34. Esse comportamento fez cair em pecado a dinastia de Jeroboão e provocou sua ruína e o extermínio do país.

[I Reis 14]IV. HISTÓRIA DOS DOIS REINOS



I Reis 14

SOMBRAS SOBRE O REINADO DE JEROBOÃO
1. Nessa época, Abias, filho de Jeroboão, ficou doente.
2. E Jeroboão disse à sua mulher: "Vamos, coloque um disfarce para que não reconheçam que você é a esposa de Jeroboão. Vá até Silo, onde está o profeta Aías. Ele me profetizou que eu seria rei deste povo.
3. Leve dez pães, roscas e um pote de mel, e apresente-se a ele. Então ele dirá o que vai acontecer ao menino".
4. A mulher de Jeroboão assim fez. Foi para Silo e se apresentou na casa de Aías. Ora, Aías estava quase cego e tinha os olhos meio apagados por causa da velhice.
5. Javé, porém, lhe tinha dito: "A esposa de Jeroboão virá aqui para pedir a você um oráculo sobre o filho dele que está doente. Diga isso e isso. Ela virá disfarçada".
6. Logo que Aías ouviu o barulho de passos junto à porta, disse: "Entre, esposa de Jeroboão. Por que você veio disfarçada? Fui enviado para lhe dar uma triste notícia.
7. Diga a Jeroboão: 'Assim diz Javé, o Deus de Israel: Eu tirei você do meio do povo e o coloquei como chefe do meu povo Israel.
8. Tirei o reino da casa de Davi para dá-lo a você. Mas você não foi como o meu servo Davi, que observou os meus mandamentos e me seguiu de todo o coração, fazendo apenas o que eu aprovo.
9. Você se comportou de modo pior dos que reinaram antes de você. E até chegou a fazer para você outros deuses, imagens fundidas, para me irritar, e voltou as costas para mim.
10. Por isso, vou trazer a desgraça para a sua casa: eliminarei da casa de Jeroboão todos os que urinam na parede, tanto os escravos como os livres em Israel. Eu varrerei a casa de Jeroboão, como se varre completamente o lixo.
11. Os membros da família de Jeroboão que morrerem na cidade, serão devorados pelos cães; e os que morrerem no campo, serão devorados pelas aves do céu. É isso que Javé tem a dizer'.
12. Quanto a você, levante-se e volte para casa. Quando você puser o pé na cidade, o menino morrerá.
13. Todo o Israel fará luto por ele e o enterrará, porque, da família de Jeroboão, somente esse menino entrará num túmulo. De fato, dentro da família de Jeroboão, foi somente nele que Javé, o Deus de Israel, encontrou alguma coisa de bom.
14. Javé fará surgir em Israel um rei que vai eliminar a família de Jeroboão.
15. Javé ferirá Israel como se faz com o caniço que balança na água: arrancará os israelitas desta boa terra que deu aos antepassados deles, e os dispersará do outro lado do rio Eufrates, porque ergueram seus postes sagrados, provocando a ira de Javé.
16. Entregará os israelitas por causa dos pecados cometidos por Jeroboão e por causa dos pecados que ele fez os israelitas cometerem".
17. A mulher de Jeroboão levantou-se e partiu. E ao chegar a Tersa, mal ela atravessou a soleira da porta da casa, o menino morreu.
18. E o menino foi enterrado, e todo o Israel fez luto por ele, como Javé havia dito por meio do seu servo, o profeta Aías.
19. O resto da história de Jeroboão, as guerras que ele fez, o seu governo, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
20. Jeroboão reinou durante vinte e dois anos. Depois foi enterrado com seus antepassados, e seu filho Nadab lhe sucedeu no trono.

ROBOÃO E A DECADÊNCIA
21. Roboão, filho de Salomão, reinou em Judá. Ele tinha quarenta e um anos quando subiu ao trono. E reinou dezessete anos em Jerusalém, a cidade que Javé tinha escolhido entre todas as tribos de Israel, para aí colocar o seu Nome. A mãe de Roboão se chamava Naama, a amonita.
22. Os habitantes de Judá fizeram o que Javé reprova e provocaram o ciúme dele por causa dos pecados que cometeram, e que foram maiores do que os pecados cometidos pelos seus antepassados.
23. Eles construíram lugares altos, ergueram estelas e postes sagrados nas colinas elevadas e debaixo de toda árvore frondosa.
24. Houve até mesmo prostituição sagrada no país. Imitaram todos os ritos abomináveis das nações que Javé havia expulsado da frente dos israelitas.
25. No quinto ano do reinado de Roboão, aconteceu que Sesac, rei do Egito, atacou Jerusalém.
26. Tomou posse dos tesouros do Templo de Javé e do palácio real, e levou tudo, juntamente com os escudos de ouro que Salomão tinha mandado fazer.
27. Para substituí-los, o rei Roboão mandou fazer escudos de bronze, e os confiou aos chefes da guarda que vigiavam a porta do palácio real.
28. Cada vez que o rei ia ao Templo de Javé, os guardas pegavam os escudos e depois os recolocavam na sala dos guardas.
29. O resto da história de Roboão e de tudo o que ele fez, está escrito nos Anais dos Reis de Judá.
30. Houve guerras contínuas entre Roboão e Jeroboão.
31. Roboão morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi, e seu filho Abiam lhe sucedeu no trono.

[I Reis 15]I Reis 15



BREVE REINADO DE ABIAM EM JUDÁ
1. Abiam subiu ao trono de Judá no ano dezoito de Jeroboão, filho de Nabat.
2. E reinou três anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Maaca, e era filha de Absalão.
3. Abiam imitou os pecados que seu pai havia cometido, e seu coração não foi fiel a Javé, o seu Deus, como tinha sido o coração de Davi, seu antepassado.
4. Em consideração para com Davi, Javé seu Deus lhe deixou uma lâmpada em Jerusalém, dando-lhe um filho e conservando Jerusalém.
5. Isso porque Davi tinha feito o que Javé aprova, sem se desviar do que Javé lhe havia ordenado, em toda a sua vida, com exceção do caso de Urias, o heteu.
6. Houve guerras contínuas entre Abiam e Jeroboão.
7. O resto da história de Abiam e de tudo o que ele fez, está escrito nos Anais dos Reis de Judá.
8. Abiam morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi. E seu filho Asa lhe sucedeu no trono.

ASA EM JUDÁ: TENTATIVA DE REFORMA
9. Asa subiu ao trono de Judá no ano vinte do reinado de Jeroboão em Israel.
10. Reinou durante quarenta e um anos em Jerusalém. Sua avó se chamava Maaca, filha de Absalão.
11. Asa fez o que Javé aprova, como fizera seu antepassado Davi.
12. Expulsou do país a prostituição sagrada e retirou todos os ídolos que seus antepassados haviam feito.
13. Chegou até mesmo a retirar de sua avó o título de rainha-mãe, porque ela havia feito uma imagem de Aserá. Asa quebrou a imagem e a queimou no vale do Cedron.
14. Os lugares altos não desapareceram, mas o coração de Asa foi fiel a Javé durante toda a sua vida.
15. Ele depositou no Templo de Javé as ofertas que seu pai havia consagrado e suas próprias ofertas: prata, ouro e utensílios.
16. Entre Asa e Baasa, rei de Israel, houve guerras contínuas.
17. Baasa, rei de Israel, atacou Judá e fortificou Ramá, para impedir as comunicações com Asa, rei de Judá.
18. Então Asa pegou a prata e o ouro que restavam nos tesouros do Templo de Javé e do palácio real, os entregou a seus servos e os mandou a Ben-Adad, filho de Tabremon, filho de Hezion, rei de Aram, que residia em Damasco, com esta mensagem:
19. "Vamos fazer um tratado de paz, como fizeram o seu pai e o meu. Estou lhe mandando um presente de prata e ouro. Rompa sua aliança com Baasa, rei de Israel, para que ele se retire do meu território".
20. Ben-Adad concordou com o rei Asa e enviou os chefes do seu exército contra as cidades de Israel; conquistou Aion, Dã, Abel-Bet-Maaca, a região de Neftali.
21. Ao saber disso, Baasa suspendeu as obras em Ramá e voltou para Tersa.
22. Então o rei Asa convocou todo o povo de Judá, sem exceção. Tiraram as pedras e madeiras com que Baasa estava fortificando Ramá, e as aproveitaram para fortificar Gaba de Benjamim e Masfa.
23. O resto da história de Asa, suas façanhas militares e as cidades que construiu, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Judá. Na sua velhice, Asa teve doença de gota nos pés.
24. Asa morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi, seu pai. E seu filho Josafá lhe sucedeu no trono.

NADAB DE ISRAEL: TERMINA A DINASTIA DE JEROBOÃO
25. Nadab, filho de Jeroboão, subiu ao trono de Israel no segundo ano do reinado de Asa, rei de Judá. Reinou dois anos em Israel.
26. Fez o que Javé reprova: imitou o comportamento de seu pai e os pecados que ele fizera cometer em Israel.
27. Baasa, filho de Aías, da tribo de Issacar, conspirou contra ele e o assassinou em Gebeton, cidade filistéia, que Nadab e todo o Israel estavam cercando.
28. Baasa o matou no terceiro ano de Asa, rei de Judá, e ficou reinando no lugar dele.
29. Logo que se tornou rei, Baasa matou toda a família de Jeroboão e a massacrou, sem deixar nenhum sobrevivente, conforme a predição que Javé tinha feito por meio de seu servo Aías de Silo.
30. A causa foram os pecados que ele cometera e fizera Israel cometer, provocando a indignação de Javé, o Deus de Israel.
31. O resto da história de Nadab, e tudo o que ele fez, está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
32. Houve guerras contínuas entre Asa e Baasa, rei de Israel.

BAASA EM ISRAEL: A SITUAÇÃO CONTINUA
33. Baasa, filho de Aías, subiu ao trono de Israel, em Tersa, no terceiro ano do reinado de Asa, rei de Judá. Reinou durante vinte e quatro anos.
34. Fez o que Javé reprova, imitando o comportamento de Jeroboão e o pecado que ele fizera Israel cometer.

[I Reis 16]I Reis 16



1. Então Javé dirigiu sua palavra a Jeú, filho de Hanani, contra Baasa, dizendo:
2. "Eu tirei você do pó e o tornei chefe do meu povo Israel. Você, porém, imitou o comportamento de Jeroboão e fez o meu povo Israel cometer pecados que me irritam.
3. Por isso, varrerei Baasa e sua família, e a deixarei como a família de Jeroboão, filho de Nabat.
4. Todas as pessoas da família de Baasa que morrerem na cidade serão devoradas pelos cães, e quem morrer no campo será devorado pelas aves do céu".
5. O resto da história de Baasa, com suas façanhas militares, está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
6. Baasa morreu e foi enterrado com seus antepassados em Tersa. E seu filho Ela lhe sucedeu no trono.
7. Por meio do profeta Jeú, filho de Hanani, Javé dirigiu sua palavra a Baasa e família, por ter imitado a família de Jeroboão, fazendo o que Javé reprova e irritando-o com suas ações, e também porque exterminara a família de Jeroboão.

ELA EM ISRAEL: NOVO GOLPE DE ESTADO
8. Ela, filho de Baasa, subiu ao trono de Israel, em Tersa, no ano vinte e seis do reinado de Asa, rei de Judá. Reinou dois anos.
9. Seu oficial Zambri, chefe da metade de seus carros, conspirou contra ele, enquanto Ela estava se embebedando em Tersa, na casa de Arsa, mordomo do palácio.
10. Zambri entrou e o assassinou no ano vinte e sete do reinado de Asa, rei de Judá. E reinou no lugar de Ela.
11. Logo que se tornou rei, Zambri massacrou toda a família de Baasa, eliminando todos os que urinam na parede, tanto parentes como amigos de Baasa.
12. Zambri acabou com a família de Baasa, como Javé havia predito contra Baasa, por meio do profeta Jeú.
13. A causa disso foram os pecados que Baasa e seu filho Ela tinham cometido e fizeram Israel cometer. Com seus ídolos vazios, irritaram Javé, o Deus de Israel.
14. O resto da história de Ela, e de tudo o que fez, está escrito nos Anais dos Reis de Israel.

ZAMBRI EM ISRAEL: O REINADO MAIS CURTO
15. Zambri ocupou o trono em Tersa durante sete dias, no ano vinte e sete do reinado de Asa, rei de Judá. Nessa ocasião, o exército estava acampado diante de Gebeton, que pertencia aos filisteus.
16. Quando o acampamento recebeu a notícia de que Zambri tinha conspirado e matado o rei, na mesma hora os soldados proclamaram Amri, chefe do exército, como rei de Israel.
17. Amri saiu de Gebeton com todo o exército de Israel, e cercou Tersa.
18. Quando Zambri percebeu que a cidade ia ser tomada, fechou-se na torre do palácio, colocou fogo no palácio e morreu aí dentro.
19. Isso aconteceu por causa do pecado que havia cometido. Ele fez o que Javé reprova, imitando o comportamento de Jeroboão e o pecado que este havia feito Israel cometer.
20. O resto da história de Zambri, e a conspiração que ele tramou, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
21. Os israelitas se dividiram: metade apoiou Tebni, filho de Ginet, querendo proclamá-lo rei; a outra metade apoiou Amri.
22. O partido de Amri acabou vencendo o de Tebni, filho de Ginet. Tebni morreu, e Amri tornou-se rei.

AMRI EM ISRAEL: ESTABILIDADE POLÍTICA
23. Amri subiu ao trono de Israel no ano trinta e um do reinado de Asa, rei de Judá. Reinou doze anos. Nos seis primeiros anos, reinou em Tersa.
24. Depois comprou de Semer o monte da Samaria por setenta quilos de prata. Construiu aí uma cidade e lhe deu o nome de Samaria, por causa do nome de Semer, dono do monte.
25. Amri fez o que Javé reprova e foi o pior de todos os que vieram antes dele.
26. Imitou em tudo o comportamento de Jeroboão, filho de Nabat, e os pecados que este fizera Israel cometer. Com seus ídolos vazios, irritou Javé, o Deus de Israel.
27. O resto da história de Amri, com suas façanhas militares, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
28. Amri morreu e foi enterrado em Samaria. E seu filho Acab lhe sucedeu no trono.

ACAB EM ISRAEL: O GRANDE DESAFIO
29. Acab, filho de Amri, subiu ao trono de Israel no ano trinta e oito do reinado de Asa, rei de Judá. Reinou sobre Israel, em Samaria, vinte e dois anos.
30. Acab, filho de Amri, fez o que Javé reprova, mais do que todos os que vieram antes dele.
31. Além de imitar os pecados de Jeroboão, filho de Nabat, casou-se com Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios. E começou a servir e adorar a Baal.
32. Chegou a construir em Samaria um templo e um altar para Baal.
33. Acab levantou também um poste sagrado e cometeu outros pecados, irritando Javé, o Deus de Israel, mais do que todos os reis de Israel que vieram antes dele.
34. No seu tempo, Hiel de Betel reconstruiu Jericó: os alicerces lhe custaram a vida de seu primogênito Abiram, e as portas custaram a vida de Segub, seu filho caçula, como Javé havia predito por meio de Josué, filho de Nun.

[I Reis 17]V. ELIAS, PORTA-VOZ DE JAVÉ



I Reis 17

O PROFETA ANUNCIA O JULGAMENTO
1. Elias, o tesbita de Tesbi de Galaad, disse ao rei Acab: "Pela vida de Javé, o Deus de Israel, a quem sirvo: nestes anos não haverá orvalho nem chuva, a não ser quando eu mandar".
2. Javé dirigiu a palavra a Elias:
3. "Saia daqui, dirija-se para o oriente e esconda-se junto ao córrego Carit, que fica a leste do Jordão.
4. Você poderá beber água do córrego. Eu ordenei aos corvos que levem comida para você".
5. Então Elias partiu e fez como Javé tinha mandado: foi morar junto ao córrego Carit, a leste do Jordão.
6. Os corvos lhe levavam pão de manhã e carne à tarde. E ele bebia água do córrego.

O PROFETA ENSINA A PARTILHAR
7. Algum tempo depois, o córrego secou, porque não tinha chovido na região.
8. Então Javé dirigiu a palavra a Elias:
9. "Levante-se, vá para Sarepta, que pertence à região de Sidônia, e fique morando aí. Porque eu ordenei a uma viúva que dê comida para você".
10. Elias se levantou e foi para Sarepta. Chegando à porta da cidade, encontrou uma viúva que estava recolhendo lenha. Elias a chamou e disse: "Por favor! Traga-me um pouco de água no seu balde para eu beber".
11. Quando a mulher já estava indo buscar água, Elias gritou para ela: "Traga-me também um pedaço de pão".
12. Ela respondeu: "Pela vida de Javé, o seu Deus, não tenho nenhum pão feito; tenho apenas um pouco de farinha numa vasilha e um pouco de azeite na jarra. Estou ajuntando uns gravetos para preparar esse resto para mim e meu filho. Depois, vamos comer e ficar esperando a morte".
13. Mas Elias lhe disse: "Não tenha medo! Vá e faça o que está dizendo. Mas primeiro prepare um pãozinho com o que você tem e traga para mim. Só depois você prepara um pão para você e seu filho.
14. Pois assim diz Javé, Deus de Israel: A vasilha de farinha não ficará vazia e a jarra de azeite não se esgotará, até o dia em que Javé mandar chuva sobre a terra".
15. A mulher foi fazer o que Elias tinha mandado. E comeram, tanto ele como também ela e o filho, durante muito tempo.
16. A vasilha de farinha não se esvaziou e a jarra de azeite não se esgotou, como Javé tinha anunciado por meio de Elias.

O PROFETA É INSTRUMENTO DE VIDA
17. Depois disso, ficou doente o filho dessa mulher, dona da casa, e a doença foi tão grave que ele acabou morrendo.
18. Então ela disse a Elias: "Não quero nada com você, homem de Deus. Será que você veio à minha casa para lembrar minhas culpas e provocar a morte do meu filho?"
19. Elias respondeu: "Dê-me o seu filho". Pegando o menino dos braços dela, Elias o levou até o quarto de cima, onde se achava hospedado e o deitou sobre a sua própria cama.
20. Depois chamou por Javé, dizendo: "Javé, meu Deus, queres castigar até essa viúva que me hospeda, fazendo o filho dela morrer?"
21. Então Elias estendeu-se três vezes sobre o menino e invocou a Javé: "Ó Javé, meu Deus, faze que este menino ressuscite!"
22. Javé atendeu à súplica de Elias, e o menino ressuscitou, tornando a viver.
23. Elias pegou o menino, o desceu do quarto de cima e o entregou à mãe dele, dizendo: "Olhe, seu filho está vivo".
24. A mulher respondeu a Elias: "Agora sei que você é um homem de Deus, e que de fato anuncia a palavra de Javé".

[I Reis 18]I Reis 18





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   45   46   47   48   49   50   51   52   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal