Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página52/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   48   49   50   51   52   53   54   55   ...   197

39. Um deles foi ao campo para apanhar verdura. Encontrou uvas bravas, apanhou-as e encheu o manto. Ao chegar, cortou-as em pedaços dentro da panela de sopa, sem saber que eram venenosas.
40. E distribuíram a sopa para que os homens comessem. Logo que provaram a sopa, gritaram: "Homem de Deus, isso é veneno!"
41. Eliseu ordenou: "Tragam farinha". Então pôs farinha na panela e disse: "Sirva as pessoas para que comam". E já não havia nada de ruim na panela.

O PROFETA ENSINA A REPARTIR
42. Um homem de Baal-Salisa levou, ao homem de Deus, pão da primeira colheita; levou vinte pães de cevada e trigo novo no bornal. Eliseu ordenou: "Distribua a essas pessoas para que comam".
43. Seu servo disse: "Como vou distribuir isso para cem pessoas?" Eliseu insistiu: "Distribua a essas pessoas, para que comam. Porque assim diz Javé: Elas comerão e ainda sobrará".
44. Então o servo os distribuiu. Todos comeram e ainda sobrou, como Javé tinha dito.

[II Reis 5]II Reis 5



JAVÉ DÁ A VIDA GRATUITAMENTE
1. Naamã, chefe do exército do rei de Aram, era homem estimado e favorecido pelo seu senhor. Foi por meio dele que Javé concedeu a vitória aos arameus. No entanto, esse homem valente ficou leproso.
2. Numa incursão, os arameus tinham levado do território de Israel uma jovem, que ficou a serviço da mulher de Naamã.
3. Ela disse à patroa: "Meu senhor poderia apresentar-se ao profeta de Samaria. Ele certamente o livraria da lepra".
4. Naamã foi informar seu senhor: "A moça israelita disse isso".
5. O rei de Aram lhe disse: "Vá até lá. Vou mandar uma carta para o rei de Israel". Naamã partiu levando trezentos e cinqüenta quilos de prata, sessenta e oito quilos de ouro e dez roupas de festa.
6. Naamã entregou ao rei de Israel a carta que dizia: "Quando você receber esta carta, verá que estou lhe mandando meu servo Naamã para que o cure da lepra".
7. O rei de Israel leu a carta e rasgou as próprias roupas, exclamando: "Por acaso eu sou um deus, capaz de dar a morte ou a vida, para que esse fulano me mande um homem para eu curá-lo de lepra? Vejam bem: ele anda buscando algum pretexto contra mim!"
8. Eliseu, homem de Deus, soube que o rei de Israel tinha rasgado as próprias roupas, e mandou dizer a ele: "Por que você rasgou as roupas? Deixe que ele venha ao meu encontro, e ficará sabendo que há um profeta em Israel".
9. Naamã chegou com seus cavalos e seu carro, e parou na frente da casa de Eliseu.
10. Então Eliseu mandou um mensageiro até ele com esta ordem: "Vá e se lave sete vezes no rio Jordão. Seu corpo ficará limpo, e você ficará curado".
11. Naamã se irritou e foi embora, dizendo: "Eu pensava que ele saísse e invocasse de pé o nome de Javé, o Deus dele. Depois passasse a mão no lugar da doença e, assim, me livrasse da lepra.
12. Por acaso o Abana e o Farfar, rios de Damasco, não são melhores que todas as águas de Israel? Eu não poderia lavar-me neles e ficar curado?" Virou-se e foi embora indignado.
13. Seus servos se aproximaram e disseram: "Se o profeta lhe tivesse mandado fazer alguma coisa difícil, o senhor não faria? No entanto, ele só mandou isto: 'Lave-se, e você ficará curado' ".
14. Então Naamã desceu e mergulhou sete vezes no rio Jordão, como o homem de Deus havia dito. Sua carne se tornou como a carne de uma criança, e ele ficou curado.
15. Então Naamã voltou com toda a sua comitiva até o homem de Deus. Entrou, parou na frente do profeta e disse: "Agora eu sei que não há outro Deus na terra, a não ser em Israel! Por favor, aceite um presente do seu servo".
16. Eliseu respondeu: "Pela vida de Javé, a quem eu sirvo: não aceitarei nenhum presente". Naamã insistiu para que ele aceitasse, mas ele recusou.
17. Então Naamã pediu: "Já que o senhor recusou, ao menos permita que seja dado a seu servo a quantidade de terra que duas mulas podem carregar, pois o seu servo não oferecerá mais holocausto e sacrifício a outros deuses, mas somente para Javé.
18. E que Javé perdoe só uma coisa ao seu servo: quando o rei, meu senhor, vai ao templo de Remon para adorar, ele se apóia no meu braço e eu também me prostro junto com ele no templo de Remon. Que Javé perdoe esse gesto do seu servo".
19. Eliseu disse: "Vá em paz". Naamã já se havia distanciado um bom tanto,
20. quando Giezi, servo de Eliseu, pensou: "Meu senhor foi condescendente com esse arameu Naamã, não aceitando dele o presente oferecido. Pela vida de Javé! Vou correr atrás dele e ganharei alguma coisa".
21. Então Giezi saiu correndo para alcançar Naamã. Quando Naamã viu que Giezi ia correndo atrás dele, desceu do carro, foi ao seu encontro, e perguntou: "Está tudo bem?"
22. Giezi respondeu: "Tudo bem. Só que meu senhor mandou dizer-lhe: 'Agora mesmo acabam de chegar, da região montanhosa de Efraim, dois jovens irmãos profetas. Por favor, dê para eles trinta e cinco quilos de prata e duas roupas de festa' ".
23. Naamã respondeu: "Aceite setenta quilos". Insistiu para que Giezi aceitasse. Depois Naamã colocou setenta quilos de prata e as roupas de festa em duas sacolas, e entregou a dois servos seus. Estes foram na frente de Giezi, levando as sacolas.
24. Chegando a Ofel, Giezi pegou os presentes, guardou-os em casa, despediu os homens, e eles foram embora.
25. Depois Giezi foi ao encontro do seu senhor, e Eliseu lhe perguntou: "Onde é que você foi, Giezi?" Ele respondeu: "O seu servo não foi a lugar nenhum". Mas Eliseu retrucou:
26. "Você pensa que o meu espírito não estava presente quando alguém desceu do carro e foi encontrar você? Agora que você recebeu o dinheiro, com ele você pode comprar roupas, plantações de azeitonas, vinhas, ovelhas, bois, servos e servas.
27. Mas a lepra de Naamã passará para você e seus descendentes para sempre". E Giezi saiu da presença de Eliseu, branco como a neve, por causa da lepra.

[II Reis 6]II Reis 6



DEUS SE MANIFESTA ENTRE OS POBRES
1. Os irmãos profetas disseram a Eliseu: "Como o senhor pode perceber, o lugar onde estamos morando com o senhor é muito pequeno para nós.
2. Vamos até o rio Jordão, e cada um de nós pegará um tronco para construir aí uma casa". Eliseu disse: "Podem ir".
3. Um deles pediu: "Por favor, venha com os seus servos". Eliseu respondeu: "Eu vou".
4. E foi com eles. Chegando ao rio Jordão, começaram a cortar madeira.
5. Um dos irmãos estava cortando um tronco e o machado caiu na água. Então ele gritou: "Meu senhor, era um machado emprestado!"
6. O homem de Deus perguntou: "Onde é que o machado caiu?" O irmão mostrou-lhe o lugar. Então Eliseu cortou um galho de árvore, jogou no lugar e o machado boiou.
7. Eliseu disse: "Pegue o machado". O homem estendeu a mão e pegou o machado.

O PROFETA NA VIDA POLÍTICA
8. O rei de Aram estava em guerra contra Israel. Numa reunião com seus oficiais, ele determinou: "Vamos fazer uma emboscada em tal lugar".
9. Mas Eliseu mandou dizer ao rei de Israel: "Cuidado com o tal lugar, porque os arameus estão acampados aí".
10. O rei de Israel mandou seus homens para o lugar que Eliseu lhe havia indicado. Eliseu avisava, e o rei tomava precauções. E isso aconteceu várias vezes.
11. O rei de Aram ficou perplexo com isso, convocou seus oficiais e perguntou: "Digam-me! Quem dos nossos está nos traindo junto ao rei de Israel?"
12. Um dos oficiais respondeu: "Não é nenhum de nós, senhor meu rei. É Eliseu, profeta de Israel, que revela ao rei de Israel até as palavras que o senhor diz no quarto de dormir".
13. Então o rei ordenou: "Vejam onde ele está, que eu o mandarei prender". Então informaram: "Eliseu está em Datã".
14. O rei mandou para lá cavalaria, carros e poderosa tropa, que chegaram de noite e cercaram a cidade.
15. No dia seguinte, Eliseu madrugou para sair, e viu que um exército estava cercando a cidade, com cavalos e carros. Seu servo lhe disse: "Meu senhor, o que vamos fazer?"
16. Eliseu respondeu: "Não tenha medo. Os que estão conosco são mais numerosos que eles".
17. E Eliseu rezou: "Javé, abre os olhos do meu servo, para que ele possa enxergar". Javé abriu os olhos do servo, e ele viu a montanha cheia de cavalaria e carros de fogo em torno de Eliseu.
18. Quando os arameus desceram contra ele, Eliseu pediu a Javé: "Atrapalha a vista desse pessoal". E Javé atrapalhou a vista deles, conforme Eliseu havia pedido.
19. Então Eliseu disse para eles: "Não é este o caminho, nem a cidade certa. Sigam-me, e eu os levarei ao homem que vocês estão procurando". E os levou para Samaria.
20. Quando entraram em Samaria, Eliseu pediu: "Javé, abre os olhos deles, para que enxerguem bem". Javé abriu os olhos deles, e eles começaram a enxergar: estavam no centro de Samaria!
21. Ao vê-los, o rei de Israel perguntou: "Devo matá-los, meu pai?"
22. Ele respondeu: "Não os mate. Será que você iria matar gente que você não aprisionou com sua espada e seu arco? Dê-lhes pão e água, para que comam e bebam, e depois voltem para o seu senhor".
23. O rei lhes preparou um grande banquete. Eles comeram e beberam. Depois o rei os despediu, e eles voltaram para o seu senhor. E os bandos arameus não fizeram mais incursões no território israelita.

A SALVAÇÃO VEM ATRAVÉS DOS MARGINALIZADOS
24. Tempos depois, Ben-Adad, rei de Aram, reuniu todo o seu exército e cercou a cidade de Samaria.
25. Então houve grande fome em Samaria, e o cerco foi tão duro que um jumento chegou a valer novecentos gramas de prata e sessenta gramas de raízes custava sessenta gramas de prata.
26. O rei de Israel estava passando pela muralha, e uma mulher gritou para ele: "Socorro, senhor meu rei".
27. Ele respondeu: "Se Javé não socorre você, onde vou achar auxílio para salvá-la? Na eira ou no lagar?"
28. Depois o rei perguntou: "O que está acontecendo?" Ela respondeu: "Esta mulher aqui me disse: 'Traga o seu filho aqui para o comermos hoje; amanhã comeremos o meu'.
29. Nós cozinhamos o meu filho e o comemos. No dia seguinte, eu disse a ela: 'Agora entregue seu filho para nós o comermos'. Mas ela escondeu o filho dela".
30. Quando o rei ouviu o que a mulher dizia, rasgou as próprias roupas. Aconteceu que o rei estava andando sobre a muralha, e todos puderam ver que ele estava usando um cilício.
31. Então o rei disse: "Que Deus me castigue se Eliseu, filho de Safat, ainda hoje estiver com a cabeça em cima dos ombros".
32. Enquanto isso, Eliseu estava sentado em casa com os anciãos. O rei mandou um mensageiro na frente. Mas, antes que este chegasse, Eliseu disse aos anciãos: "Vocês vão ver como esse assassino mandou alguém para cortar a minha cabeça! Cuidado! Quando ele chegar, tranquem a porta e não o deixem passar. Não será o barulho dos passos do senhor dele que vem logo atrás?"
33. Eliseu ainda estava falando com eles, quando o rei chegou e disse: "Essa desgraça vem de Javé! O que mais posso esperar de Javé?"

[II Reis 7]II Reis 7



1. Eliseu respondeu: "Escutem a palavra de Javé: Assim diz Javé: Amanhã, nesta mesma hora, na porta de Samaria, uma arroba de flor de farinha vai custar onze gramas de prata, e duas arrobas de cevada valerão onze gramas".
2. O escudeiro, no qual o rei se apoiava, disse a Eliseu: "Mesmo que Javé abrisse janelas no céu, seria possível acontecer isso?" Eliseu respondeu: "Você verá com seus próprios olhos, mas não vai comer nada".
3. Quatro leprosos que estavam na entrada da cidade comentaram entre si: "Por que ficar aqui esperando a morte?
4. Se resolvermos entrar na cidade, morreremos, porque aí reina a fome. Se ficarmos aqui, vamos morrer do mesmo jeito. Então vamos para o lado do acampamento dos arameus: se nos deixarem viver, viveremos; se eles nos matarem, morreremos".
5. Ao cair da tarde, eles foram para o acampamento dos arameus e percorreram todo o acampamento. Não havia ninguém aí.
6. O Senhor havia feito escutar, no acampamento dos arameus, barulho de carros, de cavalos e de grande exército. Então os arameus disseram. "O rei de Israel deve ter contratado os reis heteus e os reis do Egito para nos atacar!"
7. Ao anoitecer, eles se levantaram e fugiram, abandonando tendas, cavalos, jumentos, e deixando o acampamento como estava. Eles fugiram para salvar a vida.
8. Depois de percorrer o acampamento, os leprosos entraram numa tenda, onde comeram e beberam. Em seguida, pegaram prata, ouro e roupas, e esconderam tudo. Voltaram, entraram em outra tenda, pegaram tudo o que encontraram e levaram para o esconderijo.
9. Então comentaram: "Não estamos agindo certo. Hoje é um dia de boas notícias e nós estamos calados! Se esperarmos até amanhã de manhã, seremos castigados. Vamos levar a notícia ao palácio do rei".
10. Eles foram, chamaram os porteiros da cidade e informaram: "Fomos ao acampamento dos arameus: lá não há ninguém, não se ouve a voz de ninguém; há somente cavalos e jumentos amarrados, e as tendas estão abandonadas!"
11. Os porteiros gritaram para dentro e informaram o palácio do rei.
12. Então o rei se levantou à noite e disse a seus oficiais: "Vou explicar a vocês o que os arameus estão tramando contra nós. Eles sabem que estamos passando fome. Por isso, eles saíram do acampamento para se esconder no campo. Estão imaginando o seguinte: 'Eles vão sair da cidade. Então nós os prenderemos vivos e entraremos na cidade' ".
13. Um dos oficiais sugeriu: "Vamos pegar cinco dos cavalos que estão vivos. O máximo que pode acontecer com eles, é o que já está acontecendo com toda a multidão de Israel que resta na cidade. Essa multidão de Israel que está morrendo. Vamos mandá-los e ver o que acontece!"
14. Então tomaram dois carros com os cavalos, e o rei os mandou atrás do exército dos arameus, dizendo: "Vão lá e vejam".
15. Eles foram até o rio Jordão e viram que todo o caminho estava cheio de roupas e objetos que os arameus, cheios de pavor, tinham abandonado. Os mensageiros voltaram e contaram tudo ao rei.
16. Então o povo saiu e saqueou o acampamento dos arameus. E uma arroba de flor de farinha passou a custar onze gramas de prata, e duas arrobas de cevada custavam onze gramas, conforme a palavra de Javé.
17. O rei tinha posto como guarda da porta o seu escudeiro, no qual se apoiava. O povo pisoteou o escudeiro junto à porta, e ele morreu, como o homem de Deus havia predito. De fato, ele havia predito isso quando o rei fora até ele.
18. O homem de Deus tinha dito ao rei: "Amanhã, nesta mesma hora, na porta de Samaria, duas arrobas de cevada vão custar onze gramas de prata, e uma arroba de flor de farinha custará onze gramas".
19. E o escudeiro havia perguntado ao homem de Deus: "Mesmo que Javé abrisse janelas no céu, seria possível acontecer isso?" Eliseu respondera: "Você verá isso com seus próprios olhos, mas não vai comer nada".
20. Foi justamente o que aconteceu: o povo pisoteou o escudeiro na porta, e ele morreu.

[II Reis 8]II Reis 8



MEMÓRIA E INFLUÊNCIA DO PROFETA
1. Eliseu disse à mulher, cujo filho ele havia feito reviver: "Pode partir com sua família e vá morar onde você puder, no estrangeiro, porque Javé mandou a fome, que já está chegando ao país, e vai durar sete anos".
2. A mulher foi e fez o que o homem de Deus tinha mandado: partiu com sua família e morou sete anos no território dos filisteus.
3. Passados sete anos, ela voltou da terra dos filisteus, e foi reclamar junto ao rei sobre sua casa e seu terreno.
4. O rei estava conversando com Giezi, servo do homem de Deus. Ele dizia: "Conte-me todas as grandes coisas que Eliseu fez".
5. Giezi estava contando ao rei a ressurreição do menino morto, quando a mulher, cujo filho Eliseu havia ressuscitado, chegou para reclamar junto ao rei sobre sua casa e seu terreno. Giezi disse: "Senhor meu rei, essa é a mulher e esse é o seu menino, que Eliseu ressuscitou".
6. O rei interrogou a mulher e ela contou o acontecido. Então o rei mandou que um funcionário a acompanhasse. E ordenou: "Seja restituído a essa mulher tudo o que lhe pertence e todos os rendimentos do terreno, desde o dia em que ela deixou o país até hoje".

O PROFETA SABE DISCERNIR
7. Eliseu foi a Damasco, quando Ben-Adad, o rei de Aram, estava doente. Informaram o rei: "O homem de Deus está aqui".
8. Então o rei ordenou a Hazael: "Tome um presente, vá encontrar-se com o homem de Deus e consulte Javé por meio dele, para saber se vou ficar curado desta doença".
9. Hazael foi encontrar-se com Eliseu, levando como presente uma carga de quarenta camelos carregados de tudo o que havia de melhor em Damasco. Chegando à presença de Eliseu, disse: "Seu filho Ben-Adad, rei de Aram, mandou perguntar ao senhor se ele vai ficar bom da doença".
10. Eliseu respondeu: "Diga ao rei que ele poderá ficar bom. No entanto, Javé me mostrou que ele certamente vai morrer".
11. Nesse momento, Eliseu ficou com o rosto imóvel e o olhar fixo. E o homem de Deus começou a chorar.
12. Hazael perguntou: "Por que é que o senhor está chorando?" Eliseu respondeu: "Porque eu sei o mal que você fará aos israelitas: você vai incendiar as fortalezas, passar a fio de espada os jovens, esmagar as crianças e rasgar o ventre das mulheres grávidas!"
13. Hazael perguntou: "Mas quem é este seu servo? Eu não passo de um cão. Como poderia eu fazer essas coisas?" Eliseu respondeu: "Javé me mostrou numa visão que você será o rei de Aram".
14. Hazael deixou Eliseu e voltou para o seu senhor. Este perguntou: "O que foi que Eliseu disse?" Hazael respondeu: "Ele disse que o senhor poderia ficar curado".
15. No dia seguinte, Hazael pegou uma coberta, a encharcou de água e a colocou sobre o rosto de Ben-Adad, até que ele morreu. E Hazael reinou no lugar dele.

JORÃO EM JUDÁ: REINO EM DECADÊNCIA
16. Jorão, filho de Josafá, subiu ao trono de Judá no quinto ano do reinado de Jorão, filho de Acab, rei de Israel.
17. Ele tinha trinta e dois anos quando subiu ao trono. E reinou oito anos em Jerusalém.
18. Imitou o comportamento dos reis de Israel, como a família de Acab havia feito. Isso porque ele se casou com uma mulher da família de Acab; e fez o que Javé reprova.
19. Javé, porém, não quis destruir Judá, por causa do seu servo Davi, pois havia prometido a ele deixar sempre uma lâmpada em sua presença.
20. No tempo de Jorão, rei de Judá, Edom conseguiu libertar-se do domínio de Judá e formar um reino independente.
21. Jorão foi a Seira com todos os seus carros. Levantou-se de noite e, embora tivesse derrotado o exército edomita que o cercava e todos os seus comandantes de carros, a tropa de Jorão debandou e fugiu para suas tendas.
22. Desse modo, Edom se tornou independente de Judá até hoje. Também foi nessa época que Lebna se rebelou.
23. O resto da história de Jorão, e do que ele fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Judá.
24. Jorão morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi. E seu filho Ocozias lhe sucedeu no trono.

OCOZIAS EM JUDÁ: PARENTESCO E ALIANÇA
25. Ocozias, filho de Jorão, subiu ao trono de Judá no ano doze do reinado de Jorão, rei de Israel, filho de Acab.
26. Começou a reinar com vinte e dois anos. E reinou um ano em Jerusalém. Sua mãe se chamava Atalia e era filha de Amri, rei de Israel.
27. Ocozias imitou o comportamento da família de Acab e, como esta, fez o que Javé reprova, pois era parente dessa família.
28. Junto com Jorão, filho de Acab, Ocozias foi lutar em Ramot de Galaad contra Hazael, rei de Aram. Mas os arameus feriram Jorão,
29. que voltou para Jezrael, a fim de tratar dos ferimentos que recebera dos arameus em Ramot, ao lutar contra Hazael, rei de Aram. Ocozias, filho de Jorão, rei de Judá, foi a Jezrael para visitar Jorão, filho de Acab, que estava ferido.

[II Reis 9]II Reis 9



O PROFETA FAZ POLÍTICA
1. O profeta Eliseu chamou um dos irmãos profetas, e lhe ordenou: "Prepare-se, pegue esta vasilha de azeite e vá para Ramot de Galaad.
2. Ao chegar, procure Jeú, filho de Josafá, neto de Namsi. Quando você o encontrar, chame-o do meio de seus companheiros e leve-o até um aposento separado.
3. Pegue então a vasilha e derrame o azeite sobre a cabeça dele, dizendo: 'Assim diz Javé: Estou ungindo você como rei de Israel'. Depois abra a porta e fuja depressa".
4. O jovem foi para Ramot de Galaad.
5. Ao chegar, encontrou os chefes do exército reunidos. E disse: "Chefe, tenho uma mensagem para você". Jeú perguntou: "Para qual de nós?" O jovem respondeu: "Para você, chefe".
6. Jeú se levantou e entrou no aposento. Então o jovem derramou o azeite sobre a cabeça dele, e disse: "Assim diz Javé, o Deus de Israel: Estou ungindo você como rei de Israel, o povo de Javé.
7. Elimine a família de Acab, seu senhor, e eu vingarei o sangue de meus servos, os profetas, e de todos os servos de Javé, contra Jezabel
8. e contra toda a família de Acab. Eliminarei de Israel todos os homens da família de Acab, seja escravo, seja livre.
9. Tratarei a família de Acab como tratei a família de Jeroboão, filho de Nabat, e a família de Baasa, filho de Aías.
10. Jezabel será devorada pelos cães no campo de Jezrael, e ninguém a enterrará". Depois disso, o jovem abriu a porta e fugiu.
11. Jeú saiu para se reunir com os oficiais de seu senhor, e estes lhe perguntaram: "Está tudo bem? O que é que esse louco estava querendo?" Jeú respondeu: "Vocês conhecem bem esse homem e seu tipo de conversa".
12. Eles, porém, insistiram: "Vamos lá! Conte o que houve". Jeú respondeu: "Ele me disse o seguinte: 'Assim diz Javé: Estou ungindo você como rei de Israel' ".
13. Imediatamente todos pegaram seus mantos e os estenderam sobre os degraus, aos pés de Jeú. Depois tocaram a trombeta e aclamaram: "Jeú é rei".

JEÚ E A VINGANÇA DE UM POVO
14. Jeú, filho de Josafá e neto de Namsi, organizou uma conspiração contra Jorão. Ora, Jorão estava com todo o Israel defendendo Ramot de Galaad contra um ataque de Hazael, rei de Aram.
15. O rei Jorão, porém, tinha voltado a Jezrael para se tratar dos ferimentos que recebera dos arameus na guerra contra Hazael, rei de Aram. Jeú disse aos chefes: "Se vocês estão de acordo, não deixem ninguém sair da cidade para levar a notícia a Jezrael".
16. Então Jeú subiu num carro e partiu para Jezrael. Jorão estava aí, de cama, e Ocozias, rei de Judá, tinha ido visitá-lo.
17. A sentinela, que estava na torre de Jezrael, viu o grupo de Jeú se aproximando, e disse: "Estou vendo uma tropa". Jorão ordenou: "Chame um cavaleiro e o mande ao encontro deles para perguntar se estão trazendo boas notícias".
18. O cavaleiro foi ao encontro de Jeú, e disse: "O rei manda perguntar se vocês trazem boas notícias". Jeú respondeu: "O que importam para você as boas notícias? Siga-me". A sentinela anunciou: "O mensageiro chegou até eles, mas não está voltando".
19. Então o rei mandou outro cavaleiro, que foi até Jeú e disse: "O rei manda perguntar se vocês trazem boas notícias". Jeú respondeu: "O que importam para você as boas notícias? Siga-me".


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   48   49   50   51   52   53   54   55   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal