Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página50/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   46   47   48   49   50   51   52   53   ...   197

O PROFETA DESMASCARA OS ÍDOLOS
1. Muito tempo depois, no terceiro ano, Javé dirigiu sua palavra a Elias: "Vá e se apresente a Acab, porque vou mandar chuva sobre a terra".
2. Elias partiu e foi apresentar-se a Acab. Ora, em Samaria, a fome apertava cada vez mais.
3. Acab mandou chamar Abdias, que era o chefe do palácio. Abdias era homem temente a Javé:
4. quando Jezabel massacrava os profetas de Javé, ele pegou cem profetas e escondeu-os numa gruta, em grupos de cinqüenta, providenciando comida e bebida para eles.
5. Acab disse a Abdias: "Venha, vamos andar pelo país, procurando todas as fontes e córregos. Talvez possamos encontrar pasto para sustentar os cavalos e burros, e não tenhamos que sacrificar esses animais".
6. Acab e Abdias dividiram entre si a região a percorrer: cada um foi para um lado.
7. Enquanto Abdias caminhava, Elias foi ao encontro dele. Abdias o reconheceu, caiu com o rosto por terra, e perguntou: "O senhor não é Elias?"
8. Elias respondeu: "Sou eu mesmo. Vá dizer ao seu patrão que Elias está aqui".
9. Abdias replicou: "Que pecado eu cometi para que o senhor me entregue nas mãos de Acab, para ele me matar?
10. Pela vida de Javé, o seu Deus: não há nação, nem reino, aonde meu patrão não tenha mandado procurar pelo senhor. E quando diziam: 'Elias não está aqui', meu patrão fazia o reino e a nação jurarem que não haviam achado o senhor.
11. E agora, o senhor me manda dizer ao meu patrão que Elias está aqui?!
12. Quando eu sair daqui, o espírito de Javé transportará o senhor não sei para onde. Eu irei informar Acab, e ele, não o encontrando, me matará. E seu servo teme a Javé desde a juventude.
13. Por acaso, não contaram ao senhor o que fiz quando Jezabel estava matando os profetas de Javé? Escondi numa gruta cem profetas de Javé, em grupos de cinqüenta, e providenciei pão e água para eles.
14. E agora, o senhor me manda dizer ao meu patrão que Elias está aqui?! Ele vai me matar!"
15. Elias respondeu: "Pela vida de Javé dos exércitos, a quem sirvo: hoje mesmo eu vou me apresentar diante de Acab".
16. Então Abdias foi encontrar-se com Acab e contou o que havia acontecido. E Acab saiu ao encontro de Elias.
17. Logo que o viu, lhe disse: "Você é a ruína de Israel!"
18. Elias respondeu: "Não sou eu que estou arruinando Israel. Pelo contrário, é você e sua família, porque vocês abandonaram Javé e seguiram os ídolos.
19. Pois bem! Mande que todo o Israel se reúna comigo no monte Carmelo, junto com os quatrocentos e cinqüenta profetas de Baal, que comem à mesa de Jezabel".
20. Acab convocou todos os israelitas e reuniu os profetas no monte Carmelo.
21. Então Elias se aproximou do povo e disse: "Até quando vocês vão mancar com as duas pernas? Se Javé é o Deus verdadeiro, sigam a Javé. Se é Baal, sigam a Baal". O povo nada respondeu.
22. Então Elias continuou: "Fiquei sozinho como profeta de Javé, enquanto os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta.
23. Tragam aqui dois bezerros: vocês vão escolher um. Depois de cortá-lo em pedaços, o coloquem sobre a lenha, mas não acendam o fogo. Eu vou preparar o outro bezerro, o colocarei sobre a lenha e também não acenderei o fogo.
24. Vocês invocarão o deus de vocês e eu invocarei a Javé. O Deus que responder, enviando fogo, é o Deus verdadeiro". Todo o povo concordou: "A proposta é boa".
25. Então Elias disse aos profetas de Baal: "Escolham um bezerro e preparem primeiro, pois vocês são maioria. Invoquem o nome do deus de vocês, mas não acendam o fogo".
26. Então eles pegaram o bezerro, o prepararam e ficaram invocando a Baal, desde o amanhecer até o meio-dia, e suplicando: "Baal, responde-nos". Mas não se ouvia nenhuma voz, nenhuma resposta, apesar de dançarem, dobrando os joelhos, ao redor do altar que tinham feito.
27. Pelo meio-dia, Elias começou a zombar deles: "Gritem mais alto; Baal é deus, mas pode ser que esteja ocupado. Quem sabe teve que se ausentar. Ou então, está viajando. Talvez esteja dormindo e seja preciso acordá-lo".
28. Então eles gritavam mais alto e, conforme o costume deles, fizeram talhos no próprio corpo com espadas e lanças, até escorrer sangue.
29. Depois do meio-dia, entraram em transe até a hora da apresentação das ofertas. Mas não se ouvia nenhuma voz, nenhuma palavra, nenhuma resposta.
30. Então Elias disse a todo o povo: "Venham aqui". Todos se aproximaram, e Elias reconstruiu o altar de Javé, que estava demolido.
31. Pegou doze pedras, conforme o número das doze tribos dos filhos de Jacó, a quem Javé tinha dito: "Você se chamará Israel".
32. E com as pedras construiu um altar em honra de Javé. Fez em volta do altar um canal capaz de conter duas arrobas de sementes.
33. Empilhou a lenha, cortou o bezerro em pedaços e o colocou sobre a lenha.
34. Depois disse: "Encham quatro baldes de água e derramem sobre a vítima e sobre a lenha". Eles assim fizeram. Então Elias disse: "Façam tudo outra vez". E eles tornaram a fazer. Elias voltou a dizer: "Façam isso pela terceira vez". Eles assim fizeram.
35. A água escorreu ao redor do altar, e até o canal ficou cheio de água.
36. Chegando a hora da oferta, o profeta Elias se aproximou e rezou: "Javé, Deus de Abraão, de Isaac e de Israel, todos saibam hoje que tu és Deus em Israel, que eu sou teu servo e que foi por tua ordem que eu fiz todas essas coisas.
37. Responde-me, para que este povo reconheça que tu, Javé, és o Deus verdadeiro, e que és tu que convertes o coração deles".
38. Então Javé mandou um raio que consumiu a vítima, a lenha, as pedras e as cinzas, e secou a água que estava no canal.
39. O povo viu tudo isso e prostrou-se no chão, exclamando: "Javé é o Deus verdadeiro! Javé é o Deus verdadeiro!"
40. Então Elias disse a eles: "Agarrem os profetas de Baal. Não deixem escapar nenhum". E eles os agarraram. Elias fez os profetas de Baal descer até o riacho Quison, e aí os degolou.
41. Elias disse a Acab: "Vá comer e beber, pois já se ouve o barulho da chuva".
42. Enquanto Acab foi comer e beber, Elias subiu ao topo do monte Carmelo e se encurvou até o chão, colocando o rosto entre os joelhos.
43. Depois disse ao seu servo: "Suba e olhe para o lado do mar". O servo subiu, olhou e disse: "Não se vê nada". Elias disse: "Volte até sete vezes".
44.

Na sétima vez, o servo disse: "Uma nuvenzinha, do tamanho da mão de uma pessoa, vem subindo do mar". Então Elias mandou: "Vá dizer a Acab que atrele os cavalos no carro e desça, para que a chuva não o detenha".


45. Num instante o céu ficou escuro, com nuvens trazidas pelo vento, e caiu uma chuva pesada. Acab subiu no seu carro e foi para Jezrael.
46. Elias, com a força de Javé, amarrou o cinto e foi correndo na frente de Acab até a entrada de Jezrael.

[I Reis 19]I Reis 19



O PROFETA REORGANIZA A SOCIEDADE
1. Acab contou a Jezabel o que Elias tinha feito e como tinha matado a fio de espada todos os profetas.
2. Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias, com este recado: "Que os deuses me castiguem se amanhã, a esta hora, eu não tiver feito com você o mesmo que você fez com os profetas".
3. Elias ficou com medo, levantou-se e partiu para se salvar. Chegou a Bersabéia, em Judá, e aí deixou o seu servo.
4. E continuou a caminhar mais um dia pelo deserto. Por fim, sentou-se debaixo de uma árvore e desejou a morte, dizendo: "Chega, Javé! Tira a minha vida, porque eu não sou melhor que meus pais".
5. Deitou-se debaixo da árvore e dormiu. Então um anjo o tocou e lhe disse: "Levante-se e coma".
6. Elias abriu os olhos e viu bem perto da cabeça um pão assado sobre pedras quentes, e uma jarra de água. Comeu, bebeu e deitou-se outra vez.
7. Mas o anjo de Javé o tocou de novo, e lhe disse: "Levante-se e coma, pois o caminho é superior às suas forças".
8. Elias se levantou, comeu, bebeu e, sustentado pela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até o Horeb, a montanha de Deus.
9. Elias entrou na gruta da montanha, e aí passou a noite. Então Javé lhe dirigiu a palavra, perguntando: "Elias, o que é que você está fazendo aqui?"
10. Elias respondeu: "O zelo por Javé dos exércitos me consome, porque os israelitas abandonaram tua aliança, derrubaram teus altares e mataram teus profetas. Sobrei somente eu, e eles querem me matar também".
11. Javé lhe disse: "Saia e fique no alto da montanha, diante de Javé, pois Javé vai passar". Então aconteceu um furacão que de tão violento rachava as montanhas e quebrava as rochas diante de Javé. No entanto, Javé não estava no furacão. Depois do furacão, houve um terremoto. Javé porém não estava no terremoto.
12. Depois do terremoto, apareceu fogo, e Javé não estava no fogo. Depois do fogo, ouviu-se uma brisa suave.
13. Ouvindo-a, Elias cobriu o rosto com o manto, saiu e ficou na entrada da gruta. Ouviu, então, uma voz que lhe dizia: "O que é que você está fazendo aqui, Elias?"
14. E Elias respondeu: "O zelo de Javé dos exércitos me consome, porque os israelitas abandonaram tua aliança, derrubaram teus altares e mataram teus profetas a fio de espada. Sobrei somente eu, e eles querem me matar também".
15. Javé disse a Elias: "Pegue o caminho de volta, em direção ao deserto de Damasco. Unja Hazael como rei de Aram,
16. e Jeú, filho de Namsi, como rei de Israel. Unja também Eliseu, filho de Safat, natural de Abel-Meúla, como profeta em seu lugar.
17. Quem escapar da espada de Hazael, será morto por Jeú. E quem escapar da espada de Jeú, será morto por Eliseu.
18. Mas eu vou poupar em Israel sete mil homens: são todos os joelhos que não se dobraram diante de Baal e todos os lábios que não o beijaram".

A VOCAÇÃO PROFÉTICA
19. Elias partiu daí e encontrou Eliseu, filho de Safat, trabalhando com doze juntas de bois. Ele próprio dirigia a última junta. Elias passou perto de Eliseu e jogou o manto sobre ele.
20. Eliseu deixou os bois, correu atrás de Elias, e disse: "Deixe-me dizer adeus a meus pais. Depois eu seguirei você". Elias respondeu: "Vá, mas volte logo. Quem o está impedindo de ir?"
21. Eliseu afastou-se de Elias, pegou a junta de bois e a ofereceu em sacrifício. Aproveitou a madeira do arado para cozinhar a carne, e distribuiu a carne para o seu pessoal comer. Depois levantou-se, seguiu Elias, e se colocou a seu serviço.

[I Reis 20]I Reis 20



A AUTORIDADE NÃO PODE SER ARBITRÁRIA
1. Ben-Adad, rei de Aram, reuniu todo o seu exército e, acompanhado de trinta e dois reis vassalos, subiu com cavalos e carros, cercou e atacou Samaria.
2. Mandou até a cidade emissários para Acab, rei de Israel,
3. com a seguinte mensagem: "Assim diz Ben-Adad: Entregue-me a prata e o ouro; fique com suas mulheres e filhos".
4. O rei de Israel mandou esta resposta: "Seja como vossa majestade ordena. Eu lhe pertenço com tudo o que possuo".
5. No entanto os mensageiros voltaram com outra mensagem: "Assim diz Ben-Adad: Eu lhe ordeno que me entregue a prata e o ouro, junto com suas mulheres e filhos.
6. Amanhã, a esta hora, enviarei até você meus oficiais, para revistar seu palácio e os palácios de seus ministros: eles pegarão o que quiserem e levarão embora".
7. Então o rei de Israel convocou todos os anciãos do país e lhes disse: "Reparem e vejam que esse homem quer nos arruinar. Está exigindo de mim as minhas mulheres e filhos, apesar de eu não lhe ter recusado entregar minha prata e ouro".
8. Todos os anciãos e o povo todo responderam: "Não faça caso dele nem lhe obedeça".
9. Então o rei de Israel deu esta resposta aos mensageiros de Ben-Adad: "Digam à sua majestade: Farei o que o senhor propôs na primeira vez, mas não posso aceitar essa última exigência". E os mensageiros foram levar a resposta.
10. Então Ben-Adad mandou esta mensagem: "Que os deuses me castiguem se na Samaria houver pó suficiente para que cada um dos meus soldados possa pegar um punhado".
11. Mas o rei de Israel respondeu: "Digam a Ben-Adad que ninguém canta vitória com a espada na bainha, e sim quando a desembainha".
12. Ben-Adad estava bebendo na tenda com os reis. Quando ouviu a resposta, ordenou aos oficiais: "A postos!" E eles tomaram posição contra a cidade.
13. Enquanto isso, um profeta se apresentou a Acab, rei de Israel, e disse: "Assim diz Javé: Você está vendo aquele exército imenso? Pois bem! Eu vou entregá-lo hoje mesmo em suas mãos, para que você reconheça que eu sou Javé".
14. Acab lhe perguntou: "Por meio de quem?" O profeta respondeu: "Assim diz Javé: Por meio dos soldados jovens de cada chefe das províncias". Acab insistiu: "Quem vai atacar primeiro?" Ele respondeu: "Você mesmo".
15. Acab passou revista aos jovens soldados de cada chefe das províncias: eram ao todo duzentos e trinta e dois. Em seguida, passou revista a todo o exército israelita, que chegava a sete mil.
16. Ao meio-dia, fizeram uma investida, enquanto Ben-Adad estava se embebedando junto com os trinta e dois reis aliados.
17. Saíram primeiro os soldados jovens de cada chefe das províncias. Então mandaram avisar Ben-Adad: "Saíram alguns homens de Samaria".
18. Ben-Adad ordenou: "Se saírem com intenção pacífica, sejam capturados vivos. E se saírem para combater, sejam capturados vivos também".
19. Então saíram da cidade os soldados jovens de cada chefe das províncias, seguidos pelo exército,
20. e cada um deles abateu o seu adversário. Os arameus fugiram, perseguidos pelos israelitas. Ben-Adad, rei de Aram, escapou a cavalo com alguns cavaleiros.
21. Então o rei de Israel saiu, apoderou-se dos cavalos e carros, e causou grande derrota aos arameus.
22. O profeta se aproximou do rei de Israel e lhe disse: "Coragem! Pense bem no que você deve fazer, porque, no ano que vem, o rei de Aram virá atacá-lo novamente".
23. Os ministros do rei de Aram, por sua vez, propuseram: "O Deus dessa gente é um Deus de montanha. É por isso que nos venceram. Mas nós vamos lutar contra eles na planície e, com toda a certeza, venceremos.
24. Faça o seguinte: deponha todos esses reis, substituindo-os por governadores.
25. Recrute um exército como aquele que você perdeu, com o mesmo número de cavalos e carros. Depois, vamos combatê-los na planície e, com toda a certeza, venceremos". Ben-Adad seguiu o conselho deles e assim fez.
26. No ano seguinte, Ben-Adad passou revista aos arameus e subiu a Afec, para lutar contra Israel.
27. Os israelitas, mobilizados e providos de víveres, saíram ao encontro de Ben-Adad. Acampados diante do inimigo, os israelitas eram como dois rebanhos de cabras, enquanto os arameus enchiam a região toda.
28. O homem de Deus se aproximou do rei de Israel e lhe disse: "Assim diz Javé: Os arameus disseram que Javé é um Deus de montanha e não de planície. Por isso, eu vou entregar a você esse exército imenso, para que você reconheça que eu sou Javé".
29. Durante sete dias, os dois exércitos estiveram acampados um na frente do outro. No sétimo dia começou a batalha, e num só dia os israelitas mataram cem mil soldados da infantaria dos arameus.
30. Os sobreviventes fugiram para a cidade de Afec, porém as muralhas desabaram sobre os vinte e sete mil homens que tinham sobrado. Ben-Adad fugiu e, entrando na cidade, se escondia de casa em casa.
31. Seus ministros lhe disseram: "Olhe, ouvimos dizer que os reis de Israel são misericordiosos. Vamos vestir-nos com pano de saco, amarrar cordas no pescoço e ir ao encontro do rei de Israel. Talvez ele conserve a sua vida".
32. Vestiram-se, então, com pano de saco, amarraram cordas no pescoço e saíram ao encontro do rei de Israel, dizendo: "Assim diz o seu servo Ben-Adad: Deixe-me viver!" O rei respondeu: "Ben-Adad ainda está vivo? Ele é meu irmão!"
33. Os mensageiros acolheram essas palavras como bom augúrio, e se apressaram a tomá-las ao pé da letra, dizendo: "Ben-Adad é irmão dele!" Acab respondeu: "Vão buscá-lo". Ben-Adad foi até Acab, e este o fez subir em seu carro.
34. Então Ben-Adad lhe propôs: "Vou devolver a você as cidades que meu pai tomou de seu pai, e você poderá ter mercados em Damasco como meu pai tinha na cidade de Samaria". Acab respondeu: "Vou fazer um pacto e deixá-lo em liberdade". E Acab fez um pacto com Ben-Adad e o deixou em liberdade.
35. Então um dos filhos de profetas disse a um companheiro seu, por ordem de Javé: "Fira-me!" Mas o companheiro não o quis ferir.
36. O profeta lhe disse: "Porque você não obedeceu à ordem de Javé, um leão o matará logo que você se separar de mim". E enquanto ele se afastava, encontrou um leão, que o matou.
37. O profeta encontrou-se com outro homem, e disse: "Fira-me!" O homem deu-lhe um golpe e o deixou ferido.
38. O profeta foi esperar o rei no caminho, disfarçando-se com uma atadura sobre os olhos.
39. Quando o rei passou, o profeta gritou: "Seu servo estava no meio da batalha, quando um homem se aproximou e me entregou outro homem, dizendo-me: 'Guarde este homem. Se ele desaparecer, você deverá pagar com a vida ou com dinheiro'.
40. Pois bem, enquanto eu estava ocupado aqui e ali, o homem desapareceu". O rei de Israel lhe disse: "Esta é a sua sentença! Você mesmo a pronunciou".
41. Então o profeta tirou a atadura que tinha sobre os olhos e o rei de Israel percebeu que era um profeta.
42. Então ele disse ao rei: "Assim diz Javé: Porque você deixou escapar o homem que eu tinha consagrado ao extermínio, você pagará com a própria vida a vida dele, e com o seu exército o exército dele".
43. O rei de Israel foi para casa triste e aflito, e entrou em Samaria.

[I Reis 21]I Reis 21



GANÂNCIA PRODUZ INJUSTIÇA
1. Depois disso, aconteceu o seguinte: Nabot de Jezrael possuía uma vinha em Jezrael, perto do palácio de Acab, rei de Samaria.
2. Acab lhe fez uma proposta: "Entregue-me a sua vinha, que eu vou transformá-la em pomar, porque está perto do meu palácio. Em troca, eu darei a você uma vinha melhor, ou, se preferir, pagarei o valor dela em dinheiro".
3. Nabot, porém, respondeu: "Javé me livre de entregar a você a herança de meus pais".
4. Acab voltou para casa, aborrecido e irritado por causa da resposta de Nabot de Jezrael: "Não vou entregar a você a herança de meus pais". Deitou-se na cama, virou o rosto para a parede e não quis comer nada.
5. Sua esposa Jezabel aproximou-se e lhe disse: "Por que você está de mau humor e não quer comer?"
6. Ele respondeu: "É que eu falei com Nabot de Jezrael e lhe propus que me vendesse a vinha dele, ou, se preferisse, que trocasse por uma outra, mas ele me disse: 'Não vou entregar a minha vinha a você' ".
7. Então Jezabel disse ao marido: "Será que não é você quem governa Israel? Levante-se, coma, e seu coração se alegre, pois eu entregarei a você a vinha de Nabot de Jezrael".
8. Então Jezabel escreveu umas cartas em nome de Acab, selou-as com o selo do rei e as mandou aos anciãos e notáveis da cidade, concidadãos de Nabot.
9. As cartas diziam: "Proclamem um jejum e façam Nabot sentar-se nos primeiros lugares.
10. Façam comparecer diante dele dois homens sem escrúpulo, para fazer a seguinte acusação: 'Você amaldiçoou a Deus e ao rei!' Depois, levem Nabot para fora e o apedrejem até morrer".
11. Os homens da cidade, anciãos e notáveis, concidadãos de Nabot, fizeram como Jezabel tinha mandado, conforme estava escrito nas cartas que haviam recebido:
12. proclamaram um jejum e colocaram Nabot nos primeiros lugares.
13. Então chegaram os dois homens sem escrúpulo, que se sentaram diante de Nabot e testemunharam contra ele, dizendo: "Nabot amaldiçoou a Deus e ao rei!" Então o levaram para fora da cidade, o apedrejaram, e ele morreu.
14. Depois, mandaram a notícia a Jezabel: "Nabot foi apedrejado e está morto".
15. Quando Jezabel soube que Nabot tinha sido apedrejado e morrera, disse a Acab: "Levante-se e tome posse da vinha de Nabot de Jezrael, que não quis vender a vinha para você. Nabot não está mais vivo; ele morreu".
16. Quando Acab soube que Nabot estava morto, levantou-se para descer até a vinha de Nabot de Jezrael, a fim de tomar posse dela.
17. Então Javé dirigiu a palavra a Elias, o tesbita:
18. "Levante-se e desça ao encontro de Acab, rei de Israel, que está em Samaria. Ele está na vinha de Nabot, aonde foi para tomar posse.
19. Diga-lhe: Assim diz Javé: Você matou, e ainda por cima está roubando? Por isso, assim diz Javé: No mesmo lugar em que os cães lamberam o sangue de Nabot, lamberão também o seu".
20. Acab disse a Elias: "Então, meu inimigo, você me surpreendeu?" Elias respondeu: "Sim, eu surpreendi você. Pois você se deixou subornar para fazer o que Javé reprova.
21. Por isso, farei cair sobre você a desgraça. Vou deixá-lo sem descendência, vou exterminar todo israelita da sua família, escravo ou livre que urina na parede.
22. Farei com sua casa como fiz com a casa de Jeroboão, filho de Nabat, e com a casa de Baasa, filho de Aías, porque você provocou a minha ira e fez Israel pecar".
23. Javé também pronunciou uma sentença contra Jezabel: "Os cães devorarão Jezabel no campo de Jezrael.
24. A pessoa da família de Acab que morrer na cidade será devorada pelos cães, e quem morrer no campo será comido pelas aves do céu".
25. De fato, não houve ninguém que se tivesse vendido como Acab, incitado por sua mulher Jezabel, para fazer o que Javé reprova.
26. Ele agiu de modo abominável, cultuando ídolos, como faziam os amorreus que Javé tinha expulsado diante dos israelitas.
27. Quando Acab ouviu essas palavras, rasgou as roupas, vestiu-se com pano de saco e fez jejum. Dormia vestido de pano de saco e andava abatido.
28. Então Javé dirigiu a palavra a Elias, o tesbita:
29. "Você viu como Acab se humilhou diante de mim? Por se ter humilhado diante de mim, eu não o castigarei durante a sua vida; mas castigarei a sua família no tempo do seu filho".

[I Reis 22]I Reis 22



O PROFETA É REALISTA
1. Passaram-se três anos sem que houvesse guerra entre Aram e Israel.
2. No terceiro ano, Josafá, rei de Judá, foi visitar o rei de Israel.
3. Este disse a seus próprios ministros: "Vocês sabem que Ramot de Galaad nos pertence, e nós não fazemos nada para recuperá-la das mãos do rei de Aram".
4. Então o rei de Israel disse a Josafá: "Você quer vir comigo para guerrear contra Ramot de Galaad?" Josafá respondeu ao rei de Israel: "Você e eu, seu exército e o meu, sua cavalaria e a minha, somos todos um só".
5. E acrescentou: "Consulte antes o oráculo de Javé".
6. O rei de Israel reuniu os profetas, cerca de quatrocentos homens, e lhes perguntou: "Devo atacar Ramot de Galaad, ou não?" Eles responderam: "Pode ir, porque Javé a entregará nas mãos do rei".
7. Então Josafá perguntou: "Por acaso não existe aqui nenhum outro profeta de Javé, para que possamos consultá-lo?"
8. O rei de Israel respondeu a Josafá: "Existe ainda um: é Miquéias, filho de Jemla, através do qual podemos consultar a Javé. Mas eu não gosto dele, porque nunca me profetiza coisas boas, mas só desgraças". Josafá disse: "O rei não deve falar assim!"


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   46   47   48   49   50   51   52   53   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal