Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


De fato, Javé viu que a aflição de Israel era muito amarga, pois não havia nem escravo nem livre que fosse em socorro de Israel. 27



Baixar 5.7 Mb.
Página54/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   50   51   52   53   54   55   56   57   ...   197

26. De fato, Javé viu que a aflição de Israel era muito amarga, pois não havia nem escravo nem livre que fosse em socorro de Israel.
27. Como Javé não havia decidido apagar o nome de Israel debaixo do céu, então o libertou através de Jeroboão, filho de Joás.
28. O resto da história de Jeroboão, do que ele fez, suas façanhas e guerras, como reconquistou para Israel Damasco e Emat, que tinham pertencido a Judá, tudo isso está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
29. Jeroboão juntou-se a seus antepassados e foi enterrado em Samaria, junto aos reis de Israel. E seu filho Zacarias lhe sucedeu no trono.

[II Reis 15]II Reis 15



OZIAS EM JUDÁ: UM LONGO REINADO
1. Ozias, filho de Amasias, começou a reinar em Judá no ano vinte e sete de Jeroboão, rei de Israel.
2. Ele tinha dezesseis anos quando subiu ao trono, e reinou cinqüenta e dois anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Jequelias e era natural de Jerusalém.
3. Fez o que Javé aprova, como tinha feito seu pai Amasias.
4. Os lugares altos, porém, não desapareceram, e o povo continuou a oferecer sacrifícios e a queimar incenso nos lugares altos.
5. Contudo, Javé feriu o rei com lepra, que durou até a sua morte. Por isso ele ficou fechado num quarto, enquanto seu filho Joatão, chefe do palácio, governava o povo.
6. O resto da história de Ozias, e do que ele fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Judá.
7. Ozias morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi. E seu filho Joatão lhe sucedeu no trono.

ZACARIAS EM ISRAEL: COMEÇA A ANARQUIA
8. Zacarias, filho de Jeroboão, começou a reinar sobre Israel, em Samaria, no ano trinta e oito de Ozias, rei de Judá. Ele reinou seis meses.
9. Fez o que Javé reprova, como seus antepassados, e não se afastou dos pecados que Jeroboão, filho de Nabat, tinha feito Israel cometer.
10. Selum, filho de Jabes, fez uma conspiração contra Zacarias e o matou em Jeblaam. E usurpou o trono.
11. O resto da história de Zacarias está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
12. Aconteceu, então, o que Javé tinha dito a Jeú: "Seus filhos se assentarão no trono de Israel até a quarta geração".

SELUM EM ISRAEL: O REINADO MAIS BREVE
13. Selum, filho de Jabes, começou a reinar no ano trinta e nove de Ozias, rei de Judá. Ele reinou um mês em Samaria.
14. Manaém, filho de Gadi, partiu de Tersa, entrou em Samaria, matou Selum, filho de Jabes, e usurpou o trono.
15. O resto da história de Selum e a conspiração que ele tramou, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
16. Manaém devastou Tafua e seu território, matando todos os seus habitantes, porque não lhe haviam aberto as portas quando ele saiu de Tersa. Manaém arrasou a cidade e rasgou o ventre de todas as mulheres grávidas.

MANAÉM EM ISRAEL: O COMEÇO DO FIM
17. Manaém, filho de Gadi, começou a reinar em Israel no ano trinta e nove de Ozias, rei de Judá. Ele reinou dez anos em Samaria.
18. Fez o que Javé reprova, e não se afastou dos pecados que Jeroboão, filho de Nabat, fizera Israel cometer. No seu tempo,
19. Pul, rei da Assíria, invadiu o país. Manaém pagou a Pul trinta e quatro toneladas de prata, para que Pul o apoiasse e o mantivesse no trono.
20. Manaém requereu essa contribuição de todos os notáveis de Israel, de cada um cerca de meio quilo de prata, para dar ao rei da Assíria. Então o rei da Assíria se retirou, dando fim à ocupação do país.
21. O resto da história de Manaém, e do que ele fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.
22. Manaém se juntou a seus antepassados. E seu filho Facéias lhe sucedeu no trono.

FACÉIAS EM ISRAEL: PROTEÇÃO INÚTIL
23. Facéias, filho de Manaém, começou a reinar em Israel no ano cinqüenta de Ozias, rei de Judá. Ele reinou dois anos em Samaria.
24. Fez o que Javé reprova, e não se afastou dos pecados que Jeroboão, filho de Nabat, fizera Israel cometer.
25. Seu oficial Facéia, filho de Romelias, conspirou contra ele e o assassinou na torre do palácio real, em Samaria. Trazendo consigo cinqüenta homens de Galaad, Facéia matou o rei e usurpou o trono.
26. O resto da história de Facéias está escrito nos Anais dos Reis de Israel.

FACÉIA EM ISRAEL: O AVANÇO ASSÍRIO
27. Facéia, filho de Romelias, começou a reinar em Israel no ano cinqüenta e dois de Ozias, rei de Judá. Ele reinou vinte anos em Samaria.
28. Fez o que Javé reprova, e não se afastou dos pecados que Jeroboão, filho de Nabat, fizera Israel cometer.
29. No tempo de Facéia, rei de Israel, Teglat-Falasar, rei da Assíria, se apoderou de Aion, Abel-Bet-Maaca, Janoe, Cedes, Hasor, Galaad, Galiléia e toda a região de Neftali; e deportou seus habitantes para a Assíria.
30. No ano vinte de Joatão, filho de Ozias, Oséias, filho de Ela, fez uma conspiração contra Facéia, filho de Romelias, o matou e lhe usurpou o poder.
31. O resto da história de Facéia, e do que ele fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel.

JOATÃO EM JUDÁ: O PREÇO DA NEUTRALIDADE
32. Joatão, filho de Ozias, começou a reinar em Judá no segundo ano de Facéia, filho de Romelias, rei de Israel.
33. Ele tinha vinte e cinco anos quando subiu ao trono, e reinou dezesseis anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Jerusa, e era filha de Sadoc.
34. Fez o que Javé aprova e imitou em tudo o comportamento de seu pai Ozias.
35. Os lugares altos, porém, não desapareceram, e o povo continuou a oferecer sacrifícios e a queimar incenso nos lugares altos. Foi ele que construiu a Porta Superior do Templo de Javé.
36. O resto da história de Joatão, e do que ele fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Judá.
37. Nesses dias, Javé começou a mandar Rason, rei de Aram, e Facéia, filho de Romelias, contra Judá.
38. Joatão morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi, seu antepassado. Seu filho Acaz lhe sucedeu no trono.

[II Reis 16]II Reis 16



ACAZ EM JUDÁ: ALIANÇA COM OS PODEROSOS
1. Acaz, filho de Joatão, começou a reinar em Judá no ano dezessete de Facéia, filho de Romelias.
2. Acaz subiu ao trono com vinte anos, e reinou dezesseis anos em Jerusalém. Não fez, como seu antepassado Davi, o que Javé seu Deus aprova.
3. Imitou o comportamento dos reis de Israel e chegou até a sacrificar seu filho no fogo, conforme os costumes abomináveis das nações que Javé tinha expulsado diante dos israelitas.
4. Ofereceu sacrifícios e queimou incenso nos lugares altos, nas colinas e debaixo de toda árvore frondosa.
5. Nesse tempo, Rason, rei de Aram, e Facéia, filho de Romelias e rei de Israel, subiram para atacar Jerusalém. Eles a cercaram, mas não puderam conquistá-la.
6. Na mesma época, o rei de Edom reconquistou Elat para os edomitas, expulsando os judaítas que aí moravam. Os edomitas ocuparam Elat e aí se estabeleceram até o dia de hoje.
7. Então Acaz mandou mensageiros a Teglat-Falasar, rei da Assíria, com esta mensagem: "Sou seu filho e servo. Venha libertar-me do poder do rei de Aram e do rei de Israel, que se levantaram contra mim".
8. Acaz pegou a prata e o ouro que havia no Templo de Javé e nos tesouros do palácio real, e os enviou como presente para o rei da Assíria.
9. O rei da Assíria atendeu o pedido de Acaz, lutou contra Damasco e se apoderou dela; deportou seus habitantes para Quir e mandou matar Rason.
10. O rei Acaz foi a Damasco para se apresentar a Teglat-Falasar, rei da Assíria. Quando viu o altar que havia em Damasco, mandou para o sacerdote Urias o desenho do altar, com todos os detalhes.
11. Antes que o rei voltasse de Damasco, o sacerdote Urias construiu um altar, seguindo todas as instruções mandadas pelo rei.
12. Quando o rei Acaz voltou de Damasco, viu o altar, aproximou-se e subiu até ele.
13. Queimou sobre o altar seu holocausto e suas ofertas, derramou sua libação e espalhou o sangue de seus sacrifícios de comunhão.
14. Depois mandou tirar da fachada do Templo o antigo altar de bronze, que estava diante de Javé, isto é, entre o altar novo e o Templo, e o colocou do lado norte do novo altar.
15. Depois ordenou ao sacerdote Urias: "É sobre o altar grande que você deverá queimar o holocausto da manhã e a oferta da tarde, o holocausto e a oferta do rei, assim como o holocausto, a oferta e as libações de todo o povo. Derrame sobre ele todo o sangue dos holocaustos e dos sacrifícios. Eu me ocuparei do altar de bronze".
16. O sacerdote Urias fez tudo o que o rei Acaz havia mandado.
17. O rei Acaz arrancou as armações das bases e tirou as bacias das bases. Mandou retirar o Mar de bronze que ficava sobre os bois, e o mandou depositar sobre o piso de pedras.
18. Em consideração ao rei da Assíria, tirou o estrado do trono que ficava no Templo de Javé e a entrada exterior do rei.
19. O resto da história de Acaz, e do que ele fez, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Judá.
20. Acaz morreu e foi enterrado com seus antepassados na Cidade de Davi. E seu filho Ezequias lhe sucedeu no trono.

[II Reis 17]II Reis 17



OSÉIAS, O ÚLTIMO REI DE ISRAEL
1. Oséias, filho de Ela, começou a reinar em Israel no ano doze do reinado de Acaz, rei de Judá. Ele reinou nove anos em Samaria.
2. Fez o que Javé reprova, mas nem tanto como os reis de Israel que vieram antes dele.
3. Salmanasar, rei da Assíria, atacou Oséias, e este teve que se submeter e pagar tributo.
4. Mas o rei da Assíria descobriu que Oséias o traía. De fato, Oséias tinha enviado mensageiros até Sô, rei do Egito. E também não pagava mais tributo ao rei da Assíria, como fazia todos os anos. Então o rei da Assíria o prendeu e mandou acorrentar na prisão.
5. Em seguida, o rei da Assíria invadiu todo o país e cercou Samaria durante três anos.
6. No ano nove do reinado de Oséias, o rei da Assíria tomou Samaria e deportou os israelitas para a Assíria. Os israelitas foram levados para Hala, para as margens do Habor, rio de Gozã, e também para as cidades da Média.

POR QUE O REINO DE ISRAEL DESAPARECEU?
7. Tudo isso aconteceu porque os israelitas pecaram contra Javé seu Deus, que os havia tirado da terra do Egito e libertado da opressão do Faraó, rei do Egito. Eles adoraram outros deuses,
8. e seguiram os costumes das nações que Javé havia expulsado diante deles.
9. Os israelitas fizeram contra Javé seu Deus coisas que não deveriam ter feito: construíram para si lugares altos em todas as suas cidades, tanto nas torres de vigia como nas cidades fortificadas;
10. levantaram para si estelas e postes sagrados sobre todas as colinas altas e debaixo de toda árvore frondosa;
11. queimaram incenso em todos os lugares altos, como faziam as nações que Javé havia expulsado diante deles; cometeram ações más, provocando a ira de Javé;
12. adoraram os ídolos, embora Javé tivesse dito: "Não façam isso".
13. Javé tinha advertido Israel e Judá, por meio de todos os profetas e videntes, dizendo: "Convertam-se do seu mau comportamento, e obedeçam aos meus mandamentos e estatutos, de acordo com toda a Lei que dei a seus antepassados e que lhes transmiti através de meus servos, os profetas".
14. Eles, porém, não obedeceram e foram mais teimosos ainda que seus antepassados, que não tinham acreditado em Javé seu Deus.
15. Desprezaram os estatutos dele e a aliança que ele havia feito com seus antepassados, bem como as advertências que lhes havia feito. Correram atrás de ídolos vazios, e se esvaziaram, imitando as nações vizinhas, coisa que Javé lhes tinha proibido.
16. Rejeitaram todos os mandamentos de Javé seu Deus; fabricaram ídolos de metal fundido, os dois bezerros de ouro; fizeram um poste sagrado; adoraram todo o exército do céu e prestaram culto a Baal.
17. Sacrificaram no fogo seus filhos e filhas, praticaram a adivinhação e a magia, e se venderam para praticar o mal diante de Javé, provocando a ira dele.
18. Então Javé ficou irritado contra Israel, e o atirou para longe de si. Restou apenas a tribo de Judá.
19. Também Judá não obedeceu aos mandamentos de Javé seu Deus, mas imitou o comportamento de Israel.
20. Por isso, Javé rejeitou toda a descendência de Israel. Ele a humilhou e a entregou aos saqueadores e, por fim, atirou-a para longe de si.
21. Quando Javé separou Israel da casa de Davi, Israel proclamou rei a Jeroboão, filho de Nabat. E Jeroboão afastou Israel de Javé e o levou a cometer um grande pecado.
22. Os israelitas imitaram o pecado que Jeroboão tinha cometido, e não se afastaram dele.
23. Finalmente, Javé afastou Israel da sua presença, conforme havia anunciado por meio de seus servos, os profetas. Exilou os israelitas de sua terra para a Assíria, onde até hoje se encontram.

ORIGEM DOS SAMARITANOS
24. O rei da Assíria mandou vir gente de Babilônia, de Cuta, Ava, Emat e Sefarvaim, e os estabeleceu nas cidades de Samaria, em lugar dos israelitas. Tomaram posse de Samaria e se instalaram em suas cidades.
25. Quando começaram a se instalar no território, não temiam a Javé, e este mandou leões que os matavam.
26. Eles então comunicaram ao rei da Assíria: "As pessoas que o senhor mandou para morar nas cidades de Samaria não conhecem o ritual do Deus da terra, e ele mandou leões contra essas pessoas. Os leões então as matam, porque elas não conhecem o ritual do Deus da terra".
27. Então o rei da Assíria ordenou: "Mandem para lá um dos sacerdotes deportados de Samaria, para que fique morando aí, e ensine para as pessoas o ritual do Deus da terra".
28. Então um dos sacerdotes que tinham sido deportados de Samaria foi, e se fixou em Betel. Ele ensinou às pessoas como prestar culto a Javé.
29. Cada grupo, porém, foi fabricando seus próprios deuses, e colocou-os nos templos dos lugares altos que os samaritanos tinham feito. Cada grupo fez isso nas cidades em que morava.
30. Os babilônios fizeram uma estátua de Sucot-Benot; os de Cuta, uma de Nergel; os de Emat, uma de Asima;
31. os de Ava, uma de Nebaaz e uma de Tartac; os de Sefarvaim queimavam seus filhos em honra de Adramelec e de Anamelec, deuses de Sefarvaim.
32. Também prestavam culto a Javé. Nomearam, como sacerdotes, pessoas comuns, para que servissem nos templos dos lugares altos.
33. Temiam a Javé e também adoravam seus deuses, conforme o costume das nações de onde tinham sido exilados.
34. Ainda hoje seguem seus ritos antigos. Não temem a Javé, nem praticam seus estatutos e normas, nem a lei e os mandamentos que Javé ordenou aos filhos de Jacó, a quem tinha dado o nome de Israel.
35. Javé tinha feito uma aliança com eles e ordenara: "Não adorem outros deuses, não se prostrem diante deles, não os cultuem e não lhes ofereçam sacrifícios.
36. Vocês devem cultuar, adorar e oferecer sacrifícios somente a Javé, que os tirou do Egito, com grande força e braço estendido.
37. Observem os estatutos e normas, a lei e os mandamentos que Javé deu a vocês por escrito. Cuidem sempre de os colocar em prática. Não prestem culto a outros deuses.
38. Não esqueçam a aliança que fiz com vocês, e não prestem culto a outros deuses.
39. Temam somente a Javé seu Deus, e ele os libertará de todos os seus inimigos".
40. Eles, porém, não obedeceram e continuaram a viver conforme o costume antigo.
41. Desse modo, esses grupos adoravam a Javé e, ao mesmo tempo, prestavam culto a seus próprios ídolos. Seus filhos e netos continuaram fazendo até hoje o que seus antepassados haviam feito.

[II Reis 18]VIII. FIM DO REINO DE JUDÁ



II Reis 18

EZEQUIAS EM JUDÁ: REFORMA POLÍTICO-RELIGIOSA
1. Ezequias, filho de Acaz, começou a reinar em Judá no terceiro ano do rei Oséias, filho de Ela, rei de Israel.
2. Ele tinha vinte e cinco anos quando subiu ao trono, e reinou vinte e nove anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Abia, e era filha de Zacarias.
3. Ezequias fez o que Javé aprova, seguindo em tudo o seu antepassado Davi.
4. Ele acabou com os lugares altos, quebrou as estelas e derrubou os postes sagrados. Despedaçou também a serpente de bronze que Moisés havia feito, porque os israelitas ainda queimavam incenso diante dela. Eles a chamavam de Noestã.
5. Ezequias pôs sua confiança em Javé, o Deus de Israel. Tanto antes como depois não existiu nenhum rei em Judá que pudesse ser comparado a ele.
6. Permaneceu fiel a Javé e nunca se afastou dele, observando os mandamentos que Javé tinha ordenado a Moisés.
7. Javé esteve com ele. Por isso, ele teve êxito em tudo o que fez. Ele se revoltou contra o rei da Assíria e não lhe ficou submisso.
8. Derrotou os filisteus até Gaza, devastando o território deles, tanto as torres de vigia como as cidades fortificadas.

QUEDA DE SAMARIA
9. No quarto ano do reinado de Ezequias e sétimo de Oséias, filho de Ela, rei de Israel, Salmanasar, rei da Assíria, atacou e cercou Samaria.
10. Após três anos, tomou a cidade. Samaria foi conquistada no sexto ano de Ezequias e nono ano de Oséias, rei de Israel.
11. O rei da Assíria deportou os israelitas para a Assíria e os levou para Hala, para as margens do Habor, rio de Gozã, e para as cidades da Média.
12. Isso porque os israelitas não obedeceram a Javé seu Deus e transgrediram sua aliança: eles não ouviram nem praticaram tudo o que Moisés, servo de Javé, lhes havia ordenado.

REFORMA INTERROMPIDA
13. No ano catorze do reinado de Ezequias, Senaquerib, rei da Assíria, atacou todas as cidades fortificadas de Judá e se apossou delas.
14. Então Ezequias, rei de Judá, mandou esta mensagem ao rei da Assíria, que estava em Laquis: "Cometi um erro. Não me ataque. Eu aceitarei as condições que você me impuser". O rei da Assíria exigiu que Ezequias, rei de Judá, pagasse uma taxa de dez toneladas de prata e mil quilos de ouro.
15. Então Ezequias entregou toda a prata que havia no Templo de Javé e no tesouro do palácio real.
16. Mandou também tirar o ouro com que Ozias, rei de Judá, havia revestido as portas e os batentes do santuário de Javé, e o entregou ao rei da Assíria.

UM DESAFIO A JAVÉ
17. De Laquis, o rei da Assíria mandou o chefe do exército, o chefe dos funcionários e o chefe dos copeiros, para que fossem, com forte destacamento, até Jerusalém, até o rei Ezequias. Eles chegaram a Jerusalém e passaram perto do canal que leva água para o reservatório superior, no caminho do Campo do Pisoeiro.
18. Chamaram o rei. Então saíram ao encontro deles Eliacim, filho de Helcias, administrador do palácio, o escrivão Sobna e o secretário Joaé, filho de Asaf.
19. O chefe dos copeiros então lhes falou: "Digam a Ezequias: Assim fala o grande rei, o rei da Assíria: Onde está o fundamento da sua confiança?
20. Você está pensando que estratégia e valentia militares são questão de palavras! Em quem você está se apoiando para resistir diante de mim?
21. Você confia no Egito, nesse bambu rachado que penetra e fura a mão de quem nele se apóia! O Faraó, rei do Egito, é isso para quem nele confia.
22. Talvez você responda: 'Nós colocamos nossa confiança em Javé, o nosso Deus'. Mas não foi você mesmo, Ezequias, quem destruiu os lugares altos e os altares de Javé, dizendo ao povo de Judá e de Jerusalém: 'Somente diante do altar que está em Jerusalém é que vocês devem adorar'?
23. Pois bem! Faça uma aposta com o meu senhor, o rei da Assíria: eu lhe darei dois mil cavalos, se você encontrar cavaleiros para montá-los!
24. Como é que você vai conseguir derrotar um só dos menores servos do meu senhor? Você colocou sua confiança no Egito para ter carros e cavaleiros!
25. Você pensa que foi sem o consentimento de Javé que eu ataquei esse lugar para o destruir? Foi Javé quem me mandou atacar e devastar esse país!"
26. Eliacim, filho de Helcias, Sobna e Joaé pediram ao chefe dos copeiros: "Fale com os seus servos em aramaico, que nós entendemos. Não fale em hebraico, diante do povo que está nas muralhas".
27. O chefe dos copeiros então respondeu: "Não foi ao seu rei e a você que o meu senhor mandou dizer essas coisas. Foi primeiro ao povo que está nas muralhas. Ele está condenado, como vocês, a comer as próprias fezes e a beber a própria urina!"
28. Então o chefe dos copeiros gritou alto, em hebraico: "Escutem a palavra do grande rei, o rei da Assíria:
29. Assim fala o rei: Não deixem Ezequias enganá-los, pois ele não poderá livrar vocês de mim.
30. Que Ezequias não leve vocês a confiar em Javé, dizendo que Javé salvará vocês e que esta cidade não cairá em poder do rei da Assíria.
31. Não dêem ouvidos a Ezequias. Porque assim fala o rei da Assíria: Façam as pazes comigo, rendam-se, e cada um poderá comer o fruto da sua vinha e da sua figueira, e beber água do próprio poço,
32. até que eu venha e leve vocês para uma terra boa como esta, terra que produz trigo e vinho, terra de pão e videiras, terra de azeite e mel. Assim vocês viverão, e não vão morrer. Não dêem ouvidos a Ezequias, pois ele está iludindo vocês, dizendo que Javé os salvará.
33. Por acaso os deuses das nações puderam livrar seus países do poder do rei da Assíria?
34. Onde estão os deuses de Emat e de Arfad? Onde estão os deuses de Sefarvaim? Por acaso eles livraram Samaria do meu poder?
35. De todos os deuses das nações, quem foi que livrou seu país do meu poder, para que Javé possa salvar Jerusalém?"
36. Eles ficaram quietos e não responderam nada, pois o rei tinha ordenado que não dessem nenhuma resposta.
37. Eliacim, filho de Helcias, administrador do palácio, com o escrivão Sobna e o secretário Joaé, filho de Asaf, foram até o rei Ezequias com as roupas rasgadas, e lhe comunicaram as palavras do chefe dos copeiros.

[II Reis 19]II Reis 19



1. Ao ouvir a comunicação, o rei Ezequias rasgou a roupa, vestiu-se com pano de saco, e foi ao Templo de Javé.
2. Mandou o administrador do palácio Eliacim, com o escrivão Sobna e os anciãos dos sacerdotes, todos vestidos com panos de saco, ao profeta Isaías, filho de Amós.
3. Eles disseram a Isaías: "Assim fala Ezequias: Hoje é dia de angústia, castigo e humilhação. Os filhos estão para nascer, e não há força para dar à luz.
4. Tomara que Javé, seu Deus, tenha ouvido todas as palavras do chefe dos copeiros, que o rei da Assíria, senhor dele, mandou dizer para insultar o Deus vivo. Tomara que Javé, seu Deus, dê o castigo merecido pelas palavras que ele ouviu. Faça uma prece pelo resto que ainda sobrevive".
5. Os ministros do rei Ezequias se apresentaram a Isaías,
6. e este respondeu-lhes: "Digam ao senhor de vocês: Assim fala Javé: Não fique com medo das palavras que ouviu, das blasfêmias que os servos do rei da Assíria lançaram contra mim.
7. Vou mandar para ele um espírito. Ao ouvir um boato, ele voltará para seu país, e aí mesmo eu o farei morrer pela espada".



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   50   51   52   53   54   55   56   57   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal