Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


Então o rei de Israel chamou um funcionário e ordenou: "Chame depressa Miquéias, filho de Jemla". 10



Baixar 5.7 Mb.
Página51/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   47   48   49   50   51   52   53   54   ...   197

9. Então o rei de Israel chamou um funcionário e ordenou: "Chame depressa Miquéias, filho de Jemla".
10. O rei de Israel e Josafá, rei de Judá, estavam sentados em seus tronos com vestes reais, na praça junto à porta de Samaria, e todos os profetas profetizavam diante deles.
11. Sedecias, filho de Canaana, fez para si chifres de ferro e disse: "Assim diz Javé: Com isso, você ferirá os arameus até acabar com eles".
12. E todos os profetas faziam a mesma predição, dizendo: "Ataque Ramot de Galaad. Você triunfará, porque Javé vai entregá-la nas mãos do rei".
13. Enquanto isso, o mensageiro que tinha ido chamar Miquéias disse ao profeta: "Veja bem! Todos os profetas estão falando em favor do rei. Procure falar como eles e predizer o sucesso".
14. Miquéias respondeu: "Pela vida de Javé! Vou dizer o que Javé me mandar".
15. Quando Miquéias se apresentou ao rei, este lhe perguntou: "Miquéias, podemos atacar Ramot de Galaad, ou não?" Miquéias respondeu: "Pode ir. Você será bem sucedido. Javé vai entregá-la nas mãos do rei".
16. Mas o rei lhe perguntou: "Quantas vezes terei de pedir para você jurar que está falando somente a verdade em nome de Javé?"
17. Então Miquéias disse ao rei: "Estou vendo Israel espalhado pelas montanhas, como ovelhas sem pastor. E Javé me disse: Eles não têm mais senhor. Que cada um volte em paz para casa".
18. O rei de Israel comentou então com Josafá: "Eu não disse a você? Ele nunca me profetiza boa sorte, mas sempre desgraça".
19. Miquéias replicou: "Ouça a palavra de Javé. Eu vi Javé sentado em seu trono, e todo o exército do céu estava em pé, à direita e à esquerda de Javé.
20. E Javé perguntou: 'Quem poderá enganar Acab, para que ele vá e morra em Ramot de Galaad?' Uns diziam uma coisa, e outros diziam outra.
21. Então um espírito se aproximou, ficou diante de Javé, e disse: 'Eu posso enganá-lo'. Javé lhe perguntou: 'De que modo?'
22. Ele respondeu: 'Irei e me transformarei em oráculo falso na boca de todos os profetas'. Javé lhe disse. 'Você conseguirá enganá-lo. Vá e faça isso'.
23. Como você pode ver, Javé colocou oráculos falsos na boca de todos esses profetas do rei, porque Javé decretou a ruína do rei".
24. Então Sedecias, filho de Canaana, aproximou-se de Miquéias, deu-lhe um tapa e disse: "Qual é o caminho por onde o espírito de Javé saiu de mim para falar a você?"
25. Miquéias respondeu: "Você o verá no dia em que tiver de andar de casa em casa para se esconder".
26. Então o rei de Israel ordenou: "Prenda Miquéias e o leve ao governador Amon e ao príncipe Joás.
27. Você dirá a eles: 'Por ordem do rei, ponham esse homem na prisão e o tratem a pão e água, até que o rei volte vitorioso' ".
28. Miquéias disse: "Se você voltar vitorioso, Javé não falou por minha boca".
29. O rei de Israel e Josafá, rei de Judá, marcharam contra Ramot de Galaad.
30. O rei de Israel disse a Josafá: "Vou me disfarçar antes de entrar em combate. Você, porém, vá com sua roupa". E o rei de Israel se disfarçou e foi para o combate.
31. O rei de Aram tinha ordenado aos comandantes dos carros que não atacassem a ninguém nem pequeno nem grande, mas somente o rei de Israel.
32. Quando os comandantes dos carros viram Josafá, comentaram: "Esse é o rei de Israel". E se lançaram contra ele. Mas Josafá deu o grito de guerra
33. e os comandantes dos carros viram que ele não era o rei de Israel, e pararam de persegui-lo.
34. Um soldado atirou com o arco, ao acaso, e atingiu o rei de Israel numa brecha da couraça. O rei disse ao condutor de seu carro: "Dê a volta e tire-me do campo de batalha, porque estou ferido".
35. Mas, nesse dia, o combate se tornou mais violento, de modo que seguraram o rei de pé sobre seu carro, diante dos arameus. E ele morreu ao entardecer. O sangue de sua ferida escorria no fundo do carro.
36. Ao pôr-do-sol, um grito correu pelo acampamento: "Cada um volte para sua cidade e para sua terra!
37. O rei está morto!" E o levaram para Samaria, e aí o enterraram.
38. Lavaram o carro na piscina de Samaria, os cães lamberam o sangue dele e as prostitutas aí se lavaram, como Javé havia anunciado.
39. O resto da história de Acab e do que ele fez, o palácio de marfim e as cidades que construiu, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
40. Acab morreu, e seu filho Ocozias lhe sucedeu no trono.

JOSAFÁ DE JUDÁ, TEMPO DE PAZ
41. Josafá, filho de Asa, tornou-se rei de Judá no quarto ano do reinado de Acab, rei de Israel.
42. Quando subiu ao trono, Josafá tinha trinta e cinco anos, e reinou durante vinte e cinco anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Azuba, filha de Selaqui.
43. Ele seguiu em tudo o comportamento de seu pai Asa, sem desviar-se, fazendo o que Javé aprova.
44. Entretanto, os lugares altos não desapareceram, e aí nos lugares altos o povo continuou a oferecer sacrifícios e incenso.
45. Josafá viveu em paz com o rei de Israel.
46. O resto da história de Josafá, as vitórias que obteve e as guerras que fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Judá.
47. Ele expulsou do país o resto dos prostitutos sagrados que ainda sobravam do tempo de seu pai Asa.
48. Não havia rei em Edom. O rei
49. Josafá construiu navios de Társis para ir a Ofir em busca de ouro, mas não pôde fazer a viagem, porque a frota naufragou em Asiongaber.
50. Então Ocozias, filho de Acab, disse a Josafá: "Meus homens poderiam ir nos navios com os seus homens". Josafá, porém, não concordou.
51. Josafá morreu e o enterraram com seus antepassados na Cidade de Davi, seu antecessor. E seu filho Jorão lhe sucedeu no trono.

OCOZIAS DE ISRAEL
52. Ocozias, filho de Acab, subiu ao trono de Israel, em Samaria, no ano dezessete de Josafá, rei de Judá. E reinou dois anos sobre Israel.
53. Fez o que Javé reprova, imitando o comportamento de seu pai e de sua mãe e o exemplo de Jeroboão, filho de Nabat, que levou Israel a pecar.
54. Prestou culto a Baal e o adorou, provocando a ira de Javé, o Deus de Israel, exatamente como seu pai tinha feito.

[II Reis 1]II Reis 1



O PROFETA DE JAVÉ
1. Depois da morte de Acab, Moab se revoltou contra Israel.
2. Ocozias caiu da sacada de seu quarto, em Samaria, e ficou ferido. Então mandou mensageiros com o seguinte encargo: "Consultem Baal-Zebub, deus de Acaron, para ver se vou sarar destas feridas".
3. Mas o anjo de Javé disse a Elias, o tesbita: "Levante-se e vá ao encontro dos mensageiros do rei de Samaria e diga-lhes: 'Por acaso não existe Deus em Israel, para vocês estarem consultando Baal-Zebub, deus de Acaron?
4. Por isso, assim diz Javé: Você não se levantará da cama em que se deitou. Com certeza você vai morrer' ". E Elias foi embora.
5. Os mensageiros voltaram, e o rei Ocozias perguntou-lhes: "Por que vocês voltaram?"
6. Eles responderam: "Um homem veio ao nosso encontro e nos mandou voltar ao rei que nos tinha enviado, para dizer a ele: 'Assim diz Javé: Por acaso não existe Deus em Israel, para que você mande consultar Baal-Zebub, deus de Acaron? Por isso você não se levantará da cama em que está deitado. Com certeza você vai morrer' ".
7. Ocozias perguntou: "Como era o homem que foi ao encontro de vocês e lhes disse essas coisas?"
8. Eles responderam: "Ele estava vestido com roupa de pêlos e usava um cinto de couro". O rei disse: "É Elias, o tesbita!"
9. Então mandou um oficial com cinqüenta soldados buscar Elias. O oficial subiu à procura de Elias, o encontrou sentado no alto do monte e lhe disse: "Homem de Deus, o rei manda você descer".
10. Elias respondeu: "Se eu sou homem de Deus, que um raio caia e queime você e seus cinqüenta soldados". Então um raio caiu e queimou o oficial e os seus cinqüenta soldados.
11. O rei mandou de novo outro oficial com cinqüenta soldados. O oficial subiu e disse a Elias: "Homem de Deus, o rei mandou você descer imediatamente".
12. Elias respondeu: "Se eu sou homem de Deus, que um raio caia e queime você e seus cinqüenta soldados". Então um raio caiu e queimou o oficial e seus cinqüenta soldados.
13. O rei mandou, pela terceira vez, um oficial com cinqüenta soldados. O oficial subiu, ajoelhou-se diante de Elias e suplicou: "Homem de Deus, que a minha vida e a vida desses cinqüenta soldados, seus servos, tenha algum valor para você.
14. Caiu um raio e queimou dois oficiais, cada um com seus cinqüenta homens. Mas agora, que a minha vida tenha algum valor para você!"
15. O anjo de Javé disse a Elias: "Desça com ele e não tenha medo". Elias se levantou, desceu com o oficial e foi falar com o rei.
16. E lhe disse: "Assim diz Javé: Uma vez que você enviou mensageiros para consultar Baal-Zebub, deus de Acaron, você não se levantará da cama em que está deitado. Com certeza você vai morrer".
17. E o rei Ocozias morreu, conforme a palavra de Javé, anunciada por Elias. E Ocozias não tinha filhos. Por isso, seu irmão Jorão subiu ao trono em seu lugar; e já fazia dois anos que Jorão, filho de Josafá, era rei de Judá.
18. O resto da história de Ocozias, e do que ele fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.

[II Reis 2]VI. ELISEU, DISCÍPULO DE ELIAS



II Reis 2

A ATIVIDADE PROFÉTICA CONTINUA
1. Quando Javé arrebatou Elias ao céu num redemoinho, aconteceu o seguinte: Elias e Eliseu partiram de Guilgal.
2. Elias disse a Eliseu: "Fique aqui, porque Javé me mandou ir sozinho a Betel". Eliseu respondeu: "Pela vida de Javé e pela sua vida, não deixarei de acompanhar você". E desceram juntos a Betel.
3. Os irmãos profetas que moravam em Betel foram ao encontro de Eliseu, e lhe disseram: "Você está sabendo que Javé hoje mesmo vai levar embora seu mestre, nos ares, por cima da sua cabeça?" Eliseu respondeu: "Claro que sei: Mas fiquem quietos".
4. Elias disse: "Eliseu, fique por aqui mesmo, porque Javé me manda ir sozinho a Jericó". Mas Eliseu respondeu: "Pela vida de Javé e pela sua vida, não deixarei de acompanhar você". E foram para Jericó.
5. Os irmãos profetas que moravam em Jericó se aproximaram de Eliseu, e lhe disseram: "Você está sabendo que Javé hoje mesmo vai levar embora seu mestre, nos ares, por cima da sua cabeça?" Eliseu respondeu: "Claro que sei. Mas fiquem quietos".
6. Elias disse a Eliseu: "Fique por aqui mesmo, porque Javé me manda ir sozinho até o Jordão". Mas Eliseu respondeu: "Pela vida de Javé e pela sua vida, não deixarei de acompanhar você". E eles foram juntos.
7. Com eles foram cinqüenta irmãos profetas. Estes ficaram a certa distância, enquanto os dois pararam à margem do rio Jordão.
8. Então Elias pegou o manto, o enrolou e bateu com ele na água. A água se dividiu em duas partes, de tal modo que os dois passaram o rio sem molhar os pés.
9. Depois que passaram o rio, Elias disse a Eliseu: "Peça o que você quiser, antes que eu seja arrebatado da sua presença". Eliseu pediu: "Deixe-me como herança dupla porção do seu espírito".
10. Elias disse: "Você está pedindo uma coisa difícil. Em todo caso, se você me enxergar quando eu for arrebatado da sua presença, isso que pede lhe será concedido; caso contrário, não será concedido".
11. E, enquanto estavam andando e conversando, apareceu um carro de fogo com cavalos de fogo, que os separou um do outro. E Elias subiu ao céu no redemoinho.
12. Eliseu olhava e gritava: "Meu pai! Meu pai! Carro e cavalaria de Israel!" Depois não o viu mais. Então Eliseu pegou sua própria túnica e a rasgou em duas partes.
13. Pegou o manto de Elias, que havia caído, e voltou para a margem do Jordão.
14. Segurando o manto de Elias, bateu com ele na água, dizendo: "Onde está Javé, o Deus de Elias?" Bateu na água, que se dividiu em duas partes. E ele atravessou o rio.
15. Ao vê-lo, os irmãos profetas, que estavam a certa distância, comentaram: "O espírito de Elias repousa sobre Eliseu". Então foram ao seu encontro, se prostraram diante dele,
16. e disseram: "Aqui, entre seus servos, você pode contar com cinqüenta homens valentes. Permita que eles saiam para procurar seu mestre. Talvez o espírito de Javé o tenha arrebatado e jogado sobre algum monte ou dentro de algum vale". Eliseu respondeu: "Não mandem ninguém".
17. Eles, porém, insistiam tanto, a ponto de aborrecê-lo. Por fim, ele disse: "Então mandem". Eles mandaram cinqüenta homens, que procuraram Elias durante três dias, mas não o encontraram.
18. Voltaram para Eliseu, que tinha ficado em Jericó. Então Eliseu lhes disse: "Não falei para vocês não irem?"

VIDA PARA O POVO
19. Os habitantes de Jericó disseram a Eliseu: "A localização da cidade é boa, como o senhor pode ver; mas a água é ruim e faz as mulheres abortarem".
20. Eliseu pediu: "Tragam para mim um prato novo com sal". Eles levaram o prato,
21. e Eliseu foi até a fonte de água, jogou nela o sal, e disse: "Assim diz Javé: Eu faço esta água ficar boa, e ela não causará nem morte nem esterilidade".
22. E a água se tornou potável até o dia de hoje, como Eliseu tinha dito.

O PROFETA MERECE RESPEITO
23. Daí, Eliseu foi para Betel. Enquanto subia pelo caminho, um bando de garotos, que tinham saído da cidade, começaram a zombar dele, gritando: "Suba, careca! Suba, careca!"
24. Eliseu virou-se, olhou para eles e os amaldiçoou em nome de Javé. Então duas ursas saíram do bosque e despedaçaram quarenta e dois garotos.
25. Eliseu foi para o monte Carmelo e depois voltou para Samaria.

[II Reis 3]II Reis 3



ALCANCE DA AÇÃO PROFÉTICA
1. Jorão, filho de Acab, subiu ao trono de Israel, em Samaria, no ano dezoito do reinado de Josafá, rei de Judá. Reinou doze anos.
2. Fez o que Javé reprova, embora nem tanto como seu pai e sua mãe, pois derrubou a estela de Baal, que seu pai tinha erguido.
3. Contudo, repetiu os pecados que Jeroboão, filho de Nabat, fez Israel cometer, e deles não se afastou.
4. Mesa, rei de Moab, era criador de gado e pagava ao rei de Israel cem mil cordeiros e cem mil carneiros, juntamente com a lã.
5. Quando Acab morreu, Mesa se revoltou contra Israel.
6. Nesse tempo, o rei Jorão saiu de Samaria e passou revista a todo o Israel.
7. Depois mandou dizer ao rei de Judá: "O rei de Moab se revoltou contra mim. Você quer ir comigo para lutar contra Moab?" O rei de Judá respondeu: "Sim. Você e eu, seu exército e o meu, sua cavalaria e a minha, somos todos um só".
8. E perguntou: "Que caminho seguiremos?" Jorão respondeu: "O caminho do deserto de Edom".
9. Então os reis de Israel, Judá e Edom partiram. Depois de marchar sete dias, faltou água para o exército e para os animais.
10. Então o rei de Israel exclamou: "Ai de nós! Javé nos reuniu, os três reis, para nos entregar em poder de Moab!"
11. O rei de Judá perguntou: "Não existe por aqui algum profeta para podermos consultar a Javé?" Um dos oficiais do rei de Israel respondeu: "Aqui há um certo Eliseu, filho de Safat, que derramava água nas mãos de Elias".
12. Josafá comentou: "A palavra de Javé está com ele". Então o rei de Israel, o rei de Judá e o rei de Edom foram ao encontro de Eliseu.
13. Mas Eliseu disse ao rei de Israel: "Deixe-me em paz. Vá consultar os profetas de seu pai e de sua mãe". O rei de Israel replicou: "Olhe, Javé nos reuniu, os três reis, para nos entregar em poder de Moab".
14. Eliseu então disse: "Pela vida de Javé dos exércitos, a quem sirvo, se não fosse por consideração ao rei de Judá, eu nem olharia na sua cara.
15. Apesar de tudo, me tragam aqui um tocador de lira". Enquanto o músico tocava, a mão de Javé veio sobre Eliseu.
16. E ele disse: "Assim diz Javé: 'Cavem diversos fossos neste vale',
17. pois assim diz Javé: 'Vocês não verão vento nem chuva, mas este vale ficará cheio de água e vocês poderão beber com seus exércitos e animais'.
18. Como isso não bastasse, Javé entregará Moab nas mãos de vocês.
19. E vocês destruirão todas as cidades fortificadas, cortarão suas árvores frutíferas, fecharão todas as fontes e cobrirão de pedras todos os campos férteis".
20. De fato, na manhã seguinte, na hora da apresentação da oferta, veio água dos lados de Edom, e toda a região ficou alagada.
21. Os moabitas ficaram sabendo que esses reis tinham chegado para os atacar. Então convocaram todos os que tinham idade para pegar em armas e tomaram posição na fronteira.
22. De manhã, quando se levantaram e o sol brilhou sobre a água, os moabitas viram de longe a água, vermelha como sangue.
23. Então disseram: "É sangue. Os reis lutaram entre si e se mataram. E agora, Moab, vamos saquear".
24. Mas quando os moabitas chegaram ao acampamento israelita, os israelitas se levantaram e derrotaram os moabitas, que fugiram. Os israelitas entraram no território de Moab e o arrasaram:
25. destruíram as cidades, e cada um atirou pedras nos melhores campos até os cobrir, fecharam todas as fontes e cortaram todas as árvores frutíferas. Sobrou apenas Quir-Hares, que foi cercada e atacada pelos atiradores de pedras.
26. Quando o rei de Moab percebeu que não conseguiria sustentar o combate, tomou consigo setecentos homens armados de espada, para abrir uma passagem e chegar até o rei de Aram. Mas não conseguiu.
27. Pegou, então, seu filho primogênito, que lhe sucederia no trono, e o ofereceu em holocausto sobre a muralha. Desencadeou-se então uma grande indignação contra os israelitas, que tiveram de se retirar e voltar para seu país.

[II Reis 4]II Reis 4



A LIBERTAÇÃO DOS POBRES
1. A esposa de um dos irmãos profetas suplicou a Eliseu: "Meu marido, seu servo, morreu. E você sabe que seu servo temia a Javé. Mas um homem, a quem devíamos, veio para levar meus dois filhos como escravos".
2. Eliseu perguntou: "Que posso fazer por você? Diga-me o que você tem em casa". A mulher respondeu: "Tudo o que tenho em casa é uma vasilha de azeite".
3. Então Eliseu ordenou: "Vá e tome emprestado dos vizinhos uma grande quantidade de vasilhas.
4. Depois entre em casa, feche a porta com seus filhos dentro, e encha todas as vasilhas com azeite. Conforme você as for enchendo, vá colocando à parte".
5. A mulher foi e se fechou em casa com os filhos. Estes iam levando as vasilhas e a mulher ia derramando o azeite dentro.
6. Quando as vasilhas ficaram cheias, ela pediu ao filho: "Traga mais uma". E ele respondeu: "Acabou". Então o azeite parou de correr.
7. A mulher foi contar isso ao homem de Deus, e ele disse: "Agora vá, venda o azeite, pague a dívida e use o que sobrar para viver com seus filhos".

PORTADOR DA VIDA
8. Certo dia, Eliseu passou pela cidade de Sunam, onde morava uma mulher rica, que o convidou para uma refeição em sua casa. Depois disso, cada vez que passava por aí, Eliseu entrava para comer.
9. A mulher disse ao marido: "Olhe, esse homem que está sempre em nossa casa é um santo homem de Deus.
10. Vamos fazer para ele um quarto de tijolos no terraço, com cama, mesa, cadeira e lâmpada. Quando ele vier à nossa casa, poderá ficar aí".
11. Um dia que Eliseu passou por Sunam, subiu para o quarto do terraço e se deitou.
12. Ele disse a seu servo Giezi: "Chame a sunamita". O servo a chamou, e ela se apresentou a Eliseu.
13. E ele disse ao servo: "Diga a ela: 'Você se preocupou conosco. Que podemos fazer por você? Quer alguma recomendação para o rei ou para o chefe do exército?' " A mulher respondeu: "Eu vivo no meio do meu povo".
14. Eliseu perguntou ao servo: "O que poderíamos fazer por ela?" Giezi respondeu: "Ela não tem filhos, e o marido dela já é idoso".
15. Eliseu disse: "Vá chamá-la" O servo chamou a mulher, e ela apareceu na porta.
16. Eliseu disse: "Daqui a um ano, nesta mesma data, você terá um filho nos braços". Ela, porém, respondeu: "Não, meu senhor, não engane sua serva".
17. A mulher, porém, ficou grávida e deu à luz um filho no ano seguinte, na mesma época que Eliseu havia predito.
18. O menino cresceu. Certo dia, foi encontrar seu pai junto com os ceifadores,
19. e lhe disse: "Estou com dor de cabeça". O pai disse a um dos servos: "Leve o menino para junto da mãe".
20. O servo pegou o menino e o levou para a mãe. O menino ficou no colo da mãe até o meio-dia, e depois morreu.
21. A mãe subiu até o terraço, colocou o menino sobre a cama do homem de Deus, fechou a porta e saiu.
22. Depois chamou o marido e lhe disse: "Mande-me um servo e uma jumenta. Vou correndo à casa do homem de Deus e volto logo".
23. O marido perguntou: "O que é que você vai fazer lá hoje? Não é nem lua nova nem sábado". Mas ela respondeu: "Fique sossegado".
24. Ela mandou selar a jumenta, e disse ao servo: "Vá na minha frente, e pare somente quando eu lhe disser".
25. Então a mulher foi ao encontro do homem de Deus no monte Carmelo. O homem de Deus viu a mulher de longe, e disse a seu servo Giezi: "A sunamita vem aí.
26. Corra ao encontro dela e pergunte: 'Você está bem? Seu marido vai bem? Seu filho está bem?' " A mulher respondeu: "Estamos bem".
27. Quando chegou perto do homem de Deus, no alto da montanha, a mulher abraçou os pés dele. Giezi se aproximou para afastá-la, mas o homem de Deus lhe disse: "Deixe-a. Ela está com a alma amargurada. Javé me escondeu isso e nada me revelou".
28. Então a mulher perguntou: "Por acaso eu lhe pedi um filho? Eu lhe havia pedido que não me enganasse".
29. Eliseu ordenou a Giezi: "Apronte-se, pegue meu bastão e coloque-se a caminho. Se você encontrar alguém, não o cumprimente, e se alguém o cumprimentar, não responda. Coloque meu bastão sobre o rosto do menino".
30. Mas a mãe disse: "Pela vida de Javé e pela sua vida, eu não o deixarei". Então Eliseu se levantou e a seguiu.
31. Giezi, que fora na frente, tinha colocado o bastão sobre o rosto do menino, mas o menino não falou nem reagiu. Então o servo voltou ao encontro de Eliseu e informou: "O menino não despertou".
32. Eliseu entrou na casa e encontrou o menino morto, estendido sobre sua própria cama.
33. Entrou, fechou a porta e rezou a Javé.
34. Depois subiu na cama, deitou-se sobre o menino, colocou a boca sobre a dele, os olhos sobre os dele, as mãos sobre as dele, e estendeu-se sobre o menino. E o menino foi se aquecendo.
35. Então Eliseu começou a andar pelo quarto, de cá para lá. Depois subiu de novo na cama e se estendeu sobre o menino. Fez isso sete vezes. Então o menino espirrou e abriu os olhos.
36. Eliseu chamou Giezi e lhe disse: "Chame a sunamita". Giezi a chamou. Quando ela chegou perto de Eliseu, este lhe disse: "Pegue seu filho".
37. A mulher entrou, jogou-se aos pés de Eliseu e prostrou-se no chão. Depois pegou o filho e saiu.

HABILIDADE DE ELISEU
38. Quando Eliseu voltou para Guilgal, havia fome na região. Os irmãos profetas estavam sentados na sua frente. Então Eliseu disse ao seu servo: "Ponha a panela grande no fogo, e prepare uma sopa para os irmãos profetas".


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   47   48   49   50   51   52   53   54   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal