Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO



Baixar 5.7 Mb.
Página6/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   197

11. Eu não mereço os favores nem a bondade com que trataste teu servo. Quando atravessei o Jordão, eu tinha apenas um bastão, agora possuo duas caravanas.
12. Livra-me da mão do meu irmão Esaú, pois tenho medo que ele venha e mate as mães com os filhos.
13. Tu me disseste: 'Eu lhe darei bens e tornarei sua descendência tão numerosa como a areia do mar, que não se pode contar' ".
14. E Jacó passou a noite nesse lugar. De tudo o que possuía, Jacó separou um presente para o seu irmão Esaú:
15. duzentas cabras e vinte bodes, duzentas ovelhas e vinte cordeiros,
16. trinta camelas de leite, com suas crias, quarenta vacas e dez touros, vinte jumentas e dez jumentinhos.
17. Ele os entregou a seus servos em rebanhos separados, e disse a eles: "Vão na minha frente e deixem espaço entre os rebanhos".
18. E deu esta ordem ao primeiro: "Quando meu irmão Esaú o encontrar e lhe perguntar: 'De quem você é, e para onde vai? De quem é tudo isso que você está levando?',
19. então você responderá: 'É do seu servo Jacó. É um presente que ele envia para o meu senhor Esaú, e ele próprio chegará depois de nós' ".
20. Jacó deu a mesma ordem ao segundo e ao terceiro e a todos os que acompanhavam os rebanhos: "Quando vocês encontrarem Esaú, digam tudo isso.
21. E acrescentem: 'Veja! Seu servo Jacó está vindo atrás de nós' ". Pois Jacó pensava: "Vou acalmar meu irmão com os presentes que vão antes de mim. Depois eu me apresentarei a ele. Talvez assim ele me receba bem".
22. Os presentes foram na frente, e Jacó ficou essa noite no acampamento.

LUTA COM DEUS
23. Nessa noite, Jacó se levantou, pegou suas duas mulheres, suas duas servas, seus onze filhos e atravessou o vau do Jaboc.
24. Jacó os pegou e os fez atravessar a torrente, com tudo o que possuía.
25. E Jacó ficou sozinho. Um homem lutou com Jacó até o despertar da aurora.
26. Vendo que não conseguia dominá-lo, o homem tocou a coxa dele, de modo que o tendão da coxa de Jacó se deslocou enquanto lutava com ele.
27. Então o homem disse: "Solte-me, pois a aurora está chegando". Jacó respondeu: "Não o soltarei, enquanto você não me abençoar".
28. O homem lhe perguntou: "Qual é o seu nome?" Ele respondeu: "Jacó".
29. O homem continuou: "Você já não se chamará Jacó, mas Israel, porque você lutou com Deus e com homens, e você venceu".
30. Jacó lhe perguntou: "Diga-me o seu nome". Mas ele respondeu: "Por que você quer saber o meu nome?" E aí mesmo o abençoou.
31. Jacó deu a esse lugar o nome de Fanuel, dizendo: "Eu vi Deus face a face e continuei vivo".
32. Ao nascer do sol, Jacó atravessou Fanuel e mancava por causa da coxa.
33. Por isso, até hoje os israelitas não comem o nervo ciático, que está na articulação da coxa: é porque aquele homem feriu Jacó na articulação da coxa, no nervo ciático.

[Gênesis 33]Gênesis 33



LIÇÃO DE FRATERNIDADE
1. Erguendo os olhos, Jacó viu que Esaú estava chegando com os quatrocentos homens. Dividiu, então, as crianças entre Lia, Raquel e as duas servas:
2. na frente, colocou as servas com seus filhos, mais atrás Lia com seus filhos e, por último, Raquel com José.
3. Então ele foi na frente de todos e prostrou-se por terra sete vezes antes de chegar até seu irmão.
4. Esaú, porém, correu ao seu encontro, o abraçou e beijou e o apertou junto ao peito. E ambos começaram a chorar.
5. Esaú, erguendo os olhos, viu as mulheres e as crianças. E perguntou: "Quem são esses que estão com você?" Jacó respondeu: "São os filhos com que Deus presenteou o seu servo".
6. As servas se aproximaram com os filhos, e se prostraram.
7. Lia também se aproximou com os filhos e se prostraram. Finalmente, aproximou-se Raquel com José, e se prostraram.
8. Esaú perguntou: "Que significam todos esses rebanhos que eu vinha encontrando pelo caminho?" Jacó respondeu: "É para alcançar as graças do meu senhor".
9. Esaú replicou: "Caro irmão, eu tenho o suficiente. Fique com o que é seu".
10. Jacó insistiu: "De modo algum! Se alcancei o seu favor, aceite estes presentes de minha mão, pois vim à sua presença como se eu fosse à presença de Deus, e você me acolheu bem.
11. Aceite, portanto, o presente que lhe ofereço, pois Deus me favoreceu, e eu tenho tudo o que preciso". Como Jacó insistisse, Esaú aceitou.
12. Depois, Esaú disse: "Vamos continuar a viagem. Eu irei com você".
13. Mas Jacó lhe respondeu: "Meu senhor sabe que as crianças são delicadas e que devo pensar nas ovelhas e vacas de leite. Bastaria um dia de marcha forçada e todo o rebanho morreria.
14. Que meu senhor vá na frente de seu servo; eu irei devagar, ao passo das crianças e do rebanho que vai na minha frente. Alcançarei o meu senhor em Seir".
15. Então Esaú disse: "Deixarei com você alguns de meus homens como escolta". Mas Jacó recusou: "Para que isso, se alcancei o favor de meu senhor?"
16. Nesse dia, Esaú voltou para Seir.
17. Jacó, porém, partiu para Sucot, onde construiu uma casa e currais para o rebanho. É por isso que se deu ao lugar o nome de Sucot.
18. Jacó chegou são e salvo à cidade de Siquém, na terra de Canaã, quando voltou de Padã-Aram, e acampou diante da cidade.
19. O terreno, onde ergueu sua tenda, ele o comprou dos filhos de Hemor, pai de Siquém, por cem moedas de prata.
20. levantou um altar, que denominou "El, o Deus de Israel".

[Gênesis 34]Gênesis 34



DINA E SIQUÉM
1. Dina, filha de Lia e Jacó, saiu para ver as mulheres do país.
2. Siquém, o filho do heveu Hemor, príncipe do país, tendo-a visto, tomou-a, dormiu com ela e a violentou.
3. Contudo, sentiu-se atraído por Dina, filha de Jacó, apaixonou-se por ela e procurou cativá-la.
4. Então Siquém falou a seu pai Hemor: "Consegue-me essa jovem para ser minha mulher".
5. Jacó soube que Siquém tinha desonrado sua filha Dina; mas, como seus filhos estavam no campo com o rebanho, esperou em silêncio até que eles voltassem.
6. Hemor, pai de Siquém, foi falar com Jacó.
7. Quando os filhos de Jacó voltaram do campo e souberam da notícia, ficaram indignados e furiosos, pois era uma infâmia em Israel que Siquém tivesse dormido com a filha de Jacó, coisa que não se faz.
8. Hemor falou com eles: "Meu filho Siquém se apaixonou pela filha de vocês. Peço que vocês a dêem para ele como esposa.
9. Assim nos tornaremos parentes: vocês nos darão suas filhas e tomarão as nossas para vocês,
10. e viverão conosco. A terra está à disposição de vocês: podem morar nela, fazer comércio e adquirir propriedades".
11. Siquém disse ao pai e aos irmãos de Dina: "Façam-me esse favor, e eu lhes darei o que vocês me pedirem.
12. Vocês podem colocar um preço alto pela noiva: eu pagarei o que vocês me pedirem, contanto que a dêem para ser minha mulher".
13. Os filhos de Jacó responderam a Siquém e a seu pai Hemor com falsidade, porque sua irmã Dina tinha sido desonrada:
14. "Não podemos fazer o que pedem, dando nossa irmã para um homem que não é circuncidado, pois isso é uma desonra para nós.
15. Só vamos concedê-la com uma condição: vocês devem se tornar como nós e circuncidar todos os homens.
16. Então daremos a vocês nossas filhas e tomaremos as filhas de vocês para nós; viveremos com vocês e seremos um só povo.
17. Mas, se vocês não aceitarem a circuncisão, vamos tomar nossa filha e partir".
18. As palavras deles agradaram a Hemor e a Siquém, filho de Hemor.
19. O jovem não tardou em fazer isso, pois queria a filha de Jacó, e era o mais considerado de toda a família.
20. Então Hemor e seu filho Siquém foram ao Conselho da cidade e falaram a toda a população:
21. "Essa gente é de paz: que eles habitem a nossa terra entre nós, e nela façam comércio, pois a terra é espaçosa. Tomaremos as filhas deles como mulheres e daremos as nossas filhas a eles.
22. Mas eles colocaram uma condição para viver entre nós e formar um só povo: que todos os homens sejam circuncidados como eles.
23. Seus rebanhos, seus bens e animais serão nossos. Aceitemos, e eles viverão entre nós".
24. Os membros do Conselho aceitaram a proposta de Hemor e de seu filho Siquém, e circuncidaram todos os homens que tinham idade para freqüentar o Conselho.
25. No terceiro dia, quando os homens estavam convalescendo, Simeão e Levi, filhos de Jacó e irmãos de Dina, tomaram cada um a sua espada, entraram sem oposição na cidade e mataram todos os homens.
26. Passaram a fio de espada Hemor e seu filho Siquém, tomaram Dina da casa de Siquém, e partiram.
27. Os filhos de Jacó atacaram os feridos e pilharam a cidade, porque haviam desonrado sua irmã.
28. E deles pegaram as ovelhas, bois e jumentos, tudo o que havia na cidade e no campo.
29. Roubaram-lhes todos os bens, todas as crianças, e pilharam o que havia nas casas.
30. Jacó disse a Simeão e Levi: "Vocês me arruinaram, tornando-me odioso para os cananeus e ferezeus que habitam o país. Somos poucos: se eles se reunirem e nos atacarem, me matarão e acabarão comigo e com minha família".
31. Mas eles responderam: "Por acaso nossa irmã pode ser tratada como uma prostituta?"

[Gênesis 35]Gênesis 35



JACÓ EM BETEL
1. Deus disse a Jacó: "Levante-se, suba a Betel e vá morar aí. E aí construa um altar ao Deus que lhe apareceu, quando você estava fugindo do seu irmão Esaú".
2. Então Jacó disse à sua família e a todos os que estavam com ele: "Joguem fora os deuses estrangeiros que estão no meio de vocês, purifiquem-se e troquem de roupa.
3. Vamos subir a Betel, onde farei um altar ao Deus que me ouviu no perigo e me acompanhou em minha viagem".
4. Eles entregaram a Jacó todos os deuses estrangeiros que possuíam, e os anéis que traziam nas orelhas. E Jacó enterrou tudo debaixo do carvalho que está junto a Siquém.
5. Levantaram acampamento, e o terror de Deus caía sobre as cidades vizinhas, e os filhos de Jacó não foram perseguidos.
6. Jacó chegou com toda a sua gente a Luza, que é Betel, na terra de Canaã.
7. Aí ele construiu um altar e deu ao lugar o nome de El-Betel, porque aí Deus apareceu a ele quando fugia do seu irmão.
8. Nessa ocasião, morreu Débora, ama de Rebeca, e foi enterrada perto de Betel, debaixo do carvalho que se chama Carvalho-dos-Prantos.
9. Ao voltar de Padã-Aram, Deus apareceu de novo a Jacó e o abençoou,
10. dizendo: "Seu nome é Jacó, mas você não se chamará mais Jacó: seu nome será Israel". E lhe deu o nome de Israel.
11. Deus acrescentou: "Eu sou o Deus Todo-poderoso: seja fecundo e multiplique-se. De você nascerá uma nação, uma assembléia de nações, e de suas entranhas sairão reis.
12. Entrego a você a terra que dei a Abraão e Isaac; darei essa terra a vocês e a seus descendentes".
13. Depois que Deus se retirou de junto dele,
14. Jacó ergueu uma estela de pedra no lugar em que havia falado com Deus. Depois fez sobre ela uma libação e a ungiu com óleo.
15. E Jacó deu o nome de Betel ao lugar onde Deus lhe havia falado.

MORTE DE RAQUEL E ISAAC
16. Partiram de Betel. Quando faltava um bom trecho para chegarem a Éfrata, Raquel deu à luz. O parto foi difícil
17. e, como desse à luz com dificuldade, a parteira lhe disse: "Não tenha medo, pois também este é um menino!"
18. Estando prestes a morrer, Raquel lhe deu o nome de Benoni, mas o pai o chamou Benjamim.
19. Raquel morreu e foi enterrada no caminho de Éfrata, que hoje é Belém.
20. Jacó ergueu uma estela sobre o seu túmulo; é a estela do túmulo de Raquel, que existe até hoje.
21. Israel partiu e acampou no outro lado da Torre do Rebanho.
22. Enquanto Israel habitava nessa região, Rúben dormiu com Bala, concubina de seu pai, e Israel ficou sabendo. Os filhos de Jacó foram doze.
23. Filhos de Lia: Rúben, o primogênito de Jacó; depois, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zabulon.
24. Filhos de Raquel: José e Benjamim.
25. Filhos de Bala, serva de Raquel: Dã e Neftali.
26. Filhos de Zelfa, serva de Lia: Gad e Aser. Estes são os filhos de Jacó que nasceram em Padã-Aram.
27. Jacó voltou para a casa de Isaac, seu pai, em Mambré, em Cariat-Arbe, hoje Hebron, onde habitaram Abraão e Isaac.
28. Isaac viveu cento e oitenta anos,
29. e morreu. Morreu e se reuniu com seus parentes, velho e com muitos anos. Seus filhos Esaú e Jacó o enterraram.

[Gênesis 36]Gênesis 36



UM POVO IRMÃO
1. Descendentes de Esaú, que é Edom.
2. Esaú casou-se com mulheres cananéias: Ada, filha de Elon, o heteu; Oolibama, filha de Ana, filho de Sebeon, o heveu;
3. Basemat, filha de Ismael e irmã de Nabaiot.
4. Ada gerou Elifaz para Esaú; Basemat gerou Rauel.
5. Oolibama gerou Jeús, Jalam e Coré. São esses os filhos de Esaú, nascidos na terra de Canaã.
6. Esaú tomou suas mulheres, filhos e filhas, todas as pessoas de sua casa, seu rebanho e todo o seu gado, e tudo o que havia adquirido na terra de Canaã, e foi para a terra de Seir, longe do seu irmão Jacó.
7. Eles tinham muitos bens e não podiam viver juntos, e a terra em que moravam não podia manter a eles e seus rebanhos.
8. Então Esaú se estabeleceu na região montanhosa de Seir. Esaú é Edom.
9. Descendentes de Esaú, antepassado dos edomitas, na região montanhosa de Seir.
10. Lista dos filhos de Esaú: Elifaz, filho de Ada, mulher de Esaú; e Rauel, filho de Basemat, mulher de Esaú.
11. Filhos de Elifaz: Temã, Omar, Sefo, Gatam e Cenez.
12. Elifaz, filho de Esaú, tinha uma concubina chamada Tamna, e ela gerou para ele Amalec. São esses os netos de Ada, mulher de Esaú.
13. Filhos de Rauel: Naat, Zara, Sama, Meza. São esses os netos de Basemat, mulher de Esaú.
14. Filhos de Oolibama, filha de Ana, filho de Sebeon, mulher de Esaú: Jeús, Jalam e Coré.
15. Chefes dos filhos de Esaú. Filhos de Elifaz, primogênito de Esaú: os chefes de Temã, Omar, Sefo, Cenez,
16. Coré, Gatam e Amalec. São esses os chefes de Elifaz na terra de Edom; são descendentes de Ada.
17. Os seguintes são todos filhos de Rauel, filho de Esaú: os chefes de Naat, Zara, Sama e Meza. São esses os chefes de Rauel, na terra de Edom; são descendentes de Basemat, mulher de Esaú.
18. Os seguintes são filhos de Oolibama, mulher de Esaú: os chefes de Jeús, Jalam e Coré. São esses os filhos de Oolibama, mulher de Esaú e filha de Ana.
19. São esses os filhos e os chefes de Esaú, que é Edom.
20. Filhos de Seir, o horreu, habitantes da terra: Lotã, Sobal, Sebeon, Ana,
21. Dison, Eser e Disã. São esses os chefes horreus, descendentes de Seir, na terra de Edom.
22. Os filhos de Lotã foram Hori e Emam, e a irmã de Lotã era Tamna.
23. Filhos de Sobal: Alvã, Manaat, Ebal, Sefo e Onam.
24. Filhos de Sebeon: Aía e Ana. Foi este Ana que encontrou as águas quentes no deserto, enquanto apascentava os jumentos de seu pai Sebeon.
25. Filhos de Ana: Dison e Oolibama, filha de Ana.
26. Filhos de Dison: Hamdã, Esebã, Jetrã e Carã.
27. Filhos de Eser: Balaã, Zavã e Acã.
28. Filhos de Disã: Hus e Arã.
29. Chefes dos horreus: os chefes de Lotã, Sobal, Sebeon, Ana,
30. Dison, Eser e Disã. São esses os chefes dos horreus, segundo seus clãs na terra de Seir.
31. Reis que reinaram na terra de Edom, antes que os israelitas tivessem um rei.
32. Em Edom reinou Bela, filho de Beor, e sua cidade se chamava Danaba.
33. Bela morreu e em seu lugar reinou Jobab, filho de Zara, de Bosra.
34. Jobab morreu e em seu lugar reinou Husam, da terra dos temanitas.
35. Husam morreu e em seu lugar reinou Adad, filho de Badad, que derrotou os madianitas nos campos de Moab; sua cidade se chamava Avit.
36. Adad morreu e em seu lugar reinou Semla de Masreca.
37. Semla morreu e em seu lugar reinou Saul, de Reobot Naar.
38. Saul morreu e em seu lugar reinou Baalanã, filho de Acobor.
39. Baalanã, filho de Acobor, morreu e em seu lugar reinou Adad; sua cidade chamava-se Fau; sua mulher se chamava Meetabel, filha de Matred, de Mezaab.
40. Nomes dos chefes de Esaú por grupos, localidades e nomes: Tamna, Alva, Jetet,
41. Oolibama, Ela, Finon,
42. Cenez, Temã, Mabsar,
43. Magdiel e Iram. São esses os chefes de Edom, segundo as regiões onde habitavam. Esaú é o antepassado de Edom.

[Gênesis 37]3. HISTÓRIA DE JOSÉ E SEUS IRMÃOS



Gênesis 37

PREFERÊNCIAS PROVOCAM INVEJA
1. Jacó permaneceu em Canaã, a terra em que seu pai tinha morado.
2. Esta é a história de Jacó. José tinha dezessete anos e pastoreava o rebanho com seus irmãos. Ajudava os filhos de Bala e Zelfa, mulheres de seu pai. Certo dia, falou a seu pai da má fama que eles tinham.
3. José era o preferido de Israel, porque era o filho de sua velhice e, por isso, mandou fazer para ele uma túnica de mangas longas.
4. Seus irmãos perceberam que o pai o preferia aos outros filhos. Por isso, ficaram com raiva, e não falavam amigavelmente com ele.
5. Um dia, José teve um sonho e o contou a seus irmãos, que ficaram com mais raiva dele.
6. José disse aos irmãos: "Escutem o sonho que eu tive.
7. Estávamos atando feixes no campo; meu feixe se levantou e ficou de pé e os feixes de vocês o rodearam e se prostraram diante dele".
8. Os irmãos lhe perguntaram: "Será que você está querendo ser nosso rei ou dominar-nos como senhor?" E eles ficaram com mais raiva ainda, por causa dos sonhos que José lhes contava.
9. E José teve mais um sonho que contou a seus irmãos: "Tive outro sonho: o sol, a lua e onze estrelas se prostravam diante de mim".
10. Ele contou o sonho a seu pai e aos irmãos. Então o pai o repreendeu, dizendo: "Que sonho é esse que você teve? Quer dizer que eu, sua mãe e seus irmãos vamos prostrar-nos por terra diante de você?"
11. Os irmãos ficaram com ciúmes de José, enquanto o pai meditava sobre o assunto.

INVEJA PRODUZ ÓDIO FRATRICIDA
12. Os irmãos de José foram apascentar o rebanho de seu pai em Siquém.
13. Israel disse a José: "Seus irmãos devem estar com os rebanhos em Siquém. Venha cá! Vou mandar você até onde eles estão". José respondeu: "Aqui estou".
14. O pai lhe disse: "Então vá ver como estão seus irmãos e o rebanho, e traga-me notícias". O pai o mandou do vale de Hebron, e José chegou a Siquém.
15. Um homem encontrou José que andava errante pelos campos. E lhe perguntou: "O que é que você está procurando?"
16. José respondeu: "Procuro meus irmãos. Por favor, diga-me: onde eles estão apascentando os rebanhos?"
17. O homem disse: "Eles partiram daqui, e eu os ouvi dizer que iam para Dotain". Então José foi à procura de seus irmãos e os encontrou em Dotain.
18. Os irmãos o viram de longe e, antes que se aproximasse, começaram a planejar a morte dele.
19. Disseram entre si: "Aí vem o sonhador!
20. Vamos matá-lo e jogá-lo num poço. Diremos que um animal feroz o devorou. Veremos, então, para que servem seus sonhos".
21. Rúben ouviu isso e procurou salvar José das mãos deles. Rúben disse: "Não vamos matá-lo".
22. E continuou: "Não derramem sangue. Joguem o rapaz nesse poço do deserto, mas não levantem a mão contra ele". Rúben pretendia salvar José das mãos deles e devolvê-lo ao pai.
23. Quando José chegou ao lugar onde estavam seus irmãos, eles lhe arrancaram a túnica de mangas longas,
24. o agarraram e o jogaram dentro de um poço vazio, onde não havia água.
25. Depois, sentaram-se para comer. Levantando os olhos, viram uma caravana de ismaelitas que vinha de Galaad. Seus camelos estavam carregados de especiarias, bálsamo e resina, que levavam para o Egito.
26. Então Judá falou a seus irmãos: "Que vamos ganhar matando nosso irmão e escondendo o crime?
27. Vamos vendê-lo aos ismaelitas, mas não levantemos a mão contra ele, pois afinal ele é nosso irmão, da mesma carne que nós". Os irmãos concordaram.
28. Quando passaram alguns mercadores madianitas, estes retiraram José do poço, e depois venderam José aos ismaelitas por vinte moedas de prata, e estes o levaram para o Egito.
29. Quando Rúben voltou ao poço, viu que José não estava mais aí. Então rasgou as vestes
30. e, voltando até os irmãos, falou: "O rapaz não está mais lá. E eu, para onde irei?"
31. Então pegaram a túnica de José e, degolando um bode, molharam a túnica no sangue.
32. Mandaram levar a túnica para o pai, dizendo: "Encontramos isso; veja se é ou não é a túnica do seu filho".
33. O pai olhou e disse: "É a túnica do meu filho! Uma fera o devorou: José foi despedaçado!"
34. Jacó rasgou as vestes, vestiu-se de luto e chorou a morte do filho por muito tempo.
35. Todos os seus filhos e filhas procuraram consolá-lo, mas ele recusava consolo e dizia: "De luto por meu filho descerei ao túmulo". E seu pai chorou por ele.
36. Entretanto, os madianitas no Egito venderam José para Putifar, ministro e chefe da guarda do Faraó.

[Gênesis 38]Gênesis 38



JUDÁ E TAMAR
1. Nesse tempo, Judá se separou de seus irmãos e foi viver na casa de um homem de Odolam, que se chamava Hira.
2. Judá viu aí a filha de um cananeu chamado Sué, a tomou e viveu com ela.
3. A mulher concebeu e deu à luz um filho, a quem chamou Her.
4. Ela concebeu de novo e deu à luz outro filho, a quem chamou Onã.
5. Concebeu ainda outra vez e gerou mais um filho, a quem chamou Sela; quando o deu à luz, ela estava em Casib.
6. Judá tomou uma esposa para seu primogênito Her; a mulher se chamava Tamar.
7. No entanto, Her, primogênito de Judá, desagradou a Javé, que o fez morrer.
8. Então Judá disse a Onã: "Case com a viúva de seu irmão; cumpra sua obrigação de cunhado, e dê uma descendência para seu irmão".
9. Onã, porém, sabia que a descendência não seria sua e, cada vez que se unia à mulher do seu irmão, derramava o sêmen por terra, para não dar descendência ao irmão.
10. O que ele fazia desagradava a Javé, que o fez morrer também.
11. Então Judá disse à sua nora Tamar: "Viva como viúva na casa de seu pai e espere que cresça meu filho Sela". Dizia isso, pensando: "Não convém que ele morra como seus irmãos". Tamar, então, voltou para a casa do seu pai.
12. Passou muito tempo e morreu a filha de Sué, mulher de Judá. Tendo passado o luto, Judá subiu para Tamna, junto com Hira, seu amigo de Odolam, para tosquiar o rebanho.
13. Comunicaram a Tamar: "Seu sogro está subindo a Tamna para tosquiar o rebanho".


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal