Origem do mundo e da humanidade a criaçÃo gênesis 1 a humanidade, ponto alto da criaçÃO


O povo, cheio de generosidade, se alegrava em oferecer algo a Javé. Também Davi ficou muito contente. AÇÃO DE GRAÇAS



Baixar 5.7 Mb.
Página61/197
Encontro29.07.2016
Tamanho5.7 Mb.
1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   197

9. O povo, cheio de generosidade, se alegrava em oferecer algo a Javé. Também Davi ficou muito contente.

AÇÃO DE GRAÇAS
10. Então Davi bendisse a Javé diante de toda a assembléia. Ele falou: "Bendito sejas tu, Javé, Deus do nosso pai Israel, desde sempre e para sempre.
11. A ti, Javé, pertencem a grandeza, o poder, o esplendor, a majestade e a glória, pois tudo o que existe no céu e na terra pertence a ti. Teu é o reino, e a ti cabe elevar-se como soberano acima de tudo.
12. A riqueza e a glória vêm de ti. E tu governas todas as coisas. Em tua mão está a força e o vigor. Em tua mão está o poder de engrandecer e fortificar todas as coisas.
13. E agora, Deus nosso, nós te agradecemos, e louvamos o teu nome glorioso.
14. Quem sou eu, e quem é o meu povo para podermos te oferecer tudo isso? Tudo vem de ti, e a ti ofertamos o que de tuas mãos recebemos.
15. Todos nós, diante de ti, somos imigrantes e estrangeiros, como foram todos os nossos antepassados. Nossa vida na terra é apenas uma sombra sem esperança.
16. Javé, nosso Deus, tudo o que preparamos para construir um Templo em honra do teu Nome, veio de tuas mãos e pertence a ti.
17. Eu sei, ó meu Deus, que sondas o coração e amas a retidão. E com reta intenção te ofereço tudo isso, e vejo com alegria o teu povo aqui reunido, fazendo suas ofertas a ti.
18. Javé, Deus de nossos antepassados Abraão, Isaac e Israel, conserva sempre no coração do teu povo essa disposição e sentimento. Mantém o coração deles fiel a ti.
19. A meu filho Salomão, concede um coração íntegro, para que ele pratique teus mandamentos, tuas ordens e leis, e para que construa este Templo que projetei para ti".
20. Por fim, Davi disse para a assembléia: "Bendigam todos a Javé, o Deus de vocês!" E toda a assembléia bendisse a Javé, Deus dos seus antepassados. E, prostrando-se, prestaram homenagem a Javé e ao rei.
21. No dia seguinte, ofereceram a Javé sacrifícios e holocaustos. Foram sacrificados mil bois, mil carneiros e mil cordeiros, com as respectivas libações de vinho e numerosos sacrifícios por todo o Israel.
22. Nesse dia, todos comeram e beberam com grande alegria na presença de Javé. Entronizaram pela segunda vez Salomão, filho de Davi, e o ungiram como chefe em nome de Javé. Ungiram também Sadoc como sacerdote.

MORTE DE DAVI
23. Salomão sentou-se no trono de Javé, em lugar do seu pai Davi, e teve êxito. Todo o Israel lhe obedeceu.
24. Todos os chefes, todos os valentes e todos os filhos de Davi se submeteram ao rei Salomão.
25. Javé engrandeceu e aumentou o prestígio de Salomão aos olhos do povo de Israel, dando ao seu reinado um brilho como nunca tinha acontecido com qualquer outro rei antes dele em Israel.
26. Davi, filho de Jessé, foi rei de todo o Israel.
27. Reinou quarenta anos: sete em Hebron e trinta e três em Jerusalém.
28. Por fim, morreu numa velhice feliz, tendo vivido muitos anos e tendo ficado rico e famoso. O seu filho Salomão foi seu sucessor no trono.
29. A história do rei Davi, do começo ao fim, está escrita na história do vidente Samuel, na história do profeta Natã e do vidente Gad.
30. Aí se encontra tudo o que se refere ao seu reinado e às suas guerras, e tudo o que aconteceu com ele, com Israel e com todos os reinos vizinhos.

[II Crônicas 1]II Crônicas 1


III. SALOMÃO, CONSTRUTOR DO TEMPLO

SABEDORIA E CONHECIMENTO PARA GOVERNAR
1. Salomão, filho de Davi, se firmou na realeza. Javé, seu Deus, estava com ele e o engrandeceu muito.
2. Salomão convocou todo o Israel, os comandantes de mil e comandantes de cem, os juízes, todos os príncipes de Israel e os chefes de família.
3. Com toda essa assembléia, Salomão foi até o lugar alto de Gabaon, onde estava a Tenda da Reunião de Deus, feita no deserto por Moisés, servo de Javé.
4. Quanto à Arca de Deus, Davi a tinha transferido de Cariat-Iarim, para o lugar por ele preparado; pois tinha feito para ela uma tenda em Jerusalém.
5. O altar de bronze, feito por Beseleel, filho de Uri, filho de Hur, ficava diante da Habitação de Javé, aonde Salomão e a assembléia iam para consultar a Deus.
6. Foi aí que Salomão, diante de Javé, subiu ao altar de bronze que estava diante da Tenda da Reunião, e ofereceu mil holocaustos.
7. Nessa noite, Deus apareceu a Salomão e lhe disse: "Peça o que você quiser".
8. Salomão respondeu a Deus: "Tu trataste com muito amor o meu pai Davi e me colocaste como rei no lugar dele.
9. Agora, Javé Deus, mantém a promessa que fizeste ao meu pai Davi, porque me puseste como rei sobre um povo tão numeroso como o pó da terra.
10. Concede-me, então, sabedoria e conhecimento, para que eu possa conduzir bem este povo. Do contrário, quem poderia governar esse teu povo tão numeroso?"
11. Então Deus disse a Salomão: "Já que você deseja isso, e não pediu riqueza, fortuna e glória, nem a morte dos inimigos ou muitos anos de vida para você mesmo, mas pediu sabedoria e conhecimento para governar o meu povo, do qual eu o fiz rei,
12. então você receberá sabedoria e conhecimento. Além disso, eu lhe dou também riqueza, fortuna e glória, como nenhum dos seus antecessores teve, nem seus sucessores terão".
13. Depois disso, Salomão saiu da Tenda da Reunião e voltou de Gabaon para Jerusalém. E reinou em Israel.

RIQUEZA E SEGURANÇA
14. Salomão reuniu carros e cavaleiros. Tinha mil e quatrocentos carros e doze mil cavaleiros, que ficavam nas cidades dos carros e junto do rei em Jerusalém.
15. Salomão fez com que a prata e o ouro fossem tão comuns em Jerusalém como as pedras, e os cedros como os sicômoros da Planície.
16. Os cavalos de Salomão eram importados do Egito e da Cilícia, onde os mercadores do rei os compravam com pagamento à vista.
17. Cada carro era importado do Egito por seis quilos e meio de prata, e cada cavalo por um quilo e meio. Os cavalos eram exportados, nas mesmas condições, para os reis dos heteus e os reis de Aram.

ÚLTIMOS PREPARATIVOS PARA A CONSTRUÇÃO DO TEMPLO
18. Salomão mandou construir um Templo para o Nome de Javé e um palácio real para si.

[II Crônicas 2]II Crônicas 2



1. Recrutou setenta mil carregadores de pedra, oitenta mil arrancadores de pedra da montanha e três mil e seiscentos capatazes para fiscalizar os serviços.
2. Salomão mandou a seguinte mensagem a Hiram, rei de Tiro: "Tempos atrás, você enviou cedro para que o meu pai Davi construísse uma casa para ele morar.
3. Agora, eu resolvi construir um Templo para o Nome de Javé meu Deus, para consagrá-lo a ele, a fim de queimar em sua honra o perfume do incenso, fazer as oferendas permanentes dos pães oferecidos a Deus, oferecer os holocaustos de manhã e de tarde, nos sábados, luas novas e festas de Javé nosso Deus. E assim se fará sempre em Israel.
4. O Templo que pretendo construir deverá ser grande, porque o nosso Deus é o maior de todos os deuses.
5. Quem se atreveria a construir um templo para ele, quando o céu e o mais alto do céu são pequenos para contê-lo? E quem sou eu, para lhe construir um templo, ainda que seja só para queimar incenso em sua presença?
6. Agora, pois, peço que me mande um homem competente para trabalhar o ouro, a prata, o bronze e o ferro, e também com tecidos de púrpura, carmesim e damasco, e que seja entendido em fazer esculturas. Ele trabalhará com os outros mestres que já se encontram aqui comigo em Judá e Jerusalém, contratados pelo meu pai Davi.
7. Peço também que me mande madeira de cedro, carvalho e pinho do Líbano, pois eu sei que seus servos são competentes para cortar madeira do Líbano. Meus servos trabalharão junto com os seus,
8. para prepararem grande quantidade de madeira, porque o Templo que vou construir será grande e maravilhoso.
9. Eu sustentarei os lenhadores com vinte mil sacas de trigo, vinte mil sacas de cevada, vinte mil barris de vinho e vinte mil barris de óleo".
10. Hiram, rei de Tiro, respondeu a Salomão com esta carta: "Javé ama o seu povo e, por isso, estabeleceu você como rei sobre ele".
11. A carta continuava: "Seja bendito Javé, o Deus de Israel. Ele fez o céu e a terra, deu ao rei Davi um filho sábio, sensato e prudente, capaz de construir um Templo para Javé e um palácio para si próprio.
12. Estou enviando a você Hiram-Abi, homem hábil e prudente,
13. filho de uma danita e de pai tírio. Ele é especialista no trabalho de ouro, prata, bronze, ferro, pedra, madeira, tecidos de púrpura, damasco, linho, carmesim, e também na arte de qualquer tipo de escultura. Ele executará todos os projetos que lhe derem, junto com os seus mestres e com os mestres de seu pai Davi, meu senhor.
14. Quanto ao trigo, à cevada, ao óleo e ao vinho de que meu senhor falou, pode mandá-los para os seus servos.
15. Vamos cortar toda a madeira do Líbano de que você precisa e vamos mandá-la embarcada por mar até Jope. Depois você a levará até Jerusalém".

O PROBLEMA DA MÃO-DE-OBRA
16. Salomão fez o recenseamento de todos os imigrantes que residiam no país de Israel, recenseamento esse posterior ao que tinha feito seu pai Davi. Encontrou cento e cinqüenta e três mil e seiscentos homens.
17. Destinou setenta mil para o transporte, oitenta mil para trabalhar nas pedreiras da montanha e três mil e seiscentos para fiscalizar o trabalho do pessoal.

[II Crônicas 3]II Crônicas 3



CONSTRUÇÃO DO TEMPLO E FABRICAÇÃO DOS UTENSÍLIOS
1. Salomão começou a construir o Templo de Javé em Jerusalém, no monte Moriá. Aí seu pai Davi tivera uma visão, no lugar que havia preparado na eira de Ornã, o jebuseu.
2. Salomão começou a construir no segundo mês do quarto ano do seu reinado.
3. Estas foram as medidas determinadas por Salomão para a construção do Templo de Deus: trinta metros de comprimento por dez de largura.
4. O vestíbulo da frente, no sentido da largura do Templo, tinha dez metros de comprimento, cinco de profundidade e dez de altura. Salomão revestiu de ouro todo o seu interior.
5. E mandou revestir a nave maior com madeira de carvalho, que recobriu de ouro puro, e no ouro mandou esculpir ramos de palmeira e cordões.
6. Fez decorar o Templo com pedras preciosas de grande beleza. O ouro utilizado era de Parvaim.
7. Com esse ouro, recobriu a nave, os travamentos, os portais, as paredes e as portas. Nas paredes mandou esculpir querubins.
8. Construiu também o Santíssimo. Tinha dez metros de comprimento, acompanhando a largura do Templo, por dez de largura. Recobriu-o com vinte toneladas de ouro puro.
9. Os pregos de ouro pesavam meio quilo. Revestiu de ouro as salas superiores.
10. Salomão mandou também fundir, para o recinto do Santíssimo, dois querubins de metal, revestidos de ouro.
11. As asas dos querubins abarcavam dez metros de comprimento; a asa do primeiro tinha dois metros e meio e tocava a parede interior do edifício. A outra asa, também com dois metros e meio, tocava na asa do segundo querubim.
12. Uma asa do segundo querubim tocava a parede do outro lado. E a outra asa, com dois metros e meio, tocava a asa do primeiro querubim.
13. Assim, as asas dos dois querubins cobriam uma extensão de dez metros. Os querubins estavam de pé e com o rosto voltado para dentro.
14. Salomão mandou fazer a cortina de púrpura violeta e escarlate, de carmesim e de linho puro, com querubins bordados nela.
15. Diante da nave mandou fazer duas colunas de dezessete metros e meio de altura, com capitéis de dois metros e meio.
16. Fez também cordões em forma de colar, e os colocou nos capitéis; fez também cem romãs, e as colocou nos cordões.
17. Colocou as colunas na entrada do Templo, uma à esquerda e outra à direita. À coluna da direita deu o nome de Firme, e à da esquerda o nome de Forte.

[II Crônicas 4]II Crônicas 4



1. Salomão mandou fazer também um altar de bronze com dez metros de comprimento por dez de largura e cinco de altura.
2. Fez também o Mar de metal fundido, redondo, com cinco metros de diâmetro e dois metros e meio de altura, com quinze de circunferência.
3. Por baixo da borda, em todo o redor, havia animais semelhantes a bois. Eram duas fileiras de touros, vinte em cada metro, fundidas numa peça única.
4. O Mar se apoiava sobre doze touros, três voltados para o norte, três para o poente, três para o sul e três para o nascente. O Mar ficava em cima deles, e a parte traseira dos touros ficava voltada para dentro.
5. As paredes do Mar tinham a espessura de um palmo, enquanto a borda, de tão fina, parecia a borda de uma taça e era igual a uma flor. A capacidade do Mar era de cento e trinta e cinco mil litros.
6. Fez também dez bacias. Colocou cinco de cada lado, para aí lavarem as vítimas dos holocaustos. Os sacerdotes se lavavam no Mar.
7. Mandou fazer ainda os dez candelabros de ouro, conforme estava determinado, e colocou-os no Santo, de um lado e do outro.
8. Fez as dez mesas, e colocou-as no Santo, cinco de cada lado. Fez também cem bacias de ouro para a aspersão.
9. Construiu o pátio dos sacerdotes e o grande pátio com suas portas, e as recobriu de bronze.
10. Colocou o Mar do lado direito, ao sudeste.
11. Hiram fez os recipientes para as cinzas, e também as pás e as bacias para a aspersão. E terminou tudo o que o rei Salomão tinha encomendado para o Templo de Deus:
12. as duas colunas; os dois rolos de capitéis no alto das colunas; os dois trançados para cobrir os dois rolos que estavam no alto das colunas;
13. as quatrocentas romãs para os dois trançados, ficando as romãs de cada trançado em duas fileiras;
14. as dez bases e as dez bacias;
15. o Mar único com os dois touros que o sustentavam;
16. os recipientes para as cinzas, e também as pás, os garfos e todos os outros acessórios que Hiram-Abi fez de bronze polido, a pedido do rei Salomão, para o Templo de Javé.
17. Tudo isso o rei mandou fundir em terra argilosa na planície do Jordão, entre Sucot e Sardata.
18. Salomão fez tudo em grande quantidade, pois tinha tanto bronze que nem dava para calcular.
19. Portanto, foi Salomão quem fez todos os objetos para o Templo de Deus, como o altar de ouro e as mesas para colocar os pães oferecidos a Deus;
20. os candelabros de ouro puro com suas lâmpadas, que deviam ficar sempre acesas diante do Santíssimo, conforme as normas;
21. as flores, as lâmpadas e as tenazes de ouro puro;
22. as facas, as bacias de aspersão, as taças e os incensórios de ouro puro. Fez também de ouro os gonzos das portas do Santíssimo e do Santo.

[II Crônicas 5]II Crônicas 5



1. Depois de terminar tudo o que fez para o Templo do Senhor, Salomão mandou levar para o Templo aquilo que o seu pai Davi tinha consagrado: a prata, o ouro e todos os utensílios. E os colocou no tesouro do Templo de Deus.

DEUS PRESENTE NO MEIO DO POVO
2. Salomão reuniu em Jerusalém todos os anciãos de Israel, todos os chefes das tribos e os chefes das famílias israelitas, para transportar, da cidade de Davi, que é Sião, a Arca da Aliança de Javé.
3. Para a festa, todos os israelitas se reuniram com o rei no sétimo mês.
4. Chegaram todos os anciãos de Israel, e quem carregou a Arca foram os levitas.
5. Transportaram a Arca e a Tenda da Reunião, e também os utensílios sagrados que estavam na Tenda. Tudo foi carregado pelos sacerdotes levitas.
6. O rei Salomão e a comunidade toda de Israel, reunida com ele diante da Arca, sacrificou tantas ovelhas e bois, que não foi possível contar nem calcular.
7. Os sacerdotes introduziram a Arca da Aliança de Javé no seu lugar próprio, isto é, no Debir do Templo, quer dizer, no Santíssimo, sob as asas dos querubins.
8. Os querubins estendiam as asas sobre o local da Arca, protegendo a Arca e seus varais.
9. Como os varais eram compridos, quem estava no Santo, diante do Santíssimo, podia ver as suas extremidades, mas de fora não dava para ver. Eles aí estão até hoje.
10. Dentro da Arca não havia nada além das duas tábuas que, no Horeb, Moisés havia colocado aí quando Javé concluiu a aliança com os israelitas, na ocasião em que eles saíram do Egito.
11. Todos os sacerdotes que estavam no Santuário se haviam purificado, sem distinção de classes. Quando os sacerdotes saíram do Santuário,
12. todos os levitas cantores das famílias de Asaf, de Emã e de Iditun, com seus filhos e irmãos, estavam vestidos de linho fino e tocavam címbalos, lira e cítara, todos de pé, ao leste do altar. Com eles havia cento e vinte sacerdotes que tocavam trombetas.
13. Como se fossem um só, os tocadores de trombeta e os outros músicos puseram-se a tocar juntos, celebrando a Javé. Quando levantaram a voz ao som das trombetas, címbalos e outros instrumentos, celebrando a Javé, "porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre", o Templo se encheu com a nuvem da glória de Javé.
14. Por causa da nuvem, os sacerdotes não puderam continuar o culto, pois a glória de Javé tinha ocupado inteiramente o Templo de Deus.

[II Crônicas 6]II Crônicas 6



1. Então Salomão disse: "Javé escolheu habitar a nuvem escura.
2. Eu construí para ti uma casa sublime, uma casa onde habitarás para sempre".

DEUS REALIZA O QUE PROMETE
3. O rei se voltou, e abençoou toda a assembléia de Israel, enquanto todos permaneciam de pé.
4. O rei disse então: "Seja bendito Javé, o Deus de Israel, que realizou com a mão o que sua boca havia prometido ao meu pai Davi:
5. 'Desde o dia em que tirei o meu povo do Egito, não escolhi nenhuma cidade dentre todas as tribos de Israel, a fim de construir aí um Templo para o meu Nome. Como também não escolhi um homem para ser chefe do meu povo Israel.
6. Mas escolhi Jerusalém para aí fazer morar o meu Nome. Escolhi Davi para ser o chefe do meu povo Israel'.
7. O meu pai Davi queria construir um Templo para o Nome de Javé, o Deus de Israel.
8. Javé, porém, disse ao meu pai Davi: 'Você está querendo construir um Templo para o meu Nome, e faz muito bem, querendo isso.
9. Contudo, não é você quem vai construir o Templo, mas o seu filho, saído de suas entranhas, ele é quem vai construir o Templo para o meu Nome'.
10. E Javé realizou a promessa que havia feito: eu sucedi ao meu pai Davi, e subi ao trono de Israel, como Javé havia prometido, e construí o Templo para o Nome de Javé, o Deus de Israel.
11. Nele introduzi a Arca, onde se acha a Aliança que Javé fez com os israelitas".
12. Salomão ficou em pé diante do altar de Javé, na presença de toda a assembléia de Israel, e estendeu as mãos.
13. Salomão tinha mandado fazer, no meio do pátio do Templo, um estrado de bronze com dois metros e meio de largura e um metro e meio de altura. Subiu ao estrado e ajoelhou-se diante de toda a assembléia de Israel. Estendeu as mãos para o céu,
14. e disse: "Javé, Deus de Israel, não existe nenhum Deus como tu, nem lá no alto céu, nem aqui embaixo na terra. Tu és fiel à aliança e ao amor para com os teus servos que caminham de todo o coração diante de ti.
15. Cumpriste a promessa que havias feito ao teu servo Davi, meu pai, e o que prometeste com a boca, hoje realizaste com a mão.
16. Agora, Javé, Deus de Israel, mantém esta promessa que fizeste ao teu servo Davi, meu pai: 'Nunca faltará para você, diante de mim, um descendente no trono de Israel, contanto que seus filhos saibam comportar-se de acordo com a minha lei, assim como você se comportou diante de mim'.
17. Portanto, Javé, Deus de Israel, confirma agora a promessa que fizeste ao teu servo Davi.
18. É possível Deus habitar com os homens na terra? Se o céu e o mais alto do céu não o podem conter, muito menos esse Templo que construí!
19. Atende à oração e à súplica do teu servo, Javé meu Deus! Ouve o clamor e a prece que teu servo faz diante de ti.
20. Que os teus olhos fiquem abertos dia e noite sobre este Templo, sobre este lugar, onde prometeste que o teu Nome habitaria. Ouve a prece que o teu servo fará neste lugar".

O TEMPLO: LUGAR DE SÚPLICA E ATENDIMENTO
21. "Ouve as súplicas do teu servo e do teu povo Israel, quando rezarem neste lugar. Escuta da tua morada no céu! Ouve e perdoa!
22. Quando alguém pecar contra o seu próximo e, porque lhe foi exigido um juramento imprecatório, vier jurar diante do teu altar neste Templo,
23. ouve do céu e age. Julga os teus servos: condena o culpado, dando-lhe o que merece, e absolve o inocente, tratando-o conforme a justiça dele.
24. Quando o teu povo Israel, por ter pecado contra ti, for derrotado pelo inimigo, se ele se converter, confessar o teu Nome, rezar e suplicar a ti neste Templo,
25. ouve do céu, perdoa o pecado do teu povo Israel, e faze que ele volte para a terra que deste aos seus antepassados.
26. Quando o céu se fechar e não houver chuva, por terem pecado contra ti, se eles rezarem neste lugar, se confessarem o teu Nome e se arrependerem do próprio pecado porque os afligiste,
27. ouve do céu, perdoa o pecado de teus servos e do teu povo Israel, mostrando-lhes o bom caminho que devem seguir, e rega com a chuva a terra que deste como herança ao teu povo.
28. Quando o país sofrer fome, peste, mela e ferrugem; quando vierem gafanhotos e pulgões; quando o inimigo deste povo cercar alguma de suas cidades; quando houver qualquer calamidade ou epidemia;
29. seja qual for a oração ou súplica de um indivíduo ou de todo o teu povo Israel, se sentirem remorso de consciência e dor, e erguerem as mãos para este Templo,
30. ouve do céu onde moras, perdoa e paga conforme o comportamento de cada um, pois conheces o coração; és o único que conhece o coração dos homens.
31. Desse modo te respeitarão, e seguirão os teus caminhos em todos os dias que viverem sobre a terra que deste aos nossos antepassados.
32. O estrangeiro, que não pertence a teu povo Israel, se também ele vier de uma terra distante por causa da grandeza do teu Nome, da tua mão forte e do teu braço estendido, se ele vier orar neste Templo,
33. ouve do céu onde moras, atende todos os pedidos do estrangeiro. Assim, todos os povos da terra reconhecerão o teu Nome e temerão a ti, como faz o teu povo Israel; eles saberão que o teu Nome é invocado neste Templo que eu construí.
34. Se o teu povo sair para guerrear contra os inimigos, e se no caminho em que o mandares, ele rezar para ti voltado para a cidade que escolheste e para o Templo que construí para o teu Nome,
35. ouve do céu a sua oração e súplica e faze justiça para ele.
36. Quando pecarem contra ti, pois não há ninguém que não peque, e tu ficares irritado contra eles, entregando-os ao inimigo, e então eles forem levados como cativos pelos vencedores para uma terra distante ou próxima;
37. se eles caírem em si na terra para onde tiverem sido levados, se se arrependerem e suplicarem na terra do seu exílio, dizendo: 'Pecamos, agimos mal e nos pervertemos';


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   197


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal